Você está na página 1de 7

TÉCNICAS PEDAGÓGICAS

Como já vimos, o método pedagógico consiste num conjunto de princípios de carácter estratégico, que
orientam a forma de conceber a formação e se concretizam numa série de ações desenvolvidas pelo
formador no sentido de alcançar os objetivos da aprendizagem. Constitui, assim, uma espécie de fio
condutor da sessão. O alcançar destes objetivos implica, desta forma, a aplicação de um conjunto de
técnicas e procedimentos, que nos vão permitir orientar a transmissão de conhecimentos.
As técnicas pedagógicas referem-se, assim, ao conjunto desses procedimentos que vão permitir
conduzir os formandos aos objetivos pré-definidos.
Existem diversas técnicas pedagógicas, que podem ser conjugadas com os diferentes métodos, no
sentido de nos permitirem alcançar esses mesmos objetivos.
As técnicas pedagógicas podem ser divididas em:

A) TRABALHOS INDIVIDUAIS;
B) TRABALHOS DE GRUPO;
C) JOGOS PEDAGÓGICOS.

Dado que existe um número infinito de técnicas pedagógicas, que nos podem auxiliar a atingir os
objetivos estabelecidos, iremos abordar, de seguida, apenas algumas delas.

INTERROGATÓRIO

É constituído por uma série de perguntas, logicamente encadeadas.


Esta técnica permite conhecer o formando, estimulando e fortalecendo os seus comportamentos.
Permite ainda diagnosticar as suas dificuldades, os seus interesses, valores,...
Pode ainda ser utilizada para motivar, sondar, estimular a reflexão, anular a indisciplina, verificar a
aprendizagem.
ARGUIÇÃO

A arguição consiste no apelo a um raciocínio lógico – levantamento de hipóteses, fundamentações.


Exige a justificação, a fundamentação das declarações apresentadas.
Pode, assim, ser utilizada para diagnosticar conhecimentos que o formando deve ter adquirido por
conta própria.

DIÁLOGO

É uma forma de interrogatório que tem como objetivo levar à reflexão e não a verificar conhecimentos.
Consiste em organizar o assunto a estudar numa sequência de pergunta e resposta.
O objetivo é levar o formando a pensar, refletir, utilizar o conhecimento. Desta forma, consiste num
processo de reflexão dirigida, com um aspeto educativo.
Pelo diálogo há uma maior compreensão recíproca.

DISCUSSÃO

Esta técnica consiste na discussão de um tema sob a orientação do formador.


Implica uma abordagem de cooperação intelectual: cada um traz a sua contribuição em conhecimentos,
dados e informação.
É uma técnica que traz resultados compensadores, uma vez que permite que o formando exponha o seu
ponto de vista, ouça, refute e/ou aceite os argumentos dos outros. Desta forma, é um processo
bastante ativo.

DEBATE

Ao contrário da discussão, no debate apresentam-se posições contrárias e bem definidas, tendo o


formando ou o grupo de formandos de defender a sua posição sobre determinado assunto. Trata-se,
assim, de um fenómeno de disputa.
Surge geralmente de temas que provocam divergência – os formandos tomam posições definidas e
muitas vezes divergentes.

ESTUDO DE CASO

Esta é uma técnica na qual os participantes são confrontados com uma situação ou com um problema
concreto que lhes é apresentado. Posteriormente, os formandos são convidados a fazer uma análise
conjunta, detalhada, para em seguida identificar a solução mais adequada e determinar os princípios da
sua justificação.

BRAINSTORMING

Esta é uma técnica que implica a manifestação livre de ideias e opiniões próprias acerca de determinado
tema, impondo para tal um curto e específico período de tempo. O objetivo é chegar a um consenso e a
obtenção de um resultado final que seja fruto da colaboração de todos.
Não são permitidas críticas ou julgamento de ideias.
A utilização desta técnica implica um animador e 10 a 15 participantes.

DEMONSTRAÇÃO

Consiste na demonstração de determinada tarefa/comportamento, numa prática efetiva dos


conhecimentos.
Esta técnica pedagógica pode ser utilizada associada do método demonstrativo, com o objetivo de
ensinar, específica e individualmente, a cada formando determinada tarefa/comportamento. No
entanto, pode também ser associada a outros métodos pedagógicos apenas com o objetivo de
demonstrar determinado procedimento, sem que se pretenda que o formando o assimile e o aprenda.
EXPOSIÇÃO

É a técnica através da qual uma pessoa faz, diante de um auditório, uma apresentação de um
determinado tema.
É a técnica mais indicada para um público constituído um elevado número de formandos.

SIMPÓSIO

No simpósio, 2 a 5 pessoas qualificadas expõem, face a um auditório, um tema comum, com a finalidade
de definir uma questão ou tema. A relação entre essas pessoas é de complementaridade, não
implicando posições contraditórias.
Orientadas por um moderador, as pessoas qualificadas respondem às questões dos participantes, mas
não há debate entre eles.

COLÓQUIO

O colóquio implica a existência de um grupo de 3 a 4 pessoas especializadas, e uma assembleia. Diante


desta assembleia, os especialistas realizam uma discussão sobre um determinado tema.
Esta técnica é semelhante ao debate, mas a participação da assembleia é mais rara, e realizada apenas
por um restrito grupo de porta-vozes dos participantes.

PAINEL

Esta técnica pedagógica implica um grupo de 3 a 6 pessoas especializadas, cada uma representando um
sub-grupo de participantes. Este grupo de especialistas, com opiniões divergentes, discute, perante um
auditório um determinado tema.
Os participantes não intervêm, a não ser por intermédio dos seus representantes.
Existe um moderador.
SESSÃO SUSSURRO

Os participantes são distribuídos em grupos de 4 a 10 elementos para obter, com uma discussão, um
resultado comum sobre um tema, um caso ou um problema.
Os grupos podem ser tantos quanto o espaço disponível.
Esta técnica implica a existência de um animador geral e um moderador por grupo.

PHILIPS 6-6

Nesta técnica os participantes são distribuídos em grupos de 6 pessoas a fim de que a sua discussão,
durante um período de tempo de 6 minutos, produza um resultado comum sobre o tema, um caso ou
um problema.
Devem ser apenas 6 grupos.
Também implica a existência de um animador geral e um moderador por grupo.

ROTAÇÃO

É uma técnica bastante dinâmica e ativa. Os participantes são distribuídos por grupos de 4 a 6 pessoas
para discutir sobre um tema preciso.
Após cada 10 minutos, um membro do grupo é convidado a deixá-lo para se juntar a um grupo vizinho
(sempre no sentido dos ponteiros do relógio), para transmitir os pontos de vista do grupo anterior.

DISCUSSÃO POR ETAPAS

A discussão, que deve definir um determinado tema, é realizada em 5 etapas onde os participantes,
após uma reunião geral, são sucessivamente repartidos em grupos de 5 a 10 pessoas, a fim de
produzirem um painel de síntese das observações. Após o confronto de painéis, devem voltar ao grupo
para melhorar certos aspetos. Finalmente reúnem-se a fim de produzir conclusões finais.
Implica a existência de um animador.

SIMULAÇÃO (AUTOSCOPIA)

A simulação consiste na reprodução de uma situação de trabalho na qual se introduz o maior número
possível de variáveis ou problemas-tipo, no sentido de testar as capacidades técnicas ou os
conhecimentos dos formandos. Esta técnica implica uma cuidada orientação dos formandos por parte
do formador.
De forma geral, a reprodução destas situações é filmada e, ao recorrer à utilização de material
audiovisual, o formando poderá realizar auto-observação, o que lhe vai permitir tomar consciência dos
seus pontos fortes e fracos, podendo assim melhorar o seu desempenho.

DRAMATIZAÇÃO/ROLE-PLAY

Na dramatização, vários participantes são convidados a assumir a interpretação de diferentes papéis,


encarnando personagens que se encontram numa situação precisa, a fim de permitir, em seguida, uma
análise das representações, atitudes, etc., ligados à situação. Os restantes participantes são
observadores que irão, posteriormente, contribuir para a análise da situação. Durante o desenrolar da
ação nem formador, nem observadores deverão intervir.
O objetivo é compreender os comportamentos, não julgá-los, sendo que está subjacente a observação e
análise do papel, não da personalidade de cada um.

DESCOBERTA

Através desta técnica, os formandos são colocados perante uma situação problemática para a qual vão
procurar encontrar uma solução.
RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS EM TRÍADE

Os participantes são distribuídos em grupos de 3 elementos para, a partir da sua discussão, encontrar a
solução para um problema concreto que lhes é submetido.
Existe um porta-voz por grupo. Os trabalhos são orientados por um animador.

Você também pode gostar