Você está na página 1de 4

BEHAVIORISMO METODOLÓGICO VERSUS BEHAVIORISMO RADICAL

BM

 S-R
o Condicionamento Respondente
o Aprender o medo
 Rejeição
o Mente
 Objeto de Estudo
 Não é observável por terceiros
o Introspecção
 Observação Consensual
 Paradigma dualista
o Mente
o Corpo
o Por que?
 Não por causa do S->R
 Não estuda pensamentos e sentimentos
 Não estuda introspecção
 Dualista?

“O problema da proposta do BM na psicologia é que ela deixa os seus proponentes em


uma situação no mínimo embaraçosa: ao assumir que eventos mentais existem, mas não
são passíveis de análise científica, o behaviorista metodológico deixa de fora aquilo que
tradicionalmente foi considerado como o campo de estudo legítimo da psicologia – a
“atividade mental”. Obviamente, essa postura impossibilitaria a maior reivindicação do
behaviorismo watsoniano: de que o behaviorismo seria capaz de explicar toda a atividade
humana. Portanto, um exame do comprometimento da proposta de Watson com o BM
merece considerável atenção e será empreendida nesse artigo.”

Behaviorismo Radical

 Seleção por consequências


 Comportamento Operante
 Explicar comportamentos ativos
 S-R->Sr
 Introspecção
o Comportamento Verbal
o Observação e aprendizado sobre si
o Estuda pensamentos e sentimentos
 Comportamentos encobertos
 Monista
o Um corpo que se comporta

Aplicações?

Continuidades?

Influências do estruturalismo, funcionalismo e da psicofísica


 Funcionalismo
o Os psicólogos aplicados
 não viam muita utilidade na introspecção
 e na consciência,
 diversas áreas de especialização constituíam essencialmente uma
psicologia funcional objetiva.
o antes de Watson
 distanciado da pura psicologia da experiencia consciente adotada por
Wundt e Titchener.
 psicologia objetiva
 enfoque no comportamento, e não na consciência.
 Mesmo argumento do BM

Assim, a idéia de spicollogia vista como a ciência do comportamento começava a


ganhar adeptos. A importância de Watson não esta em ter sido o primeiro a propor essa
idéia, mas em enxergar, talvez mais claramente do que qualquer pessoa, o que a época
estava exigindo. Watson foi o principal articulador e agente responsável pela revolução
cujos sucesso e inevitabilidade estavam garantidos, pois ele já estava em andamento.

O Behaviorismo metodológico sintetizou um momento da psicologia Americana aonde


os funcionalistas já descreviam dificuldades epistemológicas para trabalhos de pesquisa.
Eles foram que descreveram uma dificuldade em estudar a mente ou consciência.
Segundo eles o problema é que o método introspectivo considerava o relato dos eventos
mentais um fato consumado e não questionava a validade das informações. Nessa
mesma época a caixa problema de thorndyke era usada nos laboratórios de psicologia e
por isso criou a possibilidade da observação dos comportamentos. isso permitiu aos
funcionlistas uma possibilidade de estudar a psicologia numa aproximação com as
ciências da natureza. então começou um movimento para que o objeto de estudo da
psicologia fosse o comportamento observável e a psicologia passasse a ser a ciência do
comportamento.

Psicofísica

 Psicofísica é o ramo da psicologia que estuda a relação entre estímulos físicos e


as respectivas sensações.
o Estudo de órgãos do sentido
 Tempo da reação
 Músculo
o Ao S de um neurônio
 Ou latência
 Instrumento de mensuração
 Medidas
 Experimentais
 Objeto de Estudo
 Processos Fisiológicos
 Sensação
o Tradução fisiológica do que é captado pelos
órgãos dos sentidos.
o Primeiro a captação = realidade
o Depois foi discriminação e percepção
o Foi criado um cálculo
 Prever a intensidade mínima de um
estímulo.
 Perceber uma mudança
o Começa a descrever um procedimento para o estudo da psicologia
experimental.
o Racional = órgãos dos sentido funcionavam como um telegráfo
 Emissor
 Receptor
 Transmissão
o Eletricidade
 Método científico
 Fortaleceu o contexto para o surgimento da psicologia
experimental
 Ponto exato de união entre o físico e o psíquico
 Paralelismo psicofísico
 Físico
 Psíquico
o Duas maneiras diferentes de estudar a mesma
realidade.

Estruturalismo

 Tichener
o Encontrar Elementos da Consciência
o Descrever estruturação
o Método Introspecção
o Experiencia Imediata

 Wundt
 Maior estruturação
o Elementos Psíquicos
 Sensações captados pelos órgãos dos sentidos
 Complexos Psíquicos
 Representações
 Afetos
 Fusão
o Contra a definição de
 Ciência da alma
 Temas teológicos
 Abstratos
 Ciência da mente
 Substância imaterial
o Não é possível observar
o Psicologia é uma ciência empírica
 Apoiada na observação direta
 Experiencia imediata
o Sentir um sabor
o Sentir calor
 Experiencia Mediada
o Explicar um sabor
o Compreender formas universais
 BR – Leis Universais do comportamento – estende a todas as
espécies

O comportamento como objeto de estudo da análise experimental do comportamento e


behaviorismo com epistemologia da área

O processo histórico de construção do comportamentalismo: psicologia comparada,


reflexologia e seleção por consequências

Comportamento verbal, conhecimento e subjetividade no behaviorismo radial

Epistemologia da Ciência do comportamernto: o behaviorismo em questão

1. Behaviorismo metodológico e behaviorismo radical: diferenças, continuidades e


aplicações

2. A importância da psicofísica, do estruturalismo, do funcionalismo e do


associacionismo na constituição do behaviorismo

3. O comportamento como objeto de estudo da análise experimental do comportamento


e behaviorismo com epistemologia da área

4. O processo histórico de construção do comportamentalismo: psicologia comparada,


reflexologia e seleção por consequências

5. Comportamento verbal, conhecimento e subjetividade no behaviorismo radial

6. Epistemologia da Ciência do comportamento: o behaviorismo em questão

7. Terapia cognitivo comportamental: história, desenvolvimento e perspectivas atuais

8. Análise experimental do comportamento: conceitos centrais e intervenção psicológica

9. Análise experimental e funcional do comportamento: O comportamento reflexo,


aprendido por consequências e governado socialmente

10. O método empírico-experimental na verificação dos processo de aprendizagem:


contexto histórico e questões atuais

Você também pode gostar