Você está na página 1de 35

Manutenção condicional

Análise de vibrações de
máquinas rotativas

A análise de vibração
Capítulo 2
Revisão 5 - 04/04/07 - Capítulo 2
MGL
01dB-METRAVIB
1 Brasil 1
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva
 Percepção subjetiva dos fenômenos
Próximo a uma máquina:
 Pode-se ouvir os ruídos e sentir as
vibrações da máquina.
 Estes dois indicadores podem
fornecer os subsídios para a troca de
um componente da máquina.
 A quantificação e a qualificação das
vibrações são as maneiras
privilegiadas da manutenção
condicional.

01dB-METRAVIB
2 Brasil 2
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: o ruído
 Ruídos emitidos por uma máquina

Os ruídos emitidos por


uma máquina resultam
das ações de várias
fontes:

01dB-METRAVIB
3 Brasil 3
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: o ruído
 As fontes de ruído

Caminhos de Estrutura Recepção


Fontes propagação
Balanceamento
Ligação rígida
Forças alternadas
ou onduladas Superfície Ruído
radiante
Turbulências
Acoplagem aérea
Efeito corona e de fluidos

01dB-METRAVIB
5 Brasil 5
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: o ruído
 Noção de amplitude e de freqüência
A análise das diferentes fontes
sonoras podem ser feitas:
 Pela amplitude: dos sons mais baixos
para os mais altos.
 Pela freqüência: dos sons mais
graves para os mais agudos.
 Uma analogia pode ser feita com uma orquestra. A música
é a soma de diversas amplitudes e freqüências:
 O tambor pelos sons graves
 O violino pelos sons agudos

01dB-METRAVIB
6 Brasil 6
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: as vibrações
 Vibrações de uma máquina
 As vibrações de uma
máquina são percebidas
pelo simples contato da
mão com a sua estrutura.

 As vibrações são provenientes das forças internas da


máquina.

01dB-METRAVIB
7 Brasil 7
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: as vibrações
 Origem dos fenômenos
 É raro se conseguir fazer a
distinção das origens das
fontes de vibração

 A percepção da energia de 2
vibração é diferente 1
dependendo de onde a mão 3
é colocada: mancal (1),
carcaça (2), skid (3) e no 4
chão (4).

01dB-METRAVIB
8 Brasil 8
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: as vibrações
 Propagação das vibrações
Os caminhos de propagação
das vibrações dos pontos de 1
a 4 são diferentes:
 (1) é próximo da fonte de
excitação 2 1
 (4) é longe da fonte de de
excitação 3
4
A excitação interna é idêntica para as posições (1) a (4):
Portanto, os níveis de vibração são diferentes.

01dB-METRAVIB
9 Brasil 9
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: as vibrações
 Influência da extrutura
Para uma dada excitação
(desbalanceamento mecânico,
por exemplo), a resposta de
vibração é diferente de acordo
com o local:

Vibração = Excitação * Estrutura

 As medições devem ser efetuadas nos mesmos locais


para comparação.

01dB-METRAVIB
10 Brasil 10
Manutenção condicional
Aproximação intuitiva: as vibrações
 Em resumo
 Os níveis de vibração são bons
indicadores para se conhecer o
comportamento de uma
máquina.
 As vibrações são o resultado
dos esforços internos da
máquina e dos efeitos da
estrutura.

01dB-METRAVIB
11 Brasil 11
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 Origem das vibrações
Toda máquina em funcionamento está sujeita a forças
internas variáveis com o tempo e de naturezas diferentes:

 Forças impulsivas (choques)


 Forças transitórias (variações de carga)
 Forças periódicas (desbalanceamento)
 Forças aleatórias (fricção)

Estas forças são transmitidas pelos componentes da máquina


e induzem deformações da superfície da estrutura
(vibrações).

01dB-METRAVIB
12 Brasil 12
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 Princípios de análise de vibrações de máquinas rotativas
Máquina
Ruídos Informações
Esforços Estrutura Vibrações Medições dos esforços
internos e estrutura

 Desbalanceamento As vibrações de
 Desalinhamento uma máquina
 Rolamentos constituem uma
 Engrenamentos imagem indireta
 Falhas magnéticas dos seus esforços
 etc. ... internos.

01dB-METRAVIB
13 Brasil 13
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 Definição de vibração segundo a norma NFE 90-001
 Uma vibração é uma variação com o
tempo da grandeza característica do
movimento ou da posição de um
sistema mecânico onde a grandeza é
alternadamente maior e menor que
um certo valor médio ou de referência.
 Os fenômenos de vibração são os
fenômenos periódicos ou não
periódicos mais ou menos complexos.

01dB-METRAVIB
14 Brasil 14
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 A vibração senoidal
A expressão mais simples do movimento é o movimento
puramente senoidal, como o gerado por um desbalanceamento
simples.

1 2 3 4
+A 1 O sinal observado se
2 4 exprime por uma função
seno:
3
-A X = A.sen (w.t+)

01dB-METRAVIB
15 Brasil 15
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 A amplitude A do sinal pode ser representada de diferentes
maneiras. Três delas são utilizadas em análise de vibrações:
 A amplitude de pico A0-p
 A amplitude pico a pico Ap-p
 A amplitude eficaz Arms
A0-p Ap-p Arms
Para um sinal senoidal:
X = A0-p.sen (w.t+)

Ap-p = 2.A0-p et

A0-p =
2.Arms
Arms=A0-p / 2
A amplitude informa a importância do evento observado
01dB-METRAVIB
16 Brasil 16
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 A freqüência F de um fenômeno é o número de repetições
(períodos) deste fenômeno em um segundo.
A freqüência se exprime em Hertz: 1 sec.

1 Hz = 1 ciclo por segundo


Para um sinal senoidal:
X = A0-p.sen(w.t+)

w = 2.p.F w: pulsação (rad/s)

Exemplo: para um motor rodando a 1500 RPM, a


freqüência de rotação é igual a 1500/60 = 25 Hz
A freqüência informa a origem do evento.
01dB-METRAVIB
17 Brasil 17
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 O período T de um fenômeno é o intervalo de tempo que
separa duas passagens sucessivas em uma mesma
posição e no mesmo sentido. T
O período se exprime em
segundos (s).

1
T=
F
No caso das máquinas
rotativas, o período
corresponde a duração de uma
volta do eixo.

01dB-METRAVIB
18 Brasil 18
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 As grandezas utilizadas: introdução
Como todo movimento, uma vibração pode ser estudada em
três grandezas:
 Deslocamento
 Velocidade
 Aceleração
Estas grandezas físicas são ligadas entre si por relações
matemáticas. Estas relações são simples para o caso de um
sinal puramente senoidal.
A escolha de uma ou outra grandeza pode ser fundamental
para a qualidade do diagnóstico.

01dB-METRAVIB
19 Brasil 19
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 As grandezas utilizadas: o deslocamento
O deslocamento quantifica a amplitude máxima do sinal de
vibração. Historicamente, esta grandeza foi a primeira a ser
utilizada, isto devido aos recursos dos instrumentos da
época.
T=1/F
Um sinal de vibração senoidal
gerado por um desbalanceamento
simples pode ser expresso por: D
d(t) = D.sen (2.p.F.t+)
A unidade utilizada para a
medição de deslocamento é o
micron (µm)

01dB-METRAVIB
20 Brasil 20
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 As grandezas utilizadas: a velocidade
A velocidade de um movimento corresponde à variação da sua
posição com o tempo. Matematicamente, a velocidade se
exprime pela derivada do deslocamento em relação ao tempo:

d[d(t)] T=1/F
v(t)=
dt
V
Um sinal senoidal gerado por
um desbalanceamento simples
se expressa por:
v(t) = V.sen (2.p.F.t+)

A unidade utilizada é o mm/s

01dB-METRAVIB
21 Brasil 21
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 As grandezas utilizadas: a aceleração
A aceleração de um movimento corresponde à variação da
velocidade com o tempo. Matematicamente, a aceleração se
exprime como a derivada da velocidade com o tempo.

d[v(t)] T=1/F
a(t)=
dt
A
Um sinal senoidal gerado por
um desbalanceamento simples
se expressa por:
a(t) = A.sen (2.p.F.t+)
A unidade utilizada é g.

01dB-METRAVIB
22 Brasil 22
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 As grandezas utilizadas: relações entre as grandezas
Para o caso de uma vibração puramente senoidal, os valores
mensurados em deslocamento, velocidade e aceleração são
ligados por funções simples relacionadas com a freqüência:

A A
V= V=1561.
2.p.F com as F
unidades:
V V
D=  D em µm D=159.
2.p.F F
 V em mm/s
A  A em g A
D= D=248199.
4.p2.F2 F2
Nota: 1g = 9.80665 m/s2

01dB-METRAVIB
23 Brasil 23
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 Influência da grandeza utilizada:
 O deslocamento é inversamente proporcional ao quadrado
da freqüência. Quanto maior a freqüência, menor o
deslocamento: é utilizado para freqüências muito baixas:
F  100 Hz
 A velocidade é inversamente proporcional à freqüência.
Quanto maior a freqüência, menor a velocidade: é utilizada
para freqüências baixas/médias:
F  1000 Hz
 A aceleração, representativa das forças dinâmicas, não
depende da freqüência: este é um parâmetro privilegiado
em análise de vibrações pelo seu grande domínio de
freqüências.
0 F  20000 Hz

01dB-METRAVIB
24 Brasil 24
Manutenção condicional
Noções fundamentais
 Influência da grandeza utilizada: ilustração

F= 159 Hz
1 g
10
mm/s Acel.
10 µm
Acel. Vel.
Vel. (1/F)
Desl.
Desl.(1/F2)

100 1000 10000 F (Hz)

01dB-METRAVIB
25 Brasil 25
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Vibrações complexas

O sinal de vibração temporal é


composto de sinais periódicos
e não periódicos (ruído de
fundo). Todas as componentes
são somadas ao sinal
resultante.

01dB-METRAVIB
27 Brasil 27
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 A transformada de Fourier
A decomposição de um sinal de vibração periódico complexo
em suas diferentes componentes senoidais, representadas
cada uma delas por sua amplitude Ai e sua freqüência Fi é feita
por uma transformação tempo - freqüência chamada de
Transformada de Fourier.
Esta função matemática faz uma transposição do sinal de
domínio temporal para o domínio freqüêncial. A representação
do sinal obtido é denominado espectro em freqüências.
A Transformada de Fourier é implementada pelos analisadores
de espectros modernos e são chamadosde FFT (Fast Fourier
Transform ou Transformada Rápida de Fourier).

01dB-METRAVIB
28 Brasil 28
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Caso de um sinal senoidal puro

T1
F1=1/T1
FFT A1rms

T
2
FFT F2=1/T
2 A2rms

01dB-METRAVIB
29 Brasil 29
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Caso de um sinal multi-senoidal
O espectro final contem
lum conjunto de
freqüências senoidais
(picos discretos)
+ constituidos do sinal de

= vibração original.

FFT
+

01dB-METRAVIB
30 Brasil 30
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Caso de um sinal real

Sinal temporal

Sinal freqüencial

FFT

01dB-METRAVIB
31 Brasil 31
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Significado do espectro

Sinal com
domínio no
4.F0
tempo 3.F0
2.F0
F0

01dB-METRAVIB
32 Brasil 32
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Transformada de sinais particulares: sinal modulado em
amplitude.
T=1/Fm O número de bandas laterais
Sinal depende da forma do sinal de
modulante modulação.
Freq. Fm F
F
m F
m
FFT

Sinal T=1/F
modulante
Freq. F

01dB-METRAVIB
33 Brasil 33
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Transformada de sinais particulares: sinal modulado em
freqüência.
F
Fm Fm

FFT

O número de bandas laterais


depende da taxa de modulação

01dB-METRAVIB
34 Brasil 34
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 Transformada de sinais particulares: choques periódicos

F=1/T
T

FFT

01dB-METRAVIB
35 Brasil 35
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 As escalas lineares e logarítmicas: introdução
Os espectros provenientes de sinais de vibração reais são
muito ricos em razão do grande número de fontes de
vibração presentes em uma máquina.
As informações interessantes no espectro não correspondem
necessariamente às freqüências que apresentam
As maiores amplitudes: picos espectrais de baixa amplitude
pode ser de interesse no plano da diagnose. O analista usa
para a representação dos espectros em freqüências uma
escala logarítmica de acordo com o eixo de Oy das amplidões
do sinal para poder visualizá-los: este tipo de de
representação a tem a vantagem de exibir as baixas
amplitudes e é então recomendado.

01dB-METRAVIB
36 Brasil 36
Manutenção condicional
A transformação Tempo - Freqüência
 As escalas lineares e logarítmicas: ilustração

Escala linear

Escala logarítmica

01dB-METRAVIB
37 Brasil 37

Você também pode gostar