Você está na página 1de 16

O Sopro do Espírito

Caio Fábio
Segunda Edição, 1995
ISBN: 85-7271-023-X

Revisão e formatação:

HTTP://SEMEADORESDAPALAVRA.QUEROUMFORUM.COM
Dedicatória
Ao Reverendo Antônio Elias

* * *
"O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não
sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo
aquele que é nascido do Espírito."(João 3:8).

Todo mundo sabe que eu sou um amazonense inveterado. Eu não


tenho cura; a minha amazonicidade; eu estou convencido não tem cura.
Eu morei um tempo fora do país e eu dizia prá minha mulher:
interessante que morando aqui fora eu descubro que posso viver longe do
Brasil prá sempre, mas não posso viver longe do Amazonas. Posso até não
ir ao Brasil desde que eu vá até o Amazonas. Dá prá entender isto?
Tambaqui, tucunaré, açaí, todas estas coisas que vão ser consagradas
como os frutos e comidas especiais do milênio e da Nova Jerusalém fazem
parte da minha memória mais forte e saborosa.
Eu estou dizendo isso porque a minha amazoneidade também
tem muito a ver com o texto que nós lemos sobre o vento.
Eu cresci ali na Rua Apurinã esquina com a Rua Japurá no Alto de
Nazaré no Amazonas e soltava papagaio. Você sabe o que é papagaio? É
pipa em Niterói, é cafifa em alguns lugares, é pião em outros lugares e lá
no Amazonas é papagaio.
E havia um ritual no meio da garotada. Geralmente o vento parava,
mas a garotada não parava de soprar no desejo de soltar papagaio.
E como é que a gente fazia prá soltar papagaio quando não havia
vento? Nós nos reuníamos, aquele grupo de garotos, e começávamos a
fazer alguma coisa mais ou menos como que chamando o vento,
assobiando para chamar o vento. De repente o vento começava a soprar.
Não me peça explicações científicas para o fenômeno porque eu não
tenho. Mas nós soprávamos numa coisa meio encantada, meio religiosa
esperando que o vento viesse. Daqui a pouco o vento soprava e a garotada
ficava felicíssima porque o vento tinha vindo e nós podíamos
agora empinar os nossos papagaios.
Eu quero dizer que sem o vento do Espírito o papagaio da igreja não
sobe.
Sem o vento do Espírito o papagaio da igreja não sobe!
E eu estou escrevendo este livro prá convocar esta multidão do povo
de Deus a darmos as mãos e a chamarmos o vento do Espírito sobre
este país em nome de Jesus.
Vamos juntos, em nome de Jesus, como os meninos do Amazonas,
de mãos dadas.
Vem vento, vem oh, vento do Espírito e sopra sobre nós; Sopra sobre
nossas casas; Sopra sobre nossos casamentos; Sopra sobre nossos filhos;
Sopra sobre nossas famílias; Sopra sobre nossos ministérios; Sopra sobre
nossas mentes; Sopra sobre nossas emoções; Sopra sobre nossos
relacionamentos; Sopra sobre nós; Sopra sobre este país; Sopra sobre o
Palácio do Planalto; Sopra sobre nossos governadores; Sopra sobre nosso
povo simples da rua; Oh, Espírito sopra!
O que nós queremos é ser profundamente atingidos por uma
tempestade do Espírito. O vento sopra onde quer.
Este verso da Escritura, palavra de Jesus a Nicodemos traz consigo
quatro verdades que são absolutamente revolucionárias em nossa maneira
de enxergar o Espírito.
Em primeiro lugar: Jesus associa o Espírito Santo também a um
vento que sopra. E pensando no vento, Jesus atribui ao Espírito três
qualidades sem cuja compreensão, sem cujo conhecimento, eu e você não
temos como discernir, perceber ou nos largamos no Sopro do Espírito no
mundo, na história, na igreja.
Primeiramente: O Espírito é livre! Ele diz: "o vento sopra aonde
quer." E não há nada que você possa fazer a respeito, não há proibições;
governos não passam decretos que proíbam o vento de soprar. Não há
autoridade alguma que diga: aqui o vento não sopra; pois o vento sopra
aonde quer soprar. O Papa não pode impedir do vento soprar no Vaticano,
na Igreja Católica. O Presidente do Supremo Concílio da Igreja
Presbiteriana do Brasil não pode impedir do vento soprar dentro da Igreja.
Os líderes das denominações não podem passar decretos, fazer doutrinas
para impedir do vento soprar lá. Os teólogos podem escrever os livros que
quiserem negando o vento do Espírito mas o Espírito é livre; o Espírito é
livre e sopra aonde quer.
Significa que frequentemente ele sopra onde a gente não quer.
Significa que frequentemente ele sopra contra a nossa vontade.
Porque o Espírito é livre.
E quando você pensa no Espírito pense em Deus, em Sua plenitude
e liberdade, sem condicionamento, sem fronteiras, sem decretos,
sem proibições, sem pode ou não pode.
Só para o Espírito que é proibido dizer: é proibido proibir.
O Espírito é livre e só.
Agora quando você lê, por exemplo, o livro de Atos dos Apóstolos,
isso fica absolutamente claro.
É porque o Espírito é livre que ele faz ilustres desconhecidos se
tornarem embaixadores de Deus no planeta.
Eu acho fantástico o que diz Atos dos Apóstolos.
A grande questão das elites religiosas de Jerusalém vindas
de dezessete nações debaixo do Sol.

"– Não são estes porventura galileus os que estão nos


falando as grandezas de Deus em nossa própria
língua materna?"

Não era a aristocracia de Jerusalém, não eram os membros


do sinédrio, não eram os teólogos.
Eram pescadores simples, mulheres incultas, gente leiga de tudo,
que tinham sido banhados pelo Espírito de Deus que agora tinham a boca
impregnada pelas grandezas de Deus.
O Espírito sopra onde quer e é por isso que ele frequentemente
libera a palavra da salvação por meios estranhos como a perseguição.
Você vê em Atos dos Apóstolos no capítulo 8 que a Igreja enviada a
pregar ao mundo inteiro se contém sublimada, perplexa, atrapalhada,
embebedada com a graça de Deus, perde o caminho, não sabe mais onde o
mundo está. E se comunitariza, se fecha, se apequena e fica como que
curtindo as maravilhas de ser abençoada e se esquece do mundo pagão
perdido.
E o Espírito Santo não convoca um congresso para decidir a
evangelização do mundo. Diz a Bíblia que simplesmente Ele faz a
perseguição cair forte sobre a Igreja. E o texto de Atos capítulo 8 verso 1 e
2 nos diz o seguinte:

"por causa da perseguição que veio a Estevão, a


Igreja foi semeada por Samaria, Judéia, Antioquia e o
mundo ouve a Palavra."

Você poderia conceber alguma coisa mais estranha do que esta?


Recentemente uma autoridade, talvez a maior autoridade católica
do país visitou-me em meu escritório e estivemos conversando sobre os
últimos acontecimentos entre a comunidade católica e a comunidade
evangélica.
Eu disse a ele que fico preocupado com estas hostilidades, não tanto
por nós, porque prá nós quanto mais pedrada melhor, porque desde as
origens nós crescemos melhor debaixo de perseguição. Perseguição faz
bem.
Eu ouvi há algum tempo atrás de um líder da comunidade
evangélica de Angola, que a Igreja lá nunca cresceu tanto como nestes
anos debaixo da opressão comunista.
Brevemente estarei indo pregar numa cruzada evangelística
num estádio na Albânia. Nunca na minha vida eu pensei que estaria um
dia pregando na Albânia num estádio.
Nosso programa de televisão, Pare & Pense, está entrando na
Albânia. E por que isto? Porque perseguição faz bem, aduba, irriga,
fertiliza, prepara, deixa as almas num estado de carência profunda.
Conquanto eu e você jamais poderíamos conceber perseguição
como sendo algo útil e bom para o crescimento da Palavra de Deus no
mundo e no meio da comunidade do povo de Deus.
O Espírito todavia é diferente de mim e de você, sopra onde quer. E
frequentemente usa estes estados de opressão para transformá-los em
adubo e irrigadores da Palavra. O Espírito é livre.
E por isso frequentemente torna os maiores perseguidores nos
maiores promotores da fé.
Confira, lendo o livro de Atos capítulo 9.
Nenhuma agência de publicidade deste país e do mundo teria
imaginado transformar Saulo de Tarso em apóstolo de Jesus Cristo.
Agências de publicidade que pensam em estratégias de quem seria
um bom promotor de um produto, nenhuma delas ousaria apanhar Saulo
e transformá-lo num apóstolo do Evangelho. Era como pedir ao Roberto
Marinho para se transformar num patrocinador do Brizola. Ou ao Brizola
para aparecer na Rede Globo dizendo: tente, invente, faça alguma coisa
diferente, simplesmente não dá.
Agora, o Espírito é livre.
Ele vê Saulo, assanhado, alvoroçado, resfolegante, respirando
ameaças e Ele olha e diz: Eu vou soprar na vida deste homem. Eu vou
levá-lo para virar o mundo de cabeça prá baixo. Eu vou mostrar a ele o
prazer de sofrer pelo meu nome. Eu vou mostrar a ele como é gostoso
ficar cheio do Espírito Santo e viver Deus no mundo. Eu vou transformá-
lo no maior promotor da fé de todos os tempos da história.
O Espírito é livre e por isso freqüentemente sopra aonde a Igreja não
dá permissão nem prá Ele soprar. A igreja proibiu mas o Espírito agiu na
ilegalidade.
Veja bem o que eu estou falando: Deus é um Deus ilegal! Se Deus
dependesse da legalidade da Igreja, estaria perdido.
Frequentemente o povo de Deus diz não e Deus diz sim.
Limita fronteiras e diz prá Deus só agir desta forma e Deus age de
todas as formas.
A Igreja de Jerusalém não podia imaginar que Cesaréia
Marítima construída em homenagem a César, cheia de ídolos enormes de
mármore trazidos de Roma pudesse se transformar na Catedral do
Pentecoste.
Mas o Espírito estava tramando.
O Espírito trama, conspira subversivamente. A ação mais subversiva
da história é a ação do Espírito Santo; acode os "status quo", deixa as
nossas certezas esboroadas, perturbadas. Demole frequentemente nosso
sentido de segurança.
Andar no Espírito é andar em profunda insegurança, mantendo os
ouvidos abertos, os olhos atentos e o espírito livre.
E aí Ele se manifesta a um homem chamado Cornélio.

"- Cornélio, suas orações foram ouvidas."

Eu não sei se teria coragem de dizer para um pagão como Cornélio -


suas orações a Deus foram ouvidas.
Eu tenho impressão de que os teólogos cristãos iam cair matando em
cima de mim se eu dissesse um negócio deste.
Deus ouve orações de pagãos.

"As tuas esmolas subiram. Agora pois manda buscar


um homem chamado Pedro que está a 40 km daqui na
casa de Simão. Ele vai te trazer palavras de vida."

Aí tem outro problema: O maior problema do Espírito não é se


revelar aos pagãos, o maior problema do Espírito é convencer os cristãos.
Pedro piedoso em oração. E o Espírito baixa um lençol com tudo que
tem na melhor churrascaria do Planeta: linguiça, pernil, costela,
lombinho,..., todas as coisas que a gente come abençoadas por Deus e que
Pedro se privava, coitado! Até aquele dia.
E o que acontece é que por três vezes o Espírito tem que repetir
a mesma mensagem:

"O que Deus purificou, Pedro, não menosprezes como


imundo."

Mas isto não é suficiente: as visões cessam e Pedro ainda


continua pensando: Será que Deus o falou?
Aparecem os dois homens de Cornélio na porta da casa dizendo que
o centurião o convida prá ouvir a mensagem do Evangelho.
E Pedro viu. E entra cheio de pedigris:
"– Vós bem sabeis que um homem como eu, judeu...
Mas ontem eu recebi uma revelação nova de que
não considere imundo algo que Deus santificou. Eu
estou aqui!"

E começa a pregar a Palavra e no meio da sua pregação, o Espírito


que é livre, (e eu ficaria muito feliz se Ele fizesse a mesma coisa aqui no
meio de nossas vidas,) o Espírito interrompeu a mensagem.
Se derramou sobre os presentes, que começaram a falar em línguas,
a profetizarem no meio do sermão de Pedro.
O Espírito Santo precisa chegar às conclusões homiléticas de
uma pregação para amarrar todos os pontos dentro do seu coração.
O Espírito sopra onde quer e é por isso que não raramente
transforma tragédias em bênçãos.
Paulo está indo para Roma e naufraga. Por causa disso uma
ilha inteira é salva pelo evangelho.
Será que tem alguém hoje vivendo debaixo da marca do signo da
tragédia, alguém hoje vivendo dentro deste navio naufragado?
O Espírito sopra onde quer e Ele tem poder prá transformar seu país,
sua vida, seu navio naufragado, num instrumento da misericórdia
dEle prá muita gente.
Apenas creia que a tua tragédia vai ser transformada
num instrumento da bondade de Deus em nome dEle.
Meu pai faliu como empresário prá poder se converter a Jesus.
Eu tive que querer me matar como humano prá poder chegar ao
ponto de encontrar esta alegria imensa de viver prá Jesus.
O Espírito é livre.
Em segundo lugar: Ele diz que o Espírito é misterioso.
O vento sopra aonde quer. Ouves a sua voz mas não sabes de onde
veio e para onde vai. Eu gosto disso aqui.
Há três meses atrás eu estava reunido com um grupo de Teólogos e
eles pediram prá eu ministrar para eles.
E eu abri aqui e queria ter um texto para todas as especulações
teológicas.
O Espírito sopra aonde quer. Agora, teólogo, tu não sabes de onde
vem ou para onde vai. Não adianta tentar escrever a respeito senão vai ter
que escrever um segundo livro dizendo depois – Desculpe qualquer coisa,
eu estava enganado! Não sabes... O Espírito é misterioso.
Primeiro Jesus diz: tu não sabes de onde ele vem!
Frequentemente a gente diz que o avivamento virá através dos
jovens piedosos e Deus começa o avivamento com as irmãzinhas de coque
na cabeça; O avivamento virá através de seminários quebrantados
e seminaristas cheios do Espírito Santo e o avivamento acontece entre
homens de negócios.
Frequentemente a gente diz que o avivamento virá desta gente que
conhece profundamente a Bíblia e o avivamento começa numa igreja Neo-
Pentecostal que só fala sobre cura divina, expulsão de demônios e
muito pouco da Bíblia.
Preste atenção, ninguém sabe de onde vem.
Quem pensa que sabe de onde vem, não sabe nada.
Vem do Espírito e, é só o que eu sei.
De onde vem eu não sei, por isso meu coração deve estar aberto
para todas as possibilidades.
Ninguém pode prever de onde vem. Vai soprar!
Quem acha que pode prever, geralmente é aquele que faz aquela
pergunta: De Nazaré pode vir alguma coisa boa?
Cuidado, se você pensa que sabe de onde vem; possivelmente você é
aquele que quando vê algo acontecendo que está vindo de onde você não
pensava que viria você vai dizer: De Nazaré.
Ninguém pode prever quem é que vai usar.
Quem acha que pode prever é exatamente aquele que faz a pergunta
de Marcos 6. "... Donde vêm a este estas coisas?"
Eu não sei prá onde vai!
A unção de Deus não é hereditária não. Eu não sei o que os meus
filhos vão ser. Só sei, em nome de Jesus, que vão ser crentes.
Mas a unção não é hereditária.
Quem foi o sucessor de Moisés? Não foi Moisés Júnior, foi Josué.
E o sucessor de Elias? Não foi Eliazinho, foi Eliseu.
Outro dia um de meus filhos estava comigo num lugar que eu
estava pregando. Nós entramos juntos; é o meu garoto mais velho.
E o líder daquele grupo disse: Meu filho você está a cara do seu pai,
só falta o cavanhaque e botar aqui esta roupa e você podia entrar no lugar
dele e pregar.
E o meu garoto disse: É tio, mas o senhor está esquecendo uma coisa:
falta a unção.
Falta a unção porque esta não é hereditária.
Meu irmão, minha irmã, tu não sabes prá onde vai, tu não sabes de
onde vem, não sabes prá onde vai.
Deus pode estar ungindo aquele que não pensaríamos jamais em
ungir.
Frequentemente Deus levanta aqueles que nós jamais pensaríamos
em levantar.
E ainda mais; a sua unção não é ensinada.
A coisa mais intrigante e irônica que há no Velho Testamento é
aquela instituição chamada de Casa dos Profetas ou discípulos dos
profetas.
Nenhum profeta que escreveu livro da Bíblia veio da escola dos
profetas. A escola dos profetas estava ali só prá estudar as profecias que
Deus dava a quem não freqüentava a Casa dos Profetas.
Onde estava Eliseu? Na Casa dos Profetas?
Não! Estava no campo arando.
Onde estava Amós? Na Casa dos Profetas?
Não! Estava na fazenda com laço na mão pegando boi.
Onde estava Ozéias? Na Casa dos Profetas?
Não! Estava fazendo pão na padaria.
Onde estava Isaías? Na Casa dos Profetas?
Não! Estava dando aula na Universidade de Jerusalém.
Onde estava Jeremias? Ezequiel? Na Casa dos Profetas?
Não! Estavam no meio do povo.
Isto apenas me faz andar com temor e tremor.
Isto apenas desfaz todas as minhas conjecturas e faz estar diante de
Deus com a alma absolutamente perplexa dizendo: Espírito, eu não sei de
onde vens, não sei prá onde vais, por isso faze-me sensível suficiente prá
nunca colocar minha vida como obstáculo do teu caminho.
Prá mim é uma coisa ridícula quando eu vejo alguns dos meus livros
estudados em algum curso de PHD por aí, ou quando eu sou convidado
a dar uma aula num mestrado aqui e no exterior.
Eu nunca sentei num banco de seminário.
O Espírito está falando uma palavra dEle a você neste livro; Palavra
dEle prá sua família; Palavra dEle prá seu casamento quebrado; Palavra
dEle prá seu relacionamento esfarelado com os seus filhos; Palavra dEle
prá seus negócios quase falidos; Palavra dEle prá seus negócios em pouco
progresso.
Mas justamente por causa disso, saindo daquela atitude
de quebrantamento, justamente por causa disso acerca de seu futuro,
suas dúvidas, justamente por causa da sua frustração, prá seu senso
de irrealizações, justamente pelo seu coração traído, magoado,
ferido, apunhalado, justamente por causa disso, mostrando oportunidades
novas, tirando o véu dos seus olhos, fazendo ver um caminho novo.
Palavra do Espírito prá vencer seu medo, Palavra do Espírito prá tirar do
seu coração a intransigência, abrir você quem sabe prá alguém, um grupo,
para algo, Palavra do Espírito prá arrancar da sua alma sentimentos de
perda, Palavra do Espírito prá fazer você enxergar algo novo.
Não sabes de onde vem, prá onde vai, mas ouves a sua voz.
Eu creio que Deus está falando com você agora.
Ouça a voz do Espírito!
Qual a palavra do Espírito prá você neste livro?
Felipe estava pregando lá em Samaria numa cruzada evangelística
em que milhares de pessoas estavam sendo curadas.
De repente um anjo do Senhor aparece e diz: Felipe largue esta
multidão aqui e vá para um caminho que está deserto.
Coisa absolutamente absurda: ninguém com bom senso larga
uma multidão por um deserto, uma cruzada por um caminho ermo,
empoeirado.
Felipe foi. Não sabia de onde vinha e prá onde ia, ouviu uma voz e
foi.
Encontrou o Ministro do tesouro da Etiópia pregou a Palavra de
Deus prá ele.
E o Evangelho viajou no coração daquele homem prá mais longe,
num impacto mais profundo do que Felipe jamais poderia conseguir no
seu ministério.
Se você ouvir a voz hoje, não endureça o seu coração! Ouves a sua
voz.
Ano passado, na Hungria, eu estava pregando e um dos irmãos
do PUNJAVE me contou a seguinte história:
"Havia um missionário que há muitos anos tentava pregar o
evangelho e nunca levou ninguém a Cristo. E havia um varredor que
limpava o quintal da casa do missionário que pertencia a uma das castas
mais baixas dos hindus.
E aquele varredor de tanto ouvir o missionário pregar, se converteu.
E disse: O senhor poderia me batizar?
O missionário disse: Eu não posso batizar você pois eu vim para
cá evangelizar as castas opressoras dos hindus. Se eu batizar você,
vou atrelar o evangelho a esta classe inferior e os da classe superior
nunca mais vão querer ouvir o evangelho.
Vou colocar um carma no evangelho. Vão pensar que o evangelho é
para esta gente que está com este carma terrível.
E o varredor ficou por ali varrendo. E a esposa do missionário ficou
no cangote do missionário dizendo:
O que você está fazendo é indigno. Jesus veio para esta gente. Você
está em pecado. Você não pode deixar de batizá-lo.
O missionário não agüentava mais, e nem tanto por
conveniência, mas por aflição, resolveu batizar o homem. Chamou-o e
disse: "– Vou batizar você com uma condição: você vai me prometer que
não vai contar prá ninguém!"
O varredor aceitava qualquer negócio. E o missionário o batizou.
E o varredor ficou por ali mudo, só varrendo com aquela alegria
enorme, até que não agüentou e fugiu da casa do missionário dizendo:
"ele que me perdoe, mas isto já está vazando, eu vou é pregar o
Evangelho."
Sabe o que aconteceu? O missionário estava ali há anos. Um mês
depois o varredor voltou com cem para serem batizados.
Dois meses depois com quinhentas pessoas, três meses depois...
Este irmão me disse que já agora cerca de vinte e cinco a trinta anos
se passaram e mais de um milhão de pessoas foram alcançadas pelo
trabalho do varredor.
O Espírito sopra aonde quer.
Nos dias de Eliseu, mais importante foi a empregada doméstica de
Naamã.
O Espírito sopra onde quer, não sabes de onde vem e prá onde vai.
Se hoje Ele falou contigo, se hoje ouvistes a Sua voz, não endureças o
seu coração.
Meu irmão, minha irmã, eu quero concluir como comecei, com os
meninos do Amazonas, assobiando... Vem vento, vem vento.
Soltando papagaio eu aprendi as maiores lições sobre o Espírito.
Pois é, eu aprendi que a gente tem que chamar o vento ao invés de
tentar soltar o papagaio no braço.
Lá tinha uns meninos que tentavam soltar no braço. Sabe como?
Quando o vento parava eles pegavam aquelas maçarocas de cem,
duzentas jardas de fio e o outro ficava no fim da rua e saíam correndo
ladeira abaixo. Igual ao programa de evangelização das denominações,
numa força terrível, mas aí o papagaio vem, vem e desce, batendo com o
bico no chão!
Chame o vento. Participe desta coisa maravilhosa de chamar o vento
com os irmãos.
Parece não fazer nenhum sentido, mas você vai sentir!
Vem vento do Espírito! Aleluia!
Meu irmão, minha irmã esta é a primeira lição: não tente fazer a
obra de Deus no braço. Quando o vento sopra você não precisa correr.
A segunda lição: Você tem que seguir o vento. Você empina o seu
papagaio aqui do lado de cá às 9 hs. E sabe, às vezes, meio dia, tem gente
soltando papagaio do lado de lá.
Sabe o que aconteceu? o vento mudou.
O segredo de vidas bem sucedidas e de ministérios bem sucedidos é
o segredo de quem não continua soltando papagaio do lado de cá, mesmo
quando o vento está soprando do lado de lá.
Siga o vento! Siga o vento!
Às vezes encontro algumas pessoas que dizem:
"- Ah, pastor! Há cinco anos encontrei o senhor e vi que o senhor
estava muito preocupado com a questão tal. Agora parece que o irmão
está preocupado com a questão tal."
Eu digo: É meu irmão, o vento naquele tempo estava soprando pra
lá. O vento agora está soprando prá cá. Eu quero seguir o vento.
Terceira lição: Você tem que respeitar a direção que o vento
está soprando na vida dos outros.
Sabe porque? Frequentemente lá em Manaus eu estava soltando
papagaio do lado de cá e às vezes eu tomava um susto, pois tinha gente
soltando papagaio pro lado de lá, porque o vento estava soprando numa
corrente e no alto estava soprando o papagaio por outra corrente.
Cuidado prá você não querer que todos os papagaios
sejam empinados na direção do seu.
Cuidado! A obra de Deus é maior que a Assembléia, que a Igreja
Presbiteriana, Batista, que a VINDE, que a ADHONEP, que a AEVB.
E o Espírito está soprando ventos diferentes em direções diferentes.
Respeite o sopro do vento.
Quarta lição: Você tem que respeitar o sopro do vento sobre os
outros. Às vezes você está soltando papagaio aqui e não está tão forte. Do
lado de lá está quase arrebentando a linha do irmão. Agora agüente firme,
é questão de tempo; vai soprar aqui também.
Agora é hora de nós chamarmos o vento em nome de Jesus!
Espírito Santo, Espírito Santo, Espírito de amor, Tu foste enviado a
nós da parte do Senhor.
Espírito Santo, Fiel consolador, Vieste prá curar e livrar o homem de
toda dor, Espírito Santo presente em mim, Manifestando a graça de Deus
e seu amor sem fim.
Espírito Santo, suave a soprar em nossos corações, Prá nos edificar.
Oh Espírito nós te invocamos. Espírito acima de todos os espíritos.
Deus acima de todos os deuses.
Sopra sobre nossas vidas, usa-nos como teus instrumentos.
Junte-se a nós, chame o vento do Espírito! Amém.

* * *
Depois de ter lido este livro, para melhor entendimento e
memorização, reúna-se com um grupo de amigos de sua igreja, com sua
família ou comunidade e discuta este tema a partir das perguntas aqui
formuladas.
Refletindo nas respostas colhidas nesta reunião, você poderá traçar
um perfil de como vem sendo a sua vida cristã. Como poderá modificá-la
e colocar os seus objetivos futuros.
Certamente, após este debate, uma nova visão dos Planos de Deus
em sua vida você poderá ter.
Mas, lembre-se que este questionário e esta reunião não adiantarão
de nada, se você não respondê-los com sinceridade e clareza de coração.
Na verdade, nossa intenção não é de saber se você está agindo
corretamente ou não, mas de poder proporcionar uma forma de
meditação e de conhecimento próprio.

Perguntas:

01 – Quais as características marcantes do Espírito?


02 – Por ser livre, o Espírito atua onde, quando e em quem deseja.
Você tem alguma experiência sobre a misteriosa manifestação do Espírito?
Conte-nos.
03 - O Espírito também age em pessoas simples, "pescadores,
mulheres incultas". Como reconhecer o Espírito agindo nestas pessoas?
04 – O Espírito fala acerca da Salvação das formas mais estranhas ao
nosso entendimento. Relate-nos experiências sobre este fato.
05 – Qual a atitude da igreja quando perseguida? Deve prosseguir no
seu caminhar ou se ater e se recolher? Justifique.
06 – Você já ouviu falar das Igrejas Perseguidas? da Igreja Sofredora?
Você sabe que em muitos países, ainda hoje, se proíbe cultuar a Deus?
Sabendo, explique melhor este assunto. Não sabendo, procure se informar
e ore a favor destes.
07 – Você crê que Deus atende as orações de quem não anda ao seu lado?
Deus ouve as orações dos pagãos? Como explicar isto?
08 – Muitas vezes o Espírito transforma tragédias em bênçãos. Você
poderia destacar duas experiências assim?
09 – A unção de Deus é hereditária ou não? Qual a sua opinião?
10 – Resuma as quatro lições finais sobre o Sopro do Espírito.
11 – Poderia destacar alguns ensinamentos adquiridos na leitura
deste livro?
12 – Dentre estes, qual você destacaria como o principal? Por que?
13 Gostaria de acrescentar mais alguma experiência sobre este assunto?

* * *