Você está na página 1de 23

Esta aula e seu conteúdo seguem o plano de ensino conforme:

Conteúdo Teórico:

1.Estrutura Atômica e Tabela Periódica: Teoria atômica. Partículas Subatômicas.


Teoria Quântica. Mecânica Ondulatória. Números Quânticos e Preenchimento dos
Orbitais Atômicos. Regra de Hund e Princípio de AUFBAU. Configurações eletrônicas
e Periodicidade Química e Propriedades Periódicas.

MODELO NUCLEAR – MODELO PLANETARIO E SUA FALENCIA

Objetivos Gerais

Listar e identificar as principais partículas do átomo e suas propriedades.

Ler livro texto: Princípios de Química: Questionando a vida moderna e o meio


ambiente. Peter Atkins e Loretta Jones, Bookman 2001, Porto Alegre - ISBN
85-8307-739-5.-

B.2 – Pgnas 39 a41; 1.7 – 1.9


Os "raios" catódicos
foram observados
A presença desses raios
pelo era mais bem evidenciada
inglês William Crookes ao ser revestidos a parte
frontal do tubo com um
material fluorescente

Acima J.J. Thomson e o Tubo de raios catodicos por volta de 1897, o ano em que
foi anunciado a descoberta do eletron.
uma placa metálica (o "catodo", daí o nome)

o "anodo"

tubo de vidro vedado e evacuado


Um tubo de Crookes.O cátodo é o eletrodo carregado negativamente por uma fonte de alta voltagem, e
o ânodo, o eletrodo carregado positivamente.(a) Antes de ser evacuado.(b) A pressões intermediárias.(c)
A baixas pressões.(d) A baixas pressões.
 Crookes, 1850: Tubos de Crookes

Aplica-se uma grande voltagem (≈20.000 V) dentro de um tubo com pressão


reduzida.

Pressão reduzida:
Pressão normal: nada incandescência no interior do
acontece tubo
Pressão próxima de zero:
incandescência na
extremidade oposta ao
cátodo; objeto produz
sombra.

Conclusão: raios que deixam o cátodo, em linha reta,


em direção ao ânodo; foram chamados raios catódicos.
  Conclusões:
  A baixas pressões, é evidente que alguma coisa deixa o cátodo e
viaja para o ânodo. Originalmente denominado raio catódico .

  Um raio catódico é composto por um fluxo de minúsculas


partículas.

  É necessário que as partículas emitidas do cátodo viajem em


linhas retas.

  A incandescência emitida pelo gás no interior do tubo a pressões


intermediárias resulta das colisões das partículas em movimento
com moléculas do gás.
Na época em que Crookes, Lenard e Roentgen “brincavam”
com esses tubos em seus laboratórios, ninguém sabia o que
eram os raios catódicos. Só alguns anos mais tarde o inglês J.
J. Thomson fazendo modificações dentro de um plano
sistemático, mostrou que eram feixes de partículas ao modificar
esses tubos introduzindo ao longo da passagem do feixe um
anteparo.
O DESENVOLVIMENTO DO MODELO ATÔMICO
EXPERIMENTOS COM DESCARGA ELÉTRICA – TUBOS DE RAIOS CATÓDICOS

Ao incidir sobre a tela fluorescente, o feixe estreitado pelo uso de um colimador incidirá na
tela em forma de ponto luminescente. Portanto, Crookes e os outros já estavam assistindo
TV, sem saberem disso, muito antes de surgirem as emissoras e as novelas.
Em outra modificação feita no Tubo, Thomson mostrou
que os feixes de partículas possuíam cargas negativas, os
elétrons. Como Thomson demonstrou isso?

Introduzindo ao longo da passagem do feixe placa carregadas


com eletricidade
Um campo magnético no percursso do feixe causou um desvio.
Assim, foi demostrando que as partículas possuíam propriedades
magnéticas
O fato de as partículas causarem o movimento do moinho de pás
dava uma clara indicação de que elas possuíam massa.

Em 30 de 1897, Joseph John (J.J.) Thomson (1856-1940) anunciou de que os raios


catódicos eram partículas carregadas negativamente, o qual denominou de 'corpúsculos.'
Ele também anunciou de que a massa dessa particular era aproximadamente 1000 vezes
menor do que a de um átomo de hidrogênio, e afirmou que estes corpúsculos eram
as coisas com que os átomos eram feitos.
Momentum do Electron - O experimento da roda de pás
 Thomson: dedicou-se a estudar os raios catódicos

• independem do material que constitui o cátodo Joseph J. Thomson


(1856-1940)
• Fazem girar uma ventoinha localizada no ânodo: possuem massa

• desviadas em direção ânodo quando expostos a um campo elétrico:


possuem carga negativa

Descoberta do elétron, 1887: toda matéria possui partículas idênticas carregadas negativamente:
elétrons
Observação dos raios canais
•  Em 1886, o físico alemão E. Goldstein usou um tubo Crookes modificado
para produzir um novo tipo de raio.O cátodo no tubo de Goldstein tinha
uma fenda montada próxima ao meio do tubo.

•  Goldstein observou a direção da deflexão do raio canal em um campo


elétrico ou magnético, e foi capaz de provar que o raio consistia em
partículas carregadas positivamente.

•  As partículas de um raio canal não são semelhantes, mesmo se um único


gás puro estiver presente no tubo.
 Descoberta do próton (Goldstein, 1886)

Tubo de Cookes modificado (fenda no cátodo)

• Goldstein verificou a formação de raios (raios canais) em sentido oposto ao


dos raios cátódicos;

• Estes raios apresentavam carga positiva (desvio contrário ao do raio catódico


em um campo magnético ou elétrico)
TUBOS DE RAIOS CANAIS
•  Uma vez constatado que a natureza elétrica dos tubos de raios catódicos era
negativa, havia que ser resolvido à questão concernente ao princípio da conservação
da neutralidade elétrica. Assim deveria haver uma quantidade de eletricidade positiva
dentro do tubo de raios catódicos e que fluiria no sentido oposto.

Assim, o gás residual que existia dentro do tubo deveria ser a fonte dessa carga
oposta (positiva). Para dar vazão a esse contra fluxo, seriam suficientes pequenas
perfurações no catodo e os feixes de cargas opostas atravessariam
• As partículas mais leves foram observadas quando o gás no tubo era o
hidrogênio

• Sua massa era 1832 vezes a massa do elétron

• Para outros gases, as massas eram sempre múltiplos inteiros do valor para
o hidrogênio
Conclusão: a carga positiva deve ser composta pela
aglomeração de íons hidrogênio.

íon hidrogênio partícula


prótons
fundamental da
matéria
DOS TUBOS DE RAIOS CANAIS AO ESPECTRÔMETRO DE MASSA
 Descoberta do nêutron, 1932
Através da espectroscopia de massa foi possível verificar que, para um mesmo
elemento, existiam átomos com diferentes massas. Ex. Neônio (massas 20, 21
e 22).

Conclusão: existência de um terceiro tipo de partícula, com massa semelhante a do


próton e eletricamente neutro (nêutron).
Há vários tipos de
espectrômetros de
massa, todos eles
requerem a gaseificação
e ionização da amostra,
aceleração da espécie
carregada por um
campo elétrico,
dispersão dos íons de
acordo com a razão
massa/carga (m/z) e a
detecção dos íons e
registro do sinal.
Presença de isótopos de cloro (35 e 37)
1. Os raios catódicos são produzidos de forma que viajam do catodo para o anodo

2. Os raios catódicos (feito de elétrons) colidem com as moléculas do gás residual


que existe entre o catodo e o anodo.

3. Os elétrons são expulsos das moléculas dos gases pelo impacto. Isto faz com que
as moléculas do gás adquirem carga positiva.

4. As cargas positivas das moléculas do gás são atraídas para o catodo negativo

5. Pequenos orifícios ou fendas através do catodo (canais) permitem então que as


cargas positivas aceleradas atravessem o catodo incidindo sobre um anteparo
luminescente, indicando a presença de raios canais (cargas positivas).
Dos Tubos de Raios Catodicos
para o Tubo de imagens da TV