Você está na página 1de 1

TRANSPORTE

DE BOVINOS
O transporte de bovinos é uma atividade importante na
cadeia produtiva da carne. O bem-estar animal deve estar pre-
sente em todas as etapas do processo de abate de bovinos de
corte, desde o manejo, embarque, transporte, desembarque e
condução na planta frigorífica. Qualquer manejo deficiente
em alguma dessas etapas causará uma redução na qualidade
da produção.

Condições do
Documentação veículo e estrada Embarque Partida

OPTION A OPTION B OPTION C OPTION C

É importante ter em mãos os O veículo deve estar limpo e em Estacionar o veículo sem deixar espaço com o Nos primeiros 15 a 20 minutos da viagem, evitar
planos de viagem para boas condições de uso. O piso embarcadouro e embarcar o número correto movimentos bruscos, parar o veículo e verificar
de animais por compartimento de carga. se todos os animais estão em pé, levantando os
situações de emergência e do compartimento de carga animais caídos ou deitados através da fala ou
Evitar embarcar animais cansados, machu-
certificar de que todos os deve dispor de tapete de borra- cados ou doentes. Após o embarque, deve-se batendo palmas. Após três tentativas, usa-se o
documentos necessários cha e estrutura antiderrapan- estacionar em um local plano e fazer a pri- choque, nunca por mais de um segundo. Se o
estão em ordem. te. Os caminhos de acesso às meira vistoria. Se houver animais deitados, animal não levantar, certificar que não está
ferido ou exausto e que há espaço suficiente
fazendas devem estar em boas levantá-los, e se houver animais agressivos,
para se levantar. Animais debilitados devem ser
condições. mudá-los de compartimento ou os amarrar .
desembarcados e nos casos mais graves
deve-se fazer o abate de emergência.

Os principais problemas durante os manejos de Imediatamente após a chegada ao destino.


O tempo total da viagem não deve embarque e transporte são: agressões diretas, Antes de abrir as porteiras do compartimento
ultrapassar 12 horas, quando isto oco- formação de novos grupos, instalações inadequa- Limpar e desinfetar o veículo
de carga, certificar que não há animais deita-
rrer os animais devem ser desembar- das e transporte inadequado. Se necessário, logo após o desembarque.
dos ou caídos e, se houver os levantar. Caso os
cados, recebendo alimento e água à deve-se analisar a possibilidade de rotas alternati-
Verificar se está tudo em
animais não saiam ao abrir a porteira, deve-se
vontade. Evitar transporte de longa vas, solicitar outro veículo e fazer o transbordo dos
animais ou desembarcar os animais em local ade-
estimulá-los, batendo palmas e com movi- ordem e consertar ou substi-
distânciaparadas longas, principal- mentos na lateral do veículo. Não gritar ou
mente nas horas mais quentes do dia e quado, e se não for possível, estacionar em local tuir o que estiver quebrado.
seguro e na sombra, oferecendo água regularmen- usar choque. Se necessário fazer o abate de
procure sempre estacionar o veículo emergência, atordoar o animal dentro do veí-
te aos animais. Nunca misturar bezerros com ani-
na sombra. mais adultos, mesmo que sejam suas mães. culo e depois arrastá-lo para fora.

Duração Problemas Desembarque Após desembarcar

Doenças Infecciosas x Transporte


Antes de ser transportado, o bovino deve estar com sua documentação atestando que este foi testado neg-
ativo para tuberculose, e comprovando sua vacinação contra a febre aftosa e brucelose, e deve estar em boa saúde.
Além disso, antes do embarque, os caminhões devem passar pelo processo de limpeza, desinfecção e verificação.
A densidade de animais dentro do caminhão deve ser compatível com raça, peso e sexo, de forma a garantir o
bem-estar no momento do transporte e diminuir a disseminação de doenças, e também deve-se ter atenção ao
tempo de viagem.

Impacto das Condições Favoráveis ou Desfavoráveis de BEA


A manutenção do bem-estar animal no âmbito do transporte de bovinos impacta em perdas qualitativas e
quantitativas ao produtor. O transporte feito de forma incorreta, não respeitando as diretrizes do bem-estar
animal, pode provocar estresse, perda de peso e contusões, aumento da susceptibilidade do animal a doenças, al-
terações endócrinas como o aumento de cortisol o que pode ser prejudicial ao organismo. Esses fatores podem
afetar a qualidade da carne, da carcaça do animal e do leite do animal e até mesmo levar animais à morte.

Aspectos do Manejo
Para um bom embarque e desembarque de animais é necessário o uso de rampas antiderrapantes, e estes
devem ser conduzidos calmamente ao entrar e sair do veículo. Evitar o uso de choque elétrico, os animais devem
se movimentar espontaneamente e conduzidos de forma silenciosa. Se possível o embarque deve ser feito em um
horário em que a temperatura está mais amena, e deve-se aguardar cerca de 20 minutos após o embarque para
que os animais se acomodem. O caminhão deve ser ventilado e ter espaço suficiente para que os animais fiquem
acomodados. Durante o trajeto, devem ser realizadas paradas de verificação do estado dos animais. Essas práticas
visam diminuir o estresse animal, risco de acidentes que levem a perdas, e a aumentar o bem-estar animal du-
rante o transporte.

Referências Bibliográficas Equipe 18


Boas práticas agropecuárias: bovinos de corte: manual de orientacões / editor tecnico Ezequiel Rodrigues do Valle.
- 2. ed. rev. ampl. - Campo Grande, MS : Embrapa Gado de Corte, 2011.
Rafaella Sobrinho Vidal
ANDRADE, Ernani Nery de et al. Ocorrência de lesões em carcaças de bovinos de corte no Pantanal em função do Alexia Machado dos Santos
transporte. Ciência Rural, v. 38, n. 7, p. 1991-1996, 2008.
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. BEM-ESTAR ANIMAL E SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE GADO
Juliana Cristina de Oliveira Miguel
DE CORTE. 7. ed. Brasília, DF: Mapa, 2014. Verônica França Zoellner
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. BOAS PRÁTICAS DE MANEJO: TRANSPORTE. Brasília,
DF: Mapa, 2013.

Você também pode gostar