Você está na página 1de 23

UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS

AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Sistema de Controle – Tarefas


• Realiza partida e parada
1 – Circuito de Controle:
• Otimiza a produção de energia (maior parte do tempo)
a) Tarefas;
b) CLP e IHM; • Limita a produção de energia
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de Energia; • Monitora as condições de funcionamento dos componentes do
d) Disjuntores; sistema e toma ações para proteger a integridade estrutural da
turbina eólica
e) Sensores;
f) Sistema de controle de • Comunica status e recebe comandos do operador;
Orientação
g) Estratégia de controle de • Monitora e auxilia na regulação dos parâmetros da rede
velocidade; elétrica;
MERCADO
• Registra dados do funcionamento da turbina eólica;

• Economiza o consumo energia elétrica quando não há


condições de produção de energia
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

1 – Circuito de Controle:
• CLPs ou PLCs (Controladores Lógicos programáveis);
a) Tarefas;
Conexão com o gerador da
b) CLP e IHM; turbina eólica

c) UPS – Sistema
Ininterrupto de Energia; Controlador

d) Disjuntores;
e) Sensores;
f) Sistema de controle de
Orientação
g) Estratégia de controle de Proteções
velocidade;
MERCADO Chave seccionadora
principal

Bancos de
capacitores Configuração Típica de CLP na Base da Torre :
Conexão com a
rede elétrica
Fonte: Apresentação Proventos adaptada
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

• CLPs ou PLCs (Controladores Lógicos programáveis);

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de Energia;
d) Disjuntores;
e) Sensores;
f) Sistema de controle de
Orientação
g) Estratégia de controle de
velocidade;
MERCADO
Esquema de comunicação entre os três sistemas de controle da turbina eólica
(controlador do Pitch no cubo, controlador da nacele e controlador principal na
base da torre) e operadores e acesso remoto

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Interfaces Homem-Máquina (HMIs) que fornecem uma visualização de


1 – Circuito de Controle: status e situação em tempo real dos aerogeradores (OPERAÇÃO) :
Equipamento utilizado para operação da máquina durante a manutenção e comunicação
a) Tarefas; comunicação de status para a central de controle. Nela pode ser cadastrada todos ou
b) CLP e IHM; grande parte dos parâmetros de controle e set-point de alarmes.
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Disjuntores;
e) Sensores;
f) Sistema de controle
de Orientação
g) Estratégia de
MERCADO
controle de
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Interfaces Homem-Máquina (HMIs) que fornecem uma visualização de


1 – Circuito de Controle: status e situação em tempo real dos aerogeradores (OPERAÇÃO) :
Equipamento utilizado para operação da máquina durante a manutenção e comunicação
a) Tarefas; comunicação de status para a central de controle. Nela pode ser cadastrada todos ou
b) CLP e IHM; grande parte dos parâmetros de controle e set-point de alarmes.
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Disjuntores;
e) Sensores;
f) Sistema de controle
de Orientação
g) Estratégia de
MERCADO
controle de
velocidade;
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Sistema de alimentação ininterrupta: Sistema similar ao sistema de No-break que


fornece energia ao circuito de alimentação do CLP mantendo o mesmo funcionando
1 – Circuito de Controle: mesmo quando a energia eólica está sendo coletada. A potência da mesma varia de
a) Tarefas; acordo com a potência projetada para o aerogerador
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

UPS modelo Symetra RM da fabricante Schneider Electric


Fonte: Catálogo fabricante Schneider Electric (Maio 2012)
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Existem vários fabricantes e modelos no mercado aplicados à geração eólica, inclusive


modelos dedicados dos próprios fabricantes dos aerogeradores.
1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Existem vários fabricantes e modelos no mercado aplicados à geração eólica, inclusive


modelos dedicados dos próprios fabricantes dos aerogeradores.
1 – Circuito de Controle: Sensores - tipos
a) Tarefas; • Rotação
b) CLP e IHM; • Posição
c) UPS – Sistema • Vibração
Ininterrupto de • Pressão
Energia;
• Temperatura
d) Sensores; • Fluxo
e) Sistema de controle • Nível
de Orientação
• Tensão
f) Estratégia de • Corrente
controle de
MERCADO
velocidade;
• Velocidade do vento
• Direção do vento
• Visibilidade
• outros

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE POSIÇÃO

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE PRESSÃO

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE MOVIMENTO (PARADA)

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE PROXIMIDADE (FOLGA)

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE NÍVEL (VAZAMENTO)

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS
AEROGERADORES E CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE ROTAÇÃO (VELOCIDADE)

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

SENSORES DE VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO

1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
MERCADO
velocidade;

Fonte: Apresentação Proventos adaptada


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Controle de Orientação: Constituído por sistema de motores, engrenagens e


cremalheira controlados a partir do sensor de direção vento (Wind vane – Sistema Ativo)
1 – Circuito de Controle: ou Grimpa (Sistema passivo) na nacele.
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação
f) Estratégia de
controle de
velocidade;
MERCADO

(Fonte: ANEEL – Aymoré C. A. Filho)


UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Controle de Pitch: Constituído por sistema de motores, engrenagens e


cremalheira controlados a partir da placa eletrônica de controle de velocidade, através da
mudança de ângulo de ataque das pás.
1 – Circuito de Controle:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores;
e) Sistema de controle
de Orientação;
f) Sistema de Controle
por pitch;
MERCADO
g) Estratégia de
controle de
velocidade;
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Do ponto de vista da estratégia de controle de velocidade, e de acordo com os aspectos


tecnológicos dos aerogeradores existentes no mercado. Os mesmos pode ser
1 – Circuito de Controle: classificados de acordo com as tecnologias descritas abaixo:
a) Tarefas;
b) CLP e IHM;
c) UPS – Sistema • Aerogeradores de velocidade fixa:
Ininterrupto de
Energia;
d) Sensores; • Aerogeradores de velocidade Variável:
e) Sistema de controle
de Orientação;
f) Sistema de Controle • Aerogeradores de velocidade Semi-variável:
por pitch;
MERCADO
g) Estratégia de
controle de
Devido aos avanços tecnológicos, atualmente são mais encontrados no mercado
velocidade; aerogeradores de velocidade variável e/ou velocidade semi-variável
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Aspectos Tecnológicos: Classificação quanto ao controle de velocidade

Velocidade “fixa” (Constante): Velocidade variável:

–Diretamente ligados ao – Geradores em geral ligados ao


sistema de energia elétrica ou sistema de energia elétrica através
através de inversores ou soft- de inversores frequências
start de frequência.

Vestas(Dinamarca) Enercon(Alemã)
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
Turbinas eólicas: CIRCUITO DE CONTROLE DA TURBINA- CCT
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Velocidade “fixa” (Constante): Diretamente ligados ao sistema de energia


elétrica.

(Fonte: DEWI,2005)
UNIDADE I - INFRAESTRUTURA ELÉTRICA SIMPLIFICADA DOS AEROGERADORES E
CONEXÃO COM A REDE ELÉTRICA

Aspectos Tecnológicos: Classificação quanto ao controle de velocidade

Velocidade “Variável”: Geradores ligados ao sistema de energia elétrica ou


através de inversores.

(Fonte: DEWI,2005)
BIBLIOGRAFIA

•NBR 14039/03 - Instalações elétricas de média tensão de 1,0 kV a 36,2 kV;

•IEC 61400-21 - Measurement and assessment of power Quality Characterístics of Grid Connected
Wind Turbine.

•RESENDE, H.R - Apostila: Engenharia Elétrica aplicada à construção de Parques Eólicos.

•ESTANQUEIRO , A .I., J.M. Ferreira de Jesus, e J.G. Saraiva (1991). Integração de Conversores
eólicos no Sistema de Energia Elétrica.

•ESTANQUEIRO, A. I., Apresentação: Curso de Energias Renováveis: Princípio de funcionamento de


turbinas eólicas: conversão mecanoeléctrica.

•ROSAS, P.A.C, Estanqueiro, A.I., Guia de Projeto Elétrico de Centrais Eólicas – CBEE

•ROSAS, P.A.C - Conexão de Turbinas Eólicas a Rede Elétrica – Série Engenharia Eólica - 2006

•MONARO, R.M – Artigo: Proteção convencional de geradores sincronos-SEL-EESC-USP.

•MAMEDE, J.- Manual de equipamentos Elétricos,Vol.1 2ª edição – Editora UFPE, Recife,1980.

•FILHO, A. C. A - Apresentação: ANEEL - Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis.


Obrigado!!!
Bons Estudos

Você também pode gostar