Você está na página 1de 11

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE

PERNAMBUCO – IFPE Campus RECIFE


DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CULTURA GERAL,
FORMAÇÃO DE PROFESSORES E GESTÃO (DAFG)
CURSO TÉCNICO INTEGRADO DE EDIFICAÇÕES

Autoria
(Nome do aluno[as] em ordem alfabética quando for mais de 1 autor)

Relatório de Visita Técnica


ao Espaço Ciência – Recife (PE)

Cidade
Ano
Autoria

Relatório de Visita Técnica


ao Espaço Ciência – Recife (PE)

Relatório apresentado à disciplina de Português 2


como requisito parcial para avaliação da II
Unidade, no Curso ........ do Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco,
Campus Recife, sob a orientação da professora
Dr.ª Ana Regina Vieira.

Cidade
Ano
SUMÁRIO (centralizado, Arial 12, maiúsculas, negrito)

(Estes títulos de capítulos são apenas exemplos. Dê os títulos adequados ao


desenvolvimento que deseja dar ao trabalho)

1. INTRODUÇÃO ........................................................ 04

2. RESGATE HISTÓRICO/CONTEXTUALIZAÇÃO/CONCEITOS
ENVOLVIDOS

3. RELATO DA VISITA ou ATIVIDADES DESENVOLVIDAS


3.1

4. CONCLUSÕES .............................................................

REFERÊNCIAS .................................................................

ANEXOS

1. INTRODUÇÃO
A introdução é importante para orientar o leitor do Relatório. Deve
conter informações gerais e breves sobre o que vai ser relatado e como
vai ser relatado. Por exemplo, se for um relatório de visita técnica ou aula
de campo, deve especificar quando aconteceu, duração, qual(is) o(s)
local(is) visitado(s), roteiro, paradas, em que disciplina e quem ministrou
ou orientou ou conduziu ou monitorou a aula.
A introdução do relatório deve partir do assunto mais amplo para o
mais restrito. No caso de uma aula de campo à Buíque, por exemplo, uma
possibilidade é você iniciar falando sobre Buíque e, depois, contextualizar
a aula de campo.
Construa também pelo menos um parágrafo sobre o que motivou a
aula de campo, ou seja, o autor deve apresentar justificativas que
demonstrem a importância e a relevância da aula realizada para o
conhecimento técnico-científico na sua área de atuação. Deve definir,
ainda, o objetivo geral da aula (ou objetivos), ou seja, a finalidade central
da aula de campo.
Finalmente, deve dar uma breve explicação de como você organizou
o relatório. Por exemplo:
“No Capítulo 2, serão apresentadas algumas informações sobre os
locais visitados, coletadas em pesquisa sobre o tema em sites e revistas
especializadas (...).
No Capítulo 3, será feito o relato da aula de campo e das atividades
desenvolvidas de acordo com o que foi observado no trajeto Recife-
Buíque e na sequência das paradas em pontos de interesse.
Finalmente, serão tecidas algumas considerações gerais sobre a
atividade realizada, considerando as expectativas e a experiência, ou
seja, o que de fato foi visto e vivenciado.”
A Introdução é a primeira página com número impresso do
Relatório. (somar as páginas anteriores, com exceção da capa).

(CORPO OU DESENVOLVIMENTO DO RELATÓRIO: CAPÍTULOS)


2. (dê o título desejado)
(Citações cf. NBRs 10520, 6023, 10522 da ABNT.)
(Notas e ilustrações cf. NBRs 15287 e 14724 da ABNT.)

Nesse primeiro capítulo, o autor apresenta as ideias e conceitos


da área relacionados à aula de campo, e tece considerações sobre o
tema específico com base nos documentos consultados para fundamentar
o trabalho. É indispensável a contribuição e a citação de autores de
referência para respaldar tecnicamente o relatório, bem como para dar
credibilidade às afirmações e às conclusões do aluno.

3. (dê o título desejado)


(Citações cf. NBRs 10520, 6023, 10522 da ABNT.) (Notas e ilustrações cf. NBRs
15287 e 14724 da ABNT.)

Incluir as atividades realizadas: o roteiro, o que viu nos locais


visitados, incluindo depoimentos, documentos manuseados, explicações
técnicas do professor ou do guia etc.

4. CONCLUSÃO (OU CONSIDERAÇÕES FINAIS)

É a parte final do texto. Nela, o autor apresenta sua análise


crítica dos resultados da visita técnica. É a oportunidade de o autor fazer
críticas construtivas ou recomendações e, se for o caso, dar sugestões.

REFERÊNCIAS

(Relacionar as obras citadas no trabalho, seguindo as recomendações


da ABNT para referências).

APÊNDICES
(apresentar documentos produzidos pelo relator.)
ANEXOS
(apresentar documentos não produzidos pelo relator.)
ANEXO A – ROTEIRO DA AULA DE CAMPO

Seguem algumas orientações:


COMO FAZER REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Referências de LIVROS

LIVROS – Apenas 1 autor:


Utilize o padrão:
SOBRENOME, Nome Abreviado. Título: subtítulo (se houver). Edição (se houver). Local de
publicação: Editora, data de publicação da obra.
Publicidade:
Exemplo:
QUEIRÓZ, E. O Primo Basílio: 25. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 1878
 
LIVROS – Até 3 autores
O procedimento é o mesmo que o anterior, porém, são escritos os nomes dos 3 autores
separados por ponto e vírgula seguido de espaço.
Exemplo:
ADES, L.; KERBAUY, R. R. Análise sobre o comportamento de compra: 5. ed. São Paulo:
Editora USP, 2002
 
LIVROS – Mais de 3 autores
Aponta-se apenas o primeiro e acrescenta-se a expressão latina et al.
SILVA, L. et al. Como a poluição afeta nossa saúde. 1 ed. Curitiba: Editora Sol Nascente, 2002.
 
LIVROS – Autor desconhecido:
TÍTULO EM CAIXA ALTA – Cidade – Editora – ano de publicação – página
Exemplo:
AS VÁRIAS FACES DA SAÚDE. São Paulo: Editora Academia, 1994. p.134

2. Referências bibliográficas de SITES (LINKS da Internet)

Retirou algumas informações de algum site relevante? Neste caso, use:


SOBRENOME DO AUTOR – nome do autor – título do Artigo  – Ano – link – data de acesso
(antes da data acrescenta-se a expressão acesso em:). O nome do autor pode ser omitido.
Exemplo:
TCC NÃO É MAIS OBRIGATÓRIO SEGUNDO PORTARIA DO MEC. UOL. Disponível em:
<www.portalglobo.blog.br/2016/07/tcc-nao-e-mais-obrigatorio-segundo.html>. Acesso em: 10
nov. 2016.
 
3. Artigo de Revista
AUTOR DO ARTIGO. Título do artigo. Título da Revista, Local de Publicação, Número do
Volume, Número do Fascículo, Páginas inicial-final, mês e ano
Exemplo:
MARTINS, Claudio. Justiça, retribuição e perdão: o caso da anistia. Revista do Ministério Público
Militar, Brasília, v. 38, n. 23, p. 235-251, nov. 2013.

4. Teses, Dissertações ou Trabalhos de Conclusão de Curso


AUTOR, Nome abreviado. Título (itálico). Ano de Apresentação. Número de Folhas. Categoria –
Insitituição, Local, ano.

Exemplo:
Carvalho, João Soares. A Metodologia nas Humanidades. 1994. 200f. Dissertação de
Mestrado – Universidade Portuguesa, Lisboa, 1994.

5. Artigo de Jornal
Nome do autor em caixa alta- Título do artigo – Nome do Jornal- Local- data (dia, mês, ano) –
número do caderno – Seção – páginas (inicial – final)

6. Entidade Coletiva (Empresas, Associações, Órgãos Governamentais etc.)


NOME DA ENTIDADE. Título em destaque. Cidade: Editora, Ano.
Exemplo:
MINISTÉRIO DO TURISMO. Avanço do Turismo no Litoral. São Paulo: 2001.

7. Entrevistas não publicadas


 A referência é feita apenas na Nota de Rodapé e não vai constar da lista de Referências no fim
do trabalho.
__________
1
Maria Silva. Entrevista concedida à Cléber Barbosa. Buíque, jun. 2019.

8. Notas de Aula
AUTOR, Nome abreviado. Título da aula (itálico). Cidade: [s.n.], Ano. Notas de aula.

QUAL A IMPORTÂNCIA DE FAZER AS REFERÊNCIAS ABNT?

É preciso perceber a importância que esta atitude representa para seu estudo. Fazer  referências
bibliográficas significa indicar obra, autor e endereço completo de tudo o que foi usado para dar
suporte à sua produção. Fazer citação é mencionar, direta ou indiretamente, partes de obras de
outros autores no decurso de seu trabalho.

Empregar estes recursos revela quanto o assunto foi pesquisado e investigado. Citar autores e
criações já reconhecidas pela comunidade científica e acadêmica, têm diversas vantagens:

É uma forma de mostrar a seriedade e a veracidade de sua produção, já que está



embasada em concepções anteriormente expostas ao julgamento de todos e
reconhecidas como verdadeiras.
 Seu trabalho ganha crédito pois está pautado em autor legitimado como conhecedor
daquele tema e considerado autoridade no assunto.
 Dando crédito aos autores das obras consultadas você estará agindo com honestidade
científico-acadêmica, já que reconhece o verdadeiro criador.
 Estará também praticando um ato de justiça intelectual, pois faz jus ao verdadeiro dono
daquela ideia.
Vemos, portanto, ser muito relevante lançar mão deste elemento pós-textual.
As Referências bibliográficas são um ponto fundamental em qualquer trabalho ou projeto
acadêmico. Muitas vezes, a aprovação (ou não) pode depender delas. A banca examinadora, tão
temida pelos concluintes universitários observa minuciosamente se os assuntos contidos estão
embasados em algum fundamento científico.
NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DESTE TRABALHO (FORMATAÇÃO)
 O relatório deverá conter figuras dispostas em ordem cronológica de acordo com o texto
do relatório, apresentadas com numeração sequencial, legenda e inseridas no corpo do
texto do relatório.
 A formatação do relatório, segue:
o Papel branco, A4.
o Margens (cm): esquerda e superior: 3,0; direita e inferior: 2,0
o Fonte para o corpo do trabalho: Arial 12; Arial 10 para transcrições com mais de 3
linhas.
o Espaçamento entre linhas: 1,5;
o Todo o texto deverá ter alinhamento justificado;
o A partir da Introdução, deverá ser inserida a numeração no canto direito inferior.

Estrutura

Elementos Pré-textuais
Capa
Folha de rosto
Sumário
Lista de Figuras (opcional)

Elementos textuais
Introdução
Capítulos – Descrição das atividades (Desenvolvimento)
Considerações Finais – Avaliação da visita técnica ou Aula de campo

Elementos Pós-textuais
Referências
Apêndices (opcional)
Anexos (opcional)

OBS: Só devem ser numeradas as seções (Introdução, Descrição das atividades, Avaliação da
visita técnica e Referências). Inclusive, o número de página só aparece a partir da Introdução.

Exemplo de apresentação de figura (mais geral)/fotografia/desenho/gráfico:

Figura 1 – Cartaz da campanha. (arial 10)


Fonte: IFPE (2019)
REGRAS PARA CITAÇÃO (apenas uma síntese)

Existem três tipos de citação propriamente ditos, além das notas de referência e de rodapé:
citação direta, citação indireta e citação de citação.
Primeiramente, é interessante aprender os tipos e exemplo para, depois, verificar uma
compilação com os pontos de destaque.

Tipo 1 – Citação Direta

A citação direta é a transcrição textual fiel de parte de um conteúdo de uma obra, ou seja,
durante a elaboração de um trabalho acadêmico, por exemplo, foi necessário consultar um autor
específico e, para o seu trabalho, alguma frase foi importante. Nesse caso, você vai copiá-la,
mas vai citá-la. Por ser a transcrição exata de uma frase/parágrafo de um texto, a
frase/parágrafo em questão será apresentada entre aspas duplas, podendo assumir duas
formas:

1. Citando e referenciando: a chamada pelo nome do autor, quando feita no final da citação,
deve ser apresentada entre parênteses, contendo o sobrenome do autor em letra maiúscula,
seguido pelo ano de publicação e página em que o texto se encontra.

Exemplo 1:
“Não saber usar a internet, em um futuro próximo, será como não saber abrir um livro ou acender
um fogão” (VAZ, 2008, p. 63).

2. Referenciando e citando: a citação a seguir foi feita como sendo um parágrafo do texto. Assim,
o sobrenome do autor deve ser digitado normalmente, com a primeira letra em maiúscula e as
demais em minúsculo, seguido do ano e página em que o texto se encontra, sendo estas
informações apesentadas entre parênteses.

Exemplo 2:
Segundo Vaz (2008, p. 63), “não saber usar a internet, em um futuro próximo, será como não
saber abrir um livro ou acender um fogão”.

Como você pode ver, a citação direta é a cópia exata de um texto. Caso o documento original
contenha algum tipo de grifo, como uma palavra em negrito, em itálico ou sublinhada, a sua
citação deve ter esse tipo de grafia, acrescentada com a observação “grifo do autor”.

Exemplo 3:
“Uma das referências mais conhecidas a respeito do conceito de padrão de projeto é o livro A
Timeless Way of Building, escrito em 1979 pelo arquiteto Christopher Alexander” (KOSCIANSKI;
SOARES, 2007, p. 289, grifo do autor).
Esse mesmo tipo de observação aplica-se quando, por exemplo, você tiver feito algum grifo na
citação, para enfatizar uma palavra ou frase. No caso, deve-se acrescentar a expressão “grifo
nosso”, indicando que o presente autor (você) fez a alteração. 

Exemplo 4:
“O termo defeito no PSP refere-se a tudo que esteja errado em um software, como erros na
arquitetura, na representação de diagramas, problemas em algoritmos etc.” (KOSCIANSKI;
SOARES, 2007, p. 123, grifo nosso).
Citação direta com mais de (3) três linhas:

As citações com mais de três linhas devem ter um tipo de destaque diferente: é
necessário reduzir o tamanho da fonte, podendo ser para 10 ou 11 e também é preciso aplicar
um recuo de 4cm em relação à margem esquerda — selecione o texto e movimente os
marcadores, localizado na régua do Word até o número 4, assim, todo o seu texto ficará com o
recuo exigido pelas normas (veja a imagem ao lado). Ao final, a citação com mais de três linhas
terá a seguinte apresentação — observe que ela não tem aspas:

Citação direta de trecho muito grande


Imagine um parágrafo com 10 linhas, sendo que apenas a primeira e a última linha
interessam a você. Nesse caso, você vai usar uma supressão, que é a inclusão de um sinal de
colchetes com reticências, exatamente como esse [...], indicando que um trecho do texto não foi
usado, veja um exemplo:

“As propostas de melhorias de processo e tecnologia são coletadas e analisadas [...] com base
nos resultados de projetos-piloto” (KOSCIANSKI; SOARES, 2007, p. 153).

TIPO 2 – Citação Indireta

Depois de ler um artigo, você chegou a uma conclusão semelhante à do autor consultado.
Mas por algum motivo pessoal, você não tem interesse em usar as mesmas palavras e
exatamente a mesma estrutura que encontrou no artigo em questão. Nesse caso, você fará uma
citação indireta, já que o seu texto teve como base uma obra consultada.
Seguindo o mesmo formato de apresentação da citação direta, a indireta também deve conter o
autor da frase citada, bem como o ano da publicação do artigo/livro. Apresentar a página em que
o conteúdo se encontra é opcional.

Exemplos:
Lancaster (1993, p. 6) aponta como um aspecto importante na recuperação das informações é a
extensão dos conteúdos a serem indexados.
Um aspecto importante na recuperação das informações é a extensão dos conteúdos a serem
indexados (LANCASTER, 1993).
As citações indiretas podem ter mais de um autor, até pelo fato de que você pode ter consultado
várias obras até chegar a sua conclusão, veja:
Tanto Weaver (2002, p.18) como Semonche (1993, p. 21) apontam questionamentos que devem
preceder o planejamento da indexação de artigos de jornais, como: Qual a finalidade do artigo?
Quem é o público-alvo que terá acesso ao artigo? Que tipo de informação o usuário procura?

TIPO 3 – Citação de Citação

Livros antigos e considerados clássicos em um assunto são importantes serem citados,


mas nem sempre eles estão disponíveis. Imagine um livro do ano de 1970, que foi publicado
apenas nos Estados Unidos ou outro livro que, por algum motivo, você não tenha conseguido
encontrar em livrarias, sebos e bibliotecas. Você não teve acesso ao documento em seu formato
original, mas, durante suas pesquisas, encontrou um autor que teve a sorte de ter em mãos o
documento, e este fizera uma citação extremamente importante para o seu trabalho.
Não é o caso de perder a oportunidade de usar este conteúdo, porque é possível fazer a
citação de uma citação. Como o próprio termo leva a entender, você fará uma citação de um
conteúdo que foi citado na obra que você está consultando. Esse tipo de citação é recomendado
em último caso, já que o correto é tentar localizar a fonte original. Veja dois exemplos, tanto de
citação direta quanto indireta.

Por exemplo, no texto consultado por você de autoria de Fagundes, do ano de 2001, na página
53, foi citado um texto de Van Dijk, do ano de 1983, na página 16 (ou não paginado).

Exemplo 1
Segundo Van Dijk (1983), citado por Fagundes (2001, p. 53), “no texto jornalístico é
convencional apresentar-se um resumo do acontecimento abordado. Esse resumo pode ser
expresso por letras grandes separadas do resto do texto ou na introdução no ‘lead’”.

Segundo Van Dijk (1983, p. 16 apud FAGUNDES, 2001, P. 53), “no texto…”.

Apud significa “citado por”.

Exemplo 2
Segundo Fujita (1999) citada por Fagundes (2001, p. 65), a indexação engloba três fases: 1)
análise por meio da leitura do documento, em que serão selecionados os conceitos; 2) síntese,
com a elaboração de resumos e 3) a identificação e seleção de termos com auxílio de uma
linguagem documentária.

Você também pode gostar