Você está na página 1de 18

Utilização do tijolo solo-cimento como alvenaria em programas

habitacionais

Lucas O. Abreu, Matheus M. Padilha, Pedro Henrique Martins, Raphael M.


Azevedo, Sarah Louyse C. de Abreu, Sergio Henrique Freire Jr.
Lucasabreu2406@gmail.com, matheusmmp2014@gmail.com, pedroh.rick@hotmail.com,
raphaelmaia.azevedo@gmail.com, sarahlouyze@gmail.com, junimfreire95@gmail.com

Alexandre Amorin

Coordenação de curso de Engenharia Civil

RESUMO
O presente trabalho propõe uma nova perspectiva aos debates sobre tijolos
modulares de solo-cimento. Diante de várias classificações que a bibliografia
existente fórmula, observa-se uma preocupação em unir conceitos teóricos e
práticos de economia, qualidade e sustentabilidade na construção civil. Nestes
sentidos as pesquisas realizadas foram colocadas como conhecimento da
população, do governo e dos profissionais da engenharia civil. A aceitação de
materiais sustentáveis dentro do canteiro de obra pode gerar preconceitos e tabus
perante os profissionais. As visitas as fábricas e as obras, foram maneiras de
quebrarem essa falta de conhecimento e trazer a aceitação de novos métodos. O
custo do bloco cerâmico é baixo, mas encarece a obra com os acabamentos
necessários, o tijolo ecológico traz uma maneira de construir que não necessita de
acabamentos específicos e nem de grande período de tempo. As economias estão
desde a compras de materiais ao tempo de conclusão da obra.

Palavras-chave: Tijolo ecológico, economia, construção civil, sustentável.

0
1. Introdução

1.1 Contextualização da empresa ou objeto de estudo

O tijolo ecológico (tijolo modular de solo-cimento, BTS – Bloco de terra comprimida)


é um bloco feito a partir de uma mistura de terra, cimento e água, às vezes é
possível utilizar alguns resíduos triturados da obra, que proporcionam a redução do
impacto ambiental negativo, diminuindo o desperdício de diversos materiais nos
canteiros de obra, promovendo a reciclagem de alguns dos materiais de construção.
Raramente saem do prumo, pelo fato de não serem cozidos conservam melhor as
medidas.

O Maior objetivo deste estudo é mostrar as vantagens da utilização dos blocos


ecológicos na construção civil, fazendo um comparativo de custo, eficácia e
benefício.

1.2 Tema e problema

Os impactos da construção civil no meio ambiente, são diretos e na maioria das


vezes irreversíveis, de todas as atividades humanas, as obras (pequeno, médio ou
grande porte) são as responsáveis por: desmatamentos, resíduos tóxicos, poluição,
desperdício de bens naturais, a cumulo de lixo, entre outros.

Diante do cenário atual do planeta, deve-se pensar em melhorias continuas, que


ajudem a minimizar os impactos supracitados nas construções; melhorias essas que
devem ser pensadas desde o planejamento até a execução da obra.

Atualmente, em projetos residenciais é utilizado o bloco cerâmico (Tijolo) no corpo


da edificação, no mercado existem vários tipos desse material, diferenciados por
marca, tamanho, cor, preço, etc.

O tijolo ecológico está entre os modelos menos utilizado no país, devido à falta de
conhecimento e informações dos consumidores, o intuito do grupo é mostrar como
esse material pode facilitar e diminuir custos da obra, e estabelecer um caminho

1
para promover uma visão ecológica, social e econômica, fundamental para este
setor.

O custo de uma obra pode variar de acordo com cada detalhe, apesar do tijolo
ecológico ser mais caro do que o tijolo cerâmico é mais econômico.

No geral são utilizados menos materiais na obra do que se utilizasse tijolo comum,
por exemplo: não é necessário assentar com massa e cimento, não precisa
“chapiscar” e dispensa reboco e massa fina. Além disso, poupa tempo e preserva o
meio ambiente.

Apesar de todas essas vantagens ainda existe grande preconceito e pouca procura
no mercado, pelo fato dos blocos cerâmicos serem baratos em uma visão unitária,
mas se olhar todo o contexto, construir uma casa de tijolos ecológicos pode
economizar mais do que podemos imaginar.

1.3 Inserir a Visão

O tijolo convencional, além de trazer danos ao meio ambiente acaba também


contendo um elevado gasto na vida da população brasileira, tendo em mente esses
impasses, fez-se elaborado o tijolo ecológico.

O tijolo ecológico é secado ao sol ou a sombra, desigual ao padronizado que é


secado em fornos, com isso poupa a derrubada de árvores. O tijolo ecológico é um
modelo que causa impacto ambiental positivo, ele diminui o consumo de vários
materiais na área de construção, causando sustentabilidade na sua fabricação e
durante a execução da obra.

Esta mercadoria é manipulada com terra, cimento e água, a diferença entre os


outros tijolos de solo-cimento e a cura hidráulica, o produto não é cozido em forno.
Usando tijolos ecológicos nas obras, pode obter um lucro de até 50% na construção
de uma parede em relação ao uso dos seis furos do tijolo comum. Outras
características que tornam ele ecológico é a quantidade de cimento incorporada à
massa. O motivo do tijolo ecológico trazer tantos benefícios é o seu formato, com

2
face lisa e duplo encaixe, que agiliza a introdução de fios rede elétrica, tv’s a cabo e
telefone por dentro de tijolos.

Eles servem para embutir as colunas de sustentação e para facilitar a passagem das
instalações elétricas e hidráulicas, assim, construção feita com este tijolo torna-se
muito resistente, as casas ficam muito frescas suportando muito bem as altas
temperaturas. Sem dúvida é uma boa solução para construções sustentáveis.

1.4 Conhecimento, Habilidade e Atitude

Para execução de toda essa pesquisa foram necessários alguns conhecimentos na


área da geologia e do meio ambiente, para que pudéssemos estudar os impactos
causados no planeta.

Além disso, utilizou-se os estudos de blocos cerâmicos, e com a ajuda de um


orientador foi possível fazer um comparativo com os blocos ecológicos, nas áreas de
custo benefício. As análises dos projetos Casa Verde e Amarela, alguns
conhecimentos de AutoCAD e de Excel, os estudos das planilhas de custo e dos
projetos exigiram atenção e competência para que os resultados fossem os mais
precisos possíveis.

2. Referencial Teórico

A Construção Civil é uma das principais indústrias responsáveis pelo


desenvolvimento socioeconômico do mundo, sabe-se que o ramo da engenharia civil
gera um impacto enorme no meio ambiente, e ano após ano surgem ideias para que
esses impactos sejam menores (SOARES, 2017). De acordo com John (2004)
determina-se que a construção civil utiliza entre 20 e 50% do total de recursos
naturais gastos pela sociedade, consumindo 2/3 de madeira natural extraída. Além
disso a maioria das florestas não são manipulada adequadamente. Conforme Araújo
(2014), o alto índice de resíduos gerados em obras de reforma, construção e
demolição, abrangem questões complexas que precisam ser examinadas e
concluídas.

3
De acordo com um plano de gestão para a administração e fiscalização dessas
ações, levando em conta que a construção civil tem produzido uma enorme quantia
de resíduos sólidos em suas técnicas produtivas, buscando novos métodos
construtivos, o uso acessível de novas ferramentas, a reciclagem de resíduo,
o desenvolvimento sustentável e a eliminação do desperdício no canteiro de
obras por meio da racionalização de materiais e mão de obra, são dificuldades a
serem encarados por diferentes profissionais na área da construção civil
(engenheiros, arquitetos, pesquisadores e etc.), e pela própria sociedade
(GONÇALVES et. al.,2006). Procurando resolver as adversidades geradas por
esses resíduos, estão sendo pesquisadas maneiras para melhor reaproveitamento
do mesmo (DIAS et al., 2011).

2.1 Tijolo ecológico

Os tijolos ecológicos são blocos modulares vazados que facilitam as instalações


elétricas e hidráulicas, podem receber qualquer tipo de acabamento, duram até seis
vezes mais do que tijolos comuns e são fabricados de solo-cimento tendo assim
uma produção sustentável. Podem ser utilizados para construir casas,
apartamentos, grandes galpões, etc. Apesar do custo elevado do milheiro (podendo
chegar a R$850,00), a economia com cimento é de 80%, e de 100% com madeiras,
além de não haver desperdício com blocos na obra, podendo chegar a 99% de
utilização de todos os blocos, as analise feitas em obras executadas com tijolos
ecológicos, costumam concluir uma construção mais barata e de qualidade. (DIAS et
al., 2011).

2.2 Vantagens

O tijolo ecológico dispõe de traços primordiais da amostra do desenvolvimento


sustentável, pois em seu processo de fabricação utilizar-se o solo (material em
abundancia), podendo até mesmo empregar resquícios derivados da construção ou
o resíduo do próprio bloco. Esse diferencial garante que o tijolo modular de solo-
cimento seja um material de natureza autossustentável (GONÇALVES e CARDOSO,
2016). Além disso, Fiais e Souza (2017), assinalam que os tijolos ecológicos

4
ocasiona uma redução no corte de árvores como também reduz a produção de
gases lançados na atmosfera, devido ao seu método de fabricação, que não é
imposto passar pelo procedimento de queima, como é realizado no tijolo
convencional.

Ainda sobre as vantagens Da Silva (2005), cita que os blocos de solo-cimento


mostram ampla durabilidade e pouca manutenção, pois apresentarem elevada
resistência mecânica e ótimo estado de impermeabilidade, contribuindo para
construções duradouras e evitando que ao longo dos anos ocorra desgaste através
da umidade. Posto isto, Fraga et al. (2017), diz que o uso do tijolo modular de solo-
cimento possibilita um assentamento ágil e simples, ocasionando a utilização de
mão de obra não especializada. Os dutos formados pelos encaixes dos tijolos
modulares formam camadas termo acústicas possibilitando a passagem dos
condutores para rede elétrica e hidráulica, evitando a quebra das alvenarias que
geralmente ocorre no método convencional. Com isso há diminuição no tempo da
construção gerando uma economia ao custo final da obra. A boa aparência do bloco
e sua grande resistência permite seu uso sem revestimento, porém não seja uma
opção deixar o tijolo amostra, ainda assim pode-se aplicar o gesso diretamente ao
tijolo (BAUER, 2015).

Outro grande proveito do tijolo ecológico, é o uso para obras públicas, PIRES (2004)
diz que a economia nas obras públicas se fossem realizadas com tijolos ecológicos,
poderiam chegar a 45% (economia de materiais). Além da economia no custo dos
materiais totais da obra, o tijolo modular de solo-cimento, diminui o tempo gasto na
construção, ou seja, uma obra de 150 dias diminui para 90 dias, economizando em
média 40% o tempo de execução. Se a analise for feita matematicamente, é
possível realizar duas obras com tijolos ecológicos no custo de uma obra realizada
com bloco cerâmico, e quase na metade do tempo.

2.3 Desvantagens

Para Motta (2014), a central desvantagem do material, refere-se as imprecisões no


preparo do solo até o método de dosagem. Essas falhas podem proporcionar a
aparição de fissuras e outras patologias, causando adversidades na obra. Além

5
disso, Fiais e Souza (2017), cita como outra desvantagem a baixa popularidade do
tijolo, o preconceito da população com novos materiais de construção. Levando em
conta o pouco conhecimento sobre o tijolo ecológico os profissionais da área deixam
de aprender o trabalho com tijolo ecológico (apesar de simples e fácil), por alta de
demanda no mercado, tornando difícil achar profissionais que atuem nessa área de
construção. É primordial o bom planejamento do projeto da construção, pois o tijolo
modular de solo e cimento possui tamanhos limitados e não pode haver cortes e
quebras.

3. Objetivos

3.1 Objetivo Geral

Com o aumento dos custos dos materiais de construção e uma busca por meios de
edificar que seja menos nocivo ao meio ambiente e visando a sustentabilidade,
definimos como objetivo a aplicação do tijolo solo-cimento substituindo os meios
construtivos tradicionais adotados nas construções habitacionais do programa do
Governo Federal, Casa Verde e Amarela.

3.2 Objetivos Específicos

• Analisar as propriedades do tijolo ecológico;


• Determinar possíveis vantagens e desvantagens na construção civil;
• Avaliar custo benefício no mercado;
• Fazer um comparativo do tijolo ecológico com o tijolo comum, de acordo com
as seguintes características: custo benefício, resistência, durabilidade,
impactos no meio ambiente, tempo na construção e materiais de fabricação.

6
4. Metodologia da Pesquisa

4.1 Tipo de pesquisa


O presente trabalho é classificado como uma pesquisa aplicada, ou seja, é suscitada
por objetivos comerciais e está voltada ao desenvolvimento de processos orientados
para a necessidade do mercado, no caso deste trabalho a utilização de tijolos solo-
cimento como alvenaria dos programas habitacionais é o produto das pesquisas e
possui um grande potencial no mercado.

4.2 Universo e amostra


O universo da pesquisa abrange todas edificações de programas habitacionais de
um pavimento em todo solo nacional. O tijolo solo-cimento foi apresentado como
uma forma de reduzir os custos de construção dessas residências e ser um
processo ecologicamente correto com baixo impacto no meio ambiente.

4.3 Instrumento de coleta de dados


Foram utilizadas duas formas de coleta de dados, por meio de entrevista presencial.
A entrevista foi realizada presencialmente, na empresa EcoModular, localizada em
Pedro Leopoldo – MG, juntamente com o seu proprietário.

4.4 Método de análise


Para organização dos dados, foram elaborados tabelas e gráficos para melhor
observação das informações. Com textos explicando de forma detalhada e
sequencialmente cada processo adotado e sua finalidade.

5. Resultados e Discussão

Um grande problema na construção civil, é a aceitação e o conhecimento de novos


materiais nas obras. O tijolo ecológico por ser um material novo e pouco utilizado, é
menos conhecido pela população. A falta de informação para a população é um dos
principais fatores para o prejuízo desse material no mercado. Ao realizar alguns

7
estudos, chegamos à conclusão de que a utilização do tijolo ecológico pode reduzir
o custo total da obra, apesar de ser um bloco mais caro, no geral, ao finalizar a
construção o gasto terá sido menor.

Ao analisar um empreendimento governamental da COHABMG, foi possível concluir


que com o orçamento investido em toda a obra feita com bloco cerâmico, se fossem
utilizados blocos ecológicos teria uma redução considerável em termos de tempo e
custo.

Quando se visita uma obra feita com tijolos ecológicos, é possível notar a
organização, limpeza e falta de desperdício, apesar da mão de obra ser escassa,
aprender manusear esse tipo de material é fácil, o que possibilita que os
profissionais a desenvolverem essa técnica com melhor desempenho. Os
fabricantes apostam alto no empreendimento, afirmando que a maior desvantagem
do tijolo ecológico é o preconceito da população e da indústria.

5.1 Entrevista

Em entrevista realizada com o proprietário da empresa EcoModular, empresa


especializada na fabricação do tijolos solo-cimento, localizada em Pedro Leopoldo –
MG, podemos sanar diversas duvidas referente ao modelo construtivo e outras. As
perguntas e repostas são listadas abaixo:
1 – Além da parte ecológica, na sua opinião, qual a maior vantagem em relação a
alvenaria convencional?
O custo da construção e a precisão da execução
2 – Existe demanda atual por esse método construtivo?
Sim, porém em pequena escala. Nossos projetos são de casas residenciais a
maioria em terrenos fora da área urbana. Pessoas que querem construir uma casa
em um sitio, uma área de lazer.
3 – Como é feita o assentamento dos blocos?
Nós utilizamos argamassa comum com a adição de cola PVA e água. Porém alguns
projetos podem ser dispensados esse sistema, e utilizar somente o encaixe dos
blocos sem a argamassa.
4 – Como é feito as amarrações, colunas e etc?

8
Os blocos possuem furos vazados que recebem armação de aço e são concretados
posteriormente. Dessa forma as colunas são embutidas na parede.
5 – Em relação a parte estrutural e técnica, existe alguma norma?
Já existem normas referente ao bloco de solo-cimento, porém como elemento
estrutural ainda não. A Aniteco Social é uma comunidade dos fabricantes de tijolos
ecológicos e ela está elaborando uma norma de Tijolo e Bloco Vazados de Solo-
Cimento com Função Estrutural.
6 – Seus clientes conseguem financiar a construção pela caixa?
Sim. A caixa disponibiliza um crédito para edificar, e ele pode ser usado para edificar
utilizando tijolo solo-cimento.

5.2 Obra

Ao visitar a obra realizada com tijolos ecológicos foi possível compreender alguns
fatores que mostram porque construir com esse material é mais barato e bem eficaz.

Na figura 1, é possível observar as montagens da parede. Os blocos são de encaixe


o que facilita bastante o trabalho do profissional. É possível notar a pouca utilização
do aço na estrutura, esse fator diminui o valor total do custo da obra, uma vez que, o
aço é considerado um material caro.

Fonte: Figura autoral – 1

A figura 2 mostra a limpeza da obra e a quantidade quase zero de desperdício, dado


que um fator de grande influência na hora de calcular o custo total seja os restos de
materiais que não foram utilizados.

9
Fonte: figura autoral – 2

As figuras 3a e 3b mostram a obra de uma residência que está sendo totalmente


construída com tijolos ecológicos o proprietário afirmou que a casa irá ficar pronta
bem antes do que ele esperava e que não se arrepende, além disso, está orgulhoso
do resultado que tem obtido.

Fonte: Figura autoral – 3a Fonte: Figura autoral – 3b

5.3 Fábrica

Os fabricantes de tijolos ecológicos apresentam muitas vantagens do material. Além


de serem fabricados com um material totalmente barato e pouco agressivo à
natureza (solo, areia, cimento e água), o bloco sai pronto de uma prensa hidráulica
(Figura 4) e não precisa ir ao forno, um fator importante uma vez que não são
liberados gases referentes a poluição e queima.

10
Fonte: Figura autoral – 4

Outro diferencial são os tijolos curvilíneos, que permitem a construção de paredes


perfeitamente arredondadas sem nenhum esforço e retrabalho. As imagens 6a e 6b
mostram respectivamente os blocos e uma parede já construída.

Fonte: Figura autoral – 6a Fonte: Figura do fabricante – 6b

A fábrica conta com diversos moldes (imagem 7) para diversos tipos de tijolos
ecológicos, cada um com um fim específico:

11
Fonte: Figura autoral – 7

5.4 Pesquisa de custo de um conjunto habitacional

Para esta pesquisa realizamos um comparativo de custos de uma construção de um


conjunto habitacional da COHAB-MG. Padrão habitacional do tipo casa individual,
com um único pavimento, composta de 06 (seis) cômodos, sendo uma sala, dois
quartos, um hall de circulação, um banheiro, uma cozinha e mais uma área de
serviços externa, com um total de 44,78 m² e 103 m² de parede aproximadamente
por unidade.

Escolhemos para esta pesquisa os principais materiais que sofreriam impacto com a
alteração do tijolo cerâmico, para os tijolos ecológicos.

5.4.1 Tabela 1 – Custos com materiais

Com o auxílio de uma planilha orçamentária particular de um dos integrantes do


grupo, estimou a quantidade para cada material e a mão de obra para execução das
casas utilizando a alvenaria convencional e os tijolos ecológicos.

Conforme tabelas apresentadas abaixo, iremos fazer o comparativo desses métodos


construtivos. Excluímos a parte de hidráulica e elétrica, e alguns outros itens que
são em comum nos métodos.

12
A tabela 1 aponta os principais materiais que teriam impacto na alteração da
utilização dos tijolos ecológicos, ao invés dos tijolos convencionais:

Fonte: Tabela de custos autoral - 1

Observando a tabela 1, percebemos uma redução de 15,64% nos custos com os


principais materiais de uma obra, citados nos itens da tabela.

Nos deparamos também com a situação já comentada anteriormente neste presente


trabalho, que utilizando os tijolos ecológicos teremos um aumento considerável no
valor dos tijolos, por si só, mas o impacto geral no custo dos materiais para a obra, é
consideravelmente reduzido.

5.4.2 Tabela 2 – Custo com mão de obra

A tabela 2 mostra o impacto da alteração dos tijolos, comprovando a economia com


a redução das horas trabalhadas em cerca de 62,16 %, e o custo final da mão de
obra reduzido em torno de 61,11 %, comparando a utilização dos dois tijolos:

Fonte: Tabela de custos autoral - 2

13
Esta diferença se dá, por exemplo, pela economia de tempo em função de não
precisar chapiscar, embolçar e recobocar nenhum lado da alvenaria, além de
economizar tempo dos serventes virando massa, limpando a obra e entre outros
motivos.

5.4.3 Tabela 3 – Tabela final

A tabela 3 apresenta em resumo as informações detalhadas nas tabelas 1 e 2,


apresentando a diferença final desta obra, que teria uma redução extremamente
considerável:

Fonte: Tabela de custos autoral - 3

Observamos a redução na obra de 19,78% nos custos totais. Os números


apresentados na tabela 3 são orientativos para a obra de conjuntos habitacionais,
podendo sofrer variação de projeto para projeto, porém pode servir como base e
conhecimento para as construções com a utilização entre os tijolos cerâmicos e
ecológicos.

5.5 Utilização dos dados

Os dados coleados com as visitas, pesquisas e levantamentos, foram necessários


para toda compreensão e análise de custo. As visitas às obras foram importantes
para que conseguíssemos ter um olhar verdadeiro e direto do consumidor. É
necessário entender as vantagens e desvantagens do tijolo ecológico diretamente
do ponto de vista do comprador, para realizar uma pesquisa de qualidade e
descobrirmos se o que dizem na teoria se aplica na prática.

14
Ao visitarmos as fábricas foi possível absorver um conhecimento maior do que os
estudos realizados com a leitura. A experiência de ver a produção do tijolo e a
comprovação de que sua fabricação não atinge agressivamente o meio ambiente, foi
enriquecedor ao nosso trabalho.

As análises de custos do programa habitacional COHABMG, foram a maneira de


levar ao próprio Governo a implementação do material em suas obras. Além de
diminuir o custo das obras governamentais economizando o dinheiro público, é uma
iniciativa e um incentivo para a população. Uma vez que o bloco ecológico fornece
uma qualidade na construção melhor que o bloco cerâmico. E ainda frisar o ganho
ao meio ambiente, por ser uma construção mais limpa e sustentável.

6. Considerações Finais

No estudo feito com o base em um projeto da COHABMG, foi alcançado um


resultado satisfatório, uma vez que, esse estudo traz uma solução ecológica e em
conta para as obras. Se o governo aplicasse esse método poderia diminuir o déficit
habitacional de maneira significativa.

Os cidadãos com menores condições financeiras teriam a capacidade de


construírem casas de maneira rápida, eficiente e sem ter que fazer acabamentos
caros, isso poderia melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas.

Também é possível pensar no meio ambiente. O Brasil é um país com grande


biodiversidade de flora e fauna e é necessário preservá-la. O tijolo ecológico não
queima e diminui resíduos na obra, esse fator influencia diretamente na natureza,
pois uma das principais causas de emissão de CO2 são as queimadas.

15
7. Referências Bibliográficas

ARAÚJO, Neuber Nascimento de. Desempenho de argamassas de revestimentos


produzidas com agregados reciclados oriundos do resíduo de construção e
demolição da Grande Natal-RN. 2014. Dissertação de Mestrado. Universidade
Federal do Rio Grande do Norte.

BAUER, Luiz Alfredo Falcão. Materiais de Construção. 5. ed. Rio de Janeiro: Ltc,
2015. p.955.

CORRÊA, R. A.; TEIXEIRA, H. V.; LOPES, P. S. Avaliação das propriedades físicas


e mecânicas do adobe ( tijolo de terra crua). Minas Gerais: Ciênc.agrotec 2006.
p.503-515.

DANTAS, Valter Bezerra. Desenvolvimento de blocos de solo cimento utilizando


argissolo com incorporação de material armazenador de calor por mudança de
fase (MMFs). Tese de Doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Norte,
2015.

DA SILVA, Sandra Regina. Tijolos de solo-cimento reforçado com serragem de


madeira. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo
Horizonte, 2005.

FIAIS, Bruna Barbosa; DE SOUZA, Daniel Sarto. Construção sustentável com


tijolo ecológico. Revista Engenharia em Ação UniToledo, v. 2, n. 1, 2017.

PISANI, J. M. Um material de construção de baixo impacto ambiental: o tijolo de solo


cimento. São Paulo: Sinergia, 2005. 53p.

SOARES, Maria do Carmo Roos. Logística reversa aplicada a construção civil:


análise dos processos de descarte em uma construtora no município de Capão da

16
Canoa/RS. TCC (Graduação) – Curso de Administração, Universidade Santa Cruz
do Sul, Rio Grande do Sul, 2017.

FRAGA, Yuri Sotero Bomfim et al. Tecnologia dos materiais: a utilização do tijolo de
solo-cimento na construção civil. Caderno de Graduação-Ciências Exatas e
Tecnológicas-UNIT, v. 3, n. 3, p. 11, 2016.

GONÇALVES, Caroline de Paiva; CARDOSO, Adriana de Freitas. A utilização da


cerâmica nas técnicas construtivas em busca da inovação e sustentabilidade. In:
Congresso Brasileiro de Cerâmica, 60. 2016. Águas de Lindóia, São Paulo, 2016. p.
577 - 587.

MEUNIER, Christine. Construire en terre-crue hier. et aujourd’hui en Dauphiné, en


France, dans le monde. France: s.e., s.d. 34p.,il.com

MOTTA, Jessica Campos Soares Silva et al. Tijolo de solo-cimento: análise


das características físicas e viabilidade econômica de técnicas construtivas
sustentáveis. E-xacta, Belo Horizonte, v. 7, n. 1, p. 14, set. /mai. 2014

NIP, RODRIGUES; Fabio Henrique. USO DO TIJOLO ECOLÓGICO PARA TRAZER


ECOMONIA PARA CONSTRUÇÃO CIVIL- Trabalho de pesquisa cientifica sobre
tijolo ecológico.

Site Reclame Aqui. Tijolo Ecológico Esfarelando, 27 de outubro de 2014. Disponível


em: https://www.reclameaqui.com.br/acao-moradia/tijolo-ecologio-
esfarelando_10519882/. Acesso em 18 de maio de 2019.

UNICAMP, Universidade Estadual de Campinas, Mauro Augusto; DERMAZO, Aline


Lopes Gonçalves Porto.Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de
Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Departamento de Estruturas, Campinas.

http://www.cohab.mg.gov.br/plantas/

17

Você também pode gostar