Você está na página 1de 4

c

Universidade de Brasília
Monitoria de Introdução à Economia
Lista 5B: Controvérsias macroeconômicas e Perspectiva Keynesiana

ë  
 

  



 
yc ½ oferta é que determina a demanda e existe uma tendência ao equilíbrio
no mercado.
yc Gendo assim, o mercado determina o salário de equilíbrio em que a
quantidade de horas que as pessoas estão dispostas a trabalhar pelo valor
salarial de equilíbrio é igual ao número de horas que neste preço do
trabalhador as empresas estão dispostas a contratar.
yc £ão há, assim, desemprego voluntário
yc Mediante as horas de trabalho e o nível de tecnologia, existe uma
quantidade de mercadorias produzida, como a despesa é sempre igual ao
produto, a demanda se iguala à oferta
ë  
yc Ge são assim as forças do mercado, por que então houve a crise de 1930,
essencialmente uma crise de superprodução? Por que excesso de oferta?
yc £ão faz sentido que as pessoas não queiram trabalhar porque comparam o
salário com as horas de lazer perdidas
yc D fato é que a demanda é que determina a oferta, se não existir demanda,
as empresas diminuirão a produção e demitirão trabalhadores, o que pode
levar um país à recessão
    ë   

yc [espesa total de uma economia fechada: [ = C + I + G (1)
yc D cosumo de uma família é determinado pela propensão marginal a
consumir da mesma: Dzcdz - valor este entre 0 e 1.
yc Considerando a renda como igual a despesa, pode-se reescrever a equação
(1): Y= C(Y) + I + G



c
c

yc Gendo que C(Y) = Ca +c.Y


ac Ca: consumo autônomo, independente da renda, ou seja, quaisquer
variações rentáveis não o alterarão. Trata-se do mínimo necessário
para a sustentação da vida


 cc

c  cccc
 ccccc c
c
`

ccc
cc cc

c cc@c
c

yc (1): [½ = D½: reta na qual a demanda agregada é igual à oferta


agregada; função identidade
yc (2): Reta da despesa
yc Ponto E: ponto no qual a despesa se iguala à renda, neste ponto a
renda pode ser dada pela equação:
ac Y= Ca + I = G
1Ȃc
yc uanto maior a propensão marginal a consumir, maior o nível de
renda de uma economia:

acY= Ca + I + G
1Ȃc

j  

 ë  
´ide ½postila






c
c

    


ë  
yc ½través do multiplicador keynesiano, sabe-se que um aumento nos gastos
do governo gera maior nível de renda na economia, de maneira que, em
uma situação de crise, o governo deve adotar:
ac Política fiscal: aumento de gastos
ac Política Monetária: expansionista (aumento de emissões)
yc D governo deve, então, interferir na economia de maneira planejada, uma
vez que por si só ela é muito instável (os keynesianos pensam a curto
prazo)
yc uanto maiores forem os gastos governamentais, mais rápido a economia
voltará ao nível normal de demanda agregada e mais rápido uma economia
sairá da recessão

 
yc Laissez faire, o Estado deve evitar interferir na economia (os clássicos
pensam a longo prazo)
yc Crises econômicas são cíclicas, o que o Estado pode fazer é tentar
economizar para adequar-se às possíveis perdas de receitas
yc ½ intervenção estatal pode minguar a iniciativa privada, provocando perda
de eficiência no mercado e aumento de preços

j      !  " 

ë  
yc ½ poupança é determinada pela  , e não pela # $
yc Ds investimentos dependem das expectativas dos investidores a respeito
do mercado futuro, por isso se trata de uma variável muito instável

cc!c"ccc c
 cc

cccc
c
cc cc

c
c
c

yc Considerando um nível de expectativas de investimentos, haverá excesso


de oferta (Poupança) ou de demanda (Investimentos) dependendo do
nível de renda
yc Paradoxo da parcimônia: aumento na propensão marginal a poupar gera
queda na propensão a marginal a consumir, isso diminui o nível de renda e
consequentemente a quantidade passível de ser poupada


 
yc ½ quantidade de poupança é determinada pela # $, não pela
 
yc Esta taxa propiciará o equilíbrio entre a oferta e a demanda no mercado de
fundos de empréstimos

c&cc(cc('c

$cc c&c

%&c

c

c'c

#c #c

yc D aumento nos gastos do governo ou requer aumento de tributos ou


tomada de empréstimos
yc ½ segunda opção acarreta diminuição na quantidade ofertada disponível
no mercado, provocando queda da oferta e diminuição do número de
investimentos (curva 2)

Textos de auxílio:
x)**+++!,!**-. / -
*0011234c
http://www.ie.ufrj.br/ecex/pdfs/macroeconomia_em_economia_aberta.pdf