Você está na página 1de 61

05/08/2021

2021/2

TÉCNICAS DE
CONSTRUÇÃO
• Profª Drª: Giselle Reis Antunes

Objetivos da Disciplina
• Competências
• Apresentar o processo construtivo de edificações,
abordando aspectos legais e técnicos;
• Apresentar os procedimentos e técnicas de
execução de edificações, enfocando
principalmente as estruturas de concreto armado
para edificações e alvenaria de vedação;
• Apresentar e proporcionar conhecimento sobre os
materiais utilizados na execução das estruturas de
concreto armado e alvenaria.
• Apresentar a prática recomendada para a
execução dos serviços de acabamentos das
edificações.

1
05/08/2021

Objetivos da Disciplina
• Habilidades
• Planejar uma edificação.
• Adquirir noções sobre o desempenho dos edifícios,
instalação de canteiros e locação da obra.
• Conhecer a execução de fundações superficiais.
• Conhecer a tecnologia do concreto e da argamassa.
• Aplicar os conceitos na execução de estruturas em
concreto armado e alvenarias.
• Adquirir noções sobre o acabamento das edificações;
• Conhecer a execução de coberturas e impermeabilizações;
• Conhecer a tecnologia de revestimentos de paredes, tetos
e pisos;
• Especificar a colocação de esquadrias e divisórias e forros;
• Conhecer os materiais e as técnicas para execução de
pinturas

Conteúdo Programático
Aula Data Conteúdo
Apresentação da disciplina.
1 05/08
Serviços preliminares e canteiro de obras
2 12/08 Locação de obra e fundações
3 19/08 Execução de estruturas de concreto
4 26/08 Impermeabilização
5 02/09 Contrapiso
Sistema de vedação vertical
6 09/09
Palestra técnica: Pauluzzi
7 16/09 Entrega e avaliação do trabalho de Grau A - TA
Revestimentos de pisos
8 23/09
Revisão de conteúdo e resolução de exercícios de grau A
Avaliação de Grau A
9 30/09
Revestimentos de paredes – tradicionais

2
05/08/2021

Conteúdo Programático
Aula Data Conteúdo
10 07/10 Revestimentos de paredes – cerâmicos
11 14/10 Revestimentos de paredes – alternativos
12 21/10 Esquadrias
13 28/10 Vidros
Divisórias leves
14 04/11
Fachadas eficientes
15 11/11 Forros
16 18/11 Sistema de Pintura
17 25/11 Sistema de Cobertura
Apresentação Oral do Trabalho TB
18 02/12
Revisão de conteúdo e resolução de exercícios de grau B
Avaliação - Grau B
19 09/12
Revisão de conteúdo para o Grau C
20 16/12 Avaliação - Grau C

Avaliação da Disciplina

Duas provas individuais, sem Dois trabalhos: Duas listas de exercícios:


consulta:
Prova Grau A = 5,0pt Trabalho Grau A = 4,0pt Lista de exercícios 1 = 1,0pt
Prova Grau B = 5,0pt Trabalho Grau B = 4,0pt Lista de exercícios 2 = 1,0pt

Obs.: Grau A = PA + EA + TA Aprovação:


Grau B = PB + EB + TB
𝐺𝐴 + 𝐺𝐵
𝑀é𝑑𝑖𝑎 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 = ≥ 7,0
2

3
05/08/2021

Avaliação da Disciplina

Aprovação: Frequência:
Grau C: 10,0
Será considerado reprovado na
disciplina o aluno que não obter
𝐺𝐴 + 𝐺𝐵 + 𝐺𝐶 frequência de no mínimo 75%
𝑀é𝑑𝑖𝑎 𝐹𝑖𝑛𝑎𝑙 = ≥ 5,0 (setenta e cinco por cento) das
3 aulas e demais atividades
programadas.
𝑒 𝐺𝐶 ≥ 5,0

• Básica
• SALGADO, J. P. C. Técnicas e práticas construtivas
para edificação, 3. ed. rev. - São Paulo: Érica, 2014.
Disponível na Base de Dados “Minha Biblioteca”.
Bibliografia • CUNHA, A. M. C. ... [et al.]. Construção civil [recurso
eletrônico] – Porto Alegre: SAGAH, 2017. Disponível
na Base de Dados “Minha Biblioteca”.
• Complementar
• BAUER, L. A. F. Materiais de Construção – 6º Ed, Vol
1, Rio de Janeiro: LTC, 2019. Disponível na Base de
Dados “Minha Biblioteca”.
• MEDEIROS, J. S. Construção – 101 perguntas e
respostas: dicas de projetos, materiais e técnicas.
Barueri, SP: Minha Editora, 2012. Disponível na Base
de Dados “Minha Biblioteca”.
• LISBOA, E. de S.; ALVES, E dos S. e MELO, G. H. A. G.
de. Materiais de Construção: Concreto e Argamassa
– 2ed. Porto Alegre: SAGAH, 2017. Disponível na Base
de Dados “Minha Biblioteca”.

4
05/08/2021

SERVIÇOS
PRELIMINARES
• Profª Drª: Giselle Reis Antunes

Tipos de Obras de Construção Civil


Edificações

Obras viárias

Obras de
Construção Obras hidráulicas
Civil

Sistemas industriais

Obras de urbanização

10

5
05/08/2021

Serviços Preliminares
• Os serviços preliminares são o conjunto de atividades e providências tomadas como
preparação para o início da obra.
Aspectos legais
Providências iniciais  Situação junto à Prefeitura
 Restrições legais
Preparo do terreno Aspectos físicos
Demolição  Comprovações das medidas do terreno
 Existência de edificações
Levantamento planialtimétrico  Posição da linha N-S geográfico
 Verificar a interferência com os vizinhos
Sondagens  Presença de vegetação
 Existência de benfeitorias públicas
Terraplanagem
Aspectos econômicos
Rebaixamento do Lençol freático  Taxa de água e esgoto
 Impostos da região
 Custo de transporte, de materiais
 e serviços básicos da construção

11

Serviços Preliminares
• NBR 6122:2010 – Discriminação de serviços para
construção de edifícios - Procedimento
• 4.1 Reconhecimento inicial
• Devem ser considerados os seguinte aspectos na
elaboração dos projetos e previsão do desempenho das
fundações
• visita ao local;
• Feições topográficas e eventuais indícios de
instabilidade de taludes;
• Indícios da presença de aterro (bota-fora) na área;
• Indícios de contaminação do subsolo por material
contaminante lançado ou decorrente do tipo de
ocupação anterior;

12

6
05/08/2021

• Situação junto à Prefeitura:


1. Aspectos • Escritura do terreno

Legais • Liberação para construção


• Projetos aprovados (Arquitetura,
Elétrico, Água e Esgoto...)
• Anotação de Responsabilidade Técnica
(ART) da construção (CREA)

• Restrições Legais
• Código de edificações
• Lei de uso e ocupação do solo
• Código de proteção contra incêndio
• Restrições ambientais

13

1. Aspectos Legais
PROJETO APROVAÇÃO DO PROJETO LIGAÇÕES PROVISÓRIAS: NBR 12721 (NB 1450)
CEEE Livro de registro de empregados
Telefone Livro para fiscalização do
CREA
DMAE Ministério do trabalho
Taxas
Bombeiros Matrícula INSS

PREFEITURA
Requerimento de licença para
construção (padrão) CONSTRUÇÃ
Entrada do projeto O

Notificação para Projeto passa por diferentes secretarias


modificações e departamentos da Prefeitura

Notificação para tirar cópias e


pagamento de taxas

PROJETO APROVADO
Alvará de licença para construção
Plantas carimbadas

14

7
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
A. Comprovação das medidas do terreno
• verificar as dimensões do lote (de acordo com a escritura do
terreno),
• a localização,
• a sua situação na quadra
B. Existência de edificações
• Verificar a possibilidade de aproveitamento, ou planejar a sua
demolição.
C. Posição da linha N-S (Norte Geográfico)
• Com bússola, planta de arquitetura e planta de locação do terreno

15

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 Inspeção Técnica de Vizinhança (ITV)
• Etapa que visa verificar e registrar as condições das edificações vizinhas
• A verificação prévia das condições da vizinhança permite que a empresa não
tenha surpresa desagradável durante a produção do empreendimento, seja
com a ocorrência de patologias diversas como trincas excessivas ou mesmo
chegando-se a situações de desabamentos de residências vizinhas. Por outro
lado, permite, ainda, que se previna quanto às reclamações infundadas de
vizinhos.
• O registro deve ser feito em relatório técnico específico contendo “croqui”
com indicação das ocorrências, relacionados a fotos devidamente datadas e
relatos das observações realizadas. O relatório realizado deverá ser
registrado em Cartório.

16

8
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 Inspeção Técnica de Vizinhança (ITV)
 Itens mínimos do laudo e relatório fotográfico:
 Idade aparente da construção e estado de conservação;
 Fissuras existentes – fotografar, localizar e descrever;
 Esquadrias – verificar o perfeito funcionamento;
 Pintura – descrever condições;
 Infiltrações – fotografar, localizar e descrever;
 Cobertura – fotografar, localizar e descrever;
 Muros – verificar existência de fissuras, fotografar, localizar e descrever;
 Revestimentos – verificar integridade e se não apresentam som oco a percussão;
 Pisos e calçadas – verificar a existência de recalques, fotografar, localizar e
descrever;
 Drenagem – verificar perfeito escoamento das águas de chuva.

17

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 Inspeção Técnica de Vizinhança (ITV)
 Para cada caso, podem ser acrescentados outros itens de importância, tais
como: árvores de porte próximas a divisa, condições da calçada da rua,
calhas e rufos existentes na divisa, cercas elétricas e outros.

18

9
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 Inspeção Técnica de Vizinhança (ITV)

19

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 Inspeção Técnica de Vizinhança (ITV)
 A obrigatoriedade legal da inspeção de vizinhança está implicitamente apontada
no Estatuto da Cidade, lei federal nº 10.257, de 10 de julho de 2001, que
estabelece estudo prévio de impacto de vizinhança, no capítulo II, seção I, art. 4º,
inciso VI.
 Existem ainda recomendações em algumas normas:
 NBR 15575:2013, no item 6.3.2 Diretrizes para implantação e entorno
 NBR 7678:1983, no item 5.1.2 Em qualquer caso, é recomendado que se faça uma
vistoria completa das propriedades vizinhas, inclusive com coleta de informações do
moradores e proprietários e exame cuidadoso das estruturas, para verificar se existe
alguma potencialidade de risco relacionada com as atividades na obra a ser iniciada.

20

10
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 NBR 12722:1992 – Discriminação de serviços para construção de edifícios -
Procedimento
 4.1.10 Vistoria preliminar
 4.1.10.1 Toda vez que for necessário resguardar interesses às propriedades vizinhas à obra
(ou ao logradouro público) a ser executada, seja em virtude do tipo das fundações a
executar, das escavações, aterros, sistemas de escoramento e estabilização, rebaixamento
de lençol d’água, serviços provisórios ou definitivos a realizar, DEVE ser feita por
profissional especializado habilitado uma vistoria, da qual devem resultar os seguintes
elementos:
a) planta de localização de todas as edificações e logradouros confinantes, bem como
de todos os logradouros não-confinantes, mas suscetíveis de sofrerem algum dano
por efeito da execução da obra;

21

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 NBR 12722:1992 – Discriminação de serviços para construção de edifícios -
Procedimento
 4.1.10 Vistoria preliminar
b) relatório descritivo com todos os detalhes que
se fizerem necessários a cada caso, das
condições de fundação e estabilidade daquelas
edificações e logradouros, além da constatação
de defeitos ou danos porventura existentes
nelas.
 4.1.10.2 Todos os documentos referentes à
vistoria devem ser visados pelos interessados,
devendo haver cópia à disposição deles.

22

11
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
D. Verificar interferência com os vizinhos
 NBR 6122:2010 – Projeto e execução de fundações
 4.1 Reconhecimento inicial
Devem ser considerados os seguinte aspectos na elaboração dos projetos e previsão
do desempenho das fundações
e) Prática local de projeto e execução de fundações
f) Estado das construções vizinhas;
g) Peculiaridades geológico-geotécnicas na área, tais como: presença de matacões,
afloramento rochoso nas imediações, áreas brejosas, minas d’água etc.

23

2. Aspectos Físicos
E. Presença de vegetação
 Avaliação da interferência da vegetação na etapa de construção
 Avaliar quais equipamentos que serão utilizados para a limpeza do terreno
 Verificar a possibilidade de integração da construção com a vegetação existente
(certificações ambientais)
 Verificar a existência de árvores protegidas por lei (Obtenção do certificado de
licença ambiental – IBAMA)
 Em Porto Alegre: SMAM (Laudo de cobertura vegetal)

24

12
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
F. Existência de benfeitorias públicas (água, esgoto, luz)

 No caso de inexistência de infraestrutura pública, deve-se planejar a utilização de equipamentos


de geração de energia elétrica (diesel), perfuração de poços entres outros serviços

25

2. Aspectos Físicos
F. Existência de benfeitorias públicas (água, esgoto, luz)
 Disponibilidade de instalação provisória de força e luz
 Elétrica
 Rede trifásica
 Potência necessária (Pot. Total * fator demanda)

26

13
05/08/2021

2. Aspectos Físicos
F. Existência de benfeitorias públicas (água, esgoto, luz)
 Disponibilidade de instalação provisória de força e luz
 Elétrica: cuidado especial deve ser dado à montagem do quadro provisório de
distribuição de energia, pois uma instalação mal realizada pode ser fonte de muitos
riscos aos operários.
INADEQUADO ADEQUADO

 Gerador diesel: mais cara

27

2. Aspectos Físicos
F. Existência de benfeitorias públicas (água, esgoto, luz)
 Disponibilidade de fornecimento provisório de água
 Rede pública (mais confiável)
 Poço
 Em casos de obras grandes e de longa duração, o poço
pode ser mais vantajoso economicamente que a rede
pública
 Compra em caminhões pipa
 Captação de água de chuva
 Armazenamento de água
 Regularidade do fornecimento
 Pressão suficiente

28

14
05/08/2021

3. Aspectos Econômicos
 Taxa de água e esgoto
 Impostos da região
 Custo de transporte
 Custo de materiais e serviços básicos da construção

29

4. Preparação do Terreno
 É a primeira providência a ser tomada no início da obra, já que facilita trabalho
posteriores. Assim é possível realizar os levantamentos planialtimétricos, os
serviços de investigações geotécnicas e movimentação de terra.
 Desmatamento
 Destocamento
 Limpeza
 Remoção da camada vegetal

30

15
05/08/2021

4. Preparação do Terreno
 Etapas de preparação do terreno
 Desmatamento:
 remoção de árvores de grande porte.
Pode ser utilizada a Moto-Serra e em
alguns casos os processos mecânicos.

 Destocamento
 pode ser feita manual ou por meio do
uso do fogo.

31

4. Preparação do Terreno
 Etapas de preparação do terreno
 Limpeza
 Remoção da camada vegetal rasteira.

Carpir Roçar Limpar mecanicamente

32

16
05/08/2021

4. Preparação do Terreno
 Etapas de preparação do terreno
 Remoção da camada vegetal
 remoção da camada de solo que pode ser considerada um banco genético.

33

5. Demolições
 Serviço Perigoso: empreiteiras especializadas
 Responsabilidade é sempre do empreendedor!
 Alvará de Demolição

34

17
05/08/2021

5. Demolições
 Normas a seguir: NR-18 do Ministério do Trabalho, Divisão 5
 18.5.1 Antes de se iniciar a demolição, as linhas de fornecimento de energia elétrica,
água, inflamáveis líquidos e gasosos liquefeitos, substâncias tóxicas, canalizações de
esgoto e de escoamento de água devem ser desligadas, retiradas, protegidas ou
isoladas, respeitando-se as normas e determinações em vigor.
 18.5.2 As construções vizinhas à obra de demolição devem ser examinadas, prévia e
periodicamente, no sentido de ser preservada sua estabilidade e a integridade física de
terceiros.
 18.5.3 Toda demolição deve ser programada e dirigida por profissional legalmente
habilitado.
 18.5.4 Antes de se iniciar a demolição, devem ser removidos os vidros, ripados, estuques
e outros elementos frágeis.

35

5. Demolições
 Normas a seguir: NR-18 do Ministério do Trabalho, Divisão 5
 18.5.5 Antes de se iniciar a demolição de um pavimento, devem ser fechadas todas as
aberturas existentes no piso, salvo as que forem utilizadas para escoamento de
materiais, ficando proibida a permanência de pessoas nos pavimentos que possam ter
sua estabilidade comprometida no processo de demolição.
 18.5.6 As escadas devem ser mantidas desimpedidas e livres para a circulação de
emergência e somente serão demolidas à medida em que forem sendo retirados os
materiais dos pavimentos superiores.
 18.5.7 Objetos pesados ou volumosos devem ser removidos mediante o emprego de
dispositivos mecânicos, ficando proibido o lançamento em queda livre de qualquer
material.
 18.5.8 A remoção dos entulhos, por gravidade, deve ser feita em calhas fechadas de
material resistente, com inclinação máxima de 45º (quarenta e cinco graus), fixadas à
edificação em todos os pavimentos.

36

18
05/08/2021

5. Demolições
 Normas a seguir: NR-18 do Ministério do Trabalho, Divisão 5
 18.5.9 No ponto de descarga da calha, deve existir dispositivo de fechamento.
 18.5.10 Durante a execução de serviços de demolição, devem ser instaladas, no
máximo, a 2 (dois) pavimentos abaixo do que será demolido, plataformas de retenção
de entulhos, com dimensão mínima de 2,50m (dois metros e cinquenta centímetros) e
inclinação de 45º (quarenta e cinco graus), em todo o perímetro da obra.
 18.5.11 Os elementos da construção em demolição não devem ser abandonados em
posição que torne possível o seu desabamento.
 18.5.12 Os materiais das edificações, durante a demolição e remoção, devem ser
previamente umedecidos.
 18.5.13 As paredes somente podem ser demolidas antes da estrutura, quando esta for
metálica ou de concreto armado.

37

5. Demolições
 Demolição de viga
 Exemplo de método de execução descrito em norma: sequência de operação
a) certifique-se de que todas as
sobrecargas foram removidas;
b) ate um cabo a uma das extremidades
da viga (A);
c) corte o concreto expondo as armações
nas extremidades (A e B);
d) corte a armação em sequência nas
posições 1, 2 e 3 respectivamente;
e) desça a viga lentamente ao chão
(extremidade A);
f) ate o cabo à extremidade B, corte a
armação na posição 4 e abaixe a
extremidade B lentamente até o solo.

38

19
05/08/2021

5. Demolições
 Normas a seguir: Resolução CONAMA 3017 – “Gestão de resíduos da
construção civil”
 Aproveitamento do existente
 Instalações temporárias
 Eventualmente, a construção existente pode ser útil abrigando alguma das instalações
temporárias (escritório, almoxarifado, alojamento, etc) desde que seja segura, e neste
caso, seria demolida ao final da obra.
 Reutilização dos Resíduos
 O resíduo originado de uma demolição pode ser bastante significativo exigindo o seu
manuseio com equipamentos de grande porte e quando não for possível sua utilização
dentro do próprio terreno deverá se retirado. Parte do material pode ser vendida ou
utilizada em outros locais.
 Unidades de triagem de Porto Alegre:
http://www2.portoalegre.rs.gov.br/dmlu/default.php?p_secao=113

39

6. Levantamento Planialtimétrico
 Descreve o terreno com exatidão e nele são anotadas as medidas planas,
ângulos e diferenças de nível (inclinação)
 Utiliza teodolitos, níveis ou outros aparelhos de precisão, uso de trenas e balizas
para as medidas lineares e nível d'água para diferença de cota

Nível Teodolito Estação Total

Finalidade de Para Para medição tanto


medição de mensuração de planimétrica quanto
desníveis entre ângulos verticais altimétrica do
pontos que estão a e horizontais terreno.
distintas alturas Mede ângulos e
distâncias.

40

20
05/08/2021

6. Levantamento Planialtimétrico
 Aparelhos de precisão
Trenas e balizas para medidas lineares

Mangueira de nível d'água para diferença de cota

Fonte:http://www.mom.arq.ufmg.br/mom/17_obra_ida/PROCESSOS_fil
es/PROCESSOS_001.html

41

6. Levantamento Planialtimétrico
 No levantamento planialtimétrico deve constar:
 A poligonal do terreno, juntamente com o seu perímetro
 A área
 O RN (Referencial de nível)
 As construções existentes
 As galerias de águas pluviais e esgoto, postes de energia
 As curvas de nível
 Ruas adjacentes
 Croqui de situação do terreno
 Obras de grande importância (pontes, viadutos ... )

42

21
05/08/2021

6. Levantamento Planialtimétrico

43

7. Investigação do Solo
 Consiste no reconhecimento das condições do subsolo, isto é, a sua disposição,
natureza e espessura das camadas, assim co mo as suas características, nível de
água e pressão.
 Principais métodos:
 Abertura de poços de exploração e execução de sondagem
 Ensaios de palheta e SPT (Standard Penetration Test)
 Prova de carga

44

22
05/08/2021

7. Investigação do Solo
 No relatório de sondagem deve constar:
 planta de situação dos furos;
 perfil de cada sondagem com as cotas de onde foram retiradas as amostras;
 classificação das diversas camadas e os ensaios que as permitiram classificar;
 níveis do terreno;
 níveis dos diversos lençóis de água;
 Pressões dos lençóis de água;
 resistência à penetração do
barrilete amostrador.

45

7. Investigação do Solo

46

23
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Conjunto de operações de escavação, carga, transporte, descarga, compactação
e acabamento executados, a fim de se passar um terreno de seu estado natural
para uma nova conformação topográfica desejada.

Rolo compactador pé
de carneiro

47

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Tipo de movimentação de terra Corte
 Corte
 Em alguns casos, há necessidade de
retirar os “matacões” (fração de
rocha de grande dimensão).
 Minimiza risco de recalque;
 Transporte do solo.
 Aterro
Aterro
 Maiores riscos de recalque (cuidado
na compactação do solo)
 Necessidade de aquisição de terra.
 Transporte do solo.

48

24
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Tipo de movimentação de terra
 Secção mista
 Aproveitamento do solo de corte para a execução do aterro. (pode ou não necessitar
aquisição de mais terra)
 Risco de recalque na área de aterro
 Reduz atividades de transporte de solo

Seção Mista

49

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Atividade básicas
 Escavação (escava e carrega)
 Sem contenção
 Com contenção
 Compactação Manuais ou
mecânicas
 Transporte
 (leva o material até o local de descarga)

50

25
05/08/2021

 Fatores que influenciam na necessidade


de contenção:
 características do terreno
 riscos de desabamento
 vizinhança

51

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Atividade básicas
 Escavação (escava e carrega)
 Contenções provisórias
 Escoras de madeira
 Pranchas e perfis metálicos
 Pranchas horizontais
 Cortinas de estacas-prancha
 Cortina de perfis metálicos e pranchões de madeira
 Contenções definitivas
 Muros de arrimo
 Gabião
 Cortina de concreto
 Parede diafragma
 Concreto projetado, etc.

52

26
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Atividade básicas
 Escavação (escava e carrega)
Contenções provisórias Contenções definitivas

53

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Equipamentos de escavação
 Sobre rodas  Sobre esteiras
 Vantagens:  Vantagens:
 Maior mobilidade  Maior Estabilidade
 Maior velocidade de  Mais aderência ao terreno
deslocamento  Rampas de grande inclinação
 Desvantagens: (da ordem de 1:3 ou 20°)
 Patinação  Condições mais adversas
 Menor pressão sobre o terreno
 Desvantagens:
 Patinação

54

27
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Equipamentos de escavação

Escavadeira de Pá-carregadeira
pequeno porte
(bobcat)

Escavadeira com lança Escavadeira mista / 1 lança carregadora Escavadeira de


retroescavadeira (sobre esteira) e 1 retroescavadeira mandíbula

55

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Equipamentos de compactação

Rolo compactador pé-de-carneiro Rolo compactador liso Sapo mecânico

56

28
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Equipamentos de transporte

Caminhão basculante toco

Caminhão basculante
trucado (tem terceira
linha de eixos)

57

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Verificar o volume retirado

Volume in loco Volume transportado

Deve-se levar em consideração o fator de empolamento

58

29
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


Kg/m³ Kg/m³ % Fator de
Material
corte solto empolamento conversão
Argila 1722 1261 40 0,72
Argila com pedregulho seco 1607 1151 40 0,72
Argila com pedregulho molhado 1836 1322 40 0,72
Terra comum seca 1564 1251 25 0,80
Terra comum molhada 2008 1606 25 0,80
Areia seca solta 1067 1430 12 0,89
Areia molhada compacta 2088 1856 12 0,89
Pedregulho Ø 1895 1687 12 0,89
2255 2007 12 0,89

59

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Exemplo
 Em uma obra será necessário realizar um corte no terreno (Vi) de 1000
m³. Foi contratado um laboratório para a determinação do fator de
empolamento (Fe) do terreno. Ao receber o laudo do laboratório,
verificou-se que o Fe do solo é de 30%. O transporte do solo para fora
da obra será realizada por caminhões basculantes trucados com
capacidade de 7m³, que cobram por viagem 75 reais. Realizar o
orçamento total, em reais, da movimentação de terra desta obra.

60

30
05/08/2021

8. Movimento de Terra – Terraplanagem


 Exemplo
 Verificar o volume a ser transportado

 Verificar a quantidade de caminhões necessários para o transporte de todo


material
1 caminhão ------- 7 m³
x ----------- 1300m³
x = 185,72 -> 186 caminhões

 Calcular custo do transporte da movimentação


Custo = Qtde de caminhões x preço do transporte
Custo = 186 . 75 = 13950 reais

61

9. Rebaixamento do Lençol Freático


 Como é feito?
 Bombas de grande profundidade instaladas em poços de diâmetro relativamente
pequenos (±10 cm)

62

31
05/08/2021

9. Rebaixamento do Lençol Freático


 Como é feito?
 Bombas de grande profundidade instaladas em poços de diâmetro relativamente
pequenos (±10 cm)

63

Referências
• BARROS, M. M. S. B.; MELHADO, S. B. Serviços Preliminares de Construção e
Locação de Obras. Disciplina Tecnologia da Construção de Edifícios I. USP (2006,
revisão do texto de 2002)
• Apostila Mãos à Obra
• Cunha, Eduardo H. da Serviços Preliminares - Notas de aula. Disciplina Técnicas
Básicas na Construção Civil . IF Paraná (ago/2010)
• SOUZA, A. A. de. Serviços Preliminares - Notas de aula. Disciplina Tecnologia dos
Processos Construtivos Residenciais. SENAI
• MACHADO, V. Aula 3 - Serviços preliminares, movimentação de terra e locação -
Notas de aula. Disciplina Construção Civil I. IESB
• ABNT NBR 12721:2006. Avaliação de custos unitários de construção para
incorporação imobiliária e outras disposições para condomínios edifícios –
Procedimento
• http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smov/default.php?p_secao=38

64

32
05/08/2021

CANTEIRO DE OBRA
• Profª Drª: Giselle Reis Antunes

65

O que é o Canteiro de Obra?


• O canteiro é o cartão de visitas de
toda obra, portante vale a pena projetá-
lo em conformidade com a imagem da
empresa.
• O canteiro é a praça de
relacionamento da empresa com a
vizinhança da obra, clientes,
fornecedores e funcionários.

66

33
05/08/2021

O que é o Canteiro de Obra?


 NR 18/2013: Condições Consiste na área de trabalho fixa e temporária, onde se
e meio ambiente de desenvolvem as operações de apoio e execução de uma
trabalho na indústria da obra.
construção

 NBR 12284/1991: Áreas Conjunto de áreas destinadas à execução e apoio dos


de vivência em trabalhos da indústria da construção, dividindo-se em:
canteiros áreas operacionais e áreas de vivência.

67

Introdução
 Sistema complexo, com muitos riscos
associados
 Exige análise prévia e criteriosa de sua
implantação, à luz dos conceitos de
 Qualidade
 Produtividade
 Segurança

68

34
05/08/2021

Fonte: Caldas (2013)


Como você imagina a sua empresa?

69

Fonte: Coelho (2009)


Como você imagina a sua empresa?

70

35
05/08/2021

 NBR 12284/91
 Fixa critérios mínimos para a permanência
de trabalhadores nos canteiros de obras
 NR 18/2013:
 Estabelece diretrizes de ordem
administrativa, de planejamento e de
organização para a implantação de medidas
de controle e sistemas preventivos de
segurança nos processos, nas condições e
no meio ambiente de trabalho na Indústria
da Construção
Normas e  Exige, entre outros documentos, o arranjo
físico inicial do canteiro de obras.
Exigências

71

Normas e Exigências  NR 18/2013:


 Torna obrigatório, para estabelecimentos com
vinte trabalhadores ou mais, a elaboração do
Programa de Condições e Meio Ambiente de
Trabalho na Indústria da Construção (PCMAT).

72

36
05/08/2021

 NR 18/2013:
 Documentos exigidos no PCMAT:
 Memorial sobre condições e meio
ambiente de trabalho nas atividades
(riscos de acidentes e doenças do
trabalho e medidas preventivas)
 Projeto de execução das Proteções
Coletivas conforme a etapa em execução
 Especificações técnicas das Proteções
Coletivas (EPC) e Individuais (EPI)
 Cronograma de implantação das medidas
preventivas
Layout inicial do canteiro e
Normas e

dimensionamento de áreas de vivência
 Programa educativo (prevenção de

Exigências
acidentes e doenças do trabalho)

73

 O atendimento à NR 18/2013 não desobriga o


atendimento a outras legislações:
 legislação federal, estadual, municipal e
negociações coletivas de trabalho
 Obrigatória comunicação prévia à SRTE
(Secretaria Regional do Trabalho e Emprego),
ex-DRT,
http://trabalho.gov.br/delegacias/rs/#):
 Endereço da obra
 Endereço e dados do empregador
 Tipo de obra

Normas e  Datas previstas de início e término


 Número máximo previsto de trabalhadores

Exigências

74

37
05/08/2021

 Internacionais
 ISO 45001: 2018 - Sistemas de
gestão de saúde e segurança
ocupacional
 Norma que trata de diretrizes para
estabelecer, implementar, manter, avaliar
e aprimorar constantemente o Sistema de
Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional
(SSO) de qualquer organização, de modo a
garantir locais de trabalho saudáveis e
seguros, prevenindo lesões e problemas
de saúde relacionados ao trabalho, bem

Normas e
como melhorando proativamente o seu
desempenho em SSO.
 ISO 31000:2018 - Gestão de riscos
Exigências

75

• Internacionais
• Apesar da grande contribuição dessas
normas internacionais, o atendimento delas
é voluntário, ou seja, a organização poderá
optar por implantar ou não um Sistema de
Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional
(SGSSO) certificado (ISO 45001:2018).

Normas e
Exigências

76

38
05/08/2021

Gestão de
Risco

 Na NR-18 é estabelecido que se deve adotar as medidas de


prevenção seguindo a hierarquia da NR-01.

77

Gestão de Risco

Fonte: ISO 45001

78

39
05/08/2021

Gestão de Risco

79

Gestão de Risco
1
Exemplo: Hierarquia de controle

80

40
05/08/2021

Gestão de Risco
• Perigo (fonte ou fator de risco ocupacional) consiste em
“fonte com o potencial de causar lesões ou agravos à saúde.
Elemento que isoladamente ou em combinação com outros
tem o potencial intrínseco de dar origem a lesões ou
agravos à saúde”.
• Risco ocupacional consiste na “combinação da
probabilidade de ocorrer lesão ou agravo à saúde causados
por um evento perigoso, exposição a agente nocivo ou
exigência da atividade de trabalho e da severidade dessa
lesão ou agravo à saúde”.

81

Gestão de Risco
• Processos do gerenciamento de riscos ocupacionais (NR-01)

Processo de Controle dos riscos Preparação para


identificação dos emergências
perigos e avaliação dos
riscos ocupacionais
• Levantamento • Medidas de prevenção
preliminar dos perigos • Planos de ação
• Identificação de perigos • Implementação e
* acompanhamento das
• Avaliação de riscos medidas de prevenção
ocupacionais\ • Acompanhamento da
saúde ocupacional dos
trabalhadores
• Análise de acidentes e
doenças relacionadas ao
trabalho

82

41
05/08/2021

Gestão de Risco
 Matriz para Análise de Risco
Fonte: adaptado de
Cambraia, Saurin e
Formoso (2010)

83

Layout
Planejamento

 Implantar o canteiro em local que
permaneça o maior tempo possível,
do Canteiro pois desmobilizações durante a obra
causam muito transtorno.
 Encontre um local que não interfira
com as movimentações horizontais e
verticais de material e pessoal, e que
ao mesmo tempo lhe assegure
controle da obra e facilidade de acesso
para funcionários e visitantes.
 Sempre que possível leve em
consideração a insolação e ventilação
para contribuir com o conforto dos
usuários.

84

42
05/08/2021

Layout
Planejamento

 Algumas vezes em terrenos de área
reduzida em grandes centros urbanos é
do Canteiro necessário implantar um Canteiro de
Obras inicial (com muitas deficiências e
pouco conforto para os trabalhadores).
 Possibilidades úteis:
 Alugar um terreno próximo
 Terceirizar muitos serviços (reduz
oficinas e funcionários)
 Após a desforma de duas ou três
lajes, usar os primeiros
pavimentos para implantação do
canteiro em condições
satisfatórias.

85

Planejamento do Canteiro
 Layout

86

43
05/08/2021

 Layout
 Analisar as possibilidades de acessos
(veículos e pedestres)
 Densidade de trânsito
 Possibilidade de manobra de veículos
 Acesso a toda obra
 Desnível de ruas e terreno.
 Definir a posição de equipamentos de
içamento (elevador e grua)
 Cronograma de utilização
 Escolher o local de descarga de materiais

Planejamento 
 Facilidade de acesso aos depósitos
Escolha do local de depósitos de materiais

do Canteiro
 Facilidade de acesso

87

 Layout
 Escolha dos locais das áreas de produção
 Proximidade aos depósitos
 Fácil acesso aos sistemas de transporte
horizontal e vertical
 Escolha dos locais das áreas administrativas e
áreas de vivência
 As necessidades de áreas para
armazenamento, produção, áreas de vivência
e administrativas variam com a evolução da
obra:
 Escavações, contenções e fundações
Planejamento  Estrutura do subsolo e Estrutura
 Alvenaria e revestimentos

do Canteiro  Acabamentos

88

44
05/08/2021

Planejamento do
Canteiro
 Tapumes e Circulação
 Legislação municipal, em Porto Alegre
(Código de Edificações)
 Ocupação de metade do passeio com
passagem livre de 1m, solicitar
autorização em outros casos
 Uso de galeria (pé-direito ≥ 2,5 m e
largura ≥ 1,5m)
 Retirada 10 dias após término da
obra
 Depósito de materiais no passeio
 Conservação do passeio

89

Planejamento do
Canteiro
 Tapumes
 “Cartão de visitas” da obra
 Propagandas, placas, etc
 Altura mínima 2,0 m (POA)
 Materiais:
 Madeira (compensada e serrada)
 Plástico reciclado
 Chapas metálicas
 Pré-moldados
 Alvenaria (muro)

90

45
05/08/2021

 Portaria
Áreas 

Junto à porta de acesso do pessoal;
Suficientemente ampla para manter um
Operacionais estoque de EPI, a ser fornecido aos
visitantes;
 Deve ser localizada de modo que o vigia
possa controlar os acessos da obra.
 O encarregado da portaria deve:
 Anotar o nome e a identidade dos
visitantes;
 Não permitir a entrada de visitantes
sem os EPIs determinados pelas
normas da empresa;
 Consultar a administração ou
gerência da obra, para autorização
do acesso aos visitantes.

91

Áreas Operacionais
 Escritório
 Compõem-se, geralmente, de
dependências para os seguintes
elementos da administração da obra:

1) Engenheiros 1) Segurança do Trabalho


2) Estagiários e Técnicos 2) Ambulatório
3) Mestre de Obras 3) Sanitários
4) Auxiliares de escritório 4) Encarregados

92

46
05/08/2021

Áreas Operacionais
 Escritório
 É comum prevê-se uma sala de reuniões;
 Aconselhável: escritórios do engenheiro e
mestre de obras terem visão para o Canteiro
de Obras;
 Auxiliar de escritório deve ficar uma relação
de telefones de emergência.

93

Áreas Operacionais
 Almoxarifado
 Preferencialmente separado dos escritórios,
porém nas suas proximidades;
 Mantido limpo e arrumado;
 Ficar próximo das entradas;
 Localizado de modo a permitir uma fácil
distribuição dos materiais pelo canteiro.

94

47
05/08/2021

Áreas Operacionais
 Depósitos
 São locais destinados a estocagem de materiais volumosos ou de uso corrente, podendo
ser a céu aberto ou cercados, para possibilitar o controle.

95

Áreas Operacionais
 Depósitos

96

48
05/08/2021

Áreas Operacionais
 Depósitos

97

Áreas Operacionais
 Depósitos

98

49
05/08/2021

99

Áreas Operacionais

 Central de armação
 Localizar o processamento do aço
(corte/dobra/pré-montagem) nas
proximidades do estoque de aço e
facilmente acessível quanto ao
transporte vertical;
 Área da ordem de 50 m²;
 Cobertura seria o ideal, mas é
obrigatória apenas sobre eventual
policorte.

100

50
05/08/2021

Áreas
Operacionais
 Central de armação

101

Áreas Operacionais
 Central de concreto
 A central de concreto deverá ser coberta e
dispor de materiais de segurança.
 O local de colocação dos materiais deverá
estar ao nível do solo, para que não haja
dificuldades para os funcionários envolvidos
no processo.

102

51
05/08/2021

Áreas Operacionais
 Central de concreto

103

Áreas Operacionais
 Central de argamassa
 Localização próxima do estoque de
areia;
 Próximo ao equipamento para
transporte vertical;
 De preferência em local coberto (para
viabilizar trabalho mesmo com chuva);
 Cuidado com interferências com outros
fluxos de material.

104

52
05/08/2021

Áreas Operacionais
 Central de argamassa
 Número de betoneiras é função da
demanda da obra por argamassas
(mesmo que a obra só demande uma, é
conveniente ter uma menor para caso
de emergências);
 Prever tablado para estoque dos sacos
de aglomerante necessários para o dia
de trabalho.
 Ordem de grandeza de área: 20 m²

105

Áreas de Vivência
 Vestiário
 Todo Canteiro de Obras deve possuir
vestiário para troca de roupa dos
trabalhadores que não residam no local.
 Bancos, com largura mínima de 30 cm.
 Equipados com:
 Armários individuais dotados de
fechadura ou dispositivo com
cadeado.

106

53
05/08/2021

Instalações Sanitárias
Áreas de

 Estar em locais de fácil e seguro acesso
e no máximo a 150 m de distância do
Vivência 
posto de trabalho;
Ter portas de acesso que impeçam o seu
devassamento e ser construídas de
modo a manter o resguardo
conveniente.
 Área necessária para as instalações
sanitárias (levar em conta o número
máximo de trabalhadores na obra):
 Vaso sanitário: 1,00 m²
 Chuveiro: 0,80 m²
 Lavatório, espaçamento: 0,60 m²
 Mictório, espaçamento: 0,60 m²

107

Áreas de Vivência
 Instalações Sanitárias
 Ser constituídas de:
 Um conjunto composto de lavatório, vaso sanitário
e mictório, para cada grupo de 20 trabalhadores ou
fração;
 Um chuveiro, para cada grupo de 10 trabalhadores
ou fração.

108

54
05/08/2021

Áreas de Vivência
 Alojamentos
 Devem ter pé-direito de:
 2,50m para cama simples;
 3,00m para beliches

É proibido instalá-los em
subsolos ou porões.
 Área mínima de 3,00 m² por módulo cama/
armário, incluindo a circulação.
 No máximo duas camas na vertical (beliche)

109

Áreas de Vivência
 Alojamentos
 Lençol, fronha e travesseiro por cama, em
condições adequadas de higiene, e cobertor,
quando as condições climáticas o exigirem.
 Armários individuais.
 É obrigatório o fornecimento de água
potável, filtrada e fresca no Alojamento.
 Proporção: 1 bebedouro para cada grupo de
25.

110

55
05/08/2021

Áreas de Vivência
 Alojamentos
 Em áreas de vivência com alojamento - deve
ser solicitada à Concessionária local a
instalação de um telefone comunitário.
 É obrigatório o fornecimento gratuito, pelo
empregador, de vestimenta de trabalho e
sua reposição, quando danificada.

111

Áreas de Vivência
 Refeitório
 É obrigatório garantir o atendimento de
todos os trabalhadores no horário das
refeições;
 Deve possuir assentos em número suficiente
para atender aos usuários;
 Deve ter lavatório instalado em suas
proximidades ou no seu interior.

112

56
05/08/2021

Áreas de Vivência

113

Áreas de Vivência
 Refeitório
 Independentemente do número de
trabalhadores e da existência ou não da
cozinha, deve haver local exclusivo para o
aquecimento das refeições.
 Proporção: 1,00 m²/trabalhador;
 Não pode estar situado em subsolos ou
porões, nem ter comunicação direta com as
instalações sanitárias;
 Pé-direito mínimo: 2,80m (conforme o
código de obras do município da obra).

114

57
05/08/2021

Áreas de Vivência
 Cozinha (se houver)
 Pia para lavar os alimentos e utensílios.
 Instalações sanitárias de uso exclusivo dos
encarregados de manipular gêneros
alimentícios, refeições e utensílios (que não
se comuniquem diretamente com a
cozinha).
 Equipamentos de refrigeração, para
preservação dos alimentos.

115

Áreas de Vivência
 Lavanderia (se houver)
 Local próprio, coberto, ventilado e
iluminado, para que o trabalhador
alojado possa lavar, secar e passar suas
roupas de uso pessoal.
 Este local deve ter tanques individuais ou
coletivos em número adequado.

116

58
05/08/2021

Áreas de Vivência

117

Áreas de Vivência
 Área de lazer
 Devem ser previstos locais para recreação
dos trabalhadores alojados, podendo ser
usado o local de refeições para este fim.

118

59
05/08/2021

Áreas de Vivência
 Ambulatório
 Frentes de trabalho com 50 ou mais
trabalhadores devem ter um ambulatório.
 Deve haver o material necessário à prestação
de Primeiros Socorros, conforme as
características da atividade desenvolvida.
 Este material deve ser mantido guardado e
aos cuidados de pessoa treinada para esse
fim.

119

Referências
• RUBIN, Ariane. Canteiro de obras e equipamentos de construção – Notas de aulas.
Disciplina: Técnicas de construção Civil. UFSC (2017)
• TONETTO, MirelA Schramm. Prevenção de acidentes de trabalho, com ênfase em
Análise de Risco – Palestra. Semana da segurança da SUINFRA 2021. UFRGS (2021).
• https://locadoraequiloc.com.br/blog/afinal-como-escolher-o-melhor-
equipamento-de-elevacao-para-usar-na-construcao-civil/
• https://orguel.com.br/blog/como-escolher-plataforma-aerea-para-sua-obra/
• https://www.degraus.com.br/como-escolher-betoneira-dicas-para-encontrar-a-
ideal/
• https://www.sienge.com.br/blog/locacao-de-equipamentos/
• http://brasmetal.com/2019/02/18/qual-tipo-de-andaime-alugar-para-sua-obra/

120

60
05/08/2021

 Contato: engcivil.giselle@outlook.com
 Grupos no Facebook:
- Patologia das Construções:
https://www.facebook.com/groups/10820538
08507835
- Construção: Inovação e Sustentabilidade
https://www.facebook.com/groups/14801405
78981242

121

61

Você também pode gostar