Você está na página 1de 5

TÓPICOS PARA OS AUXILIARES DA REUNIÃO DE JOVENS E MENORES

RESUMO DOS ENSINAMENTOS

1 – Orar ao Senhor antes de escolher o capítulo.

Devemos fazer tudo com oração. Os auxiliares, como servos de Deus, busquem-
no em oração e devem pedir sua guia quanto ao capítulo que irão apresentar aos
jovens e às crianças para o recitativo. Cada auxiliar ora individualmente.
Não e necessário a presença do cooperador de jovens. Devem procurar
recitativos fáceis como do Novo Testamento e Salmos, e evitar pontos mais
profundos da doutrina, de difícil compreensão no sentido espiritual.

2 - Contagem de recitativos. Maneira correta.

Devem ser contados somente os recitativos; não contar as orações, nem os


testemunhos.

3 - Entrega das papeletas do recitativo uma semana antes.

Entregar os recitativos uma semana antes; devem anotar em uma caderneta, para
poder atender em caso de extravio a ausência. A entrega dos versinhos para o
próximo domingo deve ser feita após o término da reunião e durante a semana
aos que faltarem, ou até mesmo aos pais.

4 – Cuidados com a repreensão das crianças e jovens.

Os auxiliares não devem repreender asperamente as crianças ou jovens, mas sim


ter o máximo cuidado em ensinar a ter respeito e temor por estar na casa de
Deus.

5 – Horário de chegar às reuniões.

Os auxiliares devem procurar chegar antes do inicio da reunião, pois precisam dar
exemplo aos jovens e menores, e terem tempo para algum entendimento prévio
quanto a providências necessárias ao bom desempenho da reunião, que deve
sempre ser tomada em conjunto com o cooperador de jovens.

6 - Reclamações aos pais.

Os auxiliares nunca devem fazer reclamações dos filhos aos pais; eles podem não
compreender e impedi-los de vir às reuniões.
7 – Freqüência nas reuniões.

Os auxiliares não devem faltar nas reuniões de jovens e menores, pois tem um
compromisso com a sua continuação e com o cargo que exerce.
Na medida do possível, devem frequentar as reuniões da mocidade, convidando
mais alguns jovens.

8 – Comportamento.

Os auxiliares devem ser exemplo para as crianças e para os jovens: no trato, no


vestir, no proceder, no recitativo e ajudando aqueles que estão dando os primeiros
passos nesta graça.

9 – Desunião entre cooperadores de jovens e auxiliares.

O cooperador de jovens e auxiliares devem ter uma união e um respeito mútuo.


Na união Deus opera e abençoa.

10 - Recitativo em continuação.
Um versículo para cada jovem ou criança já é o mínimo. Portanto, não convém
dividi-lo. No caso de um versículo ser muito longo, pode-se dividi-lo, desde que
não haja prejuízo na compreensão do assunto. Devemos ensinar jovens e
crianças a recitar, e não ler os versículos.

11 - Atenção aos jovens que estão se achegando às reuniões.

Nunca se deve desprezar aqueles que estão se achegando. Às vezes há jovens


que não estão ambientados, tem dificuldades de relacionamento. Devem ser
convidados a participar, a recitar, devem ser acolhidos com amor e com carinho,
para que se interessem a participar nas próximas reuniões. Conforme o caso faz-
se uma visita.
Comportamentos relacionados ao testemunho e doutrina

O testemunho dos auxiliares deve ser exemplar, cuidando para que não venham freqüentar
lugares mundanos ou adquira costumes estranhos, tratando com leviandade uns aos outros. Os
auxiliares precisam sempre lembrar que as crianças o vêem como seus irmãos mais velhos e irão
sempre seguir aquilo que fazem. Esta é uma das razões pela qual os auxiliares devem apresentar
bom testemunho.

Os auxiliares não devem freqüentar cinemas, baladas, barzinhos ou algum outro local que venham
se enfraquecer na fé. As moças devem manter seus cabelos crescidos e quando possível evitar
usar calça comprida. Devem manter a simplicidade sem exagero de jóias e maquiagem.

Os moços e moças não devem usar vestes que venham causar curiosidade de outros em relação
ao corpo. Devemos lembrar que o nosso corpo carrega nosso coração que é o Templo do Espírito
Santo, e para isto, precisamos mantê-lo em santidade para honrarmos o local que o Espírito Santo
habita. Bem como todos nós, os auxiliares não devem fazer tatuagens ou colocar piercing em
nenhuma parte do corpo.

Não devem namorar com pessoas estranhas a fé e seu namoro deve ser irrepreensível, com bom
porte, sem causar escândalos na obra e futuras tristezas.

Os auxiliares devem ser honestos, corretos, bons pagadores, trabalhadores, cumpridores de suas
obrigações como filho e filha de Deus, bem como cidadãos.

Horário de chegar às reuniões

Os auxiliares devem procurar chegar antes do inicio da reunião, pois precisam dar exemplo aos
jovens e menores, e terem tempo para algum entendimento prévio quanto a providências
necessárias ao bom desempenho da reunião, que deve sempre ser tomada em conjunto com o
cooperador de jovens. Devem também evitar ao Maximo a movimentação dentro da casa de Deus,
dando assim exemplos aos demais.

Freqüência nas reuniões

Os auxiliares de jovens e menores devem comparecer as reuniões de jovens e menores na sua


comum congregação. O cargo de Auxiliar de Jovens deve ser honrado, pois muitos gostariam de
tê-lo, porem não podem desfrutar deste privilégio. Em caso de precisar se ausentar da reunião por
motivo justo, deve-se comunicar com antecedência ao cooperador de Jovens e Menores bem
como os demais auxiliares.

Comportamento

Os auxiliares devem ser exemplo para as crianças e para os jovens: no trato, no vestir, no
proceder, no recitativo e ajudando aqueles que estão dando os primeiros passos nesta graça.

Atenção aos jovens que estão se achegando às reuniões

Nunca se devem desprezar aqueles que estão se achegando. Às vezes há jovens que não estão
ambientados, tem dificuldades de relacionamento. Devem ser convidados a participar, a recitar,
devem ser acolhidos com amor e com carinho, para que se interessem a participar nas próximas
reuniões. Conforme o caso faz-se uma visita.
Conselhos sobre crianças
- Jamais reclame de uma criança para ninguém.

- Não faça comentários negativos sobre crianças para outras pessoas. Exemplo básico: “ele é um
pestinha, ele é meio esquisito..”. “Ninguém mais ninguém mesmo é de confiança.

- Os auxiliares nunca devem fazer reclamações dos filhos aos pais; eles podem não compreender
e impedi-los de vir às reuniões.
- Sinta falta das crianças na reunião. Vá atrás no mesmo dia. Lembre-se delas durante a semana,
as visite se estiver doente, mesmo que seje uma gripe. Leve sempre um presentinho como
carrinho, doce etc.

- Nunca repreenda uma criança com veemência. Criança é criança. Jamais Humilhe uma criança.

- No culto, pergunte sempre ao pai da criança como ela está. Se não souber quem é o pai ou mãe,
descubra. E pergunte sempre pelo nome.

- Não chame, jamais, uma criança de moleque.

- Tenha o dia do aniversario das crianças, lembre-se delas pessoalmente, por telefone, por cartão
etc.

- Na medida do possível, busque a criança que não pode vir só. Os auxiliares devem auxiliar nessa
parte.

- De vez em quando fazer um passeio somente com as crianças, congregar somente com as
crianças em outras reuniões de jovens.

1 – Organização na RJM.

Total comunhão na RJM, do principio ao fim, ajudar nos chamar dos hinos, nas orações, sejam
participativos esse é o principal papel do verdadeiro auxiliar, sejam simpáticos, amorosos,
preocupados, prestativos, atentos em tudo.

As crianças ficarão nos bancos da frente, junto aos auxiliares, a qual terá total contato com elas,
organizando, pedindo para cantar, orar mais alto, ficar em silencio, ajudar nas respostas das
perguntas, interagirem durante a RJM com elas.

Observar jovens que são mais “TIMIDOS”, costumam se excluir fica distante dos demais, darmos
amor, carinho e total atenção a esses para que se enturmem o mais rápido possível, pegando o
nome, celular, email, para juntos desenvolvermos um bom trabalho.

- Procedimentos na obra de Deus, em geral

Os auxiliares devem estimular os jovens a fazerem visitas aos necessitados, enfermos e parados
na graça. Devem convidar o Cooperador de Jovens para acompanhá-los nas visitas. Ao visitarem
enfermos, esta visita deve ser rápida, com o cantar de um ou dois hinos ou apenas orar, de acordo
com o local e gravidade do enfermo.

Os auxiliares devem também ter participação ativa nos cultos oficiais, chamando hinos, orando a
Deus e testemunhando.

Em cultos oficiais, quando crianças estão sentadas sem os pais, os auxiliares devem colaborar na
comunhão da igreja, sentando junto com estas crianças para controlar o movimento deles dentro
da igreja, bem como eliminar a conversa dentre eles. Tudo com muito amor e zelo.
Os auxiliares devem saudar os irmãos do ministério após o termino do culto. Caso haja uma
necessidade de orar para um enfermo após o culto, os auxiliares devem também participar na
comunhão da oração.

Os auxiliares devem se interessar em ler a Biblia. Podem ocorrer ocasiões que as crianças
perguntam alguma coisa referente as escrituras e os auxiliares não tem a resposta. Não que
devemos saber tudo, mas algumas passagens da Biblia devemos saber como foi e aonde está
escrito.

E por ultimo e muito importante, os Auxiliares devem se interessar em buscar os Dons de Deus,
como a Promessa do Espírito Santo, o Dom do Amor, da Paciência, da Sabedoria, o Dom de
Ouvir, o Dom de fazer Visitas, o Dom de Servir a Deus e dizer não ao nosso adversário, o dom da
obediência, entre outros.

- UNIÃO ENTRE O CJM E OS AUXILIARES


O CJM e os Auxiliares devem ter uma união e um respeito mútuo. Na união Deus
opera e abençoa.
Tudo se resume em duas palavras “AMOR E DEDICAÇÃO”. Esse é o sentido da
nossa União. Deus abençoe a todos. Tudo é para o nosso Deus.

I Pe. 5.2-4
“Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por
força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem
como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao
rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da
glória.” I Pe. 5.2-4.

Você também pode gostar