Você está na página 1de 6

Avaliação de Português – 10º ano

2021-2022

Nome _____________________________ Nº ____ Data ______________


Professora _________________________ Avaliação _______________

Grupo I
5 A História do Português
Contar a história do Português é mostrar as mudanças linguísticas que lhe foram dando
forma. Que as línguas mudam, é uma evidência: as dificuldades que encontramos na leitura de textos
medievais revelam-nos como o Português Antigo era diferente do que ouvimos, falamos e
escrevemos atualmente. E embora a mudança linguística seja frequentemente vista como uma
10espécie de decadência por muitos falantes que resistem à inovação, assumindo uma atitude de
defesa da ‘pureza’ da língua supostamente ameaçada, seja por um qualquer acordo ortográfico, por
um novo dicionário ou pela influência das telenovelas, a verdade é que se o Português não tivesse
sofrido mudanças ainda falaríamos como Afonso Henriques.
No processo de mudança linguística interagem dois tipos de condicionalismos: um interno à
15própria língua (inerente ao sistema linguístico) e um externo (extralinguístico). Se a língua se organiza
como um sistema dinâmico em permanente busca do equilíbrio, as suas estruturas poderão ser, elas
próprias, causadoras de mudança. Oposições que não se revelem funcionais podem desaparecer, já
que um princípio de economia tenderá a eliminar redundâncias, ou novas oposições podem ser
criadas no sentido de preencher lacunas que um princípio de clareza necessária à comunicação
20tenderá a colmatar. Por outro lado, sendo a variação inerente à fala, uma ou mais variantes podem
coexistir sem que haja mudança; mas esse estado de variação pode resolver-se se, dado um
determinado conjunto de fatores condicionantes, linguísticos e/ou extralinguísticos, uma das
alternativas se impuser.
Circunstâncias históricas, mudanças sociais ou políticas podem também condicionar a
25mudança linguística. Uma causa externa de mudança linguística é, por exemplo, a fragmentação
política: a formação de reinos na Península Ibérica – e a criação de fronteiras políticas – contribuiu
grandemente para a constituição de fronteiras linguísticas e, portanto, para a fragmentação dialetal
do Latim Hispânico, de que resultaram as várias línguas ibéricas. (…)
Se as circunstâncias históricas, sociais e culturais mudam – em algumas épocas
30paulatinamente, em outras quase abruptamente – as necessidades expressivas dos falantes também
se modificarão. E a língua (melhor: uma determinada gramática da língua) pode deixar de servir as
necessidades dos seus utentes. Envelhece, portanto. Envelhecer, no caso da língua, não conduz à
morte mas à mudança. Cada nova fase da língua consiste não só na inovação, mas essencialmente na
seleção de variantes que já existem na língua. Aceites por um determinado grupo socialmente
35prestigiado, as variantes selecionadas serão generalizadas a toda a comunidade. Constitui-se, assim,
um novo estádio de evolução da língua, cuja ‘estabilidade’ sofrerá novos e perpétuos sobressaltos.
Mas porque a língua procura esses patamares de estabilidade, o resultado de cada mudança
linguística será sempre tendencialmente a constituição de uma norma, de um sistema organizado
que, fatalmente, se tornará arcaico quando uma nova norma se afirmar.
40
Esperança Cardeira, O Essencial sobre a História do Português, Lisboa: Caminho, 2006, pp.13-15.

Leitura/Interpretação
Avaliação de Português – 10º ano
2021-2022

1. Para responder a cada um dos itens de 1.1. a 1.5., seleciona a única opção que permite obter
45uma afirmação correta.

1.1 A história do português


__ a) mudou a partir da idade média e do português antigo.
__ b) é curta e a língua recentemente foi ameaçada por um novo acordo ortográfico.
__ c) fica registada nos dicionários e é marcada pela influência das telenovelas.
50 __ d) é feita de mudanças que se foram realizando ao longo dos tempos.

1.2 A língua muda


__ a) porque sofre diversas influências do exterior.
__ b) por fatores internos e externos.
55 __ c) porque os falantes não falam corretamente.
__ d) por influência política.

1.3 As circunstâncias históricas, sociais e culturais


__ a) modificam-se constantemente e originam a fragmentação política.
60 __ b) podem melhorar a mudança linguística.
__ c) dão origem a novas necessidades dos falantes.
__ d) provocam mudanças lentas e paulatinas.

1.4 A língua
65 __ a) envelhece e vai morrendo.
__ b) envelhece mas renova-se.
__ c) morre abruptamente.
__ d) envelhece e deteriora-se.

701.5 A frase: «Constitui-se, assim, um novo estádio de evolução da língua, cuja ‘estabilidade’ sofrerá
novos e perpétuos sobressaltos.» (ll. 29-.30) significa que
__ a) as mudanças linguísticas são cíclicas e ininterruptas.
__ b) a estabilidade da língua só existe no estádio inicial.
__ c) o latim foi substituído pelo português.
75 __ d) a língua tem de ultrapassar constantes perturbações antes de morrer.

Grupo II
80Texto A
– De que morredes, filha, a do corpo velido?
– Madre, moiro d’amores que mi deu meu amigo.
Alva é1, vai liero2.

85 – De que morredes, filha, a do corpo louçano?


– Madre, moiro d’amores que mi deu meu amado.
Alva é, vai liero.

Madre, moiro d’amores que mi deu meu amigo,


90 quando vej’esta cinta que por seu amor cingo 3.
5 Avaliação de Português – 10º ano
2021-2022

Alva é, vai liero.

Madre, moiro d’amores que mi deu meu amado,


quando vej’esta cinta que por seu amor trago.
95 Alva é, vai liero.

Quando vej’esta cinta que por seu amor cingo


e me nembra, fremosa, como falou conmigo.
Alva é, vai liero.
100
Quando vej’esta cinta que por seu amor trago
e me nembra4, fremosa, como falámos ambos.
Alva é, vai liero.

105 D. Dinis, in Graça Videira Lopes (coord.), Cantigas Medievais


Galego-Portuguesas – Corpus integral profano, Vol. 1, Lisboa, BNP, 2016, p.
220

NOTAS
1
Alva é – Está a nascer o dia; alvorada. 2 liero – ligeiro. 3 cingo – cinjo, trago na cintura. 4 nembra –
110lembra.

1. Completa as afirmações abaixo apresentadas, selecionando a opção adequada a cada espaço (escreve
o número que escolheste a seguir à alínea no espaço do texto).

Quanto à temática, a cantiga de D. Dinis “De que morredes, filha, a do corpo velido?” apresenta
características
115 que a inserem no género das cantigas __a)_-___. Por um lado, a cantiga mostra uma
donzela    __b)_-___Por outro, destaca-se a presença de uma confidente, a mãe, que, neste caso,
assume uma atitude de __c)_-___. Do ponto de vista formal, esta cantiga classifica-se como paralelística.
Uma evidência dessa estrutura formal é __d)_-___.

a) b) c) d)
1. de amor 1. saudosa 1. confronto 1. o facto de o 2.º verso da 1.ª estrofe ser o 1.º verso da 3.ª
e o 2.º verso da 2.ª ser o 1.º verso da 4.ª, mantendo-se o
2. de amigo mesmo esquema até ao final
2. apaixonada 2. vigilância 2. a existência de seis estrofes, todas elas constituídas por
3. de escárnio e
um dístico e um refrão
maldizer 3. ressentida 3. confidência
3. o facto de todos os dísticos apresentarem rima
emparelhada
120

Texto B
Que soidade de mha senhor ei,   
quãdo me nembra d'ela qual a vi
125 e que me nembra que ben a oí
Avaliação de Português – 10º ano
2021-2022

falar, e, por quant bẽ d'ela sei


rogu'eu a Deus, que end'á o poder
que mha leixe, se lhi prouguer, ver
 
130 Cedo, ca, pero mi nũce fez bẽ,
se a nõ vir, nõ me posso guardar
d'enssandecer ou morrer cõ pesar,
e, por que ela tod' end' poder tẽ,
rogu'eu a Deus, que end'á o poder
135 que mha leixe, se lhi prouguer, ver
 
Cedo, ca tal fez nosso Senhor;
de quãtas outras [e]no mũdo son
nõ lhi fez par a la minha fe, nõ,
140 e, poi-la fez melhores melhor,
rogu'eu a Deus, que end'á o poder
que mha leixe, se lhi prouguer, ver
 
Cedo, ca tal a quis[o] Deus fazer
145 que, se a non vir, non posso viver.
 
D.Dinis –  http://cantigas.fcsh.unl.pt/
 
 
1502. Tendo em conta a estrutura da cantiga, classifica as afirmações seguintes como verdadeiras ou
falsas.

__ a) Esta cantiga é uma cantiga de amor, pois o sujeito enunciador é feminino.


__ b) Esta cantiga apresenta o seguinte esquema rimático: abbaCC//deedCC//fggfCC//cc.
__ c) Esta cantiga é composta por três estrofes de quatro versos (quadra) e uma de dois versos
155 (dístico).
__ d) A última estrofe constitui, tematicamente, uma conclusão do assunto desenvolvido no
poema e é uma estrofe mais curta do que as anteriores.
__ e) A cantiga de D. Dinis apresenta um refrão de dois versos, com uma rima emparelhada.
__ f) Ao longo da cantiga, a rima é cruzada e emparelhada.
160
2.1. Corrige as afirmações falsas.

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

165__________________________________________________________________________________
Avaliação de Português – 10º ano
10 2021-2022

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

__________________________________________________________________________________

170__________________________________________________________________________________

________________________

175

Grupo III
Gramática

1. Identifica os processos fonológicos que intervieram na evolução das palavras apresentadas.

Palavras Processos fonológicos

a. APICULA > apicla > abelha

b. FENESTRA > feestra > fresta

c. MACULAM > macula > macua > mágoa

d. MATREM > matre > madre

e. SCALATAM > scalata > escalada

1802. Assinala a única alínea em que não ocorre um processo de redução vocálica.
a. gato > gatinho
b. bebe > beber
c. sal > salgado
d. dedo > dedada

1853. Classifica como verdadeiras ou falsas as afirmações seguintes. Corrige as afirmações falsas.

a. A palavra chorar, relativamente a PLORARE, concretiza os processos fonológicos de


Avaliação de Português – 10º ano
2021-2022

palatalização e apócope.

_____________________________________________________________________________

b. Dissimilação e apócope são processos fonológicos que ocorreram em MERULUM > melro.

190 _____________________________________________________________________________

c. Na evolução de COMITEM para conde, podemos verificar os fenómenos de apócope, de


epêntese e de sonorização.

____________________________________________________________________________

d. Na evolução de OCTO para oito interveio a epêntese.

195 ____________________________________________________________________________

e. A sonorização ocorreu na evolução TOTUM > todo e PERICULUM > perigo.


____________________________________________________________________________

Você também pode gostar