Você está na página 1de 6

Propriedades dos metais

Propriedades Propriedades mecânicas Propriedades


Físico-químicas tecnológicas
Brilho Boa resistência à tracção, Tenacidade
compressão, flexão
Bom peso específico Elasticidade, plasticidade Maleabilidade
Boa condutibilidade Boa resistência ao choque Ductilidade
termoeléctrica
Temperatura de fusão Dureza Fusibilidade

[Escrever texto]
Algumas características das madeiras
Cor Característica das madeiras em apresentar uma cor Branca – Pinho, choupo
própria que as distingue das outras. Amarelada - Bucho, tola
Castanha – Carvalho, castanho
Avermelhada – Azinho, faia
Brilho Aspecto visual da madeira em apresentar um brilho que Brilho acetinado – Nogueira,
a caracteriza e distingue. plátano
Brilho lustroso – Freixo, choupo
Brilho nacarado – Acácia
Textura É o aspecto visual determinado pela disposição dos Nogueira – textura fina e
diferentes elementos que constituem a madeira. uniforme
Eucalipto – textura uniforme
Freixo – textura não uniforme
Densidade Classificação atribuída à madeira, em função da Muito leves – Choupo, balsa
disposição dos diferentes tecidos, sobretudo dos anéis Leves – Acácia, bétula
de crescimento e da espessura das fibras e dos poros. Pesadas – Sobreiro, freixo
Resistência Capacidade da madeira em resistir a esforços de Boa resistência – Azinho,
mecânica compressão, tracção ou flexão sem criar roturas. carvalho
Pouca resistência – Balsa, tília
Dureza É a resistência que a madeira oferece ao ser trabalhada, Muito macias – Tília, balsa
à penetração de pregos, parafusos ou ferramentas. Macias – Choupo, casquinha
Semiduras – Nogueira, cerejeira
Duras – Carvalho, eucalipto
Muito duras – Sobreiro, bucho
Retractilidade Percentagem de agua que entra na constituição da Madeira muito seca – Menos de
madeira, que pode variar e condicionar o seu volume. 12%
Madeira seca ao ar – Entre 13%
e 24%
Madeira verde – Entre 25% e
70%

[Escrever texto]
Propriedades das fibras têxteis
Higroscopicidade Capacidade da fibra de absorver água ou humidade
Físico-químicas Condutibilidade É a propriedade de conduzir o calor
térmica
Brilho É a capacidade de algumas fibras têxteis em reflectir a luz
Sensibilidade ao calor Refere-se às fibras que com o calor derretem sem arder
Mecânicas Elasticidade É a facilidade com que o fio se deforma e regressa à posição
inicial
Espessura É sinónimo de óptima qualidade do tecido, obtém-se
Finura empregando fibras finas e consistentes
Tecnológicas Resistência É a capacidade da fibra em resistir a esforços tracção e ao
uso contínuo
Regularidade do fio Refere-se à possibilidade de se obter na produção da fibra
um fio sempre igual

[Escrever texto]
Principais características das argilas
Plasticidade A argila é um material plástico, facilmente moldável. A argila com
boa plasticidade absorve água numa proporção determinada, pode
deformar-se por pressão, conservando sem rupturas a sua forma.
Mesmo depois de seca pela acção do ar, a sua forma pode ser
alterada se lhe for adicionada água. A plasticidade é a principal
característica das argilas
Resistência Quando um objecto cerâmico é submetido a um processo de
cozedura, torna-se mais resistente ao choque e mantém em
definitivo a sua forma
Impermeabilidade A argila solidifica sob a acção do calor. Esta solidificação por
cozedura; além de lhe manter a sua forma, possibilita às peças
conterem líquidos sem verter.
Cor De acordo com a natureza da sua composição, a argila apresentará
tonalidades diferentes. Assim, enquanto a presença de óxido de
ferro imprime à rocha uma coloração avermelhada, as argilas ricas
em matéria orgânica apresentam tons acinzentados. A cozedura das
peças a altas temperaturas altera a cor inicial das argilas

[Escrever texto]
Preparação de uma peça em vidro
Matéria-prima Composição: areia, calcário, soda, dolomite, bórax,
sódio, corantes e casco
Depois de extraída, a areia siliciosa é lavada; em
Mistura seguida toda a matéria-prima é triturada, ficando
pronta a ser fundida
É feita a fusão em fornos próprios, onde a mistura é
Forno 1500oC sujeita a temperaturas que vão até 1500oC e passa
ao estado líquido
Fusão e afinação A matéria-prima entra no processo de fusão no
forno e constitui uma massa que irá ser trabalhada
pelo vidreiro
Repouso O repouso permite retirar as impurezas que
aparecem à superfície
Arrefecimento Pequeno arrefecimento parcial
O vidreiro colhe manualmente, com as
denominadas canas de moldação do forno, a
Colha quantidade de massa necessária à peça
pretendida. Quando o processo de fabrico é
semiautomático ou automático, a colha é doseada
através de máquinas
Fabrico A massa vidreira está pronta a ser trabalhada por
processos manuais e mecânicos. Para evitar o
risco de fracturas, as peças devem ser arrefecidas
muito lentamente
A peça de vidro pode ser executada através da
Moldagem utilização de moldes e/ou simplesmente
manuseada pelo vidreiro com o auxilio de alguns
utensílios, pondo em prática toda a sua capacidade
criativa
Arca de recozimento e escolha Depois de produzida, a peça é colocada no tapete
da arca de recolhimento. Nesta fase procede-se ao
controlo visual da qualidade das peças, retirando-
se aquelas que apresentam defeitos
As peças escolhidas podem ainda sofrer pequenas
acções de acabamento, tais como a lixa, polimento,
Acabamento queima, roça e corte, de forma a limar as arestas e
rebarbas e a dar-lhes uma forma final. Nesta fase
pode ainda proceder-se a outros tipos de
acabamento da peça, que a tornam mais
decorativa: pintura, colagem, lapidação, foscagem
e pantogravura

[Escrever texto]
Tipos de plásticos Aplicações
Celulóide É usado no fabrico de objectos de decoração, como
imitação de madrepérola, marfim ou chifre
Acrílicos Muito usados no fabrico de peças para substituir vidro, pois
é muito resistente e transparente, e em peças de decoração
Polietileno Usado no fabrico de embalagens alimentares, sacos,
colchões, garrafas, isolante de cabos telefónicos
Poliestireno Usado como isolante térmico e acústico, brinquedos,
revestimentos de electrodomésticos, copos, puxadores
Policloreto de vinilo É usado em condutas de água ou esgotos, telha e caleiras,
(PVC) revestimento de cabos eléctricos
Polioretano Napas e couros artificiais, espumas para colchões, estofos
ou isolantes térmicos na construção civil
Baquelite É usada na indústria eléctrica em ligadores, tomadas,
interruptores
Poliéster É especialmente utilizado no fabrico de imobiliário por
moldagem, para jardins, em barcos, coberturas, carroçarias
de automóveis

[Escrever texto]