Você está na página 1de 4

INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS

Língua, linguagem, comunicação e variação linguística


Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

LÍNGUA, LINGUAGEM, COMUNICAÇÃO E VARIAÇÃO LINGUÍSTICA

Quando se fala em variação linguística, é preciso dominar a seguinte distinção: o que é


o padrão culto e o que é o padrão coloquial (visto, por exemplo, em propagandas, crônicas,
poesias, mas que não aparece em dissertações mais técnicas).
Os vícios de linguagem correspondem a erros quando o examinador precisa analisar o
domínio do padrão culto.

4. VARIAÇÃO LINGUÍSTICA:

Antigamente
Antigamente, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito
prendadas. Não faziam anos: completavam primaveras, em geral dezoito. Os janotas, mesmo
5m sendo rapagões, faziam-lhes pé de alferes, arrastando a asa, mas ficavam longos meses
debaixo do balaio. (Carlos Drummond de Andrade)
De acordo com a época que o texto é produzido, o vocabulário também sofrerá alterações.
Quando Carlos Drummond escreveu esse texto, ainda havia muita influência da linguagem fran-
cesa no português. Exemplos: “janotas” é o equivalente a “paqueradores”, “pé de alferes”, o
equivalente a “cantadas”. De acordo com cada época, as palavras mudam, tanto que o texto se
inicia com “antigamente” e da época que foi escrito para hoje, muita coisa já mudou novamente.

1. Língua é um conjunto de sinais (palavras) (texto é uma palavra de origem latina, que sig-
nifica “tecido”, e é formado por palavras, orações, períodos, parágrafos/prosa, e esses elementos
articulados produzem os diferentes efeitos semânticos) e de leis combinatórias por meio do qual
10m
as pessoas de uma comunidade se comunicam e interagem. Ela pertence a todos os membros de
uma comunidade; por isso, faz parte do patrimônio social e cultural de cada coletividade.

2. Linguagem: capacidade de comunicar-se por meio de signos. Linguagem é, por-


tanto, a capacidade de o homem comunicar-se, seja por meio de ícones, índices ou símbolos.
→ O signo linguístico é composto de significante (carga visual e sonora) e significado
(carga mais abstrata, relacionada ao conteúdo, ao conceito, à ideia).
→ Linguagem verbal: o destaque na comunicação são as palavras. Ex: “vaca” (observar
os significantes ditos na aula). Esse significante é associado a uma imagem mental do animal
vaca (significado).
→ Linguagem não verbal: não considera as palavras, mas outros sinais (sinais de trân-
sito, gestos faciais, gestos corporais e outros). Ex: na charge, o autor trabalha com as lingua-
15m
gens verbal e não verbal, daí a importância de analisar atentamente todos os elementos que
a compõem (todas as imagens e todas as palavras).

1 www.grancursosonline.com.br
INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
Língua, linguagem, comunicação e variação linguística
Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
Em prova recente da Terracap, o examinador trouxe a seguinte questão:
“Na cidade, tinham muitos prédios”.
A frase faz uso da linguagem verbal, mas no tocante à variação linguística, existe um des-
respeito ao padrão culto da língua: uso do verbo “ter” no sentido de “haver/existir”.
O registro acima é coloquial, e não é errado usá-lo no dia a dia; entretanto, o correto
(padrão culto) seria “Na cidade havia muitos prédios” (lembrando que o verbo “haver” no
sentido de "existir" não é pluralizado).

3. Comunicação: processo que envolve a troca de informações entre dois ou mais interlo-
cutores por meio de signos e regras semióticas (estabelecidas pela semiologia, que estuda
20m
o signo linguístico, a relação entre significante e significado) mutuamente entendíveis. Não
se devem estabelecer barreiras com as pessoas que não têm o mesmo nível de domínio da
língua (preconceito linguístico). O importante é o processo de comunicação ser compreensível
para os participantes da conversa. Entretanto tenha atenção em relação às provas objetiva e
discursiva, que devem seguir à risca o padrão culto da língua portuguesa.

4. Variação linguística:
• Variação histórica: sofre transformações ao longo do tempo; palavras e expressões
usadas em determinadas épocas.
• Variação regional (dialetos): ocorre de acordo com a cultura de determinada região
(ex: “macaxeira” e “mandioca”).
25m
• Variação social: pertence a um grupo específico de pessoas: gírias; linguagem colo-
quial; linguagem formal; jargões.
30m • Variação estilística: formal (culta) e informal (não culta).

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
1. TEXTO
Gerente – Boa tarde. Em que eu posso ajudá-lo?
ANOTAÇÕES

2 www.grancursosonline.com.br
INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
Língua, linguagem, comunicação e variação linguística
Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

Cliente – Estou interessado em financiamento para compra e veículo.


Gerente – Nós dispomos de várias modalidades de crédito. O senhor é nosso cliente?
Cliente – Sou Júlio César Fontoura, também sou funcionário do banco.
Gerente – Julinho, é você, cara? Aqui é a Helena! Cê tá em Brasília? Pensei que você inda
tivesse na agência de Uberlândia! Passa aqui pra gente conversar com calma.
(BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna (adaptado).

Na representação escrita da conversa telefônica entre a gerente do banco e o cliente,


observa-se que a maneira de falar da gerente foi alterada de repente devido:

a. à adequação de sua fala à conversa com um amigo, caracterizada pela informalidade.


b. à iniciativa do cliente em se apresentar como funcionário do banco.
c. ao fato de ambos terem nascido em Uberlândia (Minas Gerais).
d. à intimidade forçada pelo cliente ao fornecer seu nome completo.
e. ao seu interesse profissional em financiar o veículo de Júlio.

COMENTÁRIO
No diálogo, a linguagem foi totalmente alterada da formalidade para a informalidade, pois
em determinado momento a situação o permitiu.

2. Observe:
35m

(BROWNE, C. Hagar, o horrível. Jornal O GLOBO.)


ANOTAÇÕES

3 www.grancursosonline.com.br
INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS
Língua, linguagem, comunicação e variação linguística
Viu algum erro neste material? Contate-nos em: degravacoes@grancursosonline.com.br

A linguagem da tirinha revela:

a. o uso de expressões linguísticas e vocabulário próprios de épocas antigas.


b. o uso de expressões linguísticas inseridas no registro mais formal da língua.
c. o caráter coloquial expresso pelo uso do tempo verbal no segundo quadrinho.
d. o uso de um vocabulário específico para situações comunicativas de emergência.
e. a intenção comunicativa dos personagens: a de estabelecer a hierarquia entre eles.

COMENTÁRIO
A questão exige a análise da linguagem não verbal além da verbal.
Correlação linguística (no caso, verbal): existem as situações de paralelismo (todos os verbos
no mesmo tempo verbal). Outras situações não estão relacionadas ao paralelismo, mas a
uma correlação dos verbos que permite uma relação lógica. Ex: na frase “Se eu trabalhar,
40m
consquistaria vários bens” a comunicação plena não foi estabelecida. Nessa situação,
existem duas opções: “Se eu trabalhar, conquistarei vários bens” ou então “Se eu trabalhasse,
conquistaria vários bens”. Na primeira hipótese, o tempo verbal da frase é o futuro, garantindo
uma marca comum (do subjuntivo no primeiro verbo e do presente do modo indicativo no
segundo), e na segunda, o primeiro verbo está no pretérito imperfeito do subjuntivo e o
segundo, no futuro do pretérito do indicativo, tendo como marca comum o pretérito. estão no
Nessas hipóteses, apresentadas corrigidas, a comunicação plena é estabelecida.
45m Na tira, há um problema de correlação verbal (o correto seria “tivesse consertado”, com o
pretérito como marca comum).

GABARITO

1. a
2. c

�Este material foi elaborado pela equipe pedagógica do Gran Cursos Online, de acordo com a aula
preparada e ministrada pelo professor Fernando Moura.
A presente degravação tem como objetivo auxiliar no acompanhamento e na revisão do conteúdo
ministrado na videoaula. Não recomendamos a substituição do estudo em vídeo pela leitura
exclusiva deste material.

4 www.grancursosonline.com.br

Você também pode gostar