Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO EGRÉGIO SUPREMO

TRIBUNAL FEDERAL

A ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS GEÓLOGOS, pessoa jurídica de direito privado,


constituída e em funcionamento há mais de um ano, sob inscrição do CNPJ nº ..., com
sede na Rua ..., nº ..., Bairro ..., em Rio Branco – AC, CEP nº …., vem por intermédio de
sua advogada, conforme procuração anexa, qualificações e endereços que indica para os
fins do art. 77, inciso V, e art. 105, § 2º do Código de Processo Civil, perante a Vossa
Excelência, com fulcro no art. 102, inciso I, alínea a da Constituição Federal e na Lei nº
9.868/99, ajuizar:

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE

Em face de Emenda à Constitucional Estadual nº 01/2020 elaborado pelos Deputados


Estaduais da Assembleia Legislativa e sancionado pelo Governador do Estado do Acre,
nos termos que seguem:

1)– OBJETO DA AÇÃO:

O objeto da presente Ação Direta de Inconstitucionalidade visa impugnar a Emenda


Constitucional Estadual nº 01/2020, elaborada pela Assembleia Legislativa do Estado do
Acre, tendo em vista que a presente norma violou dispositivos da Constituição Federal.

2) – DOS FUNDAMENTOS JURÍDICOS:


2.1 - Competência:
Compete ao Supremo Tribunal Federal a guarda da Constituição, cabendo a Egrégio
Tribunal processar e julgar Ação Direta de Inconstitucionalidade de lei ou ato normativo
estadual que violar a Carta Magna, conforme estabelecido no art. 102, inciso I, alínea “a”,
da Constituição Federal e art. 1º da Lei 9.868/99.

2.2 – Legitimidade:
Possui legitimidade ativa a Associação Nacional dos Geólogos para a propositura da Ação
Direta de Inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal, conforme consta no
art. 103, inciso VIII, da Constituição Federal e art. 2º da Lei nº 9.868/99, sendo assim, a
referida associação possui pertinência temática pelo o seu âmbito de atuação na luta pela
determinada categoria.
A Assembleia Legislativa e o Governador do Estado do Acre possuem a legitimidade
passiva da referida Ação Direta de Inconstitucionalidade, pela elaboração e
sancionamento da emenda constitucional nº 01/2020 eivada de inconstitucionalidade.

2.3 Cabimento
Cabe Ação Direta de Inconstitucionalidade em face de lei ou ato normativo estadual pela
violação dos dispositivos constitucionais elencados art. 102, inciso I, alínea “a”, da
Constituição Federal e art. 10º da Lei 9.868/99.

2.4 Do direito
Observa-se na Presente Ação Direta de Inconstitucionalidade, que um grupo de
deputados elaborou uma emenda a Constituição do Estado do Acre, contrária aos
dispositivos constitucionais:
a) Aspectos Materiais: A emenda violou o conteúdo da constituição, pois é da
competência privativa da União de legislar sobre jazidas, minas outros recursos naturais,
mineração e transporte, conforme estabelecido no art. 22, incisos XI e XX.
b) Aspectos Formais: A emenda nº 01/2020 deixou de observar o processo legislativo de
emenda a constituição, pois a referida norma não precisa de sanção do Governador do
Estado, referindo o princípio da simetria.

2.5 Medida Cautelar


Com o intuito de afastar provisoriamente a Emenda à Constituição nº 01/2020, para
prevenir, conservar e defender o direito dos geólogos, bem como, a possibilidade de
demora do julgamento da referida ação que pode acarretar o desemprego dos associados
em razão da vigência da emenda, requer a suspensão, conforme disposto no art. 10 e 12
da Lei 9.868/99.
Isto posto, requer a concessão de medida cautelar para suspender a lei impugnada até o
dia do julgamento definitivo da ação.

3) PEDIDO

Diante do exposto, dos fatos, legitimidade, pertinência temática e por se tratar de matéria
constitucional, requer:
a) O recebimento desta ação em com duas vias e uma cópia da emenda constitucional
nos termos do art. 3, paragrafo único da Lei 9.868/99.

b) A concessão da Medida Cautelar para suspender os efeitos da Emenda Constitucional


nº 01/2020, conforme art. 10 e 12 da Lei 9868/99.

c) Requer que seja ouvido o Procurador Geral da República na forma do art. 103,
parágrafo primeiro, da Constituição Federal de 88, bem como, do art. 8º da Lei 9.868/99.

d) Requer a manifestação do Advogado Geral da União consoante art. 10, parágrafo


primeiro da lei 9.868/99.

e) Requer que sejam solicitadas informações dos responsáveis pela edição da Emenda a
Constituição nº 01/2020 pela edição de norma eivada de inconstitucionalidade, conforme
estabelecido no art. 6 da lei nº 9.868/99.

f) Requer a declaração de inconstitucionalidade da Emenda a Constituição nº 01/2020


conforme estabelecido nos artigos 23 e 28 da lei de nº 9.868/99.

Dá-se o valor da causa R$ …., para fins procedimentais.

Nestes termos, pede o deferimento.

Rio Branco – Acre de 26 de novembro de 2020.

Advogada Milene Moura, OAB nº….

Você também pode gostar