Você está na página 1de 15

PSICOLOGIA VOCACIONAL

O Psicólogo tem um papel de servir de auxílio na tomada ou escolhas importantes para


um individuo, ajudar a pessoa a conhecer o seu perfil, e assim perceber quais são as suas
áreas de interesse.

A escolha profissional é um momento importante da vida do sujeito, pois parece


implicar na decisão a respeito do futuro e, muitas vezes, consistiria num dilema por
despertar as possibilidades de angústia e insegurança.

O momento da escolha profissional ocorre na adolescência, período em que há a


busca de uma identidade e vários questionamentos. O adolescente encontra-se numa
fase de transição, pois de um lado estão seus interesses de criança e do outro o mundo
adulto.

O processo de escolha

 Informativo: oferecia informações a respeito das profissões, suas perspectivas e


exigências referentes ao mercado de trabalho, a forma como exercer cada ofício,
em que consistia o fazer de cada profissão escolhida pelo adolescente;
 Psicométrico: não atribuía tanta importância à realidade e à diversificação do
mercado, mas valorizava as características pessoais para o sucesso em
determinado campo profissional.
 Clínico: enfatizava o papel activo do indivíduo, atribuindo-lhe potencial e
recursos para a auto-compreensão e auto-direção. O papel do orientador era
facilitar o reconhecimento e o desenvolvimento do processo;
 Político e Social: incluía como factor relevante o contexto sociopolítico do
processo de escolha profissional, para o qual convergiam complexas
configurações sociais passadas, presentes e futuras.

Conceito da OEP

OEP é um conjunto de operações que coloca os jovens de ambos sexos no comércio ou


na indústria.

Orientação como uma tentativa de descobrir as capacidades individuais, comparando-


as com as exigências das várias profissões.

Surgimento da OEP

A OEP surgiu da necessidade de decisão de trabalho na época para história e o trabalho


era dividido seguindo o sexo e idade. Mas tarde com a revolução industrial apropria
dinâmica do trabalho foi ditando a colocação do homem no lugar certo.

A outra parte da OEP foi de aplicação de teste para seleccionar indivíduos para certas
tarefas consideradas de relevo.
Causas do surgimento da OEP

Progresso das ciências e das tecnologias que de uma forma implícita conduziram a
revolução industrial.

Os objectivos de OEP visam ajudar os adolescentes a reflectir sobre a complexidade do


processo da escolha e sua natureza multideterminada.

FANTAIGNE, a OEP tem o objectivo de acompanhar a criança a sair da escola primária


a uma actividade que responda aos seus gostos particulares e seus interesses dominantes
e conhecimento das suas atitudes, aptidões físicas e intelectuais tendo em conta a
situação da família e do estado do mercado do trabalho.

O objecto de estudo da OP, estuda o homem e as particularidades das profissões.

Importância da OEP- é um serviço especializado na ajuda dos alunos quanto ao seu


percurso escolar e profissional, é inegável a sua importância na vida do homem, pois, é
através dela que pode conhecer as suas potencialidades, o mundo de trabalho e as
principais características de cada profissão.

Papel da OP- consiste em possibilitar ao adolescente o seu auto-conhecimento bem


como na identificação de seus interesses e definição do seu projecto de vida.

Orientação pessoal: é um processo de ajuda a conhecimento de nos mesmos do mundo


e de tudo que nos rodeia para resolvermos nossos problemas e alcançarmos o bem-estar.

Três campos de actuação da OP: Na Clinica; na Escola; e na Organização.

Na organização: a OP contribui para avaliar seu trabalho sendo importante reflectir


sobre a escolha realizada seus determinantes e suas consequências na realização de
trabalhos.

Na clinica: Podem ser elaboradas os conflitos referentes as implicações de escolha e


sua relação com a satisfação ou não do trabalho.

Factores determinantes que influenciam na orientação profissional escolar

Factores políticos – referem-se à política governamental e seu posicionamento frente à


educação, em especial ao ensino médio, pós-médio, ensino profissionalizante e
universidade.

Factores económicos – referem-se ao mercado de trabalho, à globalização e à


informatização das profissões, à falta de oportunidades, ao desemprego, à dificuldade de
tornar-se reempregável, à falta de planeamento económico, à queda do poder aquisitivo
da classe média e a todas as influências do sistema capitalista neoliberal em que
vivemos.

Factores sociais – referem-se à divisão da sociedade em classes sociais, à busca de


ascensão social por meio do estudo, à influência da sociedade na família e aos efeitos da
globalização na cultura e na família.
Factores educacionais – referem-se ao sistema de ensino, à falta de investimento do
poder público na educação, à necessidade e aos prejuízos do vestibular e à questão da
universidade pública e privada.

Factores familiares – referem-se à busca da realização das expectativas familiares em


detrimento dos interesses pessoais. Os desejos dos pais em relação à profissionalização
dos filhos, seus valores e crenças e como isso influenciam na decisão e na fabricação
dos diferentes papéis profissionais.

Factores psicológicos – referem-se aos interesses, às motivações, às habilidades e às


competências pessoais, à compreensão e conscientização dos factores determinantes
versus a desinformação à qual o sujeito está submetido.

Influência de grupo de amigos

O individuo procura se identificar com o que os seus amigos gostam de fazer.

Factor Género: os homens e as mulheres têm particularidades psicofisiológicas


capazes de desenvolver qualquer tipo de atitude. Género é uma herança cultural para
escolha profissional não é biológica.

Factor político: a política do governo define as áreas com prioridade para a formação
os tipos de currículo para a formação do individuo.

Determinantes psicológicos e biológicos

Estes influenciam mas não determinam na escolha profissional, não tomam a decisão
mas influenciam.

Carácter: significa marca, sinal, é uma marca pessoal de um ser que permite definir o
seu estilo, sua maneira de ser, e reagir. O carácter caracteriza o homem por aquilo que
faz e pela maneira que o faz.

Aptidões- são particularidades psicológicas do homem dos quais defende o exílio na


aquisição dos conhecimentos, habilidades e hábitos. E por vez, embora tenha uma base
biológica, elas desenvolvi se na actividade e para conferir um carácter educativo precisa
educar para não estagnar.

Atitudes- são sistemas de avaliação positiva e negativa, são sentimentos emocionais e


tendências pros ou contra. Sua base é adquirida.

Psicologia diferencial

Objectos da Psicologia diferencial: estuda os comportamentos humanos a


compreensão dos processos mentais e a procura de causas e compreensão das
consequências das diferenças psicológicas, nos níveis sociais e culturais.
Objectivos da Psicologia diferencial na OEP- orientar o individuo para tomar decisão
em torno de careira, sempre que necessário; pretende ainda sensibilizar os jovens a
problemática da orientação, chamando lhe atenção para a necessidade de se prepararem
com antevidência para opções que terão que fazer ao longo da sua vida escolar,
valorizando a escola e a prolongar os estudos.

TEORIAS EM ORIENTAÇÃO ESCOLAR E PROFISSIONAL

1. TEORIAS PSICOLÓGICAS

As teorias psicológicas de OEP, apresentam um conjunto de ideias que olham para


escolha como um processo que deve privilegiar aspectos internos do indivíduo.

2. TEORIAS PSICODINÂMICAS:

São aquelas que visam explicar a forma como os indivíduos constroem a sua
personalidade e a consequente aproximação às profissões.

Aptidões na O.E.P

As aptidões são várias, algumas acentuadas em relação aos centros e são estes que vão
admitir sucesso humano.

-O nível de interesse de algo é diferente da aptidão só que há situações em que aptidão


pode relacionar-se com o interesse.

-O nível de sucesso é determinado por grau acentuado dessa aptidão.

A aptidão embora ela tenha uma base biológica, desenvolve-se na actividade e confere
um carácter educativo que precisa educar para não se estragar.

Classificação das aptidões

As aptidões podem ser qualitativas: trata-se de aptidões motoras, cognitivas, afectivas,


componentes, sensorial, manual e fisiológicas.

E são classificadas em: extensão, apreciais ou limitadas, específicas e personalizadas.

A intensidade ou o volume da manifestação das aptidões podem ser hiper normais e


podem assumir um carácter normal.

Como proceder os diagnósticos das aptidões

É no processo de actividades que podemos diagnosticar as aptidões e devemos centrar


as nossas atenções na forma, nos mecanismos da actividade e do produto final de
actividade.
Podemos também recorrer aos testes psicológicos que devem ter como objectivo
especifica a mensuração do nível das aptidões do indivíduo e deve ser reduzido a
determinação das áreas específicas para medir as aptidões.

Formas de chegar a conclusão das aptidões

Como chegar a conclusão daquilo que são as aptidões mediante a proposta de


classificação: é necessário fazer uma combinação das técnicas, fazer um cruzamento,
combinar o instrumento de medição e diagnóstico das aptidões.

Se temos aptidões acentuadas pressupõem que tenhamos aptidões menos desenvolvidas


em outras áreas.

Temperamento ou carácter

Todo individuo reúne os quatro temperamentos mas existe um que é mais marcante em
relação aos outros.

Para descobrir o temperamento, usa-se mais o teste de apreciação de tacto para


observação e diagnóstico do indivíduo. O carácter aparece como complemento do
temperamento. Carácter é uma construção social.

Como identificar o carácter e o temperamento dentro de uma sala de aula

Recorre-se aos 16 traços de personalidade, a observação de várias actividades que


professor vai implementar para verificar os comportamentos e repetir.

A família e os grupos desempenham papel importante na observação de certos


temperamentos e carácter e a forma como o indivíduo se posiciona dentro de um grupo.

O temperamento e carácter, os dois tem aspectos o físico e o psicológico e temos que


conciliar os dois aspectos. O carácter é social e pelo qual se manifesta o
comportamento.

Vocação

Vocação são inclinações, interesses, talento que um indivíduo apresenta de forma


marcante diferente de dos outros. Vocações são predisposições que o indivíduo
manifesta no discurso de uma actividade, mas não se enquadra nos aspectos
fisiológicos, mas sim nos aspectos psicológicos.

Relação de vocação e aptidões

A vocação e aptidões estão sempre ligadas mas a diferença é que vocação tem a ver com
aspectos cognitivos e o outro com os fisiológicos.

O orientador deve olhar para as profissões na perspectiva de vocações, lado de religião,


particularidades físico - psicológicas, aptidões para melhor ajudar e orientar os seus
clientes para as áreas adequadas.
Como manifesta a vocação

As vocações manifestam-se no decurso de actividades e este e o meio mais seguro para


o diagnóstico das vocações, aptidões, etc.

A orientação vocacional e O.E.P, tem como finalidade orientar o indivíduo a uma


actividade profissional.

A O.E.P, é processo mais rigoroso, engloba os determinantes biológicos onde as


profissões são analisadas, é complexo porque há necessidade de aplicar alguns testes, há
mais sistematização e rigor científico.

Importância do diagnóstico psicológico

É feito na base dos testes Psicológicos dentro do PAE, para analisar os processos do
raciocino lógico do aluno, relações intrapessoais do educando, seus amigos, nível de
interacção do professor aluno. O orientador serve de mediador de conflitos entre o
professor e aluno e entre os próprios professores.

TESTES PSICOTÉCNICOS E PROJECTIVOS EM O.E.P

Teste: é uma prova aplicada a várias pessoas e que revela traços da personalidade em
questão. Existem teste que medem traços da personalidade tais como agressividade,
conformismo e auto - estima; instintos: emoções, instabilidade emocional, emoção
dominante; difusão: temperamento, força de vontade, animosidade; interesses e
preferências.

 Os testes pedagógicos, são os que avaliam o rendimento do aluno, por isso a


tarefa pode consistir em manifestar funções sensório motor ou mentais.
 Os testes psicotécnicos, são os que pretendem medir alguma capacidade ou
descobrir alguma aptidão relacionada com inteligência e os seus resultados são
quantificáveis

Categorias de testes psicotécnicos

Nos testes psicotécnicos pode se distinguir três categorias de testes de personalidade:

 Questionários;
 Testes objectivos e
 Projectivos,

Que são propostos ao candidato para medir e avaliar aspectos importantes para o
desenvolvimento da função mental, as aptidões, habilidades, conhecimentos e são parte
integrante dos processos de selecção.

Objectivo de psicotécnicos

Os testes têm como objectivo fazer com que o individuo se ajuste ao seu meio social.
Estes dão mais ênfase aos aspectos intelectuais em relação aos outros aspectos. Aspecto
sobre as particularidades psicológicas refere-se a atitudes, interesses, habilidades, essas
particularidades obtém se através de testes psicológicos e tem como fonte de
diagnóstico a área intelectual cognitiva que pressupõe a acção de outras áreas.

Aplicação dos testes psicotécnicos

Os testes projectivos: são aplicados para resolução dos problemas da própria


personalidade. Pede se ao indivíduo para realizar tarefas cujo objectivo está disfarçado.
Os testes projectivos, objectivos, são aplicados para identificar o tipo de personalidade
do indivíduo. Mas os que tem mais ênfase, são testes psicológicos para determinar a
personalidade.

Tipos de testes projectivos

Roscharch; TAT; MMPI; Associação de palavras; complemento de frases; desenhos de


árvores.

O teste de Roscharch é constituído por imagens ou pranchas, uma colorida outra de cor
negra. Depois de o sujeito concordar com a realização da prova pede-se lhe que diga
tudo na mancha que é a sua flexibilidade de raciocínio, o tipo de gestão de tempo, etc. o
grupo alvo deste teste são jovens e adultos.

O teste de TaT: consiste em avaliar as habilidades pessoais, seus níveis de habilidade


visual. São projectivos e exprimem o rendimento que o indivíduo tem. É teste de
percepção temática. MMPI: Inventário de personalidade multiface menosota. CPI: o
inventário de personalidade de Califórnia. Os inventários podem ser feitos pelos
profissionais da área.

Vantagens de testes psicotécnicos

Testes psicotécnicos são vantajosos por serem padronizados e iguais para todos; tem
igualdade de tratamento; determinam as capacidades e alguns pontos fracos de cada
indivíduo; podem prever uma possível evolução de carreira.

Desvantagens de testes psicotécnicos: Estes testes, provocam uma ansiedade e atenção


no candidato; são eliminatórios e rígidos.

MÉTODO DIRECTIVO/ CLÍNICO, NÃO DIRECTIVO DE CARL ROGERS E


MÉTODO ECLÉCTICO.

O método directivo de C. Rogers é indicado a indivíduos extrovertidos, este método é


usado para indivíduos que tem uma estabilidade na escolha profissional. Para o
orientador escolar profissional é difícil fazer um diagnóstico de uma criança.

A directividade em O.E.P, é direccionada a indivíduos para uma certa profissão.


Aplica-se aos jovens adultos e crianças, devido ao seu total desconhecimento das
profissões porque elas não têm um conhecimento sólido das suas particularidades
individuais, dai que o orientador actua como um condutor da mesma criança na sua
escolha profissional.
Método não directivo de Carl Rogers: o cliente é que direcciona o processo da
escolha profissional, o especialista toma o papel de ouvinte, dando espaço ao paciente
que apresenta os seus problemas. É usado por indivíduos que tem uma instabilidade no
processo, que estão em crise de identidade, ainda não está definida a escolha
profissional. E é mais aplicado para adolescentes ou indivíduos jovens adulto com uma
certa instabilidade.

Método ecléctico: trata-se da fusão dos dois métodos anteriores, caracteriza-se por
exploração inicial das características do cliente e dai optar por um método consoante as
particularidades do cliente. É uma abordagem mais recomendada no processo de O.E.P,
porque combina elementos das técnicas.

Métodos de O.E.P, são: liberais, imperativos, educativos, preditivos, selecção


progressiva e selecção transgressivos.

Métodos liberais: dão a possibilidade de o indivíduo escolher a carreira profissional


que pretende sem observância da sua inserção no mercado de trabalho. O indivíduo dita
o que gosta de fazer, o professor, orientador e o conselheiro não intervém nessa escolha.
Há uma liberdade total e independência, não há persuasão.

Métodos imperativos: consiste em orientação direccionada e dirigida para uma


determinada actividade para dar resposta a uma imperatividade num dado momento e
num espaço definido.

Método educativo: sugere a mudança de comportamento com vista a eliminar um traço


comportamental que não é compatível a uma certa profissão;

Preditivos: faz uma antevisão do seu futuro em termos de aptidões, sucesso, insucesso
no desempenho duma actividade académica;

Selecção progressiva: consiste em seleccionar os que realizam tarefas completas, status


elevado;

Selecção transgressiva: é ao contrário da progressiva.

Métodos das selecções sucessivos: é aplicado para indivíduos menos dotados, menos
aptos ou menos classificados. Estes métodos são usados para profissionais internos já
admitidos podendo dar lugar aos externos.

PROFISSIOGRAFIA E SEUS MÉTODOS

Profissiografia – é uma ciência de profissões, que dedica-se a análise e descrição das


características psicológicas e fisiológicas inerentes ao conjunto de actividades que faz
parte de uma profissão.

Profissiografia, é uma ciência ligada ao estudo das características das profissões


existentes num determinado contexto sócio-cultural. é um tratado de profissões.

Métodos profissiográficos
Existem vários métodos dependendo do nosso objectivo. Exemplo: observação,
informe, análise, biográfico, experimento psicológico, cenográfico, questionário,
inquérito, interrogatório e dedutivo.

A observação é o processo de recolha de dados de uma determinada actividade da


profissão para fazer uma descrição. A observação deve ser sistemática, isto é, contínuo
com uma grelha de questões.

• Método de informe: consiste na consulta ou recolha de informações relativas a


uma instituição e a fonte de consulta e o patronato.
• Método de análise biográfico: estuda o processo a evolução profissional num
conjunto de tarefas.
• Método de experimento psicológico: consiste em aplicar testes e provocar
situações controláveis entre os dedicados na profissão para estudar as
motivações atitudes e as tendências.
• Método cenográfico: consiste na gravação da execução das actividades dos
trabalhos, não precisa da presença física do especialista, durante a análise e
isola-se as características psicológicas.
• Método caracteriológico: incide sobre o carácter das profissões: e com base na
sua fisiologia podemos chegar ao seu carácter;

A entrevista no âmbito da O.E.P: é uma conversa ente cliente e o especialista; é uma


sessão entre estes dois elementos.

A entrevista visa o alcance de alguns objectivos ou finalidades de prognósticos onde o


especialista prevê o futuro do cliente.

A entrevista é um meio de auto descoberta e de auto avaliação de personalidades do


indivíduo daquilo que são as suas aptidões habilidade, capacidade.

• Entrevista directiva: é formal, padronizada com recurso a um guião de


questões e tem como finalidade o processo diagnóstico e prognostico e assenta-
se no problema apresentado pelo cliente. O especialista é que conduz o processo.
• Entrevista não directiva: é informal, não segue um padrão rígido de questões,
o ponto principal do processo é o cliente. Neste processo o indivíduo faz a auto
descoberta das suas habilidades, capacidades etc.

O questionário de O.E.P: é formado por perguntas de carácter fechado, abertas e semi


abertas dependendo do tipo de entrevista que irá encontrar num determinado tipo de
questionário.

O questionário – serve como um elemento de síntese que vai dar maior clareza
objectividade aos dados recolhidos durante a entrevista.

O que oferece a Profissiografia

A Profissiografia nos fornece as balizas para o estudo da profissão tendo em conta os


aspectos físicos, psicológicos e sócio cultural.
O orientador deve conhecer as características de cada individuo, estudar, analisar e
encaminhar para a profissão adequada. As profissões dependem das características
psicológicas e ambientais de cada pais.

Todas profissões há possibilidade do individuo se moldar a determinada profissão,


mesmo se as características psicofisiológicas não sejam adequadas.

Exemplo de uma profissão

Pilotagem e seus requisitos: ter o nível médio ou superior; junta medica; exames
psicotécnicos (avaliar nível de raciocínio), ter curso de teoria e pratica; ter boa audição e
visão e boa memoria; ter carácter extrovertido; ter temperamento fleumático ou
sanguíneo e ter uma estabilidade emotiva afectiva forte.

ORGANIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE ORIENTAÇÃO ESCOLAR E


PROFISSIONAL

Constituição dos conselhos de orientação;

 -Principais funções do pessoal dos serviços e orientação;


 -Elaboração de plano de orientação escolar e profissional;
 -Qualidades ou perfil de orientador escolar profissional.

Funções do psicólogo.

 Aplicar, apurar e interpretar testes que se fizeram necessário em casos de


comportamentos anormais ou não;
 Providenciar tratamento adequado para os educados que se revelam necessitados
do mesmo;
 Quando desconfiar que um caso não é precisamente psicológico, envia-se o
educando para o exame médico;
 Estudar com especial atenção os casos de educador de problema;
 Estudar os casos de desajustamento nas escolas, mais aspectos a acção
profissional, mas por estes não resolvidos.

Função do médico.

 Realizar exame médico a todos os educandos portadores de problema de


comportamento;
 Realizar programa de medicina preventiva visando apostar a possibilidade de
educandos virem a ser afectados por problemas oculares de espinha e
infecciosas;
 Utiliza dados contra indicação profissional e escolares relativas aos custos
existentes na escola;
 Acompanhar o desenvolvimento do aluno e fornecer informes ao orientador;
Coopera na coordenação da saúde, estabelece medidas para toda a escola e para
os casos individuais.

Funções do director.
Toma conhecimento dos objectivos e dos métodos gerais do trabalho usando em
orientação

 - Integrar-se no programa de orientação a ser executado em sua escola;


 - Participa nos programas comparecendo as reuniões emitindo opiniões e
estimula todos elementos participantes do trabalho; Coordena a execução do
trabalho de orientação e do qual participam os membros de corpo escolar;

Funções do professor

Observa as reacções do aluno, suas dificuldades formas de ajustamento, informa o


orientador a respeito do que observa em cada caso.

 - Recebendo orientador informes sobre os alunos utilizando-os na sua tarefa


didáctica;
 - Restabelece contacto com a família sempre que necessário
 - Coopera em todas as etapas de programa de orientação

Função do bibliotecário.

Selecciona livros revistos e publicidades ou publicações diversas sobre ocupações


escolas, cursos programas e indicações sobre o emprego constituindo uma secção
ocupacional ou sua biblioteca.

Itens do plano do orientador educacional.

 - Identificação e localização da escola;


 - Direcção distrital, localização da escola a que se subordina, em nome do
director da escola, nome do orientador profissional, data do plano, síntese das
principais características da comunidade e da escola, objectivos.

Perfil do orientador escolar e profissional.

Ter habilidades em lidar com pessoas; capacidade de iniciativa e liderança, capacidade


de empatia, habilidade em conquistar e manter a confiança dos educandos e demais
pessoas envolvidas no processo educativo como professores, pais, director, servente,
etc.

Capacidade de colaboração com pessoas envolvidas no processo educativo. Sentir


simpatia pelo educando, simplicidade e modéstia, não negligenciar os casos enunciados,
aceitar os educandos como eles são afim de mais adequadamente poder orientar.

Papel do orientador no planeamento e elaboração do plano escolar.

• Papel do orientador escolar e profissional no plano da escola.


• Roteiro de planificação das actividades de O.E.P.
• Papel de O.E.P no planeamento escolar no nível primário.
• Papel do O.E.P no planeamento do ensino secundário.
• Papel do O.E.P no planeamento do ensino técnico profissional.
Exemplo de consulta psicológica na prática

O conselheiro, aconselha os pais no sentido de evitar interromper a escolaridade do seus


filhos por um período longo, pois isso trás retrocesso na vida estudantil.

No primeiro passo da consulta psicológica, os pais ou os clientes dirigem-se ao gabinete


do orientador ou conselheiro; este faz uma entrevista ou estabelece uma conversa com
os clientes para recolher informações sobre o desejo das profissões que pretende
abraçar.

No segundo passo, o orientador dirige-se a escola do cliente para junto do professor


auscultar o seu desempenho pedagógico, as dificuldades que o cliente atravessa no
PEA; seu comportamento na sala e fora, a sua inclinação em termos de disciplinas da
sua classe e o professor poderá fornecer com detalhes todos os aspectos relativos a
aprendizagem do cliente.

Se o cliente apresentar se acompanhado pelos pais, o orientador deve procurar ouvir a


todos, numa primeira fase, na fase posterior, deve procurar conversar separadamente
sem presença dos pais.

A consulta psicológica na O.E.P

A consulta psicológica na O.E.P é uma fase de exploração das informações ligadas as


particularidades do individuo, o seu dilema performance, tais particularidades cingem-
se aos pressupostos sociais, religiosos e culturais.

A consulta psicológica constitui um acto de ajuda feita pelo psicólogo ao cliente,


mostrando opções de escolha académica e profissional futura. é utilizada como método
na resolução de problemas pessoais.

A consulta psicológica é diferente da psicoterapia na sua forma de aplicação. Porque a


psicoterapia trata- se de um tipo de contactos mais intensivo e prolongado, técnico
psico- analítico de tratamento da personalidade do individuo.

A consulta psicológica usa-se nas clínicas de orientação pedagógica, aos estudantes,


nos serviços de higiene mental para os adultos na assistência social, nas relações
humanas das empresas, no domínio militar e outros.

Aconselhamento, consiste numa serie de contactos directos com o indivíduo com o


objectivo de lhe oferecer assistência na modificação de suas atitudes e comportamentos.
Na O.E.P, não há interferência pedagógica, tem acto educativo, tem finalidades
preventivas devido a necessidade de eliminar determinados traços comportamentais não
bons.

O aconselhamento psicológico é a etapa final da O.E.P, o aconselhamento consiste em


mostrar as alternativas viáveis em relação a profissão. é uma acção educativa,
preventiva de apoio e situacional, voltada para a solução de problemas. E a sua função é
facilitar que a pessoa tenha uma consciência de realização pelo seu desenvolvimento,
por meio de escolhas acertadas e ajustadas a sua personalidade.

O professor da carreira é aquele que está comprometido com as profissões, cumpre na


íntegra todas as demandas da sua ocupação.

Carreira é um conjunto de etapas, fases que se obedecem na progressão ou no


exercício dessa profissão. A carreira existe dentro da profissão.

Os determinantes psicológicos variam ao longo da carreira do indivíduo. Dai que pode


existir uma reorientação profissional. Pois a O.E.P vai estudar a variação dos interesses
ou insatisfação profissional.

Fases do processo de O.E.P.

• 1a fase: é a fase de expressão que consiste em reunir os primeiros conceitos


primários, para dar liberdade a criança para se expor livremente sobre a sua
situação, é a fase de reunião de elementos primordiais.
• 2a fase: é a fase de exploração que consiste em fazer o diagnostica daquilo que
são as particularidades individuais que podem ser feito por meio de conversa,
recurso aos familiares.

• 3a fase: é a fase de interpretação e orientação, nesta fase faz se analise dos dados
e descodificação dos mesmos; vai - se estabelecer um elo de ligação entre perfil
e o conjunto das profissões.
• 4a fase: é a fase de escolha, que consiste na escolha profissional propriamente
dita, onde o indivíduo escolhe por si só a profissão segundo os seus gostos em
função das particularidades.

Dossier – tipo de orientação

O dossier tipo é um conjunto de informações sobre particularidades individuais em


O.E.P, é um padrão em termos de organização, arrumação daquilo que é o conjunto de
informação que se apresenta ao serviço da O.E.P.

O dossier tipo de orientação: é aquele em que o especialista vai se apoiar para organizar
a informação.

O dossier tipo engloba três tipos de informação diversa: informação que diz respeito
aos aspectos fisiológicos; ao conjunto de aspectos psicológicos; informações inerentes
ao campo social.

O individuo que se apresenta ao serviço de O.E.P, essas informações são encontradas


no seu historial clínico, faz se uma analise sobre as doenças que já teve ou que tem e até
que ponto podem influenciar na realização duma determinada profissão.

Testes psicotécnicos e projectivos em O.E.P.

Teste: é uma prova aplicada a várias pessoas e que revela traços da personalidade em
questão. Existem teste que medem traços da personalidade tais como agressividade,
conformismo e auto - estima; instintos: emoções, instabilidade emocional, emoção
dominante; difusão: temperamento, força de vontade, animosidade; interesses e
preferências.

Os testes pedagógicos, são os que avaliam o rendimento do aluno, por isso a tarefa
pode consistir em manifestar funções sensório motor ou mentais. Os testes
psicotécnicos, são os que pretendem medir alguma capacidade ou descobrir alguma
aptidão relacionada com inteligência e os seus resultados são quantificáveis

Os testes têm como objectivo fazer com que o individuo se ajuste ao seu meio social.
Estes dão mais ênfase aos aspectos intelectuais em relação aos outros aspectos.
Aspectos sobre as particularidades psicológicas refere-se a atitudes, interesses,
habilidades, essas particularidades obtém se através de testes psicológicos e tem como
fonte de diagnostico a área intelectual cognitiva que pressupõe a acção de outras áreas.

Os testes projectivos: são aplicados para resolução dos problemas da própria


personalidade. Pede se ao indivíduo para realizar tarefas cujo objectivo está disfarçado.
Os testes projectivos, objectivos, são aplicados para identificar o tipo de personalidade
do indivíduo.

Vantagens de testes psicotécnicos

Testes psicotécnicos são vantajosos por serem padronizados e iguais para todos; tem
igualdade de tratamento; determinam as capacidades e alguns pontos fracos de cada
indivíduo; podem prever uma possível evolução de carreira.

Desvantagens de testes psicotécnicos: Estes testes, provocam uma ansiedade e atenção


no candidato; são eliminatórios e rígidos.

Você também pode gostar