Você está na página 1de 3

A FILOSOFIA COMO FERRAMENTA IMPORTANTE

PARA A ADMINISTRAÇÃO, NAS TOMADAS DE


DECISÕES, NAS ANÁLISES QUE NECESSITEM
APROFUNDAMENTO.

Moisés Lima do Carmo*

RESUMO:A administração recorre à Filosofia interesses políticos como instrumentos de


como recurso na busca de elementos e critérios comunicação e controle do Estado. A palavra
para tecer regulamentos e normas. Elaborar é burocracia teve no grego sua origem e foi
próprio da filosofia, ser capaz de transpor substituída posteriormente pelo termo tecno-
obstáculos superando o senso comum e cracia. O homem, no decorrer da história, sem-
promovendo o senso crítico.Fazendo uma pre buscou sua liberdade e exigiu seus direitos
análise entre burocracia e tecnocracia, estabelecendo normas e regras à medida que a
percebeu-se que suas ligações serviram a sociedade se tornou mais complexa.

A administração é o resultado tornou-se fundamental na administração


histórico integrado da contribuição pública do Estado, como resultado das
cumulativa de inúmeros precursores; os transações e comercializações dos negócios
filósofos fizeram parte deles. A filosofia já entre os povos. Portanto, a burocracia é um
desde os tempos da antigüidade influenciou instrumento de comunicação e controle do
seu surgimento, racionalizando os direitos Estado.
do homem e sua liberdade.A burocracia e
tecnocracia compõem um dos instrumentos Burocracia: Definida por “Buro”:
usados na administração para controle de palavra originada do grego significando
informações comerciais.Analisando trabalho, utilizada pela primeira vez por
criticamente “Burocracia” e “Tecnocracia”, EURIGENE no séc. VII aC.,
são concebidas como um aparato posteriormente utilizada como forma de
(interligado) que serve a interesses políticos. execução de trabalho passando aí a
significar um verbo permanente na
A história da burocracia desde o conjugação do termo propriamente dito. A
desenvolvimento do Estado tem sido terminação “cracia”, também originada do
utilizada para fins de controle das grego, completa a idéia de Estado. A partir
informações comerciais originárias da do séc XIX, substituindo a expressão
abertura dos portos entre as nações burocracia, aparece a expressão tecnocra-
emergentes do ocidente. Após o séc XVIII cia. Esta expressão, usada mais precisa-
de nossa era, a expressão burocracia mente como substituição, mostra que a sua

* Aluno de Administração 1O ano/UNAMA e estudante de Filosofia.


116
Adcontar, Belém, v. 2, nº 1, p. 7-10, maio 2001
funcionalidade expressa método na homem liberdade social, em contrapartida
condução das informações e do controle. elimina o direito de liberdade individual
Portanto, tecnocracia significa dizer tornando o homem incapaz de fazer uso de
tramitação de informação e controle, sua vontade pessoal.Acredita-se que o
segundo normas e princípios pré- desenvolvimento depende de constantes
estabelecidos. análises, baseadas em informações precisas,
atuais e verdadeiras, sendo exploradas no
Há uma constante discussão quanto seu potencial máximo, a fim de promover
a mudanças nas mais diversas áreas transformações positivas.Ao procurar por
burocráticas. O homem busca sua mudanças, poderá encontrar na Filosofia,
liberdade, exige seus direitos.Vejamos, cujo conceito oriental - a especulação
então, o conceito de direito: conjunto de filosófica propriamente dita - não parece ter
regras estabelecidas com um fim comum, sido cultivado no oriente antigo.
com vistas a orientar, regulamentar e
determinar a relação de causa e efeito Apesar da elevada cultura científica
considerados por uma sociedade. Pela das suas elites intelectuais, por exemplo os
definição concebida, podemos afirmar que egípcios, caldeus, hindus, chineses, judeus
o homem primitivo estava destituído de e os persas, não possuíram em filosofia mais
direito. Seu ambiente social desprovido das do que conhecimentos gerais derivados da
exigências atuais constituía-se nas primeiras religião.
sociedades ditas elementares.
Os hindus, entre os povos do antigo
A evolução de suas relações com o oriente, foram os primeiros a explicar o
meio, à medida em que surgia a homem e o universo filosoficamente, porém
complexidade dentro dessas relações, essa filosofia Bramani nada mais
surgia a necessidade do estabelecimento de representou que uma metafísica Hierática e
regras que normatizassem as relações sagrada.Já na Grécia a filosofia se desliga
individuais e relações sociais. da religião e adquire existência autônoma;
é nesse período que afloram as
O homem primitivo, após investigações das verdades racionais, é
estabelecimento de normas sociais, que se quando a filosofia adquire significação geral.
transformavam em direito, percebeu
deparar-se com a perda de sua liberdade É esse o conceito de filosofia que
porque suas ações agora eram regidas por vamos encontrar em Heródoto, Tucidites,
normas e regulamentos.Percebeu ainda que Xenofonte, quando os mesmos definiram
a medida que evoluía, estabelecia-se a ser a filosofia “Amor da verdade sobre
necessidade de normas mais complexas todas as formas, arte de bem dizer e de bem
para reger as suas crescentes relações pensar, tudo o que faz o homem mais
sociais. humano”.

Assim, via o homem, na sua evolução, Segundo uma tradição de que Cícero
que a sua liberdade individual tornava-se se fez arauto, o termo filosofia teria sido
em liberdade social. Assim, podemos dizer criado por Pitágoras no séc, VI aC. Assim,
que o direito constituído, ao propiciar ao a filosofia nada mais é do que uma ciência
117
Adcontar, Belém, v. 2, nº 1, p. 7-10, maio 2001
universal que exerce grande influência nas Para os santos da Igreja, o verdadeiro
mais diversas áreas e ciências.Portanto, sentido da vida se constitui na primazia da
pelo exposto, a filosofia é a ciência que tem relação entre o ser e o seu transcendente;
alterado os padrões da vida social de todos para os filósofos da antigüidade, o
os povos. Toda sociedade por mais verdadeiro sentido da vida se constituía na
primitiva que seja tem estabelecido as suas relação do espírito crítico com seu
normas, as suas regras, bem como a sua transcendente, tendo em segunda instância
conduta, emanadas de princípios filosóficos. para o sentido da vida as questões menores
do campo material.
A filosofia tem conduzido o homem
à especulação quanto à sua existência Na vida moderna, o homem na sua
universal e interrogado quanto à sua visão cartesiana coloca como primazia da
permanência e o seu objetivo no Universo. vida, ou seja, como verdadeiro sentido da
Utilizando-se deste recurso, vemos que a vida as questões de âmbito materiais para
vida pode ser analisada nos mais diversos só aí expressar-se como seu transcendente.
aspectos, que segundo os filósofos do séc Logo, nenhuma sociedade subsiste sem as
IV aC. conceituavam que a vida tem dois bases da sua própria filosofia.
sentidos, o sentido material e o sentido
espiritual, concebendo para o sentido
material o conjunto das obrigações e BIBLIOGRAFIA
deveres, e para o sentido espiritual o
conjunto das relações mútuas com o ARANHA, Maria Lúcia Arruda; MARTINS,
criador. Maria Helena Pires. Filosofando: Introdução à
Filosofia. 2. ed. São Paulo: Moderna,1995.
Na obra “Confissões de Santo
Agostinho” vamos encontrar para o que ele ARRUDA, J. Jobson de, História Antiga e
disse da vida: “O ser na sua extensão mostra Medieval. São Paulo: Ática,1987.
em primeiro lugar obrigações e deveres de
direito com seu criador para só depois CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à
expressar seus deveres para com a Teoria Geral da Administração. 4. ed. São
natureza”. Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1993.

118
Adcontar, Belém, v. 2, nº 1, p. 7-10, maio 2001