Você está na página 1de 8

ATIVIDADES PRÁTICAS

SUPERVISIONADAS

Direito
3ª Série
Direito Constitucional II

A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-


aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades programadas e
supervisionadas e que tem por objetivos:
 Favorecer a aprendizagem.
 Estimular a corresponsabilidade do aluno pelo aprendizado eficiente e eficaz.
 Promover o estudo, a convivência e o trabalho em grupo.
 Desenvolver os estudos independentes, sistemáticos e o autoaprendizado.
 Oferecer diferenciados ambientes de aprendizagem.
 Auxiliar no desenvolvimento das competências requeridas pelas Diretrizes
Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação.
 Promover a aplicação da teoria e conceitos para a solução de problemas
relativos à profissão.
 Direcionar o estudante para a emancipação intelectual.
Para atingir estes objetivos as atividades foram organizadas na forma de um
desafio, que será solucionado por etapas ao longo do semestre letivo.
Participar ativamente deste desafio é essencial para o desenvolvimento das
competências e habilidades requeridas na sua atuação no mercado de trabalho.
Aproveite esta oportunidade de estudar e aprender com desafios da vida
profissional.

AUTORIA:
Rafael Augusto Jacob Denzin – Centro Universitário Anhanguera de Leme
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

Ao concluir as etapas propostas neste desafio você terá desenvolvido as competências e


habilidades descritas a seguir.
 Leitura, compreensão e elaboração de textos, atos e documentos jurídicos ou normativos,
com a devida utilização das normas técnico-jurídicas; Interpretação e aplicação do
Direito;
 interpretação e aplicação do Direito;
 pesquisa e utilização da legislação, da jurisprudência, da doutrina e de outras fontes do
Direito;
 correta utilização da terminologia jurídica ou da ciência do Direito;
utilização de raciocínio jurídico, de argumentação, de persuasão e de reflexão crítica;
 julgamento e tomada de decisões;
 domínio de tecnologias e métodos para permanente compreensão e aplicação do Direito.

DESAFIO
Os alunos, divididos em equipes que deverão ser compostas por 5 a 8 alunos e se manterem
fixas ao longo do semestre, produzir relatórios em que descreverão, de maneira específica, o
julgamento pelo Supremo Tribunal Federal de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade
(ADIN), descrevendo todas as etapas do processo, inclusive, demonstrando a participação do
Ministério Público e OAB neste processo.
A relevância do desafio está focada na visão sistêmica do citado processo bem como na
compreensão da justificativa de existência das ações decididas pelo STF.

ETAPA № 1

Aula-tema: Da União, Estados Federados, dos Municípios e do Distrito Federal

A atividade mostra-se importante para que o aluno a organização do Estado Brasileiro,


especialmente do modelo federativo, que a organização político-administrativa brasileira
compreende a união indissolúvel de União, Estados, Municípios e Distrito Federal, nos termos
do artigo 18 da CF.
Para realizá-la, executar os passos que seguem abaixo:

PASSOS

Passo 1 – Pesquisar nos sites de Tribunais 01 (um) acórdão para cada uma do temas (03 no total):

a) Conflito de competência entre União e Estado-membro


b) Conflito de competência entre Estado-membro e Município
Sugestões:

Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo:

Rafael Augusto Jacob Denzin


2
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

http://www.tjsp.jus.br/

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul:


http://www1.tjrs.jus.br/site/

Tribunal Regional Federal 3ª Região:


http://www.jfsp.jus.br/

Superior Tribunal de Justiça:


http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp

Supremo Tribunal Federal


http://www.stf.jus.br/portal/principal/principal.asp

Passo 2 – Pesquisar na doutrina os temas acima arrolados e os relacioná-los com as decisões


selecionadas, promovendo a discussão em grupo. Sugere-se como bibliografia complementar:

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional, São Paulo: Malheiros, 25a edição, 2010.
SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional Positivo. São Paulo: Malheiros, 33a
edição, 2010.
TAVARES, André Ramos. Curso de Direito Constitucional. São Paulo: Saraiva, 2010.

Passo 3 – Elaborar análise crítica dos julgados sobre os casos e a doutrina estudada, contendo: 1)
descrição do caso; 2) decisão de 1º grau; 3) órgão julgador; 4) razões de reforma ou manutenção
da decisão; 5) opinião do grupo sobre o caso, com fundamentos doutrinários, com as devidas
citações doutrinárias.

Passo 4 – Elaborar artigo científico a ser entregue ao professor (mínimo de 05 laudas, com as
devidas referências) contendo os seguintes itens:
a) Estrutura do modelo federativo brasileiro, mencionar centrípeta ou centrífuga.
b) Competência de cada ente federado.
c) Peculiaridades da federação brasileira.
d) O Município e a federação brasileira.

ETAPA № 2

 Aula-tema: Sistema Constitucional Tributário e Ordem Econômica Constitucional

A atividade mostra-se importante para que o aluno compreenda os princípios constitucionais


que formatam o sistema tributário (e a forte vinculação do Direito Tributário ao Direito
Constitucional) bem como os princípios da Ordem Econômica Constitucional e sua
concretização.

Rafael Augusto Jacob Denzin


3
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

Para realizá-la, executar os passos que seguem abaixo:

PASSOS

Passo 1 – Produzir texto (máximo 05 folhas) que descreva, com as palavras do grupo, que
contemple a definição de princípio jurídico, a sua importância para a construção do sistema
constitucional e do sistema tributário bem como a explicação sucinta de todos os princípios
constitucionais tributários.

CARRAZZA, Roque Antônio. Curso de Direito Constitucional Tributário. 26ª edição. São
Paulo: Malheiros. ISBN-13: 9788574209975.
SILVA, José Afonso. Curso de Direito Constitucional Positivo. São Paulo: Malheiros, 33a
edição, 2010.

Passo 2 – Pesquisar: Existe uma Constituição Econômica? Quais são os principais pilares
(princípios estruturantes do capítulo da Ordem Econômica)?

GRAU, Eros Roberto. A ordem econômica na Constituição de 1988, 11ª ed., São Paulo: Editora
Malheiros, 2007.
NOGUEIRA, Vanessa F. Pancioni. Constituição Econômica no contexto do Estado Social de
Direito in Anuário de Produção Docente, vol. III, 2008.
http://sare.unianhanguera.edu.br/index.php/anudo/article/view/608/512
TAVARES, André Ramos. Direito Constitucional Econômico. São Paulo: Editora Método.

Passo 3 – Debater, em grupo, sobre as dificuldades de concretização dos princípios da Ordem


Econômica.

Passo 4 – Entregar artigo científico ao professor que contemple os itens: a) – debate teórico
acerca da Constituição Econômica; b) – definição de princípio jurídico e explicação acerca de
cada um dos princípios estruturantes do capítulo da Ordem Econômica; c) – conclusão pessoal
acerca das dificuldades para concretização dos princípios da Ordem Econômica.

ETAPA № 3

 Aula-tema: Poder Judiciário

A atividade mostra-se importante para que o aluno compreenda a estrutura do Poder Judiciário
brasileiro (art. 92 da Constituição Federal), bem como conhecer as competências de cada órgão.
Para realizá-la, executar os passos que seguem abaixo:

PASSOS

Passo 1 – Escolher a sua equipe de trabalho e entregar ao seu professor os nomes, RAs e e-mails
dos alunos. A equipe deverá ser composta de 5 a 8 alunos.

Rafael Augusto Jacob Denzin


4
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

Passo 2 - Identificar na legislação (Título IV – Capítulo III – Seção I da Constituição Federal) e


descrever quais são os órgãos do Poder Judiciário no direito brasileiro e suas respectivas
competências de julgamento. Ato contínuo, mencionar qual o órgão que passou a compor o
Poder Judiciário por meio da Emenda Constitucional n° 45/2004. Descrever ainda qual a relação
existente entre este órgão e o Supremo Tribunal Federal.

Passo 3 - Pesquisar nos livros de Direito (CINTRA, Antonio Carlos de Araújo; GRINOVER, Ada
Pellegrini; DINAMARCO, Cândido Rangel. Teoria geral do processo. 17. ed. São Paulo: Malheiros,
2001) e apresentar por escrito quais são os órgãos do Poder Judiciário denominados “órgãos de
superposição”. Após identificados, apresentar, em forma de resumo, contendo no mínimo 30 e
no máximo 60 linhas, quais são suas funções constitucionais no cenário jurídico brasileiro, e qual
deles é reservado o papel de guardião da Constituição da República Federativa do Brasil. O
resumo deve ser entregue pelo grupo ao professor.

ETAPA № 4

 Aula-tema: Controle de Constitucionalidade

A atividade mostra-se importante para que o aluno compreenda, de maneira específica, as


etapas processuais de julgamento pelo Supremo Tribunal Federal de uma Ação Direta de
Inconstitucionalidade.
A relevância da etapa está focada na visão sistemática do citado processo, bem como na
compreensão da justificativa de existência das ações decididas pelo Supremo.
Para realizá-la, execute os passos que seguem abaixo:

PASSOS

Passo 1 – Identificar, em grupo, as disposições legais que regem o assunto. Feito isso, descrever
os entes legitimados (neutros e especiais) a propor Ação Direta de Inconstitucionalidade e quais
os requisitos da petição inicial, não se olvidando dos documentos que devem ser instruídos.

Passo 2 - Na qualidade de Procurador-Geral da República, descrever um caso em que seria


possível um requerimento de inconstitucionalidade de ato normativo federal perante o Supremo
Tribunal Federal.

Passo 3 - Produzir um organograma, separando de forma nítida e detalhada, as etapas


processuais de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade perante o Supremo Tribunal Federal,
iniciando-se com a petição inicial e desenvolvendo-se até sentença. O organograma deverá ser
apresentado na ordem cronológica do procedimento processual, não podendo faltar as peças
indispensáveis e seus respectivos prazos.

Rafael Augusto Jacob Denzin


5
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

Passo 4 - Pesquisar no site do STF www.stf.jus.br e apresentar por escrito ou em texto impresso,
independentemente do número de páginas, um julgado proferido pelo Supremo Tribunal
Federal, em que o órgão de superposição declara a inconstitucionalidade de um ato normativo
federal. Descrever quem são as partes do processo, o número do processo, os Ministros que
fizeram parte do julgamento e qual o dispositivo específico de texto normativo federal foi
expurgado do mundo jurídico.

Passo 5 – Responder aos questionamentos:


O § 1° do artigo 9° da Lei 9.868/99 prescreve sobre a possibilidade de pessoas que não são
inicialmente partes do processo, mas que são peritos, conhecedores com experiência e
autoridade na matéria do assunto debatido no julgamento da ADIN, possam prestar
informações na forma de parecer. Tendo em vista isso:

a) como é chamada essa pessoa ou grupo de pessoas que adentram ao processo?


b) após isso, reunir a equipe e debater sobre a seguinte questão: “as pessoas referidas no § 1° do
artigo 9° da Lei 9.868/99 trata-se de modalidade de intervenção de terceiro no processo de
julgamento da ADIN?” Debater os posicionamentos doutrinários e suas fundamentações.
(LENZA, Pedro. Direito constitucional esquematizado. 12. ed. São Paulo: Saraiva, 2008).
c) ainda em grupo e na forma de debates, justificar qual foi a intenção e finalidade última do
legislador na possibilidade ofertada aos Ministros de convocar, caso necessário, as pessoas
mencionadas no § 1° do artigo 9° da Lei 9.868/99?

Passos 6 – Organizar os materiais produzidos nos passos anteriores e entregá-los ao professor.

ETAPA № 5

 Aula-tema: Poder Legislativo

A atividade é de grande relevância para que os alunos, por intermédio de interpretação


sistemática, reconheçam a participação do Poder Legislativo nas questões envolvendo a Ação
Direta de Inconstitucionalidade.
Para realizá-la, executar os passos que seguem abaixo:

PASSOS
Passo 1 – Produzir um resumo, contendo no mínimo 10 e no máximo 30 linhas, de como o Poder
Legislativo, exercido pelo Congresso Nacional, pode participar do julgamento de uma Ação
Direta de Inconstitucionalidade.

Passo 2 – Produzir um texto, contendo no mínimo 10 e no máximo 30 linhas, que discuta a


seguinte questão:
A decisão judicial que declara a procedência da Ação Direta de Inconstitucionalidade possui
efeitos vinculantes. Entretanto, os estudiosos no direito, mencionam o chamado e inconcebível

Rafael Augusto Jacob Denzin


6
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

fenômeno da “fossilização da Constituição”. Qual a relação deste assunto com o Poder


Legislativo?

Passo 3 – Entregar ao professor os materiais produzidos.

ETAPA № 5

 Aula-tema: Ministério Público. Defensoria Pública e a Advocacia

Esta atividade é importante para que os alunos percebam que o Ministério Público e os
Advogados integrantes dos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil fazem parte do
procedimento de julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade perante o Supremo
Tribunal Federal.
Para realizá-la, executar os passos que seguem abaixo:

PASSOS

Passo 1 – Apresentar, por escrito, no mínimo 5 e no máximo 20 linhas, qual a função do


Ministério Público no processo de julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade, sendo
ou não autor da ADIN (PAULO, Vicente; ALEXANDRINO, Marcelo. Direito constitucional
descomplicado. 4 ed. São Paulo: Método, 2009).

Passo 2 - Pesquisar e apresentar, expondo inclusive os motivos jurídicos, de um caso concreto de


julgamento de Ação Direta de Inconstitucionalidade em que o Conselho Federal da Ordem dos
Advogados do Brasil é autor da ação judicial perante o Supremo. Atenha-se somente aos
motivos que deram azo à propositura da petição inicial. Além disso, descreva, contendo no
mínimo 10 e no máximo 20 linhas e apresente, quais foram as razões da manifestação judicial do
Advogado-Geral da União no citado feito.

Passo 3 - Ler o livro-texto de Direito Constitucional do autor Pedro Lenza, e responder à


seguinte questão: “Segundo entendimento do STF, todos os entes legitimados à propositura de
Ação Direta de Inconstitucionalidade necessitam propor petição inicial acompanhada de
advogado? Fundamentar sua resposta, contendo no mínimo 10 e no máximo 20 linhas”. Nesta
atividade, cada aluno do grupo deverá, separadamente, responder por escrito a questão e,
somente após todas as respostas, deve o grupo reunir-se, a fim de que cada aluno exponha as
razões da resposta ofertada, em forma de debate.

Passo 4 - Entregar ao seu professor um relatório das atividades dos Passos “2” e “3” propostos
para esta etapa.

Rafael Augusto Jacob Denzin


7
Direito – 3ª Série – Direito Constitucional II

Rafael Augusto Jacob Denzin


8