Você está na página 1de 13

1

Luísa António Mateus

Síntese das actividades realizadas na cadeira de Práticas Pedagógicas de Biologia ii

Curso de Licenciatura em ensino de Biologia com Habilidades em ensino de Química

Universidade Rovuma

Extensão de Cabo Delgado


2021
2

Luísa António Mateus

Síntese das actividades realizadas na cadeira de Práticas Pedagógicas de Biologia ii

Trabalho de carácter avaliativo a ser


apresentado na da cadeira de Práticas
Pedagógicas de Biologia ii, leccionado no
Curso de Licenciatura em ensino de
Biologia, 4º ano, leccionada pela:
MA. Afito Juma Pirilau

Universidade Rovuma
Extensão de Cabo Delgado
2021
iii 3

Índice…………………………………………………………………………………………..iii

Introdução...................................................................................................................................4
1. Importância das Práticas Pedagógicas......................................................................................5
2. Estratégias de Ensino Aprendizagem na disciplina de Biologia..............................................5
2.1. Estratégias de Aprendizagem, Funções dos princípios didácticos........................................5
1. Aprendizagem Cooperativa......................................................................................................6
2. As funções didácticas...............................................................................................................6
2.2. Actividade experimental e da observação no ensino de biologia;.........................................7
1. Observação...............................................................................................................................7
2. Resultado esperado...................................................................................................................7
2.3. Teorias didácticas de ciências naturais..................................................................................7
2.4 Estratégias de Ensino Aprendizagem da Biologia..................................................................8
3. Descrição do sucesso..............................................................................................................10
3.1.. Descrição de limitações......................................................................................................10
Conclusão...................................................................................................................................12
Bibliografia.................................................................................................................................13
4

Introdução
O Ministério de Educação e Desenvolvimento Humano tem estado nos últimos tempos a
apostar na formação de profissionais capazes de responder os diversos problemas que os assolam,
Motivados por factores políticos, económicos e socioculturais.
A presente síntese resulta das actividades realizadas na cadeira de Práticas Pedagógicas de
Biologia ii referente ao ano académico 2021. O qual culminaram com realização das seguintes
actividades:
Estratégias de Ensino Aprendizagem na disciplina de Biologia; Estratégias de
Aprendizagem, Funções dos princípios didácticos; Actividade experimental e da observação no
ensino de biologia; Teorias didácticas de ciências naturais e Estratégias de Ensino Aprendizagem
da Biologia.
Neste contexto, estas práticas ajudam a proporcionar a aquisição, a intervenção e a
integração do estudante em contextos reais de trabalho docente.
O trabalho aqui apresentado tem como objectivos:

Gerais
 Descrever de forma sumaria as actividades realizadas na cadeira de Práticas Pedagógicas
de Biologia ii.
Para concretização dos objectivos gerais acima apresentados, pretende-se com este trabalho:
 Explicar como decorreram as actividades de Práticas Pedagógicas de Biologia ii;
 Identificar as actividades realizadas durante o semestre;
 Falar dos sucessos e das limitações detectada durante o semestre.
Estas Práticas tiveram dois momentos, de actividade teórica e de actividade práticas: O
primeiro consistia na participação de aulas virtuais, debatendo os fóruns recomendados pelo
docente de disciplina de Práticas Pedagógicas de Biologia ii e, por último, a realização do
trabalho de actividade práticas, o qual consistiu na realização de experiencia que visava
concretizar os factos estudados pela actividade teórica.
Porem, espera-se que os conteúdos contidos na presente síntese venham a corresponder os
objectivos para qual foi elaborado e, tendo-se em conta de trabalho cientifico a colaboração dos
demais poderá ser uma aposta para melhor compreensão.
A síntese do trabalho está estruturada de acordo com as normas recomendadas de um
trabalho científico da unirovuma.
5

1. Importância das Práticas Pedagógicas


As Práticas Pedagógicas de Biologia ii são actividades de extrema importância ministradas em
teorias e prática e asseguram as vivencias pedagógicas e preparação didáctica concreta
contribuindo para o aprefessoamento da vida profissional docente.
As Práticas Pedagógicas de Biologia ii, visam preparar os estudantes para observarem e
analisarem criticamente situações escolares nos aspectos organizacionais pedagógicas e
permitindo uma vivência real ou virtual pelo contacto com professores, aluno, de modo a
proporcionar-lhes ao meio, Ampliam acções do PEA, investigação, desenvolvimento de
competências do saber ensinar, aprender, saber ser e saber conviver profissionalmente também
como aumentar capacidades de estudo e contribuições para uma melhoria da qualidade de ensino.

2. Estratégias de Ensino Aprendizagem na disciplina de Biologia


Estratégias de Ensino Aprendizagem, são técnicas usadas pelo professor com objectivo de ajudar
o aluno a construir seu conhecimento, técnicas essas essenciais para tirar o melhor partido do
aluno, ajudando-o adquirir e afixar conteúdo que foi ministrado.
Nesta ordem de ideia, as Estratégias de Ensino Aprendizagem na disciplina de Biologia,
contemplam as seguintes actividades:
 O entendimento dos princípios biológicos pode ajudar a lidar deforma mais relacionada,
abrangente das relações harmónicas e desarmónicas quando em conjunto com o meio
biótico e abiótico;
 A visão de ciência transmitida aos níveis de ensino, necessita explorar os conteúdos de
forma mais didácticas possíveis, aproximando os conteúdos e a realidade dos alunos;

2.1. Estratégias de Aprendizagem, Funções dos princípios didácticos


Segundo Anastasiou e Alves (2012, p. 77), refere que,
... as estratégias visam à consecução de objectivos, portanto, há que ter clareza sobre
aonde se pretende chegar naquele momento com o processo de ensinagem1. Por isso, os
objectivos que norteiam devem estar claros para os sujeitos envolvidos – professores e
alunos [...]

Neste ponto, tem que se ter em mente de que ensinar não é conhecimento, mas criar
possibilidades para a produção ou construção de conhecimentos que segundo Freire (1964),
descreve, assumindo dois princípios fundamentais para a aprendizagem nomeadamente,
6

experiencia e a interacção. Estes dois princípios fundamentais sugerem a criação de espaços


possíveis e de situações em que o professor e aluno cooperem e partilhem experiencias.

1. Aprendizagem Cooperativa
Para CARVALHO (2001:33) apud. DIAS (2008:35), a “aprendizagem Cooperativa é uma
proposta metodológica de organização de trabalho em que os estudantes estudam e aprendem em
grupos”.
Subsidiando na ordem de ideias do autor acima citado, e conforme o aprendizado, este método é
desenvolvimento através de seminários (fórum ou chats realizados na plataforma) como forma de
partilha de conhecimentos onde cada grupo conferencista tem tarefas e funções específicas a
executar.

2. As funções didácticas
As funções didácticas são elementos ou partes que constituem a actividade principal do
processo de ensino-aprendizagem, o qual se manifesta na coordenação, subordinação,
combinação e relação destas, de modo a garantir que o PEA se realize de forma eficaz, isto é, que
as várias partes do PEA possam constituir uma unidade de conhecimentos.
Das funções didácticas pode-se citar alguns deles:

Introdução/motivação - Esta função didáctica visa a preparação e introdução da matéria,


correspondendo especificamente ao momento inicial de preparação para o estudo da matéria nova
e compreende actividades interligadas.

Mediação/assimilação - A “Mediação e Assimilação” constituem a etapa ou passo da Aula,


onde se realiza a percepção de fenómenos ligados ao tema, a formação de conceitos, o
desenvolvimento de capacidades cognitivas de observação, imaginação e raciocínio dos alunos.

Domínio/consolidação - Esta etapa consiste na organização, aprimoramento e fixação dos


conhecimentos por parte dos alunos, a fim de que estejam disponíveis para orientá-los nas
situações concretas de estudo e de vida.

Controle/avaliação - Esta etapa permite o acompanhamento de todo o processo de ensino-


aprendizagem e forma ao mesmo tempo a conclusão das unidades do ensino. O professor pode
7

dirigir efectivamente o processo de ensino-aprendizagem e conhecer permanentemente o grau das


dificuldades dos alunos na compreensão da matéria.

2.2. Actividade experimental e da observação no ensino de biologia;

Foi feita uma actividade experimental, com o objectivo de a identificar a composição química do
osso concertadamente a de cabrito. Cabendo cada um dos processos, buscar pontuar as principais
característica e peculiaridades, bem como abordar qual a importância destes assuntos para o
conhecimento integro.

1. Observação
“A observação é a técnica por excelência, para estudar fenómenos através das
manifestações comportamentais”. (AZEVEDO, 1994: 29).
Com esta técnica, procura-se, viver num todo ou em parte, o ambiente de trabalho ou realidade
de actividades realizadas ao longo dos chats ou fórum, pois esta metodologia permite que o
estudante se misture, mais ou menos na vida do grupo que se insira nas suas actividades.
Depois deter se feito actividade de experimento, observou-se que ao levar a o osso ao
aquecimento numa vela acesa. O osso mudava lentamente de forma, depois começou a enegrecer,
acabando por tornar-se branco, mais leve e quebradiço, e respectiva coloração. Ao longo do osso,
também verificou-se que expendia gordura e agua nas extremidades do osso.
Todos os processos de observação directa examinados, seja de forma intensiva ou
extensiva, assentam em contactos individuais entre o observador, que neste caso constitui o
estudante praticante.

2. Resultado esperado
Neste ponto, verificou-se que o osso muda de forma, depois e enegrece, acabando por tornar-se
branco, mais leve e quebradiço, e respectiva coloração. Ao longo do osso, também verificou-se
que expendia gordura e agua e sais nas extremidades do osso. As cinzas que os contêm são
formadas apenas por água e sais minerais, porém, as proteínas osseína e colagenio são elementos
combustíveis e arderam ao longo da experiência.

2.3. Teorias didácticas de ciências naturais


Teoria e Metodologia do Ensino de Ciências estão divididas em dois eixos temáticos principais.
8

As indicações metodológicas na disciplina de ciências naturais devem ser encaminhadas como


nos outros componentes curriculares. As orientações metodológicas para qualquer área de
conhecimento estão vinculadas à relação entre o que o aluno domina e os novos conceitos a
serem dominados.

Desse modo, valorizar, fazer menção e aproveitar o que o aluno já domina é um dos caminhos
metodológicos indicados para uma aprendizagem significativa, porém não podemos esquecer
que:
uma educação de qualidade deve permitir ao estudante ir além dos referentes de seu
mundo quotidiano, assumindo-o e ampliando-o, de modo a tornar-se um sujeito activo na
mudança de seu contexto. Para que isso ocorra, são indispensáveis conhecimentos e
experiências escolares que garantam ao aluno uma visão acurada da realidade em que está
inserido (favorecendo-lhe uma acção consciente no mundo imediato) e que contribuam
para a expansão de seu universo cultural. (MOREIRA, 2008, p.2)

Entretanto, o professor deverá estar ciente que a metodologia é o caminho que será utilizado para
ensinar.

2.4 Estratégias de Ensino Aprendizagem da Biologia.


Nenhuma estratégia por si só garante o aprendizado se não forem observados alguns pontos
fundamentais, que segundo, Selbach Simone. 2010, p.37,38, 39 Ciências e didáctica. Colecção
como bem ensinar descreve:
Estratégia Papel do professor Acção dos alunos
Debate com a classe Propor que falem sobre as Devem expor suas opiniões,
questões ambientais e actuar mostrando o que conhecem
como mediador, envolvendo sobre o tema.
a colecta de impressões
de todos os alunos.
Discussão em pequenos Dividir a classe em grupos de Consulta e elaboração de
grupos quatro alunos a seis alunos, argumentos e opiniões
oferecer fonte de pesquisa e referentes aos temas que são
solicitar a busca de apresentados a toda classe
conclusões.
3-Tempestade cerebral Atuar como mediador e Apresentar sugestões,
(brainstorming) atividade em facilitador, não censurar propostas e idéias,conscientes
que os alunos são convidados respostas, mesmo se não de que se transformarão em
a apresentar livremente pertinentes, e, após a um documento que, após
9

soluções possíveis para um apresentação de diferentes aprovados em classe,


dado problema. idéias, buscar junto aos alunos transfomar-se-á em atitudes
a eleição das mais cotidianas dos alunos.
significativas
4-Trabalho em grupo para Dividir os alunos em grupos, A atividade permite que os
transformar soluções em ações propor tarefas alunos se integrem em grupos
preservacionistas imediatas e (número indefinido) e se
acolher voluntários para esta organizem com a missão de
ou aquela ação. executarem determinadas ta-
refas.
5-Questionário reflexivo e A equipe docente da escola Os alunos comentam as
interdisciplinar organiza, e um dos professores informações, debatem as
da equipe apresenta um idéias, sugerem ações
questionário com informações concretas de sua atuação tanto
e opiniões sobre questões no combate ao problema como
ambientais. em seu trabalho para envolver
a comunidade em planos de
ação.
6-Criação de jornais, jornais Desafiados pelos professores, Os alunos se organizam para
falados, músicas, jograis e os alunos criam veículos divulgar as idéias (com bases
outras formas de comunicação informativos sobre os sólidas e concretas) nos
problemas, propostas de veículos preparados,
solução, e os professores percorrendo outras classes e
buscam “abrir portas” de insti- outros ambientes com essa
tuições (câmara dos ve- finalidade.
readores, empresas, templos
etc.) para exposição dos
motivos.
Projetos de educação Em data previamente Aos alunos cabe não apenas se
ambiental estabelecida pelos pla- envolver plenamente nos
nejamentos de cursos, os projetos, como também atuar
professores organizam de uma maneira protagonista,
10

projetos de educação sugerindo idéias e


ambiental, reservando o desenvolvendo ações.
espaço de alguns dias ou uma
semana em que toda escola se
envolva nessa missão
8- Pesquisa e exploração Além de reforçar a Os alunos partem para a ação
Do ambiente do entorno aprendizagem em técnicas de pesquisando em diferentes
Escolar. Excursões, visitas, pesquisa, os alunos devem veículos e visitas ao local os
caminhadas próximas para buscar a compreensão da problemas existentes,
pesquisa e levantamento de gênese e evolução dos proble- propondo um “fórum” para
relatórios. mas, sugerindo medidas para discussão e apreciação dos
sua minimização ou resultados.
erradicação.

3. Descrição do sucesso
 É uma experiencia nobre e aplaudível, o uso das plataformas module, considerando que
o estado actual em que nos encontramos;
 Houve acessibilidade na realização das actividades, uma vez que eram realizadas sem
que a mobilidade do estudante a sala de aulas;

3.1.. Descrição de limitações


 Introdução tardia de disciplina nas plataformas, contribuiu de igual forma para que as
aulas fossem pragmáticas;
 A falta de acompanhamento ao monitoramento aos estudantes no uso da plataforma,
durante o decurso das actividades de chats ou forun, deficultou de igual modo para que o
trabalho fosse execuivel;
 A falta de +plano analítico da disciplina de práticas pedagógicas de biologia ii, fez com
que o trabalho, ocorresse com dificuldades;
 A morosidade de sistemas de internet, criou constrangimento aos estudantes no momento
em que precisou reaver os fóruns e chats;
Como se pode depreender este processo contribui para uma melhor prática profissional docente
ao constatar - se muitos aspectos positivos verso negativos.
11

Conclusão
O trabalho já realizado da cadeira de práticas pedagógicas, que tem como abordagem
principal o resumo daquilo que foram as actividades de práticas pedagógicas para o curso de
licenciatura em Ensino de Biologia com habilitações em ensino de quimica, realizadas.
12

Contudo, as Práticas Pedagógicas de Biologia ii, visam preparar os estudantes para


observarem e analisarem criticamente situações escolares nos aspectos organizacionais
pedagógicas e permitindo uma vivência real ou virtual pelo contacto com professores, aluno, de
modo a proporcionar-lhes ao meio, Ampliam acções do PEA, investigação, desenvolvimento de
competências do saber ensinar, aprender, saber ser e saber conviver profissionalmente também
como aumentar capacidades de estudo e contribuições para uma melhoria da qualidade de ensino.

Bibliografia

DIAS, Hildizina et al. Manual de Praticas Pedagógicas. Educar, Maputo, 2008.

MINED, Diploma Ministerial. Maputo, 2012


13

NIVAGARA, Daniel. A Formação de Tutores Sua importância em competências requeridas no

âmbito das Praticas Pedagógicas. UP Maputo, 2005.

PERRENOUD, Philippe. Praticas Pedagógicas Profissão Docente e Formação Perspectivas

Sociológicas. Lisboa, 1993.

RIBEIRO, António. Formar professores Elementos para uma teoria e Pratica. Lisboa, 1993.

SANTOS, Nobre Roque dos. Manual das Praticas Pedagógicas. Maputo, 2008.

Universidade Pedagógica (UP). Comissão central de revisão curricular. Programa de Praticas

Pedagógicas. Maputo, 2008.

Você também pode gostar