Você está na página 1de 4

Açafrão-da-terra

Nome científico: Carthamus tinctorius; Curcuma longa.


Família: Zingiberaceae
Outros Nomes: curcuma, açafrão-da-índia, açafroa e gengibre amarelo. Batata de
Curry. Açafrão-bastardo, açaflor, açafrol, falso-açafrão, saflor.

Cultivo e características: planta herbácea originária da Índia e foi introduzida no


Brasil pelos colonizadores. É uma planta perene com ramificações laterais compridas. A
parte utilizada da planta é o rizoma (raiz), que externamente apresenta uma coloração
esbranquiçada ou acinzentada e internamente amarelada. Do rizoma saem as folhas e
as hastes florais. Reproduz-se por pedaços dos rizomas que apresentam gemas (olhos) com
plantio em solo argiloso, fértil e de fácil drenagem. Depois da planta adaptada ao local, alastra-
se, pois o rizoma principal emite numerosos rizomas laterais. É uma planta difícil de ser
destruída. A colheita deve ocorrer na época em que a planta perde a parte aérea, depois da
floração. Nesta fase, os rizomas apresentam pigmentos amarelos intensos.
Planta extremamente arraigada à cultura indiana, tanto na medicina como na culinária, sendo
que este país é responsável pela produção de 90 % de toda cúrcuma produzida no mundo. No
Brasil a cúrcuma é chamada de açafrão, principalmente nas regiões de Minas Gerais e Goiás,
mas não podemos confundir a cúrcuma com o verdadeiro açafrão o Crocus sativus só por que
os dois possuem a coloração amarelada. A cúrcuma também é conhecida como açafrão-da-
terra, açafrão-da-índia, e a planta como uma toda é chamada de açafroeira. O ciclo é de
aproximadamente oito meses; pode variar algumas semanas dependendo da fertilidade do solo
e do sistema de irrigação implantado. A planta pode atingir cerca de um metro e meio de
altura, e produz folhas grandes de verde escuro intenso brilhante. Colhem-se os rizomas
quando as folhas secarem. Isto normalmente irá ocorrer no período de seca, que para a região
do centro-oeste e sudeste ocorre nos meses de junho a agosto. Se por acaso não colher os
rizomas eles irão brotar quando iniciarem as chuvas e o período quente. Este ciclo irá se
repetir indefinidamente. Antigamente, os bandeirantes saíam à procura de pedras preciosas
pelos rincões brasileiros, e para demarcar as regiões já garimpadas eles plantavam alguns
rizomas de cúrcuma, e com isso esta planta se difundiu por várias regiões.

Propriedades Medicinais:
Esta é uma planta que realmente dá gosto de trabalhar, pois é empregada para uma infinidade
de doenças. E a cada dia aparecem novas descobertas. De forma bastante sucinta podemos
dizer que esta planta possui uma ação anti-séptica fantástica. É empregada no tratamento de
feridas, úlceras de decúbito, machucados e ferimentos em geral devido à sua ação
antiinflamatória e cicatrizante. É usada como antimicótico, em inflamações de articulações, no
controle do colesterol estimulando a produção e eliminação da bile. Está sendo muito usada
para o tratamento de alguns tipos de câncer; possui ação antiviral, sendo empregada como
coadjuvante no tratamento da AIDS. Possui ação antioxidante, auxiliando no combate a
radicais livres. No uso externo consegue apresentar uma ação parecida com os corticóides,
sendo empregada no tratamento da psoríase, e demais doenças na pele, retirando inclusive a
sensação de coceira.
Sua característica principal é como digestivo e ativador da função hepática.
É indicado como digestivo, ativador das função hepática e da secreção biliar e flatulência:
Em 1 xícara (chá) coloque 1 colher (chá) de rizoma fatiado e adicione água fervente. Abafe por
10 minutos e coe. Ainda morno, tome em pequenos goles, 1 xícara (chá) pela manhã em
jejum e outra antes do almoço.
É utilizada também como normalizador do colesterol e mau hálito. Para isso coloque e um
pilão: 2 colheres (sopa) do rizoma fatiado. Amasse bem e adicione 1 xícara (chá) de álcool de
cereais a 80%. Deixe em maceração por 5 dias e coe. Armazene em vidro escuro, ao abrigo da
luz solar. Tome 1 colher (café) diluída em um pouco de água 10 minutos antes das principais
refeições.
Para tratamento de feridas, escaras e erisipelas coloque a colher (sopa) do rizoma fatiado em
1 copo de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Abafe por 10 minutos e coe. Aplique
nas partes afetadas, em forma de compressas, 2 vezes ao dia. Pode ser feito também de outro
modo, amassando bem o rizoma fatiado em um pilão e adicionando 1 xícara de vinagre
branco. Deixe em maceração por 5 dias e coe. Aplicar no local afetado com uma chumaço de
algodão, 2 vezes ao dia.

Propriedades Culinárias:
Dá folhas muito bonitas e quando estas começam a amarelar está na hora de tirar as batatas
da terra. Então, é só descascar e colocar pedacinhos na comida. Dá cor e sabor
especial  principalmente em sopas e molhos. Em sopas é maravilhoso, parece que colocamos
caldo de galinha caipira.
A cúrcuma carrega no ocidente um peso muito grande de ser o condimento barato que
substituiu o verdadeiro açafrão. Devido ao seu alto preço no mercado internacional, o açafrão
acabou sendo substituído em alguns pratos da culinária européia pela cúrcuma. Mas a cúrcuma
possui características totalmente diferenciadas, tanto no aroma, sabor, qualidades
farmacológicas e até mesmo na capacidade de colorir de amarelo. Possui sabor e aroma
intenso, levemente picante e característico, lembrando um pouco o aroma de terra. É parte
constituinte do curry, e é muito empregado na indústria de alimentos, principalmente como
corante natural, como por exemplo nas margarinas, queijos e temperos. No Brasil é muito
usada na região de Minas e Goiás, principalmente no famoso frango com açafrão, e no arroz
com açafrão. No preparo destes pratos é só adicionar uma colher de chá ou um pouco mais na
hora de refogar o arroz ou o frango. Em uma panela doure uma cebola grande e alguns dentes
de alho amassado em um pouco de azeite. Adicione o açafrão e o arroz. Cuidado com o
açafrão, pois uma quantidade a mais pode deixar o seu prato amargo. Logo após uma leve
refogada adicione a água e deixe cozinhar normalmente. Um simples arroz vai ficar com um
sabor e um aroma delicioso, e você pode enriquecer cozinhando gergelim juntamente com o
arroz. Passe a comer diariamente o arroz dourado, que é indicado principalmente para as
mulheres que estejam no período da menopausa e que possuam dores pelo corpo,
principalmente as provocadas por osteoporose. Existem alguns relatos sobre a cúrcuma agir
como um repositório hormonal, e com sua ação antiinflamatória é o alimento perfeito para o
dia-a-dia.
Fontes: ‘‘Plantas que curam’’, de Sylvio Panizza. Editado pela Ibrasa-SP; ‘‘Plantas medicinais’’, publicação do Grupo Entre Folhas da
Universidade Federal de Viçosa (MG), com divulgação através do cd-rom ‘‘Plantas Medicinais’’, produzido pela Agromídia Software Empresa de
Incubadora de Base Tecnológica da Universidade Federal de Viçosa (MG).
Texto: Açafrão-da-Terra de Cristina Côrtes – Londrina - Outras informações e sugestões pelo telefone (operadora) 43-374-2118, com Cristina
Côrtes; pelo fax 43-339-1412 ou e-mail editoria@folhaweb.com.br W.F.
TSP – Estela Bravo.

Ademar Menezes Jr - Engenheiro Agrônomo – Especializado em Plantas Medicinais

Raiz é capaz de aniquilar tumores cancerígenos


Testes demonstram que cúrcuma elimina células de melanoma, o tipo mais grave de câncer de pele.
Beatriz Castro Goiânia (GO)
A equipe do Globo Repórter viajou para Goiás em busca de uma riqueza pouco explorada. No cerrado brasileiro, uma
especiaria trazida da Índia se adaptou bem. Pelo nome, pouca gente conhece o cúrcuma. É uma planta da família do
gengibre. A parte usada na culinária fica na raiz. Depois de seca e moída, ela vira um ingrediente que a dona de casa
chama de açafrão.

Raiz de cúrcuma, de onde é extraída a curcumina

"Na raiz encontram-se todos os componentes do açafrão, inclusive o corante, que é a curcumina, que é bem
amarela?, explica o engenheiro de alimentos Celso José de Moura, da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Celso José de Moura explica que a planta dá em qualquer lugar e requer pouca água. Mas o sabor do açafrão da
terra, como é conhecido na região, caiu no gosto do povo goiano. Uma boa galinhada fica bem amarela por causa do
tempero.

Mas o que ninguém conhecia era o poder de cura dessa raiz. A riqueza maior da cúrcuma está sendo descoberta nos
laboratórios da UFG. ?Quanto mais pesquisamos mais nos empolgamos porque o número de doenças em que ele tem
se mostrado ativo é realmente impressionante?, diz a química Lídia Andreu.

A curcumina, um pó amarelo extraído da raiz, é cicatrizante e antiinflamatório. É usada há mais de cinco mil anos na
ayurveda, a medicina tradicional indiana. Por isso, Marcella Carneiro, uma bióloga apaixonada por plantas medicinais,
questionou: seria a curcumina poderosa também contra o câncer?

Marcella aplicou a curcumina sobre células com melanoma, o mais grave tipo de câncer de pele. Em poucas horas,
um resultado impressionante.

?Nossos testes demonstraram que ela matou 90% de células de melanoma. A curcumina pode agir de duas
maneiras: impedindo o crescimento das células cancerígenas e provocando a morte celular, aniquilando o tumor?,
esclarece Marcella Carneiro.

O núcleo das células com câncer é implodido pela curcumina, mas os pesquisadores ainda não sabem os efeitos
colaterais. Em breve, pacientes terminais devem testar um tratamento experimental em Goiânia.

?É muito interessante saber que a partir de uma especiaria você pode obter um tratamento para o câncer, por
exemplo?, ressalta Marcella Carneiro.

O maior desafio é aumentar a absorção da curcumina pelo corpo humano. Para isso, os pesquisadores precisam
vencer outro obstáculo: dominar a técnica de extração da curcumina. O extrato da planta é importado ? e caríssimo.

?Pagamos em torno de R$ 1 mil por dez gramas de curcumina pura. Então, se conseguirmos extrair curcumina de
alta qualidade, pura, com certeza o medicamento vai se tornar mais eficaz e vai ser bem mais barato. Eu diria que,
para a saúde, esse pó amarelo vale ouro?, constata Lídia Abreu.

Mais um motivo para popularizar, no Brasil, essa especiaria tão comum na Índia.
Saiba como preparar receitas com especiarias
CHÁ DE ESPECIARIAS

Misture erva-doce, pedaços de canela em pau e semente de mostarda em quantidades iguais. Você pode fazer a
quantidade que quiser e guardar para outros dias. Depois, para uma xícara, use uma colher de chá da mistura.

Importante: a água não deve ferver. Retire a água do fogo quando surgirem as primeiras bolhinhas da fervura (cerca
de 92ºC). Deixe em infusão por três minutos e aproveite.

TEMPERO PREPARADO PELA FEIRANTE CÉLIA DINIZ DA COSTA 

Ingredientes:
1 maço de sálvia
1 alho-poró
aipo
4 cabeças de alho
1 cebola 
1 pimentão vermelho
alfavaca
hortelã
hortelã pimenta
alecrim
manjerona
óleo, azeite de oliva ou água para misturar

Modo de Fazer:

Ponha o alho no liquidificador. Para ajudar a bater, use um pouco de óleo, azeite de oliva, ou água. Depois, vá
acrescentando os temperos, um a um, até que obter uma mistura homogênea. Em seguida, adicione uma xícara de
sal, que ajuda a conservar a mistura.

GELÉIA DE PIMENTA

Ingredientes:

Atenção: Acreditamos que esta receita esteja errada. Estou entrando em contato com o globo repórter para correção.
Provavelmente onde está escrito 2 quilos de pimenta, devem ser 2 quilos de açúcar.
2 quilos de pimenta
2,5 litros de água
150g de pimenta dedo-de-moça sem sementes 
10g de ácido cítrico
13g de pectina

Modo de Fazer:

Coloque a água em uma panela. Acrescente o açúcar, separando um pouco para ser misturado depois com a pectina.
Adicione a pimenta, que deve ser batida no liquidificador com um pouco de água antes de ir para a panela. Acenda o
fogo e mexa. Depois coloque a pectina misturada ao açúcar que ficou separado. Por fim, acrescente o ácido cítrico.
Deixe ferver por 40 minutos. Está pronto.

PIMENTA NO VINAGRE (receita da agricultora Leni Nörnberg) 

A receita é ideal para quem gosta de pimenta mais fraca e deve ser feita com o fruto fresco. Pegue um vidro para
acondicionar a pimenta e esterilize (escalde com água quente). Em seguida, coloque nacos de pimenta sem
sementes. Colorida fica melhor. Cubra com vinagre. Se preferir mais forte, utilize pimenta seca e cubra com azeite.

Você também pode gostar