Você está na página 1de 8

1

Universidade Federal da Bahia


Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável
Colegiado do Curso de Química
Campus Edgard Santos, Estrada do Barrocão, Morada Nobre
e-mail: quimica.icads@ufba.br
www.quimica.icad.ufba.br

Química Experimental – IAD 540


Disciplina: Físico-Química
Prof. Dr. Danilo Rodrigues de Souza

PRÁTICA Nº 1 - CALOR DE REAÇÃO


1. Objetivo
Investigar a geração ou absorção de calor durante uma reação química.

2. Introdução

2.1. Lei de Hess


A pressão constante, a variação de calor associada a uma transformação química é
conhecida como entalpia de reação (AHR) e que por definição, é dada como a diferença entre
a quantidade de calor do sistema após a transformação (AHF) e a quantidade de calor inicial
(AH1).

∆HR = ∆Hi - ∆Hf (1)

∆Hi e ∆Hf são, às vezes, referenciados como entalpia dos produtos e dos reagentes
respectivamente. Uma transformação espontânea ocorre
ocorr necessariamente e sempre com
liberação de energia, que pode se manifestar sob as mais variadas formas. Quando esta
transformação absorve energia ela é chamada de transformação endotérmica (∆H
( R>0);
quando ela libera energia, ela é chamada transformação exotérmica
exo (∆HR<00), Fig. 1 e 2.
2

A quantidade de calor associada a uma transformação química (AHR) depende apenas


dos estados inicial (∆HI) e final (∆H
( F), não importando a trajetória seguida ou as etapas
intermediárias empregadas na transformação (Lei de Hess). A lei de Hess pode ser aplicada
mesmo se as reações intermediárias, ou a reação total, não possam de fato ser realizadas (Fig.
3 e 4).

Assim, dee acordo com a Figura 3, numa transformação de A para B, podemos


escrever: ∆HR = ∆HI,+ ∆HX + ∆HY. Cabe lembrar que qualquer um dos termos da equação
anterior pode ter valor maior ou menor que zero.
No experimento a ser realizado tentaremos verificar a Lei de Hess tendo o NaOH
como reagente de referência, pelo seguinte esquema de reações:

Figura 5 – Reação de NaOH

2.2. Determinação do calor de reação

Na determinação do calor de reação, usaremos um frasco erlenmeyer de 250 mL para


servir como um calorímetro simples.
Consideraremos que o calor de reação será usado apenas para modificar a temperatura
da solução aquosa e do frasco, desprezando pequenas perdas de calor para o ambiente.
3

A partir das variações de temperatura e das massas dos reagentes, podemos calcular o
número de calorias desprendidas ou absorvidas com a seguinte relação:

Q = mc∆T (2)

Q = quantidade de calor desprendido ou absorvido; m = massa do corpo; c = calor específico e


∆T = variação de temperatura.

Define-se calor específico, como a quantidade de calor necessária para elevar de 14,5
°C a 15,5 °C, a temperatura de 1 g de água, (calor específico da água: 1 cal/g.°C). Para alterar
de 1 °C a temperatura de 1 g de vidro, precisa-se de 0,2 calorias, (calor específico do vidro:
0,2 cal/g.°C).
Não é necessário determinar a massa da água usada, porque 1 mL de água tem a massa
aproximada de 1 g de água e iremos determinar o volume com precisão de aproximadamente
de 1 mL.

3. PARTE EXPERIMENTAL: LEI DE HESS

3.1. Material e reagentes

• Erlenmeyer de 125 mL; • Espátula de vidro


• Becher de 250 mL e 50 mL; • Balança analítica;
• Proveta de 100 mL e 25 mL; • Solução 1 mol/L de HC1;
• Balões volumétricos de 25 mL, 50 • Solução 1 mol/L de NaOH;
mL e 100 mL; • Solução 1 mol/L de CH3COOH;
• Vidro de relógio pequeno; • Solução 1 mol/L de HNO3;
• Bastão de vidro, • Solução 0,5 mol/L de H2SO4;

• Termômetro • Solução 1 mol/L de KOH;


• NaOH sólido
4

3.2. Procedimentos

Nesta experiência, serão medidas e comparadas, as quantidades de calor envolvidas


nas 3 reações abaixo:

Reação 1 (R1): O hidróxido de sódio sólido dissolve-se em água para formar uma solução
aquosa de íons Na+ e íons OH-.

NaOH(s)  Na+(aq) + OH-(aq) + X1 cal

Reação 2 (R2): O hidróxido de sódio sólido reage com uma solução aquosa de cloreto de
hidrogênio para formar água e uma solução aquosa de íons Na+ e íons Cl:

NaOH(s) + H+(aq) + Cl-(aq)  H2O + Na+(aq) + CI-(aq) + X2 cal

Reação 3 (R3): Uma solução aquosa de hidróxido de sódio para formar água e uma solução
aquosa de íons Na+ e íons Cl.

Na+(aq) + OH-(aq) + H+(aq) + Cl- (aq)  H2O + Na+(aq) + Cl-(aq) + X3 cal

3.2.1. Determinação do calor de R1

(a) Determine a massa de um frasco erlenmeyer de 125 mL limpo e seco, com


aproximação de 0,1 g.

(b) Coloque no frasco 100 mL de água fria da torneira. Agite cuidadosamente com um
bastão de vidro durante alguns minutos e anote a temperatura com uma aproximação
de 0,2°C;

(c) Use um becker pequeno (25 mL) para pesar 1,0 g de hidróxido de sódio, NaOH, com
uma aproximação de 0,01 g (pese 10 pastilhas rapidamente porque o NaOH(s) absorve
umidade);
5

(d) Transfira essa quantidade de NaOH(s) para o frasco erlenmeyer preparado no item (a),
introduza o termômetro na solução e dissolva o sólido com o auxílio de um bastão de
vidro (NUNCA USE O TERMÔMETRO PARA ESSA FINALIDADE). Determine a
temperatura mais elevada do sistema;

(e) Lave muito bem o frasco com água (não precisa secá-lo) e passe para a reação 2 (R2).

3.2.2. Determinação do calor de R2

(a) Utilize o frasco erlenmeyer da reação 1 (R1), anotando o peso em gramas (3.2.1 (a)), já
determinado;
(b) Coloque 100 mL de HCl 0,25 mol/L (ou diluir a existente) no frasco erlenmeyer de
125 mL;
(c) Repetir os itens (c) e (d) do tópico 3.2.1;
(d) Lave muito bem o frasco com água (não precisa secá-lo), e passe para a reação 3
(R3).

3.2.3. Determinação do calor de R3

(a) Coloque 50 mL de uma solução 0,5 mol/L de HCl (ou diluir a existente) no frasco
erlenmeyer usado nas reações anteriores. Medir numa proveta 50 mL de solução 0,5
mol/L de NaOH. As duas soluções devem estar à temperatura ambiente ou
ligeiramente abaixo. Verifique isto com um termômetro (lave-o antes de passá-lo de
uma solução para outra). Anote as temperaturas;
(b) Adicione a solução de hidróxido de sódio à solução de ácido clorídrico. Misture com
um bastão de vidro e anote a temperatura mais elevada que o sistema atingir.

3.3. Resultados

Para cada reação, determinar:

• Quantidade de calor absorvida pela solução, ∆Hs (= ∆t ms 1,0).


• Quantidade de calor absorvida pelo frasco, ∆Hf (= ∆t mf 0,2).
6

• Quantidade total de calor absorvido, ∆Ht.


• Número de mols de NaOH usados em cada reação, n.

Quantidade total de calor desenvolvido por mol de NaOH, ∆Hr, (R1, R2 e R3). Construa
uma tabela como apresentado abaixo, indicando os resultados experimentais.

REAÇÃO 1 REAÇÃO 2 REAÇÃO


mf (g)
ms (g)
∆t (ºC)
∆Hs(cal)
∆Hf(cal)
∆Ht(cal)
n (mol)
∆Hr(cal/mol)

Compare ∆H2 com ∆Hl + ∆H3 e explique. Escreva as equações iônicas representativas
para as reações R2 e R3.
Na reação R1, ∆H1 representa o calor de dissolução do NaOH(s). Observe as
equações iônicas representativas para as reações R2 e R3 e encontre um significado para
∆H2 e ∆H3.
Se você usasse 4 g de NaOH(s) na reação R1, quantas calorias teriam sido liberadas?
Que conseqüência isto teria sobre o valor de ∆Hl, o calor desenvolvido por mol na reação 1?

4. PARTE EXPERIMENTAL: CALOR DE ALGUMAS REAÇÕES DE ACIDO-BASE

4.1 Procedimentos

Nas experiências da parte 1, estudou-se o calor de reação de uma base, hidróxido de


sódio, com o ácido clorídrico, HCI. Nesta experiência será feita a comparação do calor
desenvolvido quando outros ácidos e bases reagem.

(a) Colocar 50 mL de cada solução abaixo, em frascos separados;


(b) Anotar a temperatura inicial de cada uma das soluções (temperatura ambiente).
7

CUIDADO: LAVAR O TERMÔMETRO ANTES DE TRANSFERIR DE UMA SOLUÇÃO


PARA OUTRA;

(c) Verter rapidamente ambas as soluções, ao mesmo tempo, para o frasco erlenmeyer de
125 mL, utilizado na parte l;
(d) Registrar a mais alta temperatura que o sistema atingir;
(e) Lave bem o frasco com água (não precisa secá-lo) e passe para a reação seguinte.

4.2 Reações a serem investigadas

50 mL de HC11 mol/L com 50 mL de KOH 1 mol/l;


50 mL de CH3C00H 1 mol/L com 50 mL de NaOH 1 mol/L;
50 mL de HNO3 1 mol/L com 50 mL de NaOH 1 mol/L;
50 mL de HNO3 1 mol/L com 50 mL de KOH 1 mol/L;
50 mL de CH3COOH 1 mol/L com 50 mL de KOH 1 mol/L;
50 mL de H2SO4 1,0 1 mol/L com 50 mL de NaOH 1 mol/L.

4.3 Resultados

Registrar os cálculos feitos na parte 1, reação 3 (R3), para determinar o calor


desenvolvido na produção de um mol de água pela reação:

H+ (aq) + Cl(aq) + Na+(aq) + OH- (aq)  H2O + Na+ (aq) + Cl- (aq)

Fazer um cálculo semelhante para o calor desenvolvido POR MOL DE ÁGUA


PRODUZIDO em cada uma das reações que tiverem lugar nesta experiência. Registrar os
resultados em formato de tabela, indicando os dados correspondentes para o HC1 e o NaOH
da parte 1.
8

ÁCIDO BASE ∆t °C Vf mL ∆H S ∆Hf ∆H t n ∆Hr


HCI KOH
CH3C00H NaOH
HNO3 NaOH
HNO3 KOH
CH3C00H KOH
H2SO4 NaOH
Parte 1

HCI NaOH

**Observe que o ácido sulfúrico tem dois átomos de hidrogênio.


Escreva as equações de cada uma das reações realizadas. Os eletrólitos fortes
deverão ser escritos na forma iônica e os eletrólitos fracos na forma molecular, para indicar a
espécie do reagente presente.
Quais as regularidades que observa a respeito dos valores de ∆Hr obtidos para as
reações em que entram os diversos ácidos e bases? O que é que todas as reações têm em
comum?
Faça todas as generalizações possíveis a respeito dos valores de ∆Hr que foi obtido
quando reagiram eletrólitos fortes, comparados com os valores obtidos nas reações em que
entravam eletrólitos fracos.