Você está na página 1de 7

Licção n0 3: Introdução às construções geométricas

Ao terminar esta 3a licção você deverá ser capaz de:


 Definir conceitos de geometria escolar;
 Fazer construções elementares da geometria escolar com material puro e
Objectivos
com material impuro;
 Construir figuras geométricas planas usando técnicas das construções
elementares;
Nesta 3a Licção você precisa de 4 horas de estudo de forma independente e 5
horas de interacção ou contudo com o Docente por meio da Plataforma
Tempo de Estudo Moodle, Whatsap, E-Mail, Google +, Tutoria de Especialidade, etc. No
estudo independente, que pode ser feito com colegas do grupo, poderá fazer
intervalos sempre que se sentir fatigado.
As construções geométricas aparecem na antiguidade e tiveram enorme
importância no desenvolvimento da Matemática.
Elas devem, preferencialmente, ser feitas em uma folha A4 branca sem
linhas. O material a ser usado é o estojo completo, ou seja, uma régua, dois
Resumo esquadros, um compasso (de preferência metálico), um transferidor, um lápis
HB bem afiado, uma borracha, um afiador e apresentar justificação ou prova
de cada exercício feito.
As construções podem ser feitas com material puro cujas técnicas são mais
complexas e com material impuro que visa facilitá-las e flexibiliza-las.
1. Construa um quadrado cuja diagonal tenha 4,5cm.
2. Desenhe um triângulo cujos lados medem 5cm, 6cm e 7cm. Quanto
mede, aproximadamente o raio da circunferência circunscrita?
3. Construa duas rectas s e t paralelas, usando régua (não graduada) e
compasso. Descreva os passos da construção.
4. Construa duas rectas r e s perpendiculares, usando régua (não graduada)
e compasso. Descreva os passos da construção.
Exercícios 5. Seja dada, no plano, uma recta r e um ponto P não pertencente a r.
Usando apenas régua (não graduada) e compasso, obtenha uma recta s
que seja paralela a r e passando por P. Descreva os passos da
construção.
6. Seja dada, no plano, uma recta m e um ponto Q pertencente a m.
Usando apenas régua (não graduada) e compasso, obtenha uma recta n
que seja perpendicular à m no ponto Q. Descreva os passos da
construção.
7. Seja dada, no plano, uma recta t e um ponto A não pertencente a t.
Usando apenas régua (não graduada) e compasso, obtenha uma recta s
que contém o ponto A e que seja perpendicular à t. Descreva os passos
da construção.

8. Sendo dado dois segmentos AB  4,0cm e CD = 3,0cm e usando a


régua e compasso apenas, determine o segmento EF tal que:
3 1
EF  AB  CD .
4 3
9. Usando a régua e compasso apenas, construa os segmentos a seguir
3
indicados, sabendo que AB  5 cm e CD = 4 cm. a) A B 
' '
AB , b)
4
1 2
A' B '  AB  CD , c) A ' B '  AB , d) AB  CD
2 3
1. WAGNER, Eduardo, Uma Introdução às Construções Geométricas, 1a
Edição, IMPA, Rio de Janeiro, 2015.
Referências
2. SANTOS, Almir Rogério Silva e VIGLIONI, Humberto Henrique de
Complementares
Barros, Geometria Euclidiana Plana, UFS, 2011.
3. BARBOSA, J. L. M., Geometria Euclidiana Plana. SBM.

Construções geométricas – Contextualização

As construções geométricas aparecem na antiguidade e tiveram enorme importância no


desenvolvimento da Matemática. Há 2000 anos a palavra número significava número natural.
Não havia números negativos e as frações não eram consideradas números, eram apenas
razões entre números. Era de facto complicado. Se não havia ainda a noção de número
racional, os números reais então estavam a séculos de distância. Entretanto os gregos tiveram
uma ideia engenhosa. A de representar uma grandeza qualquer por um segmento de recta.
Esta ideia é equivalente a dizer que todo número real positivo está associado a um ponto de
uma semi-recta graduada.

Desta forma, calcular de hoje é sinônimo do construir de antigamente e as dificuldades são


equivalentes. Se hoje achamos difícil calcular a hipotenusa de um triângulo rectângulo
conhecendo o perímetro e a altura relativa à hipotenusa, é igualmente difícil desenhar o
triângulo retângulo onde o perímetro e a altura são dados através de dois segmentos.

Exigência das construções geométricas


Nas construções geométricas são permitidos o material puro que é a régua (não graduada) e o
compasso e o material impuro. A régua serve apenas para desenhar uma recta passando por
dois pontos dados e o compasso serve apenas para desenhar uma circunferência cujo raio é
dado por um segmento e cujo centro é um ponto dado.

Estes instrumentos não podem ser utilizados de nenhuma outra maneira. A pureza das
construções com régua e compasso é a mesma da geometria analítica que também resolve, de
forma equivalente, problemas de geometria usando as coordenadas (pontos dados), a equação
da recta (régua) e a equação da circunferência (compasso).

As construções geométricas devem, preferencialmente, ser feitas em uma folha A4 branca


sem linhas e nem dobras numa mesa bastante plana (polida) juntamente com o seguinte
material: estojo completo, ou seja, uma régua, dois esquadros, um compasso (de preferência
metálico), um transferidor, um lápis HB, uma borracha, um afiador.

Um facto que deve ser tomado em consideração durante as construções é que deve ser usado
um lápis bem afiado, fazê-las com mãos bem limpas e secas e, ainda, apresentar justificação
ou prova de cada exercício feito.

Construção de figuras geométricas através de material puro (régua e compasso)

i) Paralelas

A primeira construção é muito simples, consisti em traçar por um ponto dado uma recta
paralela a uma recta também dada. Os passos para esta construção são os seguintes:

10: Traçar uma recta r e marcar um ponto P fora de r;

20: Traçar três circunferências com mesmo raio: a primeira com centro no ponto P cortando a
recta r no ponto A, a segunda com centro no ponto A cortando a recta r no ponto B e a
terceira com centro no ponto B cortando a primeira circunferência no ponto Q (ver figura 1).

30: Traçar uma recta que una os pontos P e Q.


Fig. 1: Recta PQ paralela à recta r

Para justificar, observe que, pelas construções efetuadas, PABQ é um losango e, portanto
seus lados opostos são paralelos.

ii) Perpendiculares

A segunda construção também é simples, consisti em traçar por um ponto dado uma recta
perpendicular a uma recta também dada. Para esta construção os passos são:

10: Traçar uma recta r e marcar um ponto P fora de r;

20: Traçar uma circunferência qualquer com centro no ponto P cortando a recta r nos pontos
A e B.

30: Com a ponta seca do compasso no ponto A, abertura até mais que a metade de r, desenhar
dois arcos de circunferência de mesmo raio, com centros nos pontos A e B, determinando na
sua interseção o ponto Q (ver figura 2).

40: Traçar uma recta que una os pontos P e Q.


Fig. 2: Recta PQ perpendicular à recta r

Para justificar, observe que a primeira circunferência desenhada garante que PA = PB e as


duas seguintes, garantem que QA = QB. Assim, os pontos P e Q equidistam dos pontos A e
B. Portanto, eles pertencem à mediatriz do segmento AB que é a recta perpendicular à recta
que contém AB passando pelo seu ponto médio.

Construção de figuras geométricas através de material impuro

O material impuro são os esquadros, eles são de dois tipos: um com ângulos de 900, 450, 450 e
outro com ângulos de 900, 600, 300. A introdução do material impuro visa, essencialmente,
tornar as construções mais práticas, facilitadas e agilizar o traçado das construções de rectas
paralelas e perpendiculares.

i) Paralelas

A primeira construção com material impuro consiste em traçar rectas paralelas cujos passos
são os seguintes:

10: Colocar a régua e o esquadro como mostra a figura 3A e traçar uma recta r.

20: Deslizar o esquadro encostado à régua e traçar recta s paralela à recta r (figura 3B).

Fig. 3: Rectas r e s paralelas

ii) Perpendiculares
Já para a construção de rectas perpendiculares temos os seguintes passos:

10: Traçar uma recta r.

20: Posicionar a régua e o esquadro como mostra a figura 4B e traçar a recta s.

Fig. 4: Rectas r e s perpendiculares

A justificação para estas duas construções fica por sua conta, caro estudante.

Exercícios Resolvidos

1. Dado um segmento AB construa o triângulo equilátero ABC e sua altura CM.

Solução: Primeiro coloque a “ponta seca” do


compasso em A e desenhe um arco de
circunferência de raio AB e, depois faça o
contrário, ou seja, desenhe um arco de centro
B e raio BA. Estes arcos cortam-se em C e
D. Então, o triângulo ABC é equilátero e a
recta CD é a mediatriz de AB.

2. Usando o material puro, trace a bissetriz de um ângulo agudo dado.

Solução: Com a régua trace uma semi-recta a partir do ponto V (vértice do ângulo). De
seguida trace outra semi-recta, formando, neste caso, um ângulo agudo. Com centro no ponto
V, trace, agora, um arco de circunferência que intersete as duas semi-rectas, definindo os
pontos A e B.

Fazendo centro em A e B, trace dois arcos com raio maior que AB, para que se intersetem no
ponto C. A partir do ponto V, trace uma semi-recta que passe pelo ponto C. Esta é, então, a
bissetriz do ângulo agudo pretendido.

Você também pode gostar