Você está na página 1de 4

PSICOLOGIA JURÍDICA

Sugestões de Bibliografia

AMAZARRAY, M. R. & KOLLER, S. H. Alguns aspectos observados no


desenvolvimento de crianças vítimas de abuso sexual. Psicologia, Reflexão e
Crítica,11 (3), 1998.

ALTOÉ, S. (Org.). A lei e as leis. Direito e Psicanálise. Rio de Janeiro: Revinter,


2007.

ARIÈS, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

AZEVEDO, M. A. & GUERRA, V. N. Crianças vitimizadas: a síndrome do


pequeno poder. São Paulo: Iglu, 1989.

BARBOSA, L.P.G. & JURAS, M.M (2010). Reflexões Sistêmicas Sobre a Síndrome
de Alienação Parental. In: Ghesti-Galvão, I.; Roque, E.C.B. (Comp). Aplicação da
Lei em Uma Perspectiva Interprofissional: Direito, Psicologia, Psiquiatria,
Serviço Social e Ciências Sociais na Prática Jurisdicional. Brasília-DF: Lumen
Juris.
BARROS, F. O amor e a lei: o processo de separação no tribunal de família.
Psicologia Ciência e Profissão, 17 (3), 1997, p. 40-47.

BRANDÃO, E. P. Psicologia Jurídica no Brasil. Rio de Janeiro: Ed Nau: 2005.

BRASIL. Lei nº 8.069/1990. Estatuto da Criança e do Adolescente

_______. Lei nº 8.842/1996. Política Nacional do Idoso

_______. Lei nº 10.792/2003. Lei da Execução Penal

_______. Lei nº 11.340/2006. Lei Maria da Penha

_______. Lei nº 11.698/2008. Lei da Guarda Compartilhada

_______. Lei nº 12.318/2010. Lei da Alienação Parental

_______. Lei nº 13.105/2015. A perícia judicial no CPC (Art. 464 a 480)

BONFIM, E. Psicologia Jurídica: atividades e requisitos para a formação


profissional In: Psicólogo Brasileiro: práticas emergentes e desafios para a
formação. São Paulo: Casa do Psicólogo/Conselho Federal de Psicologia, 1994.

BRITO, L. (Org.). Temas de Psicologia Jurídica. Rio de Janeiro: Relume-


Dumará, 1999.
CAMPOS, Dinah M. de S. Psicologia da adolescência: normalidade e
psicopatologia. 21. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

CARVALHO, J. L; DEGRAZIA, N.R; COSTA, N. F; BADARÓ-BANDEIRA, M.M &


PEREIRA, T.D. O Exame Criminológico: notas para sua construção. In: O Estudo
Social em Perícias, Laudos e Pareceres
Técnicos. Contribuições ao debate no Judiciário, Penitenciário e na
Previdência Social. São Paulo: Cortez Editora, 2003.

CARVALHO, M. C. (Org.). A família contemporânea em debate. São Paulo:


Educ/Cortez, 2000.

CARRARA, S. Crime e Loucura: o aparecimento do manicômio judiciário na


passagem do século. Rio de Janeiro: Eduerj/Edusp, 1998.

CORRÊA, V.L. (2010). Violência Intrafamiliar: Um Estudo de Caso. In: Ghesti-


Galvão, I.; Roque, E.C.B. (Comp). Aplicação da Lei em Uma Perspectiva
Interprofissional: Direito, Psicologia, Psiquiatria, ServiçoSocial e Ciências
Sociais na Prática Jurisdicional. Brasília-DF: Lumen Juris.
COSTA, J. F. Violência e psicanálise. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

COIMBRA, C. et al. Psicologia, Ética e Direitos Humanos. São Paulo: Casa do


Psicólogo/CFP, 2000.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP N.º 010/2005. Código


de Ética Profissional.

_______. Resolução CFP N.º 008/2010. Perito e Assistente Técnico

_______. Resolução CFP N.º 009/2018. A Avaliação Psicológica

_______. Resolução CFP N.º 006/2019. Elaboração de Documentos

_______ & MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. Diretrizes para atuação e formação dos


psicólogos do Sistema Prisional Brasileiro. Conselho Federal de Psicologia:
Brasília, 2007.

DELGADO, P. As razões da tutela. Rio de Janeiro: Te Cora, 1992.

DOLTO, Françoise. Quando os pais se separam. Rio de Janeiro: Jorge Zahar


Editor, 2003.

DONZELOT, J. A polícia das famílias. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

FONSECA, C. Os caminhos da adoção. São Paulo: Cortez Editora,1995.

FOUCAULT, M. Vigiar e Punir. Petrópolis, Vozes, 1986.


FURNISS, T. Abuso sexual da criança: uma abordagem multidisciplinar. Porto
Alegre: Artes Médicas, 1993.

GOFFMAN, E. Manicômios, Prisões e conventos. São Paulo: Ed. Perspectiva,


1961.

GONÇALVES, H. S. & FERREIRA, A. L. A notificação da violência intrafamiliar


contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cadernos de Saúde
Pública, 18 (1), 2002, p. 315-319.

HAYNES, J. & MARODIN, M. Fundamentos da mediação familiar. Porto Alegre:


Artes Médicas, 1996.

HURSTEL, F. As novas fronteiras da paternidade. Campinas: Papirus, 1999.

KALOUSTIAN, S. (Org.). Família Brasileira, a base de tudo. São Paulo:


Cortez,1994.

LIMA, Clinaura Maria de. Infância ferida: os vínculos da criança abusada


sexualmente em seus diferentes espaços sociais. 1ª. ed. Curitiba: Juruá, 2009.

MINAYO, C. M. S. & SOUZA, E. R. Violência e saúde como um campo


interdisciplinar e de ação coletiva. História, Ciências e Saúde, 1 (1), 1997, p.
513-531.

MOTTA, M. A. Mães abandonadas. São Paulo: Cortez, 2001.

NETO, L. B. et al. Prática e Paixão: memórias e mapas no trabalho com a


menor idade. São Paulo: Conselho Regional de Psicologia/ Oboré, 1992.

PRETO, Cássia R. de S. Laudo psicológico. 1ª ed. Curitiba: Juruá Editora, 2016.

RAMOS, Priscila. O perfil das mulheres vítimas de violência conjugal. In:


https://www.megajuridico.com/qual-o-perfil-das-mulheres-vitimas-de-violencia-
conjugal

RIZZINI, I. (Org.). A criança no Brasil Hoje: desafio para o terceiro milênio. Rio
de Janeiro: Edit. USU, 1993.

________. Criminologia e Subjetividade no Brasil. Rio de Janeiro. Revan, 2003.

ROVINSKI, S.L.R. Fundamentos da perícia psicológica forense. São Paulo:


Vetor, 2007.

ROVINSKI, S.L.R., PELISOLI, C.L. Violência sexual contra crianças e


adolescentes: testemunho e avaliação psicológica. 1ª ed. São Paulo: Vetor,
2019.
SANTOS, V. A. DOS. Os possíveis entrelaçamentos nas situações de
alienação parental e de violência sexual intrafamiliar contra crianças e
adolescentes. Brasília: Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios,
2011. Disponível em: < http://www.tjdft.jus.br/cidadaos/infancia-e-juventude/textos-
e-artigos/os-possiveis-entrelacamentos-nas-situacoes-de-alienacao-parental-e-de-
violencia-sexual-intrafamiliar-contra-criancas-e-adolescentes/view

SANDERSON, Christiane. Abuso Sexual em Crianças – fortalecendo pais e


professores para proteger crianças contra abusos sexuais e pedofilia. São
Paulo, Makron Books, 2008.
SEDA, E. A criança e sua Convenção no Brasil. São Paulo: Conselho Regional
de Psicologia, 1999.

SHINE, Sidney. A espada de Salomão: a psicologia e a disputa de guarda de


filhos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

SHINE, Sidney. (Org). Avaliação Psicológica e Lei. São Paulo: Casa do


Psicólogo, 2007.

SILVA, D. M. P. Psicologia jurídica no processo civil brasileiro. São Paulo:


Casa do Psicólogo, 2003.

SILVA, Evandro L. et all. Síndrome da alienação parental e a tirania do


guardião – aspectos psicológicos, sociais e jurídicos. Org. APASE – Porto
Alegre: Equilíbrio, 2008.

SOUSA, Analícia Martins de. Síndrome da Alienação Parental: um novo tema


nos juízos de família. São Paulo: Cortez, 2010.

TRINDADE, Jorge. Manual de psicologia jurídica para operadores do direito.


Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora. 2012.

UZIEL, A. P. Homossexualidade e adoção. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

WALLERSTEIN, J. & KELLY, J. Sobrevivendo à separação. Porto Alegre:


Artmed, 1998.

VARGAS, M. M. Adoção tardia. Da família sonhada à família possível. São


Paulo: Casa do Psicólogo, 1999.

VOLPI, M. O adolescente e o ato infracional. São Paulo: Cortez, 1997.

Você também pode gostar