Você está na página 1de 9

77 Decisões Importantes para o Seu Casamento, à Luz

da Bíblia

Aqui estão 77 importantes decisões que podem tornar seu casamento mais feliz.

01. Aceite o seu cônjuge como ele é. “Não se porta com indecência, não busca os
seus interesses, não se irrita, não suspeita mal” (I Cor. 13:5).
02. O casamento tem três pilares de sustentação: fé, comunicação e sexo. “Por
isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois
numa só carne.” (Efésios 5:31)
03. Evite afirmativas que aumentem o conflito, como por exemplo “você
sempre…”, “todas as vezes…”. “Há alguns que falam como que espada
penetrante, mas a língua dos sábios é saúde.” (Prov. 12:18)
04. Para manter o cálice do amor transbordando em seu casamento, admita
logo o erro quando estiver errado e cale-se quando estiver certo. “Semelhante,
vós mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se
alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem
palavras;” (I Pedro 3:1)
05. Feche a porta do divórcio. “Porque o Senhor, o Deus de Israel diz que
aborrece o repúdio e aquele que encobre a violência com a sua roupa, diz o
Senhor dos Exércitos; portanto, guardai-vos em vosso espírito, e não sejais
desleais.” (Malaquias 2:16)
06. O casamento é uma instituição sagrada para o Senhor. “Assim não são dois,
mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem”.
(Mat.19: 6)
07. Siga o padrão de Deus para o seu lar. “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos
maridos, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher, como
também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo.
Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si
mesmo, e a mulher reverencie o marido.” (Efésios 5:22,23,33)
08. Toda esposa necessita de gentileza no falar, no gesticular, no agir. Toda
mulher necessita de um amigo. “Assim devem os maridos amar as suas próprias
mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si
mesmo.” (Efésios 5:28)
09. A pessoa amada tem necessidades diversificadas. Entre elas: ouvir palavras
que declarem seu valor e sua importância (palavras de afirmação), e/ou receber
inteira atenção, sem dividi-la (qualidade de tempo). “Não atente cada um para o
que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De
sorte que haja em vós o mesmo sentimento que também ouve em Cristo Jesus,”
(Filipenses 2:4,5)
10. A pessoa amada tem necessidades diversificadas. Entre elas: receber
expressões de serviços como doação do outro que a fará sentir-se importante
e/ou receber presentes. “Igualmente vós maridos, coabitai com elas com
entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os
seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas
orações.” (I Pedro 3:7)
11. Existem pessoas que necessitam sentir-se lembradas, valorizadas. Para
estas, receber presentes é uma expressão forte de amor. “Seja bendito o teu
manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade.” (Provérbios 5:18)
12. Aprender a ouvir o cônjuge é muito parecido com o aprendizado de uma
língua estrangeira. Persevere, vale à pena! “Mas todo homem seja pronto para
ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” (Tiago 1:19,20)
13. É sempre inteligente declarar sua apreciação pelas coisas boas que seu
cônjuge faz, e com sinceridade. “O amor não seja fingido. Aborrecei o mal e
apegai-vos ao bem.” (Romanos 12:9)
14. Fazer alguém feliz pode significar, às vezes, abrir mão do bem estar pessoal
momentâneo, como por exemplo, comodismo, preguiça, egoísmo. “Andai em
amor, como também Cristo vos amou e se entregou a si mesmo por nós em
oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.” (Efésios 5:2)
15. O que você diz pode salvar ou destruir uma vida. Portanto, use bem as suas
palavras e você será recompensado. “Sejam agradáveis as palavras da minha
boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e
Redentor meu!” (Salmos 19:14)
16. Nos relacionamentos, a comunicação não deve ser soberba. “Da soberba só
provém a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria.”
(Provérbios 13:10)
17. Ataque o problema, e não ao outro. “Tem visto um homem precipitado no
falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele.” (Provérbios 29:20)
18. Os problemas não podem ser acumulados para depois descarregar sobre o
outro. Enfrente e resolva-os com maturidade. “Sobre tudo o que se deve
guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. Desvia
de ti a falsidade da boca, e afasta de ti a perversidade dos lábios.” (Provérbios
4:23,24)
19. Expresse os sentimentos sem agredir o outro. “Não saia da vossa boca
nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para
que dê graças aos que a ouve.” (Efésios 4:29)
20. Busque o melhor momento para se comunicar. “O que responde antes de
ouvir comete estultícia que é para vergonha sua.” (Prov. 18:13)
21. Aprenda a perdoar (esquecendo) para não criar raiz de amargura. Lembre-
se de esquecer! “Todos os dias dos aflitos são maus, mas o de coração alegre tem
um banquete contínuo.” (Prov. 15:15)
22. Um não deve atirar sentimentos no outro. Busque trazer soluções quando
apresentar os problemas (apontar erros). “O homem se alegra na resposta da
sua boca, e a palavra, a seu tempo, quão boa é!” (Prov. 15:22)
23. Cuidado quando for utilizar o humor para não aumentar a tensão. Utilize o
humor só quando tiver convicção que vai aliviar a tensão. “O coração do justo
medita o que há de responder, mas a boca dos ímpios derrama em abundância
as coisas más.” (Prov. 15:28)
24. Se quiser manter o cálice do amor transbordando em seu casamento, não
utilize o sarcasmo um para com o outro. “A língua dos sábios adorna a
sabedoria, mas a boca dos tolos derramam a estultícia.” (Prov. 15:2)
25. No casamento, a comunicação deve ser adequada. O amor faz solicitações e
não imposições. “A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama
comerá do seu fruto.” (Prov. 18:21)
26. Quando você e seu cônjuge experimentar das adversidades da vida, não
comunique a Deus o tamanho delas, mas diga para as adversidades o tamanho
do seu Deus. “Não andeis ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e
súplica, com ações de graças, sejam as vossas petições conhecidas diante de
Deus.” (Filipenses 4:6)
27. Escolha o momento certo e o local adequado para falar ao outro o que mais
desagrada a você. “A palavra branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a
ira. A sabedoria do homem lhe dá paciência; a sua glória está em esquecer
ofensas.” (Provérbios 15:1; 19:11)
28. Concentre-se em resolver as incompatibilidades que geram tensões
conjugais. “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo? … tudo
o que é verdadeiro, honesto, justo, puro, amável, tudo o que é de boa fama, se há
alguma virtude e se há algum louvor, nisto pensai.” (Amós 3:3 / Filip. 4:8)
29. Uma pessoa não pode se deixar vencer pelo desespero, mas o vença pelo
conhecimento da palavra de Deus. “O coração sábio buscará o conhecimento,
mas a boca dos tolos se apascentará de estultícia.” (Prov. 15:14)
30. Comunicação é um processo lento de maturidade de compreender e de se
fazer compreendido. “Os lábios dos sábios derramarão o conhecimento, mas o
coração dos tolos não faz assim.” (Prov. 15:7)
31. As mulheres têm necessidades de conversar com seu companheiro e tê-lo
como um grande amigo. “Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e
alcança a benevolência do Senhor.” (Prov. 18:22)
32. O casal deve andar juntos, não só literalmente. O diálogo é fundamental
para que haja compreensão. “O amor não folga com a injustiça, mas folga com a
verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha;…”
(I Coríntios 13: 6-8)
33. A cooperação também é importante para um casal que deseja andar,
literalmente, juntos. “E lhes darei um mesmo coração, e um só caminho, para
que me temam todos os dias, para seu bem, e o bem de seus filhos, depois
deles.” (Jeremias 32:39)
34. Trate o seu arranhão hoje, para mais tarde não se tornar algo mais sério.
Não deixe para tratar o pecado amanhã. “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o
sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo.” (Ef. 4:26,27)
35. Decida amar seu cônjuge na linguagem que ele consegue compreender: seja
palavras de afirmação, qualidade de tempo, formas de servir, toque físico, ou
mesmo presentes. “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor
não trata com leviandade, não se ensoberbece.” (I Coríntios 13:4)
36. Marido e esposa, a comunicação é a chave do casamento. Portanto,
compartilhe ao outro a sua própria linguagem do amor. “Como cerva amorosa, e
gazela graciosa; saciem-te os seus seios em todo o tempo; e pelo seu amor sê
atraído perpetuamente.” (Provérbios 5:19)
37. O objetivo do amor não é obter o que se deseja, mas fazer algo pelo bem-
estar daquele a quem se ama. “Portanto, cada um de nós, agrade ao seu próximo
no que é bom para edificação.” (Romanos 15:1)
38. A fidelidade entre marido e esposa é fruto da relação de ambos com
Deus. “O que adultera é falto de entendimento; destrói a sua alma o que tal faz.
Achará castigo e vilipêndio, e o seu opróbrio nunca se apagará.” (Provérbios
6:32,33)
39. “Achar tempo” é questão de prioridade. Se a linguagem do seu cônjuge é
qualidade de tempo, comece a planejar, abra mão de algumas atividades
particulares em prol do outro. Vai valer a pena, acredite! “O amor não se porta
com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;” (I
Coríntios 13:5)
40. Há várias formas de presentear. O mais importante é a mensagem nas
entrelinhas que o presente trás. Use e abuse de sua criatividade. “Quem guardar
o mandamento não experimentará nenhum mal; e o coração do sábio discernirá
o tempo e modo.” (Eclesiastes 8:5)
41. Presente X Dinheiro. Investir no amor do seu cônjuge é semelhante a
aquisição das ações mais caras da bolsa de valores. “As muitas águas não
poderiam apagar esse amor nem os rios afogá-los; ainda que alguém desse toda
a fazenda de sua casa por este amor, certamente a desprezariam.” (Cantares 8:7)
42. Para Adão, Deus não criou os amigos, mas uma esposa. A instituição
sagrada chamada “Família” nasceu do coração de Deus, e Ele não comete
erros. “Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que
nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se
contaminem.” (Hebreus 12:15)
43. Todas as tentações que um casal pode sofrer, também podem enfrentar e
vencer. “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;
bem-aventurado todo aquele que suporta a tentação; porque, quando for
provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o
amam.” (Provérbios 1:2,12)
44. Por trás de um marido passivo há quase sempre uma esposa selvagem e/ou
rixosa. “É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e
irritadiça.” (Provérbios 21:19)
45. Toda tribulação na vida de um casal cristão é passageira. “Tenho-vos dito
isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom
ânimo; eu venci o mundo. …e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.”
(João 16:33/ I João 5:4)
46. Os problemas internos ou externos podem turbar o espírito do casal, mas
jamais destruí-los, quando Jesus Cristo é o alicerce da relação. “Alegrai-vos na
esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração.” (Romanos 12:12)
47. Um lar tem início com um compromisso de amor e fidelidade, e Deus como
o seu arquiteto. “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a
edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.” (Salmos
127:1)
48. A jóia mais preciosa que um homem pode dar a sua esposa é amá-la
incondicionalmente, sendo este também o presente mais almejado pelos
filhos. “Vós, maridos, amai as vossas mulheres como Cristo amou a igreja, e a si
mesmo se entregou por ela,” (Efésios 5:25)
49. É possível o casal discordar sem brigar. Procure não exagerar nem se
envolver em rixas. “Toda a amargura, e ira, e cólera e gritaria, e blasfêmia e toda
malícia sejam tiradas dentre vós, antes sede uns para com os outros benignos,
misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos
perdoou em Cristo.” (Efésios 4:31)
50. Procure se colocar na posição do seu cônjuge para entender melhor algumas
de suas opiniões. Evite aborrecer um ao outro. “…não amemos de palavras, nem
de língua, mas por toda obra e em verdade.” (I João 3:18)
51. Procure ser um bom ouvinte, mas não use do silêncio para representar ao
cônjuge uma resposta negativa ou frustá-lo ao hesitar responder. “Com toda a
humildade e mansidão, com paciência, suportando-vos (grego = sustentando)
uns aos outros em amor, procurando guardar a unidade do Espírito pelo vínculo
da paz.” (Efésios 4:2,3)
52. É importante para o casal sempre escolher o melhor momento e hora para
dialogar, definir as áreas de concordância e de discordância, e fazer uma alta
análise de si mesmos. “O homem se alegra em responder bem, e quão boa é a
palavra dita a seu tempo!” (Provérbios 15:23)
53. É importante para o casal identificar sua parcela de culpa nos conflitos,
quando necessário mudar de atitudes ou comportamento, contribuindo assim,
para a resolução dos mesmos. Orar juntos, pedindo a orientação e graça de
Deus, nestes momentos é fundamental. “O amor não faz mal ao próximo. De
sorte que o cumprimento da lei é o amor.” (Rom. 13:10)
54. Esposa, procure ser sempre bondosa para com as virtudes do seu cônjuge e
um pouco cega para as faltas do mesmo. “Que, quanto ao trato passado, vos
despojeis do velho homem, que se corrompe pelos desejos da carne e engano; e
vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça
e santidade.” (Ef. 4:22,24)
55. Palavras agradáveis, porém sinceras, solidificam a relação e produzem um
eco verdadeiramente eterno. “Favos de mel são as palavras agradáveis, doçura
para a alma e saúde para os ossos.” (Prov.16:24)
56. Alguns casais afim de se firmarem na vida, se esquecem de viver e de
crescer espiritualmente. “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação
do Espírito é vida e paz. Pois que aproveita ao homem chamar o mundo inteiro e
perder a sua alma?…” (Romanos 8:6/ Mateus16:26)
57. Um falar sem o alimento espiritual é um lar onde há o pão de cada dia para
se alimentar o corpo, porém a alma nunca é suprida. “Está escrito: Nem só de
pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.” (Mateus
4:4)
58. Para perdoar seu cônjuge é necessário dar amor quando não existe motivo
para dar. Para que ambos sejam felizes é indispensável que se tornem bons
perdoadores. “Antes sede uns para com os outros benignos, compassivos,
perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.”
(Efésios 4:32)
59. O amor faz o giro do mundo valer a pena. Ele é o produto do hábito e deve
motivar o cônjuge levar sempre a sério o outro, ao invés de si mesmo em
demasia. “Completai a minha alegria, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo
amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa. Nada façais por contenda ou
por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si
mesmo.” (Filipenses 2:2,3)
60. O bom senso somado ao amor apagam a linha divisória entre o seu e o
meu. “Desposar-te-ei comigo para sempre; eu te desposarei comigo em justiça,
em juízo, em benignidade e em misericórdia.” (Oséias 2:19)
61. Deus nos criou sexuais não somente para a procriação, mas também para o
prazer sexual do casal. “O que acha uma esposa, acha uma coisa boa, e recebe o
favor do Senhor. Goza a vida com a mulher que amas todos os dias da tua
vaidade…” (Provérbios 18:22; Eclesiastes 9:9a)
62. Tanto o marido como a esposa têm direitos e deveres. Diante de Deus, cada
um é responsável em colocar como prioridade, as necessidades sexuais e
emocionais do outro. “Como vós quereis que os homens façam, da mesma
maneira fazei-lhes vós também.” (Lucas 6:31)
63. Limite não há para o prazer sexual, desde que o casal esteja dentro da
vontade e princípios de Deus. E não há espaço para razões egoístas. “Eis que os
caminhos do homem estão perante os olhos do Senhor, e ele pesa todas as suas
veredas.” (Provérbios 5:21)
64. Quando um casal sela um compromisso com Deus e a Sua palavra, não há
limites para a satisfação sexual que podem experimentar. “…Tornando-se uma
só carne; o amor jamais acaba…” (Gênesis 2:24b/ I Coríntios 13:8a)
65. Criatividade, assim como a tomada de atitude dos cônjuges em relação à
própria sexualidade, também se constitui no alicerce para o êxtase do prazer
sexual. “Desejo muito a sua sombra, e debaixo dela me assento; e o seu fruto é
doce ao meu paladar. Levou-me à casa do banquete, e o seu estandarte sobre
mim era o amor.” (Cantares 2:3,4)
66. O prazer sexual deve basear-se tanto na aceitação da satisfação sexual do
outro, como, principalmente, na aprovação de Deus. “…Sabendo que nenhum
sodomita herdará o reino de Deus; venerado seja entre todos o matrimônio e o
leito sem mácula…” (I Coríntios 6:9/ Hebreus 13:4a)
67. O stress de ordem financeira, na família, por vezes, é fruto da falta de
discernimento em distinguir entre necessidades e desejos. “Não digo isto como
por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho…Vigiai e
orai para que não entreis em tentação…” (Filipenses 4:11/ Marcos 14:38a)
68. O descontrole financeiro tem sido um forte adversário do amor entre
marido e mulher. O casamento requer compromisso, da mesma forma, tudo que
é bom. “Ora, a perseverança deve terminar a sua obra, para que sejais maduros
e completos, não tendo falta de coisa alguma.” (Tiago 1:4)
69. Um casal que se ama deve estar sempre pronto a ser flexível e ajustar-se a
qualquer mudança radical, objetivando o ajuste financeiro. “…Em toda a
maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a Ter
fome; tanto a Ter em abundância, como a padecer necessidades. Posso todas as
coisas naquele que me fortalece.” (Filip. 4:12,13)
70. Um casal deve aprender a fazer investimentos sábios para o Reino de Deus,
com boa vontade e não por obrigação. “Mas ajunteis tesouros no céu, onde a
traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam…
Servo bom e fiel sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei, entra no
gozo do teu Senhor…” (Mateus 6:19,20; 25:14-30)
71. Um casal sábio e temente jamais coloca “Deus na parede”, financeiramente
falando. Contudo, reconhece que Ele é capaz de suprir a falta de dinheiro
quando ocorrer. “O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas
necessidades em glória, por Cristo Jesus.” (Filipenses 4:19)
72. O relacionamento sexual também é uma mistura de comunicação, unidade,
prazer e entrega entre os cônjuges. “O marido conceda à mulher a devida
benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. Completai o meu gozo,
para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo
ânimo, pensando a mesma coisa.” (I Coríntios 7:3/ Filipenses 2:2)
73. No casamento não deve existir espaços para razões egoístas, pois quem ama
não priva o outro do prazer sexual sem que haja concordância mútua. “Não vos
priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo,
para vos dedicardes à oração e novamente vos ajuntardes para que Satanás não
vos tente por causa da incontinência.” (I Coríntios 7:5)
74. Toda esposa deseja se sentir amada e desejada. Toda esposa sábia é capaz de
comunicar seus sentimentos. “Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor
muito excede o de rubis. Abre a boca com sabedoria, e a instrução fiel está na
sua língua.” (Provérbios 31:10, 26)
75. O tom de voz errado tem sido o grande vilão para os atritos da vida
conjugal. “E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição.”
(Colossenses 3:14)
76. Compartilhar as tarefas domésticas também é uma prova de amor. “E esta é
a minha oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento
e toda percepção.” (Filipenses 1:9)
77. O melhor de um casamento de muitos anos é apaixonar-se muitas vezes,
sempre pela mesma pessoa. “Agora permanecem estas três: a fé, a esperança e o
amor, mas o maior destes é o amor. Portanto, cuidai-vos de vós mesmos, e
ninguém seja desleal para com a mulher da tua mocidade.” (I Cor 13:13/
Malaquias 2:15)

Interesses relacionados