Você está na página 1de 3

SIL e Perturbações Elétricas Causadas por Linhas

de Transmissão

Cainã du Bocage Damasceno Gabriel Antonio Massuyama Gabryel Luiz de Aguiar Paese
Departamento Acadêmico de Departamento Acadêmico de Departamento Acadêmico de
Eletrotécnica Eletrotécnica Eletrotécnica
Instituto Federal de Santa Catarina Instituto Federal de Santa Catarina Instituto Federal de Santa Catarina
Florianópolis, Brasil Florianópolis, Brasil Florianópolis, Brasil
caina.db@aluno.ifsc.edu.br gabriel.am@aluno.ifsc.edu.br gabryel.p@aluno.ifsc.edu.br

Abstract—This paper aims to introduce the concept of Surge


Impedance Loading and address some types of electrical V L
disturbances that can occur with transmission lines. =√ = Zs ()
I C

Keywords—transmission lines, SIL, electrical disturbances,


electromagnetic interference.
A equação com essas dimensões de resistência é chamada
I. INTRODUÇÃO de Surge Impedance. A carga é puramente resistiva e quando
O desenvolvimento social e econômico de um país é conectada na extremidade receptora da linha a potência
totalmente dependente com a forma que esse país tem de reativa gerada pela reatância capacitiva será absorvida pela
captar energia, não só a sua captação mas também a sua reatância indutiva da linha como foi citado anteriormente [2].
transmissão ao longo do território nacional. As linhas de O termo Surge Impedance é utilizado em conexão com
transmissão possuem o importante papel de levar a energia surtos na linha de transmissão que podem ser causadas por
para a nossa sociedade, de forma prática e segura, porém descargas atmosféricas ou comutações na mesma [2]. As
existem diversos desafios relacionados ao controle de perdas podem ser desprezadas de modo que:
perturbação elétricas e efeitos característicos de sistemas de
transmissão que podem acabar interrompendo tanto o serviço 2πfLl L
de transmissão como a expansão do mesmo. Este artigo busca Zc = Zs = √ = ()
2πfCl C
apresentar tais interrupções e quais impactos elas podem
gerar. O Surge Impedance Loading pode ser definido como a
II. SURGE IMPEDANCE LOADING potência fornecida por uma linha de transmissão a uma carga
puramente resistiva que em valor, é igual a Surge Impedance
Os principais parâmetros em uma linha de transmissão dessa mesma linha. Quando a linha é interrompida por uma
são a capacitância e a reatância e ambas são distribuídas de Surge Impedance a tensão final de recepção é igual a tensão
forma uniforme durante toda a linha [1]. Quando a linha está final de envio, e neste caso específico é chamado de Flat
carregada, o componente de capacitância supre energia Voltage Profile [2] como é possível ver na Fig. 1:
reativa para a linha de transmissão e o componente de
indutância absorve a energia reativa do sistema [2].
Considerando o equilíbrio de ambas as potências reativas
do sistema chega-se na seguinte equação:

= I2 XL ()
Xc

Onde V é a tensão de fase, I é a corrente de linha, Xc é a


reatância capacitiva por fase e XL é a reatância indutiva por
fase. Simplificando a equação (1) obtêm-se:

V 2πfLl
= √XLXc = √ ()
I 2πfCl

Onde f é a frequência do sistema, L é a indutância por


unidade de comprimento da linha, C é a capacitância por
unidade de comprimento da linha e l é o comprimento da
linha. Assim, obtêm-se a última equação:
Fig. 1. Comportmento da tensão em uma extensa linha de trasmissão sem
um reator shunt. Fonte: [2].

XXX-X-XXXX-XXXX-X/XX/$XX.00 ©20XX IEEE


Para satisfazer a condição de Flat Voltage Profile o C. Ruído
sistema de transmissão precisa ter as seguintes O ruído produzido por linhas de transmissão pode ser
características: tanto audível como por rádio interferência.
• Fixar as tensões de envio e recebimento utilizando O ruído audível é uma das consequências mais comuns do
métodos de controle de tensão em ambas as efeito corona, criando ruídos entre 30 e 40 dB a uma distância
extremidades. de 30 metros, podendo chegar a 55 dB em dias de chuva [4].
• Carregar a linha de transmissão com Surge Impedance De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS),
Load. ruídos a partir de 50 dB durante o dia e de 5 dB durante a
noite são considerados incômodos [8], o que torna inviável a
Quando satisfeita ambas as condições é obtida a mesma moradia perto de linhas de transmissão.
magnitude de tensão em qualquer ponto da linha de O ruído em radiofrequência é provocado por linhas de
transmissão [3].
transmissão acima de 1kV e pode atingir frequências de 0,15
III. INTERFERÊNCIAS ELETROMAGNÉTICAS MHz a 300 MHz, abrangendo a faixa AM, FM e TV [9]. A
causa mais comum desse tipo de ruído é o efeito corona, mas
Algumas das perturbações em linhas de transmissão são
também pode ser causado por isoladores defeituosos,
criadas por campos elétrico e magnéticos, cuja intensidade
contatos frouxos e descargas atmosféricas na estrutura de
vai depender da tensão de operação, carga atual da linha e
transmissão [9].
disposição dos cabos nas torres de transmissão [4].
A. Efeito Corona IV. DESCARGAS ATMOSFÉRICAS
O Efeito Corona ocorre na superfície de condutores que O Brasil é o país que tem a maior incidência de raios do
possuem um campo elétrico intenso, como é o caso de linhas mundo, portanto a estrutura de sistemas de transmissão fica
de transmissão. A descarga do Efeito Corona cria um exposta a descargas atmosféricas indiretas e diretas.
fenômeno luminoso por conta da ionização de partículas de Quando há descargas indiretas, que ocorrem próximas à
poeira e umidade, induzindo correntes de alta frequência que linha, o caminho da descarga atua como uma fonte de campo
se propagam pela linha e causam interferência em sinais de eletromagnético, podendo induzir sobretensões nas linhas de
rádio, ruído audível e perdas no sistema de transmissão por transmissão, tendo impacto maior em sistemas de baixa e
conta de cargas espaciais [5]. média tensão [10]. Descargas com incidência direta nas
Para reduzir a intensidade do campo elétrico sobre a linhas de transmissão ou em cabos de blindagem podem
superfície das linhas de transmissão, e consequentemente causar a ruptura de isolamentos e consequentemente provocar
reduzir o Efeito Corona, utiliza-se conjuntos de dois a quatro desligamentos [10].
fios paralelos entre si para cada fase [4], chamados de cabos V. EFEITO FERRANTI
múltiplos. A Fig. 2 mostra a intensidade do campo elétrico
com diferentes configurações de cabos múltiplos em uma O Efeito Ferranti é um aumento da tensão ao longo da
linha de transmissão de 400 kV. linha de transmissão, ocorrendo quando a tensão do receptor
é maior que a do emissor. Normalmente esse efeito ocorre
quando as linhas de transmissão estão operando a vazio ou
em carga reduzida, pois são formadas por capacitores e
indutores de valor elevados ao longo de sua dimensão [11].
Quando os capacitores estão sendo carregados há uma
elevação de tensão no indutor devido a corrente capacitiva,
que estando em fase com a tensão do emissor aumenta a
tensão do receptor [11].
As linhas de transmissão que operam em frequências mais
altas têm uma maior probabilidade de serem afetadas pelo
Efeito Ferranti. Entre linhas de cabo e uma linha aérea, tal
efeito será mais nítido nas linhas de cabo. O comprimento da
Fig. 2. Intensidade de campo elétrico com cabos múltiplos de dois (a), três
(b) e quatro (c) cabos - 400 kV. Fonte: [4].
linha também influencia e, para evitar o Efeito Ferranti, é
necessário limitar o comprimento máximo das linhas de
B. Acoplamento Indutivo e Capacitivo transmissão [12].
A ação do Efeito Ferranti é controlada com a utilização
Estruturas metálicas aéreas muito próximas a linhas de
de compensações de reatância em série (capacitores) e/ou em
transmissão, como dutos metálicos, podem sofrer influência
derivação (reatores Shunt) à carga, que absorvem a potência
capacitiva dos condutores, criando tensões de alto valor entre
reativa gerada pela capacitância da linha [12].
as estruturas metálicas quando isoladas [6]. Com relação a
influência indutiva, o campo magnético criado pelas linhas de VI. CONCLUSÃO
transmissão pode gerar tensões induzidas em estruturas
Existem diversos tipos de perturbações elétricas causadas
metálicas próximas, como dutos, cercas, construções e
por linhas de transmissão, sejam elas efeitos próprios como o
veículos [6, 7].
Efeito Corona e Efeito Ferranti, ou também efeitos externos
Tais interferências em estruturas e veículos podem
como acoplamentos em estruturas metálicas e ruídos criados
acarretar em choques elétricos, danos a revestimentos,
pelo campo magnético das linhas. Tais perturbações podem
corrosão metálica e danos a equipamentos conectados [6, 7].
ser atenuadas, fazendo o uso da metodologia de Surge
Impedance Loading para diminuir a potência reativa da linha
que seria armazenada em campos magnéticos, ou utilizando
cabos múltiplos para diminuir o campo elétrico na superfície
das linhas.
REFERÊNCIAS

[1] “Surge Impedance Loading”. Circuit Globe, circuitglobe.com/surge-


impedance-loading.html.
[2] “Surge Impedance Loading or SIL”. Electrical4U,
www.electrical4u.com/surge-impedance-loading-or-sil/.
[3] “What is a flat voltage profile in a transmission line?”. Quora, Raheem
Elsayed, www.quora.com/What-is-a-flat-voltage-profile-in-a-
transmission-line.
[4] R. Tarko, K. Kochanowicz, W. Nowak, W. Szpyra and T. Wszolek,
“Reduction of the Environmental Impact of Electric Field Generated
by High Voltage Power Transmission Lines”, MDPI Energies Journal,
vol. 14, issue 19, October 2021.
[5] R. G. Urban, H. C. Reader and J. P. Holtzhausen, “AC transmission
line corona noise issues in a small corona cage”, IEEE AFRICON. 6th
Africon Conference in Africa, pp. 639-644, October 2002.
[6] A. G. L. Furlan, “Estudo de Interferências Eletromagnéticas Entre
Linha de Transmissão e Dutos Enterrados”, Universidade Federal de
Santa Catarina, 2015.
[7] S. Ladan, A. Aghabarati, R. Moini and F. P. Dawalibi, “Induced
Disturbances by High Voltage Transmission Lines on Nearby
Stationary Vehicles”, IEEE International Symposium on
Electromagnetic Compatibility, pp. 298-302, July 2016.
[8] B. Berglund, T. Lindvall and D. H. Schwela, “Guidelines for
Community Noise”, World Health Organization, April 1999.
[9] R. M. Leão, “Rádio Interferência Proveniente de Linhas de Alta
Tensão”, Potifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2008.
[10] L. V. Cunha, “Desempenho de Linhas de Transmissão Frente a
Descargas Atmosféricas: Influência do Efeito Corona na Ruptura do
Meio Vão”, Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.
[11] “Efeito Ferranti em Linhas de Transmissão”, Linkedin, Anderson
Leite, pt.linkedin.com/pulse/efeito-ferranti-em-linhas-de-transmissão-
anderson-leite.
[12] “Compreendendo o Efeito Ferranti em Linhas de Transmissão”,
Shunlongwei Co. Ltd, www.shunlongwei.com/pt/understanding-the-
ferranti-effect-in-transmission-lines/.

Você também pode gostar