Você está na página 1de 10

Introdução às operações unitárias

● Seção 1.1 de Matos (2015): Introdução às operações unitárias;

-Processo: dividido em uma série de etapas envolvendo transferência de calor,


transferência de massa, transportes de gases, líquidos e sólidos, filtração,
destilação, cristalização, evaporação, secagem, armazenamento, entre outras. Cada
uma dessas etapas físicas é conhecida como “Operação Unitária”.
-Qualquer processo químico, em qualquer escala, pode ser decomposto numa série
estruturada do que se pode denominar operações unitárias, como moagem,
homogeneização, aquecimento, calcinação, absorção, condensação, lixiviação,

Figura 1.1 – Conjunto de operações unitárias envolvidas na síntese do ácido


acetilsalicílico. Esse conjunto de operações forma o processo unitário.
--Processo unitário depende das operações físicas/operações unitárias:
Agrupamento dos fenômenos com características comuns para investigação:
1. Transformações químicas em reações de complexação, neutralização,
oxidorredução e precipitação, de acordo com o fenômeno químico observado.
2. Agrupamento de fenômenos físicos como a moagem, o peneiramento, a
evaporação, a absorção e a extração.
3. Percebeu-se que poderiam ser utilizadas diferentes operações com
fenômenos físicos semelhantes para fabricar um produto de acordo com
custos com implantação, fabricação e manutenção dos dispositivos utilizados
e a qualidade do produto final.
A Figura 1.2 Obtenção de óleo de camomila: mesmo objetivo, operações unitárias
diferentes.
● A mistura de sólidos é uma operação difícil de realizar, visto que necessita de
moagem prévia do material até granulometria reduzida, gerando um gasto
energético em mais uma etapa do processo. Já os fluidos se misturam por
difusão, logo há menor gasto energético e menor desgaste de maquinário,
devido ao atrito
● Além da influência do tamanho, propriedades como formato, rugosidade e
aderência podem interferir no escoamento dos sólidos. Um bom escoamento
é ideal, visto que grande parte dos misturadores utilizados baseia-se nesse
princípio.

Seções 1.1, 1.2 e 1.3 de Tolentino (2015): Introdução aos processos industriais

Definição de processo
-física.

Operações unitárias
-Todos os processos industriais podem ser divididos em etapas, as quais são
chamadas de operações unitárias. Essas operações são caracterizadas por reações
químicas, operações mecânicas (transporte, moagem, mistura, separação mecânica,
fragmentação, peneiração etc.), operações de trocas de calor (aquecimento e
resfriamento de fluídos, condensação, evaporação, ebulição) e operações de
transferência de massa (destilação, extração, cristalização, adsorção etc.)
Quanto ao tipo de operação
» Batelada: O processo ocorre em um sistema fechado. Ao mesmo tempo em
que se retira o produto desejado do reator é inserida a matéria-prima que irá
alimentar o meio reacional do início ao fim do processo.
» Contínua: O produto é retirado ao final da operação, e após o tratamento do
reator é inserida novamente a matéria-prima, reiniciando a etapa.

Quanto ao comportamento ao longo do tempo


» Regime estacionário: as variáveis (temperatura, pressão e concentração) não
mudam com o tempo. Caracterizam o processo contínuo.
» Regime transiente: as variáveis mudam em alguma posição do processo.
Caracterizam o processo em batelada.
Equipamentos utilizados na indústria
» Reatores: São grandes reservatórios em que ocorrem as reações químicas ou
bioquímicas. Nele são adicionados a matéria-prima e os reagentes necessários para
que a reação ocorra. Acoplados a ele há equipamentos que aquecem ou resfriam o
meio, controlando a temperatura.
» Caldeiras: Existem quatro tipos de caldeiras, a vapor, elétrica, aquatubulares
e flamotubulares, porém todas elas têm o mesmo objetivo: gerar vapor por meio da
transferência de energia de uma fonte térmica para um fluido, normalmente a água.
Outros equipamentos são acoplados para que haja melhor rendimento na
distribuição de calor.
» Trocadores de calor: podem ser utilizados para aquecer ou resfriar o sistema.
Caldeiras são exemplos de trocadores de calor, assim como resfriadores,
condensadores, evaporadores e torres de refrigeração.
» Compressores: são equipamentos que capturam o ar e o armazenam sob alta
pressão. O melhor compressor será escolhido de acordo com o aparelho que irá
consumir o ar comprimido, dependendo da vazão, da pressão e da qualidade do ar
que é necessitada.

● Seções 1.1, 1.2, 1.3 e 1.4 de Tadini et al. (2018): Introdução às operações
unitárias da indústria de alimentos.

Indústria de alimentos:
-Finalidade de armazenamento de alimentos/ durabilidade e conservação de
nutrientes: Métodos físicos de preservação (aquecimento, congelamento,
desidratação e embalagem) e métodos químicos (mudança de pH e adição de
conservantes)
TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS ALIMENTARES
(i)as que processam materiais a granel, principalmente líquidos e partículas sólidas,
correspondendo às operações unitárias clássicas das engenharias química e de
alimentos, como centrifugação, aquecimento/resfriamento em trocadores de calor,
destilação, moagem etc.;

(ii)as que processam “produtos” como pizzas, bolos, peças de carne ou peixe e
produtos embalados (latas, garrafas etc.); exemplos dessas operações incluem
deposição de frutas sobre tortas, corte, moldagem, embalagem etc.

Cadeia produtiva-relacionada com o sistema agroindustrial:


(i)produção animal e vegetal;

(ii)processamento de alimentos (indústria);

(iii)distribuição (comércio);

(iv)consumo (consumidores).

Aplicação de balanços materiais


● Cap. 4 (texto introdutório), Seções 4.1 e 4.2 (4.2a, 4.2b, 4.2c e 4.2d) de
Felder; Rousseau; Bullard (2018): Fundamentos de balanços de massa;

CLASSIFICAÇÃO DE PROCESSOS
Os processos químicos podem ser classificados como contínuos, em batelada ou
semi batelada, e também como processos transientes ou em estado estacionário
1.Processos em batelada. A alimentação é carregada (alimentada) no sistema no
começo do processo, e os produtos são retirados todos juntos depois de algum
tempo. Não existe transferência de massa através dos limites do sistema entre o
momento da carga da alimentação e o momento da retirada dos produtos. Exemplo:
Adicionar rapidamente os reagentes a um tanque e retirar os produtos e reagentes
não consumidos algum tempo depois de o sistema ter atingido o equilíbrio. Despreze
quaisquer reações que ocorram durante o carregamento e descarregamento.

2.Processos contínuos. As entradas e saídas fluem continuamente ao longo do


tempo total de duração do processo. Exemplo: Bombear uma mistura de líquidos
para uma coluna de destilação com vazão constante e retirar de forma constante as
correntes de líquido e de vapor no fundo e no topo da coluna.

3.Processos em semibatelada (ou semicontínuos). Qualquer processo que não é


nem contínuo nem em batelada. Exemplos: Permitir que o conteúdo de um tanque
pressurizado escape para a atmosfera; misturar lentamente vários líquidos em um
tanque sem nenhuma retirada.
Se os valores de todas as variáveis no processo (quer dizer, todas as temperaturas,
pressões, volumes, vazões etc.) não variam com o tempo, excetuando possíveis
flutuações menores em torno de valores médios constantes, se diz que o processo
está operando em estado estacionário. Se qualquer das variáveis do processo muda
com o tempo, diz-se que a operação é transiente ou no estado não estacionário
O processamento em batelada é comumente usado quando quantidades
relativamente pequenas de um produto devem ser produzidas, enquanto que o
processamento contínuo é geralmente mais adequado para maiores taxas de
produção. Os processos contínuos são usualmente conduzidos tão perto quanto
possível do estado estacionário; condições transientes ocorrem durante as
operações de partida de um processo contínuo e nas sucessivas mudanças —
intencionais ou não — nas condições de operação deste próprio processo.

BALANÇOS

A Equação Geral do Balanço


Um balanço de uma quantidade conservada (massa total, massa de uma espécie
particular, energia, momento) em um sistema (uma unidade de processo, uma série
de unidades ou um processo completo) pode ser escrito na seguinte forma geral:
Dois tipos de balanço podem ser escritos:

1.Balanço diferencial, aquele que indica o que está acontecendo em um sistema em


um instante determinado do tempo. Cada termo da equação de balanço é uma taxa
(taxa de entrada, taxa de geração etc.) e tem as unidades da quantidade balanceada
divididas por uma unidade de tempo (pessoas/ano, g SO2/s, barris/dia). Este tipo de
balanço é usualmente utilizado em um processo contínuo.

2.Balanço integral, aquele que descreve o que acontece entre dois instantes de
tempo. Cada termo da equação é então uma porção da grandeza balanceada e tem
as unidades correspondentes (pessoas, g SO2, barris). Este tipo de balanço
normalmente é aplicado a processos em batelada, onde os dois instantes de tempo
são o momento depois da entrada dos reagentes e o momento antes da retirada dos
produtos.

Para simplificar cálculos de balanços de massa :

•Se a quantidade balanceada é a massa total, faça geração = 0 e consumo = 0.


Exceto em reações nucleares, a massa não pode ser criada nem destruída.

•Se a substância balanceada é uma espécie não reativa (nem um reagente nem um
produto), faça geração = 0 e consumo = 0.

•Se um sistema está em estado estacionário, faça acúmulo = 0, não importa o que
esteja sendo balanceado. Por definição, em um processo em estado estacionário,
nada pode mudar com o tempo, incluindo a porção da grandeza balanceada.

Balanços em Processos Contínuos em Estado Estacionário


Para processos contínuos em estado estacionário, o termo de acúmulo na equação
geral do balanço, Equação 4.2-1, é igual a zero, e a equação é simplificada para
Se o balanço é sobre uma espécie não reativa ou sobre a massa total, os termos de
geração e consumo são zero e a equação se reduz a entrada = saída.

Balanços Integrais em Processos em Batelada


Amônia é produzida a partir de nitrogênio e hidrogênio em um reator em batelada.
No tempo t = 0 existem n0 mols de NH3 no reator, e em um tempo posterior tf a
reação acaba e o conteúdo do reator, que inclui nf mols de amônia, é retirado. Entre
os tempos t0 e tf nenhuma quantidade de amônia entra ou sai das fronteiras do
reator, e amônia não é consumida em uma reação. A equação geral do balanço
(Equação 4.2-1) é simplesmente geração = acúmulo. Além disso, a quantidade de
amônia que se acumulou no reator entre os tempos t0 e tf é simplesmente nf – n0, a
quantidade final menos a quantidade inicial.

O mesmo raciocínio pode ser aplicado para qualquer substância participante em um


processo em batelada para se obter

acúmulo = saída final - entrada inicial (por definição)

= geração - consumo (pela Equação 4.2-1)


Igualando as duas expressões para acúmulo, obtemos:

Balanços Integrais em Processos Semicontínuos


Os balanços integrais também podem ser escritos para processos contínuos e
semicontínuos. O procedimento consiste em escrever o balanço diferencial do
sistema e integrá-lo entre dois instantes de tempo. (Uma discussão geral deste
procedimento aparece no Capítulo 10.) Na maior parte dos casos, os cálculos
exigidos são mais complexos que aqueles vistos até agora; no entanto, alguns
problemas deste tipo são relativamente diretos, como o visto no seguinte exemplo.

Você também pode gostar