Você está na página 1de 19

Funcionamento de uma

economia de mercado
ECONOMIA E MERCADOS

MARIANA RIBEIRO DE MATOS


 Pensando como um economista: Como não possível trabalhar num
laboratório, como é o caso de outras ciências como física e
química, os economistas formulam teorias.
 Método científico, a interação entre teoria e observação por meio
conhecimento de episódios históricos, os quais são importantes
para o estudo porque permitem verificar como a economia
funcionou no passado e, o que é mais importante, ilustrar e avaliar
as teorias econômicas do presente.
Funcionamento da economia

 Economistas adotam hipóteses simplificadas do mundo real para


simplificar o mundo complexo e assim facilitar o entendimento de
questões. É o caso do estudo do comercio internacional com a
interação entre dois países, supondo a produção de dois únicos
bens.
 Diferentes hipóteses para responder a diferentes questões. Ex.
reação dos preços de um item no curto de no longo prazo.
Fluxo circular da renda
 Representação esquemática da organização da economia
 A decisões são tomadas por famílias e empresas que interagem nos
mercados de bens e serviços (Onde as famílias são compradoras e
as empresas, vendedoras) e nos mercados de fatores de produção
(onde as empresas são compradoras e as famílias, vendedoras).
 O conjunto externo de setas representa o fluxo monetário (dinheiro)
e o conjunto interno de setas representa o fluxo de insumos e
produtos.
 empresas produzem bens e serviços usando insumos como capital,
terra, trabalho, prédios e máquinas (fatores de produção).
 As famílias são as proprietárias dos fatores de produção e
consomem todos os bens e serviços que as empresas produzem.
Fluxo circular da renda: modelo simplificado
(sem governo, sem mercado financeiro e sem comércio
internacional)
FLUXO CIRCULAR DA RENDA

Descreve a interação entre:


 Demanda e oferta;
 Famílias e empresas;
 Fluxo monetário e fluxo de bens e serviços.

 Economia.
A fronteira de possibilidade de
produção
 Gráfico que mostra as combinações de dois bens que podem ser
produzidas com quantidades fixas de insumos.
 Gráfico que mostra as combinações de produtos que a economia
tem a possibilidade de produzir dados os fatores de produção e
tecnologia disponíveis.
 Resultado eficiente: quando a economia consegue obter o
máximo a partir dos escassos recursos disponíveis.
 Microeconomia e macroeconomia. Estudo da economia em
diversos níveis. Decisões das famílias e empresas tomadas
individualmente. Decisões tomadas em mercados de bens e
serviços específicos. Ou a operação da economia como um todo,
que é a soma das atividades de todos os tomadores de decisões
em todos os mercados.
 Microeconomia: estudo de como as famílias e empresas tomam
decisões e de como elas interagem em mercados específicos. O
estudo impacto da competição estrangeira sobre um determinado
mercado, como o de veículos ou as comodities.
 A macroeconomia é o estudo de fenômenos que englobam toda
a economia. Ex. o estudo das políticas para promover a melhora
nos padrões de vida da população e das taxas de desemprego ao
longo do tempo.
 O campo da economia se divide em dois sub-campos: a
microeconomia e a macroeconomia. Os microeconomistas estudam a
tomada de decisões pelas famílias e pelas empresas no mercado e a
interação entre famílias e empresas no mercado. Os
macroeconomistas estudam as forças e tendências que afetam toda
a economia.

 A microeconomia e a macroeconomia estão intimamente ligadas. É


impossível entender as mudanças macroeconômicas sem o
conhecimento da microeconomia, uma vez que é economia é
resultado da soma de decisões de milhões de pessoas, decisões
microeconômicas a elas associadas.
 O economista como conselheiro de políticas. Quando tentam explicar o mundo, os
economistas são cientistas. Quando tentam ajudar a melhorar a situação, os
economistas são conselheiros políticos.

 Os economistas que assessoram os formuladores de políticas oferecem conselhos


conflitantes por causa de diferenças de valores. Em outras situações, os economistas
estão unidos em torno dos conselhos que oferecem, mas os formuladores de políticas
podem optar por ignorar tais conselhos.

 A influência de economistas sobre a política vai além de seu papel como assessores:
as pesquisas e os textos produzidos por eles também afetam indiretamente a política.
Análise positiva e normativa
 Análise Positiva: Declarações positivas são descritivas; são
afirmações a respeito de como o mundo é. Ex. O salário mínimo
causa desemprego. Tal afirmação pode ser analisada utilizando
dados sobre as variações nos salários e no desemprego ao longo
dos anos.

 Análise Normativa: Declarações normativas são prescritivas; tratam


de como o mundo deveria ser. Ex. O governo deveria aumentar o
salário mínimo. A avaliação dessa afirmação não pode ser feita
apenas com o uso de dados, pois decidir se uma política é boa ou
ruim depende do ponto de vista de cada um e envolve nossa visão
sobre ética, religião, política e filosofia.
 As crenças estão inseridas dentro das análises normativa e positiva. O que pode
acontecer é que uma visão positiva do mundo afeta a visão normativa inclusive
definindo quais são as prioridades.

 Grande parte da economia é positiva e explica o mundo como ele é. Assim se


você ver um economista falando em melhorar a situação, fazendo declarações
normativas, você saberá que ele está falando como consultor político, não como
cientista. Mesmo que ele esteja embasado por seu conhecimento positivo.

 Se você fizer uma pergunta a um economista, ele sempre vai mostrar dois lados
ou dizer que depende de algumas variáveis. Esta é a ideia do tradeoff, o primeiro
princípio da economia.
 Uma declaração positiva é uma declaração sobre como o mundo
é. Uma declaração normativa é uma declaração sobre como o
mundo deveria ser. Quando os economistas fazem declarações
normativas, estão agindo mais como conselheiros políticos do que
como cientistas.
 Por que os conselhos dos economistas nem sempre são seguidos
 Foco da política econômica : Qual a melhor política a ser seguida
pelo governo?
 Por que os economistas divergem?
 Se todos os economistas fossem colocados lado a lado, não
chegariam a nenhuma conclusão.
 Por que os economistas aparecem de modo tão frequente dando
conselhos conflitantes?
Divergências quanto ao quanto ao
julgamento científico
 Os economistas podem discordar quanto à validade de teorias
positivas alternativas sobre o funcionamento do mundo.
 A ciência é a busca pela compreensão de tudo que nos cerca.
 Divergência sobre a validade de teorias alternativas ou sobre o
tamanho de parâmetros, que avaliam como as variáveis
econômicas estão relacionadas:
 Divergem quanto à pertinência do governo em cobrar impostos
sobre a renda das famílias ou sobre o seu consumo (despesas).
Divergências quanto à valores

 Os economistas podem ter valores diferentes e, portanto, visões


normativas diferentes sobre que políticas devem ser realizadas.
 As políticas não podem ser julgadas somente com base na ciência.
Algumas vezes economistas podem dar conselhos conflitantes
porque tem valores diferentes.
 Referências:

 MANKIW, N. G. Introdução à economia. São Paulo:


Pioneira/Thomson, 2005. Capítulo 2.
Trabalho
Valor 2 pontos
 Por que a produtividade é importante?
 Como a inflação e o desemprego estão relacionados no curto
prazo?
 O que são fatores produtivos?
 Qual a relação entre fronteira de possibilidades de produção e
escassez de fatores produtivos?
 Use uma fronteira de possibilidades de produção para descrever a
ideia de “eficiência”.
 Quais são os dois subcampos que a economia se divide? Explique
cada um deles.

Você também pode gostar