Você está na página 1de 3

1 Saiba precificar o seu produto 2 Defina o preço certo em relação ao mercado 3 Planeje

gastos 4 Defina metas de receitas que superem os gastos 5 Controle tudo que entra e sai
do caixa 6 Tenha um estoque enxuto. Controle 7 Controle de receitas e despesas 8 não
misture dinheiros 9 formas de captação de dinheiro 10 recorrer ao crédito é ÚLTIMA
OPÇÃO 11 nunca fique mais de 3 meses no prejuízo 12 faça as contas de suas dividas e
multiplique tudo por 12 para ver a realidade!

Empresa saudável gera lucros. E com as dicas do Primo Rico e do sebrae você aprende a
melhorar a gestão do seu negócio com ótimas perspectivas para o futuro; veja!

Como podemos estudar a gestão financeira de um negócio de forma que a gente consiga
entender realmente os “paranauê” mas sem que a gente esquente muito a cabeça com o
processo?

1. Saiba precificar o seu produto - Saiba quanto custa o seu produto ou serviço e defina um
preço certo, que cubra os custos e despesas do negócio, que o seu cliente esteja disposto a
pagar e que também deixe um excedente (lucro) para reinvestir no negócio

Temos que envolver também o custo com funcionários, com a estrutura da empresa, custo
com os impostos, a porcentagem de lucro...

Por isso, a dica aqui é ficar atento e realmente sentar e estruturar esse preço. Tem que se
pensar em todas as variáveis possiveis pra fazer um preço que não te dê prejuízo, mas que ao
mesmo tempo seja um valor do qual o seu cliente está disposto a pagar.

2. Alinhe a precificação do seu produto com o preço de mercado - a ideia é você ajustar o seu
preço pelo preço do mercado, afinal de contas, se o seu preço está muito desalinhado com o
mercado, não faz sentido.

3. Planeje receitas, gastos e investimentos - Quando criamos a empresa, obviamente temos o


intuito de fazê-la crescer... Por isso, precisamos alinhar o nosso planejamento de receitas e de
gastos pra sempre irmos caminhando do jeito esperado que a empresa vá.

4 - Defina metas de receita superiores aos gastos - Eu acredito que as empresas tem que traçar
metas objetivas em relação às suas vendas.

Por exemplo:
Sua empresa vai lançar um produto novo no mercado. Com isso, é muito importante que você
utilize as metas pra estipular CENÁRIOS, tentando prever o melhor cenário possível, o cenário
“ok”, e o pior cenário possível.

Porque assim, até mesmo quando você está no processo de criação, você consegue ir
definindo problemas a serem resolvidos e ir alinhando melhor o cenário real com os cenários
estipulados.

5. Controle tudo que entra e sai (receitas e despesas) do caixa

Outra dica que parece fácil na prática, mas na hora da verdade é algo que temos que ter
cuidado.

Fluxo de caixa não é algo pra se brincar, até porque, segundo dados do Sebrae, 60% das
pequenas e micro empresas quebram por algo relacionado a ele.

E o que acontece é: não prestamos tanta atenção ao fluxo de caixa, começa a vir pagamentos à
prazo, o fluxo começa a ficar necessitar um gerenciamento, e, por nós negligenciarmos essa
necessidade, quando vemos, já tá tudo fora de controle na empresa.

A coisa é simplesmente cuidar do fluxo de caixa de perto para ter sucesso. Entender pra onde
o dinheiro vai, como ele ta indo, quando o dinheiro volta... Pode parecer complicado, mas o
site do SEBRAE te dá dicas a entender como fazer isso da forma correta, inclusive para ganhar
dinheiro!

6. Não compre mais do que o necessário para o estoque

É fundamental ter um bom gerenciamento do seu estoque. Apesar de comprar mais dar um
maior desconto, para quem está começando, isso não faz sentido. A ideia é você sempre
comece com um estoque do qual você consiga controlar.

7. Controle receitas e despesas - Não prestamos tanta atenção ao fluxo de caixa, começa a vir
pagamentos à prazo, o fluxo começa a ficar necessitar um gerenciamento, e, por nós
negligenciarmos essa necessidade, quando vemos, já tá tudo fora de controle na empresa.
Então, temos problemas: um deles, por exemplo, é sempre receber dos clientes antes de pagar
os funcionários e fornecedores da empresa. Tudo bem que muitas vezes isso é difícil, mas o
quanto mais você evitar a possibilidade de surpresas no pagamento, é melhor.

8. Não misture os dinheiros. O caixa da empresa não pode ser o bolso do empreendedor.

Eu alerto sempre, mas é sempre bom reforçar primos: caixa de empresa não é carteira de
empreendedor.

Tudo bem que, principalmente quando se é MEI, separar os dois não seja lá algo tão fácil. Mas
é necessário.

Ou seja: não misture. Por mais que às vezes possa parecer que não vai fazer tanta diferença...
vai.

9. Formas de captação de dinheiro - Negocie com bancos e fornecedores, avalie prazos e taxas
e pesquise as formas mais baratas.

Apesar de ser trabalhoso, faz muito sentido que você vá ver em cada banco o que você
consegue. É nessa ida que você consegue opções, e opções melhores.

10 - Recorra ao crédito só depois que esgotarem suas opções - toda dívida fragiliza, primo.
Você tem que tomar muito cuidado.

Apesar do crédito ser muito sedutor, temos que ter o controle e também alinhar com o nosso
fornecedor.

Você também pode gostar