Você está na página 1de 7

Oito na Eternidade - Angelis Ater – Nome de Poder

Os adormecidos da escuridão sussurravam lamentos de morte como aprendido pela


primeira tribo, e cantaram o enorme poder nos gritos daqueles que eles violentavam e
matavam. Um a um, a primeira tribo viu o poder que as Crianças mortas possuíam e
desejavam-no para si próprios. Eles procuraram os adormecidos, murmuravam para eles
enquanto repousavam e prostituíam suas almas para eles.

Em vez de responsabilidade das Crianças, a primeira tribo virou seus acólitos. Os


mortais aceitaram o peso por se lembrarem da existência de seu mestre, vencendo assim
a memória mortal. Entretanto a primeira tribo aceitou a barganha da má fé, acreditando
que por saber os nomes verdadeiros dessas criaturas perversas eles teriam poder sobre
elas. Tamanha era a ignorância do povo primitivo. De certo modo, saber o nome
verdadeiro concede influência sobre você também. O poder não está acessível a ser
pego ou dado.

Você deve ter observado que estou incerto quanto aos termos que uso, que não nomeei a
primeira tribo nem seus líderes. Tamanha omissão é deliberada. Certos nomes tem o
poder de ecoar pelos mundos quando pronunciados, e sempre existirão coisas ouvindo
quando esses nomes estiverem sendo ditos. Uma doença pode ser adquirida apenas ao
ouvir esses nomes, um tipo de aflição leprosa que atrofia a alma. Falá-los dissemina o
contágio.

A primeira tribo cresceu grande na carne, mas pequena em espírito, passando a se


alimentar de seus filhos e netos.
Pior ainda, por brincarem com esses nomes amaldiçoados, a primeira tribo fez as
Crianças ficarem mais cientes do mundo além de seus sonhos. A única coisa que
acorrentava as Crianças à realidade eram seus nomes, pois cada vez que um deles era
invocado a Criança ficava mais próxima do despertar.
No fim das contas, a primeira tribo percebeu que sua servidão não tinha valor. Agindo
assim, logo os mestres anciões acordariam e caminhariam pelo mundo como gigantes.
Pragas seriam disseminadas a cada passo do titã e o trabalho das tribos não os protegeria
da morte e da escuridão. Atrasados, os acólitos das crianças fizeram à única coisa que
podiam: esconderam os nomes malditos em seus pensamentos, nunca ousando
pronunciá-los pelo poder que possuíam, para deixar as Crianças próximas da
consciência.
Ao todo pelos relatos que consegui adquirir existem oito nomes de poder, espalhados a
maioria deles se encontra bem disseminado nas culturas dos Adormecidos. – Ainda que
esses nomes possuam de fato algum poder secular, são uma mera fração de suas reais
profanações, e chegam a quase zero. – Partindo do primeiro até o oitavo círculo de
nomes de poder, é possível extrair monstruosidade que nem a mente humana é capaz de
decifrar. As marcas de Crianças temidas e inomináveis.

Via Hyron -

Primeiro ó meu amado, é o número do antepassado, cujo nome é


desconhecido.
Esta é nossa origem o Círculo da Verdade Sem Fim, a singularidade
elemental do ser.
Este é o olho cego de nosso maior medo, e a passagem pelo mundo
que ele espreita.
Esta é nossa conclusão o retorno de nossos mestres, o tempo quando
todos seremos um novamente.

O Caminho da Colméia

“Poupar você? O gafanhoto decapta seu consorte durante a cópula,; a vespa paralisa sua
vítima, impreganando-a com ovos que depois devoram o portador.
Diga-me, onde está a compaixão do seu Deus nisso?”

Seu único intento é a perpetuação do enxame de onde eles vieram e a promulgação dos
sons que dele saem. Para esse fim, os insectóides empregam prisioneiros mortais como
grotescas “coisas de carne” para suas larvas, desafiando os conceitos tradicionais de
morte através do culto de gigantescos poços de órgãos e se reúnem em grandes
colméias subterrâneas o melhor modo para aperfeiçoar a unidade do grupo.

Sua primeira memória foi se encontrar afogando em um poço de órgãos e membros,


tentando encontrar apoio nas vísceras lustrosas que pressionavam contra seu corpo nu.
Então os insetos vieram e os reivindicaram como seu domínio.
Afogando-se, sufocado em vísceras e nas coisas rastejantes loucas descendo por sua
garganta; eles ainda sentem o seu gosto até hoje. Emergindo do poço uivando de
loucura, grávido de sangue corrompido e ovos de insetos.
Todos os laços emocionais a este mundo morreram, sendo nada mais que
personificações das colméias de podridão e escárnio do endiabrado Demiurgo. – As
larvas, ou se preferir a primeira praga, nada mais é do que a manifestação de enxames
de insetos em corpulentos, restos de pessoas. Infundir um padrão de vida com um de
entropia gera todo tipo de efeito negativo, sobretudo a aceleração do processo de
deteriorização. - Envelhecimento acelerado, cãncer, paradas cardíacas e infecções
múltiplas podem ser alguns dos resultados do contato direto com os insetos. – Além é
claro de conseguirem destruir estruturas complexas com certa facilidade. –
Se reproduzindo de forma alarmante, um único inseto pode invadir um corpo,
espalhando milhares de ovos em seu interior e devorando-o em questão de muito pouco
tempo. – Existem alguns relatos que datam de uma estranha capacidade de se
reproduzirem com o sangue de seus irmãos. Cada inseto armazena ovos, e toda vez que
um inseto é destruído, esses ovos se espalham por sua corrente sanguínea tornando-os
capaz de se reproduzir em números incontáveis mesmo após uma morte prematura.

Via Amis Noirs

Segundo é a navalha da besta, o litoral de sangue onde cada


homem e touro dançam. Lá
onde a corda brilhante de Ariadne segue seu caminho por entre
mundos, liderando a busca pela entrada do labirinto.
Este é nosso heroísmo inexorável o primeiro que açoita o seguinte,
abrindo as barreiras entre o profano e o celestial, e ressuscita de
novo e de novo, para castigar todos os descrentes.
Este é nosso inimigo o campo de batalha dos tolos e brutos, cujos
exércitos destruíram nossa unidade em Creta.

O Rei das Sombras

“ Mancha de pecado em minha alma?


Todos meus atos manifestam isso. É a minha glória. Deixe-me compartilha-la com
vocês.”

Amis Noirs é, se não o próprio coração do Demiurgo.


A escuridão que o Abismo pode provocar tem essência. Ela pode enredar alvos e até
causar danos. Ela absorve sons, odores e a luz. Por outro lado ela parece pesar pouco ou
nada e não tem nenhuma substância que alguma análise química possa detectar. A
essência sombria funciona de acordo com regras diferentes das que governam a
natureza.
Em resumo, Amis Noirs traz para o mundo algo ainda mais estranho do que apenas
sombras. Dependendo das inclinações do Demiurgo em particular, ele pode se referir ao
espaço infinito dentro do qual a essência do Abismo reside, enquanto não é invocada
como “fora”, “abaixo”, ou “além do mundo”. A essência sombra responde ao sangue e à
vontade do Demiurgo, vertendo para fora, para baixo, ou além do mundo, depois que o
comando cessa.
Todos os oito nomes de poder podem ser chocantes e assustadores. Eles não são
naturais por definição. Todos provêm de Crianças antigas. Mas as manifestações de
Amis Noirs são absolutamente erradas, num nível muito profundo. As sombras
simplesmente não se movem independentemente da luz e, principalmente não ficam
soltas voando por ai.
Amis Noirs explora os medos profundamente arraigados na psique humana: o medo do
isolamento, dos poderes demoníacos, do nada. – Afetando tanto o próprio Demiurgo
quanto o mundo material ao seu redor – principalmente as percepções e os estados
mentais dos seres humanos nas proximidades. Da mesma forma o seu usuário se
conecta a um mundo além do nosso, em um tipo diferente de espaço de onde retira seus
dons sombrios. – Sendo possível até mesmo viajar por entre as sombras das formas mais
nefastas possíveis, em outras palavras através do nome de poder é possível se tornar
parte do Abismo e controlar suas partes como pedaços de sua própria consciência.

Notas

Chamando pela Entidade na Escuridão

Muitos afirmam que o Abismo era o estado de toda a Criação antes de um Deus
intrometido fazer a luz, e isolar ao não-lugar toda a forma da mais perfeita escuridão.
Existe inteligência no Abismo. Ela não possui consciência nem mesmo identidade em
qualquer sentido compreensível. Fragmentos de conhecimento e paixão aglomeram-se
por um tempo e, depois desmancham-se. A mente dentro do Abismo é, de certa forma,
mais parecida com um computador capaz de sentir emoções e possuir lógica, do que
com uma entidade consciente, um reservatório de recursos executando instruções
provenientes de alguma força desconhecida.
A Escuridão, não é apenas sombra moldável, é algo mais torvo e sinistro. - Uma forma
que arraiga nossas fraquezas e devora tanto o físico quanto espiritual.

Via Azhi Dahaka

Em terceiro está a heresia infantil daqueles que fazem reinos de


crianças, ajoelha-se perante falsos deuses, e destroem vidas de
milhares num entendimento incompleto dos mistérios da vida e da
morte.
Isso é a Tolice do Egito um lugar onde nossos irmãos amam e andam
entre serpentes.
Onde grandes monumentos são erguidos a vidas desprezíveis de
homens insignificantes.
Este é nosso domínio uma ponte entre a terra e o céu, e todos que
repousam no interior do mundo e além.

Domínio da Deformação:

“A Metamorfose é o
fim da necessidade, o desacorrentar do ego. “

“Ninguém pode mostrá-lo a Metamorfose. A condição é, por definição, sublime. E


uma vez que a tenha alcançado, eu
só posso imaginar que descrevê-la seria como explicar o procedimento parlamentar
para um assassino de corvos. Eu hesito
em chamar tal estado de “transcendental”, uma vez que a palavra significa muitas
noções mortais. Mas eu lhe asseguro –
a Metamorfose é completamente desumana. “

A Metamorfose permite que o Demiurgo molde e esculpa suas próprias carnes e ossos,
ou as dos outros. Quando o Inominável usa a Metamorfose para alterar outros seres
esses efeitos são permanentes.

Naturalmente, um usuário pode reformar sua própria carne normalmente.

Apesar deste dom criar efeitos poderosos e horríveis, o usuário precisa obter um contato
pele a pele e freqüentemente precisa esculpir fisicamente os resultados desejados. Isso
também se aplica ao uso do poder sobre si mesmo.

Mestres habilidosos na Terceira Palavra de Poder freqüentemente possuem uma beleza


inumana; os menos habilidosos são simplesmente inumanos.

Podendo mudar seus aspectos superficiais como sua face, voz, altura, cor de pele,
tamanho e outras características. – Dentre outras possibilidades, trabalhar encima de
seus músculos, mover órgãos dentro do corpo. Alongar ossos para sobressalentes, ou até
mesmo enrijecê-los, além de aumentá-los de maneira considerável.

Em alguns casos é possível a criação de órgãos extras assim como membros e até olhos
sobressalentes. – Lendas permeiam a despeito de criaturas que tinham seus corpos
infestados de olhos. Ou mesmo membros da Primeira Tribo que possuíam tantos braços
quanto uma centopéia.

Celeridade:

A característica que define a locomoção, como movimento retilíneo. - Sua velocidade


física pode ser considerada parte do seu conjunto supranatural de faculdades além da
explicação convencional. - Apesar de sua velocidade exceder e muito os parâmetros
cabíveis, seu controle absurdo o permite realizar os movimentos com a mesma
impecabilidade que usufrui nas mais diversificadas áreas de atuação.

Como um mestre na doutrina da celeridade, e aquém aos seus outros atributos


supranaturais, ele é capaz de exercer um controle absoluto sobre sua velocidade e
capacidade de movimentação. - Seja em espaços grandes de fácil acesso e
movimentação, até espaços infinitamente menores, onde sua movimentação seria
prejudicada.

Reflexos:

De origem instintiva e novamente atribuído as faculdades, agora em especial as


faculdades psíquicas, os reflexos do Demiurgo possuem uma estranha correlação com
seu sistema.

Tendo uma intrínseca capacidade de perceber/avaliar/estudar movimentos que ocorrem


diante de seus olhos e reagir de forma supranatural aos mesmos, como se fosse dotado
de uma mente muitas vezes superior.

Relativo ao instinto, sua capacidade reflexiva como dom o permite uma avaliação
cuidadosa em questão de instantes, podendo por ventura acompanhar rápidos e
hipoteticamente invisíveis movimentos com o simples olhar. - Apesar de sua capacidade
de locomoção, ou velocidade horária permanecerem imutáveis. Sua capacidade psíquica
de reação, e até mesmo previsão é absoluta.

Via Phuri Dae:[/b]

Em terceiro está à heresia infantil daqueles que fazem reinos de


crianças, ajoelha-se perante falsos deuses, e destroem vidas de
milhares num entendimento incompleto dos mistérios da vida e da
morte.
Isso é a Tolice do Egito um lugar onde nossos irmãos amam e andam
entre serpentes.
Onde grandes monumentos são erguidos a vidas desprezíveis de
homens insignificantes.
Este é nosso domínio uma ponte entre a terra e o céu, e todos que
repousam no interior do mundo e além.</center>
[b]
Denegar:[/b]
" O universo parece falido logo que nós começamos a discutir os caráteres individuais. "

A principal função do ego é buscar uma harmonização inicialmente entre os desejos do


id e a realidade e, posteriormente, entre esses e as exigências do superego.

Entretanto a mente do Demiurgo não interage com a realidade, ao contrário do


conhecido, os estímulos psicossomáticos não podem ser compreendidos, muito menos
aceitos.

Dada sua origem anacrônica, o Demiurgo não consegue num nível aceitável coexistir
com a efêmera de maneira proveitosa. - Os dois estão intrinsecamente ligados, como
coligações opostas de um mesmo Todo ambivalente.

Esse poder perturbador é um bom argumento para a teoria que o Demiurgo enxerga
melhor a realidade que qualquer outro. Toda vez que fizer uso de Denegar, ele será
capaz de ignorar um objeto tão completamente que o objeto deixa de existir para sua
percepção. Porém, o poder da Demência é tão forte que, para todos os efeitos, Ele esta
certo. O louro pode atravessar uma porta fechada que ele "não vê" como se ela
realmente não estivesse lá; uma espada que ele não acredita que esteja lá não irá cortá-lo
e não atravessará seu corpo. Os poucos que já viram esse poder em ação não entendem
exatamente como ele funciona. Talvez o plano astral esteja envolvido, ou talvez o
Lunático simplesmente funcione de forma adimensional - Quem pode dizer?

Certamente ele não dará explicações.

Alguns fragmentos de histórias falam de um uso similar contra criaturas vivas, mas tal
poder esta acima da minha capacidade de imaginação.

Denegar – Uma existência Superior

Os contos de criação estão diretamente ligados ao torpe Demiurgo, e dentre eles um


poder completamente desconhecido, derivado de sua consciência completamente
lunática da realidade mostra uma derivação deveras incomum.

Nela se encontra a chave do horror propriamente dito. – Ademais a forma como fora
gerado tal Monstro, estímulos direcionados a ele tendem a causar loucura no infrator de
tal façanha. – Assim como uma estranha linha de raciocínio parece atingir a mente de
qualquer um ignorante o suficiente para entrar em contato com a mente da Besta é
abruptamente corrompido. – Os perigos não se estendem apenas a entrar em contato
mental, mas até contatos mais diretos como pensar diretamente a respeito dele.
Tornando assim impossível qualquer interação para com ele, cópias, controle ou algo do
gênero se perde com certa facilidade, devido à origem supranatural.

Alguns casos sobre grandes psíquicos que tiveram suas mentes destruídas apenas ao
estabelecer uma ponte de contato são bem conhecidos. – Entre eles, um mestre de
Mente que fora completamente corrompido ao apenas ouvir um pensamento na mente
do Demiurgo.

“Eu não olho para as Estrelas, as Estrelas olham para mim. “