Você está na página 1de 3

Novas Oportunidades – Nível Secundário

Área de Competência – SOCIEDADE, TECNOLOGIA E


CIÊNCIA
Ano Lectivo - 2008/2009
Professores: Anabela Lavado, Ana Padilha e Diamantino Guerreiro
Núcleo Gerador: Saberes Fundamentais
Domínio de Referência: Sociedade, Tecnologia e Ciência em contexto privado
Tema: O Elemento

Roteiro de trabalho
“O elemento”

O trabalho deverá ser apresentado num


único documento do Word expresso em
português europeu e deverá ter uma
dimensão entre 1000 e 2000 palavras.

Observação: Deverá desenvolver, pelo menos, um item de cada dimensão (Sociedade, Tecnologia e Ciência),
sendo que, obrigatoriamente, um deles será do Tipo III. No trabalho deverá indicar um título claro do item que
está a desenvolver.

Leia o seguinte texto:

Um violador foi ontem condenado a 8 anos de prisão, tendo sido esta a primeira vez em
que foi utilizada como prova a revolucionária técnica de DNA fingerprinting. Esta
técnica foi descoberta acidentalmente durante um trabalho de investigação levado a
cabo pelo Dr. Alec Jeffreys na Universidade de Leicester, em 1983. Robert Melias foi
preso depois do Tribunal de Bristol Crown ter sabido como os cientistas forenses
utilizam o teste de ADN fingerprinting para investigar a coincidência do seu sangue
com as manchas de sémen presentes na roupa da vítima.

The Independent, 14 de Novembro de 1987 (adaptado)

Tarefa
Após ter lido o texto e ter realizado algumas pesquisas em materiais pedagógicos e na Internet,
realize um trabalho em PowerPoint, Word ou num outro formato à sua escolha de acordo com o
tema do trabalho.

Sociedade
• Actuar de modo eficaz em processos de integração social dos elementos de uma dada
sociedade, compreendendo o conceito de acção social (no sentido weberiano) como
atribuição de sentido às práticas e características individuais.

Tipo I – Identificar a diversidade de características individuais dos elementos que


compõem uma sociedade, a partir de variáveis como o sexo, a idade, a etnia ou a
escolaridade.
Tipo II – Aplicar a contextos de diversidade sociocultural (por exemplo,
constituídos por pessoas de diferentes etnias) princípios de igualdade e tolerância entre
os indivíduos com diferentes características sociais, compreendendo o conceito de acção
social.
Tipo III – Explorar modos de integração no colectivo de indivíduos em situações
de exclusão social ou alvo de discriminação por serem portadores de características
específicas (ex: idosos, indivíduos portadores de deficiência, ex-reclusos,
toxicodependentes, etc.).

Núcleo Gerador: Abertura Moral

DR1 - Tolerância e Diversidade

Competência: Identificar exigências de tolerância e actuar em conformidade

Critérios de evidência:
...1. Sou capaz de identificar valores democráticos?
...2. Sou capaz de compreender a importância da tolerância?
...3. Sou capaz de demonstrar capacidade de aceitação de diferentes formas de estar?

Na ética levinasiana, como pontualizámos, o outro homem, sendo primeiro


relativamente ao eu, constitui-se como eixo da moralidade, de tal forma que toda a
acção só se torna moralmente aceite se tiver por base a atenção e o cuidado ao próximo.
Todavia, quotidianamente, somos confrontados com um conjunto de acções
contrárias à ordem ética, sobretudo no que respeita ao mau trato infringido às crianças e
aos idosos.
Mas, se nestes os abusos estão à margem da moralidade, não o deixam de estar
igualmente todas aquelas acções que colocam cada homem acima dos demais.
Consciente ou inconscientemente, tomamos o «princípio da identidade» como
princípio norteador das nossas existências. Com efeito, identificamo-nos mais
facilmente com todos aqueles que têm a mesma forma de pensar ou de sentir, com
aqueles que fazem parte da nossa cor futebolística, do nosso credo ou grupo religioso,
que com aqueles que estão para além da nossa identidade, com os quais nos
distanciamos, criando todo o tipo de preconceitos.
Ante este desrespeito pela alteridade irrompe o conceito e a realidade da
tolerância, contundentemente expressa na máxima «todos diferentes, todos iguais».
Sendo todos os homens iguais na sua diferença, todos devem ser igualmente
respeitados. E o respeito à diferença do outro exige como correlativo o respeito à minha
própria identidade.

Proposta de Trabalho: Descreva situações no seio da família, com os amigos, no


bairro ou no condomínio, em que demonstrou capacidade de aceitação e tolerância
perante diferentes formas de ser e de estar, e de que forma é que essa aceitação permitiu
a construção de um mundo mais humano, onde os valores da igualdade e da dignidade
permitiram a construção de um mundo isento de preconceitos e exclusões sociais.

Tecnologia
• Actuar ao nível da intervenção da tecnologia na compreensão ou utilização das
estruturas elementares (por exemplo, o papel do protão na imagiologia por NMR,
utilizações correntes de análises de DNA, etc.).

Tipo I – Identificar contextos de utilização de análises de DNA (por exemplo, em


criminologia, análises de paternidade ou em doenças hereditárias).
Tipo II – Compreender a análise de DNA em termos de sequência de constituintes
básicos, como processo de identificação única de seres humanos, realizada a partir de
diferentes suportes (cabelo, sangue, saliva, etc.).
Tipo III – Explorar as potencialidades do conhecimento da sequenciação genética
na determinação de paternidades, doenças hereditárias, etc.

Ciência
• Actuar no sentido de compreender a base científica de diferentes estruturas
elementares (por exemplo, o núcleo atómico, o átomo, a molécula, o DNA, a célula, a
unidade como principio formador dos números, os processos geradores de sequências,
etc.).

Tipo I – Identificar o DNA como a chave do património genético dos seres vivos
em geral, relacionando a variedade biológica com aspectos da teoria combinatória.
Tipo II – Relacionar os constituintes e a estrutura da molécula de DNA com a
transferência da informação genética e manutenção das características hereditárias (por
exemplo, papel das 4 bases azotadas como “letras” do código a ser transcrito e
traduzido); compreender que com quatro bases se obtém um sistema de codificação e
representação muito rico.
Tipo III – Explorar o papel das mutações genéticas na geração de diferenças e na
evolução e adaptação do homem e utilizar a Teoria das Probabilidades para estabelecer
a probabilidade de um descendente possuir uma determinada característica.