Você está na página 1de 4

CASAMENTO CAIPIRA

Personagens:

NOIVO
NOIVA
PAIS DO NOIVO
PAIS DA NOIVA
JUÍZ DE PAZ
TESTEMUNHAS (2)
DAMINHA
TIA RICA
NARRADOR
SUJEITO INESPERADO

NARRADOR= Era uma vez uma bela noiva, seu nome era Valdivete. Estava ela a
colher belíssimas flores no campo quando vê ao longe o seu amado noivo vindo em sua
direção com a sua bicicleta. Os dois de longe trocaram olhares apaixonados, mas tão
apaixonados que Chico (o noivo) esquece de frear a sua magrela e atropela a sua noiva.
Embora toda arranhada e esfolada Valdivete amava imensamente ao seu noivo Chico,
assim como ele também a amava. Mas vamos ao que interessa: O CASAMENTO.

NOIVA (do lado de fora)= Calma seu narrador, eu nem to pronta ainda.
NARRADOR= Não faz mal, a noiva tem direito de atrasar até uma hora. Enquanto isso
a gente espera...

NOIVA= Pronto seu moço, agora to toda prontinha.(e vai entrando)

NARRADOR= Espere aí, o juiz nem tá aí ainda, muito menos o noivo!


(chega o noivo todo nervoso) Ah, que bom, o noivo chegou, agora só faltam as
testemunhas...

NOIVO= Mas e precisa esse trem? Pra que testemunha, eles nunca falam nada mesmo!

NARRADOR= É claro que precisa, sempre tem em todo casamento.

NOIVO= Mas pra quê?

NARRADOR= Oras, não sei pra que, mas sei que precisa!

NOIVA= Benheeee, que que se acha de convida qualquer um daqui?! Alguém vai
aceita!

NOIVO= É verdade, vamo fazê isso. Mais seu juiz, quantas testemunha precisa?

NARRADOR= Pelo menos dois

NOIVO= Ah, assim é fácil, pegamo a tia Germenilda do exterior que eu cunvidei pra
vim, afinal ele é rica, e pegamo mais argum coitado que tem aí.(chama alguém do
público, mas que já está pré determinado) – Tibúrcio, ô Tibúrcio, vem cá!
TIBÚRCIO= Uai cupadi, mas o que que se asucedeu?

NOIVO= Cumpadi do céu, preciso de um favor teu. Vim pergunta se ocê aceita...

TIBÚRCIO= Ara uai, óia bem pra minha cara, que cocê acha que eu sô? Vai casa com
a tua noiva uai!

NOIVO= Uta homi doido, dexa eu fala. Vim ti convida pra sê testemunha do meu
casório,se aceita?

TIBÚRCIO= Num sei, preciso fala primeiro com minha muié. (conversa com Maloca,
sua esposa)

MALOCA= Óia, ele só vai se eu fô junto!

NOIVO= Todo bem, vambora!


(todos eles se arrumam para começar o casamento)

TIA GERMENILDA= O Chicó, não ta faltando ninguém não?

NARRADOR= A, essa não, esqueci do juiz... Entra aí juiz que os noivo querem casa!
(juiz entra enquanto o noivo resmunga com o narrador).

NARRADOR= E quase que esqueço, os pais dos noivo também não tão aí. –Turvolina,
Roclécio, Deodoneide, Godonelson, vamo chegando...

TURVOLINA(mãe da noiva)= Mas como voceis ousariam se casá sem eu ta aqui! Que
decepição, que decepição!

NOIVA= É que...

TURVOLINA= Não tem nada o que esplicá, isso é imperdoável.

ROCLÉCIO= Não dá bola não, ela ta assim meio esquesita hoje. Deve ta naqueles
dias...

TURVOLINA= Hunf...
(enquanto isso os pai do noivo vão ao encontro do filho e o sr. Godonelson enche o seu
filho de perguntas)

GODONELSON= Mais filho, me conta. Ela sabe cozinha? Lava ropa? Ela arruma a
cama? Ela pente na o cabelo logo depois de levanta?...

NOIVO= Credo pai, ta até parecendo uma muié com todas essas perguntas. É claro que
ela faiz tudo isso!

GODONELSON= É qui eu me preocupo com ocê! Não criei meu filho pra depois casa
com qualquer baranga.
DEODONEIDE= Mais pára homi, deixa o Chicó em paz, e si tem alguém aqui que
devia faze essas perguntas, seria eu num acha?

GODONELSON= Mais é qui...

DEODONEIDE= Nada de mais é qui; chega de perguntas e vamo de uma veis começa
o casório. Num concorda seu juiz?

JUÍZ= Mais é claro. Afinal também tenho mais o que faze.

NARRADOR= Pois então ta bão, vamos começar logo esse negócio, todos em seus
devidos lugares... música... e vamos começar! Manda vê seu juiz.
(logo após todos se põem em posição e entram em marcha nupcial ao som de uma
música bem animada)

JUÍZ= Queridos presentes, estamos aqui todos reunidoas para celebrar esse casamento
entre a senhorita Valdivete eo senhorito Chicó e blá blá blá blá blá blá...
Nem vô fazê aquela famosa pergunta de que se tem alguém que tem algo contra...

LINDOLEI (o sujeito inesperado se levanta em meio ao pessoal)= Pois eu acho que o


senhor deveria faze, não que eu tenha algo contra, mas ai ai ai, o Chicó é um pedaço de
mal caminho, ocêis não podem tira ele da minha vida assim. Eu não vou agüenta!

NOIVO= mais era só o que me faltava, nem sei de que buraco esse ou essa...coisa vem?
Sai pra lá jaburu.

NARRADOR= Não é nem preciso dizer que essa aparição causou o maior alvoroço,
mas a coisa se acalmou depois de algumas petições do juiz.

JUÌZ= E você em, que papel, vai procura uma muié pra ti! Larga dessa vida!

LINDOLEI (cai na gargalhada e começa a desfazer o seu disfarce)= Ora Chicó ocê não
conhece mais eu? So seu amigo do peito Lindolei. Quando soube que tu ia casa larguei
tudo e vim pra cá.

NOIVO= Mais homi, que susto ocê mi deu! Cruis credo Deus me livre de uma coisa
dessas! Mais que legal que tu ta aqui, quanto tempo né. (os dois se abraçam e pulam
como crianças)

JUIZ= Então ta já que era tudo palhaçada vamo continuá a cerimônia. Nunca vi coisa
igual, todo casamento que eu faço tem que aparece alguém pra faze confusão!

NARRADOR= Seu juiz, vamos logo com essa cerimônia que o pessoal já ta
começando a ficar cansado.

JUIZ= Ta bão. Senhorito Chicó, ocê aceita a Valdivete como sua esposa na blá blá blá
blá...

NOIVO= Mais é claro qui eu aceito!


JUIZ= E você senhorita Valdivete, aceita o senhor Chicó como seu marido na blá blá
blá blá...

NOIVA= Óia, si ele num me atropela de novo eu aceito.

JUÌZ= Intão ta, podem coloca as aliança.


( o noivo dá um assovio para chamar a daminha de honra para trazer as alianças, que
logo vem com um lindo cesto mas vazio)

NOIVO= o guria, cadê as aliança?

DAMINHA= Num sei, ocê não mi deu!


( o noivo então se lembra que estava com elas no bolso, então as tira e coloca nas na
cesta, para depois fazerem a troca das alianças.

TIA GERMENILDA= Que coisa linda, eu sempre choro no casamento. Eu queria


desela a voceis muitas felicidades e quero dexá o meu presente proceis como sinal do
meu carinho por voceis. (entrega o presente aos noivos que logo o abrem e tiram de
dentro de uma caixa um rolo de macarrão)

NOIVA= É, realmente a senhora gosta muito de nois, principalmente do Chicó!

DAMINHA= Posso sai daqui, é que eu to com vergonha...

NOIVA= Calma, já ta acabando. Daqui a pouco nois vamo embora.

JUIZ= Por mim voceis podem ir, já tão casado mesmo!

NOIVO= Então vamo qui vamo. Inté apreparei uma surpresa procê...( o noivo sai e
volta com uma bicicleta toda enfeitada) Vamo pra lua de mer com essa belezura...

NOIVA (sai correndo e gritando)= Nãããããããããããããããããããooo!

Você também pode gostar