Você está na página 1de 12

Fonseca Manuel

EFEITOS DA GLOBALIZAÇÃO SOBRE A EDUCAÇÃO EM MOÇAMBIQUE

UNIVERSIDADE ROVUMA

CENTRO DE RECURSOS DE NACALA

2021
Fonseca Manuel

EFEITOS DA GLOBALIZAÇÃO SOBRE A EDUCAÇÃO EM MOÇAMBIQUE

Trabalho de carácter avaliativo


apresentado ao Departamento de
Ciências da Educacao e psicologia,
5º ano da cadeira de politicas
publicas em educação leccionado
pelo Docente Mestre: Alberto
Mateus

UNIVERSIDADE ROVUMA

CENTRO DE RECURSOS DE NACALA

2021
INDICE

CONCEITO DE GLOBALIZAÇÃO .................................................................................................... 3

OBJETIVO DA GLOBALIZAÇÃO ............................................................................................... 3

FACTORES DA GLOBALIZAÇÃO .............................................................................................. 3

FASES DA GLOBALIZAÇÃO ...................................................................................................... 3

Efeitos da globalização sobre a educação em Moçambique ..................................................................... 4

IMPORTÂNCIA DA GLOBALIZAÇÃO .............................................. Error! Bookmark not defined.

AS VANTAGENS DA GLOBALIZAÇÃO........................................................................................... 6

Redução de barreiras ........................................................................................................................ 6

Redução de custos ............................................................................................................................ 6

Avanços tecnológicos ...................................................................................................................... 7

Facilidade de investimentos ............................................................................................................. 7

Incentivo à criatividade .................................................................................................................... 7

Conhecimento de novas culturas ..................................................................................................... 7

DESVANTAGENS DA GLOBALIZAÇÃO ......................................................................................... 7

Benefícios aos países desenvolvidos ............................................................................................... 8

Concorrência desleal ........................................................................................................................ 8

Poluição ambiental ........................................................................................................................... 8

Favorecimento de crises ................................................................................................................... 8

Perda de identidade dos povos ......................................................................................................... 8

Algumas críticas à globalização .............................................................. Error! Bookmark not defined.

CONCLUSAO ......................................................................................................................................... 9

BIBLIOGRAFIA................................................................................................................................... 10
INTRODUÇÃO

O presente trabalho de caracter avaliativo a ser apresentado na cadeira de politicas publicas em


educacao, tem por objectivo de fazer uma analise sobre a globalização sobre a educação em
Moçambique, onde abordarei do tema de forma aprofundada e ampla, para melhor compreessao
do tema. O trabalho encontra-se organizado conforme as normas APA, em vigor nesta instituicao,
o trabalho baseio-se nos acervos de aulas tidas na mesma cadeira, assim como também numa
leitura densa das obras dos doutrinários moçambicano .

2
CONCEITO DE GLOBALIZAÇÃO

Globalizacao é um processo de expancao economica, politica e cultural a nivel mundial; neste


contesto a globalicacao da educacao, pretende unificar curriculo e praticas visando
instrumentalizar o cidadao, portanto, a escola pode utilizar esta pretensao para buscar novos
objectivos de cidadania e libertacao, partilhando ideias e criando condiçoes para que isso
aconteça.

É um processo de aprofundamento internacional da integracao economica, social, cultural e


politica que teria sido impulcionado pela reducao dos custos. Sua origem remete-nos ao periodo
das grandes navegacoes isso nos seculo XVI, momento em que as trocas comerciais se
ampliaram para outras nacoes.

OBJETIVO DA GLOBALIZAÇÃO
A globalização é definida como um processo de interação entre os países, seja ela no âmbito social,
cultural, econômico ou político. O seu foco principal é destruir as barreiras econômicas e imigratórias que
possam existir entre essas nações.Os principais objetivos da globalização são padronizar e simplificar os
procedimentos e regulamentos nacionais e internacionais, a fim de melhorar as condições de avanços,
competitividade e segurança, bem como universalizar o reconhecimento dos direitos fundamentais da
cidadania.

FACTORES DA GLOBALIZAÇÃO
A globalização é a junção de vários aspectos que unem civilizações de diferentes cantos do globo. Os
principais fatores que caracterizam a formação da globalização são: a economia, a cultura e a informação.

FASES DA GLOBALIZAÇÃO
 A Primeira Fase da Globalização (século XV ao XIX) ... , é marcada pela ocorrência das Grandes
Navegações e pela expansão do mercantilismo. Até o começo da expansão marítima, as
sociedades tinham menos contato, justamente pela ausência de transportes que permitissem
comunicações

 A Segunda Fase da Globalização (meados do século XIX e meados do século XX) ... relaciona-se
com o processo de industrialização e seus efeitos sobre a produção do espaço geográfico

3
mundial. ... Nesse mesmo contexto, emergiu a centralidade da figura da burguesia, que se
assentou na liderança das produções sociais e econômicas.

 A Terceira Fase da Globalização (Guerra Fria) ... a Guerra Fria (1945-1991), ocorrida entre União
Soviética e Estados Unidos. Nessa fase há um conflito entre a existência do sistema capitalista e
os preceitos do socialismo, sendo essas diferenças as responsáveis pelo confronto.

 A Quarta Fase da Globalização (de 1989 aos dias atuais)quarta fase da globalização tem início no
ano de 1989, com a queda do Muro de Berlim e com o colapso da União Soviética, e é a etapa da
globalização em que vivemos nos dias atuais. ... Autores chegam a caracterizar, com base em
características da globalização, o período em que vivemos como Pós-moderno.

Efeitos da globalização sobre a educação em Moçambique


A globalização afeta a educação de muitas maneiras e por razões de naturezas diversas. ... A globalização
gera novos desafios para os sistemas educacionais e altera a capacidade dos Estados e dos organismos de
segurança social de responder a esses problemas por meio de políticas educativas.

Um dado que pode servir de justificativa para a tamanha necessidade de se investir na Literacia
Informática na gestão escolar moçambicana são as reprovações massivas ocorridas no ensino geral no ano
lectivo de 2015, com destaque nos exames da décima e décima segunda classes, que de acordo com o
inquérito instaurado pelo Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano conforme Loiola (2016,
p.19), dentre outras causas, associam-se ao mau uso das TIC (especificamente, do telemóvel) por parte
dos alunos. No referido inquérito Loiola (2016) aponta que, está patente que alguns alunos durante as
aulas “trocam mensagens, ou passam o tempo nas redes sociais, como o facebook, o twitter ou o watsapp
perturbando o processo de ensino e aprendizagem” (Ibidem, p. 70).

Ao afirmar “Globalização na Gestão da Educação em Moçambique” o que se pretende não é fazer um


juízo de valor da relação de coexistência entre a globalização e a gestão da Educação em Moçambique,
mas antes, verificar como é acautelada esta coexistência, a fim de promover uma reflexão em torno da
filosofia do Sistema Nacional de Educação (SNE) e o seu enquadramento no contexto da Globalização.

É sobejamente sabido que os efeitos da globalização são multilaterais, explosivos e transnacionais.


Praticamente, ninguém escapa aos efeitos deste fenómeno, “actualmente, quem não faz parte deste
processo está fora do contexto social e mundial” (Pereira, 2001, p. 92).

A globalização actua de um modo sem precedentes. Este fenómeno propiciou a abertura de fronteiras
nacionais com implicações nas barreiras proteccionistas. Como referem Ribeiro e Poeschl (2013, p. 55),

4
enquanto para algumas pessoas o movimento de estrangeiros é estimulante, para outras é inquietante, uma
vez que imigrantes trazem novos costumes. Ademais, no contexto da globalização, como sustentam os
autores imediatamente citados acima, os países em via de desenvolvimento apresentam-se com menor
poder de decisão perante o acordo neoliberal entre países desenvolvidos que lhes é imposto, com sérias
implicações na gestão da Educação. Portanto, isto reflecte alguns efeitos do poder da globalização aos
quais ninguém escapa. Não obstante, “ao comprarmos uma coca-cola, estamos fazendo parte do contexto
global, bem como ao utilizarmos as telecomunicações […] ” (Pereira, 2001, p. 93).

Outrossim, a globalização é um fenómeno que tendencialmente se apresenta sem actor, cuja influência é
independente da vontade do sujeito influenciado, atendendo e considerando que, a partir do momento em
que este fenómeno impõe a adopção de novos padrões, procedimentos ou concepções nos indivíduos e
nas instituições, já é uma influência. Para além de que, “a globalização gera a sua própria ideologia”
(Floriani, 2004, p. 76).

Entretanto, feita a explanação em torno da globalização e dos seus efeitos em perspectivas de diferentes
autores. Propõe-se uma reflexão em torno da resposta do SNE aos efeitos deste fenómeno na manutenção
e melhoramento da qualidade de ensino.

Para orientar o estudo, buscou-se identificar alguns aspectos que caracterizam histórico-social e
politicamente o povo moçambicano e que têm grande impacto na Educação. Igualmente, buscou-se
alguns aspectos que caracterizam a globalização. Nessa busca teve-se como enfoque do horizonte da
reflexão a gestão da Educação moçambicana. Portanto, por um lado, identificou-se a língua portuguesa
(Português) como um aspecto que por si reflecte alguns toques da história, do contexto social e da política
que rege a gestão da Educação moçambicana. Historicamente, para Moçambique a língua portuguesa
representa a herança tida dos famosos quinhentos anos da colonização portuguesa. Socialmente, o
Português representa uma das línguas que permeiam a comunicação social e que, no meio social é
voluntária ou involuntariamente tido como um dos indicadores do status urbano nos indivíduos.
Politicamente, a língua portuguesa representa um “símbolo da unidade nacional” Ngunga e Bavo (2011, p.
3). Ainda na mesma perspectiva, o Português constitui a língua oficial do país.

Por outro lado, identificou-se a língua inglesa (Inglês) como um dos grandes aspectos sob os quais a
globalização se impõe. Em convergência com Guimenez (apud Finardi, 2015, p.113) o conhecimento do
Inglês é essencial para a participação no mundo globalizado no qual ela exerce o papel de língua franca.
Um outro aspecto é a vigência de novos meios tecnológicos que viabilizam e aceleram o crescimento da
globalização. Este aspecto afigura-se como um dos principais veículos da globalização, tal como entende
McMahon (apud Ribeiro e Poeschl, 2015, p. 52) este aspecto é central no processo da globalização, posto

5
que a globalização se define pelas formas de tecnologias disponíveis. Importa frisar que, através das TIC
a informação voa num instante, transportando vícios e virtudes, facto que concorre na imposição de
desafios adicionais ao sector educacional.

Em 1975 Moçambique tornou-se independente, tendo o português (língua do colono) como


língua oficial. Portanto, por razões históricas, em relação aos moçambicanos a língua portuguesa
é um dado adquirido, cuja história remete ao horror vivido por este povo por muitos anos. No
entanto, a proclamação da independência devia significar obviamente, não apenas a libertação
das correntes, mas também a abertura para uma independência mais ampla, que de certo modo
incluiria uma revisão radical da história do país e o desenho de um projecto de gestão da
educação sustentável para o presente e o futuro de Moçambique[2]. Neste trabalho defende-se
que tal revisão e desenho só podem se efectivar através da reforma das políticas de gestão da
Educação, ajustando-as ao contexto global, sem ferir o bem-estar social. As políticas da
Educação constituem espinha dorsal dessa revisão e do referido projecto, dado que tal como
aponta o relatório publicado pela AfriMAP e a Open Society Initiative for Southen Africa (apud
Beira, 2015, p. 66) as políticas educativas do SNE resultam, em parte, do histórico da
experiência educativa deixada pelos portugueses.

AS VANTAGENS DA GLOBALIZAÇÃO

Redução de barreiras
Com a globalização muitas barreiras de espaço e de tempo foram vencidas. Isto fez com que as empresas
tivessem um maior acesso aos mercados consumidores e a novas oportunidades de empreendimento e de
negócios.

Redução de custos
A redução dos custos médios dos produtos e com uma produção de mercadorias cada vez mais
descentralizada, é outra importante vantagem deste processo. Isto fez com que muitos produtos
conseguissem chegar até mercados onde antes não era possível.

6
Avanços tecnológicos
Os avanços tecnológicos permitidos com este processo também são um grande destaque. Eles permitiram
que o acesso às informações e a forma como ele é comunicado, tudo sendo feito em pouquíssimos
minutos e ao alcance da sua mão.

Os países em desenvolvimento talvez foram os que mais se beneficiaram com esta vantagem, já que a
tecnologia em geral vem dos países desenvolvidos.

Facilidade de investimentos
A globalização também facilitou a realização de investimentos financeiro em diferentes regiões do mundo.
Ela permitiu também que fossem utilizados outros instrumentos financeiros não apenas para empresas,
mas também pelos governos. Possibilitando até mesmo um sistema bancário global.

Incentivo à criatividade
A globalização levou muita inovação e novas ideias para lugares que antes elas não existiam. Isto fez com
que os empreendedores e empresas precisem ser cada vez mais criativos para conseguir o melhor produto
e conquistas o mercado.

Conhecimento de novas culturas


Já que o contato com outras culturas foi facilitado, muito graças à internet, ficou mais simples saber como
são os hábitos e costumes de outras culturas. E, à medida que as pessoas tomam conhecimento dessas
culturas, elas vão sendo enriquecidas e melhor compreendidas.

DESVANTAGENS DA GLOBALIZAÇÃO
A primeira grande desvantagem do processo de Globalização, na visão de seus críticos, é a forma desigual
com que ela se expande, beneficiando, quase sempre, as localidades economicamente mais desenvolvidas
e chegando “atrasada” ou de forma “incompleta” a outras regiões, tornando-as dependentes
economicamente.

7
1. Benefícios aos países desenvolvidos
Os países ditos desenvolvidos são os investem dinheiro nos países em desenvolvimento. Essa relação
originaria uma grande dependência e até mesmo subordinação entre estes os dois países envolvidos na
negociação.

Além disso, muito do que se é consumido em termos de tecnologia pelos países em desenvolvimento, são
fornecidos pelos países em desenvolvidos. Aumentando ainda mais a dependência entre as nações.

2. Concorrência desleal
Como as empresas multinacionais conseguem produzir produtos em maior escala, o resultado são valores
menores. Isso resulta em uma concorrência desleal com as empresas locais, que não conseguem diminuir
os valores dos produtos sem comprometer o negócio.

3. Poluição ambiental
Como houve um aumento significativo no tráfego de pessoa entre os diversos países um dos resultados
foi a poluição ambiental. A emissão de gases poluentes, dejetos em rios, lagos e mares, e descarte de
materiais de forma inadequada tem prejudicado o meio ambiente.

O impacto ambiental também ocorre quando árvores são derrubadas para que haja a construção de
indústrias. E também devido à exploração dos recursos minerais e florestais locais.

4. Favorecimento de crises
Com a globalização, toda a economia global está interconectada. Quando uma das nações apresenta
instabilidade econômica, as nações que estão diretamente ligadas a ela poderão sentir de maneira mais
drástica esta instabilidade.

Alguns especialistas atribuem à globalização a crise econômica, em 2008, que teve início nos Estados
Unidos. Com todas as relações existentes entre os países, ela acabou afetando a Europa rapidamente.

5. Perda de identidade dos povos


A globalização aumentou muito o trânsito de pessoas pelo mundo. Com isto, pessoas de diferentes
culturas passaram a conviver e com o tempo alguns traços de culturas podem se perder.

8
CONCLUSÃO

Nos dias que correm a globalização tem vindo a se apropriar das dinâmicas dos diversos sectores
da vida humana, colocando directa ou indirectamente desafios e exigências que não passam da
adopção de novos padrões no funcionamento das instituições. Tal como é sabido de antemão, a
globalização tem a tendência de tornar o mundo cada vez mais uno, ou seja, o local cada vez
mais global e o global cada vez mais local. A Educação é um dos sectores que aparecem mais
implicados nesta nova realidade, dado que, tal como refere a literatura, trata-se do maior
aparelho ideológico de transformação social.

9
BIBLIOGRAFIA

 Barbosa, L. S. (2012). Factores que influenciam no desempenho de um aprediz de língua


estrangeira / Factors that influence the performance of a foreign language learner.
Electrónica, Porto Alegre, 5(3), 142-153.

 Beira, J. C., Vargas, S. M. L., & Gonçalo, C. R (2015). Gestão de qualidade do Ensino
básico em Moçambique: um estudo em escolas primárias e públicas. Navus, Revista de
Gestão e Tecnologia, Florianópolis, 5 (4), 2237-4558. Disponível em:
https://www.researchgate.net/publication/317377377 Acesso em 17 de Agosto de 2019.

 Carvalho, F. J. C. (2008). Equilíbrio fiscal e política económica Keynesiana. Revista


Análise Económica, Porto Alegre, 50, 7-25. Disponível em: http:
//www.ie.ufrj.br/intranet/ie/userintranet/ Acesso em: 20 de Agosto de 2019.

 Cechinel, A. et. al. (2016). Estudo/Análise Documental : uma revisão Teórica e


metodológica. Revista do Programa de Pós-graduação em Educação, UNESC, 5(1), 1-7.
Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/8954/ Acesso em 30 de Agosto de 2019.

10

Você também pode gostar