Você está na página 1de 1

Insuficiência Cardíaca - Diagnóstico

Sintomas e sinais:
Os sintomas e sinais da Insuficiência Cardíaca são o ponto-chave da detecção
precoce.
Os sintomas típicos são a dispneia e a fadiga. O doente pode apresentar dispneia de
esforço, ortopneia (perguntar aos doentes com quantas almofadas dorme) e dispneia
paroxística nocturna. O doente pode ainda manifestar respiração de Cheyne-Stokes
(hiperventilação e hipocapnia, com suspensão transitória da respiração, presente na IC
avançada associada à redução de débito cardíaco), edema pulmonar agudo e edemas nos
membros inferiores. Existem outros sintomas menos comuns, como por exemplo, sintomas
gastrointestinais e cerebrais.
Exame físico:
À inspecção, o doente apresenta-se preferencialmente sentado, com dificuldade
respiratória e fatigado. No caso de haver disfunção grave do ventrículo esquerdo, a pressão
arterial e de pulso estão diminuídas. A turgescência venosa jugular é um sinal característico.
Na auscultação respiratória, podem ouvir-se crepitações predominantes nas bases
(mais intensas nos doentes com edema pulmonar). Pode haver derrame pleural, mais
frequentemente quando a insuficiência é direita e esquerda.
À palpação, o choque da ponta está geralmente deslocado inferior e/ou lateralmente.
Se houver dilatação ou hipertrofia do ventrículo direito, sente-se um lift para-esternal.
Quando a insuficiência cardíaca é avançada, podem estar presentes os sopros
característicos da insuficiência mitral e tricúspide.
A hepatomegalia deve ser pesquisada pois é um sinal importante, sendo geralmente
dolorosa. A ascite e icterícia são sinais tardios.
O edema periférico é uma das principais manifestações da IC. Normalmente é
simétrico e postural, ocorrendo predominantemente nos tornozelos e região pré-tibial,
apresentando Sinal de Godet positivo.
Nos casos de IC crónica grave pode haver anorexia e caquexia.
Exames Complementares de Diagnóstico:
Apesar de serem variados os sinais e sintomas de IC, não são nem específicos nem
sensíveis, sendo necessário o recurso a exames complementares para confirmar a
suspeita.
Os testes de diagnóstico são mais sensíveis para a detecção de IC com redução da
fracção de ejecção. Os testes utilizados são o ECG, radiografia torácica, ecocardiograma e
testes laboratoriais.
O ECG deve ser realizado em todos os doentes com suspeita de IC. Se o ECG é
normal, é muito pouco provável que o doente tenha IC, especialmente com disfunção
sistólica. O principal objectivo é identificar a presença de hipertrofia ventricular esquerda.
A radiografia torácica fornece informações úteis acerca das dimensões e forma do
coração, assim como sobre o estado da vascularização pulmonar. Pode também identificar
causas não cardíacas que justifiquem os sintomas do doente. No entanto, a maioria dos
doentes com IC crónica, ao contrário do que acontece na IC aguda, não apresentam
hipertensão pulmonar, edema intersticial e/ou edema pulmonar
O ecocardiograma é um exame muito informativo, acessível, rápido, seguro e não
invasivo, sendo o mais útil para avaliação da disfunção sistólica e diastólica. Avalia as
dimensões e função do ventrículo esquerdo, assim como a presença ou a ausência de
anormalidades valvulares e/ou na mobilidade da parede. A fracção de ejecção é o índice
mais usado para a avaliação da função ventricular esquerda.
Quanto aos testes laboratoriais, a avaliação diagnóstica de rotina de um doente com IC
inclui o hemograma completo, o ionograma, os valores de creatinina e glicose séricas, os
testes de função hepática e a análise da urina. Os níveis circulantes dos peptideos
natriuréticos são úteis no diagnóstico. O BNP é libertado pelo coração insuficiente, sendo
um marcador relativamente sensível para a presença de IC com diminuição da fracção de
ejecção. No entanto é importante referir que os níveis dos peptídeos natriuréticos aumentam
com a idade e a disfunção renal. Outros marcadores biológicos como as troponinas T e I,
proteína C reactiva, receptores do TNF e ácido úrico podem estar elevados na IC.

Autores: Ana Panzina, André Pinto, Catarina Melo, Cristiano Antunes, Diana Pissarra,
Hélio Alves, Inês Ferreira, Mariana Mangas, Pedro Marcos, Rita Ferreira, Tiago Monteiro,
Vera Falcão.