Você está na página 1de 7

História Natural da Doença Bibliografia desta aula:

(2ª parte) 2ª parte da História Natural da Doença.

 Cap.3  PEREIRA, Maurício Gomes.


Epidemiologia: teoria e prática.Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2006

Epidemiologia e Bioestatística  Cap 2.  ROUQUAYROL, Maria Zélia;


Prof.Msc.Willian Augusto ALMEIDA FILHO, Naomar de.
Epidemiologia & saúde. Rio de Janeiro:
MEDSI, 2003.

Períodos Pré-patogênico e
Patogênico

História natural da doença

História natural da doença - Períodos História natural da doença - Períodos

 Período Pré-patogênico  Período Patogênico


(epidemiológico) 2. Fase patológica pré-clínica:
1. Fase suscetibilidade: – Doença sem sintomatologia
– Interação susceptível – ambiente; – Exemplo de prevenção : rastreamento =
– Ex: Prevenção: procura por suspeitos ou em risco de
– Conhecimento e eliminação fatores de adoecerem;
risco

1
História natural da doença - Períodos História natural da doença - Períodos

 Período Patogênico  Período Patogênico


3. Fase clínica: 4. Fase incapacidade residual:
– Doença com sintomatologia – Doença sem cura completa (qdo não
– Fase do “iceberg” houve morte);
– Exemplo de prevenção: curativa. – Medidas de reabilitação: cunho físico,
– Ex: remoção cirúrgica de cálculo renal; psicológico ou social.
– Ex: IAM

Classificação das Medidas Preventivas Promoção a saúde (Prevenção 1ª):


1º. nível 2º. nível 3º. nível 4º. nível 5º. nível

Diagn. Precoce
 Educação sanitária
Promoção Proteção Limitação Reabilitação
da saúde específica
e tratº oportuno
do dano  Alimentação / nutrição adequada

Prevenção Prevenção secundária Prevenção  Habitação adequada


primária terciária
 Emprego e salário adequado

Prevenção Cura Reabilitação  Satisfação necessidades básicas

Promoção Proteção Recuperação

Classificação das Medidas Preventivas Proteção específica (Prevenção 1ª):


1º. nível 2º. nível 3º. nível 4º. nível 5º. nível

Diagn. Precoce
 Vacinação
Promoção Proteção Limitação Reabilitação
da saúde específica
e tratº oportuno
do dano  Exame pré-natal

Prevenção Prevenção secundária Prevenção  Quimioprofilaxia


primária terciária
 Fluoretação da água

Prevenção Cura Reabilitação  Eliminação de exposição a agentes


cancerígenos
Promoção Proteção Recuperação

2
Diagnóstico e tratamento precoce
Classificação das Medidas Preventivas
(Prevenção 2ª):
1º. nível 2º. nível 3º. nível 4º. nível 5º. nível

Diagn. Precoce
 Rastreamento
Promoção Proteção Limitação Reabilitação
da saúde específica
e tratº oportuno
do dano  Exame periódico de saúde

Prevenção Prevenção secundária Prevenção  procura-se de casos entre contactos


primária terciária
 Auto exame

Prevenção Cura Reabilitação  Intervenções médicas - cirúrgicas

Promoção Proteção Recuperação

Classificação das Medidas Preventivas Limitação do dano (Prevenção 2ª):


1º. nível 2º. nível 3º. nível 4º. nível 5º. nível

Diagn. Precoce
 Acesso facilitado a serviços de saúde
Promoção Proteção Limitação Reabilitação
da saúde específica
e tratº oportuno
do dano  Tratº médico / cirúrgico adequados

Prevenção Prevenção secundária Prevenção  Hospitalização devido necessidades


primária terciária

Prevenção Cura Reabilitação

Promoção Proteção Recuperação

Classificação das Medidas Preventivas Limitação do dano (Prevenção 2ª):


1º. nível 2º. nível 3º. nível 4º. nível 5º. nível

Diagn. Precoce
 Acesso facilitado a serviços de saúde
Promoção Proteção Limitação Reabilitação
da saúde específica
e tratº oportuno
do dano  Tratº médico / cirúrgico adequados

Prevenção Prevenção secundária Prevenção  Hospitalização devido necessidades


primária terciária

Prevenção Cura Reabilitação

Promoção Proteção Recuperação

3
Classificação das Medidas Preventivas Reabilitação (Prevenção 3ª):
1º. nível 2º. nível 3º. nível 4º. nível 5º. nível

Diagn. Precoce
 Terapia ocupacional
Promoção Proteção Limitação Reabilitação
da saúde específica
e tratº oportuno
do dano  Treinamento do deficiente

Prevenção Prevenção secundária Prevenção  Melhor condição trabalho para deficiente


primária terciária
 Educação do público p/ aceitar deficiente

Prevenção Cura Reabilitação  Próteses / órteses


 Fisioterapia
Promoção Proteção Recuperação

Níveis de aplicação das medidas ESCALA DO ESTADO DE SAÚDE


preventivas na HND 100

Saúde
100

ótima
A
P U
R Saúde sub- S
E ótima Ê
S N
E C
N I
ç A
A
50 Doença 50

ou D
D E
E incapacidade
declarada
S
S A
A
Próximo
Ú
da morte D
Ú
D E

E Morte

0 0

DUPLA ECOLÓGICA: HOSPEDEIRO E MEIO FATORES DETERMINANTES DA DOENÇA


AMBIENTE
Ambiente
Físico  Endógenos: Fatores determinantes que, no
quadro geral da ecologia da doença, são
inerentes ao organismo e estabelecem a
receptividade do indivíduo.
Herança Anatomia • Herança genética.
Genética Fisiologia • Anatomia e fisiologia do organismo humano.
HOMEM
• Estilo de vida.

Ambiente
Estilo de Ambiente  Exógenos: Fatores determinantes que dizem
Biológico
Vida
Social respeito ao ambiente.
• Ambiente biológico: determinantes biológicos.
• Ambiente físico: determinantes físico-químicos.
• Ambiente social: determinantes sócio-culturais.

Interação complexa com o ambiente

4
FATORES DETERMINANTES FATORES DETERMINANTES
ENDÓGENOS BIOLÓGICOS
 Exógenos

Genéticos: – Infecções

• Âmbito da Genética Médica • Varias espécies 

Âmbito da
Microbiologia
Outros: “Fatores constitucionais” e
Entomologia O resultado do relacionamento da
médicas população humana com uma ou
mais espécie com conseqüente
advento de diversos agravos à
saúde.

FATORES DETERMINANTES FÍSICOS FATORES DETERMINANTES FÍSICOS


E QUÍMICOS E QUÍMICOS
 Naturais:  Naturais:
– Previsíveis: permite – Imprevisíveis:
estimar as possíveis
• Acidentes naturais.
conseqüências e adotar
medidas que reduzem • Desastres ou
seus efeitos . calamidades naturais.
Mortalidade
• Atmosfera: Clima. Morbidade (epidemias
ou doenças
• Hidrosfera e infecciosas)
litosfera: Carência de Desabilidades
elementos essenciais ou
psicológicas
presença de agentes
indesejados.

5
6
FATORES DETERMINANTES FÍSICOS
E QUÍMICOS
 Artificiais:
– Acidentais: Acidentes
ou desastres antrópicos.
• Ambiente natural:
“Efeito estufa”, “buraco
na camada de ozônio”.
• Ambiente antrópico:
Impacto de tecnologias
sofisticadas que, fora de
controle, atingem o
próprio ambiente
antrópico (energia
nuclear, acidentes com
produtos químicos
perigosos).

FATORES DETERMINANTES FÍSICOS


FATORES DETERMINANTES SOCIAIS
E QUÍMICOS
 Artificiais:  Desigualdade social, tida como geradora de agravos à saúde,
– Produzidos: De uso traduzidos em morbidade e mortalidade.
programado e continuado  Categorias gerais desses determinantes:
(riscos antrópicos)  – Comportamentais
Poluição. • Psicossociais  Relacionados à personalidade do indivíduo.
• Poluição conseqüente • Hábitos e estilos de vida: sexualidade, étnicos (relacionados à
(desenvolvimento cultura), adquiridos.
industrial): Gases e – Organizacionais
partículas na atmosfera, • Estruturais
substâncias químicas no – Ocupação / Família / Nível socioeconômico
meio hídrico e resíduos
sólidos no meio terrestre. • Evolutivos  Relacionados ao Desenvolvimento
• Poluição pressentida – Intrasociais: convivência (mobilidade social); produção e
(consecução de certa desenvolvimento (apropriação dos recursos sociais); e competição.
finalidade): Defensivos – Intersociais: agressões ao meio ambiente, migrações populacionais,
intercâmbio social e conflitos.
agrícolas, medicamentos,
agentes tóxicos e nocivos
usados em conflitos
armados.

OBRIGADO!!!