Você está na página 1de 4

O presente trabalho intitulado “Factores que interferem na orientação pré-escolar no

Bairro a Intaca-Matola: Estudo Exploratório centrado em pais e encarregados de


educação” foi elaborado no âmbito da Licenciatura em Educação de Infância com
Habilitação em Acção Social e Intervenção Comunitária, pela Faculdade de Ciências da
Educação e Psicologia da Universidade Pedagógica.

Este tema surgiu

A instituição de educação infantil é um dos espaços de inserção das crianças nas


relações éticas e morais que permeiam a sociedade na qual estão inseridas. É
considerada a primeira etapa da educação básica, ajudando no desenvolvimento
psicológico, físico e social da criança (RCNEI, 1998 citado por TEIXEIRA & VOLPIN,
2014),

estabelece que o Centro infantil “é uma instituição de educação pré-escolar, que


integra creche e jardim infantil, que se destina ao atendimento de crianças com idades
compreendidas entre zero e aos cinco anos. Designa-se por creche, quando se destina a
crianças com idade compreendida entre os zero e dois anos e por jardim infantil,
quando atende crianças dos dois aos cinco anos de idade”. É um dos espaços de
inserção das crianças nas relações éticas e morais que permeiam a sociedade na qual
estão inseridas. É considerada a primeira etapa da educação básica, ajudando no
desenvolvimento psicológico, físico e social da criança (RCNEI, 1998 citado por
TEIXEIRA & VOLPIN, 2014).

[13:14, 24/05/2021] Celeste Cumbane: O meu supervisor,orientou me a falar sobre


Educação, Educação de infância, Educação pré-escolar, o papel dos pais na educação
pré-escolar (3) pág. Condições que interferem na orientação dos meninos ou dos
educandos na pré-escola.(4) pág. Características das instituiçoēs de educação pré
-escolar 3 ou 4 pág. . Estratégias de educação pré-escolar em Moçambique (4-5 ou mais
no trabalho.trabalho
[13:14, 24/05/2021] Celeste Cumbane: O que a política de acção social,fala sobre a
educação pré-escolar, o que a constituição diz sobre a criança, decreto sobre a educação
pré escolar

O apoio dos pais e encarregados de educação na vida escolar das crianças pode abranger
o apoio ao trabalho escolar, controle dos estudos dos filhos, no recurso a outros
indivíduos ou aos apoios específicos nas escolas para garantir os bons resultados dos
filhos, ou ainda, na escolha da escola a frequentar (DIOGO, 2006).

mbiente familiar e
desenvolvimento cognitivo
infantil: uma abordagem
epidemiológica
https://www.scielo.br/j/rsp/a/jPxmqX5RTqrsYdHBHJzN9bf/?lang=pt

O sistema de ensino moçambicano já está a combater os fracos resultados educacionais.


Antes da pandemia, em 2016, apenas 4,9 por cento dos alunos do 3º ano tinham
capacidade desejada de ler e escrever9 ; 26 por cento das crianças dos 5 aos 12 anos de
idade não frequentavam a escola; e três quartos (68 por cento) das crianças dos 12 aos
13 anos não tinham concluído o ensino primário, com taxas que atingiam 86 por cento
em Cabo Delgado10 . Dispensadas da escolaridade formal, o tempo das crianças será
desviado para outras actividades de apoio à subsistência e às necessidades familiares
imediatas, o que inclui a prestação de cuidados aos doentes e idosos, tarefas estas mais
susceptíveis de serem realizadas por raparigas.
Na República de Moçambique “a educação constitui direito e dever de cada cidadão”
(República de Moçambique, 2018). Isto significa que cada cidadão tem, não só o direito
de acesso à educação, como o dever de fazê-lo. Além de preconizar a educação como
um direito de todo o cidadão, o Estado promove a extensão da educação à formação
profissional contínua e a igualdade de acesso de todos os cidadãos ao gozo deste direito.

A garantia do direito à educação possibilita o acesso a outros direitos, uma vez que,
permite o desenvolvimento e a autonomia pessoal, além de ser um mecanismo
necessário para a transformação social. Conforme afirmam MOUZINHO & NANDJA
(2006, p.2):

Uma população educada é fundamental para o desenvolvimento


nacional. Combinada com boas políticas macroeconómicas, a
educação é considerada um factor-chave na promoção do bem-
estar social e na redução da pobreza, pois pode afectar
positivamente a produtividade nacional e, por via disso,
determinar padrões de vida e a habilidade das nações competirem
na economia global. [...] (MOUZINHO & NANDJA, 2006, p.2).

https://monografias.brasilescola.uol.com.br/educacao/os-desafios-da-educacao-infantil-no-
cenario-da-educacao-a-distancia-ead.htm
5. CAPITULO IV – METODOLOGIA DA PESQUISA

Nesta pesquisa utilizar-se-á a abordagem qualitativa, que de acordo com GIL (1999),
propicia o aprofundamento da investigação das questões relacionadas ao fenômeno em
estudo e das suas relações, mediante a máxima valorização do contacto direto com a
situação estudada, buscando-se o que era comum, mas permanecendo, entretanto, aberta
para perceber a individualidade e os significados múltiplos.

Quanto à finalidade, a pesquisa classifica-se como exploratória, que segundo


MALHOTRA et al (2005), tem como principal objectivo proporcionar esclarecimento e
compreensão para o problema enfrentado. Seu processo de pesquisa não é estruturado
caracterizando-se como flexível. Dessa forma a informações necessárias são apenas
vagamente definidas. O tamanho da amostra é pequena não representativa, além de
apresentar uma análise dos dados primários qualitativos.

A amostra será composta por 20 pais/encarregados de educação pais, de ambos os


sexos, com idades compreendidas entre os 30 e os 50 anos, residentes no bairro Intaka-
Matola, com filhos em idade pré-escolar e com diferentes níveis socioeconómicos.
Trata-se de uma amostragem não-probabilística por julgamento em que, segundo
MALHOTRA et al (2005), os elementos da amostra são escolhidos de acordo com o
julgamento do pesquisador.

A recolha de dados será feita através revisão bibliográfica e das entrevistas não diretiva,
não dirigida ou aprofundada. A pesquisa bibliográfica abrange toda bibliografia já
tornada pública em relação ao tema estudado, desde publicações avulsas, boletins,
jornais, revistas, livros, pesquisas, monografias, teses, materiais cartográficos, etc. e sua
finalidade é colocar o pesquisador em contacto directo com tudo o que foi escrito, dito
ou filmado sobre determinado assunto (LAKATOS e MARCONI, 2001, p. 183).

A entrevista não diretiva, não dirigida ou aprofundada tem a função de facilitador e


cooperador, orientando e estimulando o entrevistado no sentido de precisar, desenvolver
e aprofundar aspectos expostos espontaneamente por ele. O entrevistado desenvolve
opiniões e informações conforme a própria conveniência e espontaneidade, expressando
seu sentimento (GAUTHIER, 1998).

Você também pode gostar