Você está na página 1de 315

1 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR.

ELIANA

Acentuação Gráfica

O português, assim como outras línguas neolatinas, apresenta acento gráfico. Sabemos que
toda palavra da Língua portuguesa de duas ou mais sílabas possui uma sílaba tônica. Observe
as sílabas tônicas das palavras arte, gentil, táxi e mocotó. Você constatou que a tonicidade
recai sobre a sílaba inicial em arte, a final em gentil, a inicial em táxi e a final em mocotó.

Além disso, você notou que a sílaba tônica nem sempre recebe acento gráfico. Portanto, todas
as palavras com duas ou mais sílabas terão acento tônico, mas nem sempre terão acento
gráfico. A tonicidade está para a oralidade (fala) assim como o acento gráfico está para a
escrita (grafia). É importante aprender as regras de acentuação pois, como vimos acima,
independem da fonética.

Abaixo estão descritas as regras de acentuação gráfica de forma descomplicada. Trata-se de


assunto relativamente simples, basta memorizar as regras. Entendemos que o conhecimento
sobre separação de sílabas é pré-requisito para melhor assimilação desse tema.

A Reforma Ortográfica veio descomplicar e simplificar a língua portuguesa notadamente nesta


parte de acentuação gráfica.

• 11Acentuam-se as palavras monossílabas tônicasterminadas em a, e, o, seguidas ou


não de s.

Ex: já, fé, pés, pó, só, ás.

• 22Acentuam-se as palavras oxítonasterminadas em a, e, o, seguidas ou não de s , em,


ens. Ex:cajá, café, jacaré, cipó, também, parabéns, metrô, inglês alguém, armazém,
conténs, vinténs.

Não se acentuam: as oxítonas terminadas em i e u, e em consoantes nem os infinitivos em i,


seguidos dos pronomes oblíquos lo, la, los, las

Ex: ali, caqui, rubi, bambu, rebu, urubu, sutil, clamor, fi-lo, puni-la, reduzi-los, feri-las.

• 33Acentuam-se as palavras paroxítonasexceto aquelas terminadas em a, e, o, seguidas


ou não de s, em, ens, bem como prefixos paroxítonos terminados em i ou r.

Ex: dândi, júri, órfã, César, mártir, revólver, álbum, bênção, bíceps, espelho, famosa, medo,
ontem, socorro, polens, hifens, pires, tela, super-homem.

Atenção: Acentuam-se as paroxítonas terminados em ditongo oral seguido ou não de s.

Ex: jóquei, superfície, água, área, aniversário, ingênuos.

• 44Acentuam-se as palavras proparoxítonas sem exceção.

Ex: ótimo, incômoda, podíamos, abóbora, bússola, cântaro, dúvida, líquido, mérito, nórdico,
política, relâmpago, têmpora.

• 55Acentuam-se os ditongos abertosei, oi, eu, seguidos ou não de s em palavras


monossílabas e oxítonas.

Ex: carretéis, dói, herói, chapéu, anéis.

Atenção: Pela nova ortografia não se acentuam ditongos abertos ei, oi, eu, seguidos ou não de
s em palavras paroxítonas.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


1
2 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Ex: ideia, plateia, assembleia.

• 66Não se acentua, pela nova ortografia, palavras paroxítonas com hiato oo seguidos
ou não de s.

Ex: voos, enjoo, abençoo.

• 77Também não se acentuam as palavras paroxítonas com hiato ee.


Ex: creem, leem, veem, deem.

• 88Acentuam-se sempre as palavras que contenham i , u: tônicas; formam hiatos;


formam sílabas sozinhas ou são seguidos de s; não seguidas de nh; não precedidas de
ditongo em paroxítonas; nem repetidas.

Ex: aí, balaústre, baú, egoísta, faísca, heroína, saída, saúde, viúvo, juízes, Piauí. Pela regra
exposta acima, não se acentuam: rainha, xiita, ruim, juiz, feiura.

• 99Pela nova ortografia, não se acentua com acento agudo u tônico dos grupos que,
qui, gue, gui: argui, arguis, averigue, averigues, oblique, obliques, apazigues.

• 1010Da mesma forma não se usa mais o trema:aguento, frequente, tranquilo, linguiça,
aguentar, arguição, unguento, tranquilizante. Emprega-se o til para indicar a
nasalização de vogais: afã, coração, devoções, maçã, relação etc.

• 1111O acento diferencial foi excluído. Mantém-se apenas nestas quatro palavras, para
distinguir uma da outra que se grafa de igual maneira:

• pôde (verbo poder no tempo passado) / pode (verbo poder no tempo presente);

• pôr ( verbo) / por (preposição);

• vem ( verbo vir na 3ª pessoa do singular) / vêm ( verbo vir na 3ª pessoa doplural);

• tem ( verbo ter na 3ª pessoa do singular) / têm ( verbo ter na 3ª pessoa do plural).

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


2
3 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Colocação pronominal

É a parte da gramática que trata da correta colocação dos pronomes oblíquos átonos na frase.
Embora na linguagem falada a colocação dos pronomes não seja rigorosamente seguida,
algumas normas devem ser observadas, sobretudo, na linguagem escrita.

Dicas:
Existe uma ordem de prioridade na colocação pronominal: 1º tente fazer próclise, depois
mesóclise e em último caso, ênclise.

Próclise
É a colocação pronominal antes do verbo. A próclise é usada:

1) Quando o verbo estiver precedido de palavras que atraem o pronome para antes do
verbo. São elas:

a) Palavras de sentido negativo: não, nunca, ninguém, jamais, etc.

Ex.: Não se esqueça de mim.

b) Advérbios.

Ex.: Agora se negam a depor.

c) Conjunções subordinativas.

Ex.: Soube que me negariam.

d) Pronomes relativos.

Ex.: Identificaram duas pessoas que se encontravam desaparecidas.

e) Pronomes indefinidos.

Ex.: Poucos te deram a oportunidade.

f) Pronomes demonstrativos.

Ex.: Disso me acusaram, mas sem provas.

2) Orações iniciadas por palavras interrogativas.

Ex.: Quem te fez a encomenda?

3) Orações iniciadas por palavras exclamativas.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


3
4 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Ex.: Quanto se ofendem por nada!

4) Orações que exprimem desejo (orações optativas).

Ex.: Que Deus o ajude.

Mesóclise
É a colocação pronominal no meio do verbo. A mesóclise é usada:

1) Quando o verbo estiver no futuro do presente ou futuro do pretérito, contanto que esses
verbos não estejam precedidos de palavras que exijam a próclise.

Exemplos:

Realizar-se-á, na próxima semana, um grande evento em prol da paz no mundo.


Não fosse os meus compromissos, acompanhar-te-ia nessa viagem.

Ênclise
É a colocação pronominal depois do verbo. A ênclise é usada quando a próclise e a mesóclise
não forem possíveis:

1) Quando o verbo estiver no imperativo afirmativo.

Ex.: Quando eu avisar, silenciem-se todos.

2) Quando o verbo estiver no infinitivo impessoal.

Ex.: Não era minha intenção machucar-te.

3) Quando o verbo iniciar a oração.

Ex.: Vou-me embora agora mesmo.

4) Quando houver pausa antes do verbo.

Ex.: Se eu ganho na loteria, mudo-me hoje mesmo.

5- Quando o verbo estiver no gerúndio.

Ex.: Recusou a proposta fazendo-se de desentendida.

Dicas:
O pronome poderá vir proclítico quando o infinitivo estiver precedido de preposição ou
palavra atrativa.
Exemplos:

É preciso encontrar um meio de não o magoar.


É preciso encontrar um meio de não magoá-lo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


4
5 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Colocação pronominal nas locuções verbais

1) Quando o verbo principal for constituído por um particípio

a) O pronome oblíquo virá depois do verbo auxiliar.

Ex.: Haviam-me convidado para a festa.

b) Se antes da locução verbal houver palavra atrativa, o pronome oblíquo ficará antes do
verbo auxiliar.

Ex.: Não me haviam convidado para a festa.

Dicas:
Se o verbo auxiliar estiver no futuro do presente ou no futuro do pretérito, ocorrerá a
mesóclise, desde que não haja palavra atrativa antes dele.

Ex.: Haver-me-iam convidado para a festa.

2) Quando o verbo principal for constituído por um infinitivo ou um gerúndio:

a) Se não houver palavra atrativa, o pronome oblíquo virá depois do verbo auxiliar ou depois
do verbo principal.
Exemplos:

Devo esclarecer-lhe o ocorrido/ Devo-lhe esclarecer o ocorrido.


Estavam chamando-me pelo alto-falante./ Estavam-me chamando pelo alto-falante.

b) Se houver palavra atrativa, o pronome poderá ser colocado antes do verbo auxiliar ou
depois do verbo principal.
Exemplos:

Não posso esclarecer-lhe o ocorrido./ Não lhe posso esclarecer o ocorrido.


Não estavam chamando-me./ Não me estavam chamando.

Observações importantes:
Emprego de o, a, os, as

1) Em verbos terminados em vogal ou ditongo oral, os pronomes: o, a, os, as não se alteram.


Exemplos:

Chame-o agora.
Deixei-a mais tranquila.

2) Em verbos terminados em r, s ou z, estas consoantes finais alteram-se para lo, la, los, las.
Exemplos:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


5
6 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

(Encontrar) Encontrá-lo é o meu maior sonho.


(Fiz) Fi-lo porque não tinha alternativa.

3) Em verbos terminados em ditongos nasais (am, em, ão, õe, õe,), os pronomes o, a, os, as
alteram-se para no, na, nos, nas.
Exemplos:

Chamem-no agora.
Põe-na sobre a mesa.

4) As formas combinadas dos pronomes oblíquos: mo, to, lho, no-lo, vo-lo, formas em
desuso, podem ocorrer em próclise, ênclise ou mesóclise.

Ex.: Ele mo deu. (Ele me deu o livro)

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


6
7 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Concordância Verbal: Regras e Exemplos

Concordância Verbal

Caso 1:

Sujeito simples

Regra geral:

O verbo concorda com o núcleo do sujeito em número e pessoa.

Ela foi ao cinema. (3ª pessoa, singular)

Nós vamos ao cinema. (1ª pessoa, plural)

Casos especiais:

a) Sujeito coletivo: O verbo concorda com o coletivo.

A multidão gritou na arquibancada.

OBS: Se o coletivo vier especificado ou modificado por adjunto adnominal, o verbo pode ficar
no singular ou ir para o plural.

A multidão de fãs gritou.

A multidão de fãs gritaram.

Uma multidão de pessoas saiu aos gritos.

Uma multidão de pessoas saíram aos gritos.

b) Sujeito possui coletivos partitivos (metade, a maior parte, grande parte, maioria, etc.): O
verbo fica no singular (concordância lógica) ou vai para o plural (concordância atrativa).

A maioria dos alunos foi à excursão.

A maioria dos alunos foram à excursão.

c) Sujeito é pronome de tratamento: O verbo fica sempre na 3ª pessoa (do singular ou do


plural).

Vossa Santidade esteve no Brasil.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


7
8 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Vossa Alteza pediu silêncio.

Vossas Altezas pediram silêncio.

d) O sujeito é o pronome relativo <que>: O verbo concorda com o antecedente do pronome.

Fui eu que derramei o café.

Fomos nós que derramamos o café.

OBS: Com a expressão <um dos que>/<uma das que>, o verbo deve assumir a forma plural,
exceto quando a ação se refere a um só agente.

Você é um dos que admiram os escritores de novelas.

(Dos que admiram novelas, ele é um.)

Ele é um dos jogadores que foram expulsos.

(Dos jogadores que foram expulsos, ele é um.)

Era uma das suas filhas que namorava com ele.


(Namorava com ele, uma das suas filhas.)

e) O sujeito é o pronome relativo <quem>: O verbo pode ficar na 3ª pessoa do singular ou


concordar com o antecedente do pronome.

Fui eu quem derramou o café.

Fui eu quem derramei o café.

f) O sujeito é formado por locuções pronominais (Alguns de nós, poucos de vós, quais de...,
quantos de..., etc.): Se o primeiro pronome estiver no singular, o verbo fica no singular. Se
estiver no plural, poderá concordar com o pronome interrogativo/indefinido ou com o
pronome pessoal (nós ou vós).
Algum de nós o receberá.

Quais de vós me punirão?

Quais de vós me punireis?

Quais de nós são capazes?

Quais de nós somos capazes?

Vários de nós propuseram sugestões inovadoras.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


8
9 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Vários de nós propusemos sugestões inovadoras.

OBS1: Veja que a opção por uma ou outra forma indica a inclusão ou a exclusão do emissor.
Quando alguém diz ou escreve "Alguns de nós sabíamos de tudo e nada fizemos", esta pessoa
está se incluindo no grupo dos omissos. Isso não ocorre quando alguém diz ou escreve "Alguns
de nós sabiam de tudo e nada fizeram.", frase que soa como uma denúncia.

g) O sujeito é formado de nomes no plural: Se o sujeito não vier precedido de artigo, o verbo
ficará no singular. Caso venha antecipado de artigo, o verbo concordará com o artigo.

Estados Unidos é uma nação poderosa.

Os Estados Unidos são a maior potência mundial.

h) O sujeito é formado por expressões aproximativas: mais de um, menos de dois, cerca de...,
etc.: O verbo concorda com o numeral.

Mais de um aluno não compareceu à aula.

Mais de cinco alunos não compareceram à aula.

OBS: No caso da referida expressão aparecer repetida ou associada a um verbo que exprime
reciprocidade, o verbo necessariamente deverá permanecer no plural:

Mais de um aluno, mais de um professor contribuíram.

Mais de um formando se abraçaram na formatura.

i) O sujeito tem por núcleo a palavra gente (sentido coletivo) - o verbo poderá ser usado no
singular ou plural, se este vier afastado do substantivo.

A gente da cidade, temendo a violência da rua, permanece em casa.

A gente da cidade, temendo a violência da rua, permanecem em casa.

j) Quando os núcleos do sujeito são unidos por "com": O verbo pode ficar no singular ou no
plural. No plural, os núcleos recebem um mesmo grau de importância e a palavra <com> tem
sentido muito próximo ao de <e>. Para enfatizar o primeiro elemento, usa-se o singular.

O governador com o secretariado traçaram os planos.

O governador com o secretariado traçou os planos.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


9
10 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Caso 2:

Sujeito composto.

Regra geral: O verbo vai para o plural.

João e Maria foram passear no bosque.

Casos especiais:

a) Os núcleos do sujeito são constituídos de pessoas gramaticais diferentes: O verbo ficará no


plural seguindo-se a ordem de prioridade: 1ª, 2ª e 3ª pessoa.

Eu (1ª pessoa) e ele (3ª pessoa) nos tornaremos amigos. (O verbo ficou na 1ª pessoa do plural
porque esta tem prioridade sob a 3ª.)

Tu (2ª pessoa) e ele (3ª pessoa) vos tornareis amigos. (O verbo ficou na 2ª pessoa do plural
porque esta tem prioridade sob a 3ª.)

OBS1: No segundo exemplo, também é aceita a concordância do verbo com a terceira pessoa.

Tu e ele se tornarão amigos. (3ª pessoa do plural)

OBS2: Se o sujeito estiver posposto, permite-se também a concordância por atração com o
núcleo mais próximo do verbo.

Iremos eu e minhas amigas.

Irei eu e minhas amigas.

b) Os núcleos do sujeito estão coordenados assindeticamente ou ligados por <e>: O verbo


concordará com os dois núcleos.

A jovem e a sua amiga seguiram a pé.

OBS1: Se o sujeito estiver posposto, permite-se a concordância por atração com o núcleo mais
próximo do verbo.

Seguiria a pé a jovem e a sua amiga.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


10
11 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

OBS2: Quando ocorre ideia de reciprocidade, no entanto, a concordância é feita


obrigatoriamente no plural.

Abraçaram-se vencedor e vencido.

Ofenderam-se o jogador e o árbitro.

c) Os núcleos do sujeito são sinônimos ou semelhantes e estão no singular: O verbo poderá


ficar no plural (concordância lógica) ou no singular (concordância atrativa).

A angústia e ansiedade não o ajudavam a se concentrar.


A angústia e ansiedade não o ajudava a se concentrar.

d) Quando há gradação entre os núcleos: O verbo pode concordar com todos os núcleos
(lógica) ou apenas com o núcleo mais próximo (concordância atrativa).

Uma palavra, um gesto, um olhar bastavam.

Uma palavra, um gesto, um olhar bastava.

e) Quando os sujeitos forem resumidos por: nada, tudo, ninguém, etc.: O verbo concordará
com o aposto resumidor.

Os pedidos, as súplicas, o desespero, nada o comoveu.

f) Quando o sujeito for constituído pelas expressões: um e outro, nem um nem outro: O
verbo poderá ficar no singular ou no plural.

Um e outro já veio.

Um e outro já vieram.

g) Quando os núcleos do sujeito composto são unidos por <ou> ou <nem>: O verbo deverá
ficar no plural se a declaração contida no predicado puder ser atribuída a todos os núcleos.

Drummond ou Bandeira representam a essência da poesia brasileira.

Nem o professor nem o aluno acertaram a resposta.

OBS: Se os núcleos forem excludentes o verbo deve ficar no singular. Em caso de retificação,
deve concordar com o mais próximo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


11
12 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Você ou ele será escolhido.

O ladrão ou os ladrões não deixaram vestígio.

h) Quando os sujeitos estiverem ligados pelas séries correlativas (tanto... como/ assim...
como/ não só... mas também, etc.): O que comumente ocorre é o verbo ir para o plural,
embora o singular seja aceitável se os núcleos estiverem no singular.

Tanto Erundina quanto Collor perderam as eleições municipais em São Paulo.

Tanto Erundina quanto Collor perdeu as eleições municipais em São Paulo.

Caso 3:

Sujeito oracional

Quando o sujeito é uma oração subordinada substantiva subjetiva, o verbo da oração principal
fica na 3ª pessoa do singular.

Ainda falta dar os últimos retoques na pintura.

(Dica: Para saber se é o caso, substitua a oração subordinada por ISSO: “Ainda falta ISSO”.
Percebe-se facilmente que ISSO é o sujeito do verbo faltar.)

Caso 4:

O verbo e a partícula <SE>

a) Quando é índice de indeterminação do sujeito: Quando índice de indeterminação do


sujeito, o <se> acompanha os verbos intransitivos, transitivos indiretos e de ligação, os quais
obrigatoriamente são conjugados na terceira pessoa do singular.

Precisa-se de governantes interessados em civilizar o país.

Confia-se em teses absurdas.

Era-se mais feliz no passado.

b) Quando é partícula apassivadora: Quando pronome apassivador, o <se> acompanha verbos


transitivos diretos (e alguns poucos indiretos) na formação da voz passiva sintética. Nesse caso,
o verbo deve concordar com o sujeito da oração.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


12
13 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Construiu-se um posto de saúde.

Construíram-se novos postos de saúde.

Não se pouparam esforços para despoluir o rio.

Não se poupou esforço para despoluir o rio.

Caso 5:

Verbos impessoais

São aqueles que não possuem sujeito. Uma vez que os verbos flexionam-se para concordar
com o sujeito, então estes verbos ficam sempre na 3ª pessoa do singular.

· Haver no sentido de existir;

· Fazer indicando tempo;

· Aqueles que indicam fenômenos da natureza.

Havia sérios problemas na cidade.

Fazia quinze anos que ele havia parado de estudar.

Choveu granizos ontem.

OBS: Em locução verbal nos casos acima, o verbo auxiliar herda esta impessoalidade. Lembre-
se que o verbo existir não faz parte da regra:

Vai fazer quinze anos que ele parou de estudar.

Deve haver indícios de fraude.

Pode ter havido casos semelhantes.

Existem sérios problemas na cidade.

Devem existir problemas na cidade.

Caso 6:

Verbos dar, bater e soar

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


13
14 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Quando usados na indicação de horas, possuem sujeito (relógio, hora, horas, badaladas...), e
com ele devem concordar.

O relógio deu duas horas.

Deu uma hora no relógio da estação.

Deram duas horas no relógio da estação.

O sino da igreja bateu cinco badaladas.

Bateram cinco badaladas no sino da igreja.

Soaram dez badaladas no relógio da escola.

Caso 7:

A locução "Haja Vista"

A locução “haja vista” admite duas construções. A expressão fica invariável ou o verbo haver
pode variar (desde que não seguido de preposição), considerando-se o termo seguinte como
sujeito.

Haja vista as lições dadas por ele.

Haja vista aos fatos explicados por esta teoria.

Hajam vista os exemplos de sua dedicação.

OBS: “Haja visto” só existe como forma verbal quando equivalente a “tenha visto”:

O caseiro poderá testemunhar caso ele realmente haja visto o crime.

Caso 8:

A expressão "Em que Pese"

Na expressão “em que pese”, o verbo “pesar” permanece invariável quando se tratar de
pessoa ou concorda com o sujeito quando se tratar de coisa.

Em que pese aos governistas, votaremos contra.

Em que pesem as suas contradições, a melhor tese ainda é a dele.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


14
15 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Caso 9)

Porcentagem + substantivo

a) Porcentagem + Substantivo, sem modificador da porcentagem: Facultativamente o verbo


poderá concordar com o número referente à porcentagem ou com o substantivo.

1% da turma estuda muito.

1% dos alunos estuda / estudam muito.

10% da turma estuda / estudam muito.

10% dos alunos estudam muito.

b) Porcentagem + Substantivo, com modificador da porcentagem: O verbo concordará com o


modificador, que pode ser pronome demonstrativo, pronome possessivo, artigo, etc.

Os 10% da turma estudam muito.

Aquele 1% dos alunos estuda mais.

c) Mais de, menos de, cerca de, perto de, antes da porcentagem: O verbo concordará apenas
com o número referente à porcentagem, mesmo que haja elemento modificador.

Mais de 1% dos alunos estuda muito.

Menos de 10% da turma estudam muito.

OBS: Caso o verbo apareça anteposto à expressão de porcentagem, esse deverá concordar
com o numeral:

Aprovaram a decisão da diretoria 50% dos funcionários.

Caso 10:

Concordância com o verbo ser:

a) Quando, em predicados nominais, o sujeito for representado por um dos pronomes: tudo,
nada, isto, isso, aquilo: O verbo <ser> ou <parecer> concordarão com o predicativo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


15
16 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Tudo são flores.

Aquilo parecem ilusões.

OBS: Poderá ser feita a concordância com o sujeito quando se quer enfatizá-lo.

Aquilo é sonhos vãos.

b) O verbo ser concordará com o predicativo quando o sujeito for os pronomes interrogativos
<que> ou <quem>.

Que são gametas?

Quem foram os escolhidos?

c) Em indicações de horas, datas, tempo, distância: A concordância será feita com a expressão
numérica.

São nove horas.

É uma hora.

OBS: Em indicações de datas, são aceitas as duas concordâncias, pois subentende-se a palavra
dia.

Hoje são 24 de outubro.

Hoje é (dia) 24 de outubro.

d) Quando o sujeito ou predicativo da oração for pronome pessoal, a concordância se dará


com o pronome.

Esse cara sou eu.

OBS: Se os dois termos (sujeito e predicativo) forem pronomes, a concordância será com o que
aparece primeiro, considerando o sujeito da oração.

Eu não sou tu.

e) Nas locuções: é pouco, é muito, é mais de, é menos de, junto a especificações de preço,
peso, quantidade, distância e etc.: O verbo fica sempre no singular.

Cento e cinquenta é pouco.

Cem metros é muito.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


16
17 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

f) Nas expressões do tipo: ser preciso, ser necessário, ser bom, o verbo e o adjetivo podem
ficar invariáveis (verbo na 3ª pessoa do singular e adjetivo no masculino singular) ou concordar
com o sujeito posposto.

É necessário aqueles materiais.

São necessários aqueles materiais.

Caso 11:

O Verbo "Parecer"

Em orações desenvolvidas, o verbo parecer fica no singular.


As paredes parece que têm ouvidos.

(Parece que as paredes têm ouvidos.)

Quando seguido de infinitivo, admite duas concordâncias:


a) O verbo parecer varia e não se flexiona o infinitivo.

Alguns colegas pareciam chorar naquele momento.

b) O verbo parecer não varia e o infinitivo sofre flexão.


Alguns colegas parecia chorarem naquele momento.

OBS: A primeira construção é considerada corrente, enquanto a segunda, literária.

Caso 12:

Concordância com o infinitivo

O infinitivo é a forma nominal do verbo e pode apresentar-se flexionado e não flexionado. O


estudo do infinitivo na Língua Portuguesa é bastante complexo, já que, em alguns casos, ele
deve ser flexionado, em outros, ele pode ser flexionado, e em outros ainda ele não se flexiona.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


17
18 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Exemplo de como flexionar o infinitivo do verbo cantar:

Era para eu cantar

Era para tu cantares

Era para ele cantar

Era para nós cantarmos

Era para vós cantardes

Era para eles cantarem

a) Não se flexiona o infinitivo:

I) Não se flexiona o infinitivo se o sujeito for representado por pronome pessoal oblíquo átono
(me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, se, os, as, lhes).

Esperei-as chegar.

II) Quando o infinitivo não se referir a sujeito algum

Navegar é preciso, viver não é preciso.

Querer é poder.

Fumar prejudica a saúde.

É proibido colar cartazes neste muro.

É preciso lutar contra as drogas.

Vale a pena ter fé e esperança sempre.

III) Infinitivo com valor de imperativo (ordem, pedido, conselho, apelo):

Soldados, recuar!

IV) Como verbo principal de locução verbal:

Os alunos podem sair mais cedo hoje. (O verbo sair é o principal da locução "podem sair").

Eles não podem fazer isso! (O verbo fazer é o principal da locução "podem fazer").

OBS: Quando o verbo auxiliar estiver afastado ou oculto, a flexão do infinitivo do verbo
principal da locução é facultativa:

Não devemos, depois de tudo, duvidar e reclamar dela.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


18
19 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Não devemos, depois de tudo, duvidarmos e reclamarmos dela.

V) Quando fizer rerência a gerúndio:

As peças estavam estragadas, devendo ser substituídas.

Começaram as inscrições, podendo os candidatos dirigir-se à sala

b) Flexiona-se obrigatoriamente o infinitivo:

I) Quando o sujeito for diferente de pronome átono, estiver evidente e determinante de verbo
não acusativo:

Não é necessário vocês chegarem mais cedo.

II) Quando se quiser indeterminar o sujeito (utilizando a terceira pessoa do plural);

Faço isso para (eu) não me achar inútil.

Faço isso para não me acharem inútil.

III) Quando o infinitivo é o sujeito:

O morrerem pela pátria é sina de alguns soldados.

IV) Quando o sujeito do verbo no infinitivo for diferente do sujeito do verbo da outra oração.

Meninos, vejo estarem atrasados mais uma vez. (O sujeito “vocês” do infinitivo “estar”é
diferente do sujeito “eu” do verbo “ver” na outra oração.)

Falei a eles sobre a vontade de deixarmos o time. (O sujeito “nós” do infinitivo “deixar” é
diferente do sujeito “eu” do verbo “ver” na outra oração.)

V) Quando o verbo for de ligação ou estiver na voz passiva:

Elas tiveram que suar muito para se tornarem campeãs.

O porta-voz disse que as medidas a serem tomadas contra o terror serão rigorosas.

VI) Quando apresentar reciprocidade ou reflexibilidade de ação.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


19
20 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Fizemos os adversários se cumprimentarem com gentileza.

Deixem os namorados beijarem-se como quiserem.

c) Flexão opcional: Quando possível, a escolha do infinitivo flexionado é feita sempre que se
quer enfatizar o agente (sujeito) da ação expressa pelo verbo.

I) Se o sujeito do verbo no infinitivo for o mesmo do verbo da outra oração, a flexão do


infinitivo não é necessária. Não é, porém, proibida. (Alguns gramáticos consideram que não
deve haver flexão).

Os escoteiros chamaram os chefes para apresentar o relatório.

Os escoteiros chamaram os chefes para apresentarem o relatório.

(O sujeito de ambos os verbos “chamar” e “apresentar” é o mesmo: os escoteiros.)

(tu) Lerás o texto antes de (tu) responder.

(tu) Lerás o texto antes de (tu) responderes.

Para estudar, estaremos sempre dispostos.

Para estudarmos, estaremos sempre dispostos.

II) Não sendo claro o sujeito, pode-se flexionar o infinitivo quando for preciso evitar
ambiguidade:

Está na hora de começarmos o trabalho. (nós)

Está na hora de começar o trabalho. (Quem? eu, você, ele, nós?)

O presidente liberou os seus ministros para subirem no palanque. (para os ministros subirem)

O presidente liberou os seus ministros para subir no palanque. (para o presidente subir)

III) Caso de Sujeito Acusativo: Quando um verbo no infinitivo ou no gerúndio tiver a ação
dependente de verbo causativo (mandar, fazer, deixar, etc.) ou quando tiver a ação recebida
por verbo sensitivo (ver, ouvir, sentir, etc.), seu sujeito será denominado de sujeito acusativo.
Ter a ação dependente de outro verbo significa que a ação só ocorre porque outra ocorreu
anteriormente. Constatado o sujeito acusativo, se for representado por pronome oblíquo
átono (me, te, se, o, as, nos...) a concordância é na 3º pessoa do singular, obrigatoriamente;
caso contrário, sendo ele um substantivo plural, a concordância é opcional.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


20
21 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Mandei os garotos sair.

Mandei os garotos saírem. (flexão opcional)

Verbo causativo: mandar;

Verbo dependente: sair;

Sujeito acusativo: substantivo “garotos”;

Mandei-os sair de lá. (não flexiona)

Verbo causativo: mandar;


Verbo dependente: sair;

Sujeito acusativo: pronome oblíquo “os”;

Sentimos (ou vimos, ou ouvimos) os colegas vacilar nos debates.


Sentimos (ou vimos, ou ouvimos) os colegas vacilarem nos debates.

Verbo sensitivo: Sentir (ou ver, ou ouvir);


Verbo dependente: vacilar;

Sujeito acusativo: substantivo “colegas”;

d) Preposição + Infinitivo:
I) Será não flexionado quando ocorrer locução verbal onde a ligação com o verbo auxiliar
ocorrer por meio de preposição:
Acabamos de fazer os exercícios.

II) Será não flexionado quando houver a combinação ADJETIVO +PREPOSIÇÃO + INFINITIVO:

São casos difíceis de solucionar.

III) Não se flexiona o infinitivo precedido de preposição com valor de gerúndio.

(Nós) Passamos horas a comentar o filme. (comentando)

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


21
22 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

IV) Não se flexiona o infinitivo com preposição que apareça depois de um verbo na voz passiva:

Os jornalistas foram forçados a sair da sala.

As pessoas eram obrigadas a esperar em fila.

V) Depois da combinação ao, o infinitivo varia obrigatoriamente:

Ao entrarmos, encontramos o João.

Ao derreterem-se, as amostras do gelo deixaram sedimentos.

VI) A variação será obrigatória se o verbo for pronominal ou se exprimir reciprocidade ou


reflexibilidade de ação:

Gastamos duas horas para nos dirigirmos para lá.

Eles relutaram muito para se cumprimentarem.

Foram ao cabeleireiro a fim de se pentearem.

VII) Nos demais casos é opcional flexionar ou não.


O rapaz ajudava as garotas a superar suas dificuldades em Matemática.

O rapaz ajudava as garotas a superarem suas dificuldades em Matemática.

Para chegar aqui, gastamos duas horas.

Para chegarmos aqui, gastamos duas horas.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


22
23 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

COMPREENSÃO E INTERPRETAÇÃO DE TEXTO

Ao ler, tomamos contato com textos dos mais variados tipos, sendo
possível classificá-los de diversas maneiras (poéticos, científicos, textos em
verso e textos em prosa, políticos, religiosos etc).

Daí, tratar da classificação dos textos se revelará útil tanto para a


leitura quanto para a produção de textos.

I – Modos de texto

Classificam-se os textos em Narrativos, Descritivos e Dissertativos,


embora, na maioria das vezes, não encontremos um texto em estado puro, já
que o narrativo, o descritivo e o dissertativo podem interpolar-se em um
único texto.

a) Texto Narrativo: Relata as mudanças progressivas de estado que vão


ocorrendo no tempo (evolução cronológica) com as pessoas e as
coisas. Nesse tipo de texto, existe uma relação de anterioridade ou de
posterioridade entre os episódios e os relatos.

De uma forma sucinta, podemos afirmar que predominam nos textos


narrativos:

• a presença de verbos que indicam ação, advérbios temporais e


conjunções temporais
• sucessão temporal
• o objetivo de relatar os fatos
• tempos verbais: presente e pretérito-perfeito do Indicativo, isto é,
tempos que expressam o fato que ocorre no presente ou acontecido no
passado, em uma sucessão temporal.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


24 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


25 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

b) Texto Descritivo: Enquanto uma narração faz progredir uma história,


a descrição consiste justamente em interrompê-la, detendo- se em um
personagem, um objeto – relatando suas características – , em um lugar
etc.

Os fatos reproduzidos numa descrição são simultâneos não existindo,


portanto, progressão temporal de um estado anterior para outro posterior.

Assim, podemos observar nos textos descritivos:

• predominância de substantivos e adjetivos


• ausência de passagem do tempo
• o objetivo de identificar e qualificar os fatos
• tempos verbais: o presente e o pretérito- imperfeito do Indicativo –
tempos que indicam um fato observado em um determinado momento
do tempo.

c) Texto Dissertativo: Seu propósito principal é expor ou explanar,


explicar ou interpretar idéias. Na dissertação, expressamos o que
sabemos ou acreditamos saber a respeito de determinado assunto;
externamos nossa opinião sobre o que é ou nos parece ser.

Observam-se nos textos argumentativos:

• conectores relacionando argumentos


• mecanismos de coesão
• ausência da sucessão do tempo
• objetivo de discutir, informar ou expor idéias
• presença de opiniões e argumentos, com os verbos no Presente do
Indicativo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


26 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


27 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TIPOLOGIA TEXTUAL (MODOS DE TEXTO) – ESQUEMA

INTENÇÃO DO EVOLUÇÃO
AUTOR CRONOLÓGICA
Relatar SIM. Antes e depois. Marca
NARRATIVO acontecimentos. fundamental.

Caracterizar, NÃO. Tempo congela. Fatos


DESCRITIVO qualificar cenas, ocorrem ao mesmo tempo.
personagens, etc.
Discutir, abstrair, Não é relevante.
DISSERTATIVO discorrer, conceituar.
Não descrever.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
I) Identifique os modos de organização discursiva dos seguintes trechos:

1- Eram sete horas da noite em São Paulo e a cidade toda se agitava


naquele clima de quase tumulto típico dessa hora. De repente, uma escuridão
total caiu sobre todos como uma espessa lona opaca de um grande circo. Os
veículos acenderam os faróis altos, insuficientes para substituir a iluminação
anterior.

2- Eis São Paulo às sete da noite. O trânsito caminha lento e nervoso. Nas
ruas, pedestres apressados se atropelam. Nos bares, bocas cansadas
conversam, mastigam e bebem em volta das mesas. Luzes de tons pálidos
incidem sobre o cinza dos prédios.

3- As condições de bem-estar e de comodidade nos grandes centros


urbanos como São Paulo são reconhecidamente precárias por causa,
sobretudo, da densa concentração de habitantes num espaço que não foi
planejado para alojá-los. Com isso, praticamente todos os pólos da

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


28 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


29 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

estrutura urbana ficam afetados: o trânsito é lento; os transportes coletivos,


insuficientes; os estabelecimentos de prestação de serviços, ineficazes.

II – Tipos de Texto

1) Informativo: Informar, veicular conhecimento que o leitor desconhece.


É mais específico do que expositivo. Exs: jornal, bula de remédio, etc. (*)
Tem por marcas lingüísticas freqüentes a clareza e a precisão. Procura meios
de atrair a atenção do leitor para o que é veiculado. Traz implícita a idéia de
que o conteúdo do texto é de interesse dos leitores.
2) Didático: Ensinar, também são informações que o leitor desconhece. Ex:
livros didáticos.
3) Expositivo: Expõe o que se sabe, sem opinar. Ex: questões discursivas
em concursos públicos.
4) Opinativo: Também chamado de Argumentativo. Diferente do
expositivo. Há a colocação da opinião do autor. Ex: os editoriais dos jornais.
5) Polêmico: Neste texto aparecem, ao menos, dois pontos de vista sobre um
assunto. Ex.: artigos que tratam de temas polêmicos – aborto, o sistema de
reserva de quotas para negros nas universidades etc.
6) Injuntivo: Tem por objetivo instruir em vista de uma ação. Ex: manuais.

Enunciados de Tipologia Textual

A seguir, os enunciados mais comuns de provas de concursos públicos sobre


o assunto:

“O texto deve ser classificado de forma mais adequada...”; “Os textos


narrativos/ informativos/ didáticos caracterizam-se por...”; “O texto lido
poderia ser classificado como...”; “Quanto ao modo de organização do
discurso, pode-se afirmar que o texto lido é...”; “O texto lido deve ser
considerado prioritariamente como...”; “A finalidade principal desse texto é
a de...”; “O objeto maior do texto é...”, entre outros.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


30 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


31 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TIPOLOGIA TEXTUAL – PROVAS

►Quanto aos modos e tipos de textos, julgue os itens a seguir:


TEXTO 01
O construtor de pontes
Dois irmãos que moravam em fazendas vizinhas, separadas apenas por um
rio, entraram em conflito. Foi a primeira grande desavença em toda uma vida
de trabalho lado a lado. Mas agora tudo havia mudado. O que começou com
um pequeno mal-entendido finalmente explodiu numa troca de palavras
ríspidas, seguidas por semanas de total silêncio. Numa manhã, o irmão mais
velho ouviu baterem à sua porta.
— Estou procurando trabalho, disse um forasteiro. Faço trabalhos de
carpintaria. Talvez você tenha algum serviço para mim.
— Sim, disse o fazendeiro. Claro! Vê aquela fazenda ali, além do rio? É do
meu vizinho. Na realidade é do meu irmão mais novo. Nós brigamos e não
posso mais suportá-lo. Vê aquela pilha de madeira ali no celeiro? Pois use
para construir uma cerca bem alta.
— Acho que entendo a situação, disse o carpinteiro.
Mostre-me onde estão a pá e os pregos. O irmão mais velho entregou o
material e foi para a cidade. O homem ficou ali cortando, medindo,
trabalhando o dia inteiro. Quando o fazendeiro chegou, não acreditou no que
viu: em vez de cerca, uma ponte foi construída ali, ligando as duas margens.
Era um belo trabalho, mas o fazendeiro ficou enfurecido e falou:
— Você foi atrevido construindo essa ponte depois de tudo que lhe contei!
Mas as surpresas não pararam aí. Ao olhar novamente para a ponte, viu o seu
irmão se aproximando de 31 braços abertos. Por um instante permaneceu
imóvel do seu lado do rio.
O irmão mais novo então falou:
— Você realmente foi muito amigo construindo esta ponte mesmo depois
do que eu lhe disse.
De repente, num só impulso, o irmão mais velho correu na direção do outro
e abraçaram-se, emocionados, no meio da ponte.
O carpinteiro que fez o trabalho preparou-se para partir, com sua caixa de
ferramentas.
— Espere, fique conosco! Tenho outros trabalhos para você.
Porém o carpinteiro respondeu:
— Eu gostaria, mas tenho outras pontes a construir...

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


32 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


33 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Autor desconhecido.

1. O texto é essencialmente narrativo, apesar de o parágrafo inicial ter


passagem descritiva.

TEXTO 02

A SANTA CRUZ DA ESTIVA

No final do século passado, existia, rodeada por pequeno cemitério,


outra igrejinha próxima ao local onde hoje está erguida a Capela de Santa
Cruz da Estiva. Junto à estrada que passa diante da Capela, residia, então,
um humilde lavrador que trabalhava as terras, auxiliado por sete filhos.
Rapagões fortes e destemidos, eram o orgulho do pai.
Foi quando surgiu a febre amarela, ceifando vidas sem piedade. Por
ironia, ela foi levando um por um os sete filhos do lavrador, deixando-o
sozinho com sua dor.
Passada a epidemia, o desventurado buscou consolo em Deus. E se
propôs, apesar de passar por dificuldades econômicas, a construir uma
Capela nova junto à antiga, pedindo ao Senhor amparo para as almas de seus
sete rapazes, conseguindo-lhes, assim, a absolvição dos pecados
possivelmente cometidos.
Obteve com seus rogos que a dona da fazenda fizesse a doação de uma
faixa de terreno e, com os amigos e conhecidos, acertou o empreendimento
de um mutirão.
Assim foi construída a Capela de Santa Cruz da Estiva, segundo se diz
por aí...
(Adaptação de lenda de autor desconhecido)
1) A lenda “A Santa Cruz da Estiva”, quanto ao modo de organização textual
e à justificativa para a classificação, pode ser considerada um texto:

A) narrativo, porque relata mudanças progressivas de personagens e coisas


através do tempo
B) descritivo, porque transmite imagens positivas ou negativas dos
elementos descritos
C) dissertativo, porque analisa e interpreta dados da realidade por meio de
conceitos abstratos
D) poético, porque utiliza jogos de figuras de modo a ocultar uma visão de
mundo subjetiva

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


34 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


35 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TEXTO 03

“Estavam no pátio de uma fazenda sem vida. O curral deserto, o chiqueiro


das cabras arruinado e também deserto, a casa do vaqueiro fechada, tudo
anunciava abandono. Certamente o gado se finara e os moradores tinham
fugido.
Fabiano procurou em vão perceber um toque de chocalho. Avizinhou-se
da casa, bateu, tentou forçar a porta. Encontrando resistência, penetrou num
cercadinho cheio de plantas mortas, rodeou a tapera, alcançou o terreiro do
fundo, viu um barreiro vazio, um bosque de catingueiras murchas, um pé de
turco e o prolongamento da cerca do curral. Trepou-se no mourão do canto,
examinou a caatinga, onde avultavam as ossadas e o negrume dos urubus.
Desceu, empurrou a porta da cozinha. Voltou desanimado, ficou um instante
no copiar, fazendo tenção de hospedar ali a família. Mas chegando aos
juazeiros, encontrou os meninos adormecidos e não quis acordá-los.”

(Graciliano Ramos, apud Carreter e outros, 1963:29)

a) descritivo;
b) jurídico;
c) didático;
d) narrativo;
e) argumentativo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


36 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


37 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TEXTO 04
Quando era menino, na escola, as professoras me ensinaram que o Brasil
estava destinado a um futuro grandioso porque as suas terras estavam cheias
de riquezas: ferro, ouro, diamantes, florestas e coisas semelhantes.
Ensinaram errado. O que me disseram equivale a predizer que um homem
será um grande pintor por ser dono de uma loja de tintas. Todavia, o que faz
um quadro não é a tinta: são as idéias que moram na cabeça do pintor. As
idéias dançantes na cabeça fazem as tintas dançar sobre a tela. Por isso, sendo
um país tão rico, somos um povo tão pobre. Não sabemos pensar. (...) Minha
filha me fez uma pergunta: “O que é pensar?” Disse-me que essa era uma
pergunta que o professor de Filosofia havia proposto à classe. Pelo que lhe
dou os parabéns. Primeiro, por ter ido diretamente à questão essencial.
Segundo, por ter tido a sabedoria de fazer a pergunta, sem dar a resposta.
Porque, se tivesse dado a resposta, teria com ela cortado as asas do
pensamento. O pensamento é como a águia que só alça vôo nos espaços
vazios do desconhecido. Pensar é voar sobre o que não se sabe. Não existe
nada mais fatal para o pensamento que o ensino das respostas certas. Para
isto existem as escolas: não para ensinar as respostas, mas para ensinar as
perguntas. As respostas nos permitem andar sobre a terra firme, mas somente
as perguntas nos permitem entrar pelo mar desconhecido.
Rubem Alves. Ao professor, com o meu carinho.
São Paulo: Verus Editora, 2004, p. 57-58.

1 O texto caracteriza-se como texto científico devido ao uso de dados


comprovados e ao excesso de trechos descritivos.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


38 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


39 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TEXTO 05
VIOLÊNCIA NO CAMPO
José Saramago

No dia 17 de abril de 1996, no estado brasileiro do Pará, perto de uma


povoação chamada Eldorado dos Carajás (Eldorado: como pode ser sarcástico
o destino de certas palavras...), 155 soldados da polícia militarizada, armados
de espingardas e metralhadoras, abriram fogo contra uma manifestação de
camponeses que bloqueavam a estrada em ação de protesto pelo atraso dos
procedimentos legais de expropriação de terras, como parte do esboço ou
simulacro de uma suposta reforma agrária na qual, entre avanços mínimos e
dramáticos recuos, se gastaram já cinqüenta anos, sem que alguma vez tivesse
sido dada suficiente satisfação aos gravíssimos problemas de subsistência (seria
mais rigoroso dizer sobrevivência) dos trabalhadores do campo. Naquele dia,
no chão de Eldorado dos Carajás ficaram 19 mortos, além de umas quantas
dezenas de pessoas feridas.
Passados três meses sobre este sangrento acontecimento, a polícia do
estado do Pará, arvorando-se a si mesma em juiz numa causa em que,
obviamente, só poderia ser a parte acusada, veio a público declarar inocentes de
qualquer culpa os seus 155 soldados, alegando que tinham agido em legítima
defesa, e, como se isto lhe parecesse pouco, reclamou procedimento judicial
contra três dos camponeses, por desacato, lesões e detenção ilegal de armas. O
arsenal bélico dos manifestantes era constituído por três pistolas, pedras e
instrumentos de lavoura mais ou menos manejáveis. Demasiado sabemos que,
muito antes da invenção das primeiras armas de fogo, já as pedras, as foices e
os chuços haviam sido considerados ilegais nas mãos daqueles que, obrigados
pela necessidade a reclamar pão para comer e terra para trabalhar, encontraram
pela frente a polícia militarizada do tempo, armada de espadas, lanças e
albardas. Ao contrário do que geralmente se pretende fazer acreditar, não há
nada mais fácil de compreender que a história do mundo, que muita gente
ilustrada ainda teima em afirmar ser complicada demais para o entendimento
rude do povo.

1. O texto é mais adequadamente classificado como:

a) descritivo;
b) narrativo;

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


40 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


41 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

c) argumentativo;
d) expositivo;
e) informativo.

Texto 06
O MEDO SOCIAL
Jurandir Freire Costa

No Rio de Janeiro, uma senhora dirigia seu automóvel com o filho ao


lado. De repente foi assaltada por um adolescente, que a roubou, ameaçando
cortar a garganta do garoto. Dias depois, a mesma senhora reconhece o
assaltante na rua. Acelera o carro, atropela-o e mata-o, com a aprovação dos
que presenciaram a cena. Verídica ou não, a história é exemplar. Ilustra o
que é a cultura da violência, a sua nova feição no Brasil.
Ela segue regras próprias. Ao expor as pessoas a constantes ataques à
sua integridade física e moral, a violência começa a gerar expectativas, a
fornecer padrões de respostas. Episódios truculentos e situações-limite
passam a ser imaginados e repetidos com o fim de caucionar a idéia de que
só a força resolve conflitos. A violência torna-se um item obrigatório na
visão do mundo que nos é transmitida. Cria a convicção tácita de que o crime
e a brutalidade são inevitáveis. O problema, então, é entender como
chegamos a esse ponto. Como e por que estamos nos familiarizando com a
violência, tornando-a nosso cotidiano.
Em primeiro lugar, é preciso que a violência se torne corriqueira para
que a lei deixe de ser concebida como o instrumento de escolha na aplicação
da justiça. Sua proliferação indiscriminada mostra que as leis perderam o
valor normativo e os meios legais de coerção, a força que deveriam ter. Nesse
vácuo, indivíduos e grupos passam a arbitrar o que é justo ou injusto,
segundo decisões privadas, dissociadas de princípios éticos válidos para
todos. O crime é, assim, relativizado em seu valor de infração. Os criminosos
agem com consciências felizes. Não se julgam fora da lei ou da moral, pois
conduzem-se de acordo com o que estipulam ser o preceito correto. A
imoralidade da cultura da violência consiste justamente na disseminação de
sistemas morais particularizados e irredutíveis a ideais comuns, condição
prévia para que qualquer atitude criminosa possa ser justificada e legítima.

1. “No Rio de Janeiro, uma senhora dirigia seu automóvel com o filho ao
lado. De repente foi assaltada por um adolescente...”; a passagem do pretérito
imperfeito para o pretérito perfeito marca a mudança de:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


42 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

10

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


43 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

A)um texto descritivo para um texto narrativo;


B)a fala do narrador para a fala do personagem;
C)um tempo passado para um tempo presente;
D)um tempo presente para um tempo passado;
E)a mudança de narrador.

2) O texto acima pode ser classificado, de forma mais adequada, como:


a) narrativo moralizante;
b) informativo didático;
c) dissertativo opinativo;
d) normativo regulamentador;
e) dissertativo polêmico.

TEXTO 07
Por ser uma versão continental dos Jogos Olímpicos, o Pan é o mais
importante evento esportivo das Américas, envolvendo 42 países e um
número estimado de 5.500 atletas, o que possibilita o intercâmbio técnico e
a descoberta de novos talentos e recordistas. Com a transmissão ao vivo para
vários países, o Pan também é uma ótima oportunidade de exposição de
marca para a PETROBRAS, visto que atende à sua estratégia de
internacionalização. Além do aporte financeiro ao evento, a companhia
deverá participar do dia-a-dia da Vila Pan-Americana, promovendo shows
diários na Zona Internacional da vila com artistas patrocinados pelo
Programa PETROBRAS Cultural. O apoio ao Pan tem ainda como finalidade
contribuir para a educação da juventude por meio da prática esportiva e
dentro do espírito olímpico, que exige dedicação, trabalho em equipe e
solidariedade. A PETROBRAS é, historicamente, uma das empresas que
mais contribuem para o crescimento do esporte brasileiro. Em 2006, por
exemplo, a companhia investiu cerca de R$ 70 milhões em modalidades
como automobilismo, surfe, futebol, tênis e handebol.
Internet: <www.noticiaspetrobras.com.br>.

1. Predomina no texto o tipo textual narrativo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


44 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

11

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


45 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TEXTO 08

A maioria do público acredita que os produtos químicos utilizados no dia-


a-dia já foram exaustivamente testados e que seus criadores sabem
exatamente como a natureza os receberá de volta quando eles forem jogados
em esgotos ou simplesmente caírem no solo. Infelizmente essa não é toda a
verdade.
Apesar dos inúmeros cuidados e métodos desenvolvidos para se avaliar o
impacto ambiental dos compostos químicos, a realidade é que é virtualmente
impossível testar como cada um deles vai se comportar na natureza. “Leva
um tempo muito grande para se estimar o destino ambiental dos compostos
químicos — a indústria produz novos químicos muito mais rapidamente do
que eles podem ser testados”, diz o Dr. Victor de Lorenzo, pesquisador que
desenvolveu, no Centro Nacional de Biotecnologia da Espanha, um
programa de computador capaz de prever com grande precisão como um
determinado composto químico se comportará na natureza, se ele irá se
biodegradar ou não. O destino dos compostos orgânicos no meio ambiente,
dos mata-matos aos medicamentos, é largamente decidido pelos micróbios.
Esses organismos quebram alguns compostos diretamente em dióxido de
carbono (CO2), mas, outros produtos químicos permanecem no meio
ambiente por anos, absolutamente intocados.
O novo sistema desenvolvido por Lorenzo mostra como os microrganismos
digerem os compostos químicos.
Diante de uma formulação que não seja digerida, é emitido um alerta que
poderá auxiliar as autoridades a estabelecerem restrições ou até a proibir a
comercialização do novo produto químico. O programa, chamado
BDPServer, foi disponibilizado gratuitamente na Internet.

Internet: <www.inovacaotecnologica.com.br> (com adaptações).

1. O texto apresenta aspectos textuais que permitem classificá-lo como


dissertativo-informativo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


46 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

12

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


47 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

TEXTO 09
O laudo médico-pericial é utilizado como prova técnica, devendo estar
isento de tendências, vícios e distorções — condição básica para atingir seu
objetivo principal: descrever e interpretar fatos médicos para a correta
aplicação da justiça, cumprindo seu papel como um dos principais
instrumentos de garantia aos Direitos Universais do Homem.
Não importa se vítima ou agressor: o periciado tem o direito de ser
visto e respeitado como homem, sendo examinado em ambiente neutro, sem
a presença de estranhos, devendo sentir-se seguro e livre de coações. Enfim,
contar com total liberdade para relatar sua versão dos fatos. Por sua vez, o
médico-legista deve exercer seu mister livre de constrangimentos, coações
ou pressões de quaisquer espécies, mantendo o respeito incondicional pelo
homem.
Para deixar mais claro: a própria Resolução CFM n.º 1.635, de 9 de
maio de 2002, veda ao médico a realização de exames médico-periciais de
corpo de delito em seres humanos no interior dos prédios e(ou) dependências
de delegacias, seccionais ou sucursais de polícia, unidades militares, casas
de detenção e presídios. Proíbe, ainda, exames de corpo de delito em seres
humanos contidos por algemas ou por qualquer outro meio
— exceto quando o periciado oferecer risco à integridade física do médico-
perito.
Como ficaria a posição do legista, trabalhando no interior de
delegacias policiais, quartéis ou casas de detenção, repleta de policiais, caso
assistisse à violação dos direitos humanos? Seria uma simples testemunha ou
um perito médico, com obrigação legal de relatar os fatos? Um legista não é
(e não pode ser visto como) testemunha ou cúmplice dos fatos.
Nunca, jamais, devem acontecer ocorrências que levem o periciado a
confundir a figura imparcial e isenta do médico-legista (interessado na busca
da verdade, por meio da prova técnica) com o aparelho repressor do Estado.
Sua função é descrever, por meio da observação atenta e minuciosa, os fatos
ocorridos, interpretando-os para a justiça, com seus conhecimentos de
medicina.
1. A partir do texto, assinale a opção que resume, corretamente, a idéia do
parágrafo correspondente.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


48 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

13

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


49 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

A) primeiro parágrafo – apresentação de função, característica e objetivo dos


laudos médico-periciais.
B) segundo parágrafo – relato da necessidade de agressores e vítimas
descreverem as versões dos fatos, responsavelmente.
C) terceiro parágrafo – narrativa sintética dos princípios da Resolução CFM
n.º 1.635, de 9 de maio de 2002.
D) último parágrafo – argumentação imparcial em defesa da isenção dos
médicos-legistas.

TEXTO 10

Entende-se que policial militar é um trabalhador que desenvolve um


processo de trabalho peculiar. Concebe-se também que o exercício de sua
atividade caracterize uma profissão, na medida em que a atividade policial é
exercida por um grupo social específico, que partilha idéias, valores e
crenças comuns. Considera-se, ainda, a polícia como uma profissão pelo
conjunto de atividades atribuídas pelo Estado à organização policial para a
aplicação da lei e a manutenção da ordem pública.
Júlio Consul, em A Polícia Militar — revelando sua identidade, afirma que
o trabalho de policial militar se caracteriza pela percepção, pelas
expectativas e pela retórica para legitimar, entre o eu e o outro, nós e eles, o
atributo de profissão policial sob os auspícios das atividades que eles
desenvolvem no seu cotidiano laboral.
O trabalho do policial militar compreende tudo aquilo que o profissional
utiliza na realização de sua atividade. Essa atividade comporta o aspecto
instrumental e o conhecimento técnico-operativo, descritos a seguir.
Instrumental: São os equipamentos utilizados e os aprestos. São as
ferramentas que dão suporte ao policial militar na realização de suas
atividades, tais como: uniforme (a farda), capa de chuva, armas (arma de
fogo, cassetete e algemas), viaturas, rádios transceptores, apito, coletes
refletores, papel, caneta, telefone; instrumentos de prevenção: colete à prova
de balas, capacete de controle de tumulto.
Conhecimento técnico-operativo da profissão: É o saber adquirido no
exercício profissional e o conjunto de conhecimentos que o policial militar
adquire por meio dos cursos de formação e habilitação. Isso orientará sua
maneira de agir. O policial utiliza ainda outros recursos que podem contribuir
para a efetividade de sua ação, como diálogos com a comunidade, palestras
e orientações.
Em resumo, o papel da polícia é tratar de problemas humanos quando sua
solução necessita ou possa necessitar do emprego da força. Assim, para que
o policial possa realizar o seu trabalho com eficiência, é fundamental que
aprenda a intervir-nos mais distintos espaços, de modo que exerça sua
autoridade como profissional dentro das prerrogativas que lhe conferem o

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


50 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

14

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


51 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

poder de polícia, mas sem abusar desse poder, de maneira arbitrária ou


autoritária.

1.O último parágrafo do texto faz uma síntese das idéias do parágrafo inicial
sem a elas acrescentar informação alguma, o que evidencia a natureza
narrativa.

TEXTO 11
Em sua posse no cargo de ministro do Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior, o embaixador Sérgio Amaral reafirmou o explícito
entusiasmo de enfrentar o desafio de incrementar as exportações brasileiras.
Ficou claro para todos que ele expressava uma posição de governo,
enfatizada pelo presidente da República, em uma demonstração de que o
espírito das autoridades federais está inoculado pela causa e de que a
compreensão do que significa uma ação coordenada, visando à inserção do
Brasil na economia internacional, começa a se disseminar. Entre outras
coisas, o ministro declarou: “Nossa prioridade é o MERCOSUL”.
O governo federal foca seus esforços no aumento das exportações
brasileiras e na direção certa, mas há uma agenda aguardando definições e
atos, particularmente no que diz respeito aos juros – que precisam ser
reduzidos a patamares compatíveis com os praticados nos lugares do mundo
onde nossos concorrentes se financiam. Espera-se também uma maior
disponibilidade de recursos nos programas de fomento às exportações; uma
reforma tributária, que é urgente; um aperfeiçoamento da legislação
trabalhista e é uma ampliação e melhoria da infra-estrutura nacional,
principalmente no setor de transportes. Esse conjunto de fatores --
- enquanto não definidos e implementados --- é que torna as empresas
brasileiras vulneráveis no jogo do comércio internacional. Mas a questão da
América do Sul merece uma análise especial.
Dinheiro é um facilitador das transações, mas não é a única forma de
relação comercial. O mundo moderno não pode menosprezar a sabedoria de
nossos antepassados, que sobreviveram séculos fazendo trocas. Um bom
exemplo de alinhamento entre estratégias empresariais e apoio
governamental, que resultou em uma equação, é o caso da Odebrecht em
Angola: esta construtora constrói a hidrelétrica de que o país africano
necessita, e o governo angolano paga com petróleo, produto abundante
naquele país.
O fato é que existe um vasto mercado para exportação na América do
Sul que não pode ser desconsiderado. Politicamente, esse é o mercado do
Brasil, e o Brasil é o mercado para sua viabilização. O governo federal não
deve fechar-se sobre o MERCOSUL. Precisamos assumir o papel
geopolítico de liderança em toda a América do Sul, até porque nossa

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


52 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

15

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


53 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

condição diferenciada no contexto mundial facilita a captação de capitais


internacionais, para financiar, aqui, operações dessa natureza. A infra-
estrutura de transportes, geração de energia e telecomunicações e as riquezas
do subsolo estão esperando por investimentos. Se não os fizemos, outros
farão.

Emílio Odebrecht. Ícaro Brasil, nov/2001, p. 28-30 (com adaptações)

1. Aplicando conhecimentos acerca de tipologia, estrutura e organização de


um texto em parágrafos, julgue os itens a seguir, segundo as idéias
desenvolvidas no texto.

a) No primeiro parágrafo, fica explícita a disposição do governo em


enfrentar o desafio do aumento das exportações brasileiras,
prioritariamente junto aos países que compõem o MERCOSUL.

b) No segundo parágrafo, alude-se à ampliação dos limites do mercado,


de forma a abranger todo o continente sul-americano, e levantam-se
algumas estratégias de ação para viabilizar esse propósito: redução dos
juros, aumento da disponibilidade de recursos, reforma tributária,
aperfeiçoamento da legislação trabalhista e ampliação e melhoria da
infra-estrutura de transportes.

c) O terceiro parágrafo, predominantemente narrativo, apresenta o ponto


de vista do narrador acerca do dinheiro, da sabedoria dos antepassados
e das estratégias empresariais do governo africano para com o
petróleo.

d) O quarto parágrafo descreve o vasto mercado para a exportação da


América do Sul, além do MERCOSUL, o papel geopolítico de
liderança brasileira na região sul-americana, a condição diferenciada
do Brasil no contexto mundial e a infra-estrutura brasileira de
transportes, de geração de energia, de telecomunicações e de
tecnologia.

e) Nesse texto, eminentemente dissertativo, o autor discute o assunto do


incremento das exportações brasileiras na América do Sul,
apresentando vários argumentos que teriam, em tese, o intuito de fazer
o leitor partilhar do seu ponto de vista, que está resumindo na última
idéia do texto: “Se não o fizermos, outros farão”.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


54 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

16

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


55 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Texto 12

A globalização começou no dia em que um anônimo primitivo, em


alguma parte do continente ainda sem nome, movido por um sentimento de
curiosidade, caminhou além dos limites conhecidos por sua tribo e encontrou
um grupo de desconhecidos, com o qual entabulou algum tipo de
comunicação. A partir daquele momento, os homens nuca mais pararam de
caminhar, de olhar ao redor e de integrar-se em um processo de globalização
cada vez mais amplo.
Desde o final do século XV, com a invenção de novos equipamentos
de navegação e as grandes descobertas, esse processo se espalhou por todo o
planeta, ao mesmo tempo em que aumentava a influência européia no
mundo. No século XIX, o telégrafo submarino reduziu o tempo com que as
informações, as ordens e as diversas decisões importantes chegavam a
diversos lugares do mundo – em pontos específicos, em quantidades
limitadas e com alguma defasagem de tempo.
O processo atual de globalização se diferencia do iniciado há centenas
de milhares de anos porque o mundo se tornou um só e instantâneo. O
conhecimento das informações, o acesso às coisas e a influência do poder
ficaram internacionais e chegam ao mesmo tempo em todas as partes.
Globalização é essa “simultaneidade totalizante”, que se instalou sem uma
integração entre os homens. Para surpresa de todos que observam o mundo
global, a globalização torna iguais os seres, não importa o grupo a que
pertençam, mas faz com que dentro de cada grupo as pessoas sejam mais
diferentes entre elas do que no passado.
Uma das maiores manifestações lingüísticas na fronteira entre os
séculos XX e XXI é a idéia de globalização como um processo de
internacionalização. A globalização é um processo de disseminação das
idéias, da cultura e dos objetivos sociais dos Estados Unidos. No lugar de
globalização, há uma ameriglobalização. A melhor prova disso é que esse
país defende a abertura comercial, mas fecha suas fronteiras e toma medidas
protecionistas sempre que necessário.

1. Analisando a tipologia do texto e a síntese das idéias nele desenvolvidas,


assinale a opção incorreta.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


56 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

17

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


57 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

a) O primeiro parágrafo apresenta o mais remoto indício da globalização,


título do texto, de forma expositiva, sem haver posicionamento
explícito do autor frente aos acontecimentos.

b) O segundo parágrafo mostra a evolução do processo, em uma


retrospectiva histórica, desde o final do século XV, tempo e, que a
influência européia no mundo se fez marcante, até o século XIX,
quando as informações chegavam a diversos lugares do mundo “em
quantidades limitadas e com alguma defasagem de tempo”.

c) No terceiro parágrafo, o autor, de forma descritiva e privilegiando a


apresentação do quadro global em vários pontos do planeta, discorre
a respeito do processo de total simultaneidade, instalada sem uma
integração entre os homens.

d) No quarto parágrafo, o autor desmistifica a visão corrente de que a


globalização é um processo neutro de internacionalização,
exemplificando com a atuação da sociedade norte-americana perante
o mundo.

e) Em todo o texto predomina a estrutura dissertativa, por meio da qual


o assunto é abordado, em linguagem objetiva e referencial,
obedecendo a um viés cronológico, do passado ao presente.

COESÃO E COERÊNCIA
A crescente escassez de profissionais qualificados no mercado de
trabalho doméstico está obrigando a Companhia Vale do Rio Doce a lançar
uma campanha global de recrutamento para arregimentar pessoal
especializado nos EUA, na Inglaterra, na Austrália e no Canadá. A previsão
é de 62 mil contratações nos próximos cinco anos.
O Estado de S.Paulo, 21/3/2008 (com adaptações).

1) Assinale a opção que constitui continuação coesa e coerente para o


fragmento de texto acima.
a) Essa disputa se tornou tão acirrada que elevou o nível médio salarial.
Um soldador, por exemplo, hoje tem um ordenado inicial entre R$ 1,2
mil e R$ 2,1 mil. Nas escolas do SESI e do SENAC, os formandos são
disputados pelos empregadores.
b) Essa é a iniciativa mais audaciosa já tomada por uma empresa
brasileira em matéria de oferta de emprego, e é mais uma das
conseqüências da globalização da economia.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


58 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

18

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


59 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

c) Entretanto, com o extraordinário crescimento da produção industrial


chinesa, nos últimos anos, o preço das commodities no mercado
internacional disparou, o que abriu caminho para a expansão dos
setores de mineração, siderurgia, petróleo e equipamentos de
transporte pesado.
d) Desde então, as empresas mais competitivas desses setores criaram
milhares de novos postos de trabalho e, de forma cada vez mais
agressiva, vêm disputando trabalhadores preparados para ocupá-los.
e) Todas essas empresas vêm publicando anúncios em inglês, em busca
de profissionais qualificados de nível técnico superior. As empresas
também vêm contratando trabalhadores aposentados e procurando
atrair profissionais qualificados da PETROBRAS.

Há cinco anos, sob o comando de George W. Bush, os Estados Unidos


da América (EUA) invadiam o Iraque. Já se mostrou à exaustão que a
aventura foi uma catástrofe humanitária e um fracasso político que
encalacrou o Pentágono numa ocupação militar sem perspectiva de solução.
Verifica-se, agora, que foi também um desastre financeiro.
Folha de S.Paulo, 20/3/2008 (com adaptações).
2. Assinale a opção em que o fragmento constitui continuação coesa e
coerente para o texto acima.
a) Entretanto, Joseph Stiglitz, Prêmio Nobel de Economia, calcula que a
empreitada poderá sair por assombrosos US$ 4 trilhões ou mais,
dependendo de quanto tempo a ocupação durar.
b) Mas, agora que o país se encontra numa situação de déficit fiscal, a
conta da guerra contribui para a crescente desvalorização da moeda
norte-americana, num movimento que dificulta o combate à crise de
crédito nos EUA e agrava suas repercussões globais.
c) Às vésperas da invasão, a Casa Branca estimava que gastaria algo
entre US$ 50 bilhões e US$ 60 bilhões para derrubar Saddam Hussein
e instalar um novo governo no país. Hoje, a conta está em US$ 600
bilhões e continua subindo.
d) Avaliações mais conservadoras, como a do Escritório de Orçamento
do Congresso, órgão que municia o Poder Legislativo com
informações técnicas, concluem que a ocupação não atingirá
efetivamente a economia norteamericana.
e) Portanto, nada indica que o próximo presidente dos EUA terá
condições de colocar um fim rápido à aventura. Fala-se em retirar as
tropas até o fim de 2009. Isso, é claro, no melhor cenário. E o problema
é que, no Iraque, o melhor cenário nunca se materializa.

O conflito do Tibete, que se arrasta desde o século 13, requer


solução pacífica pautada pelo signo da não-violência. Invadida pela China

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


60 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

19

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


61 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

em 1950, a província luta pela autonomia há cinco décadas. Pequim resiste.


Além de constante desrespeito aos direitos humanos, procede ao que o dalai-
lama denomina “genocídio cultural” — sistemático esmagamento das
tradições da região.
Com o controle dos meios de comunicação, as autoridades chinesas
exercem violenta censura à informação e à livre circulação de pessoas. A
tevê só mostra imagens liberadas pelos administradores locais. O mesmo
ocorre com as notícias e certos sítios da Internet. Jornalistas e turistas
encontram as fronteiras fechadas.
Torna-se difícil, assim, avaliar as dimensões e as conseqüências dos
protestos que eclodiram recentemente. Pequim soma 13 mortos. Os tibetanos
falam em mais de 100 e de centenas de prisões de dissidentes. Suspeita-se,
com razão, do incremento da repressão.
Correio Braziliense, 20/3/2008 (com adaptações).
03) Assinale a opção que apresenta as idéias principais do texto acima.
a) Pequim controla os tibetanos, que vivem sob censura, sem
possibilidade de livre circulação em sua própria região.
b) A tevê só mostra imagens liberadas pelos administradores locais, e as
fronteiras estão fechadas para turistas e jornalistas.
c) Para Pequim, houve treze mortos nos conflitos recentes; para os
tibetanos, houve mais de cem mortos e centenas de prisões de
dissidentes.
d) A China procede a um genocídio cultural no Tibete, quando esmaga
as tradições da região.
e) Embora haja controle dos meios de comunicação e das fronteiras,
suspeita-se do aumento da repressão no Tibete, que luta pela
autonomia, pois é ocupado pela China há mais de cinqüenta anos.

4. Assinale a opção que constitui continuação coesa e coerente para o texto


abaixo:
Até aqui o governo se dedicou a expor seu ponto de vista e começou a mover
suas pedras no tabuleiro, a partir de sua opção pela prioridade sul- americana
e do Mercosul. Estabeleceu, em seguida, uma série de pontes e alianças
possíveis com a África e a Ásia, como aconteceu com o G21, na reunião de
Cancun da OMC, e como está acontecendo nas negociações do G3, com a
África do Sul e com a Índia. Ou ainda, como vem ocorrendo nas novas
parcerias tecnológicas com a Ucrânia, a Rússia, a China, ou com os projetos
infra-estruturais com a Venezuela, a Bolívia, o Peru e a Argentina.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


62 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

20

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


63 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

a) Não há dúvida, porquanto, de que essas principais disputas giraram


em torno das divergências econômicas entre os Estados Unidos e o
Brasil, em particular as negociações da OMC, FMI e ALCA.
b) O que se vê é a afirmação de uma nova política externa, ativa,
presente, baseada no interesse nacional brasileiro e na afinidade
histórica e territorial do Brasil com o resto da América do Sul, bem
como na sua afinidade de interesses com os demais grandes países em
desenvolvimento.
c) E do outro lado, naquele momento, estarão os grupos econômicos e as
forças sociais, intelectuais e políticas que sempre lutaram por um
projeto de desenvolvimento para o Brasil.
d) E aqui, não há como se enganar sobre as forças que esta batalha
despertava, dentro e fora do governo: de um lado estarão, como
sempre estiveram, os grupos de interesse que defendem uma relação
subserviente com os Estados Unidos, em troca de uma acesso mais
favorecido ao mercado interno americano.
e) Orientando-se pelos interesses nacionais do povo e não apenas pelos
interesses imediatos e particulares do seu agrobusiness, e dos seus
grupos financeiros defendidos e acobertados pela retórica diletante e
pela política escandalosamente subserviente dos “diplomatas
descalços”.

5.
Os trechos a seguir constituem um texto, mas estão desordenados. Ordene-
os nos parênteses e aponte a opção correta:
( ) A aguda crise social desdobrou-se, então, em quatro vertentes de
alternativa política: o fascismo italiano, o nazismo alemão, a social
democracia sueca e o New Deal norte-americano.
( ) O desemprego é uma tragédia social com profundas implicações políticas.
( ) Um dado dessa natureza é importante, pois estabelece a conexão entre a
crise social e o efeito político-eleitoral.
( ) A esmagadora maioria dos eleitores nas últimas eleições apontava esse
fenômeno como o mais grave problema do país.
( ) Tal conexão apareceu pela primeira vez na História, claramente, há mais
de 70 anos, nos principais países capitalistas, na Grande Depressão.
a) 5, 1, 3, 2, 4
b) 3, 5, 1, 4, 2
c) 2, 4, 3, 5, 1
d) 4, 1, 3, 5, 2
e) 2, 1, 4 5, 3

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


64 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

21

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


65 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

O Que É Morfologia?
Morfologia é a parte da gramática que estuda as palavras de acordo com a classe
gramatical a que ela pertence. Quando nos referimos às classes gramaticais, logo
sabemos que se refere à dez classes, que são: substantivos, artigos, pronomes, verbos,
adjetivos, conjunções, interjeições, preposições, advérbios e numerais.

Classes Gramaticais ou Classes de Palavras


Uma Classe Gramatical ou Classe de Palavra é o nome dado ao grupo que classifica uma
palavra de acordo com sua estrutura sintática e morfológica. Veja quais são:

SUBSTANTIVOS
É a palavra que dá nome aos objetos, aos lugares, às ações, aos seres em geral, entre
outros e varia em gênero (masculino e feminino), número (singular e plural) e grau
(aumentativo e diminutivo).
Quanto à formação, o substantivo pode ser:
Primitivo – é o nome que não deriva de outra palavra da língua portuguesa. Exemplos:
casa, pedra e jornal.

Derivado – é o nome que deriva de outra palavra da língua portuguesa. Exemplos:


casarão, pedreira e jornaleiro (palavras derivadas dos exemplos acima, respetivamente).
Simples – é o nome formado por apenas um radical. Radical é o elemento que é a base
do significado das palavras. Exemplos: casa, flor e gira, cujos radicais são respetivamente:
cas, flor e gir.
Composto – é o nome formado por mais do que um radical. Exemplos: couve-flor, girassol
e passatempo, cujos radicais são respetivamente: couv e flor, gir e sol e pass e temp.
Quanto ao elemento que nomeia, o substantivo pode ser:
Comum – é a palavra que dá nome aos elementos da mesma espécie, de forma genérica.
Exemplos: cidade, pessoa e rio.
Próprio – é a palavra que dá nome aos elementos de forma específica, por isso, são
sempre grafados com letra maiúscula. Exemplos: Bahia, Ana e Tietê.
Concreto – é a palavra que dá nome aos elementos concretos, de existência real ou
imaginária. Exemplos: casa, fada e pessoa.

Coletivo – é a palavra que dá nome ao grupo de elementos da mesma espécie. Exemplos:


acervo (conjunto de obras de arte), cardume (conjunto de peixes) e resma (conjunto de
papéis).

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


66 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Abstrato – é a palavra que dá nome a ações, estados, qualidades e sentimentos.


Exemplos: trabalho, alegria, altura e amor.

ARTIGOS
É a palavra que antecede os substantivos e varia em gênero e número, bem como
o determina (artigo definido) ou o generaliza (artigo indefinido).
São artigos definidos: o, a (no singular) e os, as (no plural)
São artigos indefinidos: um, uma (no singular) e uns, umas (no plural)

ADJETIVOS
É a palavra que caracteriza, atribui qualidades aos substantivos e varia em gênero, número
e grau.
Quanto à formação, o adjetivo pode ser:
Primitivo – é o adjetivo que dá origem a outros adjetivos. Exemplos: alegre, bom e fiel.
Derivado – é o adjetivo que deriva de substantivos ou verbos. Exemplos: alegria e
bondade (palavras derivadas dos exemplos acima, respetivamente) e escritor (palavra
derivada do verbo escrever).
Simples – é o adjetivo formado por apenas um radical. Exemplos: alta, estudioso e
honesto, cujos radicais são respetivamente: alt, estud e honest.
Composto – é o adjetivo formado por mais do que um radical. Exemplos:
superinteressante, surdo-mudo e verde-claro, cujos radicais são respetivamente: super e
interessant, surd e mud e verd e clar.
Há também os Adjetivos Pátrios, que caracterizam os substantivos de acordo com o seu
local de origem e as Locuções Adjetivas, que são o conjunto de palavras que tem valor de
adjetivo.
Exemplos de Adjetivos Pátrios: brasileiro, carioca e sergipano.
Exemplos de Locuções Adjetivas: de anjo (=angelical), de mãe (=maternal) e de face
(=facial).

NUMERAL
É a palavra que indica a posição ou o número de elementos.
Os numerais classificam-se em:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


67 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Cardinais – é a forma básica dos números, utilizada na sua contagem. Exemplos: um, dois
e vinte.

Ordinais – é a forma dos números que indica a posição de um elemento numa série.
Exemplos: segundo, quarto e trigésimo.
Fracionários – é a forma dos números que indica a divisão das proporções. Exemplos:
meio, metade e um terço.

Coletivos – é a forma dos números que indica um conjunto de elementos. Exemplos: uma
dúzia (conjunto de doze), semestre (conjunto de seis) e centena (conjunto de cem).
Multiplicativos – é a forma dos números que indica multiplicação. Exemplos: dobro, duplo
e sêxtuplo.

PRONOME
É a palavra que substitui ou acompanha o substantivo, indicando a relação das pessoas do
discurso e varia em gênero, número e pessoa.
Os pronomes classificam-se em:
Pessoais – Caso reto (quando são o sujeito da oração): eu, tu, ele/ela, nós, vós, eles/elas
e Caso oblíquo (quando são complemento da oração): me, mim, comigo, te, ti, contigo,
o, a, lhe, se, si, consigo, nos, conosco, vos, convosco, os, as lhes, se, si, consigo.
Tratamento – Alguns exemplos: Você, Senhor e Vossa Excelência.
Possessivos – meu, teu, seu, nosso, vosso, seu e respetivas flexões.
Demonstrativos – este, esse, aquele e respetivas flexões, isto, isso, aquilo.

Relativos – o qual, a qual, cujo, cuja, quanto e respetivas flexões, quem, que, onde.
Indefinidos – algum, alguma, nenhum, nenhuma, muito, muita, pouco, pouca, todo, toda,
outro, outra, certo, certa, vário, vária, tanto, tanta, quanto, quanta, qualquer, qual, um,
uma e respetivas flexões e quem, alguém, ninguém, tudo, nada, outrem, algo, cada.
Interrogativos – qual, quais, quanto, quanta, quantas, quem, que.

VERBO
É a palavra que exprime ação, estado, mudança de estado, fenômeno da natureza e varia
em pessoa (primeira, segunda e terceira), número (singular e plural), tempo (presente,
passado e futuro), modo (indicativo, subjuntivo e imperativo) e voz (ativa, passiva e
reflexiva).
Exemplos:
• O time adversário marcou gol. (ação)

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


68 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

• Estou tão feliz hoje! (estado)


• De repente ficou triste (mudança de estado)
• Trovejava sem parar. (fenômeno da natureza)

ADVÉRBIO
É a palavra que modifica o verbo, o adjetivo ou outro advérbio, exprimindo circunstâncias
de tempo, modo, intensidade, entre outros.
Os advérbios classificam-se em:
Modo – Exemplos: assim, devagar e grande parte das palavras terminadas em “-mente”.
Intensidade – Exemplos: demais, menos e tão.
Lugar – Exemplos: adiante, lá e fora.
Tempo – Exemplos: ainda, já e sempre.
Negação – Exemplos: não, jamais e tampouco.
Afirmação – Exemplos: certamente, certo e sim.
Dúvida – acaso, quiçá e talvez.

PREPOSIÇÃO
É a palavra que liga dois elementos da oração.
As preposições classificam-se em:
Essenciais – têm somente função de preposição. Exemplos: a, desde e para.

Acidentais – não têm propriamente a função de preposição, mas podem funcionar como
tal. Exemplos: como, durante e exceto.
Há também as Locuções Prepositivas, que são o conjunto de palavras que tem valor de
preposição. Exemplos: apesar de, em vez de e junto de.

CONJUNÇÃO
É a palavra que liga duas orações.
As conjunções classificam-se em:
COORDENATIVAS: Aditivas (e, nem), Adversativas (contudo, mas),Alternativas (ou…ou,
seja…seja), Conclusivas (logo, portanto) e Explicativas(assim, porquanto).

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


69 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

SUBORDINATIVAS: Integrantes (que, se), Causais (porque, como), Comparativas (que,


como), Concessivas (embora, posto que), Condicionais (caso, salvo
se), Conformativas (como, segundo), Consecutivas (que, de maneira
que), Temporais (antes que, logo que), Finais (a fim de que, para que) eProporcionais (ao
passo que, quanto mais).
Há também as Locuções Conjuntivas, que são o conjunto de palavras que tem valor de
conjunção. Exemplos: contanto que, logo que e visto que.

INTERJEIÇÃO
É a palavra que exprime emoções e sentimentos.
As interjeições podem ser classificadas em:

Advertência – Calma!, Devagar!, Sentido!


Saudação – Alô!, Oi!, Tchau!
Ajuda – Ei!, Ô!, Socorro!
Afugentamento – Fora!, Sai! Xô!
Alegria – Eba!, Uhu! Viva!
Tristeza – Oh!, Que pena!, Ui!
Medo – Credo!, Cruzes!, Jesus!
Alívio – Arre!, Uf!, Ufa!
Animação – Coragem!, Força!, Vamos!
Aprovação – Bis!, Bravo!, Isso!
Desaprovação – Chega!, Francamente! Livra!,
Concordância –Certo!, Claro!, Ótimo!
Desejo – Oxalá!, Quisera!, Tomara!
Desculpa – Desculpa!, Opa!, Perdão!
Dúvida – Hã?, Hum?, Ué!
Espanto – Caramba!, Oh!, Xi!,
Contrariedade – Credo!, Droga!, Porcaria!
Há também as Locuções Interjetivas, que são o conjunto de palavras que tem valor de
conjunção. Exemplos: Cai fora!, Muito obrigada!, Volta aqui!

A ANÁLISE MORFOLÓGICA
As palavras da língua portuguesa podem ser analisadas/classificadas de duas formas :
• Separadamente, palavra por palavra, mesmo fazendo parte de uma oração.
• De acordo com a função da palavra dentro da oração.
Falamos da análise morfológica e da análise sintática de uma oração.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


70 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

O que é análise morfológica?


Já aprendemos que a Morfologia é a parte da gramática que estuda as palavras de acordo
com a classe gramatical a que ela pertence.
• Estas são as classificações que as palavras recebem sozinhas, fora das
frases/orações. Quando analisamos/classificamos separadamente estas palavras
é que temos a sua análise morfológica.
Observem a oração abaixo :

• Os meninos da rua treze estavam atônitos com a beleza da nova moradora.

Análise morfológica:
Os - artigo
meninos – substantivo
da – preposição
rua- substantivo
treze– numeral
estavam – verbo
atônitos–adjetivo
com – preposição
a– artigo
beleza-substantivo
da– preposição
nova – adjetivo
moradora – substantivo
Fica a dica : Sempre que lhe for proposto a análise morfológica de uma oração, pense
nas palavras sozinhas, analisadas uma a uma, como se fosse a única. E lembre-se das
famosas 10(dez) classes gramaticais

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


71 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Sentido Próprio e Sentido Figurado das Palavras

Muitas vezes, ao não empregar palavras, adjetivos e verbos corretamente, damos outro
sentido a uma frase que aparentemente teria somente um significado. A isto damos o nome
de ambiguidade.

O sentido próprio e o sentido figurado das palavras devem ser compreendidos principalmente
para evitar estas ambiguidades. Através deste artigo você irá conferir o que são estes sentidos
e compreender melhor como melhorá-los.

Sentido próprio

O sentido próprio ou também conhecido como literal é aquele que pode ser interpretado
como o sentido mais usual ou básico da palavra ou expressão.

Este seria o sentido literal da palavra, o sentido comum que costumamos dar a ela. Este, por
sua vez, não precisa de um contexto para ser compreendido. Qual a palavra é utilizada com
seu sentido costumeiro, possui um valor denotativo.

Sentido figurado

O sentido figurado é o sentido que uma palavra literal adquire com o passar do tempo em
situações particulares de seu uso.

Seu sentido é alterado ou ampliado, adquirindo então um valor conotativo, fugindo de seu
sentido inicial. Em suma, é o sentido simbólico que damos a uma palavra usual.

Diferenças exemplos

De acordo com o seu significado, podem ser colocadas em situações diferentes com sentidos
também diferentes.

Observe os exemplos:

• A) A Jararaca é uma cobra.

• B) Aquela sua vizinha é uma Jararaca!

Explicação: em ambas as frases, “Jararaca” refere-se a uma cobra, mas seus sentidos são
diferentes.

Na letra A), entendemos que Jararaca é uma cobra, uma espécie de réptil com veneno.
Na letra B), pode-se compreender que a tal vizinha seria uma pessoa de má conduta,
justamente por ser associada a uma cobra.

Veja outros exemplos:

• A) O avião decolou esta manhã.

• B) Sua amiga é um avião.

Na letra A) temos o sentido literal da palavra avião.


Na letra B), vemos a mesma palavra em seu sentido figurado, simbolizando uma beleza
extrema vinda da amiga presente na frase.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


72 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Ortografia e Pontuação

Ortografia

A ortografia se caracteriza por estabelecer padrões para a forma escrita das palavras. Essa escrita está
relacionada tanto a critérios etimológicos (ligados à origem das palavras) quanto fonológicos (ligados aos
fonemas representados). É importante compreender que a ortografia é fruto de uma convenção. A forma
de grafar as palavras é produto de acordos ortográficos que envolvem os diversos países em que a língua
portuguesa é oficial. A melhor maneira de treinar a ortografia é ler, escrever e consultar o dicionário
sempre que houver dúvida.

O Alfabeto

O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras. Cada letra apresenta uma forma minúscula e
outra maiúscula. Veja:

a A (á) j J (jota)
s S (esse)
b B (bê) k K (cá)
t T (tê)
c C (cê) l L (ele)
u U (u)
d D (dê) m M (eme)
v V (vê)
e E (é) n N (ene)
w W (dáblio)
f F (efe) o O (ó)
x X (xis)
g G (gê ou guê) p P (pê)
y Y (ípsilon)
h H (agá) q Q (quê)
z Z (zê)
i I (i) r R (erre)

Observação: emprega-se também o ç, que representa o fonema /s/ diante das letras: a, o, e u em
determinadas palavras.

Emprego das letras K, W e Y

Utilizam-se nos seguintes casos:

a) Em antropônimos originários de outras línguas e seus derivados.

Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo; Taylor, taylorista.

b) Em topônimos originários de outras línguas e seus derivados.

Exemplos: Kuwait, kuwaitiano.

c) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como unidades de medida de curso internacional.

Exemplos: K (Potássio), W (West), kg (quilograma), km (quilômetro), Watt.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


73 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Emprego de X e Ch

Emprega-se o X:

1) Após um ditongo.

Exemplos: caixa, frouxo, peixe

Exceção: recauchutar e seus derivados

2) Após a sílaba inicial "en".

Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca

Exceção: palavras iniciadas por "ch" que recebem o prefixo "en-"

Exemplos: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro), encher e seus


derivados (enchente, enchimento, preencher...)

3) Após a sílaba inicial "me-".

Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão

Exceção: mecha

4) Em vocábulos de origem indígena ou africana e nas palavras inglesas aportuguesadas.

Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu

5) Nas seguintes palavras:

bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar, rixa, oxalá, praxe, roxo,
vexame, xadrez, xarope, xaxim, xícara, xale, xingar, etc.

Emprega-se o dígrafo Ch:

1) Nos seguintes vocábulos:

bochecha, bucha, cachimbo, chalé, charque, chimarrão, chuchu, chute, cochilo, debochar,
fachada, fantoche, ficha, flecha, mochila, pechincha, salsicha, tchau, etc.

Para representar o fonema /j/ na forma escrita, a grafia considerada correta é aquela que ocorre de
acordo com a origem da palavra. Veja os exemplos:

gesso: Origina-se do grego gypsos


jipe: Origina-se do inglês jeep.

Emprega-se o G:

1) Nos substantivos terminados em -agem, -igem, -ugem

Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, ferrugem

Exceção: pajem

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


74 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

2) Nas palavras terminadas em -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio

Exemplos: estágio, privilégio, prestígio, relógio, refúgio

3) Nas palavras derivadas de outras que se grafam com g

Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de massagem), vertiginoso (de vertigem)

4) Nos seguintes vocábulos:

algema, auge, bege, estrangeiro, geada, gengiva, gibi, gilete, hegemonia, herege,
megera, monge, rabugento, vagem.

Emprega-se o J:

1) Nas formas dos verbos terminados em -jar ou -jear

Exemplos:

arranjar: arranjo, arranje, arranjem


despejar:despejo, despeje, despejem
gorjear: gorjeie, gorjeiam, gorjeando
enferrujar: enferruje, enferrujem
viajar: viajo, viaje, viajem (3ª pessoa do plural do presente do subjuntivo)

2) Nas palavras de origem tupi, africana, árabe ou exótica

Exemplos: biju, jiboia, canjica, pajé, jerico, manjericão, Moji

3) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam j

Exemplos:

laranja- laranjeira loja- lojista lisonja - lisonjeador nojo- nojeira


cereja- cerejeira varejo- varejista rijo- enrijecer jeito- ajeitar

4) Nos seguintes vocábulos:

berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, jeito, jejum, laje, traje, pegajento

Emprego das Letras S e Z

Emprega-se o S:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


75 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam s no radical

Exemplos:

análise- analisar catálise- catalisador


casa- casinha, casebre liso- alisar

2) Nos sufixos -ês e -esa, ao indicarem nacionalidade, título ou origem

Exemplos:

burguês- burguesa inglês- inglesa


chinês- chinesa milanês- milanesa

3) Nos sufixos formadores de adjetivos -ense, -oso e -osa

Exemplos:

catarinense gostoso- gostosa amoroso- amorosa


palmeirense gasoso- gasosa teimoso- teimosa

4) Nos sufixos gregos -ese, -isa, -ose

Exemplos:

catequese, diocese, poetisa, profetisa, sacerdotisa, glicose, metamorfose, virose

5) Após ditongos

Exemplos:

coisa, pouso, lousa, náusea

6) Nas formas dos verbos pôr e querer, bem como em seus derivados

Exemplos:

pus, pôs, pusemos, puseram, pusera, pusesse, puséssemos

quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera, quiséssemos

repus, repusera, repusesse, repuséssemos

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


76 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

7) Nos seguintes nomes próprios personativos:

Baltasar, Heloísa, Inês, Isabel, Luís, Luísa, Resende, Sousa, Teresa, Teresinha,
Tomás

8) Nos seguintes vocábulos:

abuso, asilo, através, aviso, besouro, brasa, cortesia, decisão,despesa, empresa,


freguesia, fusível, maisena, mesada, paisagem, paraíso, pêsames, presépio, presídio,
querosene, raposa, surpresa, tesoura, usura, vaso, vigésimo, visita, etc.

Emprega-se o Z:

1) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam z no radical

Exemplos:

deslize- deslizar razão- razoável vazio- esvaziar


raiz- enraizar cruz-cruzeiro

2) Nos sufixos -ez, -eza, ao formarem substantivos abstratos a partir de adjetivos

Exemplos:

inválido- rígido-
limpo-limpeza macio- maciez
invalidez rigidez
frio- frieza nobre- nobreza pobre-pobreza surdo- surdez

3) Nos sufixos -izar, ao formar verbos e -ização, ao formar substantivos

Exemplos:

civilizar- civilização hospitalizar- hospitalização


colonizar- colonização realizar- realização

4) Nos derivados em -zal, -zeiro, -zinho, -zinha, -zito, -zita

Exemplos:

cafezal, cafezeiro, cafezinho, arvorezinha, cãozito, avezita

5) Nos seguintes vocábulos:

azar, azeite, azedo, amizade, buzina, bazar, catequizar, chafariz, cicatriz, coalizão,
cuscuz, proeza, vizinho, xadrez, verniz, etc.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


77 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

6) Nos vocábulos homófonos, estabelecendo distinção no contraste entre o S e o Z

Exemplos:

cozer (cozinhar) e coser (costurar)


prezar( ter em consideração) e presar (prender)
traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior)

Observação: em muitas palavras, a letra X soa como Z. Veja os exemplos:

exame exato exausto exemplo existir exótico inexorável

Emprego de S, Ç, X e dos Dígrafos Sc, Sç, Ss, Xc, Xs

Existem diversas formas para a representação do fonema /S/. Observe:

Emprega-se o S:

Nos substantivos derivados de verbos terminados em "andir","ender", "verter" e "pelir"

Exemplos:

expandir-
pretender- pretensão verter- versão expelir- expulsão
expansão
converter -
estender- extensão suspender- suspensão repelir- repulsão
conversão

Emprega-se Ç:

Nos substantivos derivados dos verbos "ter" e "torcer"

Exemplos:

ater- atenção torcer- torção


deter- detenção distorcer-distorção
manter- manutenção contorcer- contorção

Emprega-se o X:

Em alguns casos, a letra X soa como Ss

Exemplos:

auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, sintaxe, texto, trouxe

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


78 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Emprega-se Sc:

Nos termos eruditos

Exemplos:

acréscimo, ascensorista, consciência, descender, discente, fascículo, fascínio,


imprescindível, miscigenação, miscível, plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender,
etc.

Emprega-se Sç:

Na conjugação de alguns verbos

Exemplos:

nascer- nasço, nasça


crescer- cresço, cresça
descer- desço, desça

Emprega-se Ss:

Nos substantivos derivados de verbos terminados em "gredir", "mitir", "ceder" e "cutir"

Exemplos:

agredir- agressão demitir- demissão ceder- cessão discutir- discussão


progredir- transmitir- repercutir-
exceder- excesso
progressão transmissão repercussão

Emprega-se o Xc e o Xs:

Em dígrafos que soam como Ss

Exemplos:

exceção, excêntrico, excedente, excepcional, exsudar

Observações sobre o uso da letra X

1) O X pode representar os seguintes fonemas:

/ch/ - xarope, vexame

/cs/ - axila, nexo

/z/ - exame, exílio

/ss/ - máximo, próximo

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


79 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

/s/ - texto, extenso

2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci-

Exemplos: excelente, excitar

Emprego das letras E e I

Na língua falada, a distinção entre as vogais átonas /e/ e /i / pode não ser nítida. Observe:

Emprega-se o E:

1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar

Exemplos:

magoar - magoe, magoes

continuar- continue, continues

2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior)

Exemplos: antebraço, antecipar

3) Nos seguintes vocábulos:

cadeado, confete, disenteria, empecilho, irrequieto, mexerico, orquídea, etc.

Emprega-se o I :

1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir

Exemplos:

cair- cai

doer- dói

influir- influi

2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra)

Exemplos:

Anticristo, antitetânico

3) Nos seguintes vocábulos:

aborígine, artimanha, chefiar, digladiar, penicilina, privilégio, etc.

Emprego das letras O e U

Emprega-se o O/U:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


80 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

A oposição o/u é responsável pela diferença de significado de algumas palavras. Veja os


exemplos:

comprimento (extensão) e cumprimento (saudação, realização)

soar (emitir som) e suar (transpirar)

Grafam-se com a letra O: bolacha, bússola, costume, moleque.

Grafam-se com a letra U: camundongo, jabuti, Manuel, tábua

Emprego da letra H

Esta letra, em início ou fim de palavras, não tem valor fonético. Conservou-se apenas como símbolo, por
força da etimologia e da tradição escrita. A palavra hoje, por exemplo, grafa-se desta forma devido a sua
origem na forma latina hodie.

Emprega-se o H:

1) Inicial, quando etimológico

Exemplos: hábito, hesitar, homologar, Horácio

2) Medial, como integrante dos dígrafos ch, lh, nh

Exemplos: flecha, telha, companhia

3) Final e inicial, em certas interjeições

Exemplos: ah!, ih!, eh!, oh!, hem?, hum!, etc.

4) Em compostos unidos por hífen, no início do segundo elemento, se etimológico

Exemplos: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem, etc.

Observações:

1) No substantivo Bahia, o "h" sobrevive por tradição. Note que nos substantivos
derivados como baiano, baianada ou baianinha ele não é utilizado.

2) Os vocábulos erva, Espanha e inverno não possuem a letra "h" na sua composição. No
entanto, seus derivados eruditos sempre são grafados com h. Veja:

herbívoro, hispânico, hibernal.

Emprego das Iniciais Maiúsculas e Minúsculas

1) Utiliza-se inicial maiúscula:

a) No começo de um período, verso ou citação direta.

Exemplos:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


81 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Disse o Padre Antonio Vieira: "Estar com Cristo em qualquer lugar, ainda que seja no
inferno, é estar no Paraíso."

"Auriverde pendão de minha terra,


Que a brisa do Brasil beija e balança,
Estandarte que à luz do sol encerra
As promessas divinas da Esperança…"
(Castro Alves)

Observações:

- No início dos versos que não abrem período, é facultativo o uso da letra maiúscula.

Por Exemplo:

"Aqui, sim, no meu cantinho,


vendo rir-me o candeeiro,
gozo o bem de estar sozinho
e esquecer o mundo inteiro."

- Depois de dois pontos, não se tratando de citação direta, usa-se letra minúscula.

Por Exemplo:

"Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: ouro, incenso, mirra." (Manuel
Bandeira)

b) Nos antropônimos, reais ou fictícios.

Exemplos:
Pedro Silva, Cinderela, D. Quixote.

c) Nos topônimos, reais ou fictícios.

Exemplos:
Rio de Janeiro, Rússia, Macondo.

d) Nos nomes mitológicos.

Exemplos:
Dionísio, Netuno.

e) Nos nomes de festas e festividades.

Exemplos:
Natal, Páscoa, Ramadã.

f) Em siglas, símbolos ou abreviaturas internacionais.

Exemplos:
ONU, Sr., V. Ex.ª.

g) Nos nomes que designam altos conceitos religiosos, políticos ou nacionalistas.

Exemplos:
Igreja (Católica, Apostólica, Romana), Estado, Nação, Pátria, União, etc.

Observação: esses nomes escrevem-se com inicial minúscula quando são empregados em
sentido geral ou indeterminado.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


82 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Exemplo:
Todos amam sua pátria.

Emprego FACULTATIVO de letra maiúscula:

a) Nos nomes de logradouros públicos, templos e edifícios.

Exemplos:

Rua da Liberdade ou rua da Liberdade


Igreja do Rosário ou igreja do Rosário
Edifício Azevedo ou edifício Azevedo

2) Utiliza-se inicial minúscula:

a) Em todos os vocábulos da língua, nos usos correntes.

Exemplos:
carro, flor, boneca, menino, porta, etc.

b) Nos nomes de meses, estações do ano e dias da semana.

Exemplos:
janeiro, julho, dezembro, etc.
segunda, sexta, domingo, etc.
primavera, verão, outono, inverno

c) Nos pontos cardeais.

Exemplos:
Percorri o país de norte a sul e de leste a oeste.
Estes são os pontos colaterais: nordeste, noroeste, sudeste, sudoeste.

Observação: quando empregados em sua forma absoluta, os pontos cardeais são


grafados com letra maiúscula.

Exemplos:
Nordeste (região do Brasil)
Ocidente (europeu)
Oriente (asiático)

Lembre-se:

Depois de dois-pontos, não se tratando de citação direta,


usa-se letra minúscula.

Exemplo:

"Chegam os magos do Oriente, com suas


dádivas: ouro, incenso, mirra." (Manuel Bandeira)

Emprego FACULTATIVO de letra minúscula:

a) Nos vocábulos que compõem uma citação bibliográfica.

Exemplos:
Crime e Castigo ou Crime e castigo
Grande Sertão: Veredas ou Grande sertão: veredas
Em Busca do Tempo Perdido ou Em busca do tempo perdido

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


83 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

b) Nas formas de tratamento e reverência, bem como em nomes sagrados e que designam
crenças religiosas.

Exemplos:
Governador Mário Covas ou governador Mário Covas
Papa João Paulo II ou papa João Paulo II
Excelentíssimo Senhor Reitor ou excelentíssimo senhor reitor
Santa Maria ou santa Maria.

c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e disciplinas.

Exemplos:
Português ou português
Línguas e Literaturas Modernas ou línguas e literaturas modernas
História do Brasil ou história do Brasil
Arquitetura ou arquitetura

Notações Léxicas

Para representar os fonemas, muitas vezes há necessidade de recorrer a sinais gráficos denominados
notações léxicas.

Emprego do Til

Til ( ~ )

O til sobrepõe-se sobre as letras a e o para indicar vogal nasal.

Pode aparecer em sílaba:

Tônica: balão, corações, maçã

Pretônica: balõezinhos, grã-fino

Átona: órgão, bênçãos

Outros Exemplos:

Capitães, limão, mamão, bobão, chorão, devoções, põem, etc.

Observação:

Se a sílaba onde figura o til for átona, acentua-se graficamente a sílaba predominante.

Por Exemplo: Órfãos, acórdão

Emprego do Apóstrofo

Apóstrofo ( ´ )

O uso deste sinal gráfico pode:

a) Indicar a supressão de uma vogal nos versos, por exigências métricas. Ocorre principalmente
entre poetas portugueses

Exemplos:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


84 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

esp´rança (esperança)
minh'alma (minha alma)
'stamos (estamos)

b) Reproduzir certas pronúncias populares

Exemplos:

Olh'ele aí...(Guimarães Rosa)


Não s'enxerga, enxerido! (Peregrino Jr.)

c) Indicar a supressão da vogal da preposição de em certas palavras compostas

Exemplos:

copo d´água, estrela d'alva, caixa d'água

Emprego dos Porquês

POR QUE

A forma por que é a sequência de uma preposição (por) e um pronome interrogativo (que).
Equivale a "por qual razão", "por qual motivo":

Exemplos:

Desejo saber por que você voltou tão tarde para casa.
Por que você comprou este casaco?

Há casos em que por que representa a sequência preposição + pronome relativo,


equivalendo a "pelo qual" (ou alguma de suas flexões (pela qual, pelos quais, pelas quais).

Exemplos:

Estes são os direitos por que estamos lutando.


O túnel por que passamos existe há muitos anos.

POR QUÊ

Caso surja no final de uma frase, imediatamente antes de um ponto (final, de interrogação, de
exclamação) ou de reticências, a sequência deve ser grafada por quê, pois, devido à posição na
frase, o monossílabo "que" passa a ser tônico.

Exemplos:

Estudei bastante ontem à noite. Sabe por quê?


Será deselegante se você perguntar novamente por quê!

PORQUE

A forma porque é uma conjunção, equivalendo a pois, já que, uma vez que, como. Costuma ser
utilizado em respostas, para explicação ou causa.

Exemplos:

Vou ao supermercado porque não temos mais frutas.


Você veio até aqui porque não conseguiu telefonar?

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


85 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

PORQUÊ

A forma porquê representa um substantivo. Significa "causa", "razão", "motivo" e normalmente


surge acompanhada de palavra determinante (artigo, por exemplo).

Exemplos:

Não consigo entender o porquê de sua ausência.


Existem muitos porquês para justificar esta atitude.
Você não vai à festa? Diga-me ao menos um porquê.

Veja abaixo o quadro-resumo:

Forma Emprego Exemplos


Por que ele chorou? (interrogativa direta)
Em frases interrogativas (diretas e
Digam-me por que ele chorou. (interrogativa
indiretas)
indireta)
Por que
Em substituição à expressão "pelo
Os bairros por que passamos eram sujos.(por
qual" (e suas variações)
que = pelos quais)
Eles estão revoltados por quê?
Por quê No final de frases Ele não veio não sei por quê.
Porque Em frases afirmativas e em respostas Não fui à festa porque choveu.
Porquê Como substantivo Todos sabem o porquê de seu medo.

Emprego do Hífen

O hífen é usado com vários fins em nossa ortografia, geralmente, sugerindo a ideia de união semântica.
As regras de emprego do hífen são muitas, o que faz com que algumas dúvidas só possam ser
solucionadas com o auxílio de um bom dicionário. Entretanto, é possível reduzir a quantidade de dúvidas
sobre o seu uso, ao observarmos algumas orientações básicas.

Conheça os casos de emprego do hífen (-):

1) Na separação de sílabas.

Exemplos:

vo-vó;
pás-sa-ro;
U-ru-guai.

2) Para ligar pronomes oblíquos átonos a verbos e à palavra "eis".

Exemplos:

deixa-o;
obedecer-lhe;
chamar-se-á (mesóclise);
mostre-se-lhe (dois pronomes relacionados ao mesmo verbo);
ei-lo.

3) Em substantivos compostos, cujos elementos conservam sua autonomia fonética e


acentuação própria, mas perdem sua significação individual para construir uma unidade
semântica, um conceito único.

Exemplos:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


86 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Amor-perfeito, arco-íris, conta-gotas, decreto-lei, guarda-chuva,


médico-cirurgião, norte-americano, etc.

Obs.: certos compostos, em relação aos quais se perdeu, em certa medida, a


noção de composição, grafam-se sem hífen: girassol, madressilva, mandachuva,
pontapé, paraquedas, paraquedista, etc.

4) Em compostos nos quais o primeiro elemento é numeral.

Exemplos:

primeira-dama, primeiro-ministro, segundo-tenente, segunda-feira,


quinta-feira, etc.

5) Em compostos homogêneos (contendo dois adjetivos, dois verbos ou elementos repetidos).

Exemplos:

técnico-científico, luso-brasileiro; quebra-quebra, corre-corre, reco-reco, blá-blá-blá, etc.

6) Nos topônimos compostos iniciados pelos adjetivos grã, grão, ou por forma verbal ou
cujos elementos estejam ligados por artigos.

Exemplos:

Grã- Bretanha, Grão -Pará;


Passa-Quatro, Quebra-Costas, Traga-Mouros, Trinca-Fortes;
Albergaria-a-Velha, Baía de Todos-os-Santos, Entre-os-Rios,
Montemor-o-Novo, Trás-os-Montes.

Obs.: os outros topônimos compostos escrevem-se com os elementos separados, sem


hífen: América do Sul, Belo Horizonte, Cabo Verde, etc. O topônimo Guiné-Bissau é,
contudo, uma exceção consagrada pelo uso.

7) Emprega-se o hífen nas palavras compostas que designam espécies botânicas e


zoológicas, estejam ou não ligadas por preposição ou qualquer outro elemento.

Exemplos:

couve-flor, erva-doce, feijão-verde, erva-do-chá,


ervilha-de-cheiro, bem-me-quer (planta),
andorinha-grande, formiga-branca, cobra-d'água,
lesma-de-conchinha, bem-te-vi, etc.

Obs.: não se usa o hífen quando os compostos que designam espécies botânicas e
zoológicas são empregados fora de seu sentido original. Observe a diferença de sentido:
bico-de-papagaio (espécie de planta ornamental, com hífen) e bico de papagaio
(deformação nas vértebras, sem hífen).

8) Emprega-se o hífen nos compostos com os elementos além, aquém, recém e sem.

Exemplos:

além-mar, aquém-fontreiras, recém-nascido, sem-vergonha.

9) Usa-se o hífen sempre que o prefixo terminar com a mesma letra com que se inicia a outra
palavra.

Exemplos:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


87 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

anti-inflacionário, inter-regional, sub-bibliotecário, tele-entrega, etc.

10) Emprega-se hífen (e não travessão) entre elementos que formam não uma palavra, mas
um encadeamento vocabular:

Exemplos:

A divisa Liberdade-Igualdade-Fraternidade;
A ponte Rio-Niterói;
A ligação Angola-Moçambique;
A relação professor-aluno.

11) Nas formações por sufixação será empregado o hífen nos vocábulos terminados por sufixos
de origem tupi-guarani que representam formas adjetivas, tais como -açu, -guaçu e -mirim, se
o primeiro elemento acabar em vogal acentuada graficamente, ou por tônica nasal.

Exemplos:

Andá-açu, capim-açu, sabiá-guaçu, arumã-mirim, cajá-mirim, etc.

12) Usa-se hífen com o elemento mal antes de vogal, h ou l.

Exemplos:

mal-acabado, mal-estar, mal-humorado, mal-limpo.

13) Nas locuções não se costuma empregar o hífen, salvo naquelas já consagradas pelo uso.

Exemplos:

café com leite, cão de guarda, dia a dia, fim de semana, ponto e vírgula, tomara que caia.

Locuções consagradas:

água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito,


pé-de-meia, ao deus-dará, à queima-roupa.

Prefixos e Elementos de Composição

Usa-se o hífen com diversos prefixos e elementos de composição. Veja o quadro a seguir:

Usa-se hífen com os prefixos: Quando a palavra seguinte começa por:


H / VOGAL IDÊNTICA À QUE TERMINA O PREFIXO

Exemplos com H: ante-hipófise,


anti-higiênico, anti-herói,
contra-hospitalar, entre-hostil,
extra-humano, infra-hepático,
Ante-, Anti-, Contra-, Entre-, Extra-, Infra-,
sobre-humano, supra-hepático,
Intra-, Sobre-, Supra-, Ultra-
ultra-hiperbólico.

Exemplos com vogal idêntica:


anti-inflamatório, contra-ataque,
infra-axilar, sobre-estimar,
supra-auricular, ultra-aquecido.
Hiper-, Inter-, Super- H/R

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


88 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Exemplos: hiper-hidrose, hiper-raivoso, inter-


humano, inter-racial,
super-homem, super-resistente.
B-H-R

Sub- Exemplos: sub-bloco, sub-hepático,


sub-humano, sub-região.

Obs.: as formas escritas sem hífen e sem "h",


como por exemplo "subumano" e "subepático"
também são aceitas.
B - R - D (Apenas com o prefixo "Ad")

Ab-, Ad-, Ob-, Sob- Exemplos: ab-rogar (pôr em desuso),


ad-rogar (adotar)
ob-reptício (astucioso), sob-roda
ad-digital
DIANTE DE QUALQUER PALAVRA
Ex- (no sentido de estado anterior), Sota-,
Soto-, Vice-, Vizo- Exemplos: ex-namorada, sota-soberania (não total),
soto-mestre (substituto), vice-reitor, vizo-rei.
DIANTE DE QUALQUER PALAVRA

Exemplos: pós-graduação, pré-escolar,


Pós-, Pré-, Pró- (tônicos e com significados pró-democracia.
próprios)
Obs.: se os prefixos não forem autônomos, não
haverá hífen. Exemplos: predeterminado,
pressupor, pospor, propor.
H / M / N / VOGAL

Circum-, Pan- Exemplos: circum-meridiano,


circum-navegação, circum-oral,
pan-americano, pan-mágico,
pan-negritude.
H / VOGAL IDÊNTICA À QUE TERMINA O PREFIXO
Pseudoprefixos (diferem-se dos prefixos
por apresentarem elevado grau de
independência e possuírem uma Exemplos com H: geo-histórico,
significação mais ou menos delimitada, mini-hospital, neo-helênico,
presente à consciência dos falantes.) proto-história, semi-hospitalar.

Aero-, Agro-, Arqui-, Auto-, Bio-, Eletro-, Exemplos com vogal idêntica:
Geo-, Hidro-, Macro-, Maxi-, Mega, Micro-, arqui-inimigo, auto-observação,
Mini-, Multi-, Neo-, Pluri-, Proto-, Pseudo-, eletro-ótica, micro-ondas,
Retro-, Semi-, Tele- micro-ônibus, neo-ortodoxia,
semi-interno, tele-educação.

Importante

1) Não se utilizará o hífen em palavras iniciadas pelo prefixo ‘co-’. Ele irá se juntar ao segundo elemento,
mesmo que este se inicie por 'o' ou 'h'. Neste último caso, corta-se o 'h'. Se a palavra seguinte começar
com 'r' ou 's', dobram-se essas letras.

Exemplos:

coadministrar, coautor, coexistência, cooptar, coerdeiro corresponsável, cosseno.

2) Com os prefixos pre- e re- não se utilizará o hífen, mesmo diante de palavras começadas por 'e'.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


89 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Exemplos:

preeleger, preexistência, reescrever, reedição.

3) Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo terminar em vogal e o segundo elemento começar
por r ous, estas consoantes serão duplicadas e não se utilizará o hífen.

Exemplos:

antirreligioso, antissemita, arquirrivalidade, autorretrato, contrarregra, contrassenso, extrasseco,


infrassom, eletrossiderurgia, neorrealismo, etc.

Atenção:

Não confunda as grafias das palavras autorretrato e porta-retrato. A primeira é composta pelo
prefixo auto-, o que justifica a ausência do hífen e a duplicação da consoante 'r'. 'Porta-retrato', por outro
lado, não possui prefixo: o elemento 'porta' trata-se de uma forma do verbo "portar". Assim, esse
substantivo composto deve ser sempre grafado com hífen.

4) Nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo terminar em vogal e o segundo elemento começar
por vogal diferente, não se utilizará o hífen.

Exemplos:

antiaéreo, autoajuda, autoestrada, agroindustrial, contraindicação, infraestrutura, intraocular, plurianual,


pseudoartista, semiembriagado, ultraelevado, etc.

5) Não se utilizará o hífen nas formações com os prefixos des- e in-, nas quais o segundo elemento tiver
perdido o "h" inicial.

Exemplos:

desarmonia, desumano, desumidificar, inábil, inumano, etc.

6) Não se utilizará o hífen com a palavra não, ao possuir função prefixal.

Exemplos: não violência, não agressão, não comparecimento.

Lembre-se:

Não se utiliza o hífen em palavras que possuem os elementos "bi", "tri", "tetra", "penta", "hexa", etc.

Exemplos:

bicampeão, bimensal, bimestral, bienal, tridimensional, trimestral, triênio, tetracampeão,


tetraplégico, pentacampeão, pentágono, etc.

Observações:

- Em relação ao prefixo "hidro", em alguns casos pode haver duas formas de grafia.

Exemplos:

"Hidroavião" e "hidravião";
"hidroenergia" e "hidrenergia"

- No caso do elemento "socio", o hífen será utilizado apenas quando houver função de substantivo
(= de associado).

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


90 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Exemplos:

sócio-gerente / socioeconômico

Saiba Mais sobre o Uso do Hífen

- Travessão e Hífen

Não confunda o travessão com o hífen: o travessão é um sinal de pontuação mais longo do que
o hífen.

- Hífen e translineação

Havendo coincidência de fim de linha com o hífen, deve-se, por clareza gráfica, repeti-lo no
início da linha seguinte.

Exemplos:

ex-
- alferes

guarda-
-chuva

Por favor, diga-


-nos logo o que aconteceu.

Conheça algumas diferenças de significação que o uso (ou ausência) do hífen pode provocar:

Significado sem uso do hífen Significado com uso do hífen


Ao meio-dia = às 12h

Meio dia = metade do dia

Pão duro = pão envelhecido

Pão-duro = sovina

Cara-suja = espécie de periquito


Cara suja = rosto sujo

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


91 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Copo de leite = copo com leite Copo-de-leite = flor

Sinais de Pontuação

Os sinais de pontuação são recursos gráficos próprios da linguagem escrita. Embora não consigam
reproduzir toda a riqueza melódica da linguagem oral, eles estruturam os textos e procuram estabelecer
as pausas e as entonações da fala. Basicamente, têm como finalidade:

1) Assinalar as pausas e as inflexões de voz (entoação) na leitura;

2) Separar palavras, expressões e orações que devem ser destacadas;

3) Esclarecer o sentido da frase, afastando qualquer ambiguidade.

Veja a seguir os sinais de pontuação mais comuns, responsáveis por dar à escrita maior clareza e
simplicidade.

Vírgula ( , )

A vírgula indica uma pausa pequena, deixando a voz em suspenso à espera da continuação do período.
Geralmente é usada:

- Nas datas, para separar o nome da localidade.

Por Exemplo:

São Paulo, 25 de agosto de 2005.

- Após os advérbios "sim" ou "não", usados como resposta, no início da frase.

Por Exemplo:

– Você gostou do vestido?


– Sim, eu adorei!

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


92 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

– Pretende usá-lo hoje?


– Não, no final de semana.

- Após a saudação em correspondência (social e comercial).

Exemplos:

Com muito amor,


Respeitosamente,

- Para separar termos de uma mesma função sintática.

Por Exemplo:

A casa tem três quartos, dois banheiros, três salas e um quintal.

Obs.: a conjunção "e" substitui a vírgula entre o último e o penúltimo termo.

- Para destacar elementos intercalados, como:

a) uma conjunção

Por Exemplo:

Estudamos bastante, logo, merecemos férias!

b) um adjunto adverbial

Por Exemplo:

Estas crianças, com certeza, serão aprovadas.

Obs.: a rigor, não é necessário separar por vírgula o advérbio e a locução


adverbial, principalmente quando de pequeno corpo, a não ser que a ênfase o
exija.

c) um vocativo

Por Exemplo:

Apressemo-nos, Lucas, pois não quero chegar atrasado.

d) um aposto

Por Exemplo:

Juliana, a aluna destaque, passou no vestibular.

e) Uma expressão explicativa (isto é, a saber, por exemplo, ou melhor, ou antes, etc.)

Por Exemplo:

O amor, isto é, o mais forte e sublime dos sentimentos humanos, tem seu
princípio em Deus.

- Para separar termos deslocados de sua posição normal na frase.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


93 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Por Exemplo:

O documento de identidade, você trouxe?

- Para separar elementos paralelos de um provérbio.

Por Exemplo:

Tal pai, tal filho.

- Para destacar os pleonasmos antecipados ao verbo.

Por Exemplo:

As flores, eu as recebi hoje.

- Para indicar a elipse de um termo.

Por Exemplo:

Daniel ficou alegre; eu, triste.

- Para isolar elementos repetidos.

Exemplos:

A casa, a casa está destruída.


Estão todos cansados, cansados de dar dó!

- Para separar orações intercaladas.

Por Exemplo:

O importante, insistiam os pais, era a segurança da escola.

- Para separar orações coordenadas assindéticas.

Por Exemplo:

O tempo não para no porto, não apita na curva, não espera ninguém.

- Para separar orações coordenadas adversativas, conclusivas, explicativas e algumas orações


alternativas.

Exemplos:

Esforçou-se muito, porém não conseguiu o prêmio.


Vá devagar, que o caminho é perigoso.
Estuda muito, pois será recompensado.
As pessoas ora dançavam, ora ouviam música.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


94 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

ATENÇÃO

Embora a conjunção "e" seja aditiva, há três casos em que se usa a


vírgula antes de sua ocorrência:

1) Quando as orações coordenadas tiverem sujeitos diferentes.

Por Exemplo:

O homem vendeu o carro, e a mulher protestou.

Neste caso, "O homem" é sujeito de "vendeu", e "A mulher" é sujeito


de "protestou".

2) Quando a conjunção "e" vier repetida com a finalidade de dar ênfase


(polissíndeto).

Por Exemplo:

E chora, e ri, e grita, e pula de alegria.

3) Quando a conjunção "e" assumir valores distintos que não seja da


adição (adversidade, consequência, por exemplo)

Por Exemplo:

Coitada! Estudou muito, e ainda assim não foi aprovada.

- Para separar orações subordinadas substantivas e adverbiais (quando estiverem antes da oração
principal).

Por Exemplo:

Quem inventou a fofoca, todos queriam descobrir.


Quando voltei, lembrei que precisava estudar para a prova.

- Para isolar as orações subordinadas adjetivas explicativas.

Por Exemplo:

A incrível professora, que ainda estava na faculdade, dominava todo o conteúdo.

Ponto e vírgula ( ; )

O ponto e vírgula indica uma pausa maior que a vírgula e menor que o ponto. Quanto à melodia da frase,
indica um tom ligeiramente descendente, mas capaz de assinalar que o período não terminou. Emprega-
se nos seguintes casos:

- Para separar orações coordenadas não unidas por conjunção, que guardem relação entre si.

Por Exemplo:

O rio está poluído; os peixes estão mortos.

- Para separar orações coordenadas, quando pelo menos uma delas já possui elementos
separados por vírgula.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


95 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Por Exemplo:

O resultado final foi o seguinte: dez professores votaram a favor do acordo; nove,
contra.

- Para separar itens de uma enumeração.

Por Exemplo:

No parque de diversões, as crianças encontram:


brinquedos;
balões;
pipoca.

- Para alongar a pausa de conjunções adversativas (mas, porém, contudo, todavia, entretanto, etc.)
, substituindo, assim, a vírgula.

Por Exemplo:

Gostaria de vê-lo hoje; todavia, só o verei amanhã.

- Para separar orações coordenadas adversativas quando a conjunção aparecer no meio da


oração.

Por Exemplo:

Esperava encontrar todos os produtos no supermercado; obtive, porém, apenas alguns.

Dois-pontos ( : )

O uso de dois-pontos marca uma sensível suspensão da voz numa frase não concluída. Emprega-se,
geralmente:

- Para anunciar a fala de personagens nas histórias de ficção.

Por Exemplo:

"Ouvindo passos no corredor, abaixei a voz :


– Podemos avisar sua tia, não?" (Graciliano Ramos)

- Para anunciar uma citação.

Por Exemplo:

Bem diz o ditado: Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.
Lembrando um poema de Vinícius de Moraes: "Tristeza não tem fim, Felicidade sim."

- Para anunciar uma enumeração.

Por Exemplo:

Os convidados da festa que já chegaram são: Júlia, Renata, Paulo e Marcos.

- Antes de orações apositivas.

Por Exemplo:

Só aceito com uma condição: irás ao cinema comigo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


96 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

- Para indicar um esclarecimento, resultado ou resumo do que se disse.

Exemplos:

Marcelo era assim mesmo: não tolerava ofensas.


Resultado: corri muito, mas não alcancei o ladrão.
Em resumo: montei um negócio e hoje estou rico.

Obs.: os dois-pontos costumam ser usados na introdução de exemplos, notas ou


observações. Veja:

Parônimos são vocábulos diferentes na significação e parecidos na forma.


Exemplos:

ratificar/retificar, censo/senso, etc.

Nota: a preposição "per", considerada arcaica, somente é usada na frase "de per si " (=
cada um por sua vez, isoladamente).

Observação: na linguagem coloquial pode-se aplicar o grau diminutivo a alguns


advérbios: cedinho, melhorzinho, etc.

- Na invocação das correspondências.

Por Exemplo:

Prezados Senhores:
Convidamos todos para a reunião deste mês, que será realizada dia 30 de julho, no
auditório da empresa.
Atenciosamente,
A Direção

Ponto Final ( . )

O ponto final representa a pausa máxima da voz. A melodia da frase indica que o tom é descendente.
Emprega-se, principalmente:

- Para fechar o período de frases declarativas e imperativas.

Exemplos:

Contei ao meu namorado o que eu estava sentindo.


Façam o favor de prestar atenção naquilo que irei falar.

- Nas abreviaturas.

Exemplos:

Sr. (Senhor)
Cia. (Companhia)

Ponto de Interrogação ( ? )

O ponto de interrogação é usado ao final de qualquer interrogação direta, ainda que a pergunta não exija
resposta. A entoação ocorre de forma ascendente.

Exemplos:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


97 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Onde você comprou este computador?


Quais seriam as causas de tantas discussões?
Por que não me avisaram?

Obs.: não se usa ponto interrogativo nas perguntas indiretas.

Por Exemplo:

Perguntei quem era aquela criança.


Note que:

1) O ponto de interrogação pode aparecer ao final de uma pergunta intercalada,


entre parênteses.

Por Exemplo:

Trabalhar em equipe (quem o contesta?) é a melhor forma para


atingir os resultados esperados.

2) O ponto de interrogação pode realizar combinação com o ponto admirativo.

Por Exemplo:

Eu?! Que ideia!

Ponto de Exclamação ( ! )

O ponto de exclamação é utilizado após as interjeições, frases exclamativas e imperativas. Pode exprimir
surpresa, espanto, susto, indignação, piedade, ordem, súplica, etc. Possui entoação descendente.

Exemplos:

Como as mulheres são lindas!


Pare, por favor!
Ah! Que pena que ele não veio...

Obs.: o ponto de exclamação substitui o uso da vírgula de um vocativo enfático.

Por Exemplo:

Ana! venha até aqui!

Reticências ( ... )

As reticências marcam uma suspensão da frase, devido, muitas vezes a elementos de natureza
emocional. Empregam-se:

- Para indicar continuidade de uma ação ou fato.

Por Exemplo:

O tempo passa...

- Para indicar suspensão ou interrupção do pensamento.

Por Exemplo:

Vim até aqui achando que...

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


98 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

- Para representar, na escrita, hesitações comuns na língua falada.

Exemplos:

"Vamos jantar amanhã?


– Vamos...Não...Pois vamos."
Não quero sobremesa...porque...porque não estou com vontade.

- Para realçar uma palavra ou expressão.

Por Exemplo:

Não há motivo para tanto...mistério.

- Para realizar citações incompletas.

Por Exemplo:

O professor pediu que considerássemos esta passagem do hino brasileiro:


"Deitado eternamente em berço esplêndido..."

- Para deixar o sentido da frase em aberto, permitindo uma interpretação pessoal do leitor.

Por Exemplo:

"Estou certo, disse ele, piscando o olho, que dentro de um ano a vocação eclesiástica
do nosso Bentinho se manifesta clara e decisiva. Há de dar um padre de mão-
cheia. Também, se não vier em um ano..." (Machado de Assis)
Saiba que

As reticências e o ponto de exclamação, sinais gráficos subjetivos


de grande poder de sugestão e ricos em matizes melódicos, são
ótimos auxiliares da linguagem afetiva e poética. Seu uso, porém, é
antes arbitrário, pois depende do estado emotivo do escritor.

Parênteses ( ( ) )

Os parênteses têm a função de intercalar no texto qualquer indicação que, embora não pertença
propriamente ao discurso, possa esclarecer o assunto. Empregam-se:

- Para separar qualquer indicação de ordem explicativa, comentário ou reflexão.

Por Exemplo:

Zeugma é uma figura de linguagem que consiste na omissão de um termo (geralmente


um verbo) que já apareceu anteriormente na frase.

- Para incluir dados informativos sobre bibliografia (autor, ano de publicação, página etc.)

Por Exemplo:

" O homem nasceu livre, e em toda parte se encontra sob ferros" (Jean- Jacques
Rousseau, Do Contrato Social e outros escritos. São Paulo, Cultrix, 1968.)

- Para isolar orações intercaladas com verbos declarativos, em substituição à vírgula e aos
travessões.

Por Exemplo:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


99 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Afirma-se (não se prova) que é muito comum o recebimento de propina para que os
carros apreendidos sejam liberados sem o recolhimento das multas.

- Para delimitar o período de vida de uma pessoa.

Por Exemplo:

Carlos Drummond de Andrade (1902 – 1987).

- Para indicar possibilidades alternativas de leitura.

Por Exemplo:

Prezado(a) usuário(a).

- Para indicar marcações cênicas numa peça de teatro.

Por Exemplo:

Abelardo I - Que fim levou o americano?


João - Decerto caiu no copo de uísque!
Abelardo I - Vou salvá-lo. Até já!
(sai pela direita)
(Oswald de Andrade)

Obs.: num texto, havendo necessidade de utilizar alíneas, estas podem ser ordenadas
alfabeticamente por letras minúsculas, seguidas de parênteses (Note que neste caso as
alíneas, exceto a última, terminam com ponto e vírgula).

Por Exemplo:

No Brasil existem mulheres:

a) morenas;

b) loiras;

c) ruivas.

Os Parênteses e a Pontuação

Veja estas observações:

1) As frases contidas dentro dos parênteses não costumam ser muito longas, mas devem manter
pontuação própria, além da pontuação normal do texto.

2) O sinal de pontuação pode ficar interno aos parênteses ou externo, conforme o caso. Fica interno
quando há uma frase completa contida nos parênteses.

Exemplos:

É importante ter atenção ao uso dos parênteses. (Eles exigem um cuidado especial!)
Vamos confiar (Por que não?) que cumpriremos a meta.

Se o enunciado contido entre parênteses não for uma frase completa, o sinal de pontuação ficará
externo.

Por Exemplo:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


100 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

O rali começou em Lisboa (Portugal) e terminou em Dacar (Senegal).

3) Antes do parêntese não se utilizam sinais de pontuação, exceto o ponto. Quando qualquer sinal de
pontuação coincidir com o parêntese de abertura, deve-se optar por colocá-lo após o parêntese de fecho.

Travessão ( – )

O travessão é um traço maior que o hífen e costuma ser empregado:

- No discurso direto, para indicar a fala da personagem ou a mudança de interlocutor nos


diálogos.

Por Exemplo:

– O que é isso, mãe?


– É o seu presente de aniversário, minha filha.

- Para separar expressões ou frases explicativas, intercaladas.

Por Exemplo:

"E logo me apresentou à mulher, – uma estimável senhora – e à filha."


(Machado de Assis)

- Para destacar algum elemento no interior da frase, servindo muitas vezes para realçar o
aposto.

Por Exemplo:

"Junto do leito meus poetas dormem

– O Dante, a Bíblia, Shakespeare e Byron –

Na mesa confundidos." (Álvares de Azevedo)

- Para substituir o uso de parênteses, vírgulas e dois-pontos, em alguns casos.

Por Exemplo:

"Cruel, obscena, egoísta, imoral, indômita, eternamente selvagem, a arte é a


superioridade humana – acima dos preceitos que se combatem, acima das
religiões que passam, acima da ciência que se corrige; embriaga como a orgia
e como o êxtase." (Raul Pompeia)

Aspas ( " " )

As aspas têm como função destacar uma parte do texto. São empregadas:

- Antes e depois de citações ou transcrições textuais.

Por Exemplo:

Como disse Machado de Assis: "A melhor definição do amor não vale um beijo
de moça namorada."

- Para representar nomes de livros ou legendas.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


1
101 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Por Exemplo:

Camões escreveu "Os Lusíadas" no século XVI.

Obs.: para realçar títulos de livros, revistas, jornais, filmes, etc. também podemos
grifar as palavras, conforme o exemplo:

Ontem assisti ao filme Central do Brasil.

- Para assinalar estrangeirismos, neologismos, gírias, expressões populares, ironia.

Exemplos:

O "lobby" para que se mantenha a autorização de importação de pneus


usados no Brasil está cada vez mais descarado.(Veja)

Com a chegada da polícia, os três suspeitos "se mandaram" rapidamente.


Que "maravilha": Felipe tirou zero na prova!

- Para realçar uma palavra ou expressão.

Exemplos:

Mariana reagiu impulsivamente e lhe deu um "não".


Quem foi o "inteligente" que fez isso?

Obs.: em trechos que já estiverem entre aspas, se necessário usá-las novamente,


empregam-se aspas simples.

Por Exemplo: "Tinha-me lembrado da definição que José Dias dera deles,
'olhos de cigana oblíqua e dissimulada'. Eu não sabia o que era oblíqua,
mas dissimulada sabia, e queria ver se podiam chamar assim. Capitu
deixou-se fitar e examinar." (Machado de Assis)

Colchetes ( [ ] )

Os colchetes têm a mesma finalidade que os parênteses; todavia, seu uso se restringe aos escritos de
cunho didático, filológico, científico. Pode ser empregado:

- Em definições do dicionário, para fazer referência à etimologia da palavra.

Por Exemplo:

amor- (ô). [Do lat. amore.] 1. Sentimento que predispõe alguém a desejar o
bem de outrem, ou de alguma coisa: amor ao próximo; amor ao patrimônio
artístico de sua terra. (Novo Dicionário Aurélio)

- Para intercalar palavras ou símbolos não pertencentes ao texto.

Por Exemplo: Em Aruba se fala o espanhol, o inglês, o holandês e o papiamento. Aqui


estão algumas palavras de papiamento que você, com certeza, vai usar:

1- Bo ta bon? [Você está bem?]

2- Dios no ta di Brazil. [Deus não é brasileiro.]

- Para inserir comentários e observações em textos já publicados.

Por Exemplo:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


1
102 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Machado de Assis escreveu muitas cartas a Sílvio Dinarte. [pseudônimo de


Visconde de Taunay, autor de "Inocência"]

- Para indicar omissões de partes na transcrição de um texto.

Por Exemplo:

"É homem de sessenta anos feitos [...] corpo antes cheio que magro, ameno e
risonho" (Machado de Assis)

Asterisco ( * )

O asterisco, sinal gráfico em forma de estrela, costuma ser empregado:

- Nas remissões a notas ou explicações contidas em pé de páginas ou ao final de capítulos.

Por Exemplo:

Ao analisarmos as palavras sorveteria, sapataria, confeitaria, leiteria e muitas outras


que contêm o morfema preso* -aria e seu alomorfe -eria, chegamos à conclusão de que
este afixo está ligado a estabelecimento comercial. Em alguns contextos pode indicar
atividades, como em: bruxaria, gritaria, patifaria, etc.

* É o morfema que não possui significação autônoma e sempre aparece ligado a outras palavras.

- Nas substituições de nomes próprios não mencionados.

Por Exemplo:

O Dr.* conversou durante toda a palestra.


O jornal*** não quis participar da campanha.

Parágrafo ( § )

O símbolo para parágrafo, representado por §, equivale a dois ésses (S) entrelaçados, iniciais das
palavras latinas Signum sectionis, que significam sinal de secção, de corte. Num ditado, quando
queremos dizer que o período seguinte deve começar em outra linha, falamos parágrafo ou alínea. A
palavra alínea (vem do latim a + lines) e significa distanciado da linha, isto é, fora da margem em que
começam as linhas do texto.

O uso de parágrafos é muito comum nos códigos de leis.

Por Exemplo:

§ 7º Lei federal disporá sobre as normas gerais a serem obedecidas na efetivação do disposto
no § 4º.(Incluído pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


1
103 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Regula a complementação verbal ou nominal e suas preposições.

REGÊNCIA VERBAL
É a maneira de o verbo relacionar-se com seus complementos.

VERBOS COM MAIS DE UM SIGNIFICADO


Agradar (v.t.d. - fazer agrados, carinhos).
€ Não agrade os meninos com doces.
€ Não os agrade com doces.

Agradar a (v.t.i. - ser agradável, satisfazer)


Desagradar a
€ O resultado não agradou aos cocursandos.
€ O resultado não lhes agradou.

Aspirar (v.t.d. - sorver, respirar).


€ Como é gostoso aspirar seu perfume.
€ Como é gostoso aspirá-lo.
€Há máquinas que aspiram o pó.
€ Há máquinas que o aspiram.

Aspirar a (v.t.i. - pretender, almejar).


€ Quem não aspira a uma vida saudável?
€ Quem não aspira a ela.

Observação:
O pronome lhe será usado quando o objeto indireto for palavra que indique pessoa; caso contrário,
usar-se-á o pronome ele com a respectiva preposição.

Assistir (a) - (v.t.d. ou v.t.i.) - dar assistência.


€ O Governo assiste as populações carentes.
€ O Governo assiste-as.
€ O Governo assiste às populações carentes.
€ O Governo assiste a elas.

Observação:
Se ocorrer ambigüidade, deve ser usado apenas como v.t.d.
Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA
Edited with the trial version of
Foxit Advanced PDF Editor
104 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA
To remove this notice, visit:
www.foxitsoftware.com/shopping

REGÊNCIA NOMINAL E VERBAL


€ A enfermeira assistiu ao transplante. (viu ou deu assistência?)
€A enfermeira assistiu o transplante.

Assistir a (v.t.i. - ver, estar presente; ou caber, ter direitos, deveres)

Página 1 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


105 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

€ Queremos assistir ao jogo.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


106 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 2 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


107 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

€ Queremos assistir a ele.


€ Esse direito só assistia ao Presidente.
€ Esse direito só lhe assistia.

Assistir em (v.i. - morar, residir).


€ D. Pedro assistia em Petrópolis. (a. adv. lugar)

Atender (v.t.d. - deferir um pedido, conceder algo).


€ Deus atenderá nossas súplicas.
€ Deus as atenderá.

Atender (a) (v.t.d. ou v.t.i. - dar atenção - complemento "pessoa")


€ O professor atende os / aos alunos.
€ O professor atende-os / lhes.

Observação:
Alguns gramáticos dão preferência ao uso do pronome "o".

Atender a (v.t.i. - dar atenção - complemento "coisa")


€ Por favor, atenda ao telefone.
€ Atenda a ele.

Chamar (v.t.d. - convidar, convocar, atrair)


€ Chamei meus amigos e pedi discrição.
€ Chamei-os e pedi discrição.
€ Aquele fato chamou a atenção da polícia.

Chamar por (v.t.i. - invocar, chamamento veemente).


€ O Negrinho chamou por sua madrinha, a Virgem.
€ Chamou por ela.

Chamar a (v.t.d.i. - repreender).


€ Chamei à atenção os alunos.
€ Chamei-os à atenção.

Chamar (a) (v.t.d. ou v.t.i. + predicativo - tachar, considerar).


€ Chamaram o aluno inteligente.
o.d. predic. o.d.

€ Chamaram-no inteligente.
o.d. predic. o.d.

€ Chamaram o aluno de inteligente.


o. d. predic. o.d.

€ Chamaram-no de inteligente.
o.d. predic. o.d.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


108 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 3 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


109 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

€ Chamaram ao aluno, inteligente.


o. i. predic. o.i.

€ Chamaram-lhe inteligente.
o.i. predic. o.i.

€ Chamaram ao aluno de inteligente.


o.i. predic. o.i.

€ Chamaram-lhe de inteligente.
o. i. predic. o.i.

Comparecer a (v.t.i. - complemento "atividade").


€ Os magistrados não compareceram ao júri.

Comparecer a (em)- (v.i. - complemento "lugar').


€ Os concursandos compareceram ao / no local na hora prevista.

Constar - (v.i. - dizer-se, passar por certo).


€ Consta que Cristo.fez maravilhosos portentos.

Constar de (v.t.i. - ser composto ou formado, constituir-se).


€ Esta obra consta de dois volumes.

Constar em (v.i. - estar registrado, escrito).


€ Algumas palavras nem constam no dicionário.

Custar (v.t.d.i. - acarretar).


€ O remorso custava lágrimas ao pecador.
€ O remorso custou-lhas.

Custar a (v.t.i. - ser custoso, difícil, demorado).


€ Custa aos alunos entender tais assuntos.
o i. sujeito

Observação:
Como se pode ver, o objeto indireto é pessoa e o sujeito, oracional; devendo, portanto, evitar-se:
€ Os alunos custaram a entender tais assuntos.

Deparar (com) (v.t.d. ou v.t.i. - dar com, encontrar).


€ Quando deparou (com) o erro, procurou corrigi-lo imediatamente.

Deparar a (v.t.d.i. - fazer aparecer, apresentar).


€ Nem a ciência deparava solução ao mistério.

Deparar-se a (v.t.i. pronominal - apresentarse, oferecer-se, surgir).


€ Uma nova situação deparou-se aos alunos.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


110 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 4 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


111 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Implicar (v.t.d. - acarretar).


€ Contratação de pessoal implica despesas.

Implicar com (v.t.i. - ter implicância).


€ Não sei por que implicas com as crianças.

Implicar em (v.t.d.i. - envolver).


€ Cacilda implicara o namorado em crimes.

Implicar-se em (v.t.i. pronominal -envolver-se).


€ Implicou-.se em conspirações.

Lembrar (v.t.d. - não esquecer).


€ Não lembramos de datas de aniversários.

Lembrar-se de (v.t.i. pronominal - não se esquecer de).


€ Lembre-se dos fatos marcantes da vida.

Lembrar a (v.t.d.i. - advertir, recordar).


€Lembramos aos presentes a necessidade do convite.

Lembrar a (v.t.i. - vir à lembrança).


€ Lembrou a todos aquele fato inusitado.
o.i. sujeito

Observação:
Essa é construção clássica que tem como sujeito o ser lembrado.

Esquecer, recordar e admirar apresentam idêntica regência.

Precisar (v.t.d. - indicar com exatidão).


€ O guarda não precisou o local da infração.
€ O guarda não o precisou.

Precisar de (v.t.i.) (ter necessidade, carecer).


€Quem não precisa de dinheiro?
€ Quem não precisa dele?

Observação:
Alguns autores clássicos o empregaram como v.t.d. - porém, na linguagem atual, esse procedimento
não tem mais trâmites.

Proceder (v. i. - comportar-se, provir, ter fundamento).


€ Vivia com austeridade, e procedia como rei.
€ Os retirantes procediam de longínquas terras.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


112 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 5 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


113 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

€Infelizmente, seu pleito não procede.

Proceder a (v.t.i. - realizar, fazer).


€ A polícia procederá ao inquérito.
€ A polícia procederá a ele.

Querer (v.t.d. - desejar).


€ Quero sucesso imediato.
€ Quero-o.

Querer a (v.t.i. - amar, estimar, bem-querer).


€ Quero muito a meus pais.
€ Quero-lhes muito.

Responder (v.t.d. - exprimindo a resposta).


€ O homem respondeu qualquer coisa ininteligível.

Responder a (v.t.i. e v.t.d.i. - dizer em resposta).


€ Todos deveriam responder ao questionário.
€ Os alunos responderam ao professor que não tinham estudado.

Visar (v.t.d. - apor visto, apontar para).


€ Não te esqueças de visar teu passaporte.
€ Não te esqueças de visa-lo.
€ Apontou o arcabuz, mas não visava o alvo.
€ Não o visava.

Visar a (v.t.i. - pretender, almejar, ter em vista).


€ Os políticos visam apenas aos seus interesses.
€ Visam apenas a eles.

Observações:
a) Seguido de infinitivo, pode a preposição ficar subentendida.
€ O pequenino visava conquistar a simpatia de todos.

b) Apesar de exemplos clássicos como transitivo direto, não se recomenda tal procedimento na
linguagem hodierna.

VERBOS COM PROBLEMAS (decorrentes do linguagem coloquial)


Chegar (v. i. - exige as preposições a ou de)
€Amanhã chegaremos cedo ao colégio.
€ Elas chegavam de Taguatinga e iam a Sobradinho.

Observação:
O erro comum é o uso da preposição em em vez de a.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


114 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 6 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


115 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

€ Quando cheguei em Brasília. (incorreto)

Ir (v. i. - exige as preposições a ou para).


€Nessas férias, iremos a Fortaleza. (ida e retorno).
€ Fui transferido, estou indo para o Canadá. (ida e permanência)

Observação:
O erro comum é usar a preposição em.
€ Com licença, preciso ir no banheiro. (incorreto)

Namorar (v.t.d.)
€ Paula namorava todos os rapazes da rua.

Observação:
O erro comum é usar-se com a preposição com.
€ Raimunda só foi feliz namorando com Ricardo. (incorreto)

Obedecer - desobedecer (v.t.i. - exigem a preposição a).


€ Seria bom obedeceres aos teus estímulos.
€ Não desobedeças ao teu pai.

Observação:
O erro comum tem sido usá-los como transitivos diretos.
€ Pedrinho, não desobedeças teu pai! (incorreto)

Pagar - perdoar (v.t.d.i. - o.d. "coisa", o.i. "pessoa").


€ Já paguei a prestação ao cobrador.

Observação:
O erro comum é a construção com objeto direto "pessoa".
€ Amanhã pagaremos os funcionários. (incorreto)

Preferir (v.t.d.i. )
€ Há indivíduos que preferem o sucesso fácil ao triunfo meritório.

Observação:
O erro comum é o uso redundante de "reforços" (antes, mais, muito mais, mil vezes, etc) e de
"comparativos" (que ou do que).
€ Prefiro mil vezes um inimigo do que um falso amigo. (incorreto)

Residir (v. i. - exige a preposição em).


€ Ela reside na Avenida das Nações.

Observações:

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


116 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 7 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


117 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Têm a mesma regência os verbos morar, situar-se, estabelecer-se e os adjetivos derivados sito,
residente, morador, estabelecido.
€ Ela reside na SQN 315, estabeleceu-se na QNG, sito na casa 10.
O erro comum é usar-se a preposição a.
€ Todos estarão tio local determinado, sito a SCLN 314. (incorreto)

Simpatizar - antipatizar (v.t.i. - exigem a preposição com).


€ Alguns não simpatizavam com o treinador.

Observação:
O erro comum é usá-lo como verbo pronominal, reflexivo.
€ Nunca me simpatizei com modas. (incorreto)

TRANSITIVOS DIRETOS E INDIRETOS


Aconselhar, autorizar, avisar, comunicar, certificar, cientificar, dissuadir, ensinar,
incumbir, informar, lembrar, notificar, participar, etc.
Alguns desses verbos admitem alternância, isto é, objeto direto e indireto de "coisa" ou "pessoa", indi-
ferentemente.

Informei o fato aos alunos. ou


o.d. o. i.

Informei os alunos do fato.


o.d. o. i.

Observação:
O erro comum, com esses verbos, é a construção em que aparecem dois objetos diretos ou dois
indiretos, isto é, por excesso ou omissão de preposição.
Avisei-os que a prova fora transferida. (incorreto)
o.d. o.d. > dois objetos diretos

Avisei-os de que a prova fora transferida. (correto)


o.d. o. i.

Avisei-lhe de que a prova fora transferida. (incorreto)


o.i. o.i. > dois objetos indiretos

Avisei-lhe que a prova fora transferida. (correto)


o.i. o.d.

REGÊNCIA NOMINAL
É a relação de subordinação entre o nome e seus complementos, devidamente estabelecida
por intermédio das preposições correspondentes.
Acostumado (a, com)
Estava acostumado a / com qualquer coisa.
Afável (a, com, para com)
Parecia afável a / com / para com todos.
Afeiçoado (a, por)

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


118 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 8 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


119 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Afeiçoado aos estudos. Afeiçoado pela vizinha.


Aflito (com, por)
Aflito com a notícia. Aflito por não ter notícia.
Amizade (a, por, com)
Amizade à / pela / com a irmã mais velha.
Analogia (com, entre)
Não há analogia com / entre os fatos históricos.
Apaixonado (de, por)
Era um apaixonado das / pelas flores.
Apto (a, para)
Estava apto ao / para o desempenho das funções.
Ávido (de, por)
Um homem ávido de / por novidades.
Constituído (de, por)
Um grupo constituído de / por várias turmas.
Contemporâneo (a, de)
Um estilo contemporâneo ao / do Modernismo.
Devoto (a, de)
Um aluno devoto às / das artes.
Falho (de, em)
Um político falho de / em caráter.
Imbuído (de, em)
Imbuído de / em vaidades.
Incompatível (com)
A verdade é incompatível com a realidade.
Passível (de)
O projeto é passível de modificações.
Propenso (a, para)
Sejam propensos ao / para o bem.
Residente (em)
Os residentes na Capital.
Vizinho (a, de)
Um prédio vizinho ao / do meu.

EXERCÍCIOS E QUESTÕES DE CONCURSOS


Falso / verdadeiro
1. ( ) Só para agradar meu filho, fui assistir um jogo do Flamengo.
2. ( ) O árbitro, aspirando à simpatia da torcida, preferiu marcar pênalti do que simples falta.
3. ( ) A emoção ansiava ao goleiro, que esperava proceder uma bela defesa.
4. ( ) Os torcedores visavam o árbitro e chamavam-lhe ladrão: não se simpatizavam com ele.
5. ( ) Meu filho também custava a perdoar o árbitro.
6. ( ) Todos que compareceram no jogo deparam um espetáculo degradante.
7. ( ) Está na hora da falta ser cobrada e isso implica em grande concentração.
8. ( ) Não lembro mais do nome de quem chutou: esqueceu-me o nome dele.
9. ( ) Sei que namorou com a bola, beijou-lhe, pois a queria como a uma noiva.
10. ( ) O goleiro avisou ao árbitro de que estava pronto, mostrando-lhe aonde ficaria.

Múltipla escolha
11. Assinale a opção correta quanto à regência verbal.
a) Eu não lhe vi avançar o sinal, mas assisti o seu desrespeito ao pedestre, conduzindo o veículo, em
alta velocidade, pelo acostamento.
b) Não lhe conheço bem para afirmar que ele tem o hábito de namorar com a vítima dentro do
automóvel.
c) Informou-lhe que as medidas de prevenção de acidentes no trânsito não implicavam custo adicional
para a administração.
d) O agente de trânsito tentava explicar ao motorista de que não visava o agravamento da punição e,
sim, que queria ajudar-lhe.

12. Com relação à regência verbal, assinale a opção correta.


a) O datilógrafo deve conhecer a todas as possibilidades da máquina de escrever.
b) Aconselho-o uma leitura atenta ao manual.
c) Alguns itens podem parecê-lo mais importante.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


120 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 9 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


121 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

d) As margens do papel protegem à margem escrita.


e) Cabe ao datilógrafo o estabelecimento das medidas da margem.

13. Assinale a frase que apresenta regência nominal incorreta.


a) O tabagismo é prejudicial à saúde.
b) Estava inclinado em aceitar o convite.
c) Sempre foi muito tolerante com o irmão.
d) É lamentável sentir desprezo por alguém.
e) Em referência ao assunto, prefiro nada dizer.

14. Quanto à regência verbal, escreva (1) nas corretas e (2) nas incorretas.
( ) Logo que chegou, eu o ajudei como pude.
( ) Preferia remar do que voar de asa delta.
( ) Naquela época, eu não visava o cargo de diretor.
( ) Sem esperar, deparei com ela bem perto de mim.
( ) Nós tentamos convencê-lo que tudo era imaginação.

A seqüência correta dos números nos parênteses é


a) 1, 1, 1, 2, 2 d) 1, 2, 2, 1, 2
b) 2, 2, 2, 1, 1 e) 1, 2, 1, 2, 1
c) 2, 1, 1, 2, 1

15. Indique o trecho em que há erro de regência.


a) "Os rebeldes sem causa já haviam tomado de assalto as telas do cinema muito antes que a primeira
guitarra roqueira fosse plugada na tomada." (VEJA/95)
b) "A exemplo das grandes sagas empresariais, ‘Um Sonho de Liberdade' prega a supremacia da
perseverança sobre a adversidade, da paciência sobre a brutalidade, da frieza sobre o instinto." (VEJA,
15/3/95)
c) "Para lembrar o assassinato de Zumbi, muitos estarão somente dançando e tocando tambor - o que
somente acontecerá em reforço aos estereótipos atiçados sobre seus descendentes." (Folha de S.
Paulo, 26/3/95)
d) "Art. 3. São direitos de cada condômino: reclamar à Administração, exclusivamente por escrito,
todas e quaisquer irregularidades que observe, ou que esteja sendo vítima."
e) "4.1 - Este contrato é irrevogável e irretratável. Desejando o assinante cancelá-lo, deverá remeter à
editora cópia xerográfica da face preenchida deste documento, acompanhada de carta explicativa dos
motivos do cancelamento."

16. Aponte o trecho correto quanto à regência.


a) Quando se desativa uma linha de trem, estão-se isolando muitas localidades que perderão o único
meio de transporte que dispõem.
b) Em muitas cidades pequenas, no interior do País, prevalece a idéia, a qual se desconfia que o
próprio Prefeito seja adepto, de que o trem é meio de transporte obsoleto.
c) Como é interesse do País de que o preço do frete diminua, são urgentes e imprescindíveis os
investimentos em nosso sistema ferroviário.
d) A partir dos anos 50, o baixo custo do petróleo justificou a opção do transporte de carga por
rodovias, às quais foram ganhando cada vez mais preferência.
e) No Brasil, dadas suas dimensões continentais, deve-se dar preferência às ferrovias para a
movimentação de cargas.

17. Marque o item incorreto quanto à regência verbal.


a) Os cavalos criados no turfe moram onde um pangaré não mete o focinho.
b) O clima dos centros de treinamento desses animais equivale ao da Suíça.
c) O ar puro é um trunfo, porque há cavalos hemorrágicos que tendem a sangrar no pulmão depois de
um esforço.
d) O criador desse animal prefere dedicar seu tempo a ele que entregá-lo a um treinador qualquer.
e) Nos hotéis cinco estrelas eqüinos, o trato responde aos anseios desses animais.

18. Marque a alternativa com sentença incorreta.


a) Os cheques que ele visava eram de outra agência.
b) Os prêmios a que todos aspiravam não mais serão concedidos.
c) O contrato apresentava várias cláusulas de que desconfiávamos.
d) Os programas a cuja elaboração assistira foram muito comentados.
e) As propostas que o advogado se refere não explicam as condições.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


122 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 10 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


123 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

19. Assinale a opção que contém erro, segundo os padrões formais da língua portuguesa.
a) Algumas idéias vinham ao encontro das reivindicações dos funcionários, contentando-os, outras
não.
b) Todos aspiravam a uma promoção funcional, entretanto poucos se dedicavam àquele trabalho, por
ser desgastante.
c) Continuaram em silêncio, enquanto o relator procedia à leitura do texto final.
d) No momento este Departamento não pode prescindir de seus serviços devido ao grande volume de
trabalho.
e) Informamos a V. Sa. sobre os prazos de entrega das novas propostas, às quais devem ser
respondidas com urgência.

20. De acordo com a norma culta, há erro de regência do termo destacado em:
a) Meu apartamento é contíguo ao do meu irmão.
b) O candidato julgou estar apto a fazer um bom exame.
c) A sociedade não pode ficar imune a essas solicitações.
d) A tolerância, mesmo exagerada, é preferível do que o ódio.
e) A Justiça do Trabalho é que julga os dissídios entre trabalhadores e patrões.

21. Assinale a alternativa incorreta.


a) Chamei-lhe incompetente, pois jamais soube compreender-me.
b) O Presidente assiste cm Brasília desde que foi eleito.
c) Os alunos custarão muito para entender as exceções da ortografia.
d) No sertão as pessoas são mais saudáveis porque podem aspirar o ar puro, sem qualquer tipo de
poluição.
e) Sempre hei de querer-lhe como se fosse minha própria irmãzinha.

22. Aponte, entre as alternativas abaixo, aquela que relaciona os elementos que preenchem
corretamente as lacunas do texto abaixo.
"A ida dos meninos casa da fazenda fez que o velho, sempre intolerante _ _ crianças
e fiel seu costume de assustá-las, persistisse _ busca um plano para pô-las _
fuga."
a) à – com – com – a – na – de – em;
b) para – a – às – em – na – a – na;
c) na – em – das – do – com – por – de;
d) a – em – de – de – com a – para – com;
e) à – com – nas – à – com – por – em.

23. Assinale a alternativa que completa corretamente.


O jogo me referi foi ganho pelo Brasil.
O escritor livro acabei de ler encontra-se em Curitiba.
O certificado _ o diretor visou será entregue aos alunos hoje.
O documento _ precisava ainda não foi visado pelo diretor.
O professor informou os alunos _ a prova fora adiada.

a) a que – cujo o – a que – de que – de que;


b) que – cujo – que – que – que;
c) a que – cujo o – que – de que – de que;
d) que – cujo – que – de que – que;
e) a que – cujo – que – de que – de que.

24. Assinale a alternativa que contém as respostas corretas.


I - Visando apenas suas próprias conveniências, prejudicou toda a coletividade.
II - Por orgulho, preferiu abandonar a empresa a ter que se valer de empréstimos do Governo.
III - Embora fosse humilde, sempre aspirou a posições de destaque na empresa.
IV - Adormeceu tranqüilamente, aspirando o aroma doce das flores da campina.

a) II-III-IV b) I-II-III c) I-III-IV


d) Todos os períodos estão corretos. e) Todos os períodos contêm erros.

25. Assinale a frase com erro de regência verbal.


a) Na oportunidade, encaminho a V. Sa. a documentação exigida.
h) Consultaram o diretor sobre as próximas reuniões do conselho.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


124 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 11 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


125 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

c) Portanto, cientifico-lhe de que houve engano de data e horário.


d) Solicitamos-lhe reformulação da grade horária referente à próxima semana.
e) Os policiais, à paisana, procederam à renovação do cadastro dos ocupantes da favela.

26. Escolha a opção que completa corretamente as lacunas do período.


Ele anseia _ visitá-la porque _ estima _ muito e deseja que ela _ perdoe
erros.
a) em – lhe – o – os d) por – a – lhe – os
b) de – lhe – o – aos e) por - lhe - lhe – aos
c) para – a – lhe – aos

27. Assinale a opção cuja lacuna não pode ser preenchida pela preposição entre parênteses.
a) Uma grande mulher, _ _ cuja figura os velhos se comoviam. (com)
b) Uma grande mulher, _ _ cuja figura já nos referimos antes. (a)
c) Uma grande mulher, _ cuja figura havia um ar de decadência. (em)
d) Uma grande mulher, _ _ cuja figura todos estiveram apaixonados. (por)
e) Uma grande mulher, _ _ cuja figura as crianças se assustavam. (de)

28. Aponte a opção em que a substituição da preposição (entre parênteses) contraria os preceitos
gramaticais da norma culta.
a) Contribuição decisiva à (para) solução do problema.
b) Verdades incômodas relacionadas com (a) a situação da leitura.
c) Fugir a (de) novas oportunidades.
d) Embora não tenha para (a) apoiar-me estatísticas oficiais.
e) Verificam-se problemas oriundos de (em) causas gerais.

29. Considerando os períodos abaixo, escolha a alternativa que os analisa corretamente.


I - Vicente desviou-se do assunto, que não o agradava muito.
II - D. Pedro abdicou a coroa na pessoa de sua filha D. Maria da Glória.
III - Na Academia teria um lugar de direito, se o aspirasse realmente.
IV - Nós o chamávamos tiozinho e brincávamos com ele como um boneco.
a) Corretas: I e II d) Corretas: I e III
b) Corretas: II e III e) Corretas: II e IV
c) Corretas: III e IV

30. Aponte a alternativa que apresenta incorreção de regência.


a) Apenas lhe informaram que os bens de Domingos haviam sido confiscados.
b) O ministro informou ao povo sobre a situação financeira do país.
c) Tive uma suspeita e preferi dizê-la a guardá-la.
d) Depois, convidou-os a procederem à nomeação do secretário.
e) Quem sabe se aquele homem não havia particularmente visado à sua fortuna, aos bens que lhe
constituíam quantioso dote?

GABARITO
1. F 7. F 13. B 19. E 25. C
2. F 8. F 14. D 20. D 26. D
3. F 9. F 15. D 21. C 27. E
4. F 10. F 16. E 22. A 28. E
5. F 11. C 17. D 23. E 29. E
6. F 12. E 18. E 24. A 30. B

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


126 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Página 12 de 11.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


127 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Sinônimos e Antônimos
As palavras podem, quanto à forma e ao sentido, ser classificadas
em sinônimos e antônimos. Veremos nesta aula os conceitos, exemplos e análise de
uma questão de concurso sobre este tema. Boa aula!

• Sinônimos: são palavras com grafia diferente e significado semelhante ou


aproximado. Na coesão de um texto, por exemplo, a função do sinônimo é evitar
a repetição. Observe:
São Paulo é uma cidade distante da Bahia, mas, mesmo longe, precisaremos ir até lá.

As palavras "longe" e "distante" são diferentes na escrita, mas apresentam sentidos


parecidos. Podemos afirmar, portanto, que são palavras sinônimas. Elas, ainda, estão a
serviço da coesão do texto, evitando repetição.

• Antônimos: palavras de grafia diferente e significação oposta.

A luz reina sobre as trevas.


Ele é bom em História e ruim em Matemática.
Ou foi aprovado ou reprovado.

Não se esqueça de que falar em sinônimo é também falar em conhecimento vocabular.


Esse é adquirido através da leitura e da consulta ao dicionário.
As bancas de concurso sabem que muitos candidatos não dão atenção devida à leitura,
então exploram questões do tipo:

" A leitura propicia conhecimento, e, muitas vezes, um inefável prazer. É por isso que ela
é um direito inalienável do homem". Significam, respectivamente:

a) raro, inelutável
b)estranho, inseparável
c) indizível, intransferível
d) infindável, insubstituível
e) sutil, fundamental

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


127
128 EDITORA HE_EDUCA – PORTUGUÊS – PROF. DR. ELIANA

Para resolver essa questão bastava saber que:


I. Inefável é aquilo que não se pode exprimir por palavras (indizível)
II. Inalienável é algo intransferível
Logo, a resposta correta é a letra C
N
ão deixe a leitura de lado! Certamente, ela o ajudará a resolver questões semelhantes a
anterior.

Todos os Direitos Reservados a Editora HE_EDUCA


128
1 EDITORA HE_EDUCA

ÍNDICE

ASSUNTO: PÁGINA
Estrutura da Palavra - Processos de Formação de Palavras ...........................05
Classe das Palavras..............................................................................................09
Classes de Palavras Substantivo: .......................................................................18
Classes de Palavras Adjetivo: ..............................................................................19
Classes de Palavras Pronome: ............................................................................20
Classes de Palavras Verbo: ....................................................................................... 22
Colocação dos Pronomes Oblíquos Átonos ......................................................25
Regência, Crase, Emprego da Preposição .........................................................26
Concordância: Nominal e Verbal .............................................................................. 31
Termos da Oração / Valor Semântico das Conjunções / Classif.Orações .........38
Ortografia: Acentuação Gráfica, Emprego das Letras........................................44
Pontuação ..............................................................................................................51
Divisão Silábica .....................................................................................................52
Emprego de Vocabulário / Valor Semântico das Palavras.................................54
Encontros Vocálicos e Consonantais ................................................................56
Contagem de Fonemas ........................................................................................57
Sintaxe ...................................................................................................................58
Questões Gerais ....................................................................................................62
Questões de Provas Anteriores ...........................................................................66
Gabarito ............................................................................................................... 100

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


1
2 EDITORA HE_EDUCA

PORTUGUÊS
ESTRUTURA DA PALAVRA PROCESSOS DE FOR- c) toque-toque;
MAÇÃO DE PALAVRAS d) tlim-tlim;
e) vivido.
01. Assinale a opção em que nem todas as palavras
possuem o mesmo radical: 09. Assinale a letra em que as palavras são formadas
a) noite, anoitecer, noitada; por derivação regressiva, derivação parassin-
b) luz, luzeiro, alumiar; tética e composição por aglutinação, respec-
c) incrível, crente, crer; tivamente.
d) festa, festeiro, festejar; a) neurose, infelizmente, pseudônimo;
e) riqueza, ricaço, enriquecer. b) ajuste, aguardente, arco-íris;
c) amostra, alinhar, girassol;
02. A série em que os vocábulos enumerados se re- d) corte, emudecer, outrora;
lacionam porque provêm da mesma raiz é: e) pesca, deslealdade, vinagre.
a) florescer, flandres, florear;
b) pousada, aposentado, cômodo; 10. Grupo de três palavras formadas por DERIVAÇÃO:
c) reger; regulamento; regra; a) pesaroso, apelo (subst.), refazer;
d) corte; percurso; correr; b) pontapé, introduzir, cipoal;
e) angústia; ângulo; anjo. c) decímetro, casamento, namoro (subst.);
d) cine, guarda-roupa, infiel;
03. Assinale oca única opção em que ocorre variante e) infelizmente, amolecer,varapau.
do radical:
a) dizer, dizes, dizia; 11. Indique a opção em que foram utilizados proces-
b) faço, fazes, façamos; sos de formação de palavras idênticos aos dos
c) amaria, amavas, amou; vocábulos plenilúncio / burocracia:
d) quero, queres, querias; a) vaivém / saca-rolhas;
e) vência, venceste, vence. b) surdo-mudo / corre-corre;
c) aguardente / alcoômetro;
04. Assinale a opção em que há erro na identificação d) vaivém / automóvel;
do elemento mórfico grifado: e) planalto / vinagre.
a) compostas: desinência de feminino;
b) quadrar: radical; 12. Assinale a opção onde se indica erroneamente o
c) adotei vogal temática; processo de formação:
d) pareceram: vogal temática; a) encontrável: derivação sufixal;
e) influência: desinência de feminino. b) inesperado: derivação prefixal;
c) emudecer: derivação sufixal;
05. Vocábulo onde existe desinência de gênero: d) inaudível: derivação prefixal;
a) segredo; d) verbo; e) canto: derivação regressiva.
b) curiosidade; e) alheia.
c) força; 13. Assinale o vocábulo que apresenta o mesmo pro-
cesso de formação de yaga-lume:
06. Assinale a alternativa sem desinência modo-tem- a) descobriu; d) doçura;
poral: b) lembrança; e) fios-de-ovos.
a) aplaudias; d) vendam; c) encantamento;
b) acordou; e) cobrasses.
c) faltarás; 14. Numere as palavras da primeira coluna conforme
os processos de formação numerados à direita.
07. Assinale a opção em que o processo de formação Em seguida, marque a alternativa que correspon-
de palavras está indevidamente caracterizado: de à seqüência numérica encontrada:
a) vaga-lume: composição; ( ) outrora (1) justaposição
b) cruzeiro: sufixação; ( ) a caça (2) aglutinação
c) palmeira: sufixação; ( ) pontapé (3) parassíntese
d) irritação: sufixação; ( ) planalto (4) derivação prefixal
e) baunilha: sufixação. ( ) anoitecer (5) derivação regressiva.
( ) transcontinental
08. Indique a palavra que foge ao processo de forma-
ção de chape-chape: a) 4, 5, 2, 1, 4, 3; d) 1, 5, 2, 1, 3, 4;
a) zunzum; b) 2, 3, 1, 2, 3, 4; e) 2, 5, 1, 2, 3, 4.
b) reco-reco; c) 1, 5, 2, 1, 4, 3;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


2
3 EDITORA HE_EDUCA

e) importado / exposto.
15. Assinale o par de vocábulos cujos prefixos pos-
suem valor locativo, indicando, respectivamente,
as idéias de por cima e por baixo.
a) hipertrofia / hipotensão;
b) hipérbole / perímetro;
c) exotérmico / hemisférico;
d) epiderme / prólogo;
e) introduzir / decrescer.

16. Observe, nos vocábulos que se seguem, que o


mesmo sufixo pode ser escrito de formas diferen-
tes: com c (aplicação), s (expansão) e ss (intro-
missão). Assinale a serie em que um dos subs-
tantivos apresenta o sufixo grafado de modo in-
correto
a) rendição, presunção, fixação;
b) discussão, excessão, admissão.
c) diversão, compreensão, distensão;
d) paralisação, pulsação, cassação;
e) submissão, sucessão, concessão.

17. Assinale a opção em que todos os verbos formam


substantivos designativos da ação ou do resulta-
do dela – por meio de sufixos distintos entre si:
a) apreender, pressintir, converter;
b) descrever, crer, dedicar;
c) confessar, lembrar, transmitir;
d) suprimir, esquecer, tolerar
e) iniciar, prever, aceitar.

18. Assinale o par de vocábulos cujos sufixos possu-


em valor semântico idêntico ao dos sufixos de
brasileiro e escureza, respectivamente:
a) espanhol / mansidão;
b) laranjeira / honradez;
c) cearense / dentista;
d) budismo / venenoso;
e) francês / leitura.

19. Assinale o par de vocábulos cujos sufixos possu-


em valor semântico idêntico ao dos sufixos de
brasileiro e altura, respectivamente:
a) budismo / leitura;
b) espanhol / beleza;
c) paraense / dentista;
d) coqueiro / formatura;
e) sulista / nomeação.

20. Assinale o vocábulo cujo sufixo traduz a mesma


idéia que o sufixo de bebedouro:
a) duradouro; d) vindouro;
b) inibitório; e) dormitório.
c) satisfatório;

21. Assinale o par de vocábulos cujos prefixos guar-


dam entre si oposição semântica:
a) inconsciente / anormal;
b) antevisão / predestinação;
c) contracultura / anticorpo;
d) interplanetário / entrelinha;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


3
4 EDITORA HE_EDUCA

e) forte / fortalecer.
22. Assinale o par de vocábulos cujos prefixos
pos- suem valor locativo, indicando,
respectivamente, as idéias de por cima e por
baixo:
a) supracitar / hipotenso;
b) sobrevir / subnutrido;
c) superposição / subseqüente;
d) hipersensibilidade / subcutâneo;
e) sobrevoar / hipodérmico.

23. Assinale o par de vocábulos que não guardam


entre si a relação existente entre vernáculo /
verna- culizar:
a) falso / falsificar;
b) suave / suavizador;
c) verniz / envernizar;
d) puro / purificar;
e) universal / universalizar.

24. Assinale o par de vocábulos que guardam entre


si a mesma relação significativa existente entre
con- siderar / consideração:
a) desenvolver / desenvolvimento;
b) realizar / realizável;
c) opor / oponente;
d) criar / criativo;
e) matar / matadouro.

25. Vocábulo cujo prefixo se distingue


semanticamente do de imprevisto:
a) impor;
b) inútil;
c) legível;
d) imperfeito;
e) incompetência.

26. O sufixo do vocábulo habilidade e o sufixo do


vo- cábulo transferência são usados para
derivar, respectivamente, nomes das seguintes
formas:
a) íntimo / revelar;
b) sutil / surgiu;
c) efêmero / ocorrer;
d) pobre / advertir;
e) intenso / comprometer.

27. O par de vocábulos formados com prefixos de


sig- nificados diferentes é:
a) euforia, benefício;
b) percorrer, recorrer;
c) predizer, programar;
d) ultrapassar, transpor;
e) anfiteatro, perimetral;

28. Assinale o par de vocábulos que não guardam


entre si a mesma relação semântica existente
entre regular / regularizar.
a) diverso / diversificar;
b) caráter / caracterizar;
c) brasileiro / abrasileirar;
d) geral / geralizar;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
4
5 EDITORA HE_EDUCA

29. Relacione os sinônimos nas duas colunas abai- b) boiada - garotada - aterro;
xo, e assinale a reposta correta:
1 - translúcido ( ) contraveneno.
2 - antídoto ( ) metamorfose.
3 - transforma ( ) diáfano.
4 - adversário ( ) antítese.
5 - oposição ( ) antagonista.
a) 1, 3, 4, 2, 5;
b) 2, 3, 4, 5, 1;
c) 2, 3, 1, 5, 4;
d) 1, 4, 5, 2, 3;
e) 4, 3, 1, 5, 2.

30. Assinale a opção em que nem todas as palavras


têm o mesmo radical.
a) dizendo, indizível, diríamos;
b) batida, batedeira, combater;
c) legalidade, ilegalizar, inelegibilidade;
d) caracterização, descaracterizar,caracterizava;
e) embrutecer, bruto, brutal.

31. A opção em que não se verifica variação de radi-


cal é:
a) valho - valeria - valêsse-mos;
b) coubeste - cabes - caibas;
c) brincam - brinques -brincávamos;
d) sentíeis - sinta - sentiram;
e) servistes - sirvo - servira.

32. Assinale a opção em que todas as palavras pos-


suem um mesmo radical.
a) favo - favor - favorável;
b) luz - luzeiro - aluminar;
c) perfumado - fumaça - fumo;
d) virgem - virginal - viavem;
e) as letras “b” e “d” estão corretas.

33. Assinale o INCORRETO quanto à análise mórfica


da forma verbal DEIXARA:
a) deix - radical;
b) a - (o primeiro) - vogal temática;
c) deixa - tema;
d) ra - desinência / sufixo modo temporal;
e) a - (o segundo) - desinência / sufixo número-pes-
soal.

34. Não é COMPOSIÇÃO por AGLUTINAÇÃO:


a) fidalgo; d) aguardente;
b) petróleo; e) horticultura.
c) manda-chuva;

35. O processo que gerou o substantivo brilhante, a


partir do adjetivo brilhante, é chamado:
a) reduplicação; d) parassíntese;
b) regressão; e) aglutinação.
c) conversão;

36. Assinale a opção em que todas as palavras obe-


decem ao mesmo processo de formação:
a) aguardente - girassol - reco-reco;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


5
6 EDITORA HE_EDUCA

c) sociologia - burocracia - televisão; e) subserviente – subseqüente.


d) passatempo - fidalgo - decímetro;
e) descobrir - infeliz - planalto.

37. Incorreta a caracterização do processo de


forma- ção:
a) meio-dia: composição por justaposição;
b) fortalecer: derivação sufixal;
c) demora (substantivo): derivação regressiva;
d) fonseca: derivação sufixal;
e) pneu: abreviação.

38. Em “. . . Dádiva ao Senhor . . .”


A palavra Senhor é um exemplo de:
a) derivação regressiva;
b) aglutinação;
c) conversão;
d) reduplicação;
e) derivação sufixial.

39. Assinale a série de vocábulos em que todos


os sufixos exprimem noção de qualidade:
a) sensibilidade - delicadeza - docemente;
b) decoração - bronzeado - selvagem;
c) fraqueza - doçura - ferocidade;
d) sentimento - rapidamente - majestosa;
e) dourado - vegetação - beleza.

40. Assinale. a opção em que o afixo da palavra


te- nha o mesmo sentido que o encontrado na
pala- vra ESCORRER:
a) introduzir; d) decair;
b) importar; e) soterrar.
c) exportar;

41. Assinale o par de vocábulos que guardam entre


si a mesma relação significativa existente entre
EX- PORTAR / EXPORTAÇÃO:
a) importar / importador;
b) estudar / estudante;
c) descobrir / descobrimento;
d) opor / oponente;
e) ouvir / audível.

42. Assinale a opção em que as palavras


obedecem aos mesmos processos de
formação que os das palavras: INÚTIL,
QUERO-QUERO e ATUANTE:
a) supercílio / decreto-lei /estudante;
b) dissecar / reco-reco / destoante;
c) soterrar / toque-toque / loucura;
d) desfolhar / tico-tico / fidalgo;
e) ilegal / couve-flor / navegante.

43. Assinale a alternativa em que o par de


vocábulos apresenta prefixos de mesma
significação :
a) imposição – impossível;
b) adjunto – abstar;
c) desfazer – decair;
d) hipótese – supor;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
6
7 EDITORA HE_EDUCA

44. As palavras preferência e rotação: são formadas 51. Identifique os vocábulos que foram formados por
com sufixos -ncia e -ção, também formadores, prefixos latinos e gregos, respectivamente e que
respectivamente, de substantivos derivados dos guardam a mesma significação:
seguintes verbos: a) reler / hemisférios;
a) repetir - estabelecer b) compor / apogeu;
b) concordar - objetar c) reatar / refazer;
c) cumpir - cassar d) decair / catarata;
d) surgir - atuar e) pospor / exôdo.
e) abstrair - aferir.
52. Assinale a palavra cujo prefixo grego significa afas-
45. Assinale a opção em que o elemento mórfico está tamento:
devidamente caracterizado. a) eufemismo; d) ateu;
a) Emprestaste: -STES é desinência de segunda b) disfagia; e) anemia.
pessoa do singular; c) apogeu;
b) Emprestas: -A é a vogal temática;
c) Venderíamos: -RIA é DMT de mais-que-perfeito; 53. Idem para separação:
d) Explicavas: -VA é DMT de mais-que-perfeito; a) eufonia; d) anatomia;
e) Aprendas: -A é vogal temática. b) afonia; e) hipogeu.
c) protagonista;
46. Assinale o item em que o elemento mórfico foi
analisado incorretamente. 54. Idem para através de:
a) Interessem-DMT: SSEM: a) periferia; d) mesóclise;
b) Pegassem-VT: A; b) diálogo; e) prólogo.
c) Produzido-radical: PRODUZ; c) epidemia;
d) Contivemos-DMT: E;
e) as letras “A” e “B” apresentam erro na classifica- 55. Assinale a opção em que todos os verbos formam
ção dos elementos mórfico. substantivos designativos da ação ou do resulta-
do dela – por meio de sufixos entre si:
47. Nos prefixos das palavras: a) violar - apresentar - optar;
RENOVO, INSENSÍVEL e CONCORRER, há, res- b) vingar - estacionamento - plantar;
pectivamente, as idéias de: c) separar - obedecer - viver;
a) repetição, concomitância, afastamento; d) aceitar - romper - alargar;
b) repetição, negação, concomitância; e) ouvir - reunir - determinar.
c) repetição, aproximação, concomitância;
d) concomitância, negação, aproximação; 56. O sufixo do vocábulo habilidade e o sufixo do vo-
e) repetição, negação, aproximação. cábulo transferência são usados para derivar, res-
pectivamente, nomes das formas:
48. Assinale o par em que os prefixos, um grego e a) íntimo - revelar;
outro latino, não são sinônimos: b) sutil - surgir;
a) HIPO / SUB (posição inferior); c) efêmero - ocorrer;
b) DI / DIS (duplicidade); d) pobre - advertir;
c) HEMI / SEMI (metade); e) intenso - comprometer.
d) PERI / CIRCUN (movimento em torno de);
e) A / IN (negação). 57. “As velhas casas da encosta cederam lugar à
construções modernas”.
49. Incorreta a correlação de prefixos em: Tendo em vista o tempo em que foi empregada
a) infiel - antítese; neste trecho a forma verbal cederam, assinale a
b) sublingual - hipótese; correta divisão e classificação de seus elementos
c) decapitar - catarata; mórficos:
d) semideus - hemisfério; a) CED=radical; E=variante da vogal temática;
e) heneplácito - eutanásia. CEDE=tema, RAM=desinência acumulativa;
b) CEDER=radical; A=vogal temática;
50. Par de vocábulos com sufixos de valor correspon- CEDERA=tema; M=desinência acumulativa;
dente ao das palavras CAÇADOR e BANANAL: c) CED=radical; E=variante de vogal temática;
a) amor - natural; CEDE=tema; RA=desinência modo-temporal;
b) ardor - atual; M=desinência número-pessoal;
c) pendor - cipoal; d) CE=radical; E=vogal temática; CEDE=tema;
d) amante - folhagem; RA=desinência modo-temporal; M=desinência
e) pianista - antiquário. número-pessoal;
e) CED=radical; E=vogal temática; CED=tema;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


7
8 EDITORA HE_EDUCA

RAM=desinência acumulativa.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


8
9 EDITORA HE_EDUCA

CLASSE DAS PALAVRAS 65. Assinale a opção em que ambos os termos não
admitem flexão de gênero:
58. Assinale a opção em que a inversão da ordem a) inglesa pálida;
dos termos altera o sentido fundamental do enun- b) jovem leitor;
ciado: c) alguns mestres;
a) era uma poesia simples / era uma simples poe- d) semelhante criatura;
sia; e) moça ideal.
b) possuía um sentimento vago / possuía um vago
sentimento; 66. Assinale o substantivo sobre-comum:
c) olhava uma parasita mimosa / olhava uma mimo- a) mártir; d) garoto;
sa parasita; b) cliente; e) cônjuge.
d) havia um contraste incrível / havia um incrível con- c) lápis;
traste;
67. Substantivo que admite dois plurais:
59. Qual a palavra ou expressão grifada que não tem a) verão; d) demão;
valor adjetivo: b) cristão; e) irmão.
a) “Vontade de mudar as cores do vestido tão feias”. c) desvão;
b) “De minha pátria, de minha pátria sem sapatos”.
c) “Vi minha humilde morte cara a cara”. 68. Assinale a alternativa em que ocorre o emprego
d) “Fiquei simples, sem fontes” adequado do artigo antes dos substantivos:
e) “Em longas lágrimas amargas”. a) o sósia, o elipse, a omoplata
b) a champanha, o telefonema, a motocicleta;
60. A expressão sublinhada em “Há um quer que seja c) o anátema, o diabete, o saca-rolhas;
de satânico na pupila da onça” funciona como: d) o cal, o formicida, a libido;
a) substantivo; d) pronome; e) o lança-perfume, a cataplasma, a dó.
b) adjetivo; e) verbo.
c) advérbio; 69. O par de vocábulos que pertencem ao gênero
masculino é:
61. Em algumas gramáticas, o adjetivo vem definido a) telefonema, champanha;
como sendo “a palavra que modifica o substanti- b) aguardente, elipse;
vo”. Assinale a alternativa em que o adjetivo subli- c) testemunha, clã;
nhado CONTRARIA a definição: d) sósia, dinamite;
a) encontrei a linda moça; e) cal, guaraná.
b) ali só vi gente feliz;
c) quarto limpo é outra coisa; 70. Indique o grupo de vocábulos que só admitem “o”:
d) tomar sorvete é gostoso; a) cal, dó, sentinela;
e) ele é um homem cruel. b) contralto, eczema, aluvião;
c) hosana, apêndice, apendicite;
62. Em “Os brasileiros marinheiros têm ocasião de d) telefonema, eclipse, afã;
conhecer o mundo todo”, a classe da palavra gri- e) trama, elipse, omoplata.
fada é:
a) adjetivo; d) substantivo; 71. Assinale o par de vocábulos que formam o plural
b) locução adjetiva; e) adjetivo pátrio. como bênção e povo, respectivamente (no segun-
c) pronome adjetivo; do vocábulo, considere também a ocorrência ou
não de mudança de timbre da vogal tônica):
63. Assinale a opção em que a locução destacada a) irmão / osso; d) órgão / piloto;
tem valor adjetivo: b) alemão / ovo; e) botão / cachorro.
a) comprou papel de seda; c) balão / fogo;
b) cortou-o com amor;
c) mudava de cor; 72. Assinale o par de vocábulos que formam o plural
d) gritava com maldade; como balão e caneta-tinteiro, respectivamente:
e) salteou-o com atiradeiras. a) vulcão / abaixo-assinado;
b) questão / manga-rosa;
64. Aponte a dupla de adjetivos uniformes: c) razão / guarda-chuva;
a) comum - incolor; d) irmão / salário-família;
b) impostor - inferior; e) bênção / papel-moeda.
c) são - cortês;
d) hebreu - palerma; 73. Assinale a alternativa em que as formas do plural
e) feliz - ancião. de todos os substantivos se apresentam de ma-
neira CORRETA:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


9
10 EDITORA HE_EDUCA

a) animalzinhos, vaivéns, salvos-condutos, vai-voltas;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
11 EDITORA HE_EDUCA

b) afazeres, frutas-pão, pé-de-moleques, peixe-bois; sentimentos de diversas naturezas: carinho (mãe-


c) bens-amados, cidadãos, barris, cachorro-quentes; zinha), ironia (santinho), depreciação (padreco),
d) alto-falantes, coraçãozinhos, espadas, víveres; etc.
e) vai-volta, pasteizinhos, salvo-condutos, beija-flo- c) em certos adjetivos, sufixos característicos do
res. diminutivo podem expressar verdadeiro superlati-
vo (certinho);
74. Assinale a alternativa que completa corretamente d) encontramos, em português, diversos sufixos ca-
as lacunas da frase: racterizadores do diminutivo. Entre eles, a forma
Os anunciaram que os JOGOS DE OU- ote ( frangote, saiote, rapazote; etc );
TUBRO foram bem sucedidos, evidenci- e) têm sentido pejorativo os diminutivos corpúscu-
ando, também, a presença de atletas nas lo, livreco.
competições.
a) alto-falantes - muito - bastantes; 80. Eu “vou-me embora pra Pasárgada”, a palavra
b) alto-falantes - muito - bastante; grifada é:
c) altos-falantes - muitos - bastantes; a) palavra de realce;
d) altos-falante - muito - bastante; b) palavra de inclusão;
e) alto-falante - muito - bastante. c) conjunção subordinativa;
d) advérbio;
75. Marque a alternativa formada de vocábulos com- e) preposição.
postos cujo último elemento é o único a flexionar-
se: 81. As expressões sublinhadas correspondem a um
a) saca-rolha, surdo-mudo, azul-escuro; advérbio, EXCETO em:
b) guarda-florestal, pára-raio, abaixo-assinado; a) aparecia aqui vez por outra;
c) beija-flor, segunda-feira, todo-poderoso; b) durante o discurso, manteve-se em silêncio;
d) guarda-civil, pró-reitor, agro-pastoril; c) não disse com certeza se virá.
e) guarda-roupa, anglo-americano, verde-claro. d) afirmo-lhe que não o vi frente a frente;
e) as ações do homem são imprevisíveis.
76. Assinale a opção que caracteriza corretamente o
plural de copo-d’água, obra-prima e Decreto- 82. Empregue mal ou mau:
Lei. 1. Ele não é um sujeito tão assim.
a) copos-d’água, obra-primas, decreto-leis; 2. Acontece, porém, que ela se acostumou .
b) copos-d’água, obras-prima, decretos-lei; 3. Ele é um elemento.
c) copo-d’águas, obras-primas, decretos-leis; 4. Ela vai se dar .
d) copos-d’água, obras-primas, decretos-lei; 5. O aluno foi nos exames.
e) copos-d’águas,obras-primas, decretos-leis.
A alternativa que preenche adequadamente as lacu-
77. Assinale a única alternativa em que há plural mal nas é:
formado: a) mau, mau, mal, mal, mau;
a) anão - anões; b) mal, mau, mau, mal, mal;
b) júnior - júniors; c) mal, mal, mau, mal, mal;
c) açúcar - açúcares; d) mau, mal, mau, mal, mal;
d) espécimen - especímenes; e) mau, mau, mau, mal, mal.
e) cidadão - cidadãos.
83. O adjetivo da expressão “mau destino” está corre-
78. Assinale a série de nomes masculino, feminino e tamente empregado, EXCETO em:
masculino. a) falar no mau, preparar o pau;
a) tribo, eclipse, tabu; b) desde cedo revelou-se um mau elemento;
b) telefonema, alvará, elipse; c) durante a festa, ele teve um mau proceder;
c) bílis, rês, ágape; d) não desejes mau a quem é teu amigo;
d) fibroma, poema, perdiz; e) escorregou e caiu de mau jeito.
e) anátema, cal, estratagema.
84. No trecho - “e usei deles como me pareceram
79. A palavra caminhãozinho, no grau diminutivo, nos quadrar melhor com o que eu pretendia expri-
recorda, a propósito, que são válidas todas as mir”, os vocábulos sublinhados se classificam res-
considerações abaixo sobre esse assunto (dimi- pectivamente como:
nutivo) menos uma. Aponte a exceção: a) conjunção / advérbio;
a) O plural de caminhãozinho é caminhõezinhos, b) conjunção / adjetivo;
como o de anelzinho é aneizinhos; c) advérbio / adjetivo;
b) além de expressar o “tamanho diminuído” do ser, d) preposição / advérbio;
pode a forma diminutiva expressar emoções ou e) preposição / adjetivo.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
12 EDITORA HE_EDUCA

85. As palavras que vêm sublinhadas estão correta- idade.


mente classificadas, EXCETO na alternativa:
a) os que protestarem, serão presos (pronome de-
monstrativo);
b) muitos choravam de alegria (pronome indefinido);
c) provavelmente irei a tua casa (advérbio de modo);
d) não sabemos se haverá exames (conjunção inte-
grante);
e) ainda que se desculpe, não lhe perdoarei (conjun-
ção concessiva).

86. Assinale a opção em que houve erro, ao se subs-


tituir a expressão sublinhada pelo pronome pes-
soal oblíquo:
a) “e faziam coisas incríveis” = e faziam-nas;
b) “onde as pessoas deveriam guardar seu dinheiro”
= onde as pessoas deveriam guardá-lo;
c) “teci cobertor com canto de canarinho” = teci-o
com canto de canarinho;
d) “dei poderes aos sapateiros” = dei-lhes poderes;
e) “visitou cada menino” = visitou-lhe.

87. Assinale a opção em que houve erro, ao se


substituir a expressão sublinhada pelo prono-
me oblíquo:
a) “antecederam a Segunda Guerra Mundial” / ante-
cederam-lhe;
b) “iniciando a série de science-fiction” / inician-
do-a;
c) “procuraram descrever a sociedade do futuro” /
procuram descrevê-la;
d) “presenciava todos os atos individuais” / presen-
ciava-os;
e) “caracterizam as modificações / caracterizam-nas

88. Preencha as lacunas das frases abaixo com os


respectivos pronomes, assinalando a opção certa:
1. De presente, deu-lhe um livro para ler.
2. De presente, deu um livro para .
3. Nada mais há entre e você.
4. Sempre houve entendimento entre e ti.
5. José, espere, vou .

a) ele, mim, eu, eu, comigo;


b) ela, eu, mim, mim, eu, consigo;
c) ela, mim, mim, mim, com você;
d) ela, mim, eu, eu, com você;
e) ela, mim, eu, mim,consigo.

89. Assinale a frase incorreta:


a) espero que você leve consigo o passaporte:
b) já houve discussões graves entre ti e mim;
c) cada um faça por si mesmo a redação;
d) sem ti e mim poucas coisas se fariam nesta casa;
e) Carlos, desejo falar consigo um instante.

90. Assinale a alternativa que completa corretamente


as frases abaixo, respectivamente:
1. Os gritos chegaram até .
2. Entre você e ______ há grande diferença de

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
13 EDITORA HE_EDUCA

a) isto é demonstração de força;


3. Entregou as fotografias para selecionar
as melhores. b) não diga semelhante coisa;
4. É muito difícil para ler durante a noite.
5. Minha irmã deixou a louça para lavar.

a) mim, mim, eu, mim, eu:


b) eu, eu, mim, mim, eu;
c) mim, mim, eu, mim, eu:
d) eu, mim, eu, eu, eu:
e) mim, eu, mim, eu, mim.

91. Use LHE e não O :


a) vigiava durante muitas horas;
b) desejo tudo de bom;
c) encarreguei de apanhar o livro;
d) incumbi de informar aos alunos;
e) proibi de sair da sala..

92. Assinale o item em que há erro quanto ao


empre- go dos pronomes SE, SI ou CONSIGO
:
a) feriu-se, quando brincava com o revólver e o
virou para si;
b) ela só cuida de si;
c) quando V.Sª. vier, traga consigo a informação;
d) ele se arroga o direito de vetar tais artigos;
e) espere um momento, pois tenho de falar consigo.

93. Marque a frase que NÃO apresenta erro de


regên- cia verbal:
a) não lhe amo mais;
b) prefiro andar do que ficar parado;
c) a verdade é que eu lhe quero muito bem;
d) não irei onde me mandares;
e) sempre lhe vejo no mesmo lugar.

94. Assinale o item que indica as palavras que


com- pletam as lacunas:
Se você o gato, meu filho,
mais cauteloso
a) rever - sê; d) revir -seja;
b) rever - seja; e) revir - sejai.
c) revir - sê;

95. Em todos os versos, o pronome sublinhado


está corretamente classificado, EXCETO em:
a) estavam todos dormindo / estavam todos
deita- dos / dormindo profundamente”:
demonstrativo;
b) “ela, a vida, a respondeu / com sua presença
viva”: possessivo;
c) “ - Severino retirante, / deixe agora que lhe
diga”: pessoal;
d) “há uma água clara que cai sobre pedras escuras
/ e que pelo som, deixa ver como é fria.”:
relativo;
e) “onde, estava o teu perfume? Ninguém
soube.”: indefinido.

96. Em “vários milhões de crianças” a classe da


palavra grifada encontra correspondência em:
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
13
14 EDITORA HE_EDUCA

c) minhas amigas sabem das coisas; c) são esses dias que estamos atravessando;
d) que maravilhosa ! d) aos cinco anos entrei para a escola; desde esse
e) que problema ! tempo vivo estudando sem parar;
e) Naquele tempo contava apenas uns quinze
97. Em “... ajudou alguém a se reconciliar consigo anos . . .
mesmo ...” a palavra sublinhada é:
a) palavra de repetição; 104. Assinale, entre os exemplos abaixo, aquele em
b) pronome de reforço; que se deveria usar este ou neste, em vez de
c) pronome reflexivo; esse ou nesse:
d) palavra expletiva; a) ouvi-o atentamente. E, nesse instante, compre-
e) adjetivo. endi-me melhor;
b) Inda palpita aqui, nesse peito, o coração, naquele
98. Em “Tenho uma amiga que certa vez ...” a palavra meigo abraço;
sublinhada é: c) a serpente extravasara a peçonha. E contra esse
a) advérbio de tempo; comum inimigo se ajudaram mutuamente o ho-
b) pronome adjetivo indefinido; mem e o cão;
c) pronome adjetivo relativo; d) se conhecêsseis melhor esse caminho, não te-
d) pronome substantivo indefinido; ríeis errado tanto;
e) pronome adjetivo demonstrativo. e) tira-me esse livro daí onde estás.

99. Assinale a opção em que a palavra só NÃO se 105. “Este é o teatro inauguração assisti e
classifica como em” ... só os pretos faziam as me referia na nossa conversa de on-
compras para o jantar ou andavam no ganho.” b) já lhe darei este livro que estou folheando;
a) o preto só queria passear pela cidade;
b) desejávamos só que os pretos ficassem concen-
trados;
c) os pretos viviam só para jantar ou para dormir;
d) só havia pretos na cidade de São Luís do Mara-
nhão;
e) o preto iria só, apesar do calor.

100. Em “... a folha permanece meio escrita ...” meio é:


a) advérbio; d) pronome indefinido;
b) numeral; e) adjetivo.
c) substantivo;

101. Na oração “certos amigos não chegam a ser ja-


mais amigos certos”, o termo grifado é sucessi-
vamente:
a) adjetivo e pronome;
b) pronome pessoal e pronome relativo;
c) pronome indefinido e adjetivo;
d) pronome adjetivo e pronome indefinido;
e) adjetivo anteposto e adjetivo posposto.

102. Assinale a opção que preenche corretamente os


espaços no enunciado: “Graciliano Ramos, Ra-
cheI de Queiroz e Carlos Drummond de Andrade
são expoentes máximos em vossas letras, po-
rém dedicaram-se ao romance e
à poesia”.
a) aquelas - esse; d) aqueles - esse;
b) aquelas - este; e) esses - este.
c) aqueles - este;

103. Assinale, entre as frases abaixo, o exemplo que


mostra construção errada no emprego de “este /
esta / isto”; “esse / essa / isso” e “aquele / aquela /
aquilo” :
a) passe-me esse livro que está perto de você;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
15 EDITORA HE_EDUCA

tem”. A alternativa que preenche corretamente as


lacunas é:
a) a cuja, ao qual; d) à qual, sobre que;
b) cuja, ao qual; e) cuja a, na qual.
c) de cuja, à qual;

106. Assinale a única opção cuja lacuna se


preenche com a preposição entre parênteses:
a) trouxe os livros que precisamos (de);
b) trouxe os livros que precisamos ler (de);
c) trouxe os livros que eu me revoltei (de);
d) trouxe os livros que nós discutimos
bas- tante (sobre);
e) trouxe os livros que não se deve
prescin- dir (a).

107. Assinale a alternativa cuja construção contém


erro gramatical:
a) estas são as regiões onde vivíamos;
b) quais são os lugares a que vamos?
c) eis o lugar onde vou;
d) onde pensa que estamos?
e) eis o lugar donde saí.

108. Assinale a opção que completa corretamente


a lacuna da frase:
“Agora publico as poesias dei o
nome de PRIMEIROS CANTOS”.
a) às quais; d) à que;
b) que; e) a que.
c) as que;

109. Assinale o único exemplo que não pode ser


com- pletado com cujo, cuja ou cujos:
a) a dama em __________ casa estivemos é
poe- tisa;
b) o funcionário por intermédio
obtive isso é meu parente;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
16 EDITORA HE_EDUCA

c) o ídolo ante altares nos prostamos 115. Na frase “Deram-lhe receita para fazer o canário
é de mármore; cantar ...”, passando o verbo sublinhado para a
d) vamos falar com a pessoa filhos são mesma pessoa do pretérito mais-que-perfeito com-
nossos colegas; posto do indicativo, teremos:
e) eis os recibos de lhes falei ontem. a) têm dado; d) tivessem dado;
b) teriam dado; e) tinham dado.
110. Assinale a alternativa que preenche adequadamen- c) tiveram dado;
te as lacunas:
“O pai, apegado moral familiar, conde- 116. Em “Tanto que tenho falado ... ” , a forma verbal
nou as argumentações se valeu o fi- sublinhada está no:
lho, porque desagradavam profunda- a) pretérito mais-que-perfeito composto do subjun-
mente”. tivo;
a) com a - a que - o; b) presente composto do indicativo;
b) a - com que - lhe; c) pretérito imperfeito composto do indicativo;
c) à - de que - lhe: d) pretérito perfeito composto do indicativo;
d) a - de que - o; e) particípio passado.
e) na - a que - lhe.
117. Assinale a flexão verbal incorreta:
111. Assinale a forma verbal inaceitável em relação à a) se vir o tal colega, falar-lhe-ei;
norma culta da língua: b) se eu pôr o verbo no plural, erro de novo;
a) países que revêem o conhecimento tecnológico; c) se eu vier cedo, aguardo-o;
b) países que preveram o conhecimento tecnoló- d) se a duplicata estiver certa, paguem-na;
gico; e) se eu for tarde, esperem-me.
c) países que impuseram o conhecimento tecnoló-
gico; 118. Marque o item que complete corretamente a
d) países que obtém o conhecimento tecnológico; frase:
e) países que detiveram o conhecimento tecnoló- “Aqueles que do interior a ci-
gico. dade grande como um mundo que lhes ”.
a) vêem - vêm - convêm;
112. Assinale a frase que não se completa adequada- b) vêm - vêem - convém;
mente com a forma colocada entre parênteses: c) vem - vêm - convem;
a) trata-se de condições especiais, con- d) vêem - vêem - convêm;
vém a sociologia da ciência estudar (que); e) vêm - vem - convem.
b) trata-se de condições especiais, estu-
do será feito pela sociologia da ciência (cujo); 119. Textos: “Traze-me um pouco de tua lembrança,
c) trata-se de condições especiais, deve aroma perdido, “saudade, da flor !
cuidar a sociologia da ciência (de que). - Vê que nem te digo – esperança !
d) trata-se de condições especiais, de- Substituindo-se a 2ª pessoa do singular pela 2ª
vem ser investigadas pela sociologia da ciência pessoa do plural, teremos:
(que); a) trazeis, vossa / vedes, vos;
e) trata-se de condições especiais, a b) trazei, vossa / vede, vos;
sociologia da ciência decerto fará referência (que). c) traga, tua / vejas, te;
d) tragas, tua / vejais, te;
113. Das transformações a que se submeteu a frase - e) tragas, vossa / vejais,vos.
”dá-lhes o brilho necessário”
- assinale o único caso em que não houve proces- 120. As formas verbais sublinhadas estão corretas,
so de passivação: EXCETO em:
a) deu-se-lhes o brilho necessário; a) cri no que me disseste;
b) o brilho necessário lhes será dado; b) valho apenas pela minha aparência?
c) tem-lhes dado o brilho necessário; c) Antônio reouve o relógio perdido;
d) seja-lhes dado o brilho necessário; d) se teu irmão te contradizer, escuta-o;
e) o brilho necessário lhes teria sido dado. e) as pessoas presentes intervieram para evitar
brigas.
114. Há emprego da voz passiva, EXCETO em:
a) vende-se uma casa; 121. Texto: “Seja bendito, ó céu, aquele que ama. Mal-
b) foi batizado na igreja de são Pedro, pelo capelão; dito seja, ó inferno, quem odeia !”
c) a resposta foi dada por João, prontamente; Pelo verbo sublinhado flexionam-se os relaciona-
d) ele teve sua residência visitada por ladrões; dos abaixo, EXCETO:
e) os amigos abraçaram-se cordialmente em seu a) incendiar; d) ansiar;
reencontro. b) variar; e) intermediar.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


16
17 EDITORA HE_EDUCA

c) remediar;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


17
18 EDITORA HE_EDUCA

122. Assinale a opção que preencha corretamente as pio, em alguns verbos ocorre em outras formas.
lacunas:
O técnico junto aos jogadores que se
tranqüilos.
a) interveio – mantessem;
b) interveio – mantivessem;
c) interveio - mantesse;
d) interviu - mantessem;
e) interviu - mantivessem.

123. Assinale a opção que preencha corretamente as


lacunas:
“As autoridades as diligências para que
se , primeiro, certas exigências pro-
cessuais”.
a) susteram - satisfizessem;
b) sustaram - satisfizessem;
c) sustiveram - satisfizesse;
d) susteram - satisfizesse;
e) sustaram - satisfaça.

124. Assinale a opção que preencha corretamente as


lacunas:
“Não os olhos à contrário
lucidamente e teu mundo interior luz de
sua verdade”.
a) vendes - aprende-a - recompõe;
b) vende - aprende-a - recomponha;
c) venda - aprenda-a - recomponha;
d) venda - aprenda-a - recompõe;
e) vendas - aprenda-a - recompõe.

125. Assinale o item que apresenta o par contendo for-


ma rizotônica / forma arizotônica:
a) quero / vendido; d) queremos / fizemos;
b) canto / canta; e) direi / faria.
c) vendem / fazem;

126. Assinale a opção em que a forma verbal não tem


valor imperativo:
a) “Lança teu grito ao vento da procela”;
b) “Bandeira - talvez rasgue-se a metralha”;
c) “Ergue-te,ó luz! - estrela para o povo”;
d) “Traze a bênção de Deus ao cativeiro”;
e) “Levanta a Deus do cativeiro o grito !”.

127. Assinale a opção que não completa corretamen-


te as lacunas da frase abaixo:
Se um dia o Capitão Antônio Silvino
um homem feliz.
a) conseguir ver / vai ser;
b) tivesse visto / teria sido;
c) viesse a ver / iria ser;
d) puder ver / tinha sido;
e) chegasse a ver / ia ser.

128. “Acesas” é particípio adjetivo de “acender”, ver-


bo chamado “abundante”, porque possui dupla for-
ma no particípio (“acendido” e “aceso”).
Essa redundância, que é geralmente no particí-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


18
19 EDITORA HE_EDUCA

Assim, por exemplo, é o caso de: a) não põem nela todo o incêndio das auroras;
a) coser; d) vir; b) não ponhas nela todo o incêndio das auroras;
b) olhar; e) dançar.
c) haver;

129. Dos verbos arrolados abaixo, assinale o único


que, em relação à norma culta, não apresenta
duplo, particípio:
a) abrir; d) enxugar;
b) morrer; e) eleger.
c) imprimir;

130. Complete corretamente o texto:


“Enquanto uns trabalhavam, outros
tele
- visão”.
a) se entretiam na;
b) entretiam na;
c) entretinham na;
d) entretinham com a;
e) entretinham-se com a.

131. Em “Se quiséssemos rever, porém,


se eles quisessem “intervir ” as
formas verbais que completam corretamente a
frase são:
a) reveríamos - interviriam;
b) reveremos -interviessem;
c) reveria - intervissem;
d) revíamos - interviam;
e) revia - intervinham;

132. Há uma frase com a forma errada de


imperativo. Assinale-a.
a) não imponhais vossa opinião sem ouvirdes
primeiro a dos outros;
b) envie hoje mesmo o que lhe peço, através
deste menino;
c) viva eu sempre contente e nada de mal me
acon- teça;
d) fala primeiro com o teu chefe;
e) não aceita essa incumbência, Joana, pois tirará
a tua liberdade.

133. A correspondência está correta, EXCETO em:


a) fez (pretérito perfeito - modo indicativo);
b) quis (pretérito imperfeito - modo indicativo);
c) veio (pretérito perfeito - modo indicativo);
d) sou (presente - modo indicativo);
e) fui (pretérito perfeito - modo indicativo).

134. “Todos tinham escutado aquelas palavras”.


Gri- fou-se na frase:
a) imperfeito simples (indicativo);
b) imperfeito composto (indicativo);
c) mais-que-perfeito simples (indicativo);
d) mais-que-perfeito composto (indicativo);
e) imperfeito do subjuntivo;

135. A frase negativa que corresponderia a “Põe nelas,


todo o incêndio das auroras” é:
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
19
20 EDITORA HE_EDUCA

c) não põe nela todo o incêndio das auroras; e) requisesse - intervisse - reouvesse.
d) não ponha nela todo o incêndio das auroras;
e) não pondes nela todo o incêndio das auroras.

136. Em que frase apareceu um verbo anômalo?


a) várias pessoas irão ao jogo pela primeira vez.
b) anseio por um pouco de paz;
c) impugnou-se a partida;
d) aconteceram coisas incríveis;
e) perco os anéis, mas não os dedos.

137. Assinale a alternativa que possa preencher corre-


tamente as lacunas abaixo:
Certamente (haver) muitas mulheres na
reunião que tentarão, de todas as formas possí-
veis, (pressionar) os que se
(opor) ao projeto da creche comunitária.
a) haverão / pressionar / opuserem;
b) haverá / pressionar / opuserem;
c) haverão / pressionar / oporem;
d) haverá / pressionarem / oporem;
e) haverá / pressionarem / opuserem.

138. Indique a sentença em que, de acordo com a nor-


ma culta, o particípio passado está empregado
inadequadamente:
a) a nuvem tinha envolvido a montanha;
b) haviam envolto tudo em papel, para não quebrar;
c) eles tinham prendido o ladrão, mas ele escapou
depois;
d) todos foram presos, irremediavelmente;
e) eles foram eleitos por unanimidade.

139. Indique a oração que não está na voz ativa:


a) comeram toda a salada;
b) comeu-se toda a salada;
c) comeram tudo;
d) comeu tudo;
e) comeu-se muito.

140. Em “Pra cantar uma cantiga / Que faça você dor-


mir”, as formas verbais são respectivamente de:
a) infinitivo / presente do subjuntivo / infinitivo;
b) infinitivo / imperativo / futuro do subjuntivo;
c) futuro do subjuntivo / imperativo / futuro do subjuntivo;
d) futuro do subjuntivo / presente do subjuntivo /
infinitivo;
e) infinitivo / imperativo / infinitivo;

141. Forma verbal correta:


a) interviu; d) entretesse;
b) reavenha; e) manteram.
c) precavesse;

142. Se você e o seu amigo,


talvez você esses bens.
a) requisesse - intervisse - reavesse;
b) requeresse -intervisse - reavesse;
c) requeresse - interviesse - reouvesse;
d) requeresse - interviesse - reavesse;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


20
21 EDITORA HE_EDUCA

143. Alternativa com uma forma verbal incorreta:


a) propusera - intervim - requereram;
b) reouvemos - havia descoberto - tinha intervido;
c) tendo jogado - será aceito - foi pago;
d) anseia - ceara - receamos;
e) creu - entreténs - argúi.

144. Assinale a opção em que a substituição da


forma verbal grifada altera sensivelmente o
sentido do enunciado do texto:
a) “não agradece: Peri nada te fez”/agradeças;
b) se tu morreres, a senhoria havia de “chorar” /
ha- veria;
c) “onde é que este selvagem sem cultura
aprendera a poesia simples, mas grandiosa /
havia aprendi- do;
d) onde bebera a beleza de sensibilidade” / tinha
bebido;
e) “Beta primitivo, canta a natureza na mesma
lin- guagem da natureza” / cante

145. Aponte a alternativa incorreta quanto à


correspon- dência entre a locução e o adjetivo:
a) glacial (de gelo); ósseo (de osso);
b) fraternal (de irmão); argênteo (de prata);
c) farináceo (de farinha); pétreo (de pedra);
d) viperino (de vespa); ocular (de olhos);
e) ebúrneo (de marfim); insípido (sem sabor);

146. Assinale a opção em que a palavra grifada


não tem valor de adjetivo:
a) um branco, velho, pedia esmolas;
b) um velho, branco, pedia esmolas;
c) era um dia cinzento;
d) o sabão usado desbotou o verde da camisa;
e) os viajantes dormiam tranqüilos.

147. Assinale a opção em que os dois termos


admi- tem flexão de número:
a) bastante caminhada;
b) muito importante;
c) mais ritmo;
d) pouco considerável;
e) menos eficaz.

148. Assinale a opção em que a inversão da ordem


dos termos altera o sentido fundamental do
enun- ciado:
a) havia qualquer método / havia método qualquer;
b) outra importante característica / outra
caracterís- tica importante;
c) não é o único músculo / não é o músculo único;
d) impelem algum sangue / impelem sangue algum;
e) como as de um regime severo / como as de
um severo regime.

149. Assinale o composto cujo plural se faz como o


de sempre-viva:
a) beijo-de-moça; d) perde-ganha;
b) carta-bilhete; e) alto-falante.
c) corre-corre;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
21
22 EDITORA HE_EDUCA

150. Assinale o composto cujo plural se faz como o de b) . . . pode receber suprimento / pode recebê-lo;
ALTO-FALANTE: c) se você contrair a musculatura / se você a contrair;
a) abaixo-assinado; d) guarda-florestal; d) viu o acúmulo de sangue / viu-lhe o acúmulo;
b) quinta-feira; e) cirurgião-dentista. e) sempre afetam nocivamente o sistema circulató-
c) obra-prima; rio / sempre lhe afetam nocivamente.

151. Assinale o par de vocábulos que formam o plural 156. Assinale a frase que não pode ser completada
como cristão e corpo, respectivamente, (no se- com o pronome indicado entre parênteses:
gundo vocábulo, considere também a ocorrência a) levem- daqui (no);
ou não de mudanças de timbre da vogal tônica): b) põe- no lugar próprio (nas);
a) pagão / acordo; c) vi- na cidade, há dias ( lhe);
b) ancião / esgoto; d) tem- contigo? (lo);
c) espertalhão / tijolo; e) perdoei- imediatamente (lhe).
d) corrimão / bolso;
e) cidadão / imposto. 157. Assinale a construção que fere a NORM A
CULTA:
152. Assinale a opção em que todos os substantivos, a) trouxe a prova para mim;
quando no plural, apresentam mudança de timbre b) trouxe a prova para eu fazer;
da vogal tônica, conforme acontece com POVO c) nada houve entre mim e você;
(Ô) POVOS (Ó): d) para mim fazer isto, foi necessária muita convic-
a) tijolo, piloto, adorno; ção;
b) ovo, pescoço, olho; e) por não estar satisfeito, nada se resolveu.
c) globo, posto, bolo;
d) esforço; imposto, jogo; 158. Assinale a construção que fere a NORMA
e) osso, cachorro, transtorno. CULTA:
a) o problema é conosco;
153. Numere a segunda coluna de acordo com o signi- b) o problema é com nós dois;
ficado das expressões da primeira coluna e assi- c) falam mal de si mesmos;
nale a alternativa que contém a seqüência correta d) quero falar consigo;
dos algarismos: e) somos gratos a você.
1) o óleo santo;
2) a relva; 159. “Que isto fique só entre :
3) um sacramento; ela disse que falaria hoje, mas não
4) a ética; asseguro que seja verdade”.
5) a unidade de massa; A alternativa que preenche corretamente as lacunas é:
6) o ânimo. a) mim e ti, contigo, lhe;
b) eu e tu, consigo, lhe;
( ) a moral; c) mim e ti, contigo, te;
( ) a crisma; d) eu e tu, contigo, te;
( ) o moral; e) mim e ti, com você, lhe.
( ) o crisma;
( ) a grama; 160.
( ) o grama. I. Pusemos o livro na estante.
II. Põe o livro na gaveta.
a) 6, 1, 4, 3, 5, 2; d) 4, 3, 6, 1, 2, 5; III. Demos o livro a ele.
b) 6, 3, 4, 1, 2, 5; e) 6, 1, 4, 3, 2, 5.
c) 4, 1, 6, 3, 5, 2; Substituindo as palavras grifadas por um pronome oblí-
quo, temos:
154. Assinale a opção em que houve erro no uso do a) I - Pusemos-lo; II - Põe-lo; III - Demos-lhe;
pronome oblíquo: b) I - Pusemos-lo; II - Põe-no III - Demos-lhe;
a) romperam o tratado – romperam-no; c) I - Pusemo-o; II - Põe-no;III - Demo-lhe;
b) recuperarei meu dinheiro – recuperá-lo-ei; d) I - Pusemos-o; II - Põe-o; III - Demo-lhe;
c) aspiro à felicidade – aspiro-lhe; e) I - Pusemo-lo; II - Põe-no; III - Demos-lhe.
d) queria pagar tudo – a você – queria-lhe pagar tudo;
e) tenho que contar a ele verdade – tenho que contá- 161. Assinale a opção que completa corretamente as
la a ele. lacunas da frase abaixo:
O movimento do sangue depende do coração e
155. Assinale a opção em que houve erro, ao se substi- da parede dos vasos, enquanto , pela
tuir a expressão sublinhada pelo pronome oblíquo: contração do ventrículo esquerdo, impulsiona o lí-
a) afinal, não modela o corpo / afinal, não o modela; quido sanguíneo, se contrai, complemen-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


22
23 EDITORA HE_EDUCA

tando o impulso.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


23
24 EDITORA HE_EDUCA

a) esta - aquela; c) aquele - este; a) requeiro-lhe um atestado de bons antecedentes;


b) esta - aqueles; e) aquele - esta.
b) aqueles - estas;

162. Em “O que Eduarda perdeu neste desastrado co-


meço de ano, percebe-se logo...”, a palavra subli-
nhada é:
a) pronome relativo;
b) conjunção comparativa;
c) advérbio de intensidade;
d) substantivo;
e) pronome indefinido.

163. Escolha o item em que a forma apontada preen-


che a lacuna da seguinte frase:
A refinaria proprietário trabalhei, au-
mentou em 50% a sua produção este ano.
a) a cujo; d) cujo;
b) para cujo; e) de cujo.
c) a quem;

164. Assinale a opção que completa corretamente o


período “Envio as tarefas do mês de janeiro
você deve dedicar-se ao máximo”.
a) às cujas; d) às quais;
b) as quais; e) à qual.
c) à que;

165. Assinale a opção que preenche corretamente os


espaços do enunciado: O Brasil, seio se
extraem homens Ilustres, caminha decididamen-
te para o progresso, tanto aspiramos
e tanto lutamos a fim de torná-lo uma
nação seja rica e forte.
a) cujo - que - porque - a que;
b) a cujo - a que - a que - a que;
c) por cujo - por que - por que - que;
d) de cujo - a que - por que - que;
e) em cujo - a que - por que - que.

166. “Pisas alheia terra”


Reconstruindo-se a oração acima com o verbo na
forma imperativa, a opção que contraria a discipli-
na gramatical seria:
a) pise alheia terra;
b) não pisemos alheia terra;
c) não pises alheia terra;
d) não pisai alheia terra;
e) pisa alheia terra.

167. “As aves têm penas”, a forma têm encontra-se


com acento diferencial de número, pois marca o
plural. Isso também ocorre nas seguintes formas
verbais:
a) dêem - convém;
b) vem - revêem;
c) convêm - detêm;
d) crêem - retém;
e) lêem - mantém.

168. Erro de conjugação verbal:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


24
25 EDITORA HE_EDUCA

b) ele interviu na questão; vês. Mas não te !


c) eles foram pegos de surpresa; a) levanta, ergue, destrua, firas;
d) o vendeiro proveu o seu armazém do necessário; b) levante, ergue, destrua, fira;
e) os meninos desavieram-se por causa do jogo.

169. Assinale a opção em que só ocorrem formas


RI- ZOTÔNICAS:
a) passeamos / estréio / ponteias;
b) estreias / passeio / ponteie;
c) proporíamos / cantas / levem;
d) canto / vendesse / vença;
e) mobílio / mobiliemos / odiáramos.

170. Aponte a alínea onde há uma forma verbal in-


correta:
a) proveu (v. prover) – provejam (v. prover) – reviu
(v. rever);
b) provieram (v. provir) – interveio (v. intervir) –
detivestes (v. deter);
c) pulo (v. polir) – sorríamos (v. sorrir) –
precavenhas (v. precaver);
d) reouveste (v. reaver) – compusera (v. compor) –
cri (v. crer);
e) creu (v. crer) – remedeio (v. remediar) – águo
(v. aguar).

171. Colocando-se na voz ativa a frase “Eles terão


sido nomeados”, teremos:
a) eles serão nomeados;
b) eles terão nomeado;
c) eles nomearão;
d) nomeá-los-ão;
e) tê-los-ão nomeado.

172. Acredito que todos estejam vendendo as


casas. Passando-se a oração grifada para a voz
passiva, o verbo ficará assim:
a) foram vendidas;
b) tenham sido vendidas;
c) sejam vendidas;
d) estejam sendo vendidas;
e) tenham estado vendidas.

173. Há, na conjugação dos seguintes verbos, um


tem- po errado. Assinale-o:
a) CRER – pretérito perfeito do indicativo: cri,
creste, creu, cremos, crestes, creram;
b) ENTUPIR – presente do subjuntivo: entupa,
entu- pas, entupa, entupamos, entupais,
entupam;
c) POLIR – presente do indicativo: pulo, pules,
pule, polimos, polis, pulem.
d) RETER – mais-que-perfeito do indicativo:
retera, reteras, retera, reteramos, retereis,
reteram;
e) SAUDAR – imperativo afirmativo: saúda tu,
saúde você, saudemos nós, saudai vós,
saúdem vocês.

174. “Soldado ! a cabeça, teu fuzil


o que lá
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
25
26 EDITORA HE_EDUCA

c) levanta, ergue, destrói, firas; a) fosse / íamos fazer;


d) levantai, erguei,destruí, firais;
e) levanteis, ergueis, destruas, firais.

175. “Se você João, diga-lhe que Paulo já


o livro que havia sido roubado”.
A alternativa que preenche corretamente as lacunas é:
a) ver, reouve; d) vir, re-hauveu;
b) vir, reauveu; e) vir, reouve.
c) ver, re-houve;

176. Assinale a opção em que não há erro de impe-


rativo:
a) não ofenda os escravos pois não será feliz;
b) ouça os gritos dos teus escravos;
c) prende, nos elos da vossa -cadeia, os escravos;
d) não permiti, senhores, que os escravos vos ofen-
dam;
e) não odeie os seus senhores.

177. Assinale a alternativa que não caracteriza corre-


tamente a forma verbal da oração.
a) “Era uma velha sequinha” – pretérito imperfeito do
indicativo;
b) “que estava só no mundo” – pretérito imperfeito do
indicativo;
c) “tivesse sido alta e clara” – futuro do pretérito com-
posto;
d) “teria sido alta e clara” – pretérito mais-que-perfei-
to composto;
e) “tinha sido alta e clara” – pretérito mais-que-per-
feito composto.

178. Assinale a única alternativa em que há erro de


flexão verbal:
a) quando eu o vir, acertarei as contas;
b) se ele propor um aumento de verba, direi que nós
temos recursos;
c) o governo interveio na região;
d) os funcionários vêm aqui hoje;
e) na tentativa de solucionar o problema, eles se
desavieram.

179. Assinale a forma CORRETA do verbo VIR no pre-


sente do indicativo:
a) chefe, viemos mostrar a todos este trabalho;
b) vim comunicar ao amigo minha decisão;
c) vimos, Pedro, abraçá-lo;
d) viesse ele, ora, tudo estaria bem;
e) vindo Paulo, não há mais nada.

180. Assinale a forma ERRADA do verbo PONTEAR:


a) ponteias; d) ponteiam;
b) ponteiamos; e) ponteie.
c) pontearei;

181. Assinale a opção que NÃO completa corretamen-


te a lacuna da seguinte frase:
Se você aprovado, uma
grande festa.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


26
27 EDITORA HE_EDUCA

b) for / vamos fazer; c) O rádio = aparelho transmissor;


c) fosse / iríamos fazer; A rádio = estação geradora;
d) for / iremos fazer;
e) fosse / deveremos fazer.

CLASSES DE PALAVRAS SUBSTANTIVO:

182. Numa das seguintes frases, há uma flexão de


plural grafada erradamente:
a) os escrivães serão beneficiados por esta lei.
b) o número mais importante é o dos anõezinhos.
c) faltam os hifens nesta relação de palavras.
d) Fulano e Beltrano são dois grandes caráteres.
e) os répteis são animais ovíparos.

183. Assinale o par de vocábulos que fazem o plural


da mesma forma que “balão” e “caneta-tinteiro”:
a) vulcão, abaixo-assinado;
b) irmão, salário-família;
c) questão, manga-rosa;
d) bênção, papel-moeda;
e) razão, guarda-chuva.

184. Assinale a alternativa em que está correta a


for- mação do plural:
a) cadáver – cadáveis;
b) gavião – gaviães;
c) fuzil – fuzíveis;
d) mal – maus;
e) atlas – os atlas.

185. Indique a alternativa em que todos os


substanti- vos são abstratos:
a) tempo – angústia – saudade – ausência –
espe- rança – imagem;
b) angústia – sorriso – luz – ausência – esperança
– inimizade;
c) inimigo – luz – esperança – espaço – tempo;
d) angústia – saudade – ausência – esperança –
ini- mizade;
e) espaço – olhos – luz – lábios – ausência –
espe- rança.

186. Assinale a alternativa em que todos os


substanti- vos são masculinos:
a) enigma – idioma – cal;
b) pianista – presidente – planta;
c) champanha – dó(pena) – telefonema;
d) estudante – cal – alface;
e) edema – diabete – alface.

187. Sabendo-se que há substantivos que no


masculi- no têm um significado; e no feminino
têm outro, diferente. Marque a alternativa em que
há um subs- tantivo que não corresponde ao seu
significado:
a) O capital = dinheiro;
A capital = cidade principal;
b) O grama = unidade de
medida; A grama =
vegetação rasteira;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
27
28 EDITORA HE_EDUCA

d) O cabeça = o chefe; c) órgão: órgãos;corrimão: corrimãos; mel: méis;


A cabeça = parte do corpo; d) sótão: sótãos; álcool: álcoois; cônsul: cônsules;
e) A cura = o médico. e) faisão: faisães; anil: anis; capitão: capitães.
O cura = ato de curar.
195. Assinale a alternativa que contiver todos os ter-
188. Marque a alternativa em que haja somente subs- mos com plural correto:
tantivos sobrecomuns: a) luso-brasileiras; rosas-chá; sapatos-areia; decre-
a) pianista – estudante – criança; tos-lei;
b) dentista – borboleta – comentarista; b) guardas-marinha; prócers; procônsules; totens;
c) crocodilo – sabiá – testemunha; c) grã-cruzes; chefes-de-seção; surdo-mudos; pri-
d) vítima – cadáver – testemunha; mas-donas;
e) criança – desportista – cônjuge. d) saias-calças; ouvidores-mor; baixos-relevos; ga-
tos-pingados;
189. Aponte a seqüência de substantivos que, sendo e) sapatos-de-cristais; coronéis-de-barrancos; olhos-
originalmente diminutivos ou aumentativos, perde- de-gatos.
ram essa acepção e se constituem em formas
normais, independentes do termo derivante: 196. Entre os substantivos aqui relacionados, há um
a) pratinho – papelinho – livreco – barraca; que é do masculino qual?
b) tampinha – cigarrilha – estantezinha – elefantão; a) hóstia; d) Antífona;
c) cartão – flautim – lingüeta – cavalete; b) Anátema; e) Estenia.
d) chapelão – bocarra – cidrinho – portão; c) Ráfia;
e) palhacinho – narigão – beiçola – boquinha.
CLASSES DE PALAVRAS ADJETIVO:
190. Dados os substantivos “caroço”, “imposto”, “coco”
e “ovo”, conclui-se que, indo para o plural a vogal 197. Assinale a alternativa em que o adjetivo que qua-
tônica soará aberta em: lifica o substantivo seja explicativo:
a) apenas na palavra nº 1; a) dia chuvoso; d) fogo quente;
b) apenas na palavra nº 2; b) água morna; e) lua cheia.
c) apenas na palavra nº 3; c) moça bonita;
d) em todas as palavras;
e) N.R.A. 198. Assinale a alternativa que contém o grupo de ad-
jetivos gentílicos, relativos a “Japão”, “Três Cora-
191. Marque a alternativa que apresenta os femininos ções” e “Moscou”:
de “Monge”, “Duque”, “Papa” e “Profeta”: a) Oriental, Tricardíaco, Moscovita;
a) monja – duqueza – papisa – profetisa; b) Nipônico,Tricordiano, Soviético;
b) freira – duqueza – papiza – profetisa; c) Japonês, Trêscoraçoense, Moscovita;
c) freira – duquesa – papisa – profetisa; d) Nipônico, Tricordiano, Moscovita;
d) monja – duquesa – papiza – profetiza; e) Oriental, Tricardíaco, Soviético.
e) monja – duquesa – papisa – profetisa.
199. Ainda sobre os adjetivos gentílicos, diz-se que
192. O plural dos substantivos “couve-flor”, “pão-de-ló” quem nasce em “Lima”, “Buenos Aires” e “Jerusa-
e “amor-perfeito”, é: lém” é:
a) couve-flores; pães-de-ló; amores-perfeitos; a) Limalho-Portenho-Jerusalense;
b) couves-flores; pães-de-ló; amores-perfeitos; b) Limenho-Bonaerense-Hierosolimita;
c) couves-flores; pão-de-ló; amor-perfeitos; c) Límio-Portenho-Jerusalita;
d) couves-flores; pão-de-lós; amores-perfeitos; d) Limenho-Bonaerense-Jerusalita;
e) couves-flores; pães-de-ló; amor-perfeitos. e) Limeiro-Bonaerense-Judeu;

193. Indique o grupo de substantivo que só admite o 200. No trecho “os jovens estão mais ágeis que seus
artigo “o” : pais”, temos:
a) cal, dó, sentinela; a) um superlativo relativo de superioridade;
b) contralto, eczema, aluvião; b) um comparativo de superioridade;
c) hosana, apêndice, apendicite; c) um superlativo absoluto;
d) telefonema, eclipse, afã; d) um comparativo de igualdade.
e) trama, elipse, omoplata. e) um superlativo analítico de ágil.

194. Indique a alternativa que apresenta erro na forma 201. Relacione a 1ª coluna à 2ª:
do plural: 1 - água de chuva ( ) Fluvial
a) sol: sóis; fúsil: fúseis; anão: anões; 2 - olho de gato ( ) Angelical
b) peão: peões; guardião: guardiãos; caráter: carac- 3 - água de rio ( ) Felino
teres; 4 - Cara-de-anjo ( ) Pluvial
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
28
29 EDITORA HE_EDUCA

Assim temos: - ele pediu para elaborar alguns exercícios;


a) 1 – 4 – 2 – 3; d) 3 – 4 – 2 – 1; - para , viajar de trem é uma aventura deliciosa;
b) 3 – 2 – 1 – 4; e) 4 – 3 – 1 – 2. a) mim – mim – mim – mim – mim;
c) 3 – 1 – 2 – 4; b) mim – eu – eu – eu – mim;
c) eu – eu – mim –mim – eu;
202. Nas orações “Esse livro é melhor que aquele” e d) eu – mim –eu – mim – eu;
“Este livro é mais lindo que aquele”, Há os graus e) mim – eu – mim – eu – mim.
comparativos:
a) de superioridade, respectivamente sintético e ana- 208. Assinale a única frase correta quanto ao uso dos
lítico; pronomes pessoais:
b) de superioridade, ambos analíticos; a) você não pode ir sem eu;
c) de superioridade, ambos sintéticos; b) meu amigo, o diretor quer falar consigo;
d) relativos; c) entre eu e tu não pode haver romance;
e) superlativos. d) era para mim encontrar a solução do problema;
e) para mim, jogador de futebol tem que ter raça.
203. Selecione a alternativa que completa corretamen-
te as lacunas da frase apresentada: 209. Assinale o exemplo que contém mau emprego de
“Os acidentados foram encaminhados a diferen- pronome pessoal:
tes clínicas ”. a) nada mais há entre mim e ti;
a) médicas-cirúrgicas; d) médicos-cirúrgicas; b) nada mais há entre eu e ti;
b) médica-cirúrgicas; e) médica-cirúrgicos. c) nada mais há entre mim e ela;
c) médico-cirúrgicas; d) nada mais há entre ele e você;
e) nada mais há entre ele e ela.
204. Sabe-se que a posição do adjetivo, em relação ao
substantivo, pode ou não mudar o sentido do enun- 210. Era para falar ontem, mas
ciado. Assim, nas frases “Ele é um homem po- não encontrei em parte alguma.
bre” e “Ele é um pobre homem”. a) mim – consigo – o;
a) 1ª fala de um sem recursos materiais; a 2ª fala de b) eu – com ele – lhe;
um homem infeliz; c) mim – consigo – lhe;
b) a 1ª fala de um homem infeliz; a 2ª fala de um d) mim – contigo – te
homem sem recursos materiais; e) eu – com ele – o .
c) em ambos os casos, o homem é apenas infeliz,
sem fazer referência a questões materiais; 211. Assinale a alternativa em que o pronome grifado
d) em ambos os casos o homem é apenas desprovi- foi empregado corretamente:
do de recursos; a) aguarde um instante. Quero falar consigo.
e) o homem é infeliz e desprovido de recursos mate- b) é lamentável, mas isso sempre ocorre com nós
riais, em ambas. dois;
c) o processo está aí para mim examinar.
205. O item em que a locução adjetiva não correspon- d) Vossa Senhoria preocupa-se com problemas cuja
de ao adjetivo dado é: solução foge a vossa alçada;
a) hibernal - de inverno; e) Já se tornou impossível haver novos entendimen-
b) filatélico - de folhas; tos entre eu e você.
c) discente - de alunos;
d) docente - de professor; 212. Leia atentamente as seguintes frases:
e) onírico - de sonho. I - João deu o livro para mim ler.
II - João deu o livro para eu ler.
206. Assinale a alternativa em que todos os adjetivos
têm uma só forma para os dois gêneros: A respeito das frases anteriores, assinale a afir-
a) andaluz, hindu, comum; mação correta:
b) europeu, cortês, feliz; a) a frase I está certa, pois a preposição para exige
c) fofo, incolor, cru; o pronome oblíquo mim.
d) superior, agrícola, namorador; b) a frase II está certa¸ pois o sujeito de ler deve ser
e) exemplar, fácil, simples. o pronome do caso reto eu.
c) a frase I está certa, pois mim é objeto direito de
CLASSES DE PALAVRAS PRONOME: deu.
d) a frase II está certa, pois para exige o pronome do
207. Complete com “eu” ou “mim”: caso reto eu.
- eles chegaram antes de . e) ambas as frases estão corretas, pois a preposição
- há algum trabalho para fazer? para pode exigir a forma mim quanto a forma eu.
- há algum trabalho para ?

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


29
30 EDITORA HE_EDUCA

213. Assinale o item que não aparece o pronome nho, sem que se repartam as responsabilidades
relativo: entre .”
a) o que queres não está aqui; a) mim - eu e ti; d) eu - eu e ti;
b) temos que estudar mais; b) mim - mim e tu; e) eu - mim e ti.
c) a estrada por que passei é estreita; c) mim - mim e ti;
d) a prova que passo não é difícil;
e) a festa a que assisti foi ótima. 221. Complete as lacunas:
I - de presente, deu-lhe, um livro para _____ ler.
214. Assinale a alternativa em que a palavra onde II - de presente, deu um livro para _______ .
funciona como pronome relativo: III - nada mais há entre _______ e você .
a) não sei onde eles estão; IV - sempre houve entendimentos entre _______ e
b) onde está que não respondes; ti.
c) a instituição onde estudo é a UFP; V - José, espere, vou _______ .
d) ele me deixou onde está a catedral;
e) pergunto onde ele conheceu esta teoria. a) ela – mim – eu – eu – consigo;
b) ela – eu – mim – eu – consigo;
215. Assinale a alternativa que completa a frase: c) ela – mim – mim – mim – com você;
“ O garoto ______ cobra picou, passa bem.” d) ela – mim – eu – eu – consigo;
a) a quem; d) em quem; e) ela – mim – eu – mim – consigo.
b) cuja; e) cuja a;
c) o qual; 222. Indique a alternativa em que o pronome oblíquo
é reflexivo:
216. Assinale a alternativa em que o adjetivo ou a) todos me ajudaram muito;
pronome adjetivo não sofre mudança de sen- b) eu me machuquei com a faca;
tido, conforme venha antes ou depois do subs- c) assim tu o prejudicas;
tantivo: d) eu te direi toda a verdade;
a) ainda não fui apresentado ao novo diretor da e) eu te darei o céu, meu bem, e o meu amor tam-
empresa; bém.
b) já não há dúvidas: por mais poderoso que pos-
sa parecer, ele é um vereador simples; 223. Indique a alternativa que completa corretamente
c) algumas questões de pouca relevância foram as lacunas:
suficientes para retardar o andamento dos tra- 1) É muidifícil para escrever-lhe diariamente.
balhos; 2) Eles chegaram a discutir entre , mas não
d) foi amplamente noticiado que um falso advoga- brigaram.
do estava envolvido com os criminosos; 3) Percebi que o plano era para desistir do
e) paisagens lindas iam-se sucedendo durante a jogo.
viagem. 4) Passeando pelo jardim, o velho falava ,
murmurando frases confusas.
217. Visitei o sítio da amiga de Paula, o qual muito
me encantou. Usou-se o qual em vez de que: a) mim – eles – mim – consigo;
a) por uma questão de estilo; b) mim – si – eu – consigo
b) pois só o qual é conectivo; c) eu – eles – eu – contigo;
c) pois a segunda oração é adjetiva; d) eu – si – eu – consigo.
d) pois ali só caberia um pronome relativo; e) mim – si – mim – contigo
e) para evitar-se ambigüidade.
“Este encargo é para assumir sozi-
218. Vossa Excelência arrependerá de ter tra-
ído povo !
a) vos – vosso; d) se – seu;
b) se – vosso; e) te – teu.
c) vos – seu;

219.O pronome de tratamento usado para Reitores é:


a) Vossa Excelência;
b) Vossa Magnificência;
c) Vossa Eminência;
d) Vossa Reverendíssima;
e) N. R. A .

220. Complete as lacunas com o pronome adequado:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


30
31 EDITORA HE_EDUCA

224. Complete as lacunas com o pronome adequado:


1) “ documento que tens à mão é
importante, Pedrinho?
2) “A estrada do mar, larga e oscilante
sim, o tentava.”
3) “Na traseira do caminhão lia-se
frase: Tristeza não paga dívida”.
4) “Cuidado, mergulhador, animais são
venenosos: a arraia miúda, o peixe-escorpião,
a medusa, o mangangá.”
a) Esse – essa – esta – estes;
b) este – esta – esta – estes;
c) este – esta – essa – esses;
d) esse – essa – essa – esses;
e) este – esta – essa – estes.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


31
32 EDITORA HE_EDUCA

225. Em “ Somente as do Fé-em-Deus (. . .) 231. “Acredito que Maria tenha feito a lição”, passan-
sairiam ao largo ”. Nesta construção a pa- do-se a oração sublinhada para a voz passiva, o
lavra “as” é: verbo ficará assim:
a) pronome pessoal oblíquo átono; a) foi feita;
b) pronome demonstrativo; b) tenha sido feita;
c) artigo definido feminino no plural; c) esteja sendo feita;
d) preposição simples, essencial; d) tenha estado feita;
e) pronome pessoal com função de sujeito. e) seja feita.

226. Dadas as sentenças: 232. Transportando para a voz passiva a frase “eu es-
1) Ela comprou um livro para mim ler. tava revendo, naquele momento, as provas tipo-
2) Nada há entre mim e ti. gráficas do livro”, obtém-se a forma verbal . . .
3) Avilmar, gostaria de falar consigo. a) ia revendo;
Verificamos que está (estão) correta (s): b) estava sendo revisto;
a) apenas a sentença nº 1; c) seriam revistas;
b) apenas a sentença nº 2; d) comecei a rever;
c) apenas a sentença nº 3; e) estavam sendo revistas.
d) apenas a sentença nº 1 e nº 2;
e) todas as sentenças. 233. Assinale a alternativa que contém voz passiva:
a) tínhamos apresentado diversas opções;
CLASSES DE PALAVRAS VERBO: b) dorme-se bem naquele hotel;
c) precisa-se de gerentes de vendas;
227. Há verbos chamados abundantes, porque têm d) difundia-se o boato de que haveria racionamento;
mais de uma forma, especialmente para o particí- e) N. R. A
pio, como expulso e expulsado. Assinale o par
em que os dois verbos não têm os dois particípios 234. Transportando para a voz ativa a oração “os sóci-
no uso corrente da língua: os foram convocados para uma reunião”. Obtém-
a) aceitar – acender; d) soltar – romper; se a forma verbal:
b) fazer – ver; e) prender – extinguir. a) convocaram-se;
c) emitir – incorrer; b) convocaram;
c) convocar-se-ia;
228. Os períodos que possuem verbos auxiliares: d) haviam sido convocados;
I - É mister trabalharmos mais. e) haverão de ser convocados.
II - Já vem raiando a madrugada.
III. Ela ficava filosofando, ao contemplar as estrelas. 235. Transpondo para a voz ativa a frase “O processo
deve ser revisto pelos dois funcionários”, obtém-
a) I e II; se a forma verbal:
b) II e III; a) deve-se rever; d) reverão;
c) I e III; b) devem rever; e) rever-se-á.
d) I, II e III; c) será revisto;
e) nenhum possui verbo auxiliar.
236. Complete as frases abaixo com o presente do
229. Em “ como se tivéssemos vivido sempre subjuntivo dos verbos indicados entre parênteses:
juntos”, a forma verbal está no: A) Como os preços baixaram, é necessário que nós
a) imperfeito do subjuntivo; o orçamentos (refaz);
b) futuro do presente composto; B) É importante que nossa tentativa o es-
c) mais-que-perfeito composto do indicativo; forço (valer);
d) mais-que-perfeito composto do subjuntivo; C) Convém que ele um novo acordo (propor);
e) futuro composto do subjuntivo. D) Para que não nomeemos é necessário que nós
o que elas pensam (saber);
230. Assinale a alternativa correta quanto ao uso de E) Espero que todos os responsáveis a
verbos abundantes: culpa (assumir).
a) foi elegido pelas mulheres, apesar de haver eleito a) refaçamos - valha - proponha - saibamos - assu-
a maioria dos homens; mam;
b) por haver aceitado as condições do acordo, seus b) refazemos - valha - proponham - sabemos - assu-
documentos foram entregues ao escrivão; mam;
c) antes de chover, ele tinha cobrido o carro; c) refaçamos - valham - proponha - soubemos - as-
d) tem fazido muito calor ultimamente; sumem;
e) por ter morto um animal indefeso, o caçador foi d) refazemos - valha - proponha - saibamos - assu-
matado pelos índios. mam;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


32
33 EDITORA HE_EDUCA

e) N.D.A.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


33
34 EDITORA HE_EDUCA

237. Assinale a alternativa em que todas as formas e) dizia Rui Barbosa: “Fazeis o que vos manda a
verbais pedidas estejam certas: consciência, e não fazeis o que convém ao apeti-
Haver (presente subjuntivo, 1ª pessoa do singu- tes.
lar);
Crer (presente indicativo, 3ª pessoa do plural); 243. Assinale o item que contém as formas verbais
Passear (presente subjuntivo, 2ª pessoa do plural). corretas:
a) haja – crêem – passeeis; a) reouve – intervi; d) reavi – intervi;
b) haje – crêm – passeieis; b) reouve – intervim; e) rehavi – intervim.
c) haje – creem – passeais; c) rehouve – intervim;
d) hajai – creim – passeiais;
e) haja – creiem – passeies. 244. Que alternativa contém as palavras adequadas
para o preenchimento das lacunas?
238. “As linhas para um ponto e depois se “Do lugar de onde eles , diver-
no infinito”. sas romarias”.
a) convergem – esvão; a) provém – afluem; d) provêem – afluem;
b) convirgem – esvaem; b) provém – aflue; e) provêm – afluem.
c) convergem – esvaiem; c) provém – aflui;
d) convergem – esvaem;
e) convirgem – esvão. 245. A frase “Procure compreender seus pais” está na
3ª pessoa do singular. Passando-a à 2ª pessoa
239. Assinale a alternativa que completa corretamente do singular, teremos:
os espaços em branco: a) procuras compreender vossos pais;
“É preciso que novidades interessantes b) procurai compreender teus pais;
que e ao mesmo tempo”. c) procura compreender seus pais;
a) surjam – divertem – instruam; d) procura compreender teus pais;
b) surjam – divirtam – instruam; e) N.R.A.
c) surjam – divirtam – instruem;
d) surgem – divertem – instruem; 246. Assinale a alternativa que completa corretamente
e) surgem – divirtam – instruam. a frase abaixo. Observe que na primeira lacuna a
forma verbal é do imperativo afirmativo e, na se-
240. Considere as frases: gunda, a forma verbal é do imperativo negativo.
1) “Eles querem que nós (fazer) o trabalho”. Além disso, note que é a forma verbal “Vencerás”
2) “Fazemos esforços para que todos (caber) na que determina a pessoa gramatical a ser usada
sala”. nas duas formas do imperativo.
Flexionando corretamente os verbos indicados, te- “ , não e vencerás”
remos: a) lute – desista; d) lutas – desiste;
a) façamos – cabem; b) lutai – desisti; e) lutai – desista.
b) fazemos – caibam; c) luta – desistas;
c) fazemos – coubessem;
d) façamos – caberem; 247. A relação dos verbos que completam, convenien-
e) façamos – caibam. temente e em correspondência com as frases, as
respectivas com lacunas:
241. Assinale a frase em que há erro de conjugação 1 - “eles melhor, sentados aqui”
verbal: 2 - “todos ainda nisso”
a) os esportes entretêm a quem os pratica; 3 - “este produto os mesmos fatores”
b) ele antevira o desastre;
c) só ficarei tranqüilo quando vir o resultado; a) vêm – creêm – contém;
d) eles se desavinham freqüentemente; b) vêem – crêm – contém;
e) ainda hoje requero o atestado de bons antece- c) vêem – crêem – contém;
dentes. d) vêm – crêem – contém;
e) vêem – crêem – contêm.
242. Das frases que seguem, uma traz errado empre-
go da forma verbal. Assinale-a: 248. “Se você e o seu amigo tal-
a) cumpre teus deveres, e terás a consciência tran- vez você os seus bens”.
qüila; a) requisesse – intervisse – reavesse;
b) suporta-se com paciência a cólera do próximo; b) requeresse – intervisse – reavessse;
c) nada do que se possui com gosto se perde sem c) requeresse – interviesse – reouvesse;
desconsolação; d) requeresse – interviesse – reavesse;
d) não voltes atrás, pois é fraqueza desistir-se da e) requisesse – intervisse – reouvesse.
coisa começada;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


34
35 EDITORA HE_EDUCA

249. “No desempenho de tuas funções, aten- 257. “Não me tragam estéticas !” – As formas da 2ª pes-
cioso com todos, ser útil sempre e soa do imperativo negativo e afirmativo de trazer são:
não as tuas responsabilidades”. a) não traze, não trazei – treze – trazei;
a) sê – procure – negue; b) não traga, não tragai-traga – trazei;
b) seja – procura – negue; c) não tragas, não tragais – traze-trazei;
c) seja – procure – negues; d) não tragas, não tragais – traga-tragai;
d) sê – procura – negues; e) não traze, não trazei – traga – tragais.
e) seja – procura – negues.
258. Observando a correlação temporal entre a forma
250. “Caso realmente interessado, ele não verbal destacada na frase e a forma verbal que
de falar”. você iria colocar no espaço, complete as frases
a) estiver – haja; d) estivesse – havia; abaixo:
b) esteja – houvesse; e) estiver – houver. A - teremos amigos quando nós ricos (ficar)
c) estivesse – haveria; B - teríamos amigos, se nós ricos (ficar)
C - tínhamos amigos quando nós ricos (ser)
251. Assinale a alternativa que completa corretamen- D - tivemos amigos quando nós ricos (ser)
te a seguinte frase: “Quando mais E - temos amigos enquanto ricos (ser)
aperfeiçoado, o computador certamente
um eficiente meio de controle de a) ficamos – ficássemos – seremos – seremos –
toda a vida social”. somos;
a) estivesse – será; d) estivesse – era; b) ficamos – ficarmos – fomos – somos – fomos;
b) estiver – seria; e) estiver – será. c) fiquemos – ficássemos – éramos – somos – so-
c) esteja – era; mos;
d) ficarmos – ficamos – somos – fumos – samos;
252. O modo verbal que expressa uma atitude duvido- e) ficarmos – ficássemos – éramos – fomos – sa-
sa, incerta é o: mos.
a) indicativo;
b) imperativo; 259. Observando a correlação temporal, assinale a al-
c) subjuntivo; ternativa que completa a frase:
d) imperativo e subjuntivo; “Era provável que eles hoje”.
e) N. D. A. a) virão; d) vêem;
b) venham; e) vinham.
253. Aponte a alternativa, em que a segunda forma está c) viessem;
incorreta como plural da primeira:
a) tu ris – vós rides; 260. Assinale a frase em que está correta a correlação
b) ele lê – eles lêem; verbal:
c) ele tem – eles têm; a) se você interferisse, ele faria o trabalho sozinho;
d) ele vem – eles vêem; b) se você não interferir, ele fazia o trabalho sozinho;
e) eu ceio – nós ceamos. c) se você não interferir, ele faria o trabalho sozinho;
d) se você não interfere, ele fazia o trabalho sozinho;
254. Assinale a alternativa que completa adequadamen- e) se você não interferisse ele faz o trabalho sozi-
te a frase: “ em ti, mas nem sempre nho.
dos outros”.
a) creias - duvides; d) creia - duvide; 261. Diz a regra: “exprimindo embora o resultado de
b) crê - duvidas; e) crê - duvides. uma ação acabada, o particípio não indica por si
c) creais - duvidas; próprio se a ação em causa é presente, passada
ou futura. Só o contexto a que pertence pode pre-
255. Se ele (ver) o nosso trabalho cisar sua relação temporal”.
(fazer) um elogio Nos exemplos seguintes:
a) ver – fará; d) vir – fará;
b) visse – fará; e) vir – faria. I - desenterrada a batata, só nos restava assá-la.
c) ver – fazerá; II - desenterrada a batata, só nos resta assá-la.
III - desenterrada á batata, só nos restará assá-la.
256. É importante que vocês se eles
não se durante o depoimento”. A mesma forma expressa ação passada, presen-
a) averigüem – contradisseram; te e futura, respectivamente em:
b) averigüem – contradizeram; a) I, II, III; d) I, III, II;
c) averigúem – contradisseram; b) II, III, I; e) II, I, III.
d) averíguem – contradisseram; c) III, II, I;
e) averigúem – contradizeram,

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


35
36 EDITORA HE_EDUCA

COLOCAÇÃO DOS PRONOMES OBLÍQUOS ÁTO- b) não deixarei que se façam estes comentários;
NOS: c) podem-se perdoar aos faltosos;
d) tem-se assistido a bons programas na televisão;
262. A frase que admite outra colocação, igualmente e) critica-se, critica-se, mas não se constrói.
correta, do pronome oblíquo sem acréscimo de
outra palavra: 269. Marque a opção em que ocorre erro na colocação
a) tenho-te procurado há várias semanas; do pronome átono.
b) pedir-lhe-ia um favor; a) nunca me deterás, tenho certeza;
c) os candidatos se retiraram; b) tratando-se de dinheiro, ele era eufórico;
d) nada nos detém; c) os acontecimentos trar-me-ão a razão;
e) nenhuma das alternativas. d) todos cumprimentavam-me pela descoberta;
e) em se considerando homem, saiu de casa.
263. Admirou-me a despesa porque não
que o presente tão caro. 270. Assinale a única opção em que o pronome átono
a) me havias dito - iria custar-te; dos parênteses admite apenas uma colocação.
b) havias-me dito - iria te custar; a) devia contar a verdade; (TE)
c) me havias dito - iria-te custar; b) a cidade havia conquistado; (ME)
d) havias me dito - te iria custar; c) a sorte não abandonará; (TE)
e) havias me dito -iria-te custar. d) estávamos procurando desde ontem; (TE)
e) a felicidade tinha dado uma rica história. (LHE)
264. Indique a sentença em que o pronome deveria estar
proclítico, de acordo com as normas gramaticais 271. Assinale a opção cuja colocação pronominal es-
de colocação de pronomes átonos. teja correta:
a) eu pedi-lhe uma ajuda; a) o assunto que me não agradou, foi revisto;
b) nós todos reunimo-nos na confeitaria; b) a vida me sorriria se você voltasse;
c) eles chamá-lo-iam de líder, se pudessem; c) o problema de que falei-te não tem solução;
d) compramos a escultura que assemelha-se a uma d) não desejamos que façam-te um covarde;
ave; e) bons ares tragam-no para nós.
e) ouça-me bem antes de agir.
COLOCAÇÃO PRONOMINAL
265. A norma culta da língua repudia a colocação do
pronome átono, tal como ocorre na opção: 272. “Esses são os livros que à disposição
a) engolfou-se de novo nas cismas que estavam lhe do público, mas que poucos ”:
afagando a mente; a) se acham; se acredita; procurá-los-ão;
b) engolfou-se de novo nas cismas que estavam afa- b) acham-se; acredita-se; procurá-los-ão;
gando-lhe a mente; c) se acham; acredita-se; os procurarão;
c) novas cismas lhe tinham engolfado a mente; d) acham-se; se acredita; procurarão-os;
d) novas cismas tinham-lhe engolfado a mente; e) acham-se; acreditam-se; procurá-lo-ãos.
e) novas cismas tinham engolfado-lhe a mente.
273. Os projetos que ________ estão em ordem;
266. O pronome pessoal oblíquo átono está correta- ainda hoje, conforme ”:
mente empregado, EXCETO em: a) fique por perto, porque pode-se precisar de você;
a) pretendemos enviá-lo para um estágio no exterior;
b) o livro não está aqui: repõe-no antes que o perce-
bam;
c) solicitamos-lhe a remessa imediata do pagamento;
d) não se aplaudirão absurdos nem desacordos;
e) quando avisaram-me, nada mais pude fazer.

267. Assinale a frase incorreta quanto à colocação do


pronome oblíquo:
a) reduzir-se-ão as despesas extraordinárias por
medida de economia;
b) tu o tens censurado sem razão;
c) como te aplaudem;
d) ninguém contou-lhe a verdade;
e) confesso que tudo aquilo me pareceu absurdo.

268. Assinale a frase com erro quanto à colocação pro-


nominal:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


36
37 EDITORA HE_EDUCA

a) enviaram-me; devolvê-los-ei; lhes prometi;


b) enviaram-me; os devolverei; lhes prometi;
c) enviaram-me; os devolverei; prometi-lhes;
d) me enviaram; os devolverei; prometi-lhes;
e) me enviaram; devolvê-los-ei; lhes prometi.

274. “Nada como eu , mas sequer


atenção”.
a) se passou, dissera-lhe; deu-lhe;
b) passou-se; lhe dissera; deu-me;
c) se passou; lhe dissera; me deu;
d) passou-se; lhe dissera; me deu;
e) se passou; dissera-lhe; me deu.

275. Assinale a alternativa em que ocorre erro de


colo- cação pronominal:
a) preocupei-me demais com suas loucuras;
b) contar-te-ia toda a verdade;
c) hoje se arrepende do que fez;
d) não te contaria toda a verdade.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


37
38 EDITORA HE_EDUCA

e) hoje, se arrepende do que fez. c) à nova regulamentação não se refere às pessoas


aposentadas;
276. Considere a colocação do pronome “Te” nas três d) recusou-se a obedecer às determinações do juiz;
frases: e) prefiro redigir cartas à datilografá-las.
I - Eu te havia contado a história;
II - Eu havia-te contado a história; 283. Preencha corretamente as lacunas e assinale a
III - Eu havia contado-te a história. alternativa correspondente:
Estão corretas: Chegou-se _______ ela e segredou-lhe algo
pressas, atento qualquer mani-
a) I, II e III; d) apenas II e III; festação face ousadia.
b) apenas I e II; e) apenas III. a) à, às, a, aquela;
c) apenas I e III; b) a, as, à, aquela;
c) a, às, a, àquela;
277. Se , creio que com prazer: d) à, às, à, aquela.
a) tivessem me pedido – teria-os recebido;
b) me tivessem pedido – os teria recebido; 284. Assinale a relação cujas palavras, em correspon-
c) tivessem – pedido-me – têlos-ia recebido; dência com as frases, preenchem conveniente-
d) tivessem me pedido – teria os recebido; mente as respectivas lacunas:
e) me tivessem pedido – teria recebido-os não perguntei essa funcionária mas que
usa óculos se daqui pouco poderei vir re-
278. Indique onde há erro de colocação pronominal para justificar-se;
a) se não me contasse tudo, iria embora;
b) se me não contasse tudo, iria embora;
c) nunca se encontraria o culpado;
d) nunca encontra-se-ia o culpado;
e) todas estão incorretas.

279. Assinale a alternativa que completa a frase:


“Não atitudes que como
uma forma de crítica ao trabalho do grupo”.
a) se admitirão, caracterizam-se;
b) admitir-se-ão; se caracterizem;
c) se admitirá; se caracterizem;
d) se admitirão; se caracterizem;
e) “c” e “d” estão corretas.

280. “Entre eles e existe um compromisso


que só se ao sacrifício”:
a) eu – se cumprirá – dispusermo-nos;
b) mim – cumprir-se-á – nos dispusermos;
c) mim – se cumprirá – nos dispusermos;
d) eu – cumprir-se-á – dispusermo-nos;
e) eu – se cumprirá – dispuser-mo-nos.

281. Complete convenientemente as lacunas:


“Logo que, , cientes de que
não “
a) os vir – os farei – os poderemos contratar;
b) os ver – fá-los-ei poderemo-los contratar;
c) vê-los – fá-los-ei – poderemos contratá-los;
d) os vir – fá-los-ei – podemos contratá-los;
e) os ver – far-lhes-ei – poderemos contratá-los.

REGÊNCIA. CRASE. EMPREGO DA PREPOSIÇÃO.

282. O sinal da crase foi empregado indevidamente na


seguinte alternativa:
a) à servidora gestante será concedida licença de
três meses;
b) o funcionário foi chamado à presença da Diretora
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
38
39 EDITORA HE_EDUCA

tirar o salário que me devem muito.


a) a - a - há – a;
b) à - a - a – há;
c) à - à - à – a;
d) a - a - há - há;
e) a - á - a – há.

285. A crase deverá ser empregada na seguinte alter-


nativa:
a) as cidades as quais me refiro são estâncias
turís- ticas;
b) os alunos a quem me dirijo são inteligentes;
c) encaminharei o discurso a Vossa Senhoria;
d) o documento visava a elucidar dúvidas;
e) trata-se de pintura a óleo.

286. O acento grave – denotador de crase – deve ser


colocado em todas as frases. EXCETO:
a) a rua em que você mora é paralela a que vai
dar no viaduto;
b) a distância de quinhentos metros, via-se um
vulto rastejando;
c) cheguei as duas horas e não encontrei a sala,
aberta;
d) após a festa, voltamos sonolentas a casa:
e) quando chegamos, ela já falava a vontade.

287. Crase correta:


a) ao voltar à terra, o marinheiro estranhou o
ambi- ente;
b) tais dados são necessários à minhas teses;
c) o dirigente deu força às suas palavras;
d) estavam, afinal, frente à frente;
e) esqueceu o material, e foi à casa buscá-lo.

288. Assinale a opção onde há erro em relação à


cra- se.
a) referiu-se à cadelinha de pintinhas acinzentadas;
b) dê notícias à menina Eduarda;
c) não se aludiu à cadelinha alguma;
d) o amor à Fofoca era muito grande;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


39
40 EDITORA HE_EDUCA

e) disse à menina que encontraria Fofoca. minadores;

289. Assinale a única alternativa que está de acordo


com as normas de regência da língua culta.
a) avisei-o de que não desejava substituí-Io na presi-
dência, pois apesar de ter sempre servido à insti-
tuição, jamais aspirei a tal cargo;
b) avisei-lhe de que não desejava substituí-lo na pre-
sidência, pois apesar de ter sempre servido a ins-
tituição, jamais aspirei a tal cargo;
c) avisei-o de que não desejava substituir- lhe na pre-
sidência, pois apesar de ter sempre servido à ins-
tituição, jamais aspirei tal cargo;
d) avisei-lhe de que não desejava substituir-lhe na
presidência, pois apesar de ter sempre servido à
instituição, jamais aspirei a tal cargo;
e) avisei-o de que não desejava substituí-lo na presi-
dência, pois apesar de ter sempre servido a insti-
tuição, jamais aspirei tal cargo.

290. Assinale a opção em que o verbo chamar é em-


pregado com o mesmo sentido que apresenta em
“No dia em que o chamaram de Ubira-
jara, Quaresma ficou reservado, taciturno e mudo”:
a) pelos seus feitos, chamaram-lhe o salvador da
pátria;
b) bateram à porta, chamando Rodrigo;
c) naquele momento difícil, chamou por Deus e pelo
Diabo;
d) o chefe chamou-os para um diálogo franco;
e) mandou chamar o médico com urgência.

291. Assinale a opção em que o verbo assistir é empre-


gado com o mesmo sentido que apresenta em “não
direi que assisti às alvoradas do romantismo”.
a) não assiste a você o direito de me julgar;
b) é dever do médico assistir a todos os enfermos;
c) em sua administração, sempre foi assistido por
bons conselheiros;
d) não se pode assistir indiferente a um ato de injus-
tiça;
e) o padre lhe assistiu nos derradeiros momentos.

292. Em todas as alternativas, o verbo grifado foi em-


pregado com regência certa, EXCETO em:
a) a vista de José Dias lembrou-me o que ele me
dissera.
b) estou deserto e noite, e aspiro sociedade e luz.
c) custa-me dizer isto, mas antes peque por exces-
so;
d) redobrou de intensidade, como se obedecesse a
voz do mágico;
e) quando ela morresse, eu lhe perdoaria os defei-
tos.

293. O verbo chamar está com a regência INCORRE-


TA em:
a) chamo-o de burguês, pois você legitima a sub-
missão das mulheres;
b) como ninguém assumia, chamei-lhes de discri-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


40
41 EDITORA HE_EDUCA

e) os processos onde podemos encontrar dados para


c) de repente, houve um nervosismo geral e
chama- ram-nas de feministas; o relatório estão arquivados
d) apesar de a hora ter chegado, o chefe não
cha- mou às feministas a sua seção;
e) as mulheres foram para o local do movimento,
que elas chamaram de maternidade.

294. Assinale o exemplo, em que está bem


emprega- da a construção com o verbo
preferir:
a) preferia ir ao cinema do que ficar vendo televisão;
b) preferia sair a ficar em casa;
c) preferia antes sair a ficar em casa;
d) preferia mais sair do que ficar em casa;
e) antes preferia sair do que ficar em casa.

295. Assinale a opção em que o verbo lembrar


está empregado de maneira inaceitável em
relação à norma culta da língua:
a) pediu-me que o lembrasse a meus familiares;
b) é preciso lembrá-lo o compromisso que
assumiu conosco;
c) lembrou-se mais tarde que havia deixado as
cha- ves em casa;
d) não me lembrava de ter marcado médico para
hoje;
e) na hora das promoções, lembre-se de mim.

296. O verbo sublinhado foi empregado corretamente,


EXCETO em:
a) aspiro à carreira militar desde criança;
b) dado o sinal, procedemos à leitura do texto.
c) a atitude tomada implicou descontentamento;
d) prefiro estudar Português a estudar Matemática;
e) àquela hora, custei a encontrar um táxi
disponí- vel.

297. Em qual das opções abaixo” o uso da


preposição acarreta mudança total no sentido
do verbo?
a) usei todos os ritmos da metrificação portuguesa.
/ usei de todos os ritmos da metrificação
portu- guesa
b) cuidado, não bebas esta água./ cuidado, não
be- bas desta água;
c) enraivecido, pegou a vara e bateu no animal./
en- raivecido, pegou da vara e bateu no animal;
d) precisou a quantia que gastaria nas férias./
preci- sou da quantia que gastaria nas férias;
e) a enfermeira tratou a ferida com cuidado. / a
en- fermeira tratou da ferida com cuidado.

298. Assinale o mau emprego o vocábulo “onde”:


a) todas as ocasiões onde nos vimos às voltas
com problemas no trabalho, o superintendente
nos aju- dou;
b) por toda parte, onde quer que fôssemos,
encon- trávamos colegas;
c) não sei bem onde foi publicado o edital;
d) onde encontraremos quem nos forneça as
infor- mações de que necessitamos;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
41
42 EDITORA HE_EDUCA

299. Assinale o item que preenche convenientemente 305. Assinale a única opção em que o emprego do
as lacunas na sentença: acento indicativo da crase se faz obrigatório:
a) Não conheço o suficiente para entender seus a) dedicarei o meu carinho a mulher amada;
motivos, mas aviso de que não perdôo b) agradecemos a Fátima a gentileza;
a traição. c) refiro-me a ela, mulher vaidosa;
a) lhe, lhe, lhe; d) lhe, lhe, o; d) dirijo-me a Paris;
b) o, o, o; e) o, o, lhe. e) entregaremos apenas o cartão resposta a essa
c) o, lhe, o; linda fiscal.

300. Assinale a frase em que há erro de regência 306. Assinale o exemplo em que se usou erradamente
verbal: a por há ou vice-versa:
a) a notícia carece de fundamento; a) daqui a tempos, haverá novas provas;
b) o chefe procedeu ao levantamento das necessi- b) de hoje há três dias sairão os resultados;
dades da seção; c) está no Rio, há três dias aproximadamente;
c) os médicos assistiram o simpósio e acharam-no d) a cidade ficava a poucos quilômetros daqui;
muito interessante; e) há cerca de vinte pessoas à sua espera.
d) é necessário que todos obedeçam às diretrizes
estabelecidas; 307. Assinale o exemplo em que se usou erradamente
e) daqui posso ver-lhe o passo oblíquo e trôpego. a por há ou vice-versa:
a) a loja fica a dois metros;
301. Uma das opções apresenta erro quanto a regên- b) apresentaram-se a falar ao diretor;
cia verbal. Assinale-a: c) há cerca de mil processos à espera de solução;
a) na sala do superintendente aspirava sempre fu- d) daqui a uma semana terão notícias minhas;
maça de um legítimo havana. e) de hoje há uma semana serão chamados os no-
b) chegando na repartição, encontrou as portas cer- vos candidatos.
radas;
c) todos obedeceram às determinações superiores; 308. Assinale a única frase que só pode ser completa-
d) informei-o de que no dia 15 não haverá expedi- da com “A” .
ente; a) daqui duas horas estarei em São Paulo;
e) o gerente visou todas as folhas do ofício. b) convém fazer o exercício lápis;
c) o barco estava agora mercê das ondas;
302. De acordo com a norma culta, a frase em que se d) não poderei ir festa alguma nesta semana;
teve o cuidado de obedecer à regência é: e) era ainda muito cedo quando cheguei casa.
a) o Colégio São Geraldo, sito a Rua da União, en-
cerrou suas atividades; 309. Assinale a frase cujo “A” ou “AS” deve levar acen-
b) o preço fixado tornou-se compatível de minhas to grave indicativo da crase:
posses; a) chamamos neolatina a toda língua originária do
c) as regras do jogo não são passíveis por mudan- latim;
ças; b) chamamos neolatinas a línguas originárias do
d) sua decisão implica uma mudança radical; latim;
e) prefiro o cinema mais do que o teatro. c) chamam-se neolatinas as línguas originárias do
latim;
303. Assinale a alternativa correta em relação às fra- d) chama-se neolatina as línguas originárias do
ses: latim;
- Dar atenção aulas é indispensável apro- e) chama-se neolatinas a línguas originárias do
vação. latim.
- Isto não se relaciona apenas você, mas
todas às pessoas. 310. Marque a opção que completa corretamente a
a) as, a, a, a; d) às, à, à, a; frase:
b) às, a, a, a; e) às, à, à, à. Esta situação é semelhante você viveu.
c) às, à, a, a; a) à que; d) a que;
b) à cuja; e) aquela que.
304. Marque a opção em que o emprego do acento c) a qual;
grave indicativo da crase é optativo:
a) darei a vida um sabor maior; 311. Há um só exemplo do “A”. Assinale-o:
b) dedicaremos a esta página bons artigos; a) andamos à cavalo o dia inteiro, até chegarmos à
c) entregariam a tua consciência esta decisão; fazenda;
d) a você não devo nada; b) costumo andar à chuva e ao vento;
e) chegaremos a hospitaleira Santa Catarina ao anoi- c) fomos a Santa Catarina e depois à Bahia;
tecer. d) trace duas linhas paralelas à do vento:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


42
43 EDITORA HE_EDUCA

e) mataram o cão à foice e fugiram.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


43
44 EDITORA HE_EDUCA

312. Somente (...) longo prazo será possível ajustar- b) o pretexto era a apresentação dos uniformes que
se esse mecanismo (...) qualidade (...) que se haviam comprado;
destina. c) o pretexto era a apresentação dos uniformes de
a) a – à – a; d) à – a – a; que precisam;
b) à – a – à; e) à – à – a. d) o pretexto era a apresentação dos uniformes por
c) à – à – à; que tanto trabalharam;
e) o pretexto era a apresentação dos uniformes que
313. Qual a regência verbal INCORRETA? tanto se referiram os cronistas esportivos.
a) obedeça a sinalização;
b) perdoei-lhe a antiga dívida; 319. Erro de regência verbal:
c) paguei aos funcionários o ordenado; a) esta autora tem idéias com que todos simpati-
d) o filme é bom, pois todos já assistiram a ele; zamos;
e) sempre aspirou à felicidade. b) eis a ordem de que nos insurgimos;
c) aludiram a incidentes de que já ninguém se lem-
314. Assinale a opção em que há ERRO. brava;
a) ela deu um livro para mim; d) qual o cargo a que aspiras;
b) Pedro jogou bola comigo; e) há fatos que nunca esquecemos.
c) pensei muito em ti;
d) ela viajou com nós; 320. Regência verbal correta:
e) meu irmão sabe cuidar de si. a) prefiro mais a cidade que o campo;
b) chegamos finalmente em Santo André;
315. Assinale a frase com ERRO: c) esta é a cidade que mais gosto;
a) para mim, ver o escravo sofrer é ruim; d) assisti ao concerto de que você tanto gostou;
b) nada de bom há entre mim e o senhor, disse o e) ainda não paguei o médico.
escravo;
c) antes de o escravo ser chicoteado, ouvia-se gri- 321. Marque a frase que contém incorreção quanto à
to; regência verbal:
d) os escravos entravam e saía das casas de São a) o trabalho a que aludi será publicado no próximo
Luíz; mês;
e) os escravos guardavam consigo ânsia e mágoas. b) assistiu-se a um grande espetáculo;
c) paguei o médico no tempo previsto;
316. Assinale a opção em que o verbo lembrar está d) a mudança no projeto implica despesas maiores;
empregado de maneira inaceitável em relação à e) apressou-se em desfazer o equívoco.
norma culta da língua:
a) lembrou-lhe aquela imagem de servidão, aquele 322. Assinale a opção em que há erro de regência.
espetáculo de extrema miséria; a) prefiro a cadelinha a todos os presentes;
b) era necessário lembrá-lo da multidão faminta que b) gosta mais da cadelinha do que todos os presentes;
cambaleava, chorava e dançava ali; c) Eduarda não vai esquecer mais do episódio;
c) lembrou-se, naquele instante, de que só os pre- d) chamou a garota de dona;
tos faziam compras ou andavam no ganho; e) vou à rua procurar a cadelinha.
d) só me lembrava de ter visto a invasão das casas
para encher as banheiras e os potes; 323. Assinale a opção gramaticalmente incorreta:
e) queria que lhe lembrasse, ao sair à rua, naquelas a) há cerca de vinte dias promete voltar;
tardes entorpecidas pelo calor, das carroças b) daqui a pouco ele mudará de idéia;
d’água. c) partiu há três dias;
d) não o vejo há dez dias;
317. Assinale o item que apresenta o emprego inade- e) de hoje há dez dias sairão os resultados.
quado de pronome relativo:
a) os moços com quem falamos são estudantes de 324. Assinale o certo:
Direito; a) chamamo-lo inteligente;
b) eis a terra donde se colhem tão bons frutos; b) chamamo-lo de inteligente;
c) são empresas para as quais aparecem muitos c) chamamos-lhe inteligente;
candidatos; d) chamamos-lhe de inteligente;
d) mostra-lhe-ei as canetas de que me sirvo; e) todas as regências acima estão corretas.
e) refiro-me a esse aluno, cujo aluno já nos tem cau-
sado dissabores. 325. No caso de você faltar ( ) prometido, incorrerá
( ) reprovação de todos.
318. Assinale o item em que se omitiu uma preposi- a) pelo – na; d) com o – para a;
ção obrigatória: b) ao – a; e) com o – na.
a) o pretexto era a apresentação dos uniformes que c) ao – da;
iam estrear no próximo campeonato;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
44
45 EDITORA HE_EDUCA

326. Agradeço ( _ ) Vossa Senhoria ( _ ) oportunidade 334.“Para ganhar mais dinheiro, Manoel passou
para manifestar minha opinião ( _ ) respeito. entregar compras ___ domicilio ___ segundas-
a) a – a – a; d) a – à – a; feiras”.
b) à – à – a; e) à – a – à. a) a - a - as; d) à - a - as;
c) à – a – a; b) a - a - às; e) à - à - às.
c) a - à - às;
327. Assinale a frase com erro de regência:
a) o deputado presidiu a reunião até o fim; 335. Que expressões completariam as lacunas?
b) proibimos os alunos de usar os cadernos para “Não me refiro estava sentada, mas sim
fazer a prova; pessoa tu também te referias”.
c) certificamos nossa família de vossa decisão; a) a que - à - que;
d) paguei os operários no sábado; b) aquela que - à - que;
e) atendemos ao seu desejo. c) àquela que - à - à que;
d) à que - a - à que;
328. “Peço senhora que estude, uma uma, as e) à que - à - a que.
questões submetidas aprovação”:
a) à - a - à; d) à - à - à; 336. “Foi obrigado embarcar no trem que saia
b) a - a - à; e) à - à - a. onze horas, mas mostrou todos seu des-
c) a - à - à; contentamento”.
a) a - as - à; d) à - às - a;
329. Há uma opção em que não se atendeu ao empre- b) às - as - a; e) a - às - à.
go da crase. Indique-a: c) a - às - a;
a) a cem milhas horárias você encontrará um posto
à direita, a meia hora daqui; 337. “A disciplina naquela escola podia ser comparada
b) às brutas entrou porta a dentro; dos militares, mas nem por isso permitia tran-
c) responda à sua senhoria com a consideração a qüilidade professoras”.
que está acostumado; a) a - a; d) a - às;
d) saiu-se à mãe, esta se parece à avó; b) à - às; e) a - as.
e) dispostas a ouvi-la, postaram-se à porta de sua c) a - as;
casa.
338. Aponte a frase em que o “a” ou “as” não deve
330. “Dê ciência todos de que não mais se aten- levar sinal indicativo de crase:
derá pedidos que não forem dirigidos di- a) dirijo-me apressado àquela farmácia;
retoria”: b) refiro-me àquele rapaz que foi teu colega;
a) a - a - a; d) à - à - a; c) àquela hora todos já se tinham recolhido;
b) a - à - a; e) à - a - a. d) quero agradecer àquele rapaz as atenções que
c) a - a - à; me dispensou;
e) fui para aquela praça, mas não à encontrei !
331. Marque a frase em que o “a” deva ser craseado:
a) ele atacou o adversário a tiro; 339. Na frase: “Tende a satisfazer as exigências do
b) Maria não foi a aula hoje; mercado”, substituindo-se “satisfazer” por “satis-
c) João fez uma viagem a Mato Grosso; fação”, tem-se a forma correta:
d) Conversei com a diretoria do colégio sobre esse a) tende à satisfação as exigências do mercado;
assunto; b) tende a satisfação as exigências do mercado;
e) o adversário atacou a cacetadas. c) tende a satisfação das exigências do mercado;
d) tende a satisfação às exigências do mercado;
332. “ hora prevista, todos se dirigiram sala e) tende à satisfação das exigências do mercado.
principal para assistir cerimônia”.
a) a - a - a; d) há - à - à; 340. “ tarde, diriji-me casa, embora
b) a - à - a; e) há – a – a . hora todos já estivessem dormir”:
c) à - à - à; a) À - à - àquela - a;
b) A - a - aquela - à;
333. Assinale a frase em que o “a” sublinhado deve c) À - a - àquela - a;
receber o acento de crase: d) À - a - aquela - à;
a) obedeça as regras de trânsito; e) À - a - àquela - a.
b) encontraram-se face a face;
c) dirijo-me agora a vossa excelência; 341. Marque o caso em que não houve erro, quanto a
d) é uma campanha digna, a cuja disposição me omissão ou presença de crase:
ponho; a) veio à toda, quando se pôs a frear, já era tarde;
e) peço a você que não deponha o candidato. b) a proposta, à cuja aceitação estamos presos, nem

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


45
46 EDITORA HE_EDUCA

foi estudada;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


46
47 EDITORA HE_EDUCA

c) uma à uma, gota à gota, ingeriu todo o conteúdo; 349. Assinale a opção que preenche as lacunas:
d) perspicácia a toda prova, resposta às pressas, Vai à carta minha fotografia. Essas pes-
era exigido; soas cometeram crime de patriotismo.
e) a assistência às aulas é de lei. Elas não quiseram colaborar.
a) incluso – leso – mesmo;
342. “ainda pouco, eu vi atravessando aque- b) inclusa – leso – mesmas;
la rua, ali direita”: c) inclusa – lesa – mesmas;
a) há – a – à; d) a – à – à; d) incluso – leso – mesmas;
b) há – a – a; e) à–a–a. e) inclusa – lesa – mesmo.
c) a – a – a;
350. Assinale a opção com erro de construção:
343. Assinale a frase em que há o uso errado da a) vocês próprios entenderão a matéria;
crase: b) há bastantes exemplos nesta lição;
a) quando o navio chegou, ele desceu logo à terra; c) ela adora pérola;
b) vou à cidade hoje; d) vocês vieram só ou acompanhados ?
c) vou à reunião contigo; e) nenhuns obstáculos conseguirão impedir nossa
d) pagou tudo à vendedora; vitória.
e) chegou tarde à missa.
351. Assinale a opção com erro de construção:
344. “Descendo rua noite, o marinheiro viu um a) um e outro aluno desistiu de terminar a prova;
homem que vinha pé. b) estas crianças eram as mais espertas possíveis;
a) à – à – à; d) à – a – a; c) cerveja pode ser mau para a saúde;
b) a – à – à; e) a – a – a. d) a aluna regredia olhos vistos;
c) a – à – a; e) as literaturas francesa e a inglesa são vastíssimas.

CONCORDANCIA: NOMINAL E VERBAL 352. Assinale a opção com erro de construção:


a) água é bom para a saúde;
345. Há concordância inadequada em: b) achamos estas paisagens as mais belas possí-
a) clima e terras desconhecidas; vel;
b) clima e terra desconhecidos; c) suas forças definhavam a olhos vistas;
c) terras e clima desconhecidas; d) é proibido entrada a pessoas estranhas ao serviço;
d) terras e clima desconhecido; e) deve ser um bom livro, haja vista as suas edições
e) terras e clima desconhecidos. sucessivas.

346. Há erro de concordância na opção: 353. Assinale a opção com erro de construção:
a) calças e chapéus surradas; a) nem um nem outro aluno conseguiram aprovação;
b) poder e força mágica; b) não conheço nem uma nem outra hipótese;
c) arreios e sela velhos; c) acredito que um e outro funcionário serão promo-
d) rifles e alpercata nova; vidos;
e) cangaceiros e capitão temidos. d) é claro que sou seu amigo; hajam vista das mi-
nhas declarações;
347. A concordância nominal está correta, EXCE- e) foi acusado de grave crime: lesa-pátria.
TO em:
a) o vento agitou as flores lilases da paineira; 354. Assinale a opção com erro de construção:
b) esperança é necessário para viver; a) estes alunos são os mais estudiosos possível;
c) a candidata estava meio nervosa; b) sua aplicação ao estudo crescia a olhos vistos;
d) os filhos são tais qual o pai; c) suas blusas rosas eram “chiquérrimas” ;
e) as crianças estavam alerta. d) suas virtudes cresciam a olhos vistos;
e) ele não sabe raciocinar, haja vista os argumentos
348. Assinale a opção que preenche as lacunas: apresentados.
Vão aos processos várias fotografias.
355. Assinale a opção com erro de construção:
Paisagens as mais belas . a) os filhos são tal qual os pais;
Ela estava narcotizada. b) julgo inverídicas estas notícias;
c) estas foram as sós palavras que ele disse;
a) anexas-possíveis - meio; d) colhemos bastantes exemplos neste livro;
b) anexas-possível - meio; e) só alunos são admitidos na reunião.
c) anexo-possíveis - meia;
d) anexo-possível - meio; 356. Assinale a opção com erro de construção:
e) anexo-possível - meia. a) as meias verdades são piores que as mentiras;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


47
48 EDITORA HE_EDUCA

b) o professor combinou algumas aulas extras;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


48
49 EDITORA HE_EDUCA

c) minha irmã tem verdadeira obsessão por vestidos 362. Assinale a alternativa que preenche adequadamen-
cinza; te as lacunas.
d) os raios ultravioleta têm larga aplicação na Medi- Já oito anos, que não as pe-
cina; ças de seu diário e pessoas, naquela casa,
e) vocês estão só ou acompanhados ? que não se preocupavam com isso.
a) iam fazer - se consertavam - havia;
357. Assinale a opção com erro de construção: b) ia fazer - se consertavam - havia;
a) ele comprou livros e revistas bastante antigos; c) ia fazer - se consertavam - haviam;
b) os filhos são tais qual a mãe; d) ia fazer - consertavam-se - haviam;
c) todos os soldados do quartel estavam alertas; e) iam fazer - consertavam-se - havia.
d) sua opinião é um crime de lesa-inteligência;
e) estudamos profundamente a língua inglesa e a 363. Assinale a opção em que há erro de concordân-
francesa. cia em relação a norma culta da língua:
a) o trabalho do cientista é um dos que mais merece
358. Assinale a opção com erro de construção: o reconhecimento da sociedade;
a) são duas nações todo poderosas; b) um grande número de cientistas trabalha em con-
b) é vedado cópia deste livro; dições precárias;
c) mais trabalho e menas palavras; c) deve existir condições especiais para o trabalho
d) alguns cientistas dizem que cebola é ótimo para do cientista;
o sangue; d) valorizem-se os cientistas, oferecendo-lhes con-
e) a literatura provençal e a portuguesa apresenta- dições especiais de trabalho;
ram alguns pontos de contato. e) quer-se criar condições especiais para o trabalho
do cientista.
359. Tendo em vista as regras de concordância, assi-
nale a opção em que a forma entre parêntese NÃO 364. Assinale a opção em que o uso do verbo haver
completa corretamente a lacuna da frase: se faz de acordo com a norma culta da língua.
a) devem ser bem engenho e habilidades a) haverão anos sem que o veja novamente;
daqueles que integram uma mesma comunidade. b) não deveriam haver condições melhores para o
(coordenadas) ; Romantismo senão após nossa emancipação
b) os países pobres e os países ricos possuem re- política;
cursos e necessidades muito ; (diversos); c) houveram protestos contra a reforma de Lutero;
c) é preciso que Ciência e Tecnologia estejam d) não poderiam haver alunos mais estudiosos que
às aspirações da comunidade; (su- os desta turma;
bordinadas); e) não se houveram bem aqueles rapazes.
d) em muitos países, estão intimamente
o fenômeno científico e o social; (ligados); 365. Assinale a opção em que a lacuna pode ser pre-
e) os mecanismos e intenções que determinam a enchida por qualquer das duas formas verbais in-
pesquisa nos países ricos são erroneamente dicadas entre parênteses.
, para os países pobres. (transferi- a) um dos seus sonhos morrer na terra
dos); natal (era / eram);
b) aqui não os sítios onde eu brincava.
360. Assinale a alternativa que apresenta silepse de (existe / existem);
pessoa. c) uma porção de sabiás na laranjeira; (can-
a) ele foi recompensado e os demais esquecidos; tava / cantavam);
b) os alunos da Universidade fomos informados que vendia, não eram caros.
as aulas recomeçarão em março;
c) Vossa Excelência, senhor bispo, é muito generoso;
d) o povo, mesmo considerando os riscos em estar
ali, não se afastaram enquanto não chegava o seu
líder.

361. Assinale a opção em que há erro de concordância:


a) não eram caras a canetinha e o balãozinho que o
camelô vendia;
b) o camelô vendia barato canetas e balões coloridos;
c) o camelô vendia, baratos, os balõezinhos e as
canetinhas;
d) os balões e as canetas vendidos pelo camelô eram
baratíssimos;
e) os pequeninos balões e canetas, que o camelô

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


49
50 EDITORA HE_EDUCA

d) não em minha terra belezas naturais;


(fal- ta / faltam);
e) sou eu que morrer ouvindo o canto
do sabiá. (quero / quer).

366. Assinale a opção que se completa com a


segun- da forma dos parênteses.
a) Creio que existir pessoas
honestas; (deve / devem)
b) amanhã fazer cinco anos que
voltaste; (vai / vão)
c) pensamos que muitos pretendentes
a este cargo; (haverá / haverão)
d) todos crêem que ocorrer um
empa- te; (pode / podem)
e) pelos meus cálculos fazer três
dias que ela não aparece. (vai / vão)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


50
51 EDITORA HE_EDUCA

d) quem a julga sábia só pode ser míope;


367. Tendo em vista as regras de concordância assi-
nale a única oração em que a forma entre parên-
teses completa corretamente a lacuna da frase:
a) , na verdade, diferentes motivos res-
ponsáveis pela nossa dependência tecnológica
(existe);
b) é indispensável que se entre pesqui-
sas científicas e aspirações da comunidade uma
estreita vinculação (mantenham);
c) a força de certos mecanismos com
que as pesquisas nos países pobres girem em
torno de interesses dos países ricos (fazem);
d) combinar-se engenho e habilidades dos
homens para a resolução dos problemas específi-
cos da comunidade (devem);
e) é preciso que tanto o desenvolvimento científico
quanto o tecnológico primeiramente
em conta o fator cultural (leve).

368. Assinale a opção em que a lacuna pode ser pre-


enchida por qualquer das duas formas verbais
colocadas entre parênteses:
a) não motivos para acreditarmos que o
computador constitui séria ameaça contra os di-
reitos individuais (falta / faltam);
b) grande parte das previsões de alguns escritores
assumindo feição de realidade no
mundo atual (está / estão);
c) o computador certamente profundas
modificações na estrutura da sociedade moderna
(introduzirá / introduzirão);
d) no futuro, desaparecer certos direi-
tos de que hoje todos os indivíduos compartilham
(poderá / poderão);
e) é provável que futuramente sob o con-
trole do computador todos os nossos negócios e
a nossa vida privada (fique / fiquem).

369. Em todas as frases a concordância verbal realiza-


da é a única possível, EXCETO em:
a) cada um de nós mentiu-lhe estupidamente;
b) quando se acabariam aqueles serviços moles;
c) tinha havido alguns minutos de silêncio;
d) tudo era matéria às curiosidades de Capitu;
e) a causa eram provavelmente os seus projetos.

370. A concordância é facultativa em:


a) quantos de vós estais preparados;
b) “a gente de nossa família trabalha nas plantações”;
c) bateram seis horas no relógio da igreja;
d) mais de um dos convidados se cumprimentaram
efusivamente;
e) mais de um banhista se afogou nessa praia no
ano passado.

371. Observando a concordância nominal dos períodos


abaixo, assinale a única alternativa indefensável:
a) será boa toda cautela na resolução desse problema;
b) duas garfadas foram suficientes para fazê-la calar;
c) a senhora é professora? Sou-o !

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


51
52 EDITORA HE_EDUCA

c) davam cinco horas quando ele chegou;


e) achei-a, meia estragada !
d) escutava-se uma ou outra voz sussurrante;
372. Assinale a opção cujo adjetivo NÃO se
flexiona como latino-americano (“países
latino-america- nos”) :
a) sócio-cultural;
b) histórico-geográfico;
c) herói-cômico;
d) cívico-religioso;
e) vermelho-sangue.

373. Assinale a frase que apresenta, em relação à


nor- ma culta da língua, erro de concordância:
a) deu-se às poesias o nome de PRIMEIROS
CAN- TOS;
b) grande parte das poesias não têm
uniformidade nas estrofes;
c) pode as regras de mera convenção ser
menos- prezadas;
d) adotaram-se todos os ritmos da metrificação
por- tuguesa;
e) os ritmos utilizados me pareceu quadrarem
me- lhor com o que eu pretendia exprimir.

374. Assinale a opção em que, de acordo com as


nor- mas da língua culta, ambas as formas verbais
entre parênteses podem ser empregadas:
a) faria alpercatas fortes que um dia (romperia /
romperiam) a terra dura das caatingas;
b) (cantava / cantavam) os canários da biqueira,
acompanhando a alegria de José Amaro;
c) só (havia / haviam) dois homens no mundo
que ele podia ajudar, disse ao aguardenteiro;
d) (trabalharia / trabalhariam) para o capitão, dali
por diante, mestre José Amaro e o
aguardenteiro;
e) não queria que José Paulino e os outros o (visse
/ vissem) assim como estava.

375. Assinale a concordância verbal inaceitável em


re- lação à norma culta.
a) Deve haver ainda estrelas no céu;
b) hão de existir outros sistemas planetários;
c) há de haver outros sistemas planetários;
d) podem existir dificuldades intransponíveis;
e) podem haver novos exames.

376. O infinitivo está flexionado corretamente, EXCE-


TO em:
a) encontrei seus cartões, amáveis de ler, cheios
de ternura;
b) para venceres a disputa, é preciso que treines
muito;
c) mandei-os saírem tão logo chegaram;
d) ontem, ninguém os viu chegar;
e) costumamos sair bem cedo.

377. A concordância verbal está correta, EXCETO


em:
a) as estrelas parecem piscar;
b) tudo isso foram suposições;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
52
53 EDITORA HE_EDUCA

e) fazem dois anos que ele daqui se mudou. 386. Assinale o erro de concordância nominal:
a) estavam abertos a porta e as janelas;
378. Assinale a opção que apresenta erro de concor- b) vivemos tormento e martírio contínuo;
dância: c) o rapaz era tal qual a mãe;
a) palavras e exemplos dignos; d) eu quero mais trabalho e menos palavras;
b) palavra e exemplo digno; e) não conheço nem uma nem outra hipótese.
c) exemplo e palavra dignos;
d) exemplo e palavra dignas; 387. Assinale o erro de concordância nominal:
e) dignas palavras e exemplos. a) a sociedade torna-se mais agressiva a olhos
vista;
379. Assinale o erro de concordância nominal: b) estavam as portas meio abertas;
a) desertos estavam a casa, a vila e o templo; c) estudava a literatura francesa e inglesa;
b) desertos estavam o templo, a casa e a vila; d) os soldados estavam alertas;
c) desertas a casa, a vila e o templo; e) as crianças feriram-se a si mesmas.
d) deserto o templo, a casa e a vila;
e) deserta a vila, o templo e a casa. 388. Assinale o erro de concordância nominal:
a) um e outro aluno desistiu de terminar a prova;
380. Assinale o erro de concordância nominal: b) cerveja é bom para a saúde;
a) anexos vão o recibo e a fatura; c) nesta cidade, há paisagens as mais belas pos-
b) anexo vão o recibo e a fatura; sível;
c) anexa vai a fatura e o recibo; d) Estados Unidos e Inglaterra são duas nações
d) anexo vai o recibo e a fatura; todo poderosas;
e) anexos vão a fatura e o recibo. e) estudamos a cultura grega e latina.

381. Assinale o erro de concordância nominal: 389. Assinale a frase em que não se permite a con-
a) a própria aluna confessou o erro; cordância variante colocada entre parênteses:
b) eles mesmos trouxeram as sementes; a) entre os animais domésticos, mencione-se
c) estamos conforme com tua opinião; o cachorro, o gato, o cavalo, o boi. (mencio-
d) usava sapatos areia e luvas pérolas; nem-se);
e) as crianças feriram-se a si mesmas. b) iremos à festa eu, tu e minha irmã; (irei)
c) quantos de nós poderemos atirar a primeira pe-
382. Assinale o erro de concordância nominal: dra? (poderão)
a) vazios estavam a casa, a vila e o templo; d) metade das mercadorias importadas estava im-
b) vazios estavam o templo, a casa e a vila; prestável; (estavam)
c) vazias a casa, a vila e o templo; e) qual de vós seguirá o Magistério. (seguireis)
d) vazio o templo, a casa e a vila;
e) vazia a casa, o templo e a vila. 390. Assinale a frase em que não se permite a con-
cordância variante colocada entre parênteses:
383. Assinale o erro de concordância nominal: a) cada um de nós recebeu sua parte; (recebemos)
a) anexos vão o bilhete e a carta; b) um grupo de alunos se perdeu nas matas da Tiju-
b) anexo vai o bilhete e a carta; ca; (perderam)
c) anexo vão o bilhete e a carta; c) muitos de nós conseguiram conquistar o ideal pre-
d) anexa vai a carta e o bilhete; tendido; (conseguimos)
e) anexos vão a carta e o bilhete; d) resolvi que iríamos eu e ele; (iria)
e) “obriga-nos a terra e o brio”. (obrigam-nos)
384. Assinale o erro de concordância nominal:
a) tempo por mentirosos o réu e seu cúmplice; 391. Assinale a única frase em que há erro de concor-
b) marido e mulher caminhavam amuados, lado a dância verbal:
lado; a) o engenheiro com a mulher e os filhos foram para
c) diante do estranho homem, meninos e meninas o interior a fim de construir algumas estradas para
ficaram desconfiados; o D.N.E.R;
d) julgamos o aluno e a aluna mentirosos; b) eu com minha mulher chegamos ontem de Pa-
e) tenho o aluno e seu companheiro como mentiroso. quetá;
c) o general com seus soldados defendeu até a mor-
385. Assinale o erro de concordância nominal: te a posição;
a) sós, Pedro e Paulo abriram o cofre; d) o policial e “leão de chácara” foi autuado por de-
b) só Pedro e Paulo conhecem o segredo do cofre; sacato;
c) definitivamente fiquei quites com o serviço militar; e) era um “cabeça-dura”; medos, ameaças, castigos,
d) a própria diretora afirmou que viria: sim, ela mesma; nada o convenceu.
e) comprei dois ternos azul-marinho.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


53
54 EDITORA HE_EDUCA

392. Assinale a única frase em que há erro de concor- d) erradas as ímpares;


dância verbal: e) apenas a 9 está errada.
a) “dar aula e manter disciplina é dever do professor”;
b) o diretor assim como o professor concordaram 397. Marque o emprego incorreto do verbo “VER”:
com a reunião; a) eles houveram por bem usar a via férrea;
c) irei à praia todos os dias enquanto durar as férias b) tudo leva a crer que houve feridos no acidente;
e o calor; c) havia meses que não se falava em futebol;
d) acredito que o Pedro ou João será eleito Presi- d) não podem haver dúvidas quanto ao aproveitamento
dente do Grêmio; do oleoduto;
e) o ladrão ou ladrões conseguiram fugir sem deixar e) espero que todos se hajam bem no concurso.
pista.
398. Marque o item incorreto quanto à concordância
393. Assinale a opção com erro de construção: verbal:
a) será que tudo isso são “fofocas”; a) deu quatro horas no relógio da igreja;
b) o que seriam desses meninos se lhes faltassem b) fez três dias que não o encontro;
os pais; c) as estrelas parece brilharem no céu;
c) que hão de ser estas crianças ao crescerem; d) quer-se mudar os sistemas de transportes;
d) que seriam aqueles homens vestidos estranha- e) vendem-se relógios nesta loja.
mente;
e) quem são os faltosos. 399. Marque o item em que se é símbolo de indetermi-
nação do sujeito.
394. Assinale a opção com erro de construção: a) transportavam-se grandes quantidades de petróleo;
a) Sócrates foi condenado por crime de lesão-moral; b) assiste-se ao processo da indústria petrolífera bra-
b) os escoteiros estão sempre alerta; sileira;
c) a mulher corria meio louca pela rua; c) não sei se eles virão hoje;
d) a menina ficou toda encabulada com o elogio; d) foi-se embora sem nos avisar;
e) os raios infravermelhos não são percebidos pela e) deixou-se abraçar pelo adversário.
nossa vista.
400. Assinale a frase com erro de concordância do ver-
395. Assinale a opção com erro de construção: bo SER:
a) o aluno só entra no colégio se estiver quites; a) já são horas de dormir, meu filho;
b) estes livros já estão meio usados; b) neste exato momento, são oito horas;
c) é preciso que se liguem os alto-falantes; c) creio que eram nestas horas que eles deviam mos-
d) “estes homens combatiam meios nus ...” (A. Her- trar seu altruísmo;
culano). d) daqui a São Paulo são 500 quilômetros;
e) houve uma reunião na sede do Sindicato de Pro- e) eram as Aves-Marias.
fessores de Ensino Primário e Médio.
401. Assinale a opção em que a lacuna pode ser preen-
396. Observe com atenção a concordância das frases chida por qualquer das duas formas verbais colo-
e marque a resposta certa. cadas entre parênteses.
1 - Creio que o relógio deu agora mesmo cinco a) fui eu que mais contra o poder burguês;
horas. (lutei / lutou)
2 - Ele é um dos que deveriam falar na reunião. b) grande parte do grupo feminista a sub-
3 - Acabou de dar as quatro horas no relógio da Cen- missão das mulheres; (legitima / legitimam)
tral. c) futuramente, aparecer movimentos fe-
4 - Os homens parece que tarde ou nunca se emen- ministas que enfraqueçam o poder burguês (pode-
dam. rá / poderão)
5 - Não vale a pena falar nas lutas que poderiam ha- d) que todos os movimento feministas
ver entre eles. deixem de se submeter aos homens; (convém /
6 - Cada vez mais precisa-se de trabalhadores espe- convêm)
cializados. e) nem o movimento feminista nem o machista
7 - Havia de existir outras razões tão fortes quanto legitimam o poder burguês. (deverá /
estas. c) cinco erradas;
8 - Tudo são obstáculos que devem ser vencidos.
9 - Cinco anos vão fazer que esses diplomas foram
expedidos.
10 - Uma e outra razões não me convenceram.

a) todas certas;
b) certas as pares.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


54
55 EDITORA HE_EDUCA

deverão)

402. Tendo em vista as regras de concordância,


assina- le a única opção em que a forma entre
parênteses não completa corretamente a lacuna
da frase:
a) ficam o movimento do sangue e as
veias; (deslocados)
b) foram as válvulas venosas como
peque- nas conchas; (definidas)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


55
56 EDITORA HE_EDUCA

c) é preciso que sejam os braços e as per- d) dois metros de tecidos são pouco para o terno;
nas; (movimentadas)
d) o coração e os pulmões possuem recursos e ne-
cessidades ; (diversos)
e) devem ficar naquela posição, com as
pernas balançando, os pés, provocando um maior
sofrimento; (pendurados)

Tendo em vista as regras de concordância, assi-


nale a única opção em que a forma entre parênte-
ses completa corretamente a lacuna da frase.
a) muitas coisas a se pretender para melho-
rar o ritmo das batidas do coração; (existe)
b) contrair-se, por exemplo, todos os múscu-
los: (pode)
c) a parede dos vasos sangüíneos muito, por-
que são contráteis; (dilatam)
d) , no entanto, haver muitos recursos quan-
to ao prolongamento da resistência física; (deve)
e) as alterações de peso problemas sé-
rios. (acarreta)

403. Assinale a opção em que, de acordo com as nor-


mas da língua culta, ambas as formas verbais entre
parênteses podem ser empregadas:
a) apenas (havia / haviam) três clientes na sala;
b) só queria que o pai e outros se (recuperasse /
recuperassem);
c) (ficaria / ficariam), naquele lugar, os membros da
delegação e os recepcionistas;
d) (existiria / existiriam) o vigário e padrinho do me-
nino;
e) (faltava / faltavam) somente dez segundos para o
início da festa.

404. É provável que vagas na Academia, mas


não pessoas interessadas: são muitas as
formalidades a cumpridas.
a) hajam - existem - ser;
b) hajam - existe-ser;
c) haja - existem - serem;
d) haja - existe - ser;
e) hajam - existem - serem.

CONCORDÂNCIA

405. Assinale a alternativa onde o verbo haver não ad-


mite plural e, por isso, está errado:
a) os soldados se houveram como herói;
b) os condenados houveram o perdão para seus er-
ros;
c) se eles não vierem, eles se haverão comigo;
d) será que haverão vagas no estacionamento?
e) os jogadores já haviam deixado o campo.

406. Assinale a alternativa correta quanto à concordân-


cia verbal:
a) sou eu que primeiro saio;
b) é cinco horas da tarde;
c) da cidade à praia é dois quilômetros;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


56
57 EDITORA HE_EDUCA

c) defendemos – queriam – faria;


e) nenhuma das alternativas anteriores esta correta.

407. Quantas semanas para elas o trabalho?


a) é necessário – terminassem;
b) é necessário – terminar;
c) são necessários – terminarem;
d) são necessárias – terminem;
e) são necessárias – terminarem.

408. No período “Não fui eu que fiz a prova”, explica-se


a concordância correta na segunda oração
porque:
a) o verbo concorda em gênero e número com o
su- jeito;
b) o verbo concorda em número com o sujeito;
c) o sujeito sendo o relativo que o verbo terá o
nú- mero e a pessoa do antecedente;
d) o relativo sendo sujeito, o verbo concorda com
o antecedente em número;
e) o sujeito sendo o relativo que o verbo fica na
3ª pessoa do singular.

409. Leia atentamente “A letra das composições


musi- cais contemporâneas refletem, com
nitidez os problemas sociais que o Brasil está
enfrentando”. O período acima apresenta uma
incorreção gra- matical, pois há uma falta de
concordância entre os termos:
a) problemas e enfrentando;
b) Brasil e está enfrentando;
c) composições e refletem;
d) composições e está enfrentando;
e) letra e refletem.

410. Para que não equívocos quanto ao


fun- cionamento da biblioteca, no
quadro mural, além de outros avisos, todos os
horários de atendimento.
a) continuassem ocorrer, foi afixado;
b) continuassem a ocorrer, foi afixado;
c) continuasse a ocorrer, foi afixado;
d) continuassem a ocorrer, foram afixados;
e) continuasse a ocorrer foram afixados.

411. Assinale a alternativa que completa as


frases: I - Grande
parte dos alunos hoje;
II - Não serão vocês quem o
problema; III - Os Estados Unidos da reunião.
a) faltou – resolverão – participará;
b) faltaram – resolverá – participará;
c) faltaram – resolverá – participarão;
d) faltou – resolverá – participarão;
e) a alternativa “c” e “d” estão corretas.

412. Indique a alternativa correta:


“Fomos nós que o , porque a
maioria dos rapazes dar-lhe uma
surra. Quais de vós isso também ?”
a) defendemos – queria – faria;
b) defendeu – queriam – faríes;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
57
58 EDITORA HE_EDUCA

d) defendeu – queria – fariam; c) o técnico assistiu os jogadores no treino;


e) defendemos – queriam – fariam. d) assistiremos amanhã a uma missa de 7º dia;
e) Machado de Assis assistia em Botafogo.
413. Indique a alternativa que completa as frases:
I - Não se tais acordos; 420. A alternativa incorreta de acordo com a gramática
II - A família, os amigos, os vizinhos, ninguém culta é:
ajudá-lo; a) obedeça o regulamento;
III - -se de auxiliares. b) custa a crer que eles brigaram;
a) farão – pode – precisam; c) aspiro o ar da manhã;
b) fará – podem – precisa; d) prefiro passear a ver televisão;
c) farão – podem – precisa; e) o caçador visou o alvo.
d) farão – pode – precisa;
e) n. d. a . 421. Complete a frase abaixo:
“assisti filme que você indicou, pois preferi ir
414. Assinale a alternativa cuja lacuna pode ser preen- ao cinema ficar em casa”.
chida com as duas formas verbais que estão su- a) o - do que; d) ao - a;
geridas entre parênteses: b) o - a; e) o - que.
a) a praça, as ruas, as casas, tudo com o c) ao - que;
temporal (acabou - acabaram);
b) - se casas novas (vende - vendem); 422.
c) à tarde, o advogado e seu cliente (che- I - “A arma se feriu desapareceu”;
gou -chegaram);
II - “Estas são as pessoas lhe falei”;
d) Não se em suas propostas (confiou -
confiaram); III - “Aqui está o foro me referi”;
e) o médico e sua família (viajou-viajaram). IV - “Encontrei um amigo de infância nome não
me lembrava”;
415. “Tais coisas não se mesmo que V - “Passamos por uma fazenda se criam
a favor dela, seu pai e seus amigos”: búfalos”.
a) faz - seja; a) que - de que - à que - cujo - que onde;
b) faz - sejam; b) com que - que - a que - cujo qual-onde;
c) fazem - seja; c) com que - das quais-a que -de cujo -onde;
d) fazem - sejam; d) com o qual - de que -que -do qual - onde;
e) as alternativas “c” e”d” estão corretas. e) que - cujas - as quais - do cujo - na cuja.
416. É organização para que ativi- 423. “São excelentes técnicos colaboração
dades que para hoje saiam a contento: não podemos prescindir”:
a) necessária – as inúmeras – foi programadas; a) cuja; d) de que a;
b) necessário – a inúmera – foi programado; b) de cuja; e) dos quais a.
c) necessário – as inúmeras – foram programadas; c) que a;
d) necessária – as inúmeras – foi programado;
e) as alternativas “a” e”d” estão corretas. 424. Assinale a opção que completa corretamente as
lacunas da seguinte frase:
417. “Vossa Excelência que eu traga o “O controle biológico de pragas, o texto
jornal”: faz referência, é certamente o mais eficiente e ade-
a) quer – lhe – vosso; quado recurso os lavradores dispõem para
b) quer – vos – seu; proteger o solo”:
c) quereis – vos – vosso; a) do qual - com que; d) ao qual - cujos;
d) quer – lhe – seu; b) de que - que; e) a que - de que.
e) queres – lhe – vosso. c) que - o qual;
b) os médicos assistiram os feridos durante a guerra;
418. Assinale a alternativa com regência correta:
a) prefiro mais a liberdade do que o cativeiro;
b) prefiro mais a liberdade que o cativeiro;
c) prefiro a liberdade ao cativeiro;
d) prefiro a liberdade mais que o cativeiro;
e) n.r.a.

419. Com referência à regência do verbo assistir, todas


as alternativas estão corretas, exceto:
a) assistimos ontem um belo filme na televisão;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


58
59 EDITORA HE_EDUCA

425. Eu não informei o jogo foi cancelado”:


a) o - que;
b) lhe - de que;
c) o - de que;
d) lhe - que;
e) as alternativas “c” e “d” estão corretas.

426. “O candidato, méritos não


duvidamos,não se apercebeu
seria derrotado”.
a) de cujos - de que;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


59
60 EDITORA HE_EDUCA

b) cujo os - em que; c) o tempo parece que vai melhorar;


c) dos quais - que;
d) cujos seus - que;
e) que seus - em que.

TERMOS DA ORAÇÃO. VALOR SEMÂNTICO DAS


CONJUNÇÕES. CLASSIFlCAÇÃO DAS ORAÇÕES.

427. Qual a expressão grifada, que NÃO funciona como


sujeito:
a) “piam perto, na sombra, as aves agoureiras”;
b) “morre ! morrem-te às mãos as pedras deseja-
das”;
c) “hão - de frutificar as fomes e as vigílias”;
d) “quando, aos beijos do sol, sobrarem as colhei-
tas”;
e) “dorme de novo tudo”.

428. Assinale a opção em que a mudança feita acarre-


ta alteração de função sintática:
a) seringueiro, dorme na escureza da floresta;
b) dorme, seringueiro, na escureza da floresta;
c) na escureza, seringueiro, da floresta, dorme;
d) na escureza da floresta, seringueiro dorme;
e) dorme na escureza da floresta, seringueiro.

429. O termo sublinhado exerce a função de objeto in-


direto, EXCETO em:
a) lembrei-lhe a data de aniversário de sua mãe;
b) perdi a cabeça durante a discussão e dei-lhe na
cara;
c) devido a problemas de saúde, proibiram-lhe que
fumasse;
d) incumbiram-lhe que entregasse a encomenda;
e) com certeza, pagou-lhe com bastante atraso

430. O elemento grifado está corretamente classifica-


do, EXCETO em:
a) o filme é impróprio para menores; (complemento
nominal)
b) ignoro onde estão seus conhecimentos; (adjunto
adverbial de lugar)
c) deve-se ser tolerante com o próximo; (adjunto
adnominal)
d) em teu pensamento, serei apenas lembrança; (pre-
dicativo do sujeito)
e) há acontecimentos em minha vida de que não
gosto. (objeto indireto)

431. Todas as alternativas contêm predicado nominal,


EXCETO em:
a) a casa, de longe, parecia um monstro;
b) aquele amor deixava-o insensível:
c) ultimamente andava muito nervoso;
d) fique certo: eu não sou você;
e) o tempo está chuvoso, sombrio.

432. Assinale a única frase com predicado nominal:


a) os alunos permaneceram em sala;
b) estavam todos na praça assistindo ao concerto;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


60
61 EDITORA HE_EDUCA

d) o menino continuou a leitura; a) de tanto chorar, os seus olhos ficaram inchados;


e) infelizmente, o professor continua doente.

433. Assinale a frase com predicado verbal:


a) o colega acusou-o de covarde;
b) gostei do passeio marítimo;
c) o professor entrou preocupado em sala;
d) os amigos ficaram surpresos com sua reação;
e) estavas com saudades de teus irmãos.

434. Assinale a opção com predicado verbo-nominal:


a) os alunos estudiosos normalmente são aprovados;
b) todos ficaram estáticos diante da paisagem;
c) o espetáculo está anunciado há cerca de dois
meses;
d) nunca o julgamos de tal atitude;
e) a ciência não é moral nem imoral; é amoral.

435. Assinale a frase com sujeito indeterminado:


a) consertam-se relógios;
b) falaram na sessão todos os oradores inscritos;
c) disseram que o Concurso não será fácil;
d) os beija-flores pairam no ar e sugam o pólen
das flores;
e) construíram-se muitas estradas no interior do
Brasil.

436. Assinale a única frase com verbo de ligação:


a) continuamos em silêncio durante muito tempo;
b) apesar da chuva, fiquei no meu posto;
c) vivi em Itabira alguns anos;
d) andei longes terras à procura de solução;
e) permanecemos no colégio a manhã inteira.

437. Assinale a opção em que o termo grifado NÃO


apresenta o valor circunstancial indicado entre
parênteses:
a) “ia pelo corredor que o velho José Paulino
fizera” (lugar);
b) “no outro dia não voltou mais para trabalhar”
(tempo) ;
c) “o mestre estremeceu com a palavra do
homem” (instrumento) ;
d) “faria alpercatas fortes para romper a terra
dura das caatingas” (fim);
e) “lá para fora José Passarinho cantava
baixinho” (modo) .

438. Assinale a opção em que a preposição de


mani- festa o mesmo valor que apresenta em “
(....) e corou da alusão que havia em suas
palavras.”
a) as crianças sorriam de frio;
b) vieram hoje de Recife;
c) tinha no dedo um anel de ouro;
d) sempre trabalhei de noite;
e) alimentava-se apenas de pão e água.

439. Assinale a opção em que a preposição de


expri- me a mesma idéia que possui em “... a
cair de fome.”
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
61
62 EDITORA HE_EDUCA

e) “Deus, ó Deus, onde estás que não respondes?”


b) de noite todos os gatos são pardos;
c) chegaram hoje cedo de Pernambuco;
d) devemos nutrir o espírito de boas leituras;
e) carregava no bolso um relógio de ouro.

440. Assinale o item em que o verbo deve ir obrigatori-


amente para a 3ª pessoa do plural:
a) vive-se bem no Nordeste;
b) necessita-se de datilógrafos;
c) procura-se secretárias estenógrafas;
d) admite-se secretária bilíngüe;
e) dispõe-se de incentivos estrangeiros.

441. Na passagem “. . . um cego que me puxava as


orelhas...”, o pronome me indica posse (por isso
podendo ser analisado como adjunto adnominal). Da
mesma forma ocorre com o pronome grifado em:
a) tenho-lhe ódio;
b) escuto-lhe a voz;
c) ela me tratava bem;
d) este é o presente que me deste;
e) não lhe quero mal.

442. Assinale o item em que o elemento sublinhando


não é adjunto adverbial:
a) ele sempre agiu comigo às direitas;
b) esta noite haverá jogo no Maracanã;
c) tremiam de frio as pobres crianças;
d) colhemos bastantes exemplos em Castro Alves;
e) as árvores se conhecem pelos frutos.

443. Assinale o item em que o elemento sublinhado


não é agente da passiva:
a) Desejaria que os exercícios fossem feitos por todos;
b) eras amado de teus pais:
c) foi oferecido um prêmio ao melhor aluno da turma;
d) a América teria sido descoberta pelos “vikings”?
e) fui reprovado por quem não esperava.

444. Assinale o único item em que o elemento subli-


nhado não é aposto:
a) só desejo uma coisa que vocês sejam aprovados;
b) nada impedia seus planos: tristeza, dores, sofri-
mentos;
c) Rui Barbosa, a Águia de Haia, elevou bem alto o
nome do Brasil;
d) ele conseguiu ser aprovado, o que alegrou muito
a seus pais;
e) entre políticos não se perdoam duas coisas: a
neutralidade e a apostasia.

445. Assinale o item em que o elemento sublinhado


não é vocativo:
a) “eu, que a pobreza dos meus pobres cantos / dei
aos heróis...”(C.Alves);
b) “estavas, linda Inês, posta em sossego . . . “ (Ca-
mões);
c) “ó tu, que tens de humano o gesto e o peito . . . .
“ (Camões);
d) “boa noite ! - formosa Consuelo ! . . . “ (C. Alves);

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


62
63 EDITORA HE_EDUCA

reduzida de infinitivo com valor de subordinada:


446. Assinale o item em que o termo sublinhado não
a) adverbial;
é complemento nominal:
a) a invenção da imprensa abriu novos horizontes
ao homem;
b) todos estamos confiantes em tua vitória;
c) gorou minha ida à Bahia;
d) algumas tribos foram hostis aos portugueses;
e) a obediência dos cidadãos às leis é um
imperati- vo social.

447. Assinale a opção em que o termo sublinhado


de- sempenha função sintática distinta da dos
demais, em relação aos textos:
a) imagens vilíssimas da servidão;
b) espetáculos de extrema miséria;
c) legiões de homens;
d) reverberações de prata polida;
e) as folhas das árvores.

448. Assinale a opção em que as preposições POR


e COM exprimem as mesmas idéias que
possuem em: POR displicência, machucou-se
COM a faca.
a) por hoje, eu diria com vocês: basta;
b) por mais que estude, não é aprovado com
desta- que;
c) por caminhos estranhos, andava a maluca
com fome;
d) por nosso esforço, conseguimos a aprovação
com méritos;
e) por ironia do destino, o policial matou-se com
sua arma.

449. Assinale a única opção que não se completa


ade- quadamente com a preposição entre
parênteses.
a) O caminho onde vamos é muito; (por)
b) caminharemos o mar; (até)
c) falava-se a reforma eleitoral; (sobre)
d) casa cujo teto morávamos; (sob)
e) o aluno que todos maltratavam era
meu amigo. (a)

450. Assinale a alternativa que contém um objeto


indi- reto.
a) o bom filho é obediente aos pais;
b) a festa decepcionou a todos;
c) o bom filho obedece aos pais;
d) os pais são obedecidos pelo bom filho;
e) a obediência aos pais é dever do bom filho.

451. O amor não só traz alegria como também alimen-


ta. Neste período, a conjunção é:
a) subordinativa causal;
b) coordenativa aditiva;
c) coordenativa conclusiva;
d) subordinativa comparativa;
e) conformativa.

452. “O mais certo é não dirigir veículo sem carta


de habilitação”, a oração sublinhada é
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
63
64 EDITORA HE_EDUCA

b) coordenada: a) o rapaz era tão aplicado, que em pouco tempo


c) adjetiva;
d) substantiva;
e) reduzida.

453. Qual dos períodos abaixo não apresenta oração


substantiva?
a) pensei estar bem informado;
b) conclui estarmos enganados;
c) prepara-te, para não decepcionares;
d) Paulo era incapaz de cumprir a promessa;
e) é proibido fumar.

454. Assinale a opção em que a troca do termo extraído


do trecho abaixo pela forma colocada entre parên-
teses implicaria sensível alteração de sentido:
“Uma observação mais cuidadosa revela, porém
(A), que Ciência e Tecnologia não se comportam
como (B) mercadorias, mas (C) como bens cultu-
rais: é por isso, talvez, que toda tentativa de trans-
ferência de tecnologia fracassa e resulta no (D)
que não passa de alguma (E) forma efêmera de
prestação de serviço.”
a) “porém” / (portanto);
b) “como” / (do mesmo modo que);
c) “mas” / (e sim);
d) “no” / (naquilo);
e) “alguma” / (uma).

455. Numa das frases abaixo, não se encontra exemplo


da conjunção anunciada. Assinale-a:
a) subordinativa concessiva -” Conquanto estivesse
cansado, concordou em prosseguir”;
b) subordinativa condicional - “Digam o que quiserem
contanto que não me ofendam”;
c) subordinativa temporal - “mal anoiteceu, iniciou-se
a festa com grande entusiasmo” ;
d) subordinativa final - “saiu sem que ninguém perce-
besse” ;
e) subordinativa causal - “como estou doente, não
comparecerei”.

456. “O destino do réu depende do juiz. O processo


está com o juiz”. Utilizando-se um só período para
reconstruir o que está sendo afirmado, teremos:
a) o processo está com o juiz, embora o réu dependa
do seu destino;
b) o processo está com o juiz, de quem depende o
destino do réu;
c) o processo está com o juiz, cujo réu depende do
seu destino;
d) o processo está com o juiz, a quem depende o des-
tino do réu;
e) o processo está com o juiz, que dependa o destino
do réu.

457. Assinale o período em que ocorre a mesma rela-


ção significativa existente entre os termos grifa-
dos em: “a atividade científica é tão importante
quanto qualquer outra atividade econômica”:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


64
65 EDITORA HE_EDUCA

foi promovido;
b) quanto mais estuda, menos aprende;
c) tenho tudo quanto quero;
d) sabia a lição tão bem como eu;
e) todos estavam exaustos, tanto que se
recolhe- ram logo.

458. No período - “Torna-se, portanto, imperativa


uma revisão conceitual do modelo presente
do pro- cesso de desenvolvimento tecnológico
de modo a levar em conta o fator cultural
como dominan- te” - a oração grifada traduz:
a) concessão; d) condição;
b) conseqüência; e) proporção.
c) comparação;

459. Assinale a opção em que as orações do


período enunciado se relacionam por
coordenação e su- bordinação e não apenas
por coordenação:
a) no aconchego / do claustro, na paciência e no
sossego / trabalha e teima, e lima, e sofre, e
sua;
b) os camelôs ensinam nas ruas os mitos herói-
cos da meninice e dão aos homens que pas-
sam uma lição de infância;
c) entre os camelôs das ruas, uns falam pelos
co- tovelos e outros, coitados, têm a língua
atada;
d) os camelôs vendem canetinhas-tinteiro por
qua- se nada, mas elas jamais escrevem
coisa al- guma;
e) o camelô dos brinquedos de tostão oferece
ba- lõezinhos de cor, mostra bonequinhos
jogado- res de box, exibe no chão da calçada
perere- cas verdes.

460. Assinale o item com oração sub. adjetiva


expli- cativa:
a) nem tudo que reluz é ouro;
b) O aluno que estuda é aprovado;
c) meu irmão, que mora em Petrópolis, está do-
ente;
d) meu irmão que mora em Petrópolis está doente;
e) os cachorros que latem não mordem.

461. Assinale a oração em que a substituição da


ex- pressão grifada altera sensivelmente o
sentido do enunciado:
a) “em lugar de nos conduzirem a desejável
autono- mia.” / em vez de;
b) “eliminando, assim, seus talentos de processo .
...” / com isso;
c) “embora muitos estudiosos defendam que a
ca- racterística ...” / conquanto;
d) “pois toda preocupação intelectual do homem
não deixa de ser... “ / logo;
e) “no entanto, por causa da situação de depen-
dência cultural ... “ / todavia.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


65
66 EDITORA HE_EDUCA

462. No período - “E quanto mais andava mais tinha 02. A oração sublinhada está corretamente classifi-
vontade”, ocorre idéia de proporção. cada, EXCETO em:
Assinale a opção em que tal idéia NÃO ocorre: a) “se Madalena me visse assim, com certeza me
a) quanto mais leio este autor menos o entendo; achava extraordinariamente feio.”
b) choveu tanto, que não pudemos sair; (oração subordinada adverbial condicional)
c) à medida que corria o ano, o nosso trabalho era b) “levanto-me, procuro uma vela, que a luz vai apa-
maior; gar-se”;
d) quanto menos vontade, mais negligência; (oração coordenada sindética explicativa)
e) quanto mais se lê, mais se aprende. c) “de longe em longe sento-me fatigado e escrevo
uma linha”;
463. No trecho - “A lua deitava-se pelo mundo. Era (oração coordenada sindética aditiva)
um mar de leite por cima das coisas” -, o se- d) “e falando assim, compreendo que perco o tempo”;
gundo período estabelece com o primeiro uma (oração subordinada substantiva objetiva direta) .
relação de: e) “foi este o modo de vida que me inutilizou.”
a) contraste; d) explicação; (oração subordinada substantiva predicativa)
b) comparação; e) conclusão.
c) condição; 469. No seguinte grupo de orações sublinhadas:
1) é bom que você venha;
464. No trecho - “Poeta primitivo, canta a natureza na 2) não esqueças que és fiel;
mesma linguagem da natureza” - a expressão gri- Temos orações subordinadas respectivamente:
fada corresponde a: a) objetiva direta, subjetiva:
a) mesmo sendo poeta primitivo; b) subjetiva, objetiva direta:
b) até sendo poeta primitivo; c) objetiva direta, adverbial temporal:
c) além de ser poeta primitivo; d) subjetiva, predicativa:
d) antes de ser poeta primitivo; e) predicativa, objetiva direta.
e) por ser poeta primitivo.
470. Assinale a construção que pode substituir, sem
465. Passada a tempestade, recolheu as velas”, a provocar alteração fundamental de sentido, o tempo
oração grifada é reduzida do particípio com grifado em “e viu a esperança balançando.”
valor de: a) que balançou;
a) adverbial temporal; b) que teria balançado;
b) adverbial condicional; c) que havia de balançar;
c) substantiva apositiva; d) que tinha balançado;
d) substantiva predicativa; e) que balançava.
e) adverbial causal.
471. A oração “Não se verificou, todavia, uma trans-
466. “Choveu, portanto haverá boas colheitas”. plantação integral de gosto e de estilo” tem valor:
Em qual das orações abaixo, a conjunção tem o a) conclusivo; d) explicativo;
mesmo valor do exemplo acima? b) adversativo; e) alternativo.
a) saiu, logo que ela entrou; c) concessivo;
b) apressa-te, pois o tempo é pouco;
c) vives mentindo; logo, não mereces fé: 472. Em “Embora ela tivesse sido alta e clara”, a ora-
d) leve-lhe flores, pois ela aniversaria amanhã; ção exprime:
e) não veio, que estava indisposto. a) causa; d) finalidade;
b) condição; e) conseqüência.
467. “Estudando sem método, seremos reprovados.”, c) concessão;
é oração reduzida de gerúndio, com valor de su-
bordinada: 473. Assinale a oração com o sujeito composto.
a) final; d) condicional; a) o aluno e a aluna o professor elogiou;
b) concessiva: e) conformativa. b) todos os homens são mortais;
c) consecutiva; c) o professor com a família foi lecionar em Brasília;
d) o ladrão e o assassino evadiu-se da prisão;
468. e) passará o céu e a terra.
01. Todos os períodos são compostos por subordina-
ção EXCETO: 474. Assinale a única frase com verbo transitivo direto:
a) não se preocupe que logo a trarei; a) nunca fora nada na vida;
b) dei-lhe sinal que saísse logo; b) acusaram o pobre homem de irresponsável;
c) todos sabem que o homem é mortal; c) todos respiraram aliviados;
d) ele afirmou que não a vira; d) todos precisam de Deus;
e) é tão feio que assusta. e) Cristo perdoou o bom ladrão arrependido.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


66
67 EDITORA HE_EDUCA

475. A opção em que não se verifica a presença de direto preposicionado.


Predicado Verbo-Nominal é:
a) acusei-o de covarde;
b) a menina encontrou morto o seu namorado;
c) ficavam absorvidos os homens diante de tanta
beleza: o recém-nascido;
d) apelidaram o rapaz de boneca;
e) as aves, diante do terrível caçador, gritavam de-
sesperadas.

476. Assinale a opção com Predicado Verbo-Nominal.


a) as autoridades chamam ao momento histórico
atual de abertura;
b) gostamos de sua presença aqui;
c) não há dúvidas a respeito da crise econômica do
país;
d) após vários anos de Mobral uma pergunta: o anal-
fabetismo diminuiu;
e) uma parte de população protesta contra a porno-
grafia nos meios de comunicação.

477. Ainda a propósito do assunto da questão anterior,


assinale o único caso que não apresenta, grifa-
do, um complemento nominal:
a) o respeito às leis é dever do cidadão consciente;
b) o surgimento da lua provocou reações românticas;
c) o descobrimento de petróleo animou os brasileiros;
d) o almoço com a namorada foi um sucesso;
e) a representação contra o governador agitou o ple-
nário:

478. O termo grifado está corretamente classificado,


EXCETO em:
a) minha mãe era temente a Deus; / complemento
nominal
b) a afeição crescente era manifestada por atos ex-
traordinários / passiva
c) poucos teriam ânimo de confessar aquele pensa-
mento; /sujeito
d) expus a Capitu a idéia de José Dias; / objeto indireto
e) há poucos que não se ajustam nem combinam./
objeto direto.

479. Assinale o item em que o elemento sublinhado


não é adjunto adnominal:
a) a vida é um álbum de retratos;
b) a aluna estava excessivamente nervosa;
c) mais amor menos confiança;
d) quantas aulas ainda teremos até o dia da prova;
e) o aparecimento da Virgem aos pastores em Fáti-
ma comoveu o mundo.

480. Marque a opção em que há erro de análise:


a) o convite para o cinema supreendeu-a; / comple-
mento nominal.
b) o amor, não o temos como imoral ; adjunto adver-
bial de modo.
c) o amor, nós o temos como imortal; / objeto indire-
to pleonástico.
d) a mim não pegam, com essa mentira; / objeto

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


67
68 EDITORA HE_EDUCA

re- lativo: objeto direto;


e) a mim não disseram coisas mentirosas. /
objeto indireto. c) quem-pronome indefinido objeto direto de cala; que

481. Correlacione a segunda coluna de acordo com


a primeira tendo em vista as circunstâncias
indica- das pelas ações subordinadas:
1) causa;
2) condição;
3) lugar;
4) concessão;
5) conseqüência;
6) modo;
7) tempo.

( ) a verdade não está onde colocamos;


( ) tanta era a sua pureza, que o mal não a
tocava; ( ) chegando o momento propício,
agiremos juntos; ( ) agiu sem consultar ninguém;
( ) como não estava preparado, não quis fazer a
prova; ( ) sem ser propriamente bonita, ainda assim
era uma
mulher
interessante;
( ) sem observar tais cuidados, cometeria muitos erros;

Indique a ordem correta:


a) 1 – 3 – 5 – 6 – 7 – 2 – 4;
b) 2 – 4 – 3 – 7 – 6 – 5 – 1;
c) 6 – 1 – 2 – 7 – 4 – 3 – 5;
d) 3 – 5 – 7 – 6 – 1 – 4 – 2;
e) 3 – 1 – 7 – 6 – 5 – 4 – 2.

482. Assinale o item em que a função não correspon-


de ao termo sublinhado:
a) comer demais é prejudicial à saúde –
complemen- to nominal
b) jamais me esquecerei de ti – objeto indireto;
c) a vida da cidade é muito agitada –
complemento nominal;
d) ele foi cercado de amigos sinceros – agente
da passiva;
e) não tens interesse pelos estudos –
complemento nominal.

483. Assinale a opção em que a preposição por


mani- festa o mesmo valor que apresenta em “O
acúmu- lo de sangue (estase) bastará para
causar a mor- te por insuficiência cardíaca ...”
a) ele andava por aí;
b) comunicava-se por mímica;
c) trocou um lápis por uma caneta;
d) lutou por você;
e) chorou por tirar pouca nota.

484. “Quem cola sobre teu corpo consente na tua


mor- te talhada a ferro e fogo nas profundezas
do corte que a bala riscou no peito”,
Concluímos que:
a) quem-pronome relativo: sujeito; que-pronome
re- lativo: sujeito;
b) quem-pronome relativo: sujeito; que-pronome
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
68
69 EDITORA HE_EDUCA

pronome indefinido: sujeito de riscou; d) via-se muito bem que D. Glória era alcoviteira;/
d) quem-pronome indefinido sujeito de cala; que-pro- oração subordinada substantiva subjetiva.
nome relativo: objeto direto de riscou; e) a idéia é tão santa que não está mal no santuário; /
e) quem-pronome indefinido sujeito de cala; que-pro- oração subordinada adverbial consecutiva.
nome relativo: sujeito de riscou.
490. Assinale a opção em que o termo grifado NÃO
485. Em “A elaboração das questões pelo professor apresenta o valor circunstancial indicado entre
nos deu tranqüilidade”. Os termos grifados são: parênteses:
a) sujeito - objeto direto - agente da passiva - objeto a) “ah ! quantos homens de juízo não andarão por aí
indireto; ...” (lugar);
b) complemento nominal - agente da passiva - obje- b) “eu não creio, não posso mais acreditar na bon-
to direto - objeto direto; dade ou na virtude de homem algum...” (intensi-
c) adjunto nominal - agente da passiva - objeto dire- dade);
to - objeto indireto; c) “... mais nocivos aos outros, e para produzir maior
d) complemento nominal - agente da passiva - obje- danos... “ ( fim);
to indireto - objeto direto; d) “... declara sem cerimônia ...” (modo);
e) não há função sintática para o termo tranqüilidade. e) “... antes estar na casa de correção por terem
enriquecido com abusos escandalosos e crimes
486. Assinale a opção em que a preposição POR ex- ... “ (causa).
prime a mesma idéia que possui em: “vivemos por
um mundo melhor”: Assinale o item que indica corretamente a relação dos
a) estou aqui novamente por te amar: elementos sublinhadas dentro dos grupos de 491 a
b) a notícia chegou-me por telegrama: 499.
c) lutamos por um lindo ideal:
d) todos foram acusados por ti: 491. O técnico berrou tanto, que ficou rouco:
e) sairemos por São Paulo. a) causa; d) finalidade;
b) conseqüência; e) concessão.
487. Assinale a opção em que o pronome “Os” não c) modo;
desempenha, a mesma função do que em “... os
escravos adorando-os e temendo-os”. 492. No meu quarto, estudo sem que ninguém me atra-
a) ouviram-nos na dança: palhe.
b) escravos, sempre os serão: a) lugar; d) condição;
c) os escravos os viram no chão: b) conseqüência; e) modo.
d) os pretos não os encontravam na rua: c) finalidade;
e) quero mostrá-los aos senhores:
493. Parece que quanto mais estudo menos sei:
488. Assinale o item em que a oração grifada está clas- a) proporção; d) tempo;
sificada indevidamente: b) modo; e) alternativa.
a) “naquela noite, o silêncio não deixou Maria dormir”; c) explicação;
oração subordinada substantiva adjetiva direta.
b) “eles diziam onde as pessoas deveriam guardar 494. Ela, sobre ser feia, é néscia e burra:
seu dinheiro”; oração subordinada substantiva ob- a) causa; d) conclusão;
jetiva direta. b) exceção; e) explicação.
c) “onde o povo parava para pensar a esperança”; c) acréscimo;
oração subordinada adverbial final.
d) “dos chuveiros caíam fios de ovos ou eram cheias 495. Ora ria, ora chorava o menino acidentado:
de mel as piscinas”; oração principal. a) adição; d) alternativa;
e) “como a casa foi construída se ninguém me pediu b) intensidade; e) conclusão.
dinheiro emprestado”; oração subordinada adver- c) condição;
bial condicional.
496. Não posso ouvir esta música, que não chore:
489. A oração grifada esta corretamente classificada, a) conseqüência; d) modo;
EXCETO em: b) conformidade; e) condição.
a) agora eu lhe mostro com quantos paus se faz uma c) adição;
canoa / oração subordinada substantiva objetiva
direta; 497. Corre, saveiro, corre, que já brilham as luzes da
b) tudo quanto possuímos vem desses cem mil réis;/ Bahía.
oração subordinada adjetiva restritiva. a) concessão; d) causa;
c) Casimiro Lopes pergunta se me falta alguma coi- b) explicação; e) condição.
sa; / oração subordinada adverbial condicional. c) modo;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


69
70 EDITORA HE_EDUCA

498. Ele pode sair, desde que termine a prova: b) embora me sinta no pleno gozo de minhas facul-
a) causa; d) tempo; dades mentais, asseveram que estou doido;
b) modo; e) meio. c) mesmo que me sinta no pleno gozo de minhas
c) condição; faculdades mentais, asseveram que estou doido;
d) asseveram que estou doido, sinto-me, no entan-
499. Onde me espetam, fico: to, no pleno e perfeito gozo de minhas faculdades
a) modo; d) lugar; mentais;
b) causa; e) meio. e) asseveram que estou doido, enquanto me sinto
c) conseqüência; no pleno e perfeito gozo de minhas faculdades
mentais.
500. Assinale a opção em que se altera sensivelmente
o sentido de “Eduarda vai esquecer o episódio. 505. Assinale a opção em que a palavra como é usada
Não pode passar a vida a lamentar a perda de com o mesmo sentido que apresenta em:
Fofoca”. “Legiões de homens negros como a noite . . .”
a) Eduarda vai esquecer o episódio, já que não pode a) como estivesse quente, só os pretos saíram à rua;
passar a vida a lamentar a perda de Fofoca; b) os pretos são tidos como trabalhadores;
b) Eduarda vai esquecer o episódio, visto que não c) nada aconteceu como os senhores decidiram so-
pode passar a vida a lamentar a perda de Fofoca; bre os escravos;
c) como Eduarda vai esquecer o episódio, não pode d) nunca se soube como não se ouviam os gritos;
passar a vida a lamentar a perda de Fofoca; e) as folhas das árvores estavam tão imóveis como
d) não podendo passar a vida a lamentar a perda de as estátuas.
Fofoca, Eduarda vai esquecer o episódio;
e) por não poder passar a vida a lamentar a perda de ORTOGRAFIA: ACENTUAÇÃO GRÁFICA. EMPRE-
Fofoca, Eduarda vai esquecer o episódio. GO DE LETRAS.

501. No período - “Quanto mais procurava mais sofria” 506. Assinale a alternativa que contém vocábulos que
- ocorre idéia de proporção. Assinale a opção em obedecem à mesma regra de acentuação da pa-
que tal idéia NÃO ocorre. lavra TÊNUE:
a) quanto mais oferecia gratificação mais havia coo- a) agrônomo, índex, fóssil, dispar;
peração; b) boêmia, herói, amáveis, imundice;
b) à medida que passavam os dias mais ficava triste; c) amêndoa, mágoas, supérfluo, bilíngüe;
c) procurou tanto que ficou doente; d) míope, ímã, médiuns, volúvel;
d) à proporção que os presentes chegavam mais fi- e) argênteo, viúvo, baía, esferóide.
cava perplexa;
e) quanto mais oferecia menos cooperação existia. 507. Indique o vocábulo de grafia incorreta:
a) gratuíto; d) rubrica;
502. No trecho - “Perdemos tudo. Mas Eduarda . . . b) avaro; e) crisântemo.
perdeu mais do que nós ...”, o segundo período c) alibi;
estabelece com o primeiro uma relação de:
a) contraste; d) conclusão; 508. O grupo em que ambas as palavras devem ser
b) condição; e) causa. acentuadas é:
c) explicação; a) rubrica - maquinaria;
b) interim - prototipo;
503. A oração sublinhada no período “Maltratado pela c) gratuito - fuido;
civilização branca, o índio refugiou-se nos mais d) totem - item;
distantes pontos do país”. Pode ser substituída, e) açai - ruim.
sem alteração fundamental de sentido, por:
a) mesmo tendo sido maltratado pela civilização 509. Nas séries abaixo, assinale a alternativa em que
branca; todas as palavras são acentuadas pelo mesmo
b) por ter sido maltratado pela civilização branca; motivo:
c) apesar de ter sido maltratado pela civilização branca; a) saí - egoísmo - daí;
d) antes de ser maltratado pela civilização branca; b) epitáfio – aliás - inconsolável;
e) até sendo maltratado pela civilização branca. c) anônima - epitáfio - daí;
d) egoísmo - inconsolável - anônima;
504. Assinale a opção em que se altera sensivelmente e) saí - aliás - egoísmo.
o sentido de: “Asseveram que estou doido. Sinto-
me no pleno e perfeito gozo de minhas faculda- 510. Há erro (s) de acentuação gráfica em:
des mentais”. a) recém-vindo, decano, refrega;
a) asseveram que estou doido, mas sinto-me no ple- b) pudico, bímano, gratuito;
no e perfeito gozo de minhas faculdades mentais; c) inaudito, pegada, zênite;
d) ibero, ávaro, levedo;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
70
71 EDITORA HE_EDUCA

e) filantropo, opimo, aziago 518. Para completar corretamente as palavras


“búss __ la”, “aterri __ agem, “catali __ ar”,
511. Assinale a opção em que os vocábulos obede- “tre eito” e “pu ar”, você utiliza, respectiva-
cem à mesma regra de acentuação gráfica: mente:
a) pés / hóspedes; a) o – ss – s -j – x;
b) sulfúrea / distância; b) u – s – z – j – x;
c) fosforescência / provém; c) o – ss – s – g – ch;
d) últimos / terrível; d) u – ss – z – j – x;
e) satânico / porém. e) o – s – s – g – ch.

512. Assinale a opção em que os vocábulos obede- 519. Assinale a alternativa em que ocorre um termo
cem à mesma regra de acentuação gráfica: grafado de modo incorreto:
a) terás / límpida; a) úmido - ojeriza - Teresinha;
b) necessário / verás; b) Luís - hélice - pesaroso;
c) dá-lhes / necessário; c) albatroz - aéreo - fusível;
d) incêndio / também; d) altivez - tragetória - extremidade;
e) extraordinário / incêndio. e) fuzil - concessão - hesitar.

513. O acento gráfico justifica-se apenas por ser dife- 520. As associações que seguem estão corretas, EX-
rencial em todas as palavras da seqüência: CETO em:
a) fósseis, pêlo, saía; a) seção = corte; divisão
b) pára, pêlo, pera; sessão = reunião;
c) pôde, caía, país; b) espiar = espreitar
d) pólo, apóio, fósseis; expiar = sofrer pena ou castigo;
e) pôr, pôde, sábia. c) cinemático = relativo aos estames;
sistemático = relativo ao movimento mecânico;
514. Em qual opção há uma palavra que não deve re- d) concertar = harmonizar; combinar
ceber acentuação gráfica? consertar = remendar; reparar;
a) index – sobressaiam – biquini; e) incipiente = principiante
b) juízes – tramóia – Antonio; insipiente = ignorante.
c) humus – ponies – atraí-lo;
d) mas (adj.) – para (v.) – da-lo-ieis; 521. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO:
e) faisca – polens – reporter. a) excessão, essencial, presunção, pretensão, in-
tenção;
515. Indique se o QUE, nas frases abaixo, deve levar b) falange, ginete, herege, monge, gibóia;
acento (1) ou não (2); assinale depois a resposta c) lojista, gorjeta, majestade, alforje, seje;
correta: d) seção, socegar , Iguaçu, dança, açucena;
( ) está pensando o que; e) ânsia, pêssego,cansaço, soçobrar, açúcar.
( ) não tenho nada que fazer;
( ) ele tem um que digno de nota; 522. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO:
( ) que adianta lamentar-se? a) engolir, epístola, embora, gôndola, boeiro;
b) cumbuca, engulimos, cutucar, curtume,curinga;
a) 1 – 2 – 1 – 1; d) 1 – 2 – 1 – 2; c) camundongo, industão, embutir, cutia, elucubra-
b) 1 – 1 – 2 – 2; e) 2 – 2 – 2 – 2. ção;
c) 2 – 2 – 2 – 1; d) funeral, hindustão, bruxulear, cumprido, bulício;
e) orangotango, polir, lúpolo, romeno, sortir.
516. Guiando-se pelas indicações entre parênteses,
assinale o par cuja acentuação está trocada (acen- 523. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO:
to agudo sobre vocábulo átono): a) muçulmano, supetão, urtiga, concurrência, Manuel;
a) pára (verbo) – pára (preposição) ; b) sinusite, tabuleta, urticária, óbulo, légua;
b) péla (verbo) – pela (contração) ; c) averigüe, areento, candeeiro, cardeal,digladiar;
c) pélo (verbo) – pelo (contração) ; d) aborígene, crânio, discrição, imergir, sinão;
d) péra (prep.) – pera (substantivo) ; e) despensa, emigrar, terebentina, pexote.
e) póla (subst.) – pola (contração).
524. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO:
517. Assinale a alternativa que contém erro de orto- a) quepe, magoe, previlégio, seringueiro, páreo;
grafia: b) elucidar, remedear, irrequieto, obelisco, mimeó-
a) detenção; d) esterilisar; grafo;
b) exceção; e) irrequieto; c) balça, beça, bocal, distensão, açafrão;
c) aborígene; d) almoço, açambarcar, caçange, obcessão, dança;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


71
72 EDITORA HE_EDUCA

e) segar, sebe, perversão, sipreste, pretensão;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


72
73 EDITORA HE_EDUCA

525. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO: c) espetáculo / irônica;


a) sisudo, sigla,seviciar, sisterna, sílfide; d) Luís / saído;
b) alvíssaras, antisséptico, possessão,obsecação; e) só / atrás
c) bexiga, enxarcar, enxoval, caxixe, dervixe;
d) cachola, charrua, michordia, deboche, charque; 533. Assinale a opção em que todas as palavras obe-
e) chafariz, chácara, faxina, pachorra, quícha. decem a mesma regra de acentuação gráfica:
a) postônico / difícil / através;
526. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO: b) tênue / constrói / lívido;
a) estranho, pretesto, esquisito, hesitar, esgotar; c) série / água / contínuo;
b) espontâneo, êxito, êxtase, exaurir, extensão; d) hífen / ônibus / éden;
c) piche, chuchu, flecha, feixe, charque; e) papéis / espécie / jóia.
d) graxa, pexinxa, enxergar, muxoxo, caxumba;
e) Bahia, bahiano, hibernal, haste, harmonia. 534. Assinale a opção em que todas as palavras são
acentuadas graficamente:
527. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO: a) regua / iberos / atraves;
a) camundongo, jabuticaba, burburinho, tábua, b) pudico / idolatra / interim;
mágua; c) interim / maquinar / bigamo;
b) hispânico, hodierno, hemisfério, hexagonal, hú- d) arquetipo / exodo / omega;
mido; e) rubrica / iberos / pudico.
c) atrás, retrós, revés, talvês, através;
d) evangelizar, fiscalizar, catalizar, sintionizar, ci- 535. Existem, em português, acentos diferenciais de
vilizar; timbre (som fechado x som aberto) e de intensi-
e) improvisar, hidrolisar, divisar, dialisar, vulcanizar. dade (vocábulos tônicos x vocábulos átonos), sen-
do o primeiro uma exceção. Aponte a dupla de
528. Em cada série há um erro ortográfico. EXCETO: palavras que registram, pela ordem, exemplos dos
a) acidez, baixeza, pureza, pequenez, fluidez; dois tipos de acordos:
b) cortês, maltês, pedrês, altivês, montês; a) pôde - pêras; d) pôr - pólo;
c) reizinhos, resinhas, rezinhas, aneizinhos, caracoi- b) póde - pêlo; e) côr- côa.
sinhos; c) pôde - pôr;
d) Teresinha, adeusinho, asinha, Luisinho, urubusinho;
e) puseste, quisesse, fizesse, repuzesse, refizesse. 536. As palavras: número, aniversário e mês, são acen-
tuadas em razão das mesmas regras que justifi-
529. Indique a série em que todas as palavras estão cam os acentos, respectivamente em:
grafadas corretamente: a) verídico – mágoa – lá;
a) deserção,distorção, ecitado; b) fósseis – história – côa;
b) exceção, recender, prezunção; c) beribéri – concórdia – vê;
c) missanga, cansado, cizão; d) falássemos – tênue – pôr;
d) circuncisão, intercessão, pretensão; e) antevíamos – bônus – só.
e) cansado, maçom, mormasso.
537. Tranqüila é palavra que apresenta o trema para
530. Devem ser grafados com “o” e “u”, respectivamen- assinalar a pronúncia átona do u, exatamente
te, os seguintes vocábulos: como ocorre em:
a) ent pimento; táb a; a) extinguir; d) aquático;
b) ch visco; ac dir; b) distinguir; e) equestre.
c) b bina; búss la; c) inquerito;
d) eng lir; b eiro;
e) c rtiça; trib . 538. Ainda sobre acentuação gráfica, destaque o item
onde todas as palavras estão incorretamente acen-
531. Apenas numa das séries abaixo há erro no que tuadas:
se refere às normas de acentuação gráfica em a) degráu – corôa – talvêz;
vigor. Assinale a: b) órgão – ítem – modêlo;
a) mandá-lo-ás / miosótis; c) fortuito – hífens – tórax;
b) jóquei / dêem; d) hífen – enjôo – fútil;
c) distribuí-lo / atrás; e) vírus – camponês – êle.
d) atraiu / faiscazinha;
e) dividí-lo / abençôo. 539. Assinale o vocábulo que, no plural, embora tôni-
co, deixa de ser acentuado:
532. Assinale a opção em que os vocábulos não obe- a) pêlo; d) pólo;
decem à mesma regra de acentuação gráfica: b) pêra; e) pôlo.
a) pé / júri c) pôla:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


73
74 EDITORA HE_EDUCA

b) estátuas / miséria;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


74
75 EDITORA HE_EDUCA

540. Numere com (1) as formas verbais do presente do b) ânsia / extremoso / sacerdotiza / obcessão;
indicativo do verbo ARGÜIR que receberem acen- c) jeito / magestade / jibóia / gesto;
to agudo, e com (2 ) às que não o devam receber, d) analisar / muçulmano / exceção / esplêndido;
assinale depois, abaixo, a resposta correta: e) expectativa / imprescíndivel / infecção / puzerem.
( ) arguo
( ) arguimos ORTOGRAFIA:
( ) arguis
( ) arguis 547. Complete as lacunas com “X” ou “S”:
( ) argui e tender, e tensão, e tenso, mi to,
( ) arguem ju tapor.
a) s, s, s, x, x; d) s, x, x, s, s;
a) 1 – 2 – 1 – 1 – 2 – 1; b) s, s, s, x, s; e) s, x, x, s, s;
b) 2 – 1 – 2 – 2 – 1 – 2; c) s, x, x, x, x;
c) 2 – 1 – 1 – 2 – 2 – 1;
d) 1 – 1 – 2 – 1 – 1 – 2; 548. Assinale o vocábulo em que está incorreto o em-
e) 2 – 2 – 2 – 1 – 1 – 1. prego do “z”:
a) natureza; d) frizar;
541. Assinale a série em que há um vocábulo indevida- b) catequizar; e) deslizar.
mente acentuado: c) rezar;
a) aí (adv.), baía (golfo), caírem;
b) ensaísta, faísca, fluído (subst.); 549. Em um dos casos abaixo, todas as palavras são
c) genuíno, influí (pret. perf.), influímos; grafadas com “s”, qual?
d) influíram, juízes, juízo; a) anali ar, fregue ia, e oneração, camur a.
e) país (subs. sing.), países, prejuízo. b) parali ia, ga o o, fu elagem, e ílio.
c) an ia, e pontâneo, ab o, repre a .
542. Assinale a série em que há um vocábulo indevida- d) e tranho, ê odo, ân ia, e umar.
mente acentuado: e) fu ível, ga eteiro, gui ado, ca amento.
a) proíbem, ruído, ruína;
b) altruísmo, arcaísmo, beduíno; 550. Assinale a alternativa em que todas as palavras
c) cafeína, caseína, cocaína; estão corretamente grafadas:
d) egoísmo, gratuíto, heróina; a) sarjeta - babaçu - praxe - raposa;
e) jesuíta, paraíso, proteína. b) caramanchão - córtex - vírus - mixto - caos;
c) ultraje - discussão - mochila - flexa.;
543. Assinale o item onde há frase com vocábulo inde- d) enxerto - represa - sossobrar - barbárie;
vidamente acentuado (porque tenha ou não cir- e) acesso - assessoria - pôde - selvícola.
cunflexo):
a) seguiu para Lisboa pelo vôo 703 da VARIG; 551. Marque a frase em que deve ser empregada a pri-
b) não perdôo a quem me magoa; meira das duas palavras que aparecem entre pa-
c) soam os sinos: Deus vos abençoe; rênteses:
d) dôo todos os meus bens à minha boa filha; a) Essas hipóteses das circunstâncias
e) entoem louvores à coroa das virtudes - a paciência. (emergem - imergem) ;
b) Nunca o encontro na em que trabalha
544. Aponte a frase onde não há erro de acentuação: (sessão - seção);
a) chamou os para-quedistas e saiu por aí; c) Já era decorrido um que ela havia parti-
b) faltaram vários ítens neste programa; do, (lustre - lustro);
c) a vida é um conjunto de hífens; d) O prazo já estava (prescrito - proscrito);
d) vós atrai-lo-íeis a uma cilada; e) O fato passou completamente (desa-
e) aquele homem pela os poucos pelos que tem. percebido - despercebido).

545. Marque a relação em que todas as palavras se 552. Marque a frase que se completa com o segundo
escrevem com ch e não com x: elemento do parênteses:
a) ___ ampanha / ca __ umba / re ___ eio / a) A recessão econômica do país faz com que mui-
en urrada; tos (emigrem - imigrem);
b) ca imbo / fa o/ afariz / pe a; b) Antes de ser promulgada, a Constituição já pedia
c) en ertar / frou o / pu ar / ca o; muitos (consertos - concertos);
d) en oval / ri a / _ u _u / oro; c) A ditadura muitos políticos de oposi-
e) bu o(planta) / cai eiro / arope. ção; (caçou - cassou);
d) Ao sair do barco, o assaltante foi preso em
546. Marque a seqüência em que todas as palavras (flagrante - fragrante);
estão grafadas corretamente: a) prazeirosamente / pesquisar / ascensão / crescer;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


75
76 EDITORA HE_EDUCA

e) O juiz expulsou o atleta violento


(in- continenti - incontinente).

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


76
77 EDITORA HE_EDUCA

553. Marque a alternativa que se completa corretamente que se possa fazer (xá-chá) com as folhas
com o segundo elemento do parênteses: mais novas.”
a) O sapato velho foi restaurado com a aplicação de a) segar – buxo – chá;
algumas (tachas-taxas); b) segar – bucho – xá;
b) Sílvio na floresta para caçar macacos c) cegar – buxo – xá;
(imergiu-emergiu); d) cegar – bucha – chá;
c) Para impedir a corrente de ar, Luís a por- e) segar – bucha – xá.
ta (cerrou-serrou);
d) Bonifácio pelo buraco da fechadura (ex- 559. O __________ (emérito-imérito) causídico
piava-espiava); (dilatou-delatou) o plano de fuga
e) Quando foi realizado o último ? (censo- do meliante, que se encontrava na
senso). (eminência-iminência) de escapar da prisão:
a) emérito – delatou – iminência;
554. Marque a alternativa que se completa com o pri- b) imérito – dilatou – eminência;
meiro elemento do parênteses: c) emérito – dilatou – iminência;
a) A polícia federal combate o de cocaí- d) imérito – delatou – iminência;
na (tráfego-tráfico); e) emérito – dilatou – eminência.
b) No Brasil é vedada a racial; embora haja
quem a pratique (discriminação-descriminação); 560. O (extrato-estrato) da conta bancária
c) Você precisa melhorar seu de humor é, por si só, insuficiente para cobrir o
(censo-senso); (cheque-xeque), ainda que haja algum capital (in-
d) O presidente antecipou a queda do certo-inserto).
muro de Berlim (ruço-russo); a) extrato – xeque – inserto;
e) O balão, tremelizindo para o céu es- b) estrato – cheque – incerto;
trelado (acendeu-ascendeu). c) extrato – cheque – inserto;
d) estrato – xeque – incerto;
555. Em “o prefeito deferiu o requerimento do contribu- e) extrato – xeque – incerto.
inte”, o termo grifado poderia perfeitamente ser
substituído por: 561. Complete as lacunas usando adequadamente
a) apreciou; (mas / mais / mal / mau):
b) arquivou; “Pedro e João entraram em casa, percebe-
c) despachou favoravelmente; ram que as coisas não iam bem,pois sua irmã
d) invalidou; caçula escolhera um momento para comu-
e) despachou negativamente. nicar aos pais que iria viajar nas férias; seus,
dois irmãos deixaram os pais sossegados
556. As idéias liberais saíram incólumes, ainda que se quando disseram que a jovem iria com os primos
pensasse que seriam dilapidadas, completamen- e a tia.”
te. Os termos grifados são antônimos, respecti- a) mau - mal - mais - mas;
vamente de: b) mal - mal - mais - mais;
a) arrasadas - dilaceradas; c) mal - mau - mas - mais;
b) intactas - arrasadas; d) mal - mau -mas - mas;
c) intactas - dilaceradas; e) mau - mau - mas - mais.
d) depauperadas - prestigiadas;
562. Marque a alternativa que completa corretamente
e) N.R.A.
as lacunas:
“Estou de que tais deveriam
557. Complete as lacunas com a expressão correta
ser a bem da moralidade do serviço pú-
(entre parênteses):
“O (cervo - servo) prendia-se nos arbus- a) blico.”
cônscio – privilégios – extintos;
tos, fugindo dos (cartuchos - cartuxos)
b) côncio – privilégios – estintos;
que pipocavam por toda a (área - aria);
c) cônscio – privilégios – estintos;
a) cervo – cartuxos – área;
d) côncio – previlégios – estintos;
b) servo – cartuchos – aria;
e) cônscio – previlégios – extintos.
c) cervo – cartuchos – área;
d) servo – cartuchos – área;
563. Observe as orações seguintes:
e) servo – cartuchos – aria.
I - Por que não apontas a vendedora por que foste
ludibriado?
558. Complete as lacunas, com a expressão necessá-
II - A secretária não informa por que linha, de ônibus
ria, que consta nos parênteses:
chega-se ao escritório.
É necessário (cegar-segar) os galhos
III - Por que será que o governo não divulga o porquê
salientes do (bucho-buxo), de modo a
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
77
78 EDITORA HE_EDUCA

da inflação.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


78
79 EDITORA HE_EDUCA

Há erro na grafia: d) hexágono – hiato – híbrido – húmido – hidrogênio;


a) na I apenas; d) na III apenas; e) hiena – higiene – hérnia – herva – hidráulico.
b) em duas apenas; e) em nenhuma.
c) na II apenas; 569. Examinando as palavras: viajens - gorjeta - mai-
zena - chícara”, conclui-se que:
564.Complete as lacunas com (estada / estadia / a) apenas uma está escrita corretamente;
onde / aonde): b) apenas duas estão escritas corretamente;
“ quer que eu me hospede, procuro logo c) três estão escritas corretamente;
saber o preço da , quanto custa a d) todas estão escritas corretamente;
de um carro alugado, bem como se pos- e) nenhuma está escrita corretamente.
sa ir à noite.”
a) aonde – estadia – estada – onde; 570. Reescreva, preenchendo as lacunas com (por que /
b) onde – estada – estadia – aonde; porque / porquê / por quê).
c) onde – estadia – estada – aonde; - é que você disse pra ele?
d) aonde – estada – estadia – onde; - Pra falar a verdade, eu nem sei bem .
e) onde – estadia – estadia – aonde. - Não será tem inveja dele?
- Acho que não, até eu nem guardo
565. Leia as frases abaixo: rancor dele.
1 - Assisti ao do balé Bolshoi; - Ora, deve haver um para esse tipo de
2 - Daqui pouco vão dizer que vida comportamento. Concorda?
em Marte. - Pode ser, acho tenho sido imaturo.
3 - As da câmara são verdadeiros progra- a) por que – por quê – por que – porque – porquê –
mas de humor. porque;
4- dias que não falo com Alfredo. b) por quê – por que – por quê – por quê – porquê –
por que;
Escolha a alternativa que oferece a seqüência correta c) por que – por que – por que – porque – por quê –
de vocábulos para as lacunas existentes: porque;
a) concerto – há – a – cessões – há; d) porque – porque – porque – porque – por quê –
b) conserto – a – há – sessões – há; por que;
c) concerto – a – há – seções – a; e) porquê – por quê – por quê – por quê – porquê –
d) concerto – a – há – sessões – há; porque.
e) conserto – há – a – sessões – a .
571. Complete as lacunas usando adequadamente (in-
566. Indique a alternativa que contém a seqüência ne- cipiente / insipiente / imergir / emergir / surtir /
cessária para completar as lacunas abaixo: sortir).
“A de uma guerra nuclear provoca uma “Alguns comerciantes conseguem
grande na humanidade e a deixa no ramo do varejo, exclusivamente por
com relação ao futuro da vida na terra.” conseguirem melhor os seus estoques;
a) espectativa – tensão – exitante; outros porém, talvez por serem , aca-
b) espectativa – tenção – hesitante; bam por em dívidas impagáveis, que
c) expectativa – tensão – hesitante; podem efeitos indesejáveis, que po-
d) expectativa – tensão – hezitante; dem ir desde um simples prejuízo, até a concor-
e) espectativa – tenção – exitante. data.”
a) incipientes – imergir – sortir – insipientes – emer-
567. Complete corretamente as lacunas: gir – sortir;
“O de veículos de grande porte, em vias b) insipientes – emergir – surtir – incipientes – imer-
urbanas, provoca no trânsito; forçando gir – sortir;
a que os motoristas dos carros menores , c) incipientes – emergir – sortir – insipientes – imer-
muitas delas, completamente sem ; gir – surtir;
a) tráfico – infrações – inflijam – concerto; d) insipientes – imergir – surtir – insipientes – emer-
b) tráfego – infrações – inflijam – conserto; gir – sortir;
c) tráfego – inflações – infrinjam – conserto; e) insipientes – imergir – surtir – incipientes – emer-
d) tráfego – infrações – infrações – conserto; gir – sortir.
e) tráfico – infrações – infrações – concerto.
572. Preencha as lacunas, usando corretamente (ex-
568. Marque a alternativa correta quanto à grafia: piar / espiar / eminentes / iminentes):
a) harém – hangar – harpa – haste – hombro; “Na época do arbítrio, era comum a prática de
b) hontem – hebreu – hediendo – hematoma – he- a conduta pessoal de figuras
mograma; da esquerda resistente; instalavam-se câmaras
c) hemorragia – hepatite – herdar – herege – herói; secretas ou grampos telefônicos, de modo a pren-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


79
80 EDITORA HE_EDUCA

der, torturar e quase sempre executar barbaramen-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


80
81 EDITORA HE_EDUCA

te os “pseudo-subversivos”, como forma de d) a guerra recomeçou;


todas as formas de oposição ao regime, que via em e) n. d. a.
tudo, tramas para conspirações.
a) expiar – iminentes – expiar – eminentes; 577. Na expressão “O candidato possuía extraordiná-
b) expiar – eminentes – espiar – iminentes; ria loquacidade”, conclui-se que:
c) espiar – iminentes – expiar – eminentes; a) o candidato falava fluentemente;
d) expiar – eminentes – expiar – iminentes; b) o candidato era desinibido;
e) espiar – eminentes – expiar – iminentes. c) o candidato mostrava-se insensato;
d) o candidato demonstrava incrível versatilidade;
573. Complete as lacunas,usando corretamente (infrin- e) o candidato demonstrava grande insegurança.
gir / inflingir / retificar / ratificar / absolver / absorver):
“A aplicação da pena de morte, como forma de 578. Em “a vida é cheia de vicissitudes”, o termo grifa-
punir aqueles que costumam as leis, do é sinônimo de:
não parece ser a melhor forma de a apli- a) tristezas; d) artimanhas;
cação da penalidade. b) transformações; e) traições.
Até por que executando-se o condenado, fica im- c) revezes;
possível uma possível falha judicial
que possa ter havido. Agindo dessa forma, só 579. Em “o projeto de regularização do funcionalismo,
iríamos as falhas irreparáveis, cometi- continua a ser procrastinado pelos parlamentares
das em outros países, onde a tal pena capital é governistas”, conclui-se que o tal projeto:
adotada. a) continua sendo estudado;
Melhor seria se decidíssemos os erros b) continua a ser emendado;
que os outros já cometeram e deixar o réu com c) continua a ser adiado;
vida, para que os advogados tenham como o d) continua a ser aguardado;
caso seja inocente.” e) continua a ser sugerido.
a) infringir – infligir – retificar – ratificar – absorver –
absolver; ACENTUAÇAO GRÁFICA
b) infligir – infringir – ratificar – retificar – absorver –
absolver; 580. O conhecimento da classificação dos ditongos é
c) infringir – infligir – retificar – ratificar – absolver – fundamental para a observância das regras de
absorver; acentuação. Assim assinale a alternativa onde
d) infligir – infringir – retificar – ratificar – absorver – todas as palavras apresentam ditongos crescen-
absolver; tes. (Nenhuma das palavras leva acento, nesta
e) infringir – infligir – ratificar – retificar – absolver – questão, mesmo que deva, para não ficar prejudi-
absorver. cada a resposta).
a) vaidade - enfeitar - trofeu - calvice;
574. Todas as palavras estão corretamente grafadas em: b) saudade - psiu - teime - mutuo;
a) O agiota agiu rápido: dirigiu-se ao monge e ajoe- c) açoite - gloria - lingua - lençois;
lhou-se. d) espontaneo - lirio - amendoa - assiduo;
b) Pedro está rabujento, pois não tinha vajens na ti- e) viveu - estourar - circuito - fieis.
jela.
c) Sinto vertigem quando herejes têm a coragem de 581. Em que seqüência, todas as palavras estão cor-
se dizerem anjelicais. retamente acentuadas:
d) O vajidos da mejera assustaram o pajem e o pajé. a) aziago - refém - xenômano - pudico;
e) Ele é um cafajeste; além do que, tem um jeito de b) gárrulo - estálidos - datilógrafas - impávido;
gibóia. c) antonimia - alopata - aerólito - alcoolatra;
d) nitrido - ínterim - monólito - polissindeto;
575. Com , não rara , ele persegue a e) antonomasia - gratuito - textil - rubiácea.
fama.
a) tenacidade – obscecado; 582. Indique a alternativa em que uma única palavra
b) tenacidade – obcecada; não deve ser acentuada graficamente:
c) tenascidade – obscecada; a) graudo - nucleo - febril - paraiso - invio;
d) tenascidade – obcecada; b) etiope - cadaver - lepido - estrategia - pindaiba;
e) tenacidade – obsecada. c) refem - pubere - covado - apoteose - chavena;
d) rutilo - estencil - egide - azafama - bilis;
576. A guerra entre Irã e Iraque recrudesceu neste fim e) nenhuma das anteriores.
de semana. Faz nos saber que:
a) a guerra aumentou; 583. A única série de palavras corretamente acentua-
b) a guerra diminuiu; das, é:
c) a guerra paralisou; a) rubi - Luis – querê-la - chuchu;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


81
82 EDITORA HE_EDUCA

b) baú - jóvem - partí-la - César;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


82
83 EDITORA HE_EDUCA

c) tatú -fácil - através - Nélson; d) porque todas são oxítonas terminadas em vogal;
d) possui -pô-la - Eugênio - bíceps; e) nenhuma das respostas anteriores.
e) álbum - inocência - gráu - benção;
590. Quanto aos vocábulos “Araguarí” e Bisturí”, pode-
584. Aponte o único conjunto em que há erro de acen- mos dizer, em relação à acentuação gráfica:
tuação: a) ambas são oxítonas;
a) tu tens - ela detém - pô-lo-íamos - hífens; b) ambas terminam em vogal;
b) eloqüência - que eu arguasozinho - Bauru; c) apenas a segunda está corretamente acentuada;
c) influíram - Sérgio - atraí-lo - dizíamos; d) apenas a segunda não deve ser acentuada;
d) pântano - Madagáscar - ibero - rubrica; e) ambas estão incorretamente acentuadas.
e) constrói - véu - flúor - bisturi;
PONTUAÇÃO
585. Assinale a alternativa em que contém um vocábu-
lo acentuado indevidamente: 591. Assinale a opção em que a supressão das vírgu-
a) séssil - fossilífero - massapê; las alteraria o sentido do anunciado:
b) estôrvo - sílex - tórax; a) os países menos desenvolvidos vêm buscando,
c) indígena - catalético - araxá; ultimamente, soluções para seus problemas no
d) irrisório - isopor - isócrono; acervo cultural dos mais avançados;
e) eqüídeo - qüinqüídio-míngua. b) alguns pesquisadores,que se encontram compro-
metidos com as culturas dos países avançados,
586. Assinale a alternativa em que nenhuma palavra acabam se tornando menos criativos;
deveria receber acento gráfico: c) torna-se, portanto, imperativa uma revisão mode-
a) dissídio - adultério - Grajaú; lo presente do processo de desenvolvimento tec-
b) ônix - oxalúrico - inoxidável; nológico;
c) baurú - Marapendí - hífens; d) a atividade científica, nos países desenvolvidos, é
d) flácido - híper - súper; tão natural quanto qualquer outra atividade econô-
e) ossário - reversível - urânio. mica;
e) por duas razões diferentes podem surgir, da inte-
587. Marque a alternativa em que todos os vocábulos ração de uma comunidade com outra, mecanis-
são acentuados em obediência à mesma regra: mos de dependência.
a) glossário - presságio - clímax.
b) fogaréu - geléia - estóico; 592. Assinale a opção em que está corretamente indi-
c) alcatéia - magistério - hendecassílabo; cada a ordem dos sinais de pontuação que de-
d) fóssil - pólo - pêlo; vem preencher as lacunas da frase abaixo:
e) dossiê - emissário - fórceps. “Quando se trata de trabalho científico duas
coisas devem ser consideradas uma é a con-
588. Na oração “A bênção do criador incidirá sobre os tribuição teórica que o trabalho oferece a ou-
órfãos”, a acentuação se justifica aos termos gri- tra é o valor prático que possa ter.
fados, por: a) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula
a) serem ambas oxítonas terminadas por vogal fe- b) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula;
chada; c) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
b) necessidade de diferenciação de seus homônimos; d) pontos vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
c) por serem 2 paroxítonas terminadas em ditongo e) ponto e vírgula, vírgula, vírgula.
decrescente;
d) por serem ambas paroxítonas terminadas por vo- 593. Assinale o exemplo em que há emprego incorreto
gal tônica; da vírgula:
e) nenhuma das respostas anteriores. a) como está chovendo, transferi o passeio;
b) não sabia, por que todos lhe viravam o rosto;
589. Na expressão “o solo do Para é propicio para a c) ele, caso queira, poderá vir hoje;
cultura do açai”, os termos grifados carecem de d) não sabia, por que não estudou;
acento agudo por: e) o livro, comprei-o por conselho do professor.
a) 1ª palavra oxítona terminada em “a”, 2ª palavra
paroxítona terminada em “o”, 3ª palavra oxítona 594. Assinale o trecho sem erro de pontuação:
terminada em “i”. a) vimos pela presente solicitar de V.Sas., que nos in-
b) 1ª palavra oxítona terminada em “a”, 2ª palavra forme a situação econômica da firma em questão;
paroxítona terminada em ditongo decrescente; 3ª b) cientificamo-lo de que na marcha do processo de
palavra oxítona terminada em hiato restituição de suas contribuições, verificou-se a
c) 1ª palavra homônima de uma preposição; 2ª pala- ausência da declaração de beneficiários;
vra paroxítona terminada em ditongo crescente; c) o Instituto de Previdência do Estado, vem solicitar
3ª palavra oxítona terminada em “i”. de V.Sa. o preenchimento da declaração;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


83
84 EDITORA HE_EDUCA

gramaticais. Assinale-a:
d) encaminhamos a V.Sa., para o devido preenchi-
mento, o formulário em anexo;
e) estamos remetendo em anexo, o formulário.

595. Assinale as frases em que as vírgulas estão in-


corretas:
a) ora ríamos, ora chorávamos;
b) amigos sinceros, já não os tinha;
c) a parede da casa, era branquinha branquinha;
d) Paulo, diga-me o que sabe a respeito do caso;
e) João, o advogado, comprou, ontem, uma casa.

596. Observe:
1) depois de muito pedir ( ) obteve o que desejava;
2) se fosse em outras circunstâncias ( ) teria dado
tudo certo;
3) exigiam-me o que eu nunca tivera ( ) uma boa
educação;
4) fez primeiramente seus deveres ( ) depois foi
brincar;
Assinale a alternativa que preencha mais adequada-
mente os parênteses:
a) (;) (,) (:) (;); d) (?) (,) (,) (:);
b) (,) (;) (:) (;); e) (,) (;) (.) (;).
c) (,) (,) (:) (;);

597. Assinale o item em que as vírgulas estão empre-


gadas corretamente:
I - Foi ao fundo da farmácia, abriu um vidro, fez um
pequeno embrulho e entregou ao homem.
II - A sua fisionomia estava serena, o seu aspecto
tranqüilo.
III - E o farmacêutico, sentindo-se aliviado do seu ges-
to, sentira-se feliz diante de suas lembranças.
IV - Quando, vi que não servia, dei às formigas, e ne-
nhuma morreu.
a) I - IV; d) I - II;
b) II - III; e) I - III.
c) II - IV;

598. A frase:
“O assunto desta reunião - voltou a afirmar o pre-
sidente - é sigiloso”.
Qual das alternativas apresenta as possibilidades
corretas dentre as numeradas de I a V?
I - O assunto desta reunião (voltou a afirmar o presi-
dente ...) é sigiloso.
II - O assunto desta reunião (voltou a afirmar o presi-
dente) é sigiloso.
III - O assunto desta reunião, voltou a afirmar o presi-
dente, é sigiloso.
V - O assunto desta reunião: voltou a afirmar o presi-
dente: é sigiloso.
a) I, II, III, IV, V; d) I, IV, V;
b) II, IV; e) II, IV, V.
c) I, III, V;

599. Em seguida vai um pequeno trecho de Machado


de Assis, pontuado de diversos modos. Só uma
vez a pontuação estará de acordo com as normas

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


84
85 EDITORA HE_EDUCA

a) homem gordo, não faz revolução. O abdômem, 603.Há erro de divisão silábica em uma das séries.
é naturalmente amigo da ordem. O estômago Assinale-a:
pode destruir, um império: mas há de ser antes do a) ist-mo, á-gua, pror-ro-gar, trans-a-tlân-ti-co, cai-ais;
jantar;
b) pneu, nup-ci-al, bi-sa-vô, flu-iu, sub-o-fi-ci-al;
b) homem gordo não faz revolução. O abdômem é
na- turalmente amigo da ordem; o estômago pode
des- truir um império: mas há de ser antes do
jantar;
c) homem gordo não faz revolucão, o abdômem
é, naturalmente, amigo da ordem. O estômago,
pode destruir um império: mas há de ser antes
do jan- tar;
d) homem gordo não faz revolução: o abdômen e
na- turalmente, amigo da ordem. O estômago
pode destruir um império: mas há de ser antes
do jan- tar;
e) homem gordo não faz revolução: o abdômem é
naturalmente amigo da ordem. O estômago
pode destruir um império mas há de ser, antes do
jantar.

600. Assinale a opção em que está corretamente


indi- cada a ordem dos sinais de pontuação
que de- vem preencher as lacunas da frase
abaixo: “Como amanhã será o nosso grande dia
duas coisas serão importantes uma
é a tranqüili- dade a outra é a
observação minunciosa do que esta sendo
solicitado”.
a) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula;
b) vírgula, vírgula,vírgula;
c) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
d) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula;
e) ponto e vírgula, dois pontos, vírgula.

601. Assinale a série de sinais cujo emprego corres-


ponde, na mesma ordem, aos parênteses indica-
dos no texto:
“Pergunta-se ( ) qual é a idéia principal desse
parágrafo ( ) A chegada de reforços ( ) a
conde- coração ( ) o escândalo da opinião
pública ou a renúncia do presidente ( ) Se é a
chegada de reforços ( ) que relação há ( ) ou
mostrou seu autor haver ( ) entre esse fato e os
restantes ( )”.
a) , , ? ? ? , , , .
b) : ? , , ? , ?
c) ? , , . .
d) : ? , . ,,, ?
e) : . , , ? , , , .

DIVISÃO SILÁBICA

602. Os vocábulos abaixo aparecem separados


em sílabas.
Assinale aquele em que a separação não
obede- ce às normas do sistema ortográfico
vigente:
a) car-re-ga-dos; d) es-pi-ra-is;
b) es-tá-tuas; e) es-cal-da-vam.
c) cam-ba-Iei-a;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
85
86 EDITORA HE_EDUCA

c) ne-crop-si-a, ru-a, sa-is, prai-a, cou-sa; b) bo-a-to, re-es-tru-tu-ra-ção, re-e-di-tou;


d) ap-to, de-sá-gua, jói-a, mne-mô-ni-ca, dor; c) bo-ato, rees-tru-tu-ra-ção, re-e-di-tou;
e) ad-li-ga-ção, sub-lin-gual, a-ven-tu-ra, sa-ir, ca-í-da. d) bo-a-to, rees-tru-tu-ra-ção, re-e-di-tou;
e) boa-to, re-es-tru-tu-ra-ção, ree-di-tou.
604. A divisão silábica só não está correta em:
a) cor-rup-ção; d) sé-rie; 611. Assinale o quadro de palavras em que não houve
b) su-bli-nhar; e) a-ve-ri-güeis. erro na separação de sílabas:
c) subs-cri-ção; a) in-a-pto, trans-se-pto, des-or-dem;
b) né-ctar, fia-do, cri-an-ça;
605. Assinale a única opção em que há, um vocábulo c) des-u-nhar, ad-je-ti-va, ve-e-men-ci-a;
cuja separação silábica não esta feita de acordo d) gi-ras-sóis, mag-nó-lia, a-dá-lia;
com a norma ortográfica vigente: e) ins-cien-te, ân-sia, né-scio.
a) es-cor-re-gou / in-crí-veis;
b) in-fân-cia / cres-ci-a; 612. Em “enxágüem a memória daquele horrível des-
c) i-dei-a / lé-guas; pautério”, assinale a seqüência em que as pala-
d) des-o-be-de-ceu / cons-tru-í-da; vras grifadas se separam corretamente divididas
e) vo-ou / sor-ri-em. em sílabas:
a) en - xá - güem, hor - rí - vel, des - pau - té - rio;
606. Assinale as alternativas em que as palavras “Ave- b) en - xá - gü - em, horr - í - vel, des - pau - té - rio;
riguou”, “desiguais” e “Feldspato” encontram-se c) e - nxá - güem, ho - rrível, des - pa - u - té - rio;
corretamente divididas em sílabas: d) en - xá - güem, hor - rrí - vel, des - pau - té - ri - o;
a) A-ve-ri-guou, de-si-gu-ais, Fel-ds-pa-to; e) en - xá - gü - em, ho - rrí - vel, des - pa - u - té - rio.
b) A-ve-ri-gu-ou, de-sig-u-ais, Felds-pa-to;
c) A-ve-ri-gu-ou, des-igua-is, Felds-pa-to; 613. “O Guaitacá delinqüiu após a idade adulta”, assi-
d) A-ve-ri-guou, de-si-guais, Feds-pa-to; nale a alternativa em que os termos grifados es-
e) A-ve-ri-guou, des-igu-ais, Fel-dsp-a-to. tão acertadamente divididos:
a) Gu - ai - ta - cá, de - lin - qüiu, adul - ta;
607. Proceda da mesma forma em relação às pala- b) Guai - ta - cá, de - lin - qüi - u, a - du - l - ta;
vras “subscrever”, “substantivo” e “Amnésia”. c) Guai - ta - cá, del - in - qüi - u, a - dul - ta;
a) su-bs-cre-ver, subs-tan-ti-vo,A-mné-si-a; d) Guai - ta - cá, de - lin - qüiu, adul - ta;
b) subs-cre-ver, subs-tan-ti-vo, Am-né-sia; e) Gu - ai - ta - cá, del - in - qüiu, adu - l - ta.
c) su-bs-cre-ver, su-bs-tan-ti-vo,A-m-né-si-a;
d) subs-cre-ver, subs-tan-ti-vo,Amné-si-a; 614. As palavras “inexcedível”, “desobstruiu” e “dispep-
e) subs-cre-ver, subs-tan-ti-vo,A-mné-sia. sia” estão corretamente divididas em:
a) i - nex - ce - dí - vel, de - sobs - tru - iu, dis - pep - si - a;
608. Na expressão “A icterícia nada tem a ver com b) in - ex - ce - dí - vel, des - obs - tru - iu, di - spe - psia;
hemodiálise ou disenteria” , as palavras grifa- c) inex - ce - dí - vel, de - so - bs - tru - iu, dis - pep - sai;
das apresentam-se corretamente divididas em d) i - nex - ce - dí - vel, de - so - bs - tru - iu, dis - pep - si - a;
sílabas na alternativa:
e) i - ne - xce - dí - vel, de - sobs - tru - iu, dis - pep - sai.
a) i-cte-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ria;
b) ic-te-rí-ci-a, he-mo-diá-li-se, dis-en-te-ria;
615. Indique a alternativa em que as palavras
c) i-c-te-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ria;
“sussurro”,”iguaizinhos” e “gnomo”, estão correta-
d) ic-te-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ri-a; mente divididas em sílabas:
e) ic-te-rí-cia, he-mo-di-á-li-se, di-sen-te-ria. a) sus - su - rro, igu - ai - zi - nhos, g - no - mo;
b) su - ssu - rro, i - guai - zi - nhos, gno - mo;
609. Em “Quaisquer pneumáticos arrebentam, quan-
c) sus - su - rro, i - guai - zi - nhos, gno - mo;
do expostos a tratamentos adversos”. As pala-
vras grifadas estão corretamente divididas, em: d) su - ssur - ro, i - gu - ai - zi - nhos, gn - omo;
a) qua-is-quer, p-neu-má-ti-cos, ar-re-ben-tam; e) sus - sur - ro, i - guai - zi - nhos, gno - mo.
b) quais-quer, pneu-má-ti-cos, ar-re-ben-tam;
616. Dadas as palavras “ignóbil”, “perspectiva” e “psi-
c) quais-quer, p-neu-má-ti-cos, arre-ben-tam;
codélico” assinale a alternativa em que todas es-
d) qua-is-quer, p-neu-má-ti-cos, ar-re-ben-tam;
tão corretamente divididas em sílabas:
e) quai-squer, pneu-má-ti-cos, ar-re-ben-tam.
a) i - gnó - bil, pers - pec - ti - va, psi - co - dé - li - co;
610. Em “o boato da reestruturação da monarquia no b) ig - nó - bil, per - spec - ti - va, p - si - co - dé - li - co;
país, reeditou a lembrança dos grandes saraus c) i - g - nó - bil, pers - pe - cti - va, ps - ico - dé - li - co;
imperiais”, assinale a alternativa em que os ter- d) ig - nó - bil, pers - pec - ti - va, psi - co - dé - li - co;
mos grifados estão corretamente separados: e) i - gnó - bil, pers - pec - ti - va, p - si - co - dél - ico.
a) boa-to; re-es-tru-tu-ra-ção, ree-di-tou;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


86
87 EDITORA HE_EDUCA

EMPREGO DE VOCABULÁRIO. VALOR SEMÂNTI- b) “ruge o clarim tremendo da batalha” / ruge o tre-
CO DAS PALAVRAS mendo clarim da batalha;
c) “águia - talvez as asas te espedacem” / talvez as
617. Assinale a frase em que se completa com o pri- asas da águia te espedacem;
meiro dos parônimos entre parênteses: d) “que a mão dos séculos no futuro talha...” / que
a) casou-se com um juiz ; (eminente, no futuro a mão dos séculos talha;
iminente); e) “levanta a Deus do cativeiro o grito !” / levanta a
b) seu gesto não passou ; (desaperce- Deus o grito do cativeiro.
bido, despercebido);
c) tal comportamento o país; (degrega, 622. No enunciado - “Nesse caso por não se preservar
degrada); na comunidade dependende a correlação natural
d) em vista dos pulmões estarem em péssimo esta- entre soluções e habilidades disponíveis, surgi-
do, o médico o uso de cigarros; rão deformações . . .” -, a preposição grifada pode
(prescreveu, proscreveu); ser substituída, sem alteração fundamental de
e) no momento da cena, o artista não pode sentido por:
o riso. (sustar, suster) a) apesar de; d) em virtude de;
b) a fim de; e) depois de.
618. Marque a sentença que apresenta falha de signi- c) a despeito de;
ficado; por confusão vocabular:
a) o perigo era iminente; 623. Assinale a opção em que o verbo contar é em-
b) o tráfico de veículos de grande porte pelo túnel é pregado com o mesmo sentido que apresenta em
proibido; - “ainda não se podiam contar”.
c) foi ratificada a data de chegada do nosso convi- a) comece a contar até dez e depois trate de correr;
dado; b) mesmo sem contar que somos amigos, eu lhe
d) a discrição de José tem-lhe sido muito útil; daria o emprego;
e) se você agir desta maneira, estará infringindo as c) ao morrer, Castro Alves contava menos de vinte e
normas da casa. cinco anos;
d) não tenho condições de contar toda a história
619. Assinale a opção que completa corretamente as detalhadamente;
lacunas da frase abaixo: e) contava nunca mais tornar a vê-lo.
Certas transformações passou a
nossa arquitetura não teriam ocorrido, 624. Assinale a opção em que o elemento auto apre-
houvesse a intervenção de certos fatores como a senta significação diferente da que tem em auto-
diferença de clima e de condições de vida. estima:
a) por que/ se não; d) porque/ senão; a) autodidata; d) autobiografia;
b) porquê/ senão; e) por que / senão. b) autopeça; e) auto-sugestão.
c) porque/ se não; c) auto-suficiente;

620. 625. Assinale a opção em que a preposição por expri-


01) Assinale a única opção em que aparece uma me a mesma idéia que possui em “Falo por pa-
palavra que não é sinônima das demais. lavras tortas”.
a) títere, fantoche, palhaço; a) reze por todos nós;
b) vendaval, temporal, ventania; b) mandou notícias por telegrama;
c) íntegro, intemerato, puro c) lutamos por um mesmo ideal;
d) venenoso, venéfico, tóxico; d) um homem prevenido vale por dois;
e) abatido, definhado, enfraquecido. e) todos o têm por sábio.

02) Assinale a única opção em que aparece uma pa- 626. Transformados os dois períodos abaixo em um
lavra que não é antônima das demais, conside- único, assinale a alternativa em que a relação de
rando-se o termo grifado da série. sentido existente entre os dois foi corretamente
a) sossego: agitação, preocupação; expressa:
b) notório: desconhecido, ignoto; a) o português não se poderia preocupar, a princí-
c) negligente: aplicado, diligente; pio, com os problemas estéticos da arquitetura,
d) livre: preso, medroso; uma vez que o preocupavam os da habitação;
e) meritório: indigno, desprezível. b) o português não se poderia preocupar, a princípio
com os problemas estéticos da arquitetura, em-
621. Assinale a opção em que os dois enunciados não bora o preocupassem de habitação;
têm basicamente o mesmo significado: c) o português não se poderia preocupar, a princí-
a) “o oceano do povo se encapela / encapela-se o pio, com os problemas estéticos da arquitetura,
oceano do povo; apesar de o preocuparem os de habitação;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


87
88 EDITORA HE_EDUCA

zeira;
d) o português não se poderia preocupar, a princípio,
com os problemas estéticos da arquitetura, con-
quanto o preocupassem os de habitação:
e) o português não se poderia preocupar, a princípio,
com os problemas estéticos da arquitetura, não
obstante o preocuparem os de habitação.

627. A frase que se completa com a primeira forma


colocada entre parênteses é:
a) até hoje não se abriu nenhum quanto
ao assunto; (procedente-precedente).
b) se enganos houve, que sejam prontamente
; (ratificados - retificados).
c) os bombeiros andavam às voltas com o
perigo; (eminente - iminente).
d) as rosas deixaram uma suave no ar;
(flagrância - fragrância).
e) a atitude do aluno o regulamento. (in-
fringiu - inflingiu).

628. Assinale a opção em que não se verifica corres-


pondência de sentido entre a expressão sublinha-
da e o advérbio.
a) “talhei de avanço, em minha história” - posterior-
mente;
b) “não sei contar direito”;- corretamente.
c) “mas ele quer saber tudo diverso”; - diferentemente.
d) “miúdo e miúdo, caso o senhor quiser, dou descri-
ção”; - pormenorizadamente.
e) “mas principal quero contar é o que eu não sei
ser”. - fundamentalmente.

629. Assinale a opção em que a troca da expressão


grifada pela que está entre parênteses altera sen-
sivelmente o sentido do enunciado:
a) “andou de rota batida uma meia hora” (cerca de);
b) “que o velho José Paulino fizera” (tinha feito);
c) “não vou para o bando dele por causa da minha
mãe” (devido a);
d) “era como uma camarinha no meia noite” (que nem);
e) “era um mar de leite por cima das coisas” (sob as).

630. Assinale a opção em que o vocábulo mais equi-


vale a “outra vez “ou “de novo”:
a) “no outro dia não voltou mais para trabalhar para
aquele homem;
b) “desceu mais, não queria que o vissem assim
como estava” ;
c) “e quanto mais andava mais tinha vontade”;
d) “quis correr para que não o visse, mas não o fez,
chegou-se mais para perto:”
e) “não era um pobre seleiro de beira de estrada, era
mais que um oficial, de bagaceira de engenho”

631. Assinale a opção em que a mudança na ordem


dos termos altera sensivelmente o sentido do enun-
ciado:
a) a luz da lua ainda não clareava o escuro da caja-
zeira;
a luz da lua não clareava ainda o escuro da caja-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


88
89 EDITORA HE_EDUCA

de lado para o serviço que fazia com toda a sua


b) no outro dia não voltou mais para
trabalhar no noutro dia não mais voltou alma;
para trabalhar; d) como era trabalho para o bando, deixou tudo de
c) mas estou aqui a mando do Capitão Antonio lado para o serviço que fazia com toda a sua alma;
Sil- vino;
mas aqui estou a mando do Capitão Antonio Silvino;
d) não queria que o vissem assim como
estava; não queria assim que o vissem
como estava;
e) não deixaria de fazer o que fazia agora por
preço nenhum.
não deixaria de fazer o que fazia agora por
ne- nhum preço.

632. No trecho - “Embora muitos estudiosos


defendam que a característica da verdadeira
pesquisa cien- tífica é a de não estar
comprometida senão consi- go mesma . . .”- o
vocábulo senão pode ser subs- tituído, sem
alteração de “- sentido, por:
a) apenas; d) exclusivamente;
b) nem; e) exceto.
c) tão - só;

633. Assinale o único exemplo cuja lacuna deve


ser preenchida com a primeira alternativa da série
dada nos parênteses:
a) estou aqui de ajudar os flagelados
das enchentes; (afim-a fim).
b) a bandeira está ; (arreada - arriada).
c) serão punidos os que o
regulamento. (inflingirem-infringirem).
d) são sempre valiosos os dos mais
ve- lhos; (concelhos-conselhos).
e) moro cem metros da praça principal.
(a cerca de - acerca de).

634. Assinale a opção em que se altera


sensivelmente o sentido de: Desceu mais, não
queria que o vis- sem assim como estava”.
a) desceu mais, já que não queria que o vissem
as- sim como estava;
b) desceu mais, por isso não queria que o
vissem assim como estava;
c) como não queria que o vissem assim como
esta- va, desceu mais;
d) por não querer que o vissem assim, desceu mais;
e) não querendo que o vissem assim como
estava, desceu mais.

635. Assinale a opção em que se altera


sensivelmente o sentido de - “Era trabalho para
o bando. Deixou tudo de lado para o serviço
que fazia com toda a sua alma”:
a) era trabalho para o bando, porquanto deixou
tudo de lado para o serviço que fazia com
toda à sua alma;
b) era trabalho para o bando, por conseguinte
dei- xou tudo de lado para o serviço que fazia
com toda a sua alma;
c) era trabalho para o bando; deixou, pois, tudo
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
89
90 EDITORA HE_EDUCA

e) porque era trabalho para o bando, deixou tudo de e) isso aconteceu, mau grado meu.
lado para o serviço que fazia com toda a sua alma.

636. Assinalar a alternativa correta quanto ao uso do


porque:
a) daí porque não aceitar tuas desculpas;
b) saiu por que quis;
c) todo crime tem o seu por que;
d) isso dói e não sei por quê;
e) eis porque não vim.

637. A frase que tem sentido duplo é:


a) o guarda ouviu o barulho da janela;
b) o barulho da janela, ouviu-o o guarda;
c) o guarda ouviu o barulho que era da janela;
d) foi o barulho da janela que o guarda ouviu;
e) o barulho da janela foi ouvido pelo guarda.

638. Na frase “O fio da idéia cresceu, engrossou e par-


tiu-se” ocorre processo de gradação.
Não há gradação em:
a) o carro arrancou, ganhou velocidade e capotou;
b) o avião decolou, ganhou altura e caiu;
c) o balão inflou, começou a subir e apagou;
d) a inspiração surgiu, tomou conta de sua mente e
frustou-se;
e) João pegou um livro e ouviu um disco e saiu.

639. Assinale a opção em que a mudança na ordem


dos termos altera substancialmente o conteúdo
semântico do enunciado:
a) algum valor deve ser atribuído a este tipo de traba-
lho; / a este tipo de trabalho, valor algum deve ser
atribuído;
b) são duas estas condições especiais; / estas con-
dições especiais são duas;
c) qualidades que são pelos seus próprios pares re-
conhecidas; / qualidades que são reconhecidas
pelos seus próprios pares;
d) é isto que permite ao cientista adquirir prestígio
social; / isto é que permite ao cientista adquirir
prestígio social;
e) esta qualidade intelectual pode traduzir-se em pro-
dutos; / pode esta qualidade intelectual traduzir-
se em produtos.

640. Na frase - “Esta qualidade intelectual e técnica se


traduz, eventualmente, em produtos que podem
trazer prestígio, dinheiro e poder” - o termo subli-
nhado equivale a:
a) acidentalmente; d) necessariamente;
b) conseqüentemente; e) igualmente.
c) materialmente;

641. Assinale o único exemplo em que ocorre errada-


mente mal por mau ou vice-versa:
a) tudo para ele fazia mau;
b) não há mal que sempre dure;
c) mal me viu, escapou-se;
d) o seu malgrado é visível;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


90
91 EDITORA HE_EDUCA

642. Assinale o único exemplo em que ocorre errada-


mente mal por mau ou vice-versa:
a) fora um mal súbito;
b) não há mal que sempre dure;
c) mau me quer, bem me quer:
d) isso ocorreu, mau grado meu;
e) mal terminou a revisão, retirou-se.

643. “Este galego é que teve a culpa de tudo”.


Assinale a passagem em que há construção se-
melhante a da frase acima:
a) aquela verdade é que o mentiroso não disse;
b) a verdade é que mentirosos não devem ser
pou- pados;
c) verdade é que nunca chegaremos a um acordo;
d) verdade é que o mentiroso não disse nada;
e) ele disse tudo, mas verdade é que ele não disse.

644. Assinale a opção em que o termo entre


parênte- ses NÃO significa fundamentalmente
o mesmo que o termo sublinhado:
a) forma efêmera de prestação de serviço
(transitó- ria);
b) desejável autonomia tecnológica (independência);
c) interação de uma comunidade com outra
(confli- to);
d) atrofia da atividade inventiva (redução);
e) percepção de um contemplador inadvertido
(de- satento).

645. Assinale o item em que a relação expressa pela


preposição não está corretamente indicada:
a) perecendo à fome (referência);
b) apontando para o açoite (direção);
c) prostrados com as mãos atadas (modo);
d) no chão resvala (lugar);
e) folhas da árvore (posse).

ENCONTROS VOCÁLICOS E CONSONANTAIS:

646. Assinale a alternativa cujos vocábulos


contenham os seguintes tipos de encontros
vocálicos: triton- go, ditongo nasal decrescente e
ditongo oral cres- cente:
a) veio - cantam - água;
b) averigüei - ninguém - gratuito;
c) verifiquei - mamão - vitória;
d) enxagüem - muito - quase;
e) saguão - quando - oblíquo.

647. Nas palavras “unha”, “guerra” e “quilombo”:


a) há dígrafo na primeira, mas não há nas se-
guintes;
b) há dígrafo nas duas primeiras, mas não há na
última;
c) não há dígrafo na primeira, mas há nas
seguin- tes;
d) não há dígrafos em nenhuma delas;
e) há cinco dígrafos no total.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


91
92 EDITORA HE_EDUCA

648. Na frase “nossa verdadeira imagem não é cons- te, 01 dígrafo, 01 ditongo crescente;
truída de favores”, há:
a) um ditongo oral, um ditongo nasal e um hiato;
b) um ditongo oral, um tritongo e dois hiatos;
c) um ditongo oral e dois ditongos nasais, e um hiato;
d) dois ditongos orais, e dois ditongos nasais;
e) um ditongo oral, dois ditongos nasais e um hiato.

649. Na frase “Aurélio não delinqüiu” temos, respecti-


vamente:
a) ditongo decrescente oral, ditongo crescente oral,
ditongo decrescente nasal, dígrafo e tritongo;
b) ditongo decrescente oral, ditongo crescente na-
sal, ditongo decrescente nasal,hiato e tritongo;
c) ditongo crescente oral, ditongo decrescente na-
sal, ditongo decrescente nasal, hiato e ditongo
decrescente oral;
d) ditongo crescente nasal, ditongo crescente oral,
ditongo crescente nasal, dígrafo e tritongo;
e) ditongo crescente oral, ditongo crescente oral,
ditongo decrescente oral e ditongo crescente oral.

650. Na frase “o esqueleto quebrou o esquema”, te-


mos:
a) três hiatos;
b) dois dígrafos e um ditongo;
c) três dígrafos e um ditongo;
d) um dígrafo e um ditongo;
e) um dígrafo, um ditongo e um hiato.

651. Em “o inquérito sumiu de repente” temos:


a) três dígrafos e um ditongo crescente;
b) dois dígrafos, um ditongo decrescente e um en-
contro consonantal;
c) três dígrafos e um ditongo decrescente;
d) um dígrafo, dois ditongos decrescentes e um en-
contro consonantal;
e) um hiato, um dígrafo, um ditongo decrescente e
um consonantal.

652. Em “o clube percorreu um caminho espinhoso”,


temos:
a) 03 encontros consonantais, 04 dígrafos e 01 di-
tongo;
b) 02 encontros consonantais, 02 ditongos e 04 dí-
grafos;
c) 03 encontros consonantais, 02 dígrafos e 02 di-
tongos;
d) 02 encontros consonantais, 04 dígrafos e 02 di-
tongos;
e) 03 encontros consonantais, 02 ditongos e 04 dí-
grafos.

653. A palavra “Fluorescência” apresenta; respectiva-


mente:
a) 01 encontro consonantal, 01 ditongo crescente,
01 ditongo crescente, 01 dígrafo;
b) 01 dígrafo, 01 encontro consonantal, 01 ditongo
decrescente, 01 ditongo crescente;
c) 01 encontro consonantal, 01 ditongo decrescen-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


92
93 EDITORA HE_EDUCA

c) ovelheiro - exceder - enxaqueca;


d) 01 encontro consonantal, 01 ditongo
crescente, 02 dígrafos; 01 ditongo crescente; d) miserando - excluso - fantasia;
e) 02 encontros consonantais, 01 hiato, 02 e) groselha - brinquedo - misantropa.
ditongos crescentes; 01 ditongo decrescente.

654. A palavra “coincidência” apresenta,


respectivamente:
a) 01 dígrafo nasal, 01 dígrafo nasal, 01 ditongo oral;
b) 01 ditongo oral, 01 dígrafo, 01 ditongo oral;
c) 01 ditongo oral, 01 ditongo oral, 01 dígrafo;
d) 01 ditongo nasal, 01 ditongo oral, 01 dígrafo;
e) 01 ditongo oral, 01 dígrafo, 01 dígrafo.

655. A palavra “caraoquê” apresenta


respectivamente:
a) 01 hiato, 01 ditongo crescente;
b) 01 hiato, 01 dígrafo;
c) 01 ditongo crescente, 01 ditongo crescente;
d) 01 hiato, 01 hiato;
e) 01 dígrafo, 01 hiato.

656. Aponte o único conjunto onde não há erro de


divi- são silábica:
a) flui-do, sa-guão, di-gno;
b) cir-cu-ns-cre-ver, trans-cen-den-tal, tran-sal-pi-no;
c) con-vic-ção, tung-stê-nio, rit-mo;
d) ins-tru-ir, an-te-pas-sa-do;
e) coo-pe-rar, dis-tân-cia; bi-sa-vô.

CONTAGEM DE FONEMAS:

657. As palavras “cambalacho”, “carretilha”,


“circunfe- rência”, apresentam,
respectivamente:
a) oito, nove e doze fonemas
b) oito, oito e onze fonemas;
c) oito, sete e treze fonemas;
d) sete, oito e doze fonemas;
e) oito, oito e doze fonemas.

658. As palavras “pandemônio”, “derreado” e


“oxalá” apresentam, respectivamente:
a) nove, sete e cinco fonemas;
b) nove, sete e seis fonemas;
c) oito, seis e cinco fonemas;
d) nove, oito e seis fonemas;
e) oito, oito e cinco fonemas.

659. As palavras “bilíngüe”, “derradeiro” e


“complexo” apresentam respectivamente:
a) sete, oito e oito fonemas;
b) sete, nove e sete fonemas;
c) oito, oito e oito fonemas;
d) sete, nove e oito fonemas;
e) oito, oito e sete fonemas.

660. Assinale a alternativa em que todos os


vocábulos apresentam o mesmo número de
fonemas de “car- reata”:
a) elíptico - sexagenário - retângulo;
b) exagero - girassol - amígdala;
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
93
94 EDITORA HE_EDUCA

a) subentendido;
661. Que alternativa apresenta compostos com o mes-
mo número de fonemas de “esquisitice”?
a) irresoluto - framboesa - basilicão;
b) gargalhada - supressão - hamburguer;
c) pampulha - onomatopáico - hinduísta;
d) consangüíneo - apropinquar - farisaísmo;
e) heterogênio - sortilégio - ostensório.

662. As palavras “qüinqüênio”, “batráquio” e “miscelâ-


nea”, apresentam respectivamente:
a) nove, nove e nove fonemas;
b) nove, oito e nove fonemas;
c) oito, nove e oito fonemas;
d) oito, oito e nove fonemas;
e) nove, nove e nove fonemas.

663. As palavras “profilaxia”, “translineação” e “cava-


lheiro” apresentam respectivamente:
a) onze, doze e nove fonemas;
b) doze, doze e treze fonemas;
c) doze, onze e doze fonemas;
d) onze, dez e doze fonemas;
e) onze, onze e doze fonemas.

664. As palavras “putrescência”, “oscilógrafo” e “vitres-


cibilidade” apresentam, respectivamente:
a) onze, onze e quinze fonemas;
b) dez, onze e quatorze fonemas;
c) dez, dez e quinze fonemas;
d) onze, onze e quinze fonemas;
e) dez, doze e treze fonemas.

665. As palavras “discussão”, “fissilíngüe” e “sangues-


suga”, têm respectivamente:
a) oito, oito e oito fonemas;
b) oito, oito e nove fonemas;
c) nove, oito e nove fonemas;
d) nove, nove e nove fonemas;
e) oito, nove e oito fonemas.

SINTAXE:

666. Na oração: “Foram chamados às pressas todos


os vaqueiros da fazenda vizinha”, o núcleo do su-
jeito é:
a) todos; d) vaqueiros;
b) fazenda; e) pressas.
c) vizinha;

667. Assinale a alternativa em que o sujeito está incor-


retamente classificado:
a) chegaram, de manhã, o mensageiro e o guia (su-
jeito composto);
b) fala-se muito neste assunto (sujeito indeterminado);
c) vai fazer frio à noite (sujeito inexistente);
d) haverá oportunidade para todos (sujeito inexistente);
e) não existem flores no vaso (sujeito inexistente).

668. Em “Éramos três velhos amigos, na praia quase


deserta”, o sujeito desta oração é:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


94
95 EDITORA HE_EDUCA

b) claro, composto e determinado;


c) indeterminado;
d) inexistente;
e) claro, simples e determinado.

669. Marque a oração em que o termo destacado é


sujeito:
a) houve muitas brigas no jogo;
b) Ia haver mortes, se a polícia não interviesse;
c) faz dois anos que há bons espetáculos;
d) existem muitas pessoas desonestas;
e) há muitas pessoas desonestas.

670. Indique a única frase que não tem verbo de


liga- ção:
a) o sol estava muito quente;
b) nossa amizade continua firme;
c) suas palavras pareciam sinceras;
d) ele andava triste;
e) ele andava rapidamente.

671. Considere a frase: “Ele andava triste porque


não encontrava a companheira”, os verbos
grifados são respectivamente:
a) transitivo direto - de ligação;
b) de ligação - intransitivo;
c) de ligação - transitivo - indireto;
d) transitivo direto - transitivo indireto;
e) de ligação - transitivo direto.

672. Na praça deserta um homem caminhava - o


su- jeito é:
a) indeterminado; d) oculto por elipse;
b) inexistente; e) composto.
c) simples;

673. Na oração:”Anunciaram grandes novidades” -


o sujeito é:
a) simples; d) elíptico;
b) composto; e) inexistente.
c) indeterminado;

674. “O toque dos sinos ao cair da noite era trazido lá


da cidade pelo vento”. O termo grifado é:
a) sujeito;
b) objeto direto;
c) objeto indireto;
d) complemento nominal;
e) agente da passiva.

675. “Eu andava satisfeito com o mundo e comigo


mesmo”, o período é:
a) simples;
b) composto por coordenação;
c) composto por subordinação;
d) composto por coordenação e subordinação;
e) composto de duas orações.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


95
96 EDITORA HE_EDUCA

676. Na oração “Mestre Reginaldo, o impoluto, é uma su- 684. Já na expressão “O prefeito Odorico nomeou Dir-
midade no campo das ciências” - o termo grifado é: ceu Borboleta ajudante de ordens” – as palavras
a) adjunto adnominal; grifadas funcionam como:
b) vocativo; a) objeto direto;
c) predicativo; b) objeto indireto;
d) aposto; c) predicativo do sujeito;
e) sujeito simples. d) aposto;
e) predicativo do objeto
677. Na expressão: “por todos era apedrejado o Luizi-
nho”, o termo grifado é: 685. O verbo de “confio este carro à distinção dos se-
a) objeto direto; nhores passageiros” é:
b) objeto indireto; a) transitivo direto;
c) sujeito; b) transitivo indireto;
d) complemento nominal; c) transitivo direto e indireto;
e) agente da passiva. d) intransitivo;
e) de ligação.
678. Dentre as orações abaixo, uma contém comple-
mento nominal. Qual? 686. Em: “Era inverno e fazia frio” – há duas orações
a) Meu pensamento é subordinado ao seu. cujos sujeitos são respectivamente:
b) Você não deve faltar ao encontro. a) inexistente e indeterminado;
c) Irei à sua casa amanhã. b) indeterminado e inexistente;
d) Venho da cidade às três horas. c) inexistente e inexistente;
e) Voltaremos pela rua escura ... d) indeterminado e indeterminado;
e) N. R. A. porque ambos são compostos.
679. Assinale a alternativa em que o termo grifado é
adjunto adnominal: 687. Qual o período simples?
a) Sua falta aos encontros sufocava o nosso amor. a) Encontrará, talvez, no caminho da vida, aspere-
b) Ela é uma fera maluca. zas, ingratidões, grosserias, injustiças, brutalida-
c) Ela é maluca por lambada nacional. des . . .;
d) Não tenho medo da louca. b) Quem sabe se não encontrará inimigos cruéis e
e) O amor de Deus é o primeiro mandamento. “amigos” pérfidos;
c) Dorme, dorme meu anjinho, que a “Mamã” vela
680. Em “a linguagem do amor está nos olhos” – os por ti . . .;
termos grifados são respectivamente: d) Ela defende-o e protege-o;
a) complemento nominal e predicativo do sujeito; e) Faz cinco anos que o procuro.
b) adjunto adnominal e predicativo do sujeito;
c) adjunto adnominal e objeto direto; 688. Confiamos no futuro
d) complemento nominal e adjunto adverbial; Desconhecemos as coisas do futuro.
e) adjunto adnominal e adjunto adverbial. Temos confiança no futuro

681. “Diga ao povo que fico” é um período: - Nas expressões acima, os termos grifados fun-
a) simples; cionam respectivamente, como:
b) composto por coordenação; a) objeto indireto; adjunto adnominal; complemento
c) composto por subordinação; nominal;
d) composto por coordenação e subordinação; b) objeto indireto; complemento nominal; objeto in-
e) composto de três orações. direto;
c) objeto indireto; objeto indireto; complemento no-
682. “Saúde e felicidade são as minhas aspirações na minal;
vida” – nessa expressão o sujeito é: d) objeto direto; adjunto adnominal; objeto indireto;
a) simples; e) objeto direto; sujeito; complemento nominal.
b) composto;
c) indeterminado; 689. Em: “faz anos que não chove no sertão” – há duas
d) oculto; orações com sujeito:
e) oração sem sujeito. a) simples; d) inexistente;
b) composto; e) elíptico.
683. Na expressão: “Ordem e progresso, esse é o nos- c) indeterminado;
so lema” – o sujeito é:
a) simples; d) oculto; 690. Em: “pediram-me papai e mamãe que eu fosse
b) composto; e) inexistente. mais audacioso”:
c) indeterminado; a) o sujeito da primeira oração é simples e o da se-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


96
97 EDITORA HE_EDUCA

gunda é inexistente;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


97
98 EDITORA HE_EDUCA

b) o sujeito da primeira oração é composto e o da d) agente da passiva;


segunda, é simples;
c) o sujeito da primeira oração é indeterminado e o
da segunda, inexistente;
d) o sujeito da primeira oração é inexistente e o da
segunda indeterminado;
e) o sujeito da primeira oração é composto e o da
segunda inexistente.

691. Em: “À boca da noite a cata-piolhos rezava baixi-


nho . . .” , o sujeito é:
a) simples; d) inexistente;
b) composto; e) oculto.
c) indeterminado;

692. Em qual das alternativas o verbo grifado é de liga-


ção?
a) Quando você pára, eu continuo.
b) Amélia continua mulher de verdade.
c) Esta “droga” de relógio não anda.
d) Andei dois quilômetros a pé.
e) Nos primeiros dias aprendi as notas musicais.

693. O predicado é nominal em:


I - Você acha Cristina bonita, mamãe?
II - O mundo podia ser tranqüilo.
III - “Zé Mané” não estava embriagado.
IV - O guarda noturno permanece atento a todos os
perigos.
V - Os transeuntes ficaram assustados.
a) I - II - III; d) III - IV - V - II;
b) II - III; e) I - II - IV.
c) II - IV;

694. Dentre as orações abaixo, uma tem sujeito inde-


terminado. Qual?
a) A nossa casa parecia uma arca de Noé.
b) Não iria além de um vice-campeonato.
c) As águas trafegam furiosas.
d) Atropelaram um boi lá na gentil.
e) No lugar só ficou a surpresa.

695. Na oração: “Diziam que ele era igualzinho a meu


pai”, o sujeito da primeira oração é:
a) simples; d) inexistente;
b) composto; e) oculto.
c) indeterminado;

696. Dê a função sintática do elemento grifado: “Mes-


tre Cupijó, ouviu-se há dias a sua grande obra”.
a) adjunto adnominal; d) aposto;
b) sujeito; e) objeto direto.
c) vocativo;

697. Em: “o homem não gosta de reconhecer a inevita-


bilidade de uma morte natural . . .”, a expressão
grifada é:
a) adjunto adnominal;
b) adjunto adverbial;
c) complemento nominal;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


98
99 EDITORA HE_EDUCA

e) sujeito.

698. “Ué, gente: vocês ainda não foram pra sala? !” –


o sujeito:
a) simples; d) inexistente;
b) composto; e) oculto.
c) indeterminado;

699. Em: “Bebe que é doce, papai” – a palavra


grifada funciona como:
a) sujeito; d) adjunto adverbial;
b) aposto; e) adjunto adnominal.
c) vocativo;

700. No período: “O vento é morno, faz carícias,


brinca nas árvores e foge para as montanhas.”
– encon- tramos:
a) 4 orações coordenadas assindéticas;
b) 4 orações subordinadas substantivas;
c) 4 orações coordenadas sindéticas;
d) 3 orações coordenadas assindéticas e 1 sindética;
e) 3 orações coordenadas assindéticas e 1
subordi- nada.

701. No período:” Arrumarei uma namorada ou


beberei três litros de mel de abelha”.
A segunda oração é coordenada sindética:
a) aditiva; d) explicativa;
b) adversativa; e) conclusiva.
c) alternativa;

702. Em “o paquerador inveterado teria de correr ou


seria estrangulado pelo namorado ciumento” - a
segun- da oração é coordenada:
a) assindética;
b) sindética aditiva;
c) sindética adversativa;
d) sindética explicativa;
e) sindética alternativa.

703. Na Manchete de Jornal “Motorista vira porco


no telégrafo -a palavra motorista funciona,
respecti- vamente, como:
a) sujeito e aposto;
b) núcleo do sujeito e vocativo;
c) sujeito e núcleo do sujeito;
d) sujeito e agente da passiva;
e) N.R.A.

704. Até o Diabo, quando está satisfeito, é boa


pes- soa.
Quanto mais próxima está a Europa, mais
negra é a noite.
A proporção que os alunos entregavam as
provas, o professor as ia corrigindo.
As orações grifadas nos períodos acima
classifi- cam-se, respectivamente como
orações subordi- nadas:
a) adverbial temporal – adverbial proporcional –
ad- verbial proporcional;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


99
100 EDITORA HE_EDUCA

b) adjetiva restritiva – adverbial proporcional – adver- 711. “Recebeu o prêmio o jogador que fez o gol”. Nes-
bial proporcional; sa frase o sujeito de “fez” ?
c) adjetiva restritiva – adverbial temporal – adverbial a) o prêmio;
proporcional; b) o jogador;
d) adverbial temporal – adverbial final – adverbial pro- c) que;
porcional; d) o gol;
e) adverbial temporal – adverbial final – adverbial pro- e) recebeu.
porcional.
712. Assinale a alternativa correspondente ao período
705. Considere a frase “Ele andava triste porque não onde há predicativo do sujeito:
encontrava a companheira” – os verbos grifados a) como o povo anda tristonho !
são respectivamente: b) agradou ao chefe o novo funcionário;
a) transitivo direto - de ligação; c) ele nos garantiu que viria;
b) de ligação - intransitivo; d) no Rio não faltam diversões;
c) de ligação - transitivo indireto; e) o aluno ficou sabendo hoje cedo de sua aprova-
d) transitivo direto - transitivo indireto; ção.
e) de ligação - transitivo direto.
713. Em: “Cravei-lhe os dentes na carne, com toda a
706. Indique a única alternativa que não apresenta agen- força que eu tinha”, a palavra “que” tem função
te da passiva: morfo-sintática de:
a) A casa foi construída por nós. a) pronome relativo – sujeito;
b) O presidente será eleito pelo povo. b) conjunção subordinada – conectivo;
c) Ela será coroada por ti. c) conjunção subordinada – complemento verbal;
d) O avô era querido por todos. d) pronome relativo – objeto direto;
e) Ele foi eleito por acaso. e) conjunção subordinada – objeto direto.

707. Em: “A terra era povoada de selvagens”, o termo 714. Assinale a alternativa em que a expressão grifada
grifado é: tem a função de complemento nominal:
a) objeto direto; a) a curiosidade do homem incentiva-o a pesquisa;
b) objeto indireto; b) a cidade de Londres merece ser conhecida por
c) agente da passiva; todos;
d) complemento nominal; c) o respeito ao próximo é dever de todos;
e) adjunto adverbial. d) o coitado do velho mendigava pela cidade;
e) o receio de errar dificultava o aprendizado das lín-
708. Em: “Dulce considerou calada, por um momento, guas.
aquele horrível delírio”, os termos grifados são res-
pectivamente: 715. Amanhã, sábado, não sairei de casa”, a palavra
a) objeto direto – objeto direto; grifada, funciona como:
b) predicativo do sujeito – adjunto adnominal; a) objeto direto;
c) adjunto adverbial – objeto direto; b) objeto indireto;
d) adjunto adverbial – adjunto adnominal; c) agente da passiva;
e) objeto indireto – objeto direto. d) complemento nominal;
e) aposto.
709. Assinale a alternativa correta: “para todos os ma-
les, há dois remédios: o tempo e o silêncio”, os 716. “E não se diga que Mário Quintana haja sido in-
termos grifados são respectivamente: sensível às legítimas exigências da poética con-
a) sujeito – objeto direto; temporânea”.
b) sujeito – aposto; O termo grifado desempenha a função de:
c) objeto direto – aposto; a) objeto direto;
d) objeto direto – objeto direto; b) sujeito;
e) objeto direto – complemento nominal. c) adjunto adnominal;
d) complemento nominal;
710. “Usando do direito que lhe confere a Constituição”, e) objeto indireto.
as palavras grifadas exercem a função respectiva-
mente de: 717. “O sol entra cada dia mais tarde, pálido, fraco,
a) objeto direto – objeto direto; oblíquo”
b) sujeito – objeto direto; “O sol brilhou um pouquinho pela manhã”
c) objeto direto – sujeito; Pela ordem, os predicados das orações acima
d) sujeito – sujeito; classificam-se como:
e) objeto direto – objeto indireto. a) nominal – verbo nominal;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
0
101 EDITORA HE_EDUCA

b) verbal – nominal;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
1
102 EDITORA HE_EDUCA

c) verbal – verbo-nominal; c) objeto direto;


d) verbo-nominal – nominal;
e) verbo-nominal – verbal.

718.É exemplo de predicado verbo-nominal:


a) cuspi no chão com um nojo desgraçado;
b) o corpo me doía todo;
c) Estela se sentou na cama assustada;
d) E ele saiu correndo com os pés descalços;
e) Chico Sena morreu.

719. Em: “o professor entrou atrasado”


a) o verbo é intransitivo e o predicado é nominal;
b) o verbo é transitivo direto e o predicado é verbal;
c) o verbo é de ligação e o predicado é nominal;
d) o verbo é intransitivo e o predicado é verbo-nominal;
e) o verbo é transitivo indireto e o predicado é verbal.

720. Na expressão “. . . chamei Armando Nogueira de


carioca . . .” encontramos no predicado pela or-
dem:
a) objeto direto e objeto indireto;
b) objeto direto e predicativo;
c) objeto indireto e adjunto adnominal;
d) objeto indireto e predicativo;
e) objeto direto e adjunto adverbial.

721. “Minha terra é pindorama, de Palmares sempre


em flor !
a) o predicado é nominal e o verbo é de ligação;
b) o predicado é verbal e o verbo é intransitivo;
c) o predicado é verbal e o verbo é de ligação;
d) o predicado é verbo-nominal e o verbo é transitivo
direto e indireto;
e) o predicado é nominal e o verbo é intransitivo.

722. Assinale a frase em que há sujeito inexistente:


a) compram-se jornais velhos;
b) nada se entendeu de suas palavras;
c) chama-se José o sacerdote;
d) choveu muito tomate aqui;
e) é noite.

723. “Em o Brasil foi descoberto pelos portugueses”, o


termo grifado é:
a) objeto direto; d) adjunto adverbial;
b) sujeito; e) aposto
c) agente da passiva;

724. Em “Nunca, respondeu ela abanando a cabeça”,


o termo grifado é:
a) objeto direto; d) adjunto adverbial;
b) sujeito; e) aposto.
c) agente da passiva;

725. “Amo essas montanhas, uma a uma, com exce-


ção apenas do morro do Cantagalo, cujo volume é
desagradável e pesado”, o termo grifado é:
a) aposto;
b) objeto indireto;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
2
103 EDITORA HE_EDUCA

d) adjunto adverbial;
e) predicativo do objeto.

726. Em “Meu maior desejo é que ela volte logo”, a


oração grifada exerce a função sintática de:
a) sujeito;
b) objeto direto;
c) objeto indireto;
d) predicativo;
e) complemento nominal.

727. Assinale a alternativa em que apareça


predicado verbo-nominal:
a) a chuva permanecia calma;
b) a tempestade assustou os habitantes da vila;
c) Paulo ficou satisfeito;
d) os meninos saíram do cinema calados;
e) os alunos estavam preocupados.

728. Na oração “Você ficará tuberculoso, de


tuberculo- se morrerá”, as palavras grifadas
são, respectiva- mente:
a) adjunto adverbial de modo, adjunto adverbial
de causa;
b) objeto direto, objeto indireto;
c) predicativo do sujeito, adjunto adverbial;
d) ambas predicativas;
e) n.d.a.

729. Em: “O Presidente corrupto saiu cedo”.


a) o verbo é de ligação, e o termo grifado é núcleo
do predicado;
b) o verbo é intransitivo e o termo grifado é
adjunto adverbial;
c) o verbo é transitivo direto e o termo grifado é
obje- to direto;
d) o verbo é intransitivo e o termo grifado é
objeto indireto;
e) o verbo é de ligação e o termo grifado é objeto
indireto.

730. Na oração “a situação continua indefinida”:


a) o verbo é de ligação e o predicado é nominal;
b) o verbo é intransitivo e o predicado é verbo-
nomi- nal;
c) o verbo é transitivo direto e o predicado é verbal;
d) o verbo é bitransitivo e o predicado é verbo-
nomi- nal
e) o verbo é transitivo direto e o predicado é verbal.

QUESTÕES GERAIS

731.
01. Assinale a opção em que há erro na
explicação da palavra grifada.
a) heliofobia - horror a luz do sol;
b) rinalgia - dor no nariz;
c) xilografia - arte de gravar em pedra;
d) etnologia.- estudo das raças;
e) misantropia - aversão à sociedade.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
3
104 EDITORA HE_EDUCA

02.O prefixo latino da palavra “desanimado” equivale, babilidade;


pelo sentido, ao prefixo grego da palavra:
a) anfíbio; d) apótata;
b) antítese; e) anacrônico.
c) anarquia;

732. A correspondência masculino / feminino está cor-


reta, EXCETO em:
a) o abade era irmão do maestro. / a abadessa era
irmã da maestrina;
b) o píton era uma criatura curiosa. / a pitonisa era
uma criatura curiosa;
c) o cônjuge era muito devotado ao filho. /a cônjuge
era muito devotada à filha;
d) fez do parente um paspalhão; / fez da parenta uma
paspalhona;
e) a vítima era surdo-mudo; / a vítima era surda-muda.

733. O verbo haver está empregado corretamente, EX-


CETO em:
a) há muito anos não se via chuva assim;
b) como podia haver tantos erros em tão pequeno
texto:
c) se não der certo, quem vai haver-se comigo é você;
d) tempos houveram em que as pessoas eram mais
solidárias;
e) havemos de chegar ao objetivo proposto.

734. Em qual das alterações processadas em - porque


espero que não serão as últimas - há inadequa-
ção no relacionamento dos tempos verbais?
a) dei o nome de PRIMEIROS CANTOS às poesias
que agora publico, porque espero que não sejam
as últimas;
b) dei o nome de PRIMEIROS CANTOS às poesias
que agora publico, porque espero que não hão de
ser as últimas;
c) dei o nome de PRIMEIROS CANTOS às poesias
que agora publico, porque espero que não tenham
sido as últimas;
d) dei o nome de PRIMEIROS CANTOS às poesias
que agora publico, porque espero que não fosses
as últimas;
e) dei o nome de PRIMEIROS CANTOS às poesias
que agora publico, porque espero que não serem
as últimas.

735.
1) Acredito que terá, no máximo trinta anos.
2) Gostaria que me telefonasse, se possível.
3) 1944, junho: as tropas aliadas desembarcam na
Normandia.
4) Não se preocupe: Deus é Pai.

A seqüência dos empregos dos tempos verbais


sublinhados corresponde, respectivamente à
opção:
a) polidez; probabilidade; presente durativo; presen-
te histórico;
b) presente durativo; polidez; presente histórico; pro-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
4
105 EDITORA HE_EDUCA

c) presente histórico; presente durativo;


probabilida- de; polidez;
d) probabilidade; presente durativo; polidez;
presen- te histórico;
e) probabilidade: polidez; presente histórico:
presente durativo.

736. “A gente à crença antiga se acostuma”.


Assinale a oração subordinada que apresente equi-
valência com o termo grifado no fragmento acima:
a) consta que ela foi responsável pelo tumulto;
b) ofereceu flores a quem não merecia:
c) finalmente se conheceu a verdade:
d) disse ela que à tarefa se costuma facilmente:
e) estamos conscientes de que a coisa não anda
bem.

737. Assinale a concordância inaceitável em relação a


norma culta.
a) sou eu que pago;
b) sou eu quem pago;
c) somos nós quem paga;
d) sou eu que paga;
e) sou eu quem paga.

738. Assinale o item em que a expressão grifada apre-


senta função sintática distinta dos demais.
a) não vimos sair o garotinho:
b) agrediram o jovem os torcedores fanáticos:
c) invadia o nosso lar a luz suave da lua;
d) chamaram tolo o pobrezinho:
e) surpreendeu todos nós a sua ousadia.

739. O pronome SE que encontramos em “Foram-


se os deuses . . .” tem correspondência em:
a) continuou-se triste por muito tempo;
b) morreram-se todos os sonhos;
c) olharam-se comovidos;
d) só se queixa dela;
e) julgavam-se infelizes.

740. Foi corretamente analisado o elemento


sublinha- do em:
a) denuncia - DMT presente do subjuntivo;
b) produzissem - radical;
c) surgiam - DNP terceira pessoa do plural;
d) permitem - VT de segunda conjugação;
e) completariam – DMT futuro do pretérito.

741. Assinale a concordância condenada:


a) a maior parte dos escritores escrevem mal;
b) senhor diretor, Vossa Senhoria é muito ilustrada;
c) estávamos com o braço direito e a cabeça
imó- veis;
d) aqui, o ouro e as fazendas de gado são
deseja- das;
e) um e outro cão lhe desagrada.

742. Assinale a opção que completa corretamente


as lacunas da seguinte frase:
Quando mais aperfeiçoado, o computador
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
10
5
106 EDITORA HE_EDUCA

certamente um eficiente meio de controle 749. Indique o item em que todas as formas estão cor-
de toda a vida social. retas:
a) estivesse / será; d) estivesse / era; I. Florezinhas, animaizinhos, caracteres, cidadãos,
b) estiver / seria; e) estiver / será. juniores.
c) esteja / era; lI. Coraçõezinhos, capitães, cidadões, cônsules,
projeteis.
743. Assinale a única alternativa em que há erro de III. Guarda-civis, guarda-chuvas, difíceis, escrivães,
concordância verbal: cristãos.
a) a maioria das pessoas permaneceu no local; IV. Pãozinhos, revólveres, funis, itens, móveis;
b) os Estados Unidos reatou relações diplomáticas V. Júniors, órgãos, cães, tribunais, tabeliães;
aquele país;
a) I; d) IV;
c) mais de um funcionário conseguiu promoção;
b) II; e) V.
d) ele é um dos alunos que mais se aplicam aos
c) III;
estudos;
e) bastam alguns conselhos para ele desistir do in-
750. Assinale a alternativa que contém erro no empre-
tento.
go de pronome:
a) as divergências neste Conselho sempre ocorrem
744. Quando V.Sª. o que , todos es-
entre mim e ti;
cutam.
b) os homens sempre levaram consigo a esperança
a) diz - pensa - vos; d) dizeis - pensa - vos;
da ressurreição;
b) dizeis - pensais - vos; e) diz - pensais-o.
c) depois desta prova, quero falar consigo, professor;
c) diz - pensa - o;
d) ele, por bem, tiravam-lhe até as calças;
745. Não contém LOCUÇÃO ADJETIVA: e) as notas promissórias, entregue-mas assinadas
com o contrato.
a) só há tristezas na guerra;
b) vede a majestade do mar;
751. Escolha a alternativa que completa adequadamen-
c) admirai a grandeza do Universo;
te os espaços abaixo:
d) olha a beleza do céu;
Você não vai conosco? ?
e) fala da situação da economia.
. ele não veio?
Não descubro o da atitude do meu pai.
746. DISCURSOU DE IMPROVISO.
Explique .
O termo grifado é LOCUÇÃO:
Não compreendo motivo não vieram ainda.
a) adverbial; d) adjetiva;
Não saia, preciso falar-lhe.
b) conjuntiva; e) prepositiva.
a) por quê, por que, porquê por quê, por que, porque;
c) expletiva;
b) por que, por quê, porque por quê, por quê, porquê
c) por quê, por quê, porque, porquê, por quê, por quê;
747. Marque a alternativa que indica as posições a se-
d) por que, porquê, por que, porque, por que, por quê;
rem ocupadas pelos pronomes entre parênteses:
e) porque, porque, por quê, por que, por que, porque.
1) Não enviar ao tais mercadorias.(ME)
2) Em tratando de neuróticos, esta deve ser
752. Assinale a única alternativa em que há erro quan-
a solução. (SE)
to ao gênero do substantivo:
3) Já de pé, banhando ; ouço a campai-
a) a cal; d) a eclipse;
nha. (ME)
b) o telefonema; e) o champanhe.
4) Não tinhas falado disto. (ME)
c) a dinamite;
5) vais contar o que se passou. (ME)

a) 1, 1, 2, 1, 2; d) 1, 2, 1, 1, 2; 753. Apenas uma das seguintes opções apresenta


palavra acentuada graficamente pela mesma ra-
b) 1, 1, 1, 1, 1; e) 2, 1, 2, 2, 2.
zão que a palavra côa:
c) 3, 1, 2, 2, 1;
a) pôde; d) vôo;
b) pólo; e) lêem.
748. Assinale a opção em que sujeito e predicado têm
c) pólen;
uma única possibilidade de concordância, sendo
incorreta, portanto, a troca da pessoa ou do nú-
754.
mero do verbo:
01. Assinale o item que não possui o mesmo signifi-
a) a maioria deles vinha devagar;
cado dos demais:
b) o gesto e as palavras comovem-nos;
a) o Governo poderá, consoante declaração do Mi-
c) comovem-nos o gesto e as palavras;
nistro, alterar sua política externa;
d) quais de nós vínhamos mais devagar;
b) o Governo poderá em face da declaração do Mi-
e) quais de nós vinham mais devagar.
nistro, alterar sua política externa;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
6
107 EDITORA HE_EDUCA

c) o Governo poderá, conforme declaração do Minis- c) se o cientista se detiver a observar os fatos, che-
tro, alterar sua política externa; gará a alguma conclusão;
d) o Governo poderá, segundo declaração do Minis- d) os cientistas só serão compreendidos se expo-
tro, alterar sua política externa; rem suas idéias com clareza;
e) o Governo poderá, em conformidade com declara- e) os cientistas requerem condições especiais de
ção do Ministro, alterar sua política externa. trabalho.

02. Assinale a opção em que a mudança de posição 758. A separação silábica de: cooperar, caieis, tainha,
do adjetivo sublinhado acarreta necessariamente feldspato, é, respectivamente:
alteração de sentido: a) coo - pe - rar, caí - eis, tai - nha, feld - spa - to;
a) a boa moça saiu do hospital; / a moça saiu boa b) co - o - pe - rar, ca - í - eis, ta - i - nha; felds - pa - to;
do hospital; c) coo - pe - rar, ca - í - eis, ta - i - nha, fel - dspa - to;
b) consideramos exeqüível a tua proposta; / consi- d) coo - pe - rar, ca - í - eis, tai - nha, fel - dspa - to;
deramos a tua proposta exeqüível; e) co - o - pe - rar, caí - eis, tai - nha, feld - spa - to.
c) deixem aberto o portão; / deixem o portão aberto:
d) tudo está diferente; / diferente está tudo; 759. Assinale a alternativa em que os três vocábulos,
e) cansado, dirigi-me ao trabalho, / dirigi-me cansa- têm o X pronunciado, respectivamente como nas
do ao trabalho. palavras: êxito, expectativa, remexe:
a) axortar, êxodo, fluxo;
03. Assinale a sentença cujo sentido difere substan- b) exame, expender, bruxa;
cialmente do das demais: c) asfixia,extirpar, fuxico;
a) o carro derrapou em razão do estado dos pneus; d) exótico, nóxio, exonerar;
b) o carro derrapou em decorrência do estado dos e) buxo, exegético, paradoxo.
pneus;
c) o carro derrapou a despeito do estado dos pneus; 760. Observe o plural dos compostos:
d) o carro derrapou devido ao estado dos pneus; 1) os guardas-chuvas estavam quebrados;
e) o carro derrapou em conseqüência do estado dos 2) foram feitos muitos abaixo-assinados;
pneus. 3) houve rápidos bate-bocas;
4) as obras-primas do autor estavam expostas;
755. Cumpre diferenciar as palavras que indicam quan- 5) os últimos vice-presidentes foram homens desco-
tidade ou intensidade. Umas, de natureza adjeti- nhecidos;
va (modificam substantivo), são analisáveis como
adjuntos adnominais; outras de natureza adverbi- a) estão corretos 1 e 3; d) nenhum está correto;
al (modificam verbo ou adjetivo), são adjuntos ad- b) estão corretos 2 e 4; e) todos estão corretos.
verbiais de intensidade. Aponte, nas alíneas abai- c) estão corretos 1, 3 e 5;
xo, onde se grife um adjunto adnominal:
a) falava mais alto, para espantar o próprio medo; 761. A a ser desenvolvida visava à
b) tinha bastante tempo para pensar; de objetivos bastante
c) não quero mais você... ; a) pesquisa - consecução - pretensiosos;
d) falou-se muito sobre a conjunto econômico; b) pesquisa - consecussão - pretenciosos;
e) ela é, certamente, a mais lúcida das mulheres. c) pesquisa - consecucão - pretenciosos;
d) pesquiza - consecução - pretenciosos;
756. Assinale a frase que não se completa com a pala- e) pesquiza - consecussão - pretenciosos.
vra entre parênteses:
a) confio na sua para guardar um segre-
762. A série de palavras, acentuadas por serem paro-
do; (DISCRIÇÃO)
xítonas, e:
b) os noivos receberam os na igreja; a) cútis, álbuns, caísse, cobrá-lo, fúria;
(COMPRIMENTOS)
b) geléia, Áurea, indomável, saída, excluído;
c) ele achou melhor o prazo de paga-
c) comprá-lo, fácil, graúdo, raízes, angústia;
mento; (DILATAR)
d) o ficou engarrafado quase duas ho- d) grátis, cônsul, estéril, hífen, açúcar;
ras; (TRÁFEGO) e) César, moído, ímã, júri, estridência;
e) atualmente, chegam muitos italia-
nos a São Paulo. (IMIGRANTES) 763. Assinale o item em que todos os vocábulos estão
corretamente grafados:
757. Assinale a opção em que ocorre uma forma verbal a) delinqüe - argui - chucro;
INACEITÁVEL. b) obsecar - dansa - passoca;
a) o cientista não interveio nos debates; c) ascensão - miçanga - misto;
b) disseram-me que vários cientistas tinham inter- d) xuxu - briza - prazo;
vindo nos debates; e) guela - páteo - gorjeta.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
7
108 EDITORA HE_EDUCA

764. Substituir o vocábulo sublinhado por (1) ESTE, (2) PROVAS ANTERIORES:
ESSE ou (3) AQUELE (ou os respectivos femini-
nos). TÉCNICO DO TESOURO NACIONAL
AGOSTO DE 1992 – 2º GRAU
1) Joaquim e Luís são ótimos estudantes; mas Luís ÁREA A – RJ
sempre consegue o primeiro lugar;
2) Joaquim e Luís são ótimos estudante mas é Joa-
quim que sempre consegue o primeiro lugar. Leia com atenção o texto abaixo para responder às
questões 770 a 772.
3) Tenho uma fruta comigo. Dou-lhe a fruta.
4) Você tem uma laranja consigo: pode me dar a
laranja. De acordo com dados internacionais, o
a) 1, 2, 1, 2; d) 2, 1, 1, 2; Brasil, que é a oitava economia mundial, a-
b) 1, 2, 1, 3; e) 3, 1, 2, 1. presenta-se no sexagésimo quarto posto em in-
c) 1, 3, 1, 2; dicadores sociais, nos quais os índices de
5 saúde têm peso fundamental. Assim, a idéia
765. Assinale a única alternativa em que há erro no do Brasil Grande traz embutido também o ta-
emprego das formas SI / CONSIGO: manho de seus problemas sociais e, em espe-
a) Pedro, vá ao gabinete porque o chefe quer falar cial, os de saúde, afastando qualquer hipó-
consigo; tese de ufanismo e obrigando a uma profunda
b) ele trazia consigo um mapa da região; 10 reflexão sobre a iniqüidade em que vive a
c) ela pensava consigo no que iria fazer; maioria da população.
d) queria a vaga para si; É bem verdade que a mortalidade infan-
e) dava tudo de si para o êxito da missão. til baixou nos últimos anos, estando ao re-
dor de setenta óbitos para cada mil crianças
766. Os superlativos absolutos sintéticos de: comum, 15 nascidas vivas. no entanto, isso não reve-
soberbo, fiel, miúdo, são, respectivamente: la as imensas disparidades regionais, onde
a) comuníssimo, super, fielíssimo, minúsculo; esses valores variam de vinte e cinco a qua-
b) comuníssimo, sobérrimo, fidelíssimo, minúsculo; se duzentos, aproximando polarmente o país
c) comuníssimo, superbíssimo, fidelíssimo, minutís- de outros em extremos de desenvolvimento e
simo;
20 de atraso.
d) comunérrimo, sobérrimo, filíssimo, miudérrimo; Em termos de América do Sul, apenas a Bolí-
e) comunérrimo, sobérrimo, filíssimo, minutíssimo. via e o Paraguai apresentam valores piores que
o Brasil.
767. Assinale a alternativa na qual todos os pontilha- ... Outro indicador dramático é a esperan-
dos possam ser preenchidos pela letra O: ça de vida ao nascer. Se a chance média de viver
a) trib , mág a, búss la, p eira; de um habitante da região Sul é de sessenta
b) tab ada, brux lear, lég a, c biçar; anos, a de um nordestino é de apenas quaren-
c) eng lir, ming a; b lir, c alhada; ta e cinco.
d) ab lir, b urb lhar, m leque, c chilo; A par dessas indignas e inaceitáveis 30
e) ent pir, epíst la, caç ada, g l dice . diferenças regionais e sociais, outras ques- tões
ainda afligem os brasileiros. Sem que as doenças
768. Indique a alternativa em que todos os pontilhados infecciosas tenham saído das pri- meiras causas
devem ser preenchidos com a letra J : de morte, já lhes fazem compa-
a) o eriza, cafa este, ente, gara em; nhia doenças cardiovasculares, os cânceres
b) gor eta, ultra e, la es, laran eira; e os acidentes. Isto é, além de ser campeão
c) man ericão, eito, here e, verti em; nas chamadas “doenças da pobreza”, o Brasil
d) ti ela, en eitar, ma estade, vir em; já disputa espaço entre os países com eleva-
e) mon e, lambu em, boba em, can ica. dos índices de doenças consideradas “do de-
senvolvimento”, da urbanização.
769. Em todas as alternativas as palavras têm o “O”
pronunciado fechado no plural, EXCETO em: (Eleutério Rodriguez Neto,“O lucro perverso da
a) esposo – pescoço; d) gosto – sogro; doença”, publicado em HUMANIDADES, nº 15, 87/88)
b) estojo – bolso; e) adorno – almoço.
c) rogo – esforço;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
8
109 EDITORA HE_EDUCA

770. Aponte o item que apresenta afirmação falsa 773. Assinale o único trecho inteiramente correto.
em relação ao correto entendimento do texto. a) As regiões de um país funcionam como os joga-
a) Existe uma situação de desigualdade social no dores de um time de futebol. Sempre há um que
Brasil que penaliza a maior parte de sua popu- aparece mais; porém, ele não é nada sem os ou-
lação. tros.
b) As estatísticas de saúde no Brasil são compa- b) O país está doente e os sinais confirmam que a
tíveis com a posição que o país ocupa, segun- cada dia: a fome, a miséria, a corrupção estão
do dados internacionais, na economia mundial. cada vez mais piores em todos os setores.
c) A dimensão grandiosa dos problemas brasilei- c) O Brasil é um país muito grande, não só em
ros na área de saúde inibe qualquer sentimento extensão territorial mas em diversidade étinico-
ou atitude de jactância. cultural.
d) O adjetivo da expressão “Brasil Grande” é apli- d) O que seria da música brasileira sem Gil, Cae-
cável à mensuração dos problemas de saúde tano, Milton Nascimento, e tantos outros gran-
que cabe ao país solucionar. des compositores espalhados pelo país à fora?
e) A idéia de que existem “dois Brasis, um desen- e) A crise política, econômica e social, afeta inte-
volvido e outro subdesenvolvido” encontra com- resses de desenvolvimento cultural, de forma à
provação nas taxas de mortalidade infantil en- variar as conotações e denotações da lingua-
contradas ao longo do país. gem falada e escrita.
771. Nesta questão, propõe-se a substituição de al- 774. Assinale o trecho que apresenta sintaxe de re-
gumas expressões do texto por outras, em que gência correta.
o sentido original fique prejudicado. Aponte a a) A rigorosa seca que assola os estados do Nor-
única substituição que prejudica o sentido ori- deste impede que essa região desenvolva e atin-
ginal do texto. ja os níveis de crescimento sócio-econômico de-
sejados.
SUBSTITUIR POR: b) Se o Brasil tornasse independente dos emprés-
timos externos, poderia voltar a crescer no mes-
a) esperança mo ritmo de desenvolvimento das décadas an-
de vida (l. 24 e 25) expectativa de vida teriores.
b) hipótese de c) Surpreende-nos o fato de o Estado de São Pau-
ufanismo (l. 8 e 9) perspectiva de orgulho lo, que muito se difere do sul do país ter en-
c) iniqüidade em pauperismo em que vive grossado as estatísticas favoráveis à criação de
que vive a a maior parte dos bra- um Brasil do Sul.
maioria da po- sileiros d) É reducionista atribuirmos apenas à seca a ra-
pulação (l. 10 e 11) zão que leva a população do norte e nordeste a
se migrar para o sul.
d) imensas dispa- dessemelhanças gritantes
e) A pretendida separação que pleiteiam os esta-
ridades regio- existentes de uma região
dos do sul acarretará, se vier a se concretizar,
nais (l.16) para outra
a perda da identidade nacional.
e) elevados índi- alto número de moléstias
ces de doenças tidas como “da riquesa” 775. Assinale o segmento que apresenta defeito de
consideradas “do estruturação sintática.
desenvolvimento” a) Ligadas ou não ao mundo oficial, as pessoas
(l. 37, 38 e 39) envolvidas com a cultura têm de capacitar-se
de que lhes cumpre atuar na divulgação das pro-
772. Baseie-se na compreensão do texto para indi- duções literárias mais expressivas.
car a afirmativa falsa. b) Os escritores têm a consciência de um com-
a) Em “os de saúde” (l. 08), há elipse da palavra promisso com a palavra, com a língua e tam-
problemas. bém com o povo a que estão ligados, que pro-
b) isso (l.15) se refere ao fato de a média da mor- curam entender e cujo destino preocupa a to-
talidade infantil estar ao redor de setenta óbitos dos.
por cada mil crianças nascidas vivas. c) Tem-se visto que os parlamentares mais ativos,
c) A expressão a par (l. 29) é equivalente semanti- devido à própria evidência a que os expõe a sua
camente a de par com. produção, atraem incumbências paralelas, como
d) O sujeito de afligem (l. 31) é “os brasileiros” presidências de comissões, lideranças e outras.
(l.31). d) A escolha da profissão, para os jovens, não é
e) lhes (l. 33) refere-se a “doenças infecciosas (l. um ato simples, o qual se possa chegar sem
32). hesitações e dúvidas.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


10
9
110 EDITORA HE_EDUCA

e) Os promotores da nossa cultura devem levar a 778. Marque o conjunto de palavras que completam
outros povos o Brasil imaginário, elaborado atra- da forma mais adequada as lacunas do texto.
vés de seus poetas, dos seus narradores, e
sem o qual o país chamado real é quase como Levo – nesta Meca _______ dos seringueiros
se não existisse. – vida _______ e fatigante. Foi um ______ esta
parada obrigatória, que não sei até quando se
776. Marque o trecho que contém erro quanto à sin- prolongará. Mas resigno-me, bem certo de que
taxe de concordância. a minha boa vontade não afrouxará com
a) O projeto de integração que vêm realizando as ________ e confiante na minha abstinência
frágeis democracias uruguaia, argentina e bra- _______ no reagir ao clima.
sileira é um esforço inegavelmente significati- (Euclides da Cunha).
vo para o cone sul.
b) Há registros de um sistema de exames com- a) tumultuária; plácida; mau; tampouco; espar-
petitivos elaborado pelos chineses, há mais de tana.
2.000 anos antes de Cristo, para selecionar cri- b) movimentada, tormentosa; mau; tampouco; mo-
anças superdotadas. sástica.
c) Grande número de programas têm sido direci- c) tumultuária; perturbada; mal; tão pouco; es-
onados , nos EUA, para áreas consideradas partana.
prioritárias pelo Estado, como matemática e d) tumultuada; tranqüila; erro; tampouco; religiosa.
ciências. e) deserta; estática; equívoco; tampouco; monás-
d) Ignorância, preconceito e tradição mantêm vi- tico.
vas uma série de idéias que dificultam a imple-
mentação de programas direcionados às cri- 779. Marque o texto onde ocorre erro de pontuação.
anças superdotadas. a) Os estabelecimentos fundados por portugue-
e) São extremamente importantes, para se criar ses, lá pelos anos de 1618, começavam no
um ambiente favorável ao desenvolvimento dos Pará, quase sob o Equador, e terminavam em
superdotados, a criação de uma variedade de Cananéia, além do trópico.
experiências de aprendizagem enriquecedoras b) Entre uma e outra capitania havia longos espa-
e estimulantes. ços desertos, de dezenas de léguas de exten-
são. A população de língua européia, cabia folga-
777. Assinale a sentença que contém erro na for- damente em cinco algarismos.
ma verbal. c) A camada ínfima da população era formada por
a) “Examinai todas as coisas e retende o que for escravos, filhos da terra, africanos ou seus des-
melhor.” (Extraído de um marcador de páginas). cendentes.
b) Detenhamo-nos nos aspectos centrais do pen- d) Os filhos da terra eram menos numerosos pela
samento marxista para que saibamos extrair pouca densidade originária da população indíge-
dele o que melhor se aproveita para os dias na, pelos grandes êxodos que os afastaram da
atuais. costa, pelas constantes epidemias que os dizi-
c) Para que elaboremos propostas inovadoras, é maram, pelos embaraços, nem sempre inúteis,
preciso que ponhamos nossa criatividade a ser- opostos ao seu escravizamento.
viço da geração de idéias inusitadas. e) Acima desta população, sem terra e sem liberda-
d) Mas não caiamos na tentação de julgar todos de, seguiam-se os portugueses do nascimento
os dirigentes políticos como se fossem uns ou origem, sem terra, porém livres: feitores, mes-
aproveitadores, que usam os cargos apenas tres-de-açúcar, oficiais mecânicos, vivendo dos
para se locupletarem. seus salários ou do feitio de obras encomenda-
e) Se almejardes o saber, vades aos livros e con- das. (Capistrano de Abreu com adaptações).
viveis com os sábios.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
0
111 EDITORA HE_EDUCA

TRE / RJ - OPERADOR DE COMPUTAÇÃO


NOVEMBRO DE 1995 – 2º GRAU

Texto

O REINADO DO TERROR
Sérgio Charlab

Tenho pena do Unabomber.

Falo do norte-americano - que já matou três pessoas e feriu outras 26 com


cartas-bomba em 17 anos de terror - e não desta tosca versão brasileira. No dia 21
de setembro, os jornais The New York Times e Washington Post publicaram 35 mil
5 palavras de um enorme manifesto do Unabomber (disponível na Internet a partir de
http;// www.paranoia.com/ coe/resources/fc/fc.html), chamado “Industrial Society
and Its Future”. A publicação foi exigência dele, que assim se comprometeu a pôr fim
às suas bombas.
O Unabomber condena a sociedade tecnológica. Para entender sua filosofia, é
10 preciso voltar à Inglaterra do Século 19, entre 1811 e 1816, quando artesãos, espe-
cialmente em Nottingham, se reuniram e destruíram máquinas têxteis, num movimen-
to que ficou conhecido como Luddite. Assim, combatiam a então nascente Revolução
Industrial. Os Luddites temiam que as máquinas fossem substituir seus empregos.
Como você e eu sabemos, eles estavam certos.
(. . .)
15 Os argumentos do Unabomber são os principais existentes hoje contra a Revo-
lução da Informação que estamos vivendo. É o medo de que a tecnologia apagará
algo de fundamental da humanidade. Nossa sociedade está se dividindo em duas
classes: a dos que têm habilidade com a tecnologia e a dos que não têm. Os primei-
ros poderiam transformar-se na classe dominante, mas representam apenas 1%. A
20 maioria, portanto, poderá acabar com este 1% antes que seja dominada. E os Luddites
de hoje poderão ter mais sucesso do que os do passado.
Eu estaria muito assustado com estas reflexões se não acreditasse que é pos-
sível sair desse impasse educando os Luddites. Temos feito muito pouco para ensi-
nar as novidades tecnológicas. Usamos jargão, escrevemos sobre Informática em
25 cadernos separados dentro dos jornais e publicamos revistas que são colocadas nas
bancas lado a lado com outras da mesma área. Segregamos a informação tecnológica.
É hora de ensinar. Do contrário, corremos o risco de ver cada vez mais bombas
explodirem por aí.
(Jornal do Brasil - 10/10/95.)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
1
112 EDITORA HE_EDUCA

780. Os jornais “The New York Times” e “Washington b) Já recuperei o material a que você aludiu. Veja o
Post” aceitaram publicar o manifesto de Unabom- romance de que sempre gosto de ler.
ber, porque queriam: c) Já recuperei o material cujo você aludiu. Veja o
a) satisfazer a curiosidade de seus leitores. romance de que sempre gosto de ler.
b) contribuir para a cessação dos ataques dos terro- d) Já recuperei o material que você aludiu. Veja o
ristas. romance a que sempre gosto de ler.
c) assumir o risco de serem os destinatários de car- e) Já recuperei o material a que você aludiu. Veja o
tas-bomba. romance que sempre gosto de ler.
d) continuar a ser os dois jornais mais importantes
dos Estados Unidos. 786. Nas frases abaixo, os termos sublinhados foram
e) atender às pressões do governo americano na sua substituídos por um pronome pessoal. A substi-
tentativa de isolar o terrorista. tuição está incorreta na seguinte alternativa:
a) Vou buscar o livro. / Vou buscá-lo.
781. Pelo texto, pode-se concluir que os Luddites de b) Esqueci o dia do seu aniversário. / Esqueci-o.
hoje caracteriza-se por: c) Eles perderam nossos cartões de inscrição. Eles
a) serem opositores à Revolução Industrial. os perderam.
b) terem fracassado, nessa nova luta reacionária. d) Os operários solicitaram aumento ao diretor . /
c) desistirem de lutar contra a Revolução da Infor- Os operários solicitaram-no aumento.
mação. e) As autoridades vão manter aquele advogado no
d) temerem a perda de características humanas por cargo. / As autoridades vão mantê-lo no cargo.
causa da tecnologia recente.
e) quererem evitar a divulgação dos recentes progres- 787. No último parágrafo do texto a forma verbal explo-
sos tecnológicos nos órgãos da mídia. direm (L. 28) está no:
a) infinitivo flexionado; d) imperativo afirmativo;
782. O “reinado do terror” faz referência: b) futuro do indicativo; e) presente do indicativo.
a) ao medo da violência da sociedade atual. c) futuro do subjuntivo;
b) à sociedade do século 19 e às máquinas modernas.
c) à certeza de que outros Luddites não surgirão na 788. O pronome sublinhado se indica reprocidade de
sociedade. ação na seguinte frase:
d) ao medo de bombas e ao receio de que a tecnolo- a) Necessita-se de pedreiros.
gia apague fundamentos da humanidade. b) O menino se feriu na mão esquerda.
e) ao receio sentido por aqueles que não têm habili- c) Eles se queixaram ao diretor da escola.
dade com a tecnologia diante dos que a têm. d) Alugam-se apartamentos por temporada.
e) As duas senhoras se abraçaram, alegremente.
783. Pela leitura do texto conclui-se que:
a) o Unabomber ficou conhecido como Luddite. 789. A alternativa que apresenta erro quanto à flexão
b) os artesãos ingleses queriam preservar suas em- de número é:
presas. a) mal – males.
c) as máquinas substituíram os empregos dos b) troféu – troféis.
Luddites do passado. c) cidadão – cidadãos.
d) os jornais publicaram um manifesto combatendo d) charlatão – charlatães.
tendo a Revolução Industrial. e) transistor – transistores.
e) os que têm habilidade com a tecnologia são mai-
oria, na sociedade atual. 790. Há erro no uso das vírgulas, segundo os padrões
da língua culta, em:
784. Para o problema dos Luddites de hoje, o autor do a) Os primeiros obstáculos, apesar de tudo, foram
artigo crê que a solução é: superados.
a) segregação das informações tecnológicas. b) Ele pertence à classe dominante, mas não parti-
b) uso de um jargão próprio para a nova ciência. lha de sua ideologia.
c) ensino, para todos, das novidades tecnológicas. c) Escrever programas para computadores, é uma
d) combate aos terroristas mais agressivos, como o atividade complexa.
Unabomber. d) Unabomber, terrorista perigoso, sabe utilizar-se
e) aparecimento, na sociedade, de outras classes bem dos progressos tecnológicos.
em oposição aos Luddites. e) Os operários combatiam a Revolução Industrial,
embora ela já estivesse vitoriosa.
785. Das frases abaixo, a que apresenta os pronomes
empregados corretamente, de acordo com a re- 791. No nosso meio, existem alguns que não se inti-
gência verbal, é: midam diante das dificuldades que devam existir
a) Já recuperei o material de que você aludiu. Veja o em nossa vida.
romance de que sempre gosto de ler.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
11
2
113 EDITORA HE_EDUCA

A alternativa que pode substituir, corretamente, os 797. Seguem a mesma regra de acentuação gráfica
verbos sublinhados, na frase acima, é: todos os vocábulos da seguinte alternativa:
a) há – possa. a) é – aí – até.
b) hão – possa. b) século – assembléia – café.
c) há – possam. c) apagará – têxtil – exigência.
d) hão – possam. d) destruíram – baía – heroísmo.
e) haverem – podem. e) moléculas – máquinas – órfãos.

792. Das orações abaixo, aquela em que o verbo pode 798. A alternativa que apresenta erro quanto ao em-
assumir a forma da voz passiva é: prego da letra “X”, em todas as palavras, é:
a) Falo do norte-americano. a) exato, exílio, xícara
b) A publicação foi exigência dele. b) expiar, expoente, têxtil
c) Eu estaria muito assustado com estas reflexões. c) sexteto, auxiliar, explícito
d) O Unabomber condena a sociedade tecnológica. d) mixto, explêndido, excasso
e) Os argumentos do Unabomber são os principais e) explorar, máximo, extremidade
existentes hoje contra a Revolução da Informa-
ção. 799. A alternativa em que o a (sublinhado) não leva
acento grave, indicador de crase, é:
793. A concordância nominal das palavras sublinhadas a) Nossos amigos franceses foram a Bahia.
está correta no seguinte período: b) O roubo das jóias atribuiu-se a empregada.
a) Ela mesma não sabia se as cópias deveriam ir c) Próximo a janela, Maria aguardava o carteiro.
anexa ou não ao processo. d) Escreveu a irmã desejando-lhe um Feliz Natal.
b) Ela mesmo não sabia se as cópias deveriam ir e) Quando fomos a São Paulo os nossos ônibus
anexas ou não ao processo. andaram, rapidamente.
c) Ela mesmo não sabia se as cópias deveriam ir
anexo ou não ao processo.
d) Ela mesma não sabia se as cópias deveriam ir PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA IGUAÇU – RJ
anexas ou não ao processo. (TÉCNICO AGRÍCOLA) - 1990 – 2º GRAU
e) Ela mesma não sabia se as cópias deveriam ir
anexos ou não ao processo. TEXTO: “O Quinze” Raquel de Queiroz
794. Há erro uso do pronome relativo sublinhado (pre- “Chegou a desolação da primeira fome. Vinha seca
posicionado ou não) na seguinte frase: e trágica, surgindo no fundo sujo dos sacos vazios, na
a) Eis os computadores de cujos programas depen- descarnada nudez das latas raspadas.
dem de técnicos especializados. - Mãezinha, cadê a janta?
b) Existem pessoas a cujos defeitos todos obede- - Cala a boca, menino! Já vem !
cem.
c) A casa onde moras fica num bairro distante - Vem lá o quê !...
d) Todos já conhecem a pessoa a quem amas. Angustiado, Chico Bento apalpava os bolsos... nem
e) Quem não quer ajudar não precisa vir. um triste vintém azinhavrado...
Lembrou-se da rede nova, grande e de listras que
795. “Se você gostar do espetáculo, bate palmas, grita comprara em Quixadá por conta do vale de Vicente.
e faz de conta que ninguém o viu”. Tinha sido para a viagem. Mas antes dormir no chão
Em relação ao emprego correto dos verbos no im- do que ver os meninos chorando, com a barriga roncando
perativo afirmativo, pode-se afirmar que se deve de fome.
usá-los do seguinte modo na frase acima: Estavam já na estrada do Castro. E se arrancharam
a) batam – gritam – façam. debaixo dum velho pau-branco seco, nu e retorcido, a bem
b) bata – grite – faça. dizer ao tempo, porque aqueles cepos apontados para o
c) bate – grite – faça.
céu não tinham nada de abrigo.
d) bata – grite – faze.
e) bata – grita – faz. O vaqueiro saiu com a rede, resoluto:
- Vou ali naquela bodega, ver se dou um jeito...
796. De acordo com a norma culta, há erro de coloca- Voltou mais tarde, sem a rede, trazendo uma rapadura
ção do pronome oblíquo sublinhado em: e um litro de farinha:
a) Não lhe devo nada. - Tá aqui. O homem disse que a rede estava velha,
b) Ele não queria que o vissem. só deu isso, e ainda por cima se fazendo de compadecido...
c) Eles podiam contar-me o segredo. Faminta, a meninada avançou; e até Mocinha, sempre
d) Fizeram-no sair da sala, imediatamente. mais ou menos calada e indiferente, estendeu a mão com
e) A carta, ele tinha dado-a ao irmão ontem. avidez.
Contudo, que representava aquilo para tanta gente?
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
11
3
114 EDITORA HE_EDUCA

Horas depois, os meninos gemiam: 800. Chico Bento apalpava os bolsos porque...
- Mãe, tou com fome de novo... a) lembrou-se da rede nova, grande e de listras;
- Vai dormir, dianho! Parece que tá espritado! Soca b) ia sair para a viagem;
um quarto de rapadura no bucho e ainda fala em fome! Vai c) procurava algum dinheiro;
d) queria comprar uma rede nova em Quixadá;
dormir!
e) nenhuma das alternativas.
E Cordulina deu o exemplo, deitando-se com o
Duquinha na tipóia muito velha e remendada. 801. No texto existem diferenças entre as falas das
A redinha estalou, gemendo. personagens e do narrador porque:
Cordulina se ajeitou, macia, e ficou quieta, as pernas a) o autor quis mostrar que alguns deles não sa-
de fora, dando ao menino o peito rechupado. bem falar;
Chico Bento estirou-se no chão. Logo, porém, uma b) a fome faz com que eles mudem seu jeito de
pedra aguda lhe machucou as costelas. falar;
Ele ergueu-se, limpou uma cama na terra, deitou-se c) o autor quis, através da reprodução da fala, dar
de novo. mais realismo à história;
- Ah! minha rede! Ó chão duro dos diabos! E que d) os personagens estavam cansados;
fome! e) nenhuma das alternativas.
Levantou-se, bebeu um gole na cabaça.Aágua fria,
802. No texto existem expressões que nos reme-
batendonoestômagolimpo,deu-lheumapancadadolorosa. tem a uma região de seca. Assinale a alternati-
E novamente estendido de ilharga, inutilmente procurou va em que todas as palavras possuam relação
dormir. com estiagem:
A rede de Cordulina que tentava um balanço, para a) vaquinha magra, miséria, peito seco, fome;
enganar o menino – pobrezinho! o peito estava seco como b) rapadura, rede, litro, leite;
uma sola velha! - gemia, estalando mais, nos rasgões. c) meninada, fome, dormir, casas;
E o intestino vazio se enroscava como uma cobra d) macia, roncos, surdos, vaca;
faminta, e em roncos surdos resfolegava furioso: rum, rum, e) nenhuma das alternativas.
rum...
De manhã cedo, Mocinha foi ao Castro, ver se 803. São características mais marcantes de Chico
Bento:
arranjava algum serviço, uma lavagem de roupa, qualquer
a) sujeição e preguiça;
coisa que lhe desse para ganhar uns vinténs. b) preguiça e fome;
Chico Bento também já não estava no rancho. c) persistência e orgulho;
Vagueava à toa, diante das bodegas, à frente das casas, d) falsidade e dinamismo;
enganando a fome e enganando a lembrança que lhe e) nenhuma das alternativas.
vinha, constante e impertinente, da meninada choran-
do, do Duquinha gemendo: 804. Assinale a alternativa em que nenhum vocábu-
(Tô tum fome! dá tumê!) lo possua hiato:
Parou. Num quintalejo, um homem tirava o leite a a) avançou, raiz, lembrou, diabos;
uma vaquinha-magra. b) zunia, rasgões, deitou, ficou;
Chico Bento estendeu o olhar faminto para a lata c) peitos, parou, estirou, serviu;
d) rainha, retraiu, sujeição, quase;
onde o leite subia, branco e fofo como um capucho...
e) nenhuma das alternativas.
E a mão servil, acostumada à sujeição do trabalho,
estendeu-se maquinamente num pedido... mas a língua 805. Assinale a alternativa em que todos os vocábu-
ainda orgulhosa endureceu na boca e não articulou a los possuam encontro consonantal:
palavra humilhante. a) isso, homenzinho, turbação;
A vergonha da atitude nova o cobriu todo: o gesto b) língua, Cordulina, novamente;
esboçado se retraiu, passadas nervosas o afastaram. c) branco, Castro, sempre;
Sentiu a cara ardendo e um engasgo angustioso na d) ardendo, arrancharam, trágica;
garganta. e) nenhuma das alternativas.
Mas dentro da sua turbação lhe zunia ainda aos
ouvidos: 806. Assinale a alternativa em que todos os vocábu-
‘Mãe, dá tumê !...’ los possuam dígrafos:
a) passara, avançou, mocinha, lhe, enroscava;
E o homenzinho ficou, espichando os peitos secos b) velha, avidez, trazendo, chão, vintém;
de sua vaca, sem ter a menor idéia daquela miséria que c) correndo, que, resoluto, bolsos, nem;
passara tão perto, e fugira, quase correndo...” d) vaqueiro, estrada, antes, apalpava, mãe;
e) nenhuma das alternativas.
(OUEIROZ, Rachel de. O Quinze. 25. ed. Rio de Janeiro,
J. Olympio, 1879. p. 33-5).
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
11
4
115 EDITORA HE_EDUCA

de ligação;
807. Em que alternativa todos os vocábulos são pa-
roxítonos?
a) condor, Gibraltar, Nobel, ureter;
b) rubrica, recorde, pudico, tulipa;
c) Gibraltar, ruim, novel, condor;
d) obus, primata, libido, edito;
e) nenhuma das alternativas.

808. Assinale a seqüência que preencha corretamen-


te os vocábulos abaixo:
dis nteria, mim ógrafo, qui eram, ascen ão,
né io,
a) i, i, z, ç, sc;
b) e, e, s, s, sc;
c) i, e, z, s, ss;
d) e, i, z, s, ss;
e) nenhuma das alternativas.

809. Em que alternativa todos os vocábulos estão acen-


tuados corretamente?
a) eles provêm, eles contém;
b) ele intervém, eles sobrevêm;
c) ele contêm, tu conténs;
d) cortá-lo, partí-lo, vendê-lo;
e) nenhuma das alternativas.

810. Assinale a alternativa em que nenhum vocábulo


deva ser acentuado:
a) puni-los, bambus, itens, recorde;
b) misantropo, pudico, dispar, flores;
c) levedo, maquinaria, ruim, refem;
d) bimano, aerolito, eletrodo, pleiade;
e) Madagascar, pudico, polipo, austero.

811. Está correta a seguinte abreviatura:


a) 6h30m (Seis horas e trinta minutos);
b) g (gênero);
c) h (hectare);
d) sr. (senhora);
e) nenhuma das alternativas.

812. Em que alternativa a separação silábica está cor-


reta?
a) de-lin-qüi-u;
b) cir-cu-i-to;
c) gua-i-ta-cá;
d) tran-sa-tlân-ti-co;
e) nenhuma das alternativas.

813. Assinale a alternativa em que o emprego do hífen


esteja correto:
a) ante-véspera, arqui-diocese, sobre-carta;
b) supra-renal, auto-retrato, extra-terreno;
c) pré-nupcial, extra-oficial, infra-som;
d) pseudo-profeta, semi-deus, proto-mártir;
e) nenhuma das alternativas.

814. Assinale a alternativa correta:


a) nas palavras pobretão e rodovia existem vogais

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
5
116 EDITORA HE_EDUCA

b) a palavra jogador é formada por derivação por


su- fixação;
c) a palavra alistar é formada por derivação sufixal;
d) a palavra bolada é formada por derivação
paras- sintética;
e) nenhuma das alternativas.

815. Estão flexionados corretamente os seguintes


vo- cábulos:
a) pães, mamões, tecelões, abelhas-mestras;
b) cidadões, mamãos, tabeliães, curta-metragens;
c) verões, alemãos, capitãos, obra-primas;
d) vulcãos, falcãos, índices, cachorros-quentes;
e) nenhuma das alternativas.

816. Obedece às normas gramaticais a frase abaixo:


a) Me Informaram sobre o caminho.
b) Ele não se lembrou das flores.
c) Ele não lembrou-se das flores.
d) Esperamos que cuide-se.
e) nenhuma das alternativas.

817. Assinale a alternativa correta quanto à


regência verbal.
a) Não lhe vi no parque.
b) Lembro-me de você.
c) Lembro de você.
d) Júlia aspirava o emprego citado no anúncio.
e) Nenhuma das alternativas.

818. Qual dos períodos obedece às normas


gramati- cais?
a) Tenho medo que você não volte.
b) Deixe ela fazer as compras sozinha.
c) Faça ela comprar as flores.
d) Não há dúvida de que João virá.
e) Nenhuma das alternativas.

819. Observe o seguinte período:


“Ele voltou cansado, mas estava feliz”. No
perío- do citado encontramos:
a) sujeito indeterminado;
b) adjunto adverbial de modo;
c) um predicado verbo-nominal;
d) um predicado verbal;
e) nenhuma das alternativas.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
6
117 EDITORA HE_EDUCA

TRE / RJ – ATENDENTE JUDICIÁRIO


NOVEMBRO DE 1995 – 2º GRAU

Texto

VELHOS VÍCIOS

Está anunciada para hoje na Câmara a votação de mais uma Lei Eleitoral. Ainda
não é a definitiva, mas outra para atender às conveniências do casuísmo político que o
autoritarismo exacerbou. Além do retrocesso, o que se prenuncia como disposição de
espírito é assustador. Entre outras barbaridades, fala-se em garantir o anonimato dos
5 doadores de dinheiro para a campanha eleitoral. Reconhecimento legal da corrupção,
claro. No primeiro semestre, ninguém acreditaria que a representação política se sen-
tisse mal na eficiência que conquistou com a aprovação das emendas constitucionais e
se lançasse de volta aos braços da imagem desacreditada. Deve ter sido por distração.
Tudo que se sabe a respeito da Lei Eleitoral é que as melhores intenções perde-
10 ram-se no percurso legislativo da matéria. A chegada do projeto ao plenário foi prece-
dida de vozes que trombeteiam exatamente o oposto do indispensável para dotar o
país de normas moralizadoras cujo coroamento seria a informatização nacional do plei-
to e da apuração. Compreende-se que os velhos vícios políticos tenham arautos, mas o
entranhável é a ausência de desautorizações frontais a essas provocações.
15 O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Carlos Velloso, é de opinião
que a nova lei eleitoral, como está, desacredita os políticos. Cita como exemplo deplo-
rável a iniciativa de transferir para os partidos políticos a indicação dos mesários, reti-
rando da Justiça Eleitoral que a exerce há meio século a prerrogativa de compor com
cidadãos as mesas de votação. Falar ao mesmo tempo em informatizar eleições e de
20 ferir aos partidos a escolha dos mesários é fazer pouco dos cidadãos e da consciência
política brasileira. Indicação de partidos equivale, na comparação do presidente do
TSE, a usar cabritos para tomar conta da horta.
Não há justificativa para o retrocesso eleitoral que ameaça, por dentro, a demo-
cracia no Brasil; nos últimos anos a Justiça Eleitoral vem estudando o aperfeiçoa-
25 mento das normas que regulam os pleitos, com o objetivo de reduzir a margem de
fraudes de difícil apuração e, sobretudo, com mínima punição. A comissão de juristas e
cientistas políticos, com o que de melhor existe no país, preparou um levantamento
completo e fez sugestões animadoras. O Congresso recebeu o material e desconversou.
Sabe-se agora, às vésperas da votação, que foi em vão: o desejo de oficializar a cor-
30 rupção tomou conta da cena política.
Fica difícil acreditar que, depois de tudo que se viu na última eleição (no Rio o
pleito para deputado estadual e federal foi anulado), seja considerada digna de debate
a proposta para que dinheiro grosso circule por baixo da lei, sem que o candidato ou o
doador tenham que declarar a quantia e a procedência. Ou seja: a eleição será uma
35 lavagem de dinheiro da contravenção, da sonegação e do narcotráfico. Pior, em nome
da democracia, que ficaria em débito.

(Editorial do Jornal do Brasil, setembro 1995.)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
7
118 EDITORA HE_EDUCA

a) Não matarás, diz a Bíblia.


820. Segundo o texto, o ponto alto da adoção de nor-
mas moralizadoras seria:
a) a votação de mais de uma Lei Eleitoral.
b) a informatização das eleições e da apuração.
c) a indicação dos mesários de forma aleatória.
d) a participação efetiva dos partidos na apuração.
e) a aprovação de diversas emendas constitucionais.

821. De acordo com o texto, o “ministro Carlos Vello-


so” (L. 15) acredita que a nova Lei se caracteriza por:
a) ser nociva à imagem dos políticos.
b) dotar o país de normas moralizadoras.
c) trombetear o oposto do indispensável.
d) atender às conveniências do casuísmo político.
e) extinguir a corrupção ocupada pela cena política.

822. Ao empregar, como crítica, a imagem “usar ca-


britos para tomar conta da horta” (L. 22), o edi-
torial traduz, na prática, a seguinte idéia:
a) corruptos podem reabilitar-se, desde que incen-
tivados.
b) os políticos precisam entender melhor os pro-
blemas eleitorais.
c) os homens mal-educados não podem ser toma-
dos como modelo.
d) os partidos políticos costumam prejudicar o que
já está organizado.
e) pessoas desonestas não devem ser escolhidas
para guarda de valores.

823. Os avanços e os velhos vícios na Legislação


Eleitoral são o tema do texto. A seqüência que
evidencia essa dicotomia é:
a) democracia no Brasil / retrocesso eleitoral.
b) eficiência conquistada / imagem desacreditada.
c) normas moralizadoras / desautorizações frontais.
d) respeito à lei eleitoral / oficialização da corrup-
ção.
e) informatização das eleições / deferimento aos
partidos da escolha dos mesários.

824. A frase que fecha o primeiro parágrafo do texto


tem, de toda evidência, um caráter do tipo:
a) critico e irônico.
b) político e alienado.
c) normativo e ferino.
d) imparcial e reacionário.
e) assustador e jornalístico.

825. A alternativa que apresenta erro quanto à acen-


tuação em um dos vocábulos é:
a) lápis - júri.
b) bônus - hífen.
c) ânsia - série.
d) raízes - amável.
e) Anhangabaú - bambú.

826. Alguns tempos do modo indicativo podem ser


utilizados com valor imperativo. Está neste caso
o verbo sublinhado na seguinte alternativa:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


11
8
119 EDITORA HE_EDUCA

b) Faça logo esse serviço!


c) Saiam logo depois do sinal.
d) Prestem atenção ao que foi dito.
e) Não desçam correndo a escada.

827.A frase em que há erro quanto ao emprego do


pronomes lhe é:
a) Nunca lhe diria mentira.
b) Ter-lhe-iam falado a meu respeito?
c) Louvemos-lhe, porque ele o merece.
d) De Fernando só lhe conhecia a fama.
e) Sei que não lhe agrada essa conversa.

828.Com relação ao adjetivo sublinhado, há erro


de concordância nominal em:
a) Estavam atrasados a irmã e o irmão.
b) A loja vendera carros e moto usadas.
c) Ele comprou mamões e mangas maduras.
d) As listas de preços seguiam anexas a esta
carta.
e) Os trabalhadores não quiseram fazer horas
extras.

829. A frase que apresenta erro quanto à conjuga-


ção do verbo é:
a) A Justiça Eleitoral compôs com cidadãos as
mesas de votação.
b) A Justiça Eleitoral comporia com cidadãos as
mesas de votação.
c) A Justiça Eleitoral compusera com cidadãos
as mesas de votação.
d) A Justiça se fará quando a Justiça Eleitoral
com- por com cidadãos as mesas de votação.
e) A Justiça se fará quando a Justiça Eleitoral
com- puser com cidadãos as mesas de
votação.

830. O “a” (sublinhado) que deverá levar o acento


gra- ve indicativo de crase está na seguinte
alternati- va:
a) Eles entregam “pizza” a domicílio.
b) O menino não quis ir a casa dos tios.
c) A encomenda foi entregue a uma pessoa
estra- nha.
d) As moças começaram a gritar logo no início
do filme.
e) O fiscal não se referia a candidatas, mas a
can- didatos.

831. A alternativa que não apresenta perfeita


concor- dância quanto à conversão da voz ativa
para pas- siva é:
a) Viram-me / Fui visto.
b) Vamos fazer a lição / A lição vai ser feita por
nós.
c) Abri o caderno / O caderno tem sido aberto
por mim.
d) Devemos preparar tudo / Tudo deve ser
prepara- do por nós.
e) Meu amigo fazia os trabalhos / Os trabalhos
eram feitos por meus amigos.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
11
9
120 EDITORA HE_EDUCA

832. O conectivo sublinhado estabelece uma ligação 837. A letra “i” está faltando no seguinte vocábulo:
mal feita (coesão inadequada), quanto ao senti- a) istmo d) caranguejo
do, em: b) leamos e) passeamos
a) Li este livro, mas não o entendi. c) passeata
b) Como chegou atrasado, proibiram-no de entrar.
c) Ainda que ele queira, ninguém o ajudará em suas 838. Segue a mesma regra de formação do plural de
tarefas. cidadão o seguinte substantivo:
d) Estudou muito pouco para o concurso, pois con- a) botão d) tabelião
seguiu passar. b) vulcão e) escrivão
e) Tudo terminará bem, desde que o chefe permita c) cristão
a saída de todos.
839. A grafia da palavra sublinhada está incorreta em:
833. A alternativa correta quanto à conjugação do verbo a) O deputado defendeu a descriminação da ma-
sublinhado é: conha.
a) A chegada do projeto detive os políticos. b) Sua ascensão à presidência da firma surpreen-
b) Os políticos desaviram-se por causa das emen- deu a todos.
das. c) Todos o julgavam, com razão, demasiadamente
c) A comissão de juristas antevira as sugestões pretensioso.
animadoras. d) Os deputados não queriam acabar com os pró-
d) A emenda contêm margem de fraudes de difícil prios previlégios.
apuração. e) A disputa entre os cônjuges só poderia ser re-
e) O ministro solicitou que o Congresso proposse solvida nos tribunais.
na decisão.
TRT – 17ª REGIÃO – ES
834. Há erro de concordância em relação ao verbo AUXILIAR JUDICIÁRIO-1990 (2º GRAU)
sublinhado em:
a) Grande parte dos jovens desaprovou o orador. 840. Assinale a letra em que aparecem sinônimos das
b) Fui eu que joguei o jornal para que ele o pegas- palavras sublinhadas na seguinte frase:
se. Na entrevista, o empresário ratificou as incongru-
c) Choviam reclamações de todos os lados do sa- ências do depoimento.
lão. a) retificou – coerências;
d) Ficaremos os alunos e eu à espera do sinal com- b) confirmou – improp riedades;
binado. c) rateou – congriedades;
e) Embora ninguém notasse, haviam vários erros d) reatou – inconveniências;
na tradução. e) reabilitou – desproporções.
835. A alternativa em que há erro no uso da vírgula é: 841. Nas frases abaixo, escreva (1) para sentido pró-
a) Fui à Faculdade, não o encontrei, porém. prio e (2) para sentido figurado.
b) Depois falaram, o professor, os pais, os alunos ( ) As casa são navios que, enquanto mergulha-
e o diretor. mos no sono, levantam âncora para a travessia
c) No dia 15 de novembro, feriado nacional, foi pro- da noite.
clamada a República. ( ) Em seus primórdios históricos,os meios de co-
d) Pelé, Ministro dos Esportes, está preocupado municação social apresentavam características
com a violência nos estádios. elitistas.
e) Chirac, que é Presidente da França, ainda não ( ) Nenhum homem pode assumir completamente a
suspendeu as experiências nucleares. sua modernidade, se primeiro não conhece a tra-
dição de seu passado.
836. Está correta a forma verbal grifada na seguinte ( ) A voracidade envenenou a alma dos homens, aper-
frase: tou o mundo num círculo de ódio e os obrigou a
a) Só poderemos opinar sobre o filme, se o ver- entrar a passos de gansos na miséria.
mos. ( ) Os mitos condensam experiências vividas repeti-
b) Os guardas intervieram na luta entre os assis- damente durante milênios, experiências típicas
tentes. pelas quais passaram e ainda passam os homens.
c) Os policiais mantiam os ladrões sob a mira dos
revólveres. A seqüência correta dos números nos parêntese é:
d) Nós passeiávamos diariamente pelas principais a) 1, 2, 2, 1, 2 d) 1, 1, 1, 2, 2
praças da cidade. b) 2, 1, 1, 2, 1 e) 2, 1, 2, 1, 2
e) Embora ele seje considerado inteligente rara- c) 2, 2, 2, 1, 1
mente faz boas provas.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
0
121 EDITORA HE_EDUCA

842. Assinale a frase que expressa as mesmas idéias 845. Leia o texto e assinale o item que apresenta cor-
apresentadas no trecho abaixo. reta divisão silábica.
Embora o lixo gerado pelo homem ameace engol- Atualmente, as plantas medicinais voltam a sus-
fá-lo, outras mudanças, menos drásticas mas igual- citar grande interesse, tanto na área dos profissi-
mente perigosas ao ambiente, são provocadas onais da saúde como na própria sociedade.
pelos esforços de produção de alimentos e explo- a) mui-to / su-sci-tar
ração de recursos naturais. b) saú-de / so-cie-da-de
a) Apesar de o homem estar sujeito a ameaçar o lixo c) me-di-ci-na-is / sa-ú-de
que ele mesmo fabrica, outras mudanças menos d) sus-ci-tar / me-di-ci-nais
decisivas mas igualmente perigosas ao ambiente, e) in-te-res-se / a-tual-men-te
são realizadas pelos esforços de produção de ali-
mentos e exploração de recursos naturais. 846. Assinale o item no qual os prefixos sublinhados
b) Porque o homem está empenhado em gerar mais não têm o mesmo sentido.
lixo do que o quantitativo atual, outras mudanças, a) carta anônima – homem incapaz
menos fortes mas igualmente perigosas ao ambien- b) hemisfério sul – raiz semimorta
te, são ocasionadas pelos esforços de produção de c) nuvem diáfana – película translúcida
alimentos e exploração de recursos naturais. d) rua paralela – autor contemporâneo
c) Conquanto o homem esteja ameaçado de sufo- e) perímetro urbano – área circunvizinha
car-se no lixo que ele próprio produz, outras mu-
danças, menos violentas mas que oferecem igual 847. Nas frases abaixo, escreva (1) para as formas ver-
perigo ao ambiente, são causadas pelos esforços bais corretas e (2) para as incorretas.
de produção de alimentos e exploração de recur- ( ) Nós vimos ontem do pantanal.
sos naturais. ( ) Vós rides de mim sem motivo.
d) Ainda que o homem esteja no auge da ameaça ( ) Mesmo assim tu me respondestes.
contra o lixo, outras mudanças, menos ativas mas ( ) Sempre requeiro os meus direitos.
igualmente perigosas ao ambiente, são promovi- ( ) Esteje pronto às vinte e duas horas.
das pelos esforços de produção de alimentos e
exploração de recursos naturais. A seqüência correta dos números nos parênteses é.
e) Como o homem encontra-se no apogeu da cam- a) 2, 2, 2, 1, 1 d) 1, 2, 2, 1, 2
panha contra a desintegração do lixo, outras mu- b) 1, 2, 1, 2, 1 e) 2, 1, 1, 2, 1
danças, menos eficazes mas igualmente perigo- c) 2, 1, 2, 1, 2
sas ao ambiente, são desencorajadas pelos es-
forços de produção de alimentos e exploração de 848. Assinale a frase que expressa a afirmativa verda-
recursos naturais. deira sobre os verbos do seguinte texto:
Sabíamos ser alegres, mas não tanto que ofen-
843. Assinale as palavras que preenchem, corretamen- dêssemos os tristes; e em nossa tristeza havia
te, as lacunas da seguinte frase: suavidade, porque éramos pacientes e compre-
A tua é sempre um na con- ensivos. Acreditávamos nos valores do espírito; e
quista de novas amizades. neles fundávamos a nossa grandeza é o nosso
a) indiscreção – impecilho; respeito. Mesmo quando não tínhamos muito, sa-
b) indiscrição – empecilho; bíamos partilhar o que tivéssemos.
c) indescrição – empecílio; a) Todos os verbos estão em formas nominais.
d) endiscrição – impercílio; b) Todos os verbos estão em tempo do pretérito do
e) endiscreção – empercilho. indicativo.
c) Há verbos em tempo do pretérito e do presente do
844. Assinale a frase em que as duas palavras subli- indicativo.
nhadas apresentam, respectivamente, o seguinte: d) Há verbos em tempo do pretérito e do presente do
- grafia incorreta subjuntivo.
- emprego incorreto quanto ao significado. e) Há verbos em formas nominais e formas flexiona-
a) O pretensioso senhor esbanjava vultosas quanti- das do tempo pretérito.
as em dólar.
b) Todos sabiam que o reflorescimento do matagal 849. Assinale a frase em que o pronome possessivo
era iminente. foi usado incorretamente.
c) Endossou as opiniões do amigo para expiar sua a) Vossa Senhoria trouxe seu discurso e os docu-
desconsideração. mentos indeferidos?
d) Promover a ascenção a altos cargos é a intensão b) Vossa Reverendíssima queira desculpar-me se
da nova diretoria. interrompo vosso trabalho.
e) Com exceção dos secretários, todos infringiram c) Voltando ao Vaticano, Sua Santidade falará a fiéis
as ordens do diretor. de várias nacionalidades
d) Informamos que Vossa Excelência e seus auxili-

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
1
122 EDITORA HE_EDUCA

ares conseguiram muitas adesões.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
2
123 EDITORA HE_EDUCA

e) Sua Excelência, o Sr. Ministro da Justiça, consi- 855. Assinale o período em que a oração sublinhada
derou a medida inconstitucional. indica a conseqüência do que foi declarado na
oração anterior.
850. Assinale a opção em que a palavra sublinhada a) Compareceram ao encontro, conforme haviam
está empregada incorretamente. combinado.
a) Durma cedo, senão acordará tarde amanhã. b) Esperamos o resultado dos exames, embora nos
b) Mal começou a chover, o barraco deslizou. pareça muito demorado.
c) Disse que há cinco anos ganhou na loteria. c) Falou mais alto, afim de que todos o ouvissem
d) Estava mau informado, por isso equivocou-se. melhor.
e) De hoje a dois meses pedirei novo empréstimo. d) As casas ficaram alagadas, porque a chuva foi
muito intensa.
851. Assinale a opção que completa, corretamente, as e) trabalha tanto, que não dispõe de tempo para o
lacunas das seguintes frases: lazer.
Neste carro dezesseis latas de tinta.
Poucos dias antes, ________ de três empre- 856. Assinale a opção que preenche corretamente as
gados. lacunas da seguinte frase:
Certamente, muitas reclamações na Um homem condenado ignorância é alguém
reunião. quem foi roubada uma parte do seu direito
Qual de vocês coragem para isto? vida.
a) couberam / precisava-se / haverá / tem; a) à – a – à d) a – à –à
b) coube / precisava-se / haverão / têm; b) a – à – a e) a – a –à
c) couberam / precisavam-se / haverão / tem; c) à – a – a
d) coube / precisa-se / haverá / têm;
e) couberam / precisavam-se / haverá / têm; 857. Assinale a frase em que o acento indicador da
crase foi usado incorretamente.
852. Quanto à concordância verbal escreva (1) nas ora- a) A obstinação à qual sacrificou a juventude não o
ções corretas e (2) nas incorretas. persegue mais.
( ) Aquele romance foi um dos que mais me agrada- b) Sentavam-se nas pedras do caminho à espera da
ram. comitiva do peão.
( ) Não se ouvia murmúrios no salão de festas. c) Na imaginação, porém, ele voltava àquele mundo
( ) Se não me engano, faz dois anos hoje que fui de sonho e fantasia.
contratado. d) Depois de refletir, dirigi-me, decididamente, à casa
( ) Durante a reunião, falou o diretor, o secretário e o do meu amigo.
motorista. e) Tenho certeza de que os documentos não fazem
( ) Que seria de nós se não fosse os amigos? referência à nada do que dizes.

A seqüência correta dos números nos parênteses é 858. Assinale a frase em que faltam vírgulas.
a) 1, 2, 1, 1, 2 d) 1, 1, 1, 2, 2 a) Quem sabe se os dois tinham uma receita de fe-
b) 1, 2, 2, 2, 1 e) 2, 2, 2, 1, 1 licidade?
c) 2, 1, 2, 2, 1 b) Seria inútil explicar-lhe que um celeiro de brejo
não tem preço.
853. Assinale a oração que apresenta regência nomi- c) Boa distração a gente sonhar construir castelos
nal incorreta. arquitetar episódios romances.
a) O tabagismo é prejudicial à saúde. d) As pessoas distantes atingiram essa altura deso-
b) Estava inclinado em aceitar o convite. lada em que papel e tinta nada significam.
c) Sempre foi muito tolerante com o irmão. e) A lembrança dele é grata aos que conheceram os
d) É lamentável sentir desprezo por alguém. últimos dias de glória dos teatros do interior.
e) Em referência ao assunto, prefiro nada dizer.
859. Assinale a frase em que a pontuação está incor-
854. Quanto à regência verbal, escreva (1) nas orações reta.
corretas e (2) nas incorretas. a) E ficou de olhos abertos, concentrado esperando,
( ) Logo que chegou, eu o ajudei como pude. que o dia nascesse e seus mortos, partissem.
( ) Preferia remar do que voar de asa delta. b) Tomado de surpresa, fico imóvel, e somos como
( ) Naquela época, eu não visava o cargo de diretor. um feliz, ainda que insólido, casal de namorados.
( ) Sem esperar, deparei com ela bem perto de mim. c) O escuro da garagem reteve-as por alguns mo-
( ) Nós tentamos convencê-lo que tudo era imaginação. mentos, até que a vencedora emergiu,vagarosa,
arquejante.
A seqüência correta dos números nos parênteses é: d) É bom que um homem, vez por outra, deixe o
a) 1, 1, 1, 2, 2 d) 1, 2, 2, 1, 2 litoral misterioso e grande, querendo contemplar
b) 2, 2, 2, 1, 1 e) 1, 2, 1, 2, 1 uma lagoa.
c) 2, 1, 1, 2, 1
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
12
3
124 EDITORA HE_EDUCA

e) Pegou o telefone, deu instruções à companhia, 861. ... “o homem criou, além do seu mundo natural,
acrescentando com meio desprezo: o que tem um mundo artificial, um mundo todo seu, uma se-
mais aqui é livro. gunda natureza, enfim”. O que provocou isto foi
sua:
PREFEITURA MUNICIPAL DE a) miserável contingência.
CONCEIÇÃO DE MACABU b) antinatural verticalidade.
TÉCNICO AGRÍCOLA / ABRIL DE 1995 – 2º GRAU c) repugnante degenerescência.
d) atual tendência à adiposidade
Texto 862.Segundo o texto, a segunda natureza do ho-
DECADÊNCIA E ESPLENDOR DA ESPÉCIE mem é a:
Não sei o que terá acontecido com a espécie a) transmissão da cultura;
humana. b) utilidade do mobiliário;
Esta ausência de pêlos... Para os outros c) variedade do vestuário;
mamíferos a nossa nudez pode parecer re- d) invenção dos utensílios.
5 pugnante como, para nós, a nudez dos ver-
863. O autor diz: “O homem, esse mascarado ...”
mes.
A alternativa que sintetiza, no texto, esta coloca-
E, depois, a nossa verticalidade é antina- ção é:
tural. Estas mãos pendendo, inúteis, são ri- a) ...“um mundo artificial, um mundo todo seu ...”
dículas como as dos cangurus sentados. b) “E, depois, a nossa verticalidade é antinatural.”
10 Se fôssemos veludos e quadrúpedes, ga- c) ...“escrevo sentado a esta mesa, à luz artificial
nharíamos muito em beleza e, sem a atual desta lâmpada.”
tendência à adiposidade, poderíamos ser d) “E, acontece que inventamos também o mobiliá-
quase tão belos como cavalos. rio, os utensílios”...
Felizmente, inventou-se a tempo o ves-
15 tuário, que, pela variedade e beleza (a par 864. A norma culta da língua dá uma classificação para
pêlos/pelos. Esta classificação também é aceita
de sua utilidade em vista do fatal desabrigo em
para:
que ficamos), redime um pouco esta a) emigrar / imigrar;
degenerescência. b) apreçar / apressar;
E acontece que inventamos também o c) despensa / dispensa;
20 mobiliário, os utensílios: no caso vigente, esta d) cavaleiro / cavalheiro.
cadeira em que escrevo sentado a esta mesa,
à luz artificial desta lâmpada. 865. A acentuação da palavra “degenerescência” (L. 18)
E ainda este ato de escrever, isto é, de segue a mesma regra de acentuação da seguinte
expressar-me por meio de sinais gráficos, palavra:
25 é mais uma prova da nossa artificialidade. a) poderíamos; c) gráfico;
Mas quem foi que disse que eu estou b) espécie; d) pêlos.
amesquinhando a espécie? Quero apenas
866. “Se fôssemos veludos e quadrúpedes, ganharía-
significar que, em face das suas miseráveis
mos muito em beleza ...” (L. 10 e 11)
contingências, o homem criou, além do
O período que passa a mesma idéia é:
30 mundo natural, um mundo artificial, um mundo
a) Embora fôssemos veludos e quadrúpedes, ganha-
todo seu, uma segunda natureza, enfim.
ríamos muito em beleza.
O homem, esse mascarado ... b) Para que fôssemos veludos e quadrúpedes, ga-
nharíamos muito em beleza.
(Mário Quintana. Caderno H, Porto Alegre, Globo, c) Enquanto fôssemos veludos e quadrúpedes, ga-
1977.) nharíamos muito em beleza.
d) Contanto que fôssemos veludos e quadrúpedes,
860. A alternativa que mostra o homem como um ani- ganharíamos muito em beleza.
mal especial é a:
a) “ausência de pêlos” (L. 3), a “nudez” como a “dos 867. “Não sei o que terá acontecido com a espécie
vermes” (L. 4) humana” (L. 1)
b) inutilidade das mãos, tal “como as dos cangurus”
(L. 9) O tempo verbal grifado no período acima expres-
sa o fato como:
c) “variedade e beleza” do vestuário por ele inventa-
a) ordem atenuada;
do (L. 15)
b) verdade universal;
d) comunicação e expressão “por meio de sinais grá-
c) possibilidade no passado;
ficos” (L. 24)
d) tomado como certo posteriormente.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
12
4
125 EDITORA HE_EDUCA

868. “Não sei o que terá acontecido com a espécie 869. “E ainda este ato de escrever, isto é, de expres-
humana” (L. 1) sar-me por meio de sinais gráficos, é mais uma
prova da nossa artificialidade”.
No período acima a oração grifada tem como Neste trecho, os termos sublinhados são reco-
sujeito: nhecidos, respectivamente, como:
a) eu; a) pronome demonstrativo / pronome demonstrativo /
b) que; conjunção.
c) a espécie; b) pronome possessivo / pronome relativo / conjunção.
d) com a espécie humana. c) pronome demonstrativo / pronome pessoal / ad-
vérbio.
d) pronome possessivo / pronome pessoal / advérbio.

PREFEITURA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS


ASSESSOR ADMINISTRATIVO - JUNHO DE 1995 – 2º GRAU
Texto
VOCAÇÕES
Todos diziam que a Leninha, quando crescesse, ia ser médica. Passava horas brincando de
médico com as bonecas. Só que, ao contrário de outras crianças, quando largou as bonecas não
perdeu a mania. A primeira vez que tocou no rosto do namorado foi para ver se estava com febre.
Só na segunda é que foi carinho. Ia porque ia ser médica. Só tinha uma coisa. Não podia ver
5 sangue.
“Mas, Leninha, como é que . . .”
“Deixa, que eu me arranjo.”
Não é que ela tivesse nojo de sangue. Desmaiava. Não podia ver carne malpassada. Ou
ketchup. Um arranhãozinho era o bastante para derrubá-la. Se o arranhão fosse em outra pessoa
10 ela corria para socorrê-la – era o instinto médico –, mas botava o curativo com o rosto virado.
“Acertei ? Acertei ?”
“Acertou o joelho. Só que é na outra perna !”
Mas fez o vestibular para a medicina, passou e preparou-se para começar o curso.
“E as aulas de Anatomia, Leninha? Os cadáveres ?”
15 “Deixa que eu me arranjo.”
Fez um trato com a Olga, colega desde o secundário. Quando abrissem um cadáver, fecharia
os olhos. A Olga descreveria tudo para ela.
“Agora estão tirando o fígado. Tem uma cor meio ...”
“Por favor. Sem detalhes.”
20 Conseguiu fazer todo o curso de medicina sem ver uma gota de sangue. Houve momentos
em que precisou explicar os olhos fechados.
“É concentração, professor.”
Mas se formou. Hoje é médica, de sucesso. Não na cirurgia, claro. Se bem que chegou a
pensar em convidar a Olga para fazerem uma dupla cirúrgica, ela operando com o rosto virado e
25 a Olga dando as coordenadas.
“Mais para à esquerda... Aí. Agora corta !”
Está feliz. Inclusive se casou, pois encontrou uma alma gêmea. Foi num aeroporto. No bar
onde foi tomar um cafezinho enquanto esperava a chamada para o embarque puxou conversa com
um homem que parecia muito nervoso.
30 “Algum problema?” – perguntou, pronta para medicá-lo.
“Não” – tentou sorrir o homem. “É o avião...”
“Você tem medo de voar?”
“Pavor. Sempre tive.”
“Então por que voa?”
35 “Na minha profissão é preciso”
“Qual é a sua profissão?”
“Piloto.”
Casaram-se uma semana depois.
(Luís Fernando Veríssimo)
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
12
5
126 EDITORA HE_EDUCA

870. O par de palavras que serve para caracterizar Le- 877. Leninha, como médica, não deve entender de:
ninha é: a) pneumonia d) filologia
a) dedicada / fútil b) paraplegia e) epilepsia
b) frívola / piedosa c) hemofilia
c) violenta / ansiosa
d) ingênua / revoltada 878. O texto, com o final feliz de Leninha, prova que,
e) consciente / solidária no fundo, a vida dela constituiu-se de:
a) certezas; d) dúvidas;
871. Leninha difere dos outros médicos por não pos- b) tristezas; e) angústias.
suir: c) virtudes;
a) frieza; d) descontrole;
b) destreza; e) complacência; 879. Nas passagens do texto listadas abaixo, a iden-
c) inteligência; tificação do falante, está correta em:
a) “Mas Leninha, como é que . . .” - (L. 6) - namora-
872. Apesar dos problemas que Leninha apresentava, do de Leninha.
pode-se afirmar que, realmente, a medicina era a b) “Acertou o joelho. Só que é na outra perna!” -
sua prioridade. Isto pode ser confirmado quando: (L. 12) - Leninha.
a) despreocupa-se com os cadáveres, dizendo que c) “Por favor. Sem detalhes” - (L. 19) - professor.
se arranjaria. d) “Mais para a esquerda ... Aí. Agora corta!” -
b) corre para socorrer uma pessoa apenas arranhada. (L. 26) – Olga.
c) toca no rosto do namorado para ver se tem febre. e) “Qual é a sua profissão?” - (L 36) - homem do bar,
d) sabe que qualquer arranhãozinho a derrubava. futuro marido de Leninha.
e) pensa em fazer dupla cirúrgica com Olga.
880. O vocábulo um/uma pertence à mesma classe
873. Na situação em que Leninha se encontrava, a de palavras no seguinte par:
explicação para os olhos fechados pareceu: a) Um arranhãozinho (L. 9) / um cafezinho (L. 28);
a) inútil, pois o professor já percebera tudo; b) Fez um trato (L. 16) / Só tinha uma coisa (L. 4);
b) infrutífera, pois ficaria sem solução o problema; c) uma alma gêmea (L. 27) / uma semana depois
c) deboche, a fim de se mostrar para Olga e a (L. 38);
turma; d) um cafezinho (L. 28) / uma semana depois (L. 38);
d) proveitosa, porque assim deixaria de assistir à aula; e) um homem (L. 29) / Só tinha uma coisa (L. 4).
e) revolta, por desconhecer o que estava sendo ex-
plicado. 881. Os parônimos abaixo foram empregados correta-
mente em:
874. “Carne malpassada / /ketchup/ arranhão /cadáve- a) Tome acento na sala / Use este assento na palavra
res”. Esta série de palavras, em relação à Leni- b) Usa de descrição em suas perguntas / Discreva-
nha pode ser traduzida como: me sua casa.
a) temor exagerado; c) O fuzível do assassino é importado / Este fuzil
b) perda da consciência; não agüenta a carga.
c) descontrole emocional; d) É bom imergir logo daí / Vai emergir a uma pro-
d) materialização dos temores; fundidade pequena.
e) valorização dos dados emocionais. e) É um motivo justo de um incipiente / Só um insi-
piente usaria tal argumento.
875. Na vida acadêmica de Leninha, o papel de Olga
foi ser: 882. Por causa do uso do cachimbo parecia um alei-
a) simples coadjuvante; jado.
b) apenas porta-voz das ocorrências; A função sintática da palavra sublinhada no perío-
c) de grande importância como orientadora; do acima é:
d) portadora dos sentidos que a amiga se negava a a) complemento nominal
usar; b) adjunto adnominal
e) assessora dos mestres, acrescentando o neces- c) adjunto adverbial
sário para ajudá-la. d) objeto indireto
e) sujeito
876. No campo conotativo do comportamento de Leni-
nha, o inaceitável é: 883. A alternativa em que há erro na análise mórfica
a) o despistamento na aula; do elemento sublinhado é:
b) a visão da gota de sangue; a) sentávamos (desinência modo-temporal)
c) o encontro do aeroporto; b) partiam (desinência número-pessoal)
d) o homem muito nervoso; c) cafeteira (consoante de ligação)
e) o trato feito com Olga. d) cantos (desinência de número)
e) gasômetro (vogal temática)
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
12
6
127 EDITORA HE_EDUCA

884. O emprego da crase é desnecessário em: 887. O mapa-múndi ficará exposto na sala. A palavra
a) Seu descuido foi atribuído a fadiga que o acom- que faz o plural da mesma forma que o substan-
panha nesta excursão. tivo composto da frase é:
b) Era favorável as pesquisas de campo feitas pela a) A salve-rainha é sua oração preferida.
universidade. b) O banho-maria cozinhará os legumes.
c) Ficou bom tempo a espera de recursos para sua c) Por pouco-caso isto não irá adiante.
empresa. d) Este bem-te-vi é de difícil trato.
d) Perguntei a Sua Alteza quando abdicaria do trono. e) Com guarda-chuva não sairei.
e) Fará um filme a moda de Carlitos.
888. A concordância verbal que a norma culta da lín-
885. A palavra que não apresenta mudança de vogal gua não aceita está na seguinte frase:
tônica na formação de seu plural é: a) As Minas Gerais geram conflitos.
a) osso; b) Mais de um político foi escolhido.
b) tijolo; c) Deu seis horas no relógio da sala.
c) bolso; d) Faz muitos meses que ela viajou.
d) posto; e) Fui eu quem sentiu a dúvida.
e) miolo.
889. Em: Decidi que não seria justo que o resultado
886. A palavra sublinhada está incorretamente usa- saísse hoje, as orações subordinadas substanti-
da em: vas do período são, respectivamente, classifica-
a) É evidente, sabemos por que ele falou. das como:
b) Deixou o time porquê perdeu o jogo. a) completiva nominal / predicativa.
c) Decida-se porque o ano vai acabar. b) objetiva indireta / objetiva direta.
d) Por que razão ela se alegrou tanto? c) subjetiva / completiva nominal.
e) Não me disse o porquê do filme. d) predicativa / objetiva indireta.
e) objetiva direta / subjetiva.

TRE / RJ - AGENTE DE SEGURANÇA JUDICIÁRIA


NOVEMBRO DE 1995 – 2º GRAU

Texto
HISTÓRIA DO RIO DE JANEIRO
(Fragmento)
Stanislaw Ponte Preta
A coisa começou no século XVI, pouco depois que Pedro Álvares Cabral, rapaz
que estava fugindo da calmaria, encontrou a confusão, isto é, encontrou o
Brasil. Até aí não havia Rio de Janeiro.
Depois em 1512 – segundo o testemunho ocular de Brício de Abreu –
5 rapazes lusitanos que estavam esquiando fora da Barra, descobriram uma
baía muito bonita e, distraídos que estavam, não perceberam que era baía.
Pensaram que era um rio e, como fosse janeiro, apelidaram a baía de Rio de
Janeiro. Eis, portanto, que o Rio já começou errado.
Passaram-se os anos, os portugueses não deram muita bola pra desco-
10 berta, e vieram uns franceses intrusos e se alojaram na baía. Foi então que os
portugueses abriram os olhos e, ao mesmo tempo, abriram fogo contra o invasor,
chefiados por um destemido cavalheiro que atendia pelo nome de Estácio de Sá
(onde mais tarde se fundaria a primeira escola de samba, mas isso foi depois).
Estácio era sobrinho de Mem de Sá, ex-governador geral e
15 primo de Salvador de Sá, que mais tarde viria a governar a cidade. É interes- sante
notar que, muito tempo depois, quem descer pela Rua Mem de Sá, vai dar na
Rua Salvador de Sá que, por sua vez, passa pelo Largo do Estácio, também de
Sá.
Quando os comandados de Estácio de Sá iniciaram a batalha contra os
20 franceses, a coisa foi dura e só se resolveu numa derradeira batalha travada na
Praia de Uruçumirim. Para vencer tiveram de suar a camisa e é por isso que,
mais tarde, a Praia de Uruçumirim ficou sendo a Praia do Flamengo, o

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
7
128 EDITORA HE_EDUCA

célebre Flamengo que, por tradição, sua a camisa até hoje. Isso aconteceu aí pelo
ano de 1567 e estava fundada a cidade do Rio de Janeiro, a mesma que
25 viria a ser, em 1763, capital do vice-reinado, e depois capital da República dos
Estados Unidos do Brasil.
A cidade foi construída sobre alagadiços e a brava gente, que a cons- truiu,
secou tão bem os alagadiços que até hoje está faltando água. Quando, em
1763, foi considerada capital do vice-reinado, a cidade tinha somente 30
30 mil habitantes natos e mais, naturalmente, o Brício de Abreu, que não nasceu
aqui, mas em Paris, de onde veio ainda pequenino no vapor “Provence”.
Daí por diante o Rio de Janeiro foi crescendo, foi crescendo, foi crescen- do
e ... pimba! estourou. E, como tudo que estoura, abriu buraco pra todo o lado.

890. Segundo o texto, o Rio de Janeiro já “começou 894. De acordo com o texto, o Rio de Janeiro tem “bu-
errado” (L. 8), devido ao seguinte fato: raco pra todo lado”. A razão desse fato é que:
a) Os franceses não souberam manter a cidade sob a) a cidade cresceu, cresceu, cresceu e estourou.
seu domínio. b) a água existente nos alagadiços ainda é procurada.
b) Desde o início os portugueses não queriam colo- c) a culpa é dos alagados onde a cidade foi construída.
nizar o Brasil. d) a batalha ocorrida na praia de Uruçumirim provo-
c) Os “rapazes lusitanos” vieram ao país para prati- cou essa situação.
car esportes aquáticos. e) as obras para preparar a fundação da cidade, em
d) O nome da cidade se originou de um engano na 1567, geraram esse problema.
classificação do acidente geográfico.
e) Pedro Álvares Cabral queria descobrir minas de 895. Várias relações são estabelecidas no texto, isto
ouro e prata e não acidentes geográficos. é, certas palavras estão associadas a outras de
um modo evidente. A relação que o texto não
891. O autor se refere ao cavalheiro Estácio de Sá comprova é:
como: a) Salvador de Sá - governo da cidade.
a) visitante nada corajoso, que combateu os portu- b) Praia do Flamengo - clube Flamengo.
gueses. c) Praia de Uruçumirim - Praia do Flamengo.
b) fundador da primeira escola de samba com seus d) Estácio de Sá - comandante dos franceses.
comandados. e) Largo Estácio de Sá - fundação da 1ª escola de
c) fugitivo, junto aos portugueses, que eram esper- samba.
tos e lutadores.
d) Governador Geral, primo de Mem de Sá e sobri- 896. No seu sentido figurado, a expressão “suar a ca-
nho de Salvador de Sá. misa” (L. 21) exprime a seguinte idéia:
e) chefe dos portugueses que, suando a camisa, a) valorizar o trabalho e não o lazer.
venceram os franceses. b) transpirar muito durante o trabalho.
c) obter algo à custa de grande esforço.
892. A expressão “testemunho ocular” (L. 4), indica o d) criar dificuldades na obtenção de prêmios.
depoimento ou a declaração de alguém que: e) enfatizar o valor ético das atividades esportivas.
a) estudou bastante a História do Brasil.
b) resolveu participar da exploração das terras bra- 897. A alternativa que apresenta erro quanto à acen-
sileiras. tuação gráfica, em um dos vocábulos, é:
c) observou o episódio descrito no texto com os pró- a) céu - jóia.
prios olhos. b) juíz - país.
d) espreitava as crueldades praticadas pelos inva- c) abençôo - vôo.
sores estrangeiros. d) ótimo - máximo.
e) pesquisou tudo o que foi escrito sobre os primei- e) também - parabéns.
ros portugueses no país.
898. A concordância do verbo sublinhado está incor-
893. Pela leitura do texto, conclui-se que a cidade do reta em:
Rio de Janeiro foi fundada quando: a) Amanhã eu e você iremos ao Maracanã.
a) os franceses se alojaram na baía. b) O rapaz era um dos que mais reclamavam.
b) os lusitanos esquiavam fora da Barra, em 1512. c) Houve muitas dúvidas sobre aquela questão.
c) a calmaria e a confusão afugentaram Cabral. d) Falta cinco minutos para o começo da prova.
d) os portugueses venceram os invasores franceses. e) Mais de um candidato tinha chance de obter o
e) os portugueses abriram os olhos para as adver- emprego.
tências de Estácio de Sá.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
8
129 EDITORA HE_EDUCA

899. Das frases abaixo, a que apresenta os dois ver- e) Bernardo já fez os deveres / Os deveres já foram
bos empregados corretamente é: feitos por Bernardo.
a) Se ele pôr o curativo, ficará bom.
b) Se eu vir João, entregar-lhe-ei o cheque. 906. Há erro no emprego do acento grave indicativo da
c) Se Pedra ir pela sombra, não ficará suado. crase no a (sublinhado) da seguinte frase:
d) Se você manter a palavra, seu filho o respeitará. a) Nas férias irei à Portugal.
e) Se o médico vir hoje ao consultório, entregue os b) O carro se dirigia à Tijuca.
exames. c) Eles só vão à missa aos domingos.
d) Depois fizeram referência à filha do vizinho.
900. Em relação à flexão verbal, há erro na forma su- e) Graças à ajuda de todos, ela conseguiu superar a
blinhada na seguinte alternativa: crise.
a) Quem quiser poderá concorrer.
b) Eu não poderia fazer mais nada. 907. Em relação à colocação do pronome oblíquo, a
c) Se eles forem ao cinema, me chamarão. alternativa correta, segundo a norma culta, é:
d) Até prova em contrário, eles crêm em tudo. a) Colocarei-te na primeira fila.
e) Os candidatos trouxeram os documentos neces- b) Os alunos não viram-no, ainda.
sários para a inscrição. c) O resultado do exame agradou-me.
d) Ninguém deu-me notícias da operação do João.
901. A alternativa que apresenta erro em relação à e) Quem visitou-me quando eu estava dormindo?
regência verbal é:
a) Filhos, nós amamos-lhes muito. 908. Há erro na flexão do plural do seguinte subs-
b) Nós aspiramos a um bom cargo. tantivo:
c) Eu lhe darei toda minha herança. a) vulcões d) toca-discos
d) Faz três anos que não vejo você. b) revólveres e) pés-de-moleques
e) Ontem, assistimos a um belo espetáculo. c) corrimãos

902. A grafia da palavra sublinhada esta incorreta em: 909. De acordo com as normas de pontuação, a alter-
a) O time jogou mal no primeiro tempo. nativa que apresenta erro é:
b) Ele não tem jeito para essa profissão. a) Durante a viagem, dormi o tempo todo.
c) Temos de analisar a nova política salarial. b) Fui ao banco, mas não pude sacar dinheiro.
d) O pai estava preucupado com a conduta do filho. c) Fumar, é proibido em qualquer lugar da escola.
e) Hoje não haverá sessão na Assembléia Legislativa. d) Verifiquei, então, que não iria concluir o trabalho.
e) Tiradentes, o Mártir da Independência, morreu em
903. A alternativa que está em desacordo com a nor- 1792.
ma culta, em relação à concordância nominal, é:
a) As concordâncias verbal e nominal já estão in- BANCO CENTRAL DO BRASIL
clusas no programa. CARREIRA TÉCNICA
b) A Manchete publicará duas edições extras sobre
o carnaval. MAIO DE 1994 – 3º GRAU
c) Não estava registrada na agenda sua viagem.
d) As candidatas chegaram juntas ao trabalho. Texto:
e) O professor enviou anexo a pauta final. O Imposto Provisório sobre Movimentação Finan-
ceira (IPMF), com alíquota de 0,25%, já está sendo
904. “Os jogadores da seleção brasileira fizeram um cobrado novamente. Mesmo os cheques emitidos an-
treino tático ontem.” tes de 1º de janeiro, mas ainda não compensados,
Se na frase acima a palavra ontem for substituída estão sujeitos ao IPMF. A Receita espera recolher com
pela expressão na próxima semana, a forma ver- o tributo pelo menos US$ 5 bilhões em 1994. Até a
bal correta será: economia informal será alcançada pelo imposto, por-
a) faria. d) têm feito.
que o dinheiro acaba entrando na rede bancária.
b) farão. e) tinham feito.
c) fazerem. O Secretário da Receita Federal, Osíris Lopes
Filho, quer usar o IPMF para aperfeiçoar o combate à
905. A alternativa que apresenta erro quanto à conver- sonegação. Mas reconhece que, por ser uma experi-
são da voz ativa para a passiva é: ência completamente nova, poderão surgir problemas
a) Condenaram-me / Fui condenado. nas cobranças e no aproveitamento das informações
b) Li o jornal / O jornal tem sido lido por mim. para fechar o cerco aos sonegadores:
c) Fizemos as compras / As compras foram feitas - É preciso tempo para identificarmos os proble-
por nós. mas na cobrança do Imposto e resolvê-los.
d) Papai consertou o relógio / O relógio foi conserta- (Adaptado de O Globo, 02/01/1994)
do por papai.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


12
9
130 EDITORA HE_EDUCA

executivos também devem ser tributadas.


910. Assinale a opção que classifica corretamente cada
uma das afirmações acerca do texto como VER-
DADEIRA (V) ou FALSA (F):
I - A Receita espere arrecadar um total de US$ 5
bilhões em 1994.
II - Quaisquer cheques descontados depois de 1º de
janeiro estão sujeitos ao IPMF.
III - Os cheques emitidos para pagamento de transa-
ções informais serão tributados em 0,25%
IV - As pessoas que passaram cheques antes do dia
1º de janeiro receberão uma compensação.
V - O dinheiro que entra na rede bancária é proveni-
ente da economia informal.
a) F – V – V – V – F d) F–F–F–V–V
b) V – F – F – V – F e) V–V–V–F–V
c) F – V – V – F – F

911. Qual a afirmação que NÃO encerra uma idéia


contida no texto?
a) O IPMF foi criado para combater a sonegação.
b) A identificação dos problemas decorrentes da co-
brança do IPMF é uma tarefa que demanda tempo.
c) Poderão ocorrer problemas na cobrança do IPMF
devido à inexperiência dos funcionários da Recei-
ta com este tipo de imposto.
d) O Secretário da Receita Federal acredita que o
IPMF ajudará a evitar a sonegação.
e) As informações relativas à cobrança do IPMF se-
rão usadas para a identificação dos sonegadores.

912. Assinale a opção que indica a ordem apropriada


para que os períodos abaixo formem um parágra-
fo coerente.
I - Seguro-desemprego, depósitos em poupança com
rendimentos trimestrais e saques do FGTS tam-
bém estão isentos.
II - O mesmo ocorrerá com os assalariados que ga-
nham até dez salários mínimos.
III - Para facilitar a cobrança, o governo procurou res-
tringir as isenções.
IV - No caso dos aposentados, a Previdência deposi-
tará os benefícios com um adicional equivalente
ao que será descontado na hora do saque.
a) III - I - II - IV. d) I - IV - II - III.
b) IV - II - III - I. e) IV - I - II -III.
c) III - IV - II - I.

913. Assinale a única opção em que NÃO há erro de


ortografia.
a) A fiscalização do IPMF é um desafio para a Re-
ceita, pois os contribuintes ainda não se consci-
entizaram de que o tributo é inevitável.
b) Osíris Lopes Filho admite que os bancos encon-
trarão muitas dificuldades.
c) A entidade filantrópica que quizer ter direito à isen-
ção deverá preencher certos requisitos.
d) Nenhuma aplicação financeira receberá conces-
são especial quanto ao pagamento do Imposto,
com exceção da poupança trimestral.
e) Para a Receita Federal, vantagens concedidas a

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


13
0
131 EDITORA HE_EDUCA

914. Selecione a opção cujas palavras preenchem Há uma aplicação financeira que permite ao
de forma correta as lacunas do parágrafo contribuinte não pagar o IPMF basta ele colocar
abaixo. o seu dinheiro na caderneta de poupança trimestral.
muitos meses do término da cobrança do a) Tem – pôr – o seu capital
im- posto - em 31 de dezembro de 1994, ainda b) Surgiu – inserir – a sua grana
exis- tem algumas providências serem
tomadas. Os técnicos preparam, alguns
meses, uma ins- trução normativa para obrigar
as entidades filan- trópicas se identificarem
junto Receita.
a) Há – à – a – à – à;
b) A – há – há – à – a
c) A – à – há – à – à
d) A – a – há – a – à
e) Há – a – à – a – à

915. Assinale a opção que NÃO apresenta erro


grama- tical:
a) Se houverem muitos endossos em um
mesmo cheque, este não será aceito pelos
bancos.
b) Caso uma empresa esteje trabalhando com
im- pressão de livros e jornais, ela poderá ter
isenção do IPMF
c) Se o Secretário da Receita Federal propor
novas medidas de combate à sonegação, elas
terão de ser amplamente divulgadas.
d) As empresas também pagarão IPMF, a
menos que trabalhem com impressão de livros
e jornais.
e) Caso o dinheiro ficar depositado três meses
na poupança, haverá um adicional de 0,25%.

916. Indique a afirmação que NÃO tem o mesmo


sen- tido das demais:
a) A troca de mercadorias, em vez de compra e
ven- da, pode ser uma solução para evitar o
IPMF, já que qualquer pagamento em dinheiro
acaba en- trando no sistema financeiro.
b) Uma solução para evitar o IPMF pode ser a
troca de mercadorias, ao invés de compra e
venda, uma vez que qualquer pagamento em
dinheiro acaba entrando no sistema financeiro.
c) Uma solução para evitar o IPMF pode ser a
troca de mercadorias, em vez de compra e
venda, por- que qualquer pagamento em
dinheiro acaba en- trando no sistema
financeiro.
d) Como qualquer pagamento em dinheiro
acaba entrando no sistema financeiro, a troca
de merca- dorias, em vez de compra e venda,
pode ser uma solução para evitar o IPMF.
e) Desde que qualquer pagamento em dinheiro
aca- be entrando no sistema financeiro, a
troca de mercadorias, em vez de compra e
venda, pode ser uma solução para evitar o
IPMF.

917. Indique a opção cujas palavras substituem


ade- quadamente as grifadas, tanto em termos
de sen- tido quanto de estilo.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
13
1
132 EDITORA HE_EDUCA

c) Existe – pôr - o seu capital e) A nova regulamentação traz vantagens Porque


d) Tem – botar – o seu investimento aproveita 10% das mais de 500 contribuições re-
e) Tem – inserir – o seu investimento cebidas nos três meses de audiência pública.

918. Indique a única afirmação que apresenta coerên- 919. Assinale o grupo de palavras que completa ade-
cia e correção gramatical. quadamente as lacunas do período,
a) Este ano, a Receita Federal, empenhada em com-
bater a sonegação, tem uma boa notícia, diante Os contribuintes aos quais fazer transfe-
de tantas cobranças novas e ameaças velhas, para rências de suas contas para as de outros, devem
os consumidores que não se furtam a pagar aqui- preferir, nessas oportunidades, contas conjuntas
lo que devem. individuais. Tais operações, aludi-
b) O Presidente Itamar Franco assina, ainda esta mos aqui, são realizadas através de documento
semana, a nova regulamentação do Imposto de preparação é específica.
Renda simplifica a vida de todos.
c) Apesar de ainda ter 1042 artigos, a nova regula- a) convêm – que – que – de cuja.
mentação consolida com bom aproveitamento das b) convêm – do que – em que – a cuja.
contribuições recebidas, as milhares de normas c) convem – do que – que – em cuja.
e portarias existente. d) convém – a – que – cuja.
d) Tendo sido elaborado em 1980, o último regula- e) convém – a – a que – cuja.
mento relativo ao Imposto de Renda é muito anti-
go, onde está a ponto de ficar obsoleto.

TRE / RJ - ANALISTA DE SUPORTE


NOVEMBRO DE 1995 – 3º GRAU
Texto
VERGONHA
Será que a gente somos corrupto? De nascença? Por natureza? Alguma coisa na
água, ou no leite da mãe? Em Paris nos aconselhavam a não dizer que éramos brésiliens,
pegava mal. Lá é quase sinônimo de travesti. Devíamos dizer du Brésil – para não
acabar dizendo “brasileiros, mas no bom sentido”. Nos Estados Unidos, o Brasil é o
5 Grande Caloteiro. No cinema americano, é tradicionalmente para o Brasil que vêm os
bandidos, pelo menos os que conseguem escapar com a grana. Muito do nosso folclore
é baseado no autodesprezo: somos a terra do malandro, do indolente, do encostado.
Somos, paradoxalmente, a raça do jeito pra tudo e a raça que não tem jeito mesmo.
Existiria, no brasileiro, uma falha estrutural que frustraria todas as tentativas de reformá-
10 lo. Uma maldição mais forte que o remorso, mais forte, até, do que a informatização
Os computadores, feitos para evitar o contágio da esperteza humana, da esperteza da
caneta e do papel carbono, sucumbiriam à maldição assim que um dedo brasileiro os
tocasse Misteriosamente, só pelo convívio. Todas as nossas tentativas de regenera-
ção acabariam na frase terrível, no epíteto fatal: sabe como é brasileiro . . .
15 Ou então há uma certa faceirice na nossa autocondenação Uma certa gabolice.
Não somos menos morais do que outros povos mas gostamos de dizer que somos. Tem
algo a ver com o nosso tamanho. Nosso mar de lama não é maior que outros, a exten-
são da nossa costa é que nos dá delírios de baixeza. Nossa alma amazônica não se
satisfaz com pequenas falcatruas, queremos pororocas de sujeira, dilúvios de canalhi-
20 ce. O rombo é de trilhões ! O escândalo da Previdência seria apenas mais uma prova
de que não temos jeito mesmo. Mas o escândalo da Previdência é antigo, é um escân-
dalo institucionalizado, é o escândalo do descaso histórico do Estado com o cidadão no
Brasil, da classe dominante com a classe ludibriada. Todas as sociedades deste lado
do mundo são, de um jeito ou de outro, cleptocracias, construídas pelos mais espertos.
25 Nas que deram certo o proveito deste pioneirismo dos canalhas foi distribuído, nas que
continuam dando errado só uma minoria aproveita seus próprios crimes, enquanto con-
vence a maioria de que seu caráter é que a derrota. Resolvida a atual crise no sistema
– ou, o que é mais provável, não resolvida a crise mas terminado o barulho – continuará
o escândalo maior. Vergonhosas não são as listas de benefícios adulteradas, são as
listas que estão certas.
(LUIS FERNANDO VERÍSSIMO – “Comédias da Vida Pública”- p. 240/241.)
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
13
2
133 EDITORA HE_EDUCA

920. Segundo o texto, a frase que apresenta (ao con- 925. Das alternativas abaixo, a que apresenta a forma
trário das outras) um aspecto aparentemente po- “por que” – preposição + pronome relativo – em-
sitivo em relação ao homem brasileiro é: pregada corretamente é:
a) “ ... somos a terra do malandro, do indolente, do a) Por quê você vai sair ?
encostado ... (L. 7) b) Ele saiu por que teve necessidade.
b) “... Somos, paradoxalmente, a raça do jeito pra c) A causa por que lutamos é inglória.
tudo ...” (L. 8) d) Diga-me o por que desse problema.
c) “... Os computadores [...] sucumbiriam à maldi- e) Preciso ir ao banco por que não tenho dinheiro.
ção assim que um dedo brasileiro os tocasse ...”
(L. 11/13) 926. Há erro no emprego do acento grave indicativo da
d) “ ... sabe como é brasileiro ...” (L. 14) crase na palavra sublinhada em:
e) “ ... O escândalo da Previdência seria apenas mais a) Graças à professora, todos sabiam escrever bem.
uma prova de que não temos jeito mesmo ...” b) Parece que todos nós vamos à Copacabana.
(L. 20/21) c) Em seguida, o orador fez alusão àquele pedido.
d) Os funcionários se referiam à decisão do diretor.
921. Segundo o texto, a maldição que faz malograr to- e) Não queremos ir àquela reunião do clube.
das as tentativas de recuperação do brasileiro é
devida, fundamentalmente: 927. A frase em que a colocação do pronome está de
a) à sua raça inferior acordo com a tradição gramatical é:
b) a uma falha de sua estrutura a) Tu não ajudas-me.
c) ao seu folclórico autodesprezo b) Não vê-lo-ei mais.
d) à esperteza da natureza humana c) Eu amarei-te sempre.
e) ao convívio com os modernos computadores d) Hoje, não te aguardarei.
e) Dada-me a solução poderemos sair.
922. Veríssimo usa várias imagens (substantivos e/ou
adjetivos) que indicam “grande quantidade” ou 928. Há erro de concordância em relação ao verbo
“exagero”. Faz exceção, entretanto, o termo su- sublinhado na seguinte frase:
blinhado, em: a) Quantos de nós saíram desta faculdade?
a) “... Nosso mar de lama não é maior que outros ...” b) Os Estados Unidos deverão sediar a próxima olim-
(L. 17) píada.
b) “... queremos pororocas de sujeira ...” (L. 19) c) Apesar de tudo não estavam satisfeitos o procu-
c) “... queremos (...) dilúvios de canalhice...” (L.19) rador e eu.
d) “... Nossa alma amazônica não se satisfaz com d) A maioria dos habitantes ficou na cidade durante
pequenas falcatruas ... (L. 18/19) os feriados.
e) “... O rombo é de trilhões ! ...” (L. 20) e) Aquele deputado era um dos que não perdiam
nenhuma sessão.
923. No texto, os vocábulos “gabolice” (L. 15) e “clep-
tocracias” (L. 24) podem ser substituídos por: 929. A alternativa que apresenta erro quanto ao uso do
a) clepsidra / basófias; pronome relativo regido ou não de preposição é:
b) tolice / clopemanias; a) Já li o texto de cujas opiniões necessitaste.
c) baixeza / cleptomanias; b) Conheço as moças a quem você se refere.
d) modéstia / governos nobres; c) Apanhei os livros que esqueci na Faculdade.
e) fanfarronice / governos do roubo. d) Já redigi a história de cujo enredo extraí a poesia.
e) Você ainda não me falou dos alunos a quem tanto
924. O erro grosseiro de concordância da primeira fra- gosta.
se do texto pode ter várias interpretações possí-
veis. Uma delas - já que esse erro seria inadmis- 930. “Em Paris nos aconselhavam a não dizer que éra-
sível para um escritor como Luis Fernando Verís- mos brésiliens, pegava mal”
simo – é que ele: Nesta frase, o verbo sublinhado indica uma indi-
a) buscou, descuidadamente, deixar em sua obra um cação que:
forte exemplo de silepse de número. a) aconteceu ou não;
b) tentou, eventualmente, criticar alguns dos “mor- b) ocorre habitualmente no passado;
tais” da Academia Brasileira de Letras. c) é anterior a outra também passada;
c) procurou, visivelmente, mudar as regras mais ba- d) é posterior à época de que se fala;
nais de concordância verbal. e) acontece no momento em que se fala;
d) quis, possivelmente, patentear a idéia de corrup-
ção no próprio erro lingüístico. 931. A alternativa que apresenta erro quanto ao em-
e) desejou, delicadamente, enfatizar as incoerênci- prego do pronome é:
as da língua portuguesa. a) Comprei livros para eu os ler
b) Entre eu e você nunca houve discórdia.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


13
3
134 EDITORA HE_EDUCA

c) Em você querer e eu atender, há um limite. b) Embora o time tenha jogado bem, ele venceu.
d) Há muita semelhança entre você e nossa filha. c) Como estava viajando, deixou de comparecer à
e) Nasceu uma grande amizade entre mim e meus reunião.
irmãos. d) A violência impera na cidade, mas iremos assim
mesmo.
932. O substantivo que só se emprega em um gênero e) A estréia da peça foi adiada, foi adiada, pois o
gramatical é: ator principal está doente.
a) artista; d) selvagem;
b) mártir; e) testemunha; 939. A oração que admite a passagem para a voz pas-
c) intérprete; siva está na seguinte frase:
a) Essa minoria aproveita os próprios crimes.
933. A alternativa em que todas as palavras são acen- b) O escândalo maior continuará sempre.
tuadas por obedecerem à mesma regra é: c) Há uma certa faceirice na nossa auto-condena-
a) raízes – baú – baía; ção.
b) você – paletó – aí; d) Todas as sociedades deste lado do mundo são
c) Grajaú – saúde – júri; cleptocracias.
d) úmido – último – saída; e) No cinema americano, os bandidos vêm sempre
e) âmago – revólver – protótipo; para o Brasil.

934. Das frases abaixo, a que apresenta as duas for- GOVERNO DO ESTADO DO
mas verbais empregadas, corretamente, é: RIO GRANDE DO NORTE – (ECONOMISTA)
a) Os juízes não interviram na briga se ele mantives- OUTUBRO DE 1989 – 3º GRAU
se a palavra.
b) Os juízes não intervieram na briga se ele mantes- Texto
se a palavra.
c) Os juízes não interviriam na briga se ele manti-
vesse a palavra. Leia o texto abaixo e responda às questões que
d) Os juízes não interviram na briga se ele mantesse se seguem:
a palavra. Embora mais aproximado o português que qualquer
e) Os juízes não intervirão na briga se ele manter a colonizador europeu da América do clima e das condições
tropicais, foi, ainda assim, uma rude mudança a que ele so-
palavra. freu transportando-se ao Brasil. (. . .)
5 O português vinha encontrar na América tropical uma
935. A frase que infringe a regência verbal é: terra de vida aparentemente fácil; na verdade dificílima
a) Hoje, já assistimos à missa. para quem quisesse aqui organizar qualquer forma perma-
b) Eles hão de passar de ano. nente ou adiantada de economia e sociedade. Se é certo
c) Ele não lhe viu na reunião. que nos países de clima quente o homem pode viver sem
d) Todos nós visamos a um bom emprego. 10 esforço da abundância de produtos espontâneos, convém,
por outro lado, não esquecer que igualmente exuberantes
e) Mediante esse concurso, aspiro a um bom em- são, nesses países, as formas perniciosas de vida vegetal e
prego. animal, inimigas de toda cultura agrícola organizada e de
todo trabalho regular e sistemático.
936. A grafia do vocábulo sublinhado está incorreta 15 No homem e nas sementes que ele planta, nas casas
na seguinte frase: que edifica, nos animais que cria para seu uso ou subsis-
a) O tribunal pesquisou a vida dos réus. tência, nos arquivos e bibliotecas que organiza para sua
cultura intelectual, nos produtos úteis ou de beleza – em
b) As águas deslizavam mansamente pelo canal.
tudo se metem larvas, vermes, insetos, roendo, esfura-
c) É necessário que os jogadores viajem cedo. 20 cando, corrompendo. Semente, fruta, madeira, papel, car-
d) A censura é um impecilho à criação artística. ne, músculos, vasos linfáticos, intestinos, branco do olho,
e) O Presidente era a figura mais eminente da reu- os dedos dos pés, tudo fica à mercê do inimigo.
nião. Foi dentro de condições físicas assim adversas que se
exerceu o esforço civilizador dos portugueses nos trópicos.
937. Em relação à concordância verbal, a alternativa que 25 Tivessem sido aquelas condições as fáceis e doces de que
falam os panegiristas da nossa natureza e teriam razão os
contraria a norma culta da Língua Portuguesa é: sociólogos e economistas que, contrastando o difícil triun-
a) Quem eram os convidados? fo lusitano no Brasil com o rápido e sensacional dos ingle-
b) Eram um padre e uma freira. ses naquela parte da América de clima estimulante, flora
c) Era uma vez um gato e um rato. 30 equilibrada, fauna antes auxiliar que inimiga do homem,
d) Fui eu o primeiro que terminou a prova. condições agrológicas e geológicas favoráveis, onde hoje
e) Éramos dois perdidos que encontraram o retorno. esplende a formidável civilização dos Estados Unidos, con-
cluem pela superioridade do colonizador louro sobre o
moreno.
938. O conectivo sublinhado estabelece uma relação
inadequada (coesão mal feita) na seguinte alter- (Gilberto Freyre - “Casa-grande & senzala; Livraria
nativa: José Olympio Editora, Rio de Janeiro, 1981)
a) Saí da sala quando ouvi o sinal.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
13
4
135 EDITORA HE_EDUCA

940. Em relação ao que se lê no 1º parágrafo do tex- los colonizadores portugueses fossem as mes-
to, o 2º constitui uma: mas oferecidas aos ingleses, não haveria tama-
a) comparação; d) conseqüência; nho desequilíbrio entre o progresso norte-ameri-
b) concessão; e) finalidade. cano e o brasileiro.
c) explicação; e) O esforço colonizador dos portugueses foi res-
ponsável pelas condições adversas que só uma
941. Considerados os dois primeiros parágrafos do tex- vasta área tropical poderia proporcionar.
to, verifica-se que o Autor:
a) parte da generalização para a especificação. 945. Constitui a idéia central do texto, como um todo:
b) parte da especificação para a generalização. a) A abundância de produtos naturais em países de
c) apresenta especificações em ambos os parágra- clima quente.
fos. b) A impassibilidade do homem diante dos capri-
d) apresenta generalizações nos dois parágrafos. chos da natureza.
e) configura generalizações e especificações nos c) A ação destruidora de vermes e insetos.
dois parágrafos. d) A riqueza inigualável do solo brasileiro.
e) O clima como fator de progresso.
942. Assinale a informação que o 2º parágrafo NÃO
contém: 946. “Criança ! Não verás nenhum país como este !
a) Exigia grande esforço, na América tropical, a im- Olha que céu ! que mar ! que rios e que florestas !
plantação de uma estrutura social e agrícola or- A natureza aqui, perpetuamente em festa,
denada e metódica. É um seio de mãe a transbordar carinho!”
b) O extrativismo espontâneo constitui um meio se- (Olavo Bilac)
guro de subsistência para o homem que vive em
regiões quentes. O texto de Gilberto Freyre e os versos de Olavo
c) Em países de clima quente, o homem tem de Bilac vêem o Brasil sob prismas diferentes. As-
lutar contra condições adversas, representadas sinale o único ponto em que os dois autores con-
principalmente por animais e vegetais nocivos. cordam;
d) O português que veio para o Brasil encontrou uma a) A importância da criança na construção do futu-
terra fértil e fácil de dominar, na qual, “em se plan- ro do Brasil.
tando, tudo dá.” b) A prodigalidade e opulência da natureza brasilei-
e) Diante de uma natureza exuberante, o esforço ra.
colonizador do português se defrontou; c) A natureza brasileira, sempre mãe, nunca ma-
contudo,com obstáculos decorrentes de facilida- drasta.
des apenas aparentes. d) A natureza brasileira, ora mãe, ora madrasta.
e) A invejável superioridade do Brasil sobre os ou-
943. No 3º parágrafo, o Autor apresenta: tros países.
a) um desenvolvimento exemplificativo dos argumen-
tos dados no parágrafo anterior. 947. Na questão anterior em relação ao Brasil, os ver-
b) as características climáticas, que pendulam en- sos de Olavo Bilac revelam uma atitude;
tre frio extremo e calor sufocante. a) irônica; d) ambígua;
c) uma relação completa dos males causados por b) pessimista; e) ufanista.
vermes e insetos em países de clima tropical. c) realista;
d) a perplexidade do homem diante de condições
favoráveis à colonização da terra. 948. Assinale a opção em que a palavra sublinhada
e) os animais, os vegetais e os seres humanos que NÃO pertence à classe gramatical dada entre
constituíram verdadeiros obstáculos à permanên- parênteses:
cia aqui do colonizador português. a) Embora mais aproximado o português ... (con-
junção subordinativa)
944. O Autor assim resume sua argumentação: b) ... foi, ainda assim, uma rude mudança a que ele
a) Segundo os sociólogos e economistas, as con- sofreu. (pronome demonstrativo).
dições adversas encontradas pelos portugueses c) ... para quem aqui quisesse organizar qualquer
obstaculizaram o rápido desenvolvimento da Co- forma permanente ... (pronome indefinido)
lônia. d) Foi dentro de condições físicas assim adversas
b) A extraordinária civilização dos Estados Unidos ... (locução conjuntiva)
se deveu, primordialmente, à origem saxônica de e) ... condições agrológicas e geológicas favoráveis,
seus colonizadores, incapazes de explorar a exu- onde hoje esplende a formidável civilização ...
berância da natureza. (pronome relativo)
c) Os portugueses optaram por colonizar um terri-
tório situado em região tropical, cujo clima, mais 949. Assinale a opção em que se ERROU na classi-
ameno, se aproxima do de sua terra de origem. ficação do elemento mórfico em destaque:
d) Se as condições encontradas em nossa terra pe-
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
13
5
136 EDITORA HE_EDUCA

a) aproximadO – O – desinência de gênero;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


13
6
137 EDITORA HE_EDUCA

b) meteM - M - desinência número-pessoal. 955. Assinale a opção em que o A deve receber o acen-
c) difíciL - L - sufixo. to grave indicativo de crase:
d) TRANSportando - TRANS - prefixo. a) Contarei a ela tudo o que ouvi.
e) exercEu - E - vogal temática. b) Um barco a vela cortava o mar tranqüilo.
c) A que tipo de civilização você se refere?
950. Assinale a opção em que houve ERRO na clas- d) Só a partir de então ele concordou conosco.
sificação da oração sublinhada: e) Bernardo se submeteu a ordem da professora.
a) Embora a natureza fosse exuberante, havia aqui
obstáculos quase intransponíveis. (oração subor- 956. Assinale a opção em que os prefixos se opõem
dinada adverbial concessiva) pelo sentido:
b) Larvas se metem nas sementes que os homens a) abjurar / adjunto.
plantam. (oração subordinada adjetiva restritiva) b) ilegal / ateu.
c) O colonizador português tinha certeza de que en- c) circunscrever / perímetro.
contraria terras férteis e clima ameno. (oração d) prefácio / prólogo.
subordinada substantiva objetiva indireta) e) introduzir / endovenoso.
d) Tivessem sido outras as condições climáticas, o
colonizador português se teria equiparado ao in- 957. Assinale a opção em que a colocação do prono-
glês. (oração subordinada adverbial condicional) me pessoal átono é INACEITÁVEL em relação à
e) Convém não esquecer as riquezas do Brasil. (ora- norma culta:
ção subordinada substantiva subjetiva) a) Vê-lo-ei assim que puder.
b) Pretendia dizer-lhe um segredo.
951. Assinale opção em que houve ERRO de pontua- c) Podes-me emprestar um lápis?
ção: d) O povo tinha dado-lhe um voto de confiança.
a) Eduardo, estuda a tua lição. e) Nunca o vimos tio abatido como agora.
b) Estude a sua lição, Eduardo.
c) A lição, Eduardo a estuda. 958. Assinale a opção em que a alteração processa-
d) Eduardo, estuda a sua lição. da na frase “Embora as condições fossem des-
e) Estuda a tua lição, Eduardo. favoráveis, o colonizador português não desani-
mou” altera sensivelmente o seu sentido:
952. Assinale a opção em que houve ERRO de conju- a) Apesar de as condições serem desfavoráveis, o
gação verbal: colonizador português não desanimou.
a) Se ele repor a quantia devida, tudo estará resol- b) Desfavoráveis que fossem as condições, o colo-
vido. nizador português não desanimou.
b) Quando eu vir o filme, darei minha opinião. c) Por serem desfavoráveis as condições, o coloni-
c) Os candidatos se houveram bem na prova. zador português não desanimou.
d) O rapaz se desaveio com os colegas. d) Ainda que as condições fossem desfavoráveis, o
e) Quando refizeres o trabalho, poderás sair. colonizador português não desanimou.
e) Mesmo sendo as condições desfavoráveis, o co-
953. Assinale a opção cuja lacuna se preenche corre- lonizador português não desanimou.
tamente com a preposição A:
a) Este é o local cujas belezas o povo tanto 959. Em redação oficial, num ofício, ementa é:
se orgulha. a) a indicação do assunto a ser tratado.
b) Este é o local cuja riqueza os historiadores b) a saudação inicial.
se referem. c) uma espécie de errata.
c) Este é o local cuja preservação todos con- d) o desenvolvimento do texto.
cordam. e) a confirmação a um ofício interior.
d) Este é o local cujas praças se realizam
concertos sinfônicos.
e) Este é o local cujo tombamento todos lu-
tam.

954. Assinale a opção em que houve ERRO de con-


cordância verbal:
a) Cerca de trinta pessoas visitaram a cidade.
b) Freqüentemente, realizam-se festas naquela fa-
zenda.
c) Precisa-se de costureiras com experiência.
d) Tu e ela cantais multo bem.
e) Existia, antigamente, bondes puxados a burro.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


13
7
138 EDITORA HE_EDUCA

TRE / RJ - TÉCNICO JUDICIÁRIO (ÁREA FIM)


NOVEMBRO DE 1995 – 3º GRAU

Texto
O JOVEM E A DROGA
Vera Malaguti Batista

A economia liberal é a força motriz do desenvolvimento do mercado de drogas


legais e ilegais. O consumo delas é regulado pela lei da oferta e da demanda. Mas,
além disso, há uma carga ideológica e emocional em torno do assunto, que criou o mito
da droga, disseminado pela mídia e acolhida pelo imaginário social, a partir de uma
5 estratégia dos países capitalistas, responsáveis pela demanda por drogas no mercado
internacional.
(...)
Na verdade, o problema da droga é econômico e ideológico. Com a transnaciona-
lização da economia, materializam-se novas formas de controle. Foi criado um sistema
10 jurídico-penal com o fim de criminalizar e penalizar determinadas drogas. É curioso
observar que se penaliza sobretudo aquelas vindas das economias periféricas (maco-
nha e cocaína produzidas na América Latina) enquanto se permite as ligadas à grande
indústria (álcool e anfetaminas).
O sistema neoliberal produz uma visão esquizofrênica das drogas, especialmente
15 a cocaína. Por um lado, estimula a produção e circulação dela; e por outro lado constrói
um arsenal jurídico e ideológico de demonização e criminalização desta mercadoria.
Para compreender o impacto da cocaína dos anos 70 em diante, é importante
mencionar a crise mundial a partir de 1967 e o modelo recessivo que se segue até
1982, com o aumento de inflação e desemprego gerando uma reestruturação da eco-
20 nomia mundial.
A rentável cocaína passa a contar com um sistema de divisão de trabalho. Algu-
mas regiões da América Latina se especializam na produção de folhas, outras na fabri-
cação da pasta e refino, outras na comercialização.
No Rio de Janeiro, que não produz cocaína, a partir dos anos 70 houve o fortale-
25 cimento gradual do seu consumo. A disseminação traz como contrapartida a especiali-
zação da mão-de-obra das comunidades periféricas na venda ilegal. Começam a aumentar
nas delegacias, no juizado de menores, nas unidades de atendimento ao jovem
as infrações relacionadas à sua posse, consumo ou venda.
São criados juridicamente dois estereótipos. Aos jovens de classe média que a
30 consomem aplica-se o estereótipo médico, e aos jovens pobres que a comercializam, o
estereótipo criminal.
(...)
Num contexto de aprofundamento de uma economia recessiva e de enfraqueci-
mento das políticas sociais básicas, um contingente cada vez maior de jovens pobres
35 vai sendo recrutado a cumprir sua triste sina, seu papel trágico na nova divisão interna-
cional do trabalho. A cocaína - a droga neoliberal, símbolo de êxito e de status entre
seus consumidores (yuppies high-tech, jovens empresários, executivos de bolsa de
valores) tem como contrapartida a destruição da juventude pobre das nossas favelas,
lançada pela lei de mercado, à criminalização e ao círculo viciado da violência urbana.

(Cadernos do Terceiro Mundo nº 178 - Editora Terceiro Mundo.)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


13
8
139 EDITORA HE_EDUCA

a) “Meu canto de morte, guerreiros, ouvi !”.


960. De acordo com o texto, do ponto de vista jurídico
foram criadas duas matrizes.Aprimeira para aquele
que se serve da droga e a segunda para o que a
negocia. Essa dicotomia é, respectivamente:
a) rico / pobre.
b) crime / pena.
c) médico / crime.
d) neoliberal / liberal.
e) consumo / comércio.

961. Segundo a autora, uma das causas de participa-


ção dos jovens pobres no mercado ilegal das dro-
gas é:
a) a violência urbana.
b) a economia recessiva.
c) uma busca de “status”.
d) a existência de favelas.
e) a ausência de política cultural.

962. Segundo o texto, a reestruturação da economia


mundial deve ser levada em conta para:
a) criminalizar e penalizar determinadas drogas.
b) estimular a produção e circulação da cocaína.
c) compreender o impacto da cocaína dos anos 70
em diante.
d) construir um arsenal jurídico e ideológico de de-
monização da droga.
e) liberar a força motriz do desenvolvimento do mer-
cado de drogas legais e ilegais.

963. No texto, a autora estabelece várias relações de


causa e conseqüência. Esta relação (mantida a
ordem causa-conseqüência) está presente em:
a) consumo de cocaína – crise mundial.
b) aumento da inflação – novas técnicas de comer-
cialização.
c) criação de novas delegacias – aumento de infra-
ções jurídicas.
d) sistema neoliberal – demonização e criminaliza-
ção da cocaína.
e) disseminação da cocaína – desenvolvimento da
grande indústria.

964. De acordo com o primeiro parágrafo do texto, de-


preende-se o conceito de que:
a) a economia neoliberal tem como subproduto per-
manente uma carga ideológica e emocional.
b) o mercado das drogas também está sujeito às
regras da lei de oferta e procura.
c) a estratégia dos países capitalistas no combate
às drogas foi criada pela mídia.
d) a relação entre o mito da droga e o imaginário das
pessoas inexiste.
e) os países subdesenvolvidos são os maiores con-
sumidores de droga.

965. “... que não produz cocaína ...” (L. 24)


No texto, a oração acima, está separada por vír-
gulas. Esta mesma regra do uso da vírgula foi em-
pregada na seguinte frase:

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


13
9
140 EDITORA HE_EDUCA

b) Este projeto, embora seja bom, não será


aprova- do.
c) Ela falou com um homem de quarenta anos,
bem magro, baixo.
d) “Iracema”, cujo autor é José de Alencar, narra
o amor infeliz da heroína.
e) “Grande Sertão: Veredas”, a obra-prima de
Gui- marães Rosa, apresenta grandes
inovações lin- güísticas.

966. O pronome lhe tem valor possessivo na seguinte


alternativa:
a) João lhe pediu desculpas.
b) Admiro-lhe a inteligência penetrante.
c) O porteiro entregou-lhe as cartas do inquilino.
d) Depois da ameaça, o funcionário obedeceu-lhe.
e) O chefe deu-lhe instruções precisas sobre o
pro- jeto.

967. A frase em que há erro quanto à flexão do verbo


sublinhado é:
a Eles vêm para que eu meça suas alturas.
b) Ele sempre se precaveu diante dos fatos
duvido- sos.
c) Eles têm que pagar a multa antes que dêem
quei- xa à polícia.
d) Você há de convir que ele não interviu na
resolu- ção do problema.
e) É necessário que você requeira um atestado
para justificar suas faltas.

968. A série em que há erro de grafia no emprego


das letras “j”, “x” e” “z” é:
a) monje, xarque, juz.
b) jeito, xale, destreza.
c) jibóia, xarope, atroz.
d) jeca, xodó, prazer.
e) pajé, xícara, abalizado.

969. A frase em que a concordância nominal está


in- correta é:
a) Sempre digo que nós não estamos só.
b) É meio-dia e meia, disse o professor.
c) A menina estava com sapatos e bolsa escuros.
d) Choveu no quarto embora a janela estivesse
meio aberta.
e) Durante meu curso de Direito, pude adquirir
bas- tantes conhecimentos.

970. De acordo com a norma culta, a regência do ver-


bo sublinhado está incorreta em:
a) O sucesso, quem não o aspira?
b) Ele prefere ser preso a ir para a guerra.
c) Os objetivos a que eles visam são torpes.
d) Você assistiu a todos os jogos do Flamengo?
e) Ninguém tinha coragem de desobedecer a ele.

971. A alternativa em que a concordância do verbo su-


blinhado está incorreta é:
a) Nem um nem outro candidato a presidente do
clu- be merece crédito.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
14
0
141 EDITORA HE_EDUCA

b) Deveria haver muitas dúvidas em relação àquela 977. A forma imperativa que não se relaciona com a
pergunta. pessoa indicada nos parênteses, é:
c) Mulheres, crianças, soldados, ninguém escapou a) Olhai os lírios do campo. (Vós)
com vida. b) Trabalharemos com amor. (Nós)
d) Os Estados Unidos são um país bastante desen- c) Mostre logo seu dever. (Você)
volvido. d) Queiram sentar-se. (Senhores)
e) Fazem três anos que aquele corretor faleceu. e) Sentai-vos. (Vossa Rceverendíssima)

972. O verbo sublinhado que está na voz passiva com 978. A alternativa em que todas as palavras seguem a
pronome apassivador (voz passiva sintética) é: mesma norma de acentuação é:
a) O carro ficou cercado pela multidão. a) mídia – régua – lírio.
b) O homem se ferira ao descascar a laranja. b) cocaína – cafeína – êxito.
c) Elas se odeiam por razões misteriosas. c) países – responsáveis – álbum.
d) Lavam-se cortinas e tapetes por preços módicos. d) heroína – estratégia – estereótipo.
e) Todos se queixaram da nova exigência eleitoral. e) periféricas – econômico – rentável.

973. A alternativa em que a forma verbal grifada não 979. A frase que possui a flexão errada do substantivo
corresponde à indicação entre parênteses é: sublinhado é:
a) Telefone-me para eu saber do resultado. (futuro a) Juninho marcou dois gols.
do subjuntivo) b) Os cristãos tinham tudo em comum.
b) Comprei o jornal para que nós o leiamos. (presen- c) Os escrivães já entregaram as atas.
te do subjuntivo) d) Chegaram cedo os cônsules brasileiros.
c) Quando viermos do trabalho, passaremos na sua e) Reconhecemos as firmas nos tabeliões.
casa. (futuro do subjuntivo)
d) Se você requeresse o processo, poderia ganhar a MINISTÉRIO DA SAÚDE
causa. (imperfeito do subjuntivo) (ÁREA MÉDICA) – 1995 – 3º GRAU
e) Eu tinha feito todos os exercícios de Portugu-
ês. (pretérito-mais-que-perfeito composto do in- Texto
dicativo)
A LISTA DO BETINHO
974. De acordo com a norma culta, há erro na coloca-
ção do pronome sublinhado na seguinte alternati-
va: Jurandir Freire Costa
a) A paz lhes seja concedida.
b) O júri vai entregar-lhe o prêmio amanhã. Betinho recebeu dinheiro da contravenção. A
c) Não lembrarei-me nunca do que você disse. notícia explodiu como uma bomba. De um lado,
d) Eu já tinha lido aqueles livros que me derram. cínicos, delinqüentes, enfim, todo coro de ratos e
e) O professor disse-nos que não haveria mais vermes bate palmas e pede bis. Dia de festa na
tempo.
5 sarjeta! Do outro lado, surpresa e consternação.
975. A frase em que há erro no que se refere ao em- Os brasileiros honrados perguntam-se: será que
prego do acento grave, indicador de crase, é: ninguém, neste triste país, escapou impune da
a) Já chegamos à Bahia. lama? É a estes que me dirijo; aos que acreditam
b) O professor falara àquele aluno. num país melhor, mais justo e mais livre. Aos pri-
c) Comi bacalhau à Gomes de Sá. 10 meiros, aos imorais, Biscaia, Frossard e Bangu I,
d) É importante obedecer às regras do jogo. II, III ... ou quantas existirem. Em dose dupla, de
e) Dirijo-me à Vossa Eminência para pedir-lhe des- preferência.
culpas. Um erro político? Certamente. O próprio
Betinho, com a honestidade que lhe é caracterís-
976. Há erro no emprego do pronome sublinhado, de 15 tica, afirmou. Um erro moral? Isto merece dis-
acordo com a regência verbal, em:
cussão. Um ato moralmente errado é aquele que
a) Os cheques que ele visava eram de outra agência.
b) Os prêmios a que ele aspirava não serão con- contradiz princípios éticos universalmente válidos
cedidos. para uma dada tradição. Aceitar dinheiro espúrio,
c) São várias as cláusulas do contrato das quais ele vindo do mais baixo banditismo, suspeito inclusive
desconfia. 20 de financiar o tráfico de drogas, é contra nossos
d) Os programas a cuja elaboração ele assistira fo- princípios morais. Fora do contexto histórico, a
ram elogiados. sentença é perfeita. Acontece que o dinheiro
e) As propostas que o advogado se refere não expli- recebido foi transferido para a ABIA. Isto não é
citam as condições de venda. justificativa, pode-se dizer. Ele cedeu à facilidade;

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
1
142 EDITORA HE_EDUCA

25 os fins não Justificam os meios! De fato, a 981. Segundo o autor, em sua conclusão o ato de
afirmação é justa, salvo em casos excepcionais. Betinho NÃO deve ser considerado moralmente
Mas existem exceções à ética; isto não é ERRADO porque:
casuísmo moral? Replico, não existem exceções à a) os fins justificam os meios.
ética; existem decisões que não são reconhecidas b) as exceções à ética constituem um casuísmo
moral
30 de imediato como éticas, dadas as circunstâncias
c) receber dinheiro de marginais não chega a ferir
em que são tomadas. Estas circunstâncias são nossos princípios morais
aquelas em que o fim visado é a preservação da d) as circunstâncias do seu ato impediram que sua
vida ou da mais elementar dignidade da pessoa decisão fosse classificada como ética (ou não
humana. Falemos em português claro. Betinho – ética)
35 será preciso gritar! – não recebeu dinheiro para e) é um princípio ético, de acordo com a nossa tra-
construir casas em Angra dos Reis ou Búzios; dição, receber dinheiro da marginalidade para fins
para mandar os filhos esquiar em Courchevel, beneficentes.
Gstaad ou St. Moritz; para importar BMW ou
Mercedes; para ser fotografado em colunas 982. Ao mencionar “os cofres de Zurique ou Nova York”
40 sociais ou para engordar os cofres de Zurique ou (I. 40/41), o autor faz claras referências a todos
aqueles que:
Nova York, prevendo o possível estouro da “rouba-
a) se homiziam nessas cidades para fugir à ação
lheira”. O dinheiro da contravenção foi usado na da justiça.
ajuda ao tratamento e à prevenção da Aids. b) pensam estar, nessas cidades, livres de situa-
Alguém sabe o que é Aids no Brasil? Aids no ções politicamente adversas.
45 Brasil não é feita xde Tom Hanks, Antonio Ban- c) escondem seu dinheiro sujo em bancos estran-
deras, óperas cantadas por Maria Callas, baladas geiros.
de Bruce Springsteen, amigos carinhosos e d) admiram os países tipicamente capitalistas do
famílias moralmente perfeitas, como em Filadélfia. Primeiro Mundo.
Aids no Brasil é mais feio, sujo e degradante do e) vêem essas duas cidades como símbolos maio-
50 que a mágica hollywoodiana dos bons sentimentos res da nossa civilização ocidental capitalista.
em busca do Oscar. É uma praga de milhares de
983. O autor caracteriza a AIDS no Brasil de vários
“Zés da Silva”, portadores de uma doença epi-
modos. EXCETUA-SE, por não estar no texto, a
dêmica e letal e, em muitos casos, da etiqueta característica:
infame e preconceituosa de “homossexualidade”, a) Essa doença está, preconceituosamente, ligada
55 que os condena a morrer à míngua, em meio à à homossexualidade.
indiferença das “boas consciências éticas”. b) As pessoas humildes freqüentemente não tem
Aids no Brasil quer dizer morte ao relento pela recursos para se tratarem.
carência de assistência pública ou pela recusa c) Os aidéticos, em geral, não dispõem de hos-
freqüente da medicina privada em pitais públicos aparelhados para o seu trata-
60 assistir doentes que não dão lucro. Tem mais, o mento.
caso da Aids, da ABIA e do di- nheiro recebido d) Os “planos de saúde” (privados), com freqüên-
pelo Betinho é o retrato mesquinho de uma cia, negam assistência médica aos aidéticos.
e) Essa doença tem servido como tema de filmes
nação cuja elite apo- dreceu e arrasta tudo
de denúncia.
ao redor para o
65 dilema sórdido de “a bolsa ou a vida” ou 984. De acordo com o texto, podemos estabelecer
“sem bolsa nada de vida” ! várias correlações. Faz EXCEÇÃO, por incoerente
(...) e inexistente no texto, a correlação da alternati-
(“A Ética e o Espelho da Cultura”. va:
Ed. Rocco - 1994 - pág. 98). a) ABIA – comércio de drogas.
b) AIDS - filme hollywoodiano.
980. A menção a Biscaia e Frossard (I. 10), no 1º pará- c) elite brasileira – fascínio por dinheiro.
grafo, serve como exemplo de brasileiros que d) Bangu I, II, III – delinqüentes.
a) recebem dinheiro da contravenção. e) BMW ou Mercedes - símbolos de riqueza.
b) combatem o crime organizado através da lei.
c) ficaram surpresos e consternados com a atitude 985. Em relação à regência do verbo ASSISTIR a úni-
de Betinho. ca afirmação INCORRETA é:
d) também não escaparam do mar de lama da cor- a) No texto (I. 60) a regência está correta (transitivo
rupção. direto) porque ele significa ajudar, socorrer.
e) buscam uma solução para a violência por meio da b) No sentido de presenciar, estar presente a nor-
intervenção militar. ma culta determina a regência com a preposição

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
2
143 EDITORA HE_EDUCA

a (transitivo indireto)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
3
144 EDITORA HE_EDUCA

c) Embora o uso prescrito pela gramática, na lin- MINISTÉRIO DA ECONOMIA,


guagem popular esse verbo, no sentido de pre- FAZENDA E PLANEJAMENTO
senciar, estar presente é transitivo direto, usado ANALISTA DE FINANÇAS E CONTROLE
sem preposição. ABRIL DE 1992 (3º GRAU)
d) Num emprego praticamente em desuso, o verbo
é intransitivo, significando morar, residir. Texto:
e) Houve erro do autor ao empregar no texto (I. 60) “Na Idade Média, ao contrário da festa ofi-
o complemento do verbo sem preposição. cial, o carnaval era o triunfo de uma espécie
de liberação temporária da verdade dominante e
986. Um dos empregos da vírgula é separar termos
do regime vigente, da abolição provisória de
coordenados, isto é, termos que exercem a mes-
ma função sintática. O ÚNICO exemplo do uso todas as relações hierárquicas, privilégios e
da vírgula que NÃO corresponde a esse caso está tabus.” M. Bakhtin, A Cultural popular na Ida- de
na alternativa: Média e Renascimento, São Paulo, Hucitec
a) “... para mandar os filhos esquiar em Courche- Brasília, Ed. da UnB, 1987.
vel, Gstaad ou St. Moritz ...” (I. 37/38). 990. Indique o item em que as festas oficiais da Idade
b) “Aids no Brasil não é feita de Tom Hanks, Antonio Média são caracterizadas de acordo com o que
Banderas, óperas cantadas por Maria Callas ...” se depreende do texto acima.
(I. 44/45/46). a) Nessas festas, elaboravam-se formas especiais
c) “... ou para engordar os cofres de Zurique ou Nova de comunicação, francas e irrestritas, impregna-
York, prevendo o possível estouro da ‘roubalhei- das de uma simbologia da alegre relatividade das
ra’.” (l. 40/41/42). verdades e autoridades no poder.
d) “... o caso da Aids, da ABIA e do dinheiro recebi- b) Essas festas tinham por finalidade a consagra-
do pelo Betinho ...” (I. 61/62). ção da desigualdade; nelas, as distinções hierár-
e) “... aos que acreditam num pais melhor, mais quicas destacavam-se intencionalmente.
justo e mais livre”, (I. 8/9). c) Eram autênticas festas do tempo futuro, das al-
ternâncias e renovações.
987. Segundo a norma culta, a substituição do termo d) Essas festas opunham-se a toda perpetuação, a
sublinhado por um pronome está INCORRETA toda regulamentação e aperfeiçoamento, aponta-
(pelo uso ou colocação) na alternativa: vam para um ideal utópico.
a) Ele não vai aceitar dinheiro espúrio. e) Contrastando com a excepcional segmentação em
Ele não vai aceitá-lo. estados e corporações da vida diária, essas festi-
b) O deputado recebeu dinheiro da contravenção. vidades sustavam a aplicação dos códigos cor-
O deputado recebeu-o . rentes de etiqueta e comportamento.
c) Os brasileiros honrados condenam essas acu-
sações. Nas questões de nº 991 a 994 identifique o item subli-
Os brasileiros honrados condenam-nas. nhado que contém erro de natureza ortográfica ou gra-
d) Ele nunca fez tal declaração. matical ou de impropriedade vocabular, e marque a le-
Ele nunca fê-la. tra correspondente.
e) A Polícia dava proteção aos traficantes.
A Polícia lhes dava proteção. 991. Se bem que a Lei Suprema remeta à (A) lei ordi-
nária estabelecer (B) as condições de capacida-
988. A alternativa em que TODAS as palavras estão de para o exercício de profissões, nada impede,
grafadas CORRETAMENTE é: muito ao contrário recomenda, que o comando
a) ascensão – privilégio – hospitalizar – acessível. constitucional seja elastecido (C) no sentido de
b) sinusite – pretenção – ressuscitar – dançar. conferir ao profissional meios necessários ao exer-
c) conciência – discípulo – lascivo – pichar. cício, atribuindo garantias, vantagens, certos di-
reitos, prerrogativas e privilégios (D) não discrimi-
d) analizar – deslizamento – cateter – assessor.
natórios, como privacidade ou exclusividade, ou
e) intertício – coonestar – empecilho – propensão.
gozo (E) de situações ou “status”especiais.
a) A . d) D.
989. O termo sublinhado exerce a função de SUJEI- b) B . e) E.
TO em: c) C.
a) Isto não é justificativa.
b) Os fins não justificam os meios. 992. Certamente é boa política na administração dos
c) O dinheiro foi recebido pelo senador. imóveis federais evitar permaneçam (A) improdu-
d) Aceitar dinheiro espúrio, é contra nossos princí- tivos. Todavia, qualquer prática a eles relaciona-
pios morais. das (B) deve observar as prescrições legais com
e) Não existem exceções à ética. o necessário rigor. No caso presente, não se re-
cusa a cessão pela forma encaminhada e não
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
14
4
145 EDITORA HE_EDUCA

acolhida até agora. Pode ser efetivada desde que Nas questões de números 996 a 1003 marque o texto
venha ao processo a (C) prova de satisfação dos que contém defeito na estruturação sintática.
requisitos e condições necessárias (D) para essa
modalidade de cessão. Ate que assim se faça in- 996.
teirar (E) a proposta, não haverá condições de se a) Essa distinção - puramente de grau – decorre de
opinar favoravelmente. uma maior ou menor valoração dos bens protegi-
a) A. d) D. dos, razão pela qual um mesmo comportamento
b) B. e) E. pode ensejar uma penalidade de natureza patrimo-
c) C. nial, ao lado de outra privativa da liberdade, ou sub-
meter o sujeito ativo a uma única sanção, o que se
993. A Secretaria de Finanças da Prefeitura do Municí- deve a questões de política legislativa.
pio de são Paulo torna público (A) que, impreteri- b) Nesta análise cabe toda espécie de ilícito, seja ci-
velmente, no próximo dia 15.10.91, no horário das vil, seja criminal. Não se aponta, em verdade, uma
9 (nove) às (B) 18 (dezoito) horas, na (C) Av. Se- diferença ontológica entre um e outro. Há em am-
nador Queiroz nº 312,10º andar, Assessoria Fi- bos o mesmo fundamento ético: a infração de um
nanceira, acolherá propostas de instituições fi- dever preexistente e a impugnação do resultado à
nanceiras interessadas em adquirir Letras Finan- consciência do agente.
ceiras do Tesouro do Município de São Paulo. A c) No exercício das atribuições que lhes são própri-
oferta em questão refere-se à (D) Edital nº 07/91. as, o Serviço de Patrimônio da União procede dili-
O Edital, em sua íntegra, será fornecido (E) aos gentemente por seu Órgão Central e Delegacias
interessados na sede da Assessoria Financeira regionais, em cada um dos Estados da Federa-
nos dias 11, 14 e 15 de outubro de 1991. ção, sempre com o sentido de defesa dos interes-
a) A ; d) D; ses da Fazenda Nacional.
b) B; e) E; d) Talvez quanto à conveniência administrativa, não
c) C; seja essa a melhor solução. Mas aí o problema é
outro. A uniformidade de trato da política bancária é
994. Abramos ao acaso o Código Civil e levemos (A) desejável e, como tal, constitui solução de conve-
um susto, por conta do primeiro funcionário brasi- niência, assunto de política legislativa.
leiro, ao qual se impõe, como aos simples cida- e) A comparação entre os dispositivos estatutários e
dãos (B), o conhecimento da lei: Ninguém, diz o os da lei regulamentada demonstra nitidamente que
texto obrigatório, “se escusa (C) de cumprir a lei, o Estatuto se situou estritamente dentro dos limi-
alegando que não a conhece.” Soletremos, neste tes do poder regulamentar, inexistindo qualquer
jogo cego e perigoso de mexer em livros, o artigo exorbitância.
674. Lá se diz que são direitos reais, além da
propriedade, a enfiteuse, as servidões etc. Na 997.
enumeração e nas disposições gerais não se alu- a) O nome BCCI não era muito conhecido até poucos
de (D) nenhum dever, em consonância com tais meses, mas tornou-se um dos maiores pesadelos
direitos. Da letra da lei civil concluir-se-á que a para cerca de três milhões de depositantes nos 69
propriedade, a enfiteuse e o usufruto (E) não acar- países que o banco tinha agências.
retam ou sugerem deveres? Basta um pequeno e b) Neste patamar, a Taxa Referencial reflete o cenário
sumário curso de cidadania - de cidadania e não mais otimista para o comportamento dos preços
de leitura – para se saber que o direito, esse e os no mês em curso: o de estabilidade.
outros, importam, pela sua essência, simultanea- c) No acumulado do ano, a evolução do índice de pre-
mente em deveres. ços do setor atinge 96,61%, segundo dados divul-
(Raymundo Faoro, com modificações). gados pela Associação Brasileira do Vestuário
a) A. d) D. (Abravest).
b) B. e) E. d) A entidade pretende embargar os portos e entrar
c) C. com processo junto à Procuradoria-Geral da Repú-
blica, pedindo investigação sobre o que considera
995. Marque o item que substitui a palavra sublinhada concorrência desleal.
por um sinônimo, sem prejuízo do sentido do enun- e) O expediente de atrasar o pagamento de impostos
ciado. tem sido usado por muitas empresas como recur-
No mesmo momento em que a lavoura cafeeira al- so para obter capital de giro sem recorrer aos ele-
cança o zênite da sua prosperidade (primeiro de- vados juros bancários.
cênio do século), uma outra atividade vem quase
emparelhar-se a ela no balanço da produção brasi- 998.
leira: a extração da borracha. (Caio Prado Júnior) a) O Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e
a) declínio. d) índice. Agronomia do Estado de São Paulo CREA - SP
b) aclive. e) ocaso. avisa que expediu guias para pagamento da anui-
c) ápice. dade de 1991 aos profissionais que se encontram

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
5
146 EDITORA HE_EDUCA

em débito, segundo seus cadastros.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
6
147 EDITORA HE_EDUCA

diversas espécies.
b) O valor da cobrança está de acordo com a Re-
solução nº 355, do Conselho Federal de Enge-
nharia, Arquitetura e Agronomia - CONFEA pu-
blicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo de
14/05/91.
c) O pagamento da anuidade deverá ser feito em
Banco, em parcela única até o dia 12/08/91 como
consta da guia de pagamento, ou de forma par-
celada, com vencimentos nos dias 13/08/91 e
12/09/91.
d) Para pagamento de forma parcelada, o profissio-
nal deverá dirigir-se à sede do CREA-SP, situada
na Rua Nestor Pestana, nº 87, São Paulo-SP, ou
ao Posto de Atendimento de sua cidade.
e) Cumpre-nos alertar que, de acordo com as nor-
mas do Banco Central, se for escolhido o paga-
mento parcelado, incidirão sobre as parcelas pa-
gas em agências bancárias taxa de expediente.

999.
a) Comunico o recebimento do oficio nº 987 D/RJ,
por meio do qual Vossa Senhoria solicita a mani-
festação da Prefeitura a respeito do pedido de afo-
ramento formulado por Fulano de Tal, relativo ao
terreno de marinha situado na Ilha do Ipê, na Bar-
ra da Tijuca.
b) Esclareço à Vossa Senhoria que o Decreto nº 345,
de 3/6/82, definiu as ilhas da Baixada de Jacare-
paguá como áreas de preservação ecológica e
paisagística.
c) Posteriormente, a Lei nº 241, de 4/8/86, destinou
tais ilhas à atividade de lazer, desde que mantida
a citada preservação.
d) Assim, a construção existente no terreno é ilega-
lizável.
e) Informo Vossa Senhoria ainda que se encontra em
fase adiantada o estudo de macrodrenagem da
Bacia de Jacarepaguá, que definirá os contornos
das margens dos lagos e das ilhas, determinando
as alterações que forem julgadas necessárias.

1000.
a) Na linguagem comum o vocábulo “infração” signi-
fica a “ação de infringir”, portanto, quebramento,
violação, transgressão.
b) O Direito, possuindo vocabulário próprio, a pala-
vra sanção é equivoca, possuindo dois sentidos
distintos: de um lado, exprime penalidade como
coação legal sobre os individuos; de outro, signifi-
ca a aprovação pela qual a autoridade competen-
te transforma em lei os projetos elaborados pelo
órgão legislativo.
c) A palavra “multa”, na linguagem comum, também
está intimamente ligada à penalidade; representa
a pena pecuniária, portanto uma sanção típica.
d) A multa é uma sanção que decorre de um compor-
tamento em face da regra jurídica, não importando
a província jurídica em que se situe tal conduta.
e) O conceito de sanção é genérico, pois se trata de
providência inerente às normas jurídicas das mais

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
7
148 EDITORA HE_EDUCA

1001. b) Ainda hoje persistem, aqui e ali, mesmo nas gran-


a) Assino esta revista especializada há muitos des cidades, algumas dessas famílias “retardatá-
anos, mas este mês ela chamou a minha rias”, concentradas em si mesmas e obedientes
atenção de modo especial, e vocês vão logo ao velho ideal que mandava educarem-se os fi-
entender por quê. lhos apenas para o círculo doméstico.
b) A decisão final sobre os reajustes das
prestações do SFH sairá ainda este mês.
Persistem algu- mas dúvidas porque a
indexação voltou só para a parcela do salário
até três mínimos.
c) Conforme informação da Caixa Econômica
Fede- ral, os mutuários desejam saber porque
aqueles que têm data-base em setembro e
repasse em sessenta dias terão, em novembro,
correção mais elevada.
d) Muitos desconhecem também os motivos por
que se aplicarão a todos os mutuários com
contratos de equivalência salarial plena as
antecipações bi- mestrais e quadrimestrais
pelo INPC.
e) Por que se aplica o índice da poupança de
setem- bro/90 a agosto/91 mais 3% de ganho
real, des- contando as antecipações?

1002.
a) A drástica queda nas vendas e a alta dos
custos financeiros obrigaram os empresários e
seus exe- cutivos a inovar seus métodos
administrativos e a recorrer a fórmulas ousadas
que, na maioria dos casos, se mostraram
eficientes.
b) O baixo índice de insolvência de empresas,
dian- te do aprofundamento da crise de
conjutura eco- nômica nos últimos 60 dias,
serve também como indicação da agilidade e
da capacidade das em- presas brasileiras de
reagir diante das situações novas.
c) Cada centavo aplicado no processo da
produção merece longa reflexão por parte de
alguns execu- tivos. A sua eliminação é motivo
de comemoração na empresa.
d) A maior batalha é travada contra os custos
dos estoques, pois o tempo de permanência
das ma- térias-primas e componentes nos
armazéns re- presentam despesas que, no
final do processo, consomem o lucro ou
ampliam o prejuízo.
e) Quando se mesclam recessão e inflação, o
au- mento da carga tributária, sobre gerar
aumento de custos para aqueles que
produzem e pagam tributos, desorganiza ainda
mais a economia.

1003.
a) A crise que acompanhou a transição do
trabalho industrial, aqui assinalada, pode dar
uma idéia pálida das dificuldades que se opõe à
abolição da velha ordem familiar por outra, em
que as institui- ções e as relações sociais,
fundadas em princípi- os abstratos tendem a
substituir-se aos laços de afeto e de sangue.
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA
14
8
149 EDITORA HE_EDUCA

c) Mas essas mesmas tendem a desaparecer ante e) Não se cogitou de assunto tão delicado que, como
as exigências imperativas das novas condições se observou, muitos de nós sequer conhecíamos
de vida. o seu significado.
d) Segundo alguns pedagogos e psicólogos de nos-
sos dias, a educação familiar deve ser apenas 1006.
uma espécie de propedêutica da vida na socie- Assinale a opção que constitui seqüência lógica e co-
dade, fora da família. esa para o texto abaixo e possa aparecer como sua
e) E se bem considerarmos as teorias modernas, seqüência imediata.
veremos que elas tendem, cada vez mais, a se-
parar o indivíduo da comunidade doméstica, a “A escola desempenha a função social de reprodutora
libertá-lo, por assim dizer, das “virtudes” familia- da estrutura de classes, mas de tal modo que a discri-
res. Dir-se-á que essa separação e essa liberta- minação dentro dela não seja percebida como tal, mas
ção representam as condições primárias e obri- como algo natural.”
gatórias de qualquer adaptação à “vida prática”. a) Assim, os padrões culturais expressos no vo-
(Sérgio Buarque de Holanda, com adaptações) cabulário, nas estruturas das frases e nas ma-
neiras de relacionamento vigentes nas classes
1004. dominantes são aceitos, sem questionamen-
Indique o item onde o trecho sublinhado não represen- tos, como os mais “corretos” e “adequados”,
ta seqüência coerente do trecho que o antecede. pela escola.
a) O processo da aceleração constante da inflação b) Logo, podemos concluir que o fracasso dos es-
provocou a hipertrofia do sistema financeiro brasi- tudantes oriundos das classes trabalhadoras
leiro: entre 1970 e 1985, setor ampliou sua partici- se deve, primordialmente, à sua própria inca-
pação no PIB de 6,4% para 12,4%. pacidade de origem.
b) o problema crucial que se coloca para o mercado c) Portanto, só o acesso dos filhos das classes
financeiro é visualizar qual será seu perfil quando o operárias à escola poderá ocasionar a diminui-
país atingir níveis baixos e estáveis de inflação, de ção das diferenças sociais, em nosso país.
forma tal que a sua estratégia de ajuste possa co- d) Esse o motivo a justificar a distribuição dos
meçar a ser montada com o menor custo. estudantes em turmas, de acordo com suas
c) A maior implicação da prática de saques a desco- classes sociais de origem.
berto sobre as reservas, como forma de financiar e) Essa dissimulação da discriminação tem como
gastos, é que os bancos estaduais passaram a objetivo, antes de mais nada, proporcionar aos
ser virtuais emissores de moeda, comprometendo estudantes uma interação mais livre e igualitá-
sensivelmente a execução de metas monetárias. ria.
d) A primeira descontinuidade importante no proces-
so de inchaço do setor financeiro ocorreu em 1986, Nas questões de nº 1007 a 1009 indique o item em
com a queda da taxa de inflação. Neste período, o que os sinais de pontuação não foram corretamente
sistema bancário passou por uma primeira fase de empregados.
encolhimento, que não trouxe efeitos traumáticos
dado o forte crescimento dos demais setores da 1007.
economia. a) No campo dos dissídios coletivos, o fracasso
e) O reaparecimento do redesconto de créditos priva- na negociação direta transfere para os juizes
dos deverá envolver uma mudança neste conceito. dos TRTs e ministros do TST uma responsabili-
O acesso ao redesconto, presentemente, é sinôni- dade gigantesca que, muitas vezes, as própri-
mo de graves problemas de liquidez. Portanto, o as diretorias das empresas evitam enfrentar -
redesconto é normal em qualquer sistema finan- especialmente as estatais.
ceiro com inflação estável e baixa. b) Não são raros os casos em que os dirigentes
(Mendonça, J. R., M.C. Pinotti, e M. C. Barros, com adap- fazem o papel de bonzinhos, deixando o desem-
tações) penho de algoz para o Poder Judiciário. Como
reverter este quadro? Como forçar as partes a
1005. negociar com todo o empenho? Penso que o
Assinale a opção correta. “método da oferta final” pode ajudar.
a) Essa medida é aquela que, ainda ontem, nos pe- c) Por esse método, o julgador só pode optar por
diram para implementá-la. uma das duas propostas finais das partes. Di-
b) Se eu não mais o vir, espero que você saiba con- gamos que uma pede 100% de aumento e a
vencê-lo de que suas reivindicações nada têm de outra insiste em conceder apenas 10%. O juiz
sensatas. só poderá escolher 100% ou 10%, ficando im-
c) Todas as questões que tinham na prova reduzi- pedido de escolher qualquer valor intermediário.
am-se a algumas poucas excessões. d) Esse é um exemplo pouco realista e aqui usa-
d) Não o comunicamos antes o ocorrido devido às do, simplesmente, para acentuar que a restri-
modificações que foram introduzidas.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


14
9
150 EDITORA HE_EDUCA

ção aludida constitui uma poderosíssima pressão 1009.


para as partes negociarem à exaustão. a) Nem mesmo um Cecil B. DeMille com poderes
e) Ela eleva extraordinariamente, o risco para as par- divinos – e orçamento ilimitado – seria capaz de
tes. Se o juiz decidir pelos 100%, arrasa a empre- reunir um elenco tão monumental, complexo, di-
sa; se decidir pelos 10%, arrasa os trabalhadores. ferenciado e demente quanto o elenco de euro-
(José Pastore, com adaptações) peus que “descobriu” e “conquistou” a América.
b) A lista de aventureiros sem escrúpulos, navegan-
1008. tes destemidos, soldados gananciosos, cartógra-
a) Os trabalhadores com datas-base em fevereiro, fos visionários, náufragos abandonados, militares
junho e outubro (Grupo 2) podem receber anteci- sangüinários, padres sem fé e religiosos devotos,
pação bimestral de 18%, e mais o INPC de setem- desertores conscientes e traidores contumazes,
bro, 15,62%, o que corresponderia a um aumento pilotos virtuosos e líderes com uma missão é vir-
total de 36,43% este mês. tualmente interminável.
b) O saque do Programa de Formação do Patrimônio c) Houve gente como o desmiolado Lope de Aguirre,
do Servidor Público (Pasep), é permitido no caso que se finou na busca de uma miragem: o mito do
de aposentadoria, invalidez, transferência para a El Dorado.
reserva remunerada, inatividade ou falecimento. d) Francisco Pizarro foi o criador de porcos analfa-
c) Quem vai às compras, para atender necessidades beto que conquistou o Peru e matou o inca Atahual-
básicas ou satisfazer desejos de consumo, não pa no garrote vil, depois de tê-lo feito pagar aquele
pode dispensar a pesquisa de preços. que talvez tenha sido o maior resgate da história:
d) Tanto os que têm como os que não têm cruzados uma sala repleta de ouro.
retidos e vivem o aperto da estagflação, a reces- e) Menos lembrado é o italiano Pigafetta, o aventu-
são combinada com a inflação, estão compulsori- reiro e escritor que inventou que a Patagônia era
amente obrigados a prestar mais atenção nos atos habitada por gigantes, ou Cristóvão de Acuna, o
do Executivo e do Legislativo, direito e dever da padre que inventou que o Rio Amazonas era pa-
cidadania e salva-guarda do bolso. trulhado por guerreiras amazonas, ou o inglês sir
e) Tributaristas já cansaram de dizer: é preciso estar Walter Raleigh, que conquistou as Guianas. (E.
atento e, mais do que isso, agir. Bueno, com adapt.)
(Jorge Zappia, com adaptações)

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
0
151 EDITORA HE_EDUCA

GABARITO
01. B 02. C 03. B 04. E 05. E

06. B 07. E 08. E 09. D 10. A

11. C 12. C 13. E 14. E 15. A

16. B 17. D 18. A 19. B 20. E

21. E 22. E 23. C 24. A 25. A

26. C 27. B 28. B 29. C 30. C

31. C 32. C 33. E 34. C 35. C

36. C 37. D 38. C 39. C 40. C

41. C 42. C 43. D 44. B 45. B

46. A 47. B 48. B 49. A 50. D

51. D 52. C 53. D 54. B 55. B

56. C 57. D 58. A 59. C 60. A

61. D 62. D 63. A 64. A 65. D

66. E 67. A 68. C 69. A 70. D

71. A 72. B 73. E 74. A 75. E

76. D 77. B 78. E 79. E 80. A

81. E 82. D 83. D 84. A 85. C

86. A 87. E 88. C 89. E 90. C

91. B 92. E 93. C 94. D 95. A

96. E 97. B 98. B 99. E 100. A

101. C 102. C 103. D 104. B 105. A

106. A 107. C 108. A 109. E 110. C

111. B 112. E 113. C 114. E 115. E

116. D 117. B 118. B 119. B 120. D

121. B 122. B 123. B 124. E 125. A

126. B 127. D 128. C 129. A 130. E

131. A 132. E 133. B 134. D 135. B

136. A 137. B 138. B 139. B 140. A

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
1
152 EDITORA HE_EDUCA

141. C 142. C 143. B 144. A 145. D

146. D 147. A 148. D 149. E 150. A

151. E 152. D 153. D 154. C 155. E

156. C 157. D 158. D 159. C 160. E

161. E 162. A 163. B 164. D 165. D

166. D 167. C 168. B 169. B 170. C

171. E 172. D 173. D 174. C 175. E

176. A 177. A 178. B 179. C 180. B

181. E 182. D 183. C 184. E 185. D

186. C 187. E 188. D 189. C 190. E

191. E 192. B 193. D 194. B 195. A

196. B 197. D 198. D 199. B 200. B

201. D 202. A 203. C 204. A 205. B

206. E 207. E 208. E 209. B 210. E

211. B 212. B 213. B 214. C 215. A

216. E 217. E 218. D 219. B 220. E

221. C 222. B 223. B 224. A 225. B

226. B 227. C 228. B 229. D 230. B

231. B 232. E 233. D 234. B 235. B

236. A 237. A 238. D 239. B 240. E

241. E 242. E 243. B 244. E 245. D

246. C 247. C 248. C 249. D 250. C

251. E 252. C 253. D 254. E 255. D

256. C 257. C 258. E 259. C 260. A

261. A 262. C 263. A 264. D 265. E

266. E 267. D 268. A 269. D 270. C

271. B 272. C 273. E 274. C 275. E

276. B 277. B 278. D 279. D 280. C

281. D 282. E 283. C 284. E 285. A

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
2
153 EDITORA HE_EDUCA

286. D 287. C 288. C 289. A 290. A

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
3
154 EDITORA HE_EDUCA

291. D 292. B 293. D 294. B 295. B

296. E 297. D 298. B 299. E 300. C

301. B 302. D 303. C 304. C 305. A

306. B 307. E 308. C 309. D 310. A

311. A 312. A 313. A 314. D 315. D

316. E 317. E 318. E 319. B 320. D

321. C 322. C 323. E 324. E 325. E

326. A 327. D 328. A 329. C 330. C

331. B 332. C 333. A 334. B 335. E

336. C 337. B 338. E 339. E 340. E

341. D 342. A 343. A 344. C 345. C

346. A 347. C 348. A 349. B 350. D

351. E 352. B 353. D 354. C 355. A

356. E 357. C 358. C 359. A 360. B

361. A 362. B 363. C 364. E 365. C

366. A 367. D 368. B 369. E 370. A

371. A 372. E 373. C 374. D 375. E

376. C 377. E 378. D 379. C 380. B

381. D 382. C 383. C 384. E 385. C

386. A 387. D 388. C 389. E 390. A

391. C 392. C 393. B 394. E 395. A

396. C 397. D 398. A 399. B 400. C

401. B 402. C/D 403. D 404. C 405. D

406. A 407. E 408. C 409. E 410. D

411. E 412. E 413. D 414. C 415. C

416. C 417. D 418. C 419. A 420. A

421. D 422. C 423. B 424. E 425. E

426. C 427. B 428. D 429. B 430. C

431. B 432. E 433. B 434. D 435. C

436. A 437. C 438. A 439. A 440. C

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
4
155 EDITORA HE_EDUCA

441. B 442. D 443. C 444. E 445. A

446. E 447. D 448. E 449. E 450. C

451. B 452. D 453. C 454. A 455. D

456. B 457. D 458. B 459. B 460. C

461. E 462. B 463. D 464. E 465. A

466. C 467. D 468. 1.A/2.E 469. B 470. E

471. B 472. C 473. E 474. B 475. C

476. A 477. B 478. B 479. B 480. C

481. D 482. C 483. E 484. D 485. D

486. C 487. B 488. A 489. C 490. C

491. B 492. D 493. A 494. C 495. D

496. A 497. B 498. C 499. D 500. C

501. C 502. A 503. B 504. E 505. B

506. C 507. A 508. B 509. A 510. D

511. B 512. E 513. B 514. E 515. D

516. D 517. D 518. A 519. D 520. C

521. E 522. C 523. C 524. C 525. E

526. B 527. E 528. A 529. D 530. D

531. E 532. A 533. C 534. D 535. A

536. A 537. E 538. A 539. B 540. E

541. B 542. D 543. B 544. C 545. B

546. D 547. D 548. D 549. C 550. A

551. A 552. A 553. D 554. B 555. C

556. B 557. C 558. A 559. A 560. C

561. C 562. A 563. E 564. B 565. D

566. C 567. D 568. C 569. B 570. A

571. C 572. E 573. A 574. A 575. B

576. A 577. A 578. B 579. C 580. D

581. A 582. A 583. D 584. A 585. B

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
5
156 EDITORA HE_EDUCA

586. C 587. B 588. C 589. E 590. E

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
6
157 EDITORA HE_EDUCA

591. B 592. C 593. D 594. D 595. C

596. C 597. E 598. B 599. B 600. C

601. B 602. D 603. A 604. B 605. D

606. D 607. B 608. D 609. B 610. B

611. D 612. A 613. D 614. A 615. E

616. D 617. A 618. B 619. A 620. 1.B/ 2.D

621. C 622. D 623. A 624. B 625. B

626. D 627. E 628. A 629. E 630. A

631. D 632. C 633. E 634. B 635. C

636. D 637. A 638. E 639. A 640. A

641. A 642. C 643. E 644. C 645. A

646. D 647. E 648. E 649. A 650. C

651. C 652. A 653. D 654. A 655. B

656. D 657. E 658. A 659. D 660. B

661. D 662. B 663. A 664. C 665. E

666. D 667. E 668. A 669. D 670. E

671. E 672. C 673. C 674. E 675. A

676. D 677. E 678. A 679. C 680. E

681. C 682. B 683. B 684. E 685. C

686. C 687. A 688. A 689. D 690. B

691. A 692. B 693. D 694. D 695. C

696. C 697. C 698. A 699. C 700. D

701. C 702. E 703. C 704. A 705. E

706. E 707. C 708. C 709. C 710. A

711. C 712. A 713. D 714. C 715. E

716. D 717. E 718. C 719. D 720. B

721. A 722. E 723. C 724. B 725. D

726. D 727. D 728. C 729. B 730. A

731. 1.C/2.C 732. C 733. D 734. E 735. E

736. B 737. D 738. A 739. B 740. E

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
7
158 EDITORA HE_EDUCA

741. B 742. E 743. B 744. C 745. A

746. A 747. A 748. B 749. A 750. C

751. A 752. D 753. A 754. 1.B/2.A/3.C 755. B

756. B 757. D 758. B 759. B 760. B

761. A 762. D 763. C 764. A 765. A

766. C 767. A 768. B 769. C 770. B

771. C 772. D 773. A 774. E 775. D

776. E 777. E 778. C 779. B 780. B

781. D 782. D 783. C 784. C 785. E

786. D 787. A 788. E 789. B 790. C

791. C 792. D 793. D 794. A 795. B

796. E 797. D 798. D 799. E 800. C

801. C 802. A 803. C 804. C 805. C

806. A 807. B 808. B 809. B 810. A

811. A 812. D 813. C 814. B 815. A

816. B 817. B 818. D 819. C 820. B

821. A 822. E 823. E 824. E 825. E

826. A 827. C 828. B 829. D 830. B

831. NULA 832. D 833. C 834. E 835. B

836. B 837. B 838. C 839. D 840. B

841. B 842. C 843. B 844. D 845. D

846. D 847. C 848. E 849. B 850. D

851. A 852. A 853. B 854. D 855. E

856. A 857. E 858 C 859. A 860. D

861. A 862. A 863. A 864. B 865. B

866. D 867. C 868. B 869. C 870. E

871. A 872. C 873. B 874. D 875. D

876. C 877. D 878. A 879. D 880. A

881. E 882. A 883. E 884. D 885. C

886. B 887. B 888. C 889. E 890. D

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
8
159 EDITORA HE_EDUCA

891. E 892. C 893. D 894. A 895. D

896. C 897. B 898. D 899. B 900. D

901. A 902. D 903. E 904. B 905. B

906. A 907. C 908. E 909. C 910. C

911. A 912. C 913. D 914. D 915. D

916. E 917. C 918. A 919. E 920. B

921. B 922. E 923. E 924. D 925. C

926. B 927. D 928. C 929. E 930. B

931. B 932. E 933. A 934. C 935. C

936. D 937. NULA 938. B 939. A 940. C

941. A 942. D 943. A 944. D 945. E

946. B 947. E 948. D 949. C 950. C

951. D 952. A 953. B 954. E 955. E

956. A 957. D 958. C 959. A 960. C

961. B 962. C 963. D 964. B 965. D

966. B 967. D 968. A 969. A 970. A

971. E 972. D 973. A 974. C 975. E

976. E 977. E 978. A 979. E 980. B

981. D 982. C 983. E 984. A 985. E

986. C 987. D 988. A 989. E 990. B

991. D 992. B 993. D 994. D 995. C

996. C 997. A 998. E 999. E 1000. B

1001. C 1002. D 1003. A 1004. E 1005. B

1006. A 1007. E 1008. B 1009. C

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS HE_EDUCA


15
9
(A)) equacionado como uma forma de equilíbrio entre as
LÍNGUA PORTUGUESA atividades humanas e o respeito ao mundo natural.
(B) identificado como aprimoramento tecnológico que
Nota resulte em atividade economicamente viável.
As questões aqui transcritas foram extraídas de (C) caracterizado como uma atividade que redunde em
provas anteriores dos mais variados maiores lucros para todos os indivíduos de uma
comunidade.
concursos, obedecendo o programa oficial. (D) definido como um atributo da natureza que induz os
homens a aproveitarem apenas o que é oferecido
Atenção: As questões de números 1 a 10 referem-se
em sua forma natural.
ao texto que segue.
(E) aceito como um processo civilizatório que implique
melhor distribuição de renda entre todos os agentes
No coração do progresso
dos setores produtivos.
Há séculos a civilização ocidental vem correndo atrás
de tudo o que classifica como progresso. Essa palavra
2. Considere as seguintes afirmações:
mágica aplica-se tanto à invenção do aeroplano ou à
I. A banalização do uso da palavra progresso é uma
descoberta do DNA como à promoção do papai no novo
consequência do fato de que a Ecologia deixou de
emprego. “Estou fazendo progressos”, diz a titia, quando
ser um assunto acadêmico.
enfim acerta a mão numa velha receita. Mas quero
II. A expressão desenvolvimento sustentável
chegar logo ao ponto, e convidar o leitor a refletir sobre o
pressupõe que haja formas de desenvolvimento
sentido dessa palavra, que sempre pareceu abrir todas
nocivas e predatórias.
as portas para uma vida melhor.
III. Entende o autor do texto que a magia da palavra
Quando, muitos anos atrás, num daqueles
progresso advém do uso consciente e responsável
documentários de cinema, via-se uma floresta sendo
que a maioria das pessoas vem fazendo dela.
derrubada para dar lugar a algum empreendimento,
Em relação ao texto está correto APENAS que se
ninguém tinha dúvida em dizer ou pensar: é o progresso.
afirma em
Uma represa monumental era progresso. Cada novo
(A) I.
produto químico era um progresso. As coisas não
(B)) II.
mudaram tanto: continuamos a usar indiscriminadamente
(C) III.
a palavrinha mágica. Mas não deixaram de mudar um
(D) I e II.
pouco: desde que a Ecologia saiu das academias,
(E) II e III.
divulgou-se, popularizou-se e tornou-se, efetivamente,
um conjunto de iniciativas em favor da preservação
3. Considerando-se o contexto, traduz-se
ambiental e da melhoria das condições da vida em nosso
corretamente uma frase do texto em:
pequenino planeta.
(A) Mas quero chegar logo ao ponto = devo me
Para isso, foi preciso determinar muito bem o sentido
antecipar a qualquer conclusão.
de progresso. Do ponto de vista material, considera-se
(B) continuamos a usar indiscriminadamente a
ganho humano apenas aquilo que concorre para
palavrinha mágica = seguimos chamando de
equilibrar a ação transformadora do homem sobre a
mágico tudo o que julgamos sem preconceito.
natureza e a integridade da vida natural.
(C) para cercear as iniciativas predatórias = para ir ao
Desenvolvimento, sim, mas sustentável: o adjetivo
encontro das ações voluntariosas.
exprime uma condição, para cercear as iniciativas
(D) ações que inflectem sobre qualquer aspecto da
predatórias. Cada novidade tecnológica há de ser
qualidade da vida = práticas alheias ao que diz
investigada quanto a seus efeitos sobre o homem e o
respeito às condições de vida.
meio em que vive. Cada intervenção na natureza há de
(E)) há de adequar-se a um planejamento = deve ir ao
adequar-se a um planejamento que considere a
encontro do que está planificado.
qualidade e a extensão dos efeitos.
Em suma: já está ocorrendo, há algum tempo, uma
4. Cada intervenção na natureza há de adequar-se a
avaliação ética e política de todas as formas de
um planejamento pelo qual se garanta que a
progresso que afetam nossa relação com o mundo e,
qualidade da vida seja preservada.
portanto, a qualidade da nossa vida. Não é pouco, mas
Os tempos e os modos verbais da frase acima
ainda não é suficiente. Aos cientistas, aos
continuarão corretamente articulados caso se
administradores, aos empresários, aos industriais e a
substituam as formas sublinhadas, na ordem em
todos nós – cidadãos comuns – cabe a tarefa cotidiana
que surgem, por
de zelarmos por nossas ações que inflectem sobre
(A) houve - garantiria - é
qualquer aspecto da qualidade de vida. A tarefa começa
(B) haveria - garantiu - teria sido
em nossa casa, em nossa cozinha e banheiro, em nosso
(C) haveria - garantisse - fosse
quintal e jardim – e se estende à preocupação com a rua,
(D) haverá - garantisse - e
com o bairro, com a cidade.
(E) havia - garantiu - é
“Meu coração não é maior do que o mundo”, dizia o
poeta. Mas um mundo que merece a atenção do nosso
5. As normas de concordância verbal estão
coração e da nossa inteligência é, certamente, melhor do
plenamente respeitadas na frase:
que este em que estamos vivendo.
(A)) Já faz muitos séculos que se vêm atribuindo à
Não custa interrogar, a cada vez que alguém diz
palavra progresso algumas conotações mágicas.
progresso, o sentido preciso – talvez oculto - da palavra
(B) Deve-se ao fato de usamos muitas palavras sem
mágica empregada. (Alaor Adauto de Mello)
conhecer seu sentido real muitos equívocos
ideológicos.
1. Centraliza-se, no texto, uma concepção de
(C) Muitas coisas a que associamos o sentido de
progresso, segundo a qual este deve ser
progresso não chega a representarem, de fato,

Português 1
qualquer avanço significativo. mereça nossa atenção quanto ao fato de que
(D) Se muitas novidades tecnológicas houvesse de ser sejamos responsáveis por sua melhoria, seja o
investigadas a fundo, veríamos que são irrelevantes nosso quintal, nossa rua, enfim, onde se esteja.
para a melhoria da vida. (D)) Todo desenvolvimento definido como sustentável
(E) Começam pelas preocupações com nossa casa, exige, para fazer jus a esse adjetivo, cuidados
com nossa rua, com nossa cidade a tarefa de especiais com o meio ambiente, para que não
zelarmos por uma boa qualidade da vida. venham a ser nocivos seus efeitos imediatos ou
futuros.
6. Está correto o emprego de ambas as expressões (E) Tem muita ciência que, se saísse das limitações
sublinhadas na frase: acadêmicas, acabariam por se revelarem mais úteis
(A) De tudo aquilo que classificamos como progresso e mais populares, em vista da Ecologia, cujas
costumamos atribuir o sentido de um tipo de ganho consequências se sente mesmo no âmbito da vida
ao qual não queremos abrir mão. prática.
(B) É preferível deixar intacta a mata selvagem do que
destruí-la em nome de um benefício em que quase 10. Está inteiramente correta a pontuação do seguinte
ninguém desfrutará. período:
(C) A titia, cuja a mão enfim acertou numa velha (A) Toda vez que é pronunciada, a palavra progresso,
receita, não hesitou em ver como progresso a parece abrir a porta para um mundo, mágico de
operação à qual foi bem sucedida. prosperidade garantida.
(D) A precisão da qual se pretende identificar o sentido (B)) Por mínimas que pareçam, há providências
de uma palavra depende muito do valor de contexto inadiáveis, ações aparentemente irrisórias, cuja
a que lhe atribuímos. execução cotidiana é, no entanto, importantíssima.
(E)) As inovações tecnológicas de cujo benefício todos (C) O prestígio da palavra progresso, deve-se em
se aproveitam representam, efetivamente, o avanço grande parte ao modo irrefletido, com que usamos
a que se costuma chamar progresso. e abusamos, dessa palavrinha mágica.
(D) Ainda que traga muitos benefícios, a construção de
7. Considere as seguintes afirmações, relativas a enormes represas, costuma trazer também uma
aspectos da construção ou da expressividade do série de consequências ambientais que, nem
texto: sempre, foram avaliadas.
I. No contexto do segundo parágrafo, a forma plural (E) Não há dúvida, de que o autor do texto aderiu a
não mudaram tanto atende à concordância com teses ambientalistas segundo as quais, o conceito
academias. de progresso está sujeito a uma permanente
II. No contexto do terceiro parágrafo, a expressão há avaliação.
de adequar-se exprime um dever imperioso, uma
necessidade premente. Leia o texto a seguir para responder às questões de
III. A expressão Em suma, tal como empregada no números 11 a 24.
quarto parágrafo, anuncia a abertura de uma linha
de argumentação ainda inexplorada no texto. De um lado estão os prejuízos e a restrição de
Está correto APENAS o que se afirma em direitos causados pelos protestos que param as ruas de
(A) I. São Paulo. De outro está o direito à livre manifestação,
(B)) II. assegurado pela Carta de 1988. Como não há fórmula
(C) III. perfeita de arbitrar esse choque entre garantias
(D) I e II. democráticas fundamentais, cabe lançar mão de
(E) II e III. medidas pontuais – e sobretudo de bom senso.
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET)
8. A palavra progresso frequenta todas as bocas, estima em R$ 3 milhões o custo para a população dos
todas pronunciam a palavra progresso, todas protestos ocorridos nos últimos três anos na capital
atribuem a essa palavra sentidos mágicos que paulista. O cálculo leva em conta o combustível
elevam essa palavra ao patamar dos nomes consumido e as horas perdidas de trabalho durante os
miraculosos. engarrafamentos causados por protestos. Os carros
Evitam-se as repetições viciosas da frase acima enfileirados por conta de manifestações nesses três anos
substituindo-se os elementos sublinhados, na praticamente cobririam os 231 km que separam São
ordem dada, por: Paulo de São Carlos.
(A)) a pronunciam - lhe atribuem - a elevam A Justiça é o meio mais promissor, em longo prazo,
(B) a pronunciam - atribuem-na - elevam-na para desestimular os protestos abusivos que param o
(C) lhe pronunciam - lhe atribuem - elevam-lhe trânsito nos horários mais inconvenientes e acarretam
(D) a ela pronunciam - a ela atribuem - lhe elevam variados transtornos a milhões de pessoas. É adequada
(E) pronunciam-na - atribuem-na - a elevam a atitude da CET de enviar sistematicamente ao
Ministério Público relatórios com os prejuízos causados
9. Está clara e correta a redação da seguinte frase: em cada manifestação feita fora de horários e locais
(A) Caso não se determine bem o sentido da palavra sugeridos pela agência ou sem comunicação prévia.
progresso, pois que é usada indiscriminadamente, Com base num documento da CET, por exemplo, a
ainda assim se faria necessário que reflitamos Procuradoria acionou um líder de sindicato, o qual foi
sobre seu verdadeiro sentido. condenado em primeira instância a pagar R$ 3,3 milhões
(B) Ao dizer o poeta que seu coração não é maior do aos cofres públicos, a título de reparação. O direito à
que o mundo, devemos nos inspirar para que se livre manifestação está previsto na Constituição. No
estabeleça entre este e o nosso coração os entanto, tal direito não anula a responsabilização civil e
compromissos que se reflitam numa vida melhor. criminal em caso de danos provocados pelos protestos.
(C) Nada é desprezível no espaço do mundo, que não O poder público deveria definir, de preferência em

Português 2
negociação com as categorias que costumam realizar forma bem-sucedida de desestimular protestos
protestos na capital, horários e locais vedados às abusivos.
passeatas. Práticas corriqueiras, como a paralisia de (E) satisfação, porque cita casos em que a Justiça já
avenidas essenciais para o tráfego na capital nos teve êxito em impedir protestos em horários
horários de maior fluxo, deveriam ser abolidas. inconvenientes e em avenidas movimentadas.
(Folha de S.Paulo, 29.09.07. Adaptado)
16. De acordo com o texto, a atitude da Companhia de
11. De acordo com o texto, é correto afirmar que Engenharia de Tráfego de enviar periodicamente
(A) a Companhia de Engenharia de Tráfego não sabe relatórios sobre os prejuízos causados em cada
mensurar o custo dos protestos ocorridos nos manifestação é
últimos anos. (A) pertinente.
(B) os prejuízos da ordem de R$ 3 milhões em razão (B) indiferente.
dos engarrafamentos já foram pagos pelos (C) irrelevante.
manifestantes. (D) onerosa.
(C) os protestos de rua fazem parte de uma sociedade (E) inofensiva.
democrática e são permitidos pela Carta de 1988.
(D) após a multa, os líderes de sindicato resolveram 17. No quarto parágrafo, o fato de a Procuradoria
organizar protestos de rua em horários e locais condenar um líder sindical
predeterminados. (A) é ilegal e fere os preceitos da Carta de 1998.
(E) o Ministério Público envia com frequência estudos (B) deve ser comemorada, ainda que viole a
sobre os custos das manifestações feitas de forma Constituição.
abusiva. (C) é legal, porque o direito à livre manifestação não
isenta o manifestante da responsabilidade pelos
12. No primeiro parágrafo, afirma-se que não há danos causados.
fórmula perfeita para solucionar o conflito entre (D) é nula, porque, segundo o direito à livre
manifestantes e os prejuízos causados ao restante manifestação, o acusado poderá entrar com
da população. A saída estaria principalmente na recurso.
(A) sensatez. (E) é inédita, porque, pela primeira vez, apesar dos
(B) Carta de 1998. direitos assegurados, um manifestante será punido.
(C) Justiça.
(D) Companhia de Engenharia de Tráfego. 18. Dentre as soluções apontadas, no último parágrafo,
(E) na adoção de medidas amplas e profundas. para resolver o conflito, destaca-se
(A) multa a líderes sindicais.
13. De acordo com o segundo parágrafo do texto, os (B) fiscalização mais rígida por parte da Companhia de
protestos que param as ruas de São Paulo Engenharia de Tráfego.
representam um custo para a população da cidade. (C) o fim dos protestos em qualquer via pública.
O cálculo desses custos é feito a partir (D) fixar horários e locais proibidos para os protestos de
(A) das multas aplicadas pela Companhia de rua.
Engenharia de Tráfego (CET). (E) negociar com diferentes categorias para que não
(B) dos gastos de combustível e das horas de trabalho façam mais manifestações.
desperdiçadas em engarrafamentos.
(C) da distância a ser percorrida entre as cidades de 19. No trecho – É adequada a atitude da CET de enviar
São Paulo e São Carlos. relatórios –, substituindo-se o termo atitude por
(D) da quantidade de carros existentes entre a capital comportamentos, obtém-se, de acordo com as
de São Paulo e São Carlos. regras gramaticais, a seguinte frase:
(E) do número de usuários de automóveis particulares (A) É adequada comportamentos da CET de enviar
da cidade de São Paulo. relatórios.
(B) É adequado comportamentos da CET de enviar
14. A quantidade de carros parados nos relatórios.
engarrafamentos, em razão das manifestações na (C) São adequado os comportamentos da CET de
cidade de São Paulo nos últimos três anos, é enviar relatórios.
equiparada, no texto, (D) São adequadas os comportamentos da CET de
(A) a R$ 3,3 milhões. enviar relatórios.
(B) ao total de usuários da cidade de São Carlos. (E) São adequados os comportamentos da CET de
(C) ao total de usuários da cidade de São Paulo. enviar relatórios.
(D) ao total de combustível economizado.
(E) a uma distância de 231 km. 20. No trecho – No entanto, tal direito não anula a
responsabilização civil e criminal em caso de danos
15. No terceiro parágrafo, a respeito do poder da provocados pelos protestos –, a locução conjuntiva
Justiça em coibir os protestos abusivos, o texto no entanto indica uma relação de
assume um posicionamento de (A) causa e efeito.
(A) indiferença, porque diz que a decisão não cabe à (B) oposição.
Justiça. (C) comparação.
(B) entusiasmo, porque acredita que o órgão já tem (D) condição.
poder para impedir protestos abusivos. (E) explicação.
(C) decepção, porque não vê nenhum exemplo
concreto do órgão para impedir protestos em 21. “Não há fórmula perfeita de arbitrar esse choque.”
horários de pico. Nessa frase, a palavra arbitrar é um sinônimo de
(D) confiança, porque acredita que, no futuro, será uma (A) julgar.

Português 3
(B) almejar. das faculdades. Diante dessa polivalência do curso de
(C) condenar. direito, os exames da OAB são uma solução brilhante.
(D) corroborar. Aqueles que defenderão clientes nos tribunais devem
(E) descriminar. demonstrar nessa prova um mínimo de conhecimento.
Mas, como os cursos são também úteis para quem não
22. No trecho – A Justiça é o meio mais promissor para fez o exame da Ordem ou não foi bem sucedido na
desestimular os protestos abusivos – a preposição prova, abrir ou fechar cursos de “formação geral” é
para estabelece entre os termos uma relação de assunto do MEC, não da OAB. A interferência das
(A) tempo. corporações não passa de uma prática monopolista e
(B) posse. ilegal em outros ramos da economia. Questionamos
(C) causa. também se uma corporação profissional deve ter carta-
(D) origem. branca para determinar a dificuldade das provas, pois
(E) finalidade. essa é também uma forma de limitar a concorrência –
mas trata-se aí de uma questão secundária. (...)
23. Na frase – O poder público deveria definir horários (Veja, 07.03.2007. Adaptado)
e locais –, substituindo-se o verbo definir por
obedecer, obtém-se, segundo as regras de 25. Assinale a alternativa que reescreve, com correção
regência verbal, a seguinte frase: gramatical, as frases: Faz quase dois séculos que foram
(A) O poder público deveria obedecer para horários e fundadas escolas de direito e medicina no Brasil. / É
locais. embaraçoso verificar que ainda não foram resolvidos os
(B) O poder público deveria obedecer a horários e enguiços entre diplomas e carreiras.
locais. (A) Faz quase dois séculos que se fundou escolas de
(C) O poder público deveria obedecer horários e locais. direito e medicina no Brasil. / É embaraçoso verificar que
(D) O poder público deveria obedecer com horários e ainda não se resolveu os enguiços entre diplomas e
locais. carreiras.
(E) O poder público deveria obedecer os horários e (B) Faz quase dois séculos que se fundava escolas de
locais. direito e medicina no Brasil. / É embaraçoso verificar que
ainda não se resolveram os enguiços entre diplomas e
24. Transpondo para a voz passiva a frase – A carreiras.
Procuradoria acionou um líder de sindicato – (C) Faz quase dois séculos que se fundaria escolas de
obtém-se: direito e medicina no Brasil. / É embaraçoso verificar que
(A) Um líder de sindicato foi acionado pela ainda não se resolveu os enguiços entre diplomas e
Procuradoria. carreiras.
(B) Acionaram um líder de sindicato pela Procuradoria. (D) Faz quase dois séculos que se fundara escolas de
(C) Acionaram-se um líder de sindicato pela direito e medicina no Brasil. / É embaraçoso verificar que
Procuradoria. ainda não se resolvera os enguiços entre diplomas e
(D) Um líder de sindicato será acionado pela carreiras.
Procuradoria. (E) Faz quase dois séculos que se fundaram escolas de
(E) A Procuradoria foi acionada por um líder de direito e medicina no Brasil. / É embaraçoso verificar que
sindicato. ainda não se resolveram os enguiços entre diplomas e
carreiras.
Leia o texto para responder às questões de números 25
a 34 26. Assinale a alternativa que completa, correta e
respectivamente, de acordo com a norma culta, as
Diploma e monopólio frases: O monopólio só é bom para aqueles que
____________. / Nos dias de hoje, nem 20% advogam, e
Faz quase dois séculos que foram fundadas escolas de apenas 1% ____________. / Em sua maioria, os
direito e medicina no Brasil. É embaraçoso verificar que advogados sempre ____________.
ainda não foram resolvidos os enguiços entre diplomas e (A) o retêem / obtem sucesso / se apropriaram os postos
carreiras. Falta-nos descobrir que a concorrência (sob de destaque na política e no mundo dos negócios
um bom marco regulatório) promove o interesse da (B) o retém / obtém sucesso / se apropriaram aos postos
sociedade e que o monopólio só é bom para quem o de destaque na política e no mundo dos negócios
detém. Não fora essa ignorância, como explicar a (C) o retém / obtêem sucesso / se apropriaram os postos
avalanche de leis que protegem monopólios espúrios de destaque na política e no mundo dos negócios
para o exercício profissional? (D) o retêm / obtém sucesso / sempre se apropriaram de
postos de destaque na política e no mundo dos negócios
Desde a criação dos primeiros cursos de direito, os (E) o retem / obtêem sucesso / se apropriaram de postos
graduados apenas ocasionalmente exercem a profissão. de destaque na política e no mundo dos negócios
Em sua maioria, sempre ocuparam postos de destaque
na política e no mundo dos negócios. Nos dias de hoje, 27. Assinale a alternativa em que se repete o tipo de
nem 20% advogam. oração introduzida pela conjunção se, empregado na
frase – Questionamos também se uma corporação
Mas continua havendo boas razões para estudar direito, profissional deve ter carta-branca para determinar a
pois esse é um curso no qual se exercita lógica rigorosa, dificuldade das provas, ...
se lê e se escreve bastante. Torna os graduados mais (A) A sociedade não chega a saber se os advogados são
cultos e socialmente mais produtivos do que se não muito corporativos.
houvessem feito o curso. Se aprendem pouco, paciência, (B) Se os advogados aprendem pouco, a culpa é da
a culpa é mais da fragilidade do ensino básico do que fragilidade do ensino básico.

Português 4
(C) O advogado afirma que se trata de uma questão
secundária. 32. Assinale a alternativa que reescreve a frase de
(D) É um curso no qual se exercita lógica rigorosa. acordo com a norma culta.
(E) No curso de direito, lê-se bastante. (A) Os graduados apenas ocasionalmente exercem a
profissão. / Os graduados apenas ocasionalmente se
28. Assinale a alternativa em que se admite a dedicam
concordância verbal tanto no singular como no plural a profissão.
como em: A maioria dos advogados ocupam postos de (B) Os advogados devem demonstrar nessa prova um
destaque na política e no mundo dos negócios. mínimo de conhecimento. / Os advogados devem primar
(A) Como o direito, a medicina é uma carreira nessa prova por um mínimo de conhecimento.
estritamente profissional. (C) Ele não fez o exame da OAB. / Ele não procedeu o
(B) Os Estados Unidos e a Alemanha não oferecem exame da OAB.
cursos de administração em nível de bacharelado. (D) As corporações deviam promover o interesse da
(C) Metade dos cursos superiores carecem de boa sociedade. / As corporações deviam almejar do interesse
qualificação. da sociedade.
(D) As melhores universidades do país abastecem o (E) Essa é uma forma de limitar a concorrência. / Essa é
mercado de trabalho com bons profissionais. uma forma de restringir à concorrência.
(E) A abertura de novos cursos tem de ser controlada por
órgãos oficiais. 33. Assinale a alternativa em que o período formado com
as frases I, II e III estabelece as relações de condição
29. Assinale a alternativa que apresenta correta entre I e II e de adição entre I e III.
correlação de tempo verbal entre as orações. I. O advogado é aprovado na OAB.
(A) Se os advogados demonstrarem um mínimo de II. O advogado raciocina com lógica.
conhecimento, poderiam defender bem seus clientes. III. O advogado defende o cliente no tribunal.
(B) Embora tivessem cursado uma faculdade, não se (A) Se o advogado raciocinar com lógica, ele será
desenvolveram intelectualmente. aprovado na OAB e defenderá o cliente no tribunal com
(C) É possível que os novos cursos passam a ter sucesso.
fiscalização mais severa. (B) O advogado defenderá o cliente no tribunal com
(D) Se não fosse tanto desconhecimento, o desempenho sucesso, mas terá de raciocinar com lógica e ser
poderá ser melhor. aprovado na OAB.
(E) Seria desejável que os enguiços entre diplomas e (C) Como raciocinou com lógica, o advogado será
carreiras se resolvem brevemente. aprovado na OAB e defenderá o cliente no tribunal com
sucesso.
30. A substituição das expressões em destaque por um (D) O advogado defenderá o cliente no tribunal com
pronome pessoal está correta, nas duas frases, de sucesso porque raciocinou com lógica e foi aprovado na
acordo com a norma culta, em: OAB.
(A) I. A concorrência promove o interesse da sociedade. / (E) Uma vez que o advogado raciocinou com lógica e foi
A concorrência promove-o. II. Aqueles que defenderão aprovado na OAB, ele poderá defender o cliente no
clientes. / Aqueles que lhes defenderão. tribunal com sucesso.
(B) I. O governo fundou escolas de direito e de medicina.
/ O governo fundou elas. II. Os graduados apenas 34. Na frase – Se aprendem pouco, paciência, a culpa é
ocasionalmente mais da fragilidade do ensino básico do que das
exercem a profissão. / Os graduados apenas faculdades. – a palavra paciência vem entre vírgulas
ocasionalmente exercem-la. para, no contexto,
(C) I. Torna os graduados mais cultos. / Torna-os mais (A) garantir a atenção do leitor.
cultos. II. É preciso mencionar os cursos de (B) separar o sujeito do predicado.
administração. / É preciso mencionar-lhes. (C) intercalar uma reflexão do autor.
(D) I. Os advogados devem demonstrar muitos (D) corrigir uma afirmação indevida.
conhecimentos. Os advogados devem demonstrá-los. II. (E) retificar a ordem dos termos.
As associações mostram à sociedade o seu papel. / As
associações mostram-lhe o seu papel. Atenção: As questões de números 35 a 42 referem-se ao
(E) I. As leis protegem os monopólios espúrios. / As leis texto abaixo.
protegem-os. II. As corporações deviam fiscalizar a
prática profissional. / As corporações deviam fiscalizá-la. Sobre Ética
A palavra Ética é empregada nos meios acadêmicos em
31. Assinale a alternativa em que as palavras em três acepções. Numa, faz-se referência a teorias que têm
destaque exercem, respectivamente, a mesma função como objeto de estudo o comportamento moral, ou seja,
sintática das expressões assinaladas em: Os graduados como entende Adolfo Sanchez Vasquez, “a teoria que
apenas ocasionalmente exercem a profissão. pretende explicar a natureza, fundamentos e condições
(A) Se aprendem pouco, a culpa é da fragilidade do da moral, relacionando-a com necessidades sociais
ensino básico. humanas.” Teríamos, assim, nessa acepção, o
(B) A interferência das corporações não passa de uma entendimento de que o fenômeno moral pode ser
prática monopolista. estudado racional e cientificamente por uma disciplina
(C) Abrir e fechar cursos de “formação geral” é assunto que se propõe a descrever as normas morais ou mesmo,
do MEC. com o auxílio de outras ciências, ser capaz de explicar
(D) O estudante de direito exercita preferencialmente valorações comportamentais.
uma lógica rigorosa.
(E) Boas razões existirão sempre para o advogado
buscar conhecimento.

Português 5
Um segundo emprego dessa palavra é considerá-la uma (A) (...) a colocará em íntima conexão com o Direito.
categoria filosófica e mesmo parte da Filosofia, da qual (inclusão)
se constituiria em núcleo especulativo e reflexivo sobre a (B) (...) os valores morais dariam o balizamento do agir
complexa fenomenologia da moral na convivência (...) (arremate)
humana. A Ética, como parte da Filosofia, teria por objeto (C) (...) qualificação do comportamento do homem como
refletir sobre os fundamentos da moral na busca de ser em situação. (provisório)
explicação dos fatos morais. (D) (...) nem tampouco como fenômeno especulativo.
(nem, ainda)
Numa terceira acepção, a Ética já não é entendida como (E) (...) de um agir, de um comportamento
objeto descritível de uma Ciência, tampouco como consequencial... (concessivo)
fenômeno especulativo. Trata-se agora da conduta
esperada pela aplicação de regras morais no 40. As normas de concordância estão plenamente
comportamento social, o que se pode resumir como observadas na frase:
qualificação do comportamento do homem como ser em (A) Costumam-se especular, nos meios acadêmicos, em
situação. É esse caráter normativo de Ética que a torno de três acepções de Ética.
colocará em íntima conexão com o Direito. Nesta visão, (B) As referências que se faz à natureza da ética
os valores morais dariam o balizamento do agir e a Ética consideram-na, com muita frequência, associada aos
seria assim a moral em realização, pelo reconhecimento valores morais.
do outro como ser de direito, especialmente de (C) Não coubessem aos juristas aproximar-se da ética,
dignidade. Como se vê, a compreensão do fenômeno as leis deixariam de ter a dignidade humana como
Ética não mais surgiria metodologicamente dos balizamento.
resultados de uma descrição ou reflexão, mas sim, (D) Não derivam das teorias, mas das práticas humanas,
objetivamente, de um agir, de um comportamento o efetivo valor de que se impregna a conduta dos
consequencial, capaz de tornar possível e correta a indivíduos.
convivência. (Adaptado do site Doutrina Jus Navigandi) (E) Convém aos filósofos e juristas, quaisquer que sejam
as circunstâncias, atentar para a observância dos valores
35. As diferentes acepções de Ética devem-se, conforme éticos.
se depreende da leitura do texto,
(A) aos usos informais que o senso comum faz desse 41. Está clara, correta e coerente a redação do seguinte
termo. comentário sobre o texto:
(B) às considerações sobre a etimologia dessa palavra. (A) Dentre as três acepções de Ética que se menciona
(C) aos métodos com que as ciências sociais a analisam. no texto, uma apenas diz respeito à uma área em que
(D) às íntimas conexões que ela mantém com o Direito. conflui com o Direito.
(E) às perspectivas em que é considerada pelos (B) O balizamento da conduta humana é uma atividade
acadêmicos. em que, cada um em seu campo, se empenham o jurista
e o filósofo.
36. A concepção de ética atribuída a Adolfo Sanchez (C) Costuma ocorrer muitas vezes não ser fácil distinguir
Vasquez é retomada na seguinte expressão do texto: Ética ou Moral, haja vista que tanto uma quanto outra
(A) núcleo especulativo e reflexivo. pretendem ajuizar à situação do homem.
(B) objeto descritível de uma Ciência. (D) Ainda que se torne por consenso um valor do
(C) explicação dos fatos morais. comportamento humano, a Ética varia conforme a
(D) parte da Filosofia. perspectiva de atribuição do mesmo.
(E) comportamento consequencial (E) Os saberes humanos aplicados, do conhecimento da
Ética, costumam apresentar divergências de enfoques,
37. No texto, a terceira acepção da palavra ética deve em que pese a metodologia usada.
ser entendida como aquela em que se considera,
sobretudo, 42. Transpondo-se para a voz passiva a frase Nesta
(A) o valor desejável da ação humana. visão, os valores morais dariam o balizamento do agir, a
(B) o fundamento filosófico da moral. forma verbal resultante deverá ser:
(C) o rigor do método de análise. (A) seria dado.
(D) a lucidez de quem investiga o fato moral. (B) teriam dado.
(E) o rigoroso legado da jurisprudência. (C) seriam dados.
(D) teriam sido dados.
38. Dá-se uma íntima conexão entre a Ética e o Direito (E) fora dado.
quando ambos revelam, em relação aos valores morais
da conduta, uma preocupação Atenção: As questões de números 43 a 48 referem-se ao
(A) filosófica. texto abaixo.
(B) descritiva.
(C) prescritiva. O homem moral e o moralizador
(D) contestatária.
(E) tradicionalista. Depois de um bom século de psicologia e psiquiatria
dinâmicas, estamos certos disto: o moralizador e o
39. Considerando-se o contexto do último homem moral são figuras diferentes, se não opostas. O
parágrafo, o elemento sublinhado pode ser homem moral se impõe padrões de conduta e tenta
corretamente substituído pelo que está entre respeitá-los; o moralizador quer impor ferozmente aos
parênteses, sem prejuízo para o sentido, no outros os padrões que ele não consegue respeitar.
A distinção entre ambos tem alguns corolários
seguinte caso: relevantes.

Português 6
Primeiro, o moralizador é um homem moral falido: se 46. Na frase A distinção entre ambos tem alguns
soubesse respeitar o padrão moral que ele impõe, ele corolários relevantes, o sentido da expressão
não precisaria punir suas imperfeições nos outros. sublinhada está corretamente traduzido em:
Segundo, é possível e compreensível que um homem (A) significativos desdobramentos dela.
moral tenha um espírito missionário: ele pode agir para (B) determinados antecedentes dela.
levar os outros a adotar um padrão parecido com o seu. (C) reconhecidos fatores que a causam.
Mas a imposição forçada de um padrão moral não é (D) consequentes aspectos que a relativizam.
nunca o ato de um homem moral, é sempre o ato de um (E) valores comuns que ela propicia.
moralizador. Em geral, as sociedades em que as normas
morais ganham força de lei (os Estados confessionais, 47. Está correta a articulação entre os tempos e os
por exemplo) não são regradas por uma moral comum, modos verbais na frase:
nem pelas aspirações de poucos e escolhidos homens (A) Se o moralizador vier a respeitar o padrão moral que
exemplares,mas por moralizadores que tentam remir ele impusera, já não podia ser considerado um hipócrita.
suas próprias falhas (B) Os moralizadores sempre haveriam de desrespeitar
morais pela brutalidade do controle que eles exercem os valores morais que eles imporão aos outros.
sobre os outros. A pior barbárie do mundo é isto: um (C) A pior barbárie terá sido aquela em que o rigor dos
mundo em que todos pagam pelos pecados de hipócritas hipócritas servisse de controle dos demais cidadãos.
que não se aguentam. (Contardo Calligaris, Folha de S. (D) Desde que haja a imposição forçada de um padrão
Paulo, 20/03/2008) moral, caracterizava-se um ato típico do moralizador.
(E) Não é justo que os hipócritas sempre venham a
43. Atente para as afirmações abaixo. impor padrões morais que eles próprios não
I. Diferentemente do homem moral, o homem respeitam.
moralizador não se preocupa com os padrões morais de
conduta.
48. Está correto o emprego de ambos os elementos
II. Pelo fato de impor a si mesmo um rígido padrão de
sublinhados na frase:
conduta, o homem moral acaba por impô-lo à conduta
(A) O moralizador está carregado de imperfeições de
alheia.
que ele não costuma acusar em si mesmo.
III. O moralizador, hipocritamente, age como se de fato
(B) Um homem moral empenha-se numa conduta cujo o
respeitasse os padrões de conduta que ele cobra dos
padrão moral ele não costuma impingir na dos outros.
outros.
(C) Os pecados aos quais insiste reincidir o moralizador
Em relação ao texto, é correto o que se afirma APENAS
são os mesmos em que ele acusa seus semelhantes.
em
(A) I.
(D) Respeitar um padrão moral das ações é uma
(B) II. qualidade da qual não abrem mão os homens a
(C) III. quem não se pode acusar de hipócritas.
(D) I e II. (E) Quando um moralizador julga os outros segundo um
(E) II e III. padrão moral de cujo ele próprio não respeita,
demonstra toda a hipocrisia em que é capaz.
44. No contexto do primeiro parágrafo, a afirmação de
que já decorreu um bom século de psicologia e Atenção: As questões de números 49 a 54 referem-
psiquiatria dinâmicas indica um fator determinante para se ao texto abaixo.
que
(A) concluamos que o homem moderno já não dispõe de Fim de feira
rigorosos padrões morais para avaliar sua conduta. Quando os feirantes já se dispõem a desarmar as
(B) consideremos cada vez mais difícil a discriminação barracas, começam a chegar os que querem pagar
entre o homem moral e o homem moralizador. pouco pelo que restou nas bancadas, ou mesmo nada,
(C) reconheçamos como bastante remota a possibilidade pelo que ameaça estragar. Chegam com suas sacolas
de se caracterizar um homem moralizador. cheias de esperança. Alguns não perdem tempo e
(D) identifiquemos divergências profundas entre o passam a recolher o que está pelo chão: um
comportamento de um homem moral e o de um mamãozinho amolecido, umas folhas de couve amarelas,
moralizador. a metade de um abacaxi, que serviu de chamariz para os
(E) divisemos as contradições internas que costumam fregueses compradores. Há uns que se aventuram até
ocorrer nas atitudes tomadas pelo homem moral. mesmo nas cercanias da barraca de pescados, onde
pode haver alguma suspeita sardinha oculta entre
45. O autor do texto refere-se aos Estados confessionais jornais, ou uma ponta de cação obviamente desprezada.
para exemplificar uma sociedade na qual
(A) normas morais não têm qualquer peso na conduta Há feirantes que facilitam o trabalho dessas pessoas:
dos cidadãos. oferecem-lhes o que, de qualquer modo, eles iriam jogar
(B) hipócritas exercem rigoroso controle sobre a conduta fora.
de todos. Mas outros parecem ciumentos do teimoso
(C) a fé religiosa é decisiva para o respeito aos valores aproveitamento dos refugos, e chegam a recolhê-los
de uma moral comum. para não o