Você está na página 1de 5

VOCÊ LIDERA BÚFALOS OU GANSOS?

COMENTÁRIOS INICIAIS

Resumir as principais questões que envolvem o assunto liderança não é uma tarefa
das mais fáceis, já que a bibliografia a respeito deste fascinante tema é bastante
pródiga.

Quem se der ao prazer de visitar as melhores livrarias comprova essa assertiva:


são milhares de revistas, jornais, “newsletters”, informativos, artigos, vídeos e
livros que tratam desse assunto.

O maior desafio, portanto, é decidir quais os aspectos que, no nosso entender, são
os mais significativos.

É evidente que estaremos valorizando posições que, acreditamos, devam orientar e


balizar as ações de um verdadeiro líder.

Pedimos que nossa abordagem não seja considerada como a única verdade, pois
temos sempre muito cuidado em não assumir posturas dogmáticas ou atitudes que
pareçam verdades absolutas.

O questionamento permanente nos impede de acreditar em verdades absolutas!

A propósito, o cineasta espanhol Luiz Buñuel costumava dizer “Daria minha vida
por um homem que esteja em busca da verdade, mas desprezaria com toda minha
indiferença um homem que acredite haver encontrado a verdade”.

Não fosse por Luiz Buñuel, aprendemos pessoalmente, com o amigo e mestre
Kleber Nascimento, que “em ciência social não existem respostas certas, mas sim
perguntas inteligentes”.

Além do mais, cada um de nós tem experiências, valores, interesses, motivações,


anseios, preferências e convicções diferenciadas. Precisamos respeitar e conviver
com as diferenças individuais. Isto vem a ser flexibilidade, uma das muitas
habilidades a serem desenvolvidas por todos que lideram.

1. “O Vôo do Búfalo”
No livro de James A. Belasco & Ralph C. Stayer esses dois profissionais
ilustram de uma forma bastante interessante a importância e o valor de uma
liderança realmente orientada para o desenvolvimento das pessoas.
Segundo Belasco & Stayer, durante muitos anos as pessoas foram treinadas a
acreditar que liderança era planejar, organizar, coordenar e controlar. Esse
modelo funciona, ou funcionava, na maioria das organizações, muito
semelhante a uma manada de búfalos.
A razão é que os búfalos são seguidores absolutamente fiéis de um líder. Eles
fazem tudo que o líder quer que façam; vão para todos os lugares que o líder
quer. Nesse tipo de liderança, o líder quer que as pessoas façam exatamente o
que ele diz, pensa e age. Qualquer desvio de rota ou ação contrária ao
“Grande-Homem”, o castigo fatalmente acontece.
Dessa forma, os chamados “líder de búfalos” acreditam, de boa fé, que estão
assegurando que os liderados sejam leais, quando, na realidade, são apenas
submissos. A submissão é vista como respeito, quando na realidade é medo,
temor.
O líder de búfalos ainda adora ser o centro do poder, na crença que é esse o
seu verdadeiro trabalho. Quando ele não está presente, os liderados não
sabem o que fazer, e ficam zanzando à espera de uma nova ordem. Relaxam e
sentem-se aliviados, sem a presença do Chefe; mas perdidos!
O interessante nessa história, é que os primeiros colonizadores da América do
Norte identificaram esse fenômeno e puderam dizimar inúmeras manadas de
búfalos com enorme facilidade: bastava matar o líder da manada. Sem o líder,
os liderados não sabiam para onde ir, sendo massacrados sem maiores
problemas.
Infelizmente, ainda ouvimos de alguns Gerentes a seguinte afirmativa: quando
não estou presente, nada funciona nesta Empresa.
É importante lembrar que, como líder, o importante não é o que acontece
quando você está presente, mas sim, quando está ausente.
Em contraste com a manada de búfalos, Belasco & Stayer, identificaram um
modelo organizacional de liderança, no “Vôo dos Gansos”. Os gansos voam em
“V”, a liderança muda com freqüência, com diferentes gansos revezando-se no
trabalho de orientação do grupo. Todos os gansos são responsáveis por si
mesmos à medida que se deslocam, mudando de papel de acordo com as
necessidades, alternando-se na função de líder. Quando muda a tarefa, os
gansos são responsáveis pela mudança da estrutura do grupo de modo a poder
se acomodar à nova realidade, de forma semelhante ao processo de
aterrissagem desses pássaros, durante o qual abandoam a formação em “V”
para descer em ondas. Quem já observou um “vôo de gansos” afirma que é
possível visualizar todos os gansos na liderança.
Os líderes aprendem com rapidez e encorajam os outros.

2. Um Apaixonado pelo Estudo da Liderança: Warren Bennis


Para o Consultor Warren Bennis, o assunto Liderança constitui-se na sua
grande área de reflexão e estudo: sua “cachaça”.
Nos últimos 25 anos têm sido, com certeza, a pessoa que mais pesquisou a
respeito das qualidades e habilidades exigidas pela Liderança.
Segundo Bennis, os líderes de hoje são instrutores, micro administradores,
exigem mais compromisso do que submissão, concentrando-se em qualidade e
serviços aos clientes mais do que em números.
Para ele, as empresas hierarquizadas e burocráticas terão grandes dificuldades
em se readaptar às mudanças tão aceleradas dos tempos atuais. A chave da
vantagem competitiva de qualquer organização hoje em dia é, segundo Bennis,
sua capacidade de criar uma estrutura ágil, flexível, compacta, interativa e
capaz de gerar capital intelectual.
As ações de um verdadeiro líder devem apoiar-se em três pontos:
o ambição / drive
o conhecimento / especialização

o integridade
Dessa forma, temos:
o ambição e conhecimento sem integridade não caracterizam
um líder ético
o ambição e integridade sem conhecimento não caracterizam
um líder competente
o conhecimento e integridade sem ambição não caracterizam
um líder realizador
3. Atitudes que Interferem na Performance de um Líder

Restritivas Facilitadoras

Resistência o Abertura
Rejeição o Receptividade
Mesmice o Inovação
Cegueira o Curiosidade
Temor o Coragem
Derrota o Perseverança
Desistência
o Experimentação

Restritivas Facilitadoras

Tenta mudar o comportamento o Muda o seu próprio


dos outros comportamento

O problema sempre está nos o Admite que possa estar


outros errado

Não pode resolver, pois os outros o Faz parte da solução dos


não mudam problemas

Enfatiza sempre os problemas o Enfatiza as possibilidades

Não aceita o direito que as o Aceita que as pessoas


pessoas tem de serem diferentes sejam diferentes

Cede quando deveria manter-se o Sabe quando deve manter-


firme se firme e quando é a sua vez
de ceder

Pergunta: “Você sabe quantos o Admite que nunca se é


anos de experiência eu tenho velho demais para aprender
neste assunto?”

Discorda, mas não oferece o Discorda, mas oferece


alternativa (“bebê-chorão”) alternativas

Não administra, só reclama. Nada o Administra conflitos


faz para mudar a situação abertamente

Continua com a mesma o Quando não alcança o


estratégia, mesmo que esteja resultado desejado, muda a
perdendo estratégia

Não mexe em time que está o Sabe que precisa melhorar


ganhando sempre, mesmo nas vitórias

“Já tentamos várias vezes, vai o “Desta vez vamos


dar errado” conseguir!!”
Restritivas Facilitadoras

Não vai dar. É impossível o Nem tudo pode ser mudado,


mas nada pode ser mudado se
não for tentado

Não ouve os colaboradores, o Ouve os colaboradores


porque acha que eles não sabem
nada

“A culpa não foi minha” o “Cometi um erro, e vou


corrigi-lo”

Só vê aspectos negativos na o Percebe que a Organização


Empresa em que trabalha. O em que trabalha têm pontos
salário que recebe serve como favoráveis e desfavoráveis. A
“indenização” pelas horas de vida é assim. É preciso estar
infelicidade que passa na sempre dispostos a melhorar o
Empresa que precisa ser melhorado.

4. Eis a questão: chefe ou líder?


Os principais estudiosos de Liderança começam a identificar nítidas diferenças
entre um Chefe e um Líder. Parece oportuno traçarmos um paralelo entre
essas duas posições.

Chefiar é fazer com que as pessoas façam o que é “preciso”.


Liderar é fazer com que as pessoas queiram fazer
o que é preciso.

Chefes... Líderes...
Empurram o Puxam

Informam: mão-única o Comunicam: mão-dupla

São mestres o São maestros

São comandantes o São treinadores

São donos da voz mais alta o São donos dos ouvidos mais
acurados

Administram o Inovam

São cópias o São originais

Mantém o Desenvolvem

Focalizam os sistemas e a o Focalizam as pessoas


estrutura

Perguntam “como” e “quando” o Perguntam “o quê” e “por


quê”?

Convivem melhor no status quo o Desafiam, mudam

São bons soldados o São eles mesmos

Fazem as coisas corretamente o Fazem as coisas certas


Obtém resultados através – ou o Desenvolvem pessoas e
apesar – das pessoas grupos

Querem segurança e o Querem desafios


estabilidade

Buscam status o Privilegiam qualidade de vida

São obedientes o São contestadores

Trabalham com “mão-de-obra” o Trabalham com o capital


intelectual

São fazedores o São criativos

Vestem a camisa da empresa o Participam dos negócios da


empresa

A GENIALIDADE DOS LÍDERES NÃO ESTÁ EM OBTER CONQUISTAS


PESSOAIS, MAS EM LIBERTAR O TALENTO DE OUTRAS PESSOAS.