Você está na página 1de 8

Direito Penal

Parte 5

Fortaleza
2021
Fontes do Direito Penal

1. Fontes Materiais (substanciais ou produção)


• Origem  norma penal (qual órgão?).
• Órgãos estabelecidos pela CF para elaborar normas de Direito Penal.
• A) União  Normas Gerais (CF/88: art. 22, I).
• B) Estados-membros  Normas Específicas (CF/88: art. 22, p.ú).
2. Fontes Formais (Cognitivas ou de Conhecimento)
• Forma de Manifestação  norma penal.
• Qual a fonte de conhecimento?
• Divide-se em:
• A) Imediatas  Lei (Prévia, escrita e estrita): Única.
• Reserva Legal ou Estrita Legalidade (arts. 5º, XXXIX, CF, e 1º,
do CP.
• B) Mediatas ou secundárias  CF, Jurisprudência, Doutrina, Tratados
e Convenções Internacionais sobre DH, Costumes, Princípios Gerais
do Direito e Atos Administrativos.
Fontes do Direito Penal

2. Fontes Formais Mediatas (Secundárias)


I. Constituição Federal
• Mediata porque não cria crimes nem comina penas, mas lança
mandados de criminalização, reservando-se essa matéria à lei em
sentido formal e material (Princípio da Reserva Legal ou da Estrita
Legalidade).
• Traz várias disposições fundamentais de aplicação no direito Penal.
o Retroatividade Benéfica;
o Irretroatividade da Lei Penal;
o Personalidade ou intransmissibilidade da pena;
o Individualização da pena; etc.

• Constituição Penal ou Teoria Constitucionalista do Direito Penal.


Fontes do Direito Penal
II. Jurisprudência
• Conceito: Entendimento dos tribunais sobre temas jurídicos,
serve de base para a aplicação do Direito.
- É o Direito Dinâmico.
- Nem toda jurisprudência tem natureza cogente.
• Só Jurisprudência c/ força cogente  Fonte Formal Mediata
• Hipótese do Art. 927, CPC – Obrigação Juízes e Tribunais:
o Decisões  Controle Concentrado de Constitucionalidade  STF
o Enunciados  Súmulas  STF
o Acórdãos:
 Incidente Assunção Competência
 Resolução Demandas Repetitivas
 Recurso Extraordinário (STF) / Especial (STJ)
o Enunciados Súmulas:
 Matéria Constitucional: STF
 Matéria Infraconstitucional: STJ
o Orientações  Plenário/Órgão Especial (aos quais estão vinculados)
Fontes do Direito Penal

III. Doutrina
• Autores da ciência jurídica como um todo.
• Cuidado: nem toda Doutrina pode ser considerada fonte
mediata (ex.: Obra favorável à pena de morte na vigência
da atual CF – contrassenso).
IV. Tratados/Convenções Internacionais  D.H.
• Só quando  O. Jurídico:
A) Status Constitucional (2C + 3/5 + 2T) – CF: art. 5º, §3º
B) Status Supralegal (Acima da lei e abaixo da CF)
Fontes do Direito Penal
V. Costumes
• Conceito: reiteração de uma conduta, de modo constante e
uniforme, por força da convicção da obrigatoriedade.
o Vertente Objetiva: Fato (reiteração da conduta)
o Vertente Subjetiva: Agente (convicção da obrigatoriedade)
o Costume x Hábito ( s/ convicção de obrigatoriedade).
• Não pode ser usado para criar delitos ou aumentar penas.
• Tipos de costume:
a) Secundum Legem (interpretetaivo)
- Esclarece conteúdo de elementos ou circunstâncias.
- Exemplo: Art. 233, do CP  Conceito de ato obsceno.

b) Contra Legem (negativo / Desuetudo)


- Apesar de contrário à lei, não tem autoridade p/ revogá-la.
- Exemplo: Art. 58 do Decreto-Lei 3.688/41  Jogo do Bicho.

c) Praeter Legem / Integrativo:


- Supre lacuna legislativa  Só p/ normas não incriminadoras
-Abre espaço para Causas Supralegais  Exclusão ilicitude e culpabilidade.
Fontes do Direito Penal

VI. Princípios Gerais do Direito


• Valores fundamentais que inspiram a elaboração e
preservação do O. Jurídico.
• Não podem tipificar crimes e nem cominar penas.
• Só  Normas Penais não incriminadoras (Reserva Legal).

VII. Atos Administrativos


• Servem de complemento a algumas normas penais em branco.
• Só  Normas penais não incriminadoras (Reserva Legal)
• Obs.: Normas penais em branco  Heterogêneas.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Masson, Cleber. Direito Penal: parte geral (arts. 1º a 120)


– v. 1. 14. ed. São Paulo: Método, 2020.

Você também pode gostar