Você está na página 1de 6

Física-12ºAno

Ficha de Trabalho nº4


Ano Lectivo 2010/2011

1- No movimento circular uniformemente variado, podemos afirmar que:


(A) A resultante das forças é tangente à trajectória.
(B) A componente normal da aceleração é constante.
(C) A resultante das forças tem direcção centrípeta.
(D) O valor da componente tangencial da aceleração é constante.
(E) A aceleração é perpendicular à velocidade.

2- Observa a figura 1, que representa dois corpos de massas 1 m e 2 m assentes em dois


planos inclinados, de ângulos α e β com α >β, ligados entre si por um fio esticado de
massa desprezável, que passa por uma roldana também de massa desprezável. Despreze
a resistência do ar e os atritos entre as superfícies dos corpos e dos planos inclinados.
Para que o sistema se mova com velocidade constante é necessário que:

3-Um pêndulo gravítico simples, considerado como oscilador harmónico simples, oscila
de acordo com a seguinte equação:
x(t) =0,12 sin(3,14t +1,57) (SI)
3.1. Determina o primeiro instante em que o pêndulo passa pela posição de equilíbrio.
3.2. Qual o comprimento do pêndulo? Considera o módulo da aceleração da gravidade
igual a 9,8 m/s2.

4-Uma mola com 0,10 m de comprimento é alongada, relativamente à posição de


equilíbrio, para a posição A e depois para a posição B como mostra a figura.

A energia potencial elástica da mola em A é, relativamente à que tem em B:

Professor Luís Neves


(A) igual.
(B) duas vezes maior.
(C) metade.
(D) quatro vezes maior.
(E) um quarto.

5-Um sistema de vasos comunicantes contém dois líquidos não miscíveis 1 e 2, em


equilíbrio hidrostático, de densidades ρ1 e ρ2, respectivamente. As alturas h1 e h2 ,
indicadas na figura, foram medidas desde o nível da superfície de separação dos
líquidos até à superfície livre de cada um dos líquidos 1 e 2.
Da medição das alturas 1 h1 e h2 verifica-se que h2 =3h1 .
Qual é o quociente entre as densidades, dos dois líquidos? Escolha a opção correcta

6-Um sistema de vasos comunicantes contém


dois líquidos não miscíveis 1 e 2, em equilíbrio
hidrostático, de densidades ρ1 e ρ2 ,
respectivamente. As alturas h1 e
indicadas na figura, foram medidas desde o
nível da superfície de separação dos líquidos
até à superfície livre de cada um dos líquidos 1 e 2.
Indique o valor lógico das seguintes afirmações.
(A) As pressões nos pontos C e D são iguais.
(B) A pressão no ponto B é menor do que no ponto E.

Professor Luís Neves


(C) A pressão no ponto A é maior do que no ponto F.
(D) Todos os pontos ao mesmo nível horizontal apresentam a mesma pressão.
(E) O líquido 1 é mais denso do que o líquido 2.
(F) A pressão no ponto C depende da área de secção recta do tubo da esquerda.
(G) A pressão no ponto C é maior do que a pressão no ponto E.
(H) A altura h1 é menor do que h2 porque o tubo da esquerda é mais largo.

7-O sangue oxigenado proveniente dos pulmões é bombeado pelo ventrículo esquerdo
para a artéria aorta de diâmetro 20 mm. O coração envia cerca de
5,0 L de sangue por minuto quando a pessoa não está em actividade
física. A artéria aorta vai-se dividindo em vasos cada vez mais estreitos
até formar uma grande quantidade de capilares, de raio 5,00 x 10-4 m,
onde o sangue corre à velocidade de 0,100 cm s-1.
7.1. Calcula a velocidade do sangue na artéria aorta.
7.2. Determina o caudal em volume de sangue que percorre cada capilar.
7.3. Qual o número de capilares em que se dividiu a aorta?

8-Considera um líquido ideal (incompressível e não viscoso) contido num recipiente no


qual se fez um orifício perto da sua parte mais baixa (ver figura ). A área do orifício é
muito menor do que a área do reservatório. O volume de líquido que se escoa, por
segundo, através desse orifício não depende …
(A) da área do orifício.
(B) da altura do líquido acima do orifício.
(C) da densidade do líquido.
(D) do valor da aceleração da gravidade.
(E) do instante considerado após o início do escoamento.

9-Num tubo com área transversal de 4 cm2 passa água com velocidade 5 m s-1. O tubo
baixa 10 m e a sua secção passa para o dobro.
9.1. Se a pressão no nível superior for 1,5 x 105 Pa, qual é a pressão no nível mais
baixo?

Professor Luís Neves


10-Um desporto olímpico de Inverno consiste numa corrida de trenó (“bobsled”), em
pista gelada, como se indica na figura . Nesta figura consta ainda o diagrama de forças
que actua no trenó. Considera-se que a pista tem um perfil circular e que os efeitos do
atrito neste desporto são desprezáveis.
10.1. Faz a legenda do diagrama de forças da figura.
10.2. Calcula o módulo da velocidade do trenó na
situação da figura sabendo que este se encontra
a descrever uma curva de raio igual a 12,0 m.

11. Um carrinho de 500 g descreve um movimento circular num plano vertical dentro de
uma calha de 0,50 m de raio, sendo o atrito desprezável. Na posição mais baixa é-lhe
comunicada uma velocidade de 6,0 m/s.
11.1. Determina a força que a calha exerce sobre o carrinho nessa posição.
11.2. O carrinho descreverá uma volta completa? Justifica.

12-Dois satélites A e B orbitam a Terra a altitudes iguais a 0,5RT e RT (RT raio da Terra
) , respectivamente.
12. Relacione:
12.1. os seus períodos orbitais com base na 3ª lei de Kepler;
12.2. as suas velocidades orbitais com base na lei da gravitação universal.
12.2.1 Tendo em conta que o movimento de rotação da Terra, distingue peso de força
gravítica.

13-Pretende-se elevar um satélite, de 1,5 t , desde a superfície terrestre, até uma altitude
igual a metade do raio da Terra.

13.1- Determine a energia que é necessário fornecer ao satélite para que ele fique em
órbita circular em torno da Terra
13.2- Justifique a seguinte afirmação: “A velocidade de escape da Terra é de 11,2
km/s.”

Professor Luís Neves


14-Duas cargas q1 e q2 foram colocadas a uma distância de 50 cm uma da outra. O
campo eléctrico das duas cargas é nulo no ponto P situado 25 cm
à esquerda da carga q1 e sobre a recta
que une as duas cargas (ver figura).
14.1. Mostra que q2 = -9 q1 .
14.2. Supondo que q1=2,0 C µC determina:
14.2.1. o potencial eléctrico do sistema no ponto P indicado.
14.2.2. a energia cinética adquirida pelo sistema das duas cargas quando estas se
aproximam desde a distância inicial de 50 cm até uma distância mútua de 10 cm.

15-Os pontos A e B da figura situam-se num campo eléctrico criado pelas cargas Q1 e
Q2 . Sabe-se que Q1=-3 µC e que Q2=12 µC

15.1. Determine o campo eléctrico no ponto A e a força exercida sobre uma carga de
prova de - 2 µC aí colocada.
15.2. Em que ponto da recta AB é nulo o campo eléctrico do sistema de cargas Q1 e Q2.
15.3. Qual é a diferença de potencial, VA-V B , entre os pontos A e B?
15.4. Qual é a variação de energia cinética da carga de prova de -2 µC, quando esta se
move de A para B
sob a acção do campo eléctrico das outras duas cargas ( se não resolveu a alínea anterior
considere que VA-V B = -2X10-6 J (este valor não corresponde à solução dessa alínea).

16-As linhas de campo eléctrico traduzem o campo eléctrico numa determinada região
do espaço.
(A) As linhas de campo são perpendiculares às linhas equipotenciais.
(B) As linhas de campo apontam dos potenciais mais baixos para os potenciais mais
altos.
(C) As linhas de campo de uma carga pontual são circunferências centradas na carga.
(D) Quanto maior for a densidade de linhas de campo, menor será o módulo do campo

Professor Luís Neves


(E) As linhas de campo de um dipolo eléctrico são linhas rectas paralelas entre si.

17-Indique o valor lógico das seguintes afirmações:


(A) Uma carga negativa abandonada em repouso num campo eléctrico desloca-se
sempre no sentido dos potenciais decrescentes.
(B) Quando duas cargas pontuais que se repelem estão a aproximar-se, a sua energia
potencial está a aumentar.
(C) O campo eléctrico é conservativo.
(D) Não é possível electrizar a ponta de uma vara mantendo a outra neutra.
(E) As forças eléctricas entre duas cargas não dependem do meio material em que estas
se encontram.
(F) Corpos carregados podem atrair corpos neutros.

Professor Luís Neves