Você está na página 1de 10

Prof.

Gustavo Salles - Lista de Transmissão (dicas jurídicas): 61 - 981337782

Facebook/Gmail: concursando.agora@gmail.com

Direito Administrativo – LICITAÇÕES E CONTRATOS AULA 02

Tipos de Licitação:

Tipo de licitação é a forma como se dará o julgamento das propostas e a escolha do vencedor.
Portanto, tipo, na Lei de Licitações, não é sinônimo de modalidade; tipo quer dizer critério
básico de julgamento, ou seja, julga-se com base no tipo.
O art. 45 enumera os 4 (quatro) Tipos de Licitação, a saber:

Obs: A única modalidade que foge ao princípio do julgamento objetivo é o concurso, razão
pela qual não se aplicam a ele nenhum dos tipos de licitação previstos na lei.
Atenção:

Os tipos de licitação melhor técnica ou técnica e preço são utilizados exclusivamente para serviços de natureza
predominantemente intelectual, em especial na elaboração de projetos, cálculos, fiscalização, supervisão e gerenciamento e
de engenharia consultiva em geral e, em particular, para a elaboração de estudos técnicos preliminares e projetos básicos e
executivos de obras (art. 46, caput).
Modalidades de Licitação

São os procedimentos a serem adotados; as principais modalidades são:

1
Atenção:

Pressupostos da Licitação

A licitação só pode ser instaurada mediante a presença de três pressupostos fundamentais:

a) Pressuposto Lógico: pluralidade de objetos e ofertantes;


b) Pressuposto Jurídico: conveniência e oportunidade na realização da licitação. Há casos
em que a instauração da licitação não atende ao interesse, permitindo à Administração
realizar a contratação direta;
c) Pressuposto Fático: exigência de comparecimento de interessados em participar da
licitação.

1 – Concorrência

Modalidade de licitação entre QUAISQUER INTERESSADOS que comprovem possuir os


requisitos mínimos de qualificação exigidos no edital.

 Utiliza-se para contratações de grande vulto


 Obras e serviços de engenharia: obrigatória acima de R$ 1.500.000,00
 Outros bens e serviços: obrigatória acima de R$ 650.000,00

Licitação Internacional:

A modalidade, regra geral, deve ser a concorrência.

Exceções:

Alienação de Bens Imóveis:

A modalidade, regra geral, deve ser a concorrência. Todavia, aqueles que tenham sido
incorporados por procedimento judiciais ou de dação de pagamento podem ser licitados
mediante a modalidade LEILÃO.

Obs: A alienação de bens imóveis dependerá de autorização legislativa para órgãos e


entidades da Adm Direita e Autarquias e Fundações Públicas.

Alienação de Bens Móveis

Quando os bens estiverem avaliados em valor superior a R$ 650.000,00, é obrigatório


o uso da concorrência. Se o valor for menor, pode ser licitado utilizando-se a modalidade
LEILÃO.

2
ATENÇÃO:

Licitações de “imenso vulto” são aquelas com valores estimados superiores a 100 x R$ 1,5 milhão, ou seja, superiores a R$
150 milhões. Nessas licitações, é obrigatória a realização de audiência pública antes da publicação do edital. Não confundir
com as licitações de “grande vulto” que, segundo o art. 6º, V da Lei 8.666/93, são aquelas com valores estimados superiores
a 25 x R$ 1,5 milhão, ou seja, superiores a R$ 37,5 milhões.
2 – Tomada de Preço

Modalidade de licitação entre interessados devidamente cadastrados ou não que


atenderem a todas as condições exigidas para cadastramento até o terceiro dia anterior à data
do recebimento das propostas, observada a necessária qualificação.

 Utiliza-se para contratações de valores intermediários;


 Obras e serviços de engenharia até R$ 1.500.000,00
 Outros bens e serviços até R$ 650.000,00

ATENÇÃO:

Nos termos do art. 34 da Lei 8.666/1993, os ó rgã os e entidades da Administraçã o Pú blica que realizem frequentemente
licitaçõ es manterã o registros cadastrais para efeito de habilitaçã o, os quais devem ser atualizados, no mínimo,
anualmente. No â mbito da Uniã o, os registros cadastrais sã o feitos no Sicaf (Sistema de Cadastramento de
fornecedores).
Ressalta-se que a tomada de preço é a modalidade cabível nas licitações internacionais,
desde que o órgão possua cadastro internacional de fornecedores.

3 – Convite

Modalidade de licitação entre interessados do ramo pertinente ao seu objeto


cadastrado ou não, escolhidos e convidados em número mínimo de 3 (três) pela unidade
administrativa, a qual fixará, em local apropriado, cópia do instrumento convocatório e o
estenderá ao demais cadastrados na correspondente especialidade que manifestem
interesse com antecedência de até 24 (vinte quatro) horas da apresentação das propostas.

 Utiliza-se para contratações de menor valor;


 Obras e serviços de engenharia até R$ 150.000,00;
 Outros bens e serviços até R$ 80.000,00

O instrumento convocatório é a CARTA CONVITE. Se por limitações de mercado ou


manifesto desinteresse dos convidados, há impossibilidade de se obter o número mínimo
de licitantes exigidos, pode-se prosseguir com o certame, desde que devidamente
justificado no processo, sob pena de repetição do convite.

ATENÇÃO:

Na modalidade convite, o instrumento convocatório é a carta-convite, e não o edital. A carta-convite prescinde de


publicação, mas não de publicidade.
A cada novo convite, para o mesmo objeto, é obrigatório o convite a pelo menos um
interessado que não tenha participado da licitação anterior, enquanto existirem
cadastrados não convidados nas últimas licitações

3
É possível a utilização de CONVITE para licitação internacional quando não houver
fornecedor do bem ou serviço no País.

RESUMO DE VALORES

OBRAS E SERV DE ENG. COMPRAS E DEMAIS SERV


CONCORRÊNCIA

TOMADA DE PREÇO

CONVITE

ATENÇÃO: CONSÓRCIO PÚBLICO

ATÉ 3 (TRÊS) ENTES DA FEDERAÇÃO MAIS DE 3 (TRÊS) ENTES DA FEDERAÇÃO

4 – Concurso

Modalidade de licitação entre quaisquer interessados para escolha de trabalho,


técnico, científico ou artístico, mediante a instituição de prêmio ou remuneração aos
vencedores, conforme critérios constantes no edital.

ATENÇÃO:

O art. 52 da Lei 8.666/1993 estipula que o concurso deve ser precedido de regulamento
próprio, a ser obtido pelos interessados no local indicado no instrumento convocatório. Tal
regulamento deverá definir os critérios de avaliação do concurso, em razão da
especificidade do objeto, indicando:

  a qualificação exigida dos participantes;


  as diretrizes e a forma de apresentação do trabalho;
  as condições

Art. 13.  Para os fins desta Lei, consideram-se serviços técnicos profissionais


especializados os trabalhos relativos a:

I - estudos técnicos, planejamentos e projetos básicos ou executivos;

II - pareceres, perícias e avaliações em geral;

III - assessorias ou consultorias técnicas e auditorias financeiras ou tributárias; (Redação


dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

IV - fiscalização, supervisão ou gerenciamento de obras ou serviços;

V - patrocínio ou defesa de causas judiciais ou administrativas;

VI - treinamento e aperfeiçoamento de pessoal;

4
VII - restauração de obras de arte e bens de valor histórico.

§ 1o Ressalvados os casos de inexigibilidade de licitação, os contratos para a prestação de


serviços técnicos profissionais especializados deverão, preferencialmente, ser celebrados
mediante a realização de concurso, com estipulação prévia de prêmio ou remuneração.

ATENÇÃO:

Em se tratando de projeto, o vencedor deverá autorizar aAdministração a executá-lo quando


julgar conveniente (art. 52, §2). Como exemplos de concursos podem-se citar 19 : para
projetos arquitetônicos (como a ponte JK, em Brasília); de monografias
(constantemente realizados por Tribunais Judiciais); de trabalhos de pesquisa (como os
realizados pela Embrapa, para concessão de bolsas para projetos de pesquisa), para
escolher uma logomarca para um evento etc.
5 – Leilão

Modalidade de licitação entre quaisquer interessado para a venda de bens móveis


inservíveis para a administração ou de produtos legalmente apreendidos ou penhorados
ou para a alienação de bens imóveis, a quem oferecer o maior lance, igual ou superior ao
valora da avaliação.

ATENÇÃO:
 Os bens arrematados serão pagos à vista ou no percentual estabelecido no edital, não inferior a 5% (art. 53, §2º).
 Após a assinatura da respectiva ata, lavrada no local do leilão, os bens arrematados serão imediatamente entregues
ao arrematante, o qual estará obrigado ao pagamento do saldo devedor da arrematação (se for o caso) no prazo
estipulado no edital de convocação, sob pena de perder o valor já recolhido em favor da Administração (art. 53,
§2º).
 Nos leilões internacionais, o pagamento da parcela à vista poderá ser feito em até 24 horas (art. 53, §3º).
Prazos: Esse é o prazo mínimo entre a publicidade do instrumento convocatório e o
momento em que as propostas deverão ser apresentadas:

CONCORRÊNCIA TOMADA DE PREÇO CONVITE CONCURSO LEILÃO

Obs: O prazo mínimo para a modalidade concorrência com regime de empreitada


integral será de 45 dias.

5
Outras Modalidasdes de Licitação

CONSULTA
A modalidade de licitação consulta está prevista na Lei 9.472/1997, com aplicabilidade restrita
às agências reguladoras (ex: Anatel, Antaq, Anac etc.).

A consulta não pode ser usada para a contratação de obras e serviços de engenharia civil (que
continuarão usando as modalidades previstas na Lei 8.666/1993) nem para a aquisição de bens
e serviços comuns (que serão adquiridos por pregão).

A referida Lei 9.472/1997 apenas dispõe que, na consulta, a “decisão ponderará o custo e o
benefício de cada proposta, considerando a qualificação do proponente”, acrescentando que
essa modalidade de licitação será disciplinada pela própria Anatel, que o fez através da
Resolução 5/1998.

Não é necessário aprofundarmos nos procedimentos da consulta.


Afinal, existe muita discussão doutrinária acerca da Constitucionalidade da modalidade
licitatória, vez que ela não foi criada por uma lei geral de caráter nacional e, ademais, é
disciplinada por um ato normativo da Anatel. Sobre a consulta, o simples conhecimento da sua
existência é suficiente para resolver a maioria das questões de prova.

Atenção:
A Lei 9.472/1997 estabeleceu a modalidade consulta exclusivamente no âmbito da ANATEL. Posteriormente, a Lei
9.986/2000 estendeu a modalidade para todas as agências reguladoras.
PROCEDIMENTO DA LICITAÇÃO

FASE INTERNA

Conforme art. 38, da Lei, o procedimento de licitação será iniciado com a


abertura de processo administrativo, devidamente autuado, protocolado e numerado,
contendo a autorização respectiva, a indicação sucinta de seu objeto e do recurso próprio
da despesa.

Obs: Se o valor estimado para a licitação ou para um conjunto de licitações simultâneas ou


sucessivas24 for superior a 100 vezes o teto de tomada de preços para obras e serviços de
engenharia (superior, portanto, a R$ 150 milhões), a Administração deverá, obrigatoriamente,
realizar uma audiência pública, com antecedência mínima de 15 dias úteis antes da publicação
do edital. A audiência pública deve ser divulgada, no mínimo, 10 dias úteis antes da sua
realização (art. 39). Na audiência pública os interessados terão acesso a todas as informações
pertinentes ao objeto da licitação e terão oportunidade de se manifestar a respeito.

6
ATENÇÃO:
Consideram-se licitações simultâneas aquelas com objetos similares e com realização prevista para intervalos não superiores
a 30 dias e licitações sucessivas aquelas em que, também com objetos similares, o edital subsequente tenha uma data
anterior a 120 dias após o término do contrato resultante da licitação antecedente.
ATENÇÃO:

A investidura dos membros das comissões permanentes não excederá a 1 ano, vedada a recondução da totalidade de seus
membros para a mesma comissão no período subsequente (art. 51, §4º). Portanto, é possível que a Administração faça um
rodízio parcial da comissão (por exemplo, trocando apenas um membro e mantendo os demais).
Edital é o instrumento pelo qual a Administração leva ao conhecimento público a
abertura da licitação, divulgando as regras a serem aplicadas em determinados
procedimento de licitação.O edital deverá conter os itens previstos no art. 40 (vide anexo).
Quando for publicado o edital encerra-se a fase interna e dar-se-á início a fase externa.

FASE EXTERNA

A licitação será realizada no local da repartição, salvo interesse público e devidamente


motivado. A fase externa se inicia com a publicação do edital. Após a publicação do edital,
poderá haver impugnação por qualquer cidadão (cinco dias úteis) ou por licitantes (até o
segundo dia útil antes)

Se o edital for alterado:

Após a abertura da sessão pública teremos as seguintes etapas para as modalidades


tradicionais:

Habilitação: Etapa em que se exige a comprovação da qualificação dos licitantes, sob os


seguintes aspectos:

 Habilitação jurídica
 Qualificação técnica
 Qualificação econômica - financeira
 Regularidade fiscal e trabalhista
 Declaração de que não emprega menor em situação perigosa ou insalubre
A inabilitação importa PRECLUSÃO de participar das demais etapas.
Após a fase de habilitação, o licitante não pode mais desistir da proposta, exceto
por justo motivo decorrente de fato superveniente e aceito pela comissão.

Julgamento e Classificação: somente será aberto o envelope contendo a proposta daquelas


empresas que não foram inabilitadas na fase de habilitação. O julgamento tem que ser
objetivo.

7
Se der empate, sagrar-se-á vencedor:

Recursos: Ao final de cada uma das fases, os licitantes poderão interpor recurso contra a
decisão produzidas pela Administração no prazo de 5 dias úteis. No casão de Convite o prazo
para recurso é de 2 dias úteis. O recurso terá efeito suspensivo.

Homologação: ato de controle em que a autoridade competente verifica a legalidade da


licitação.

Adjudicação: consiste em atribuir o objeto ao vencedor da licitação.

EXTINÇÃO DA LICITAÇÃO

Art. 49.  A autoridade competente para a aprovação do procedimento somente poderá


revogar a licitação por razões de interesse público decorrente de fato superveniente
devidamente comprovado, pertinente e suficiente para justificar tal conduta, devendo anulá-la
por ilegalidade, de ofício ou por provocação de terceiros, mediante parecer escrito e
devidamente fundamentado.

Anulação Revogação
Razões de ilegalidade Duas hipóteses: (i) fato superveniente; ou (ii)
adjudicatário não comparece para assinar o contrato.
Pode ocorrer após a assinatura do contrato (gera a Não pode ser feita após a assinatura do contrato
nulidade do contrato)
Deve ser precedida do contraditório e da ampla defesa Contraditório e ampla defesa só são necessários após a
homologação e a adjudicação (jurisprudência).
É possível anular todo o procedimento ou apenas A revogação é sempre total, de todo o procedimento,
determinado ato, com a consequente nulidade dos jamais parcial
atos posteriores.

Já o Art. 64, § 2o  É facultado à Administração, quando o convocado não assinar o termo de
contrato ou não aceitar ou retirar o instrumento equivalente no prazo e condições
estabelecidos, convocar os licitantes remanescentes, na ordem de classificação, para fazê-lo
em igual prazo e nas mesmas condições propostas pelo primeiro classificado, inclusive quanto
aos preços atualizados de conformidade com o ato convocatório, ou revogar a licitação
independentemente da cominação prevista no art. 81 desta Lei.

8
ANEXO EDITAL DA LICITAÇÃO

Art. 40.  O edital conterá no preâmbulo o número de ordem em série anual, o nome da


repartição interessada e de seu setor, a modalidade, o regime de execução e o tipo da
licitação, a menção de que será regida por esta Lei, o local, dia e hora para recebimento da
documentação e proposta, bem como para início da abertura dos envelopes, e indicará,
obrigatoriamente, o seguinte:

I - objeto da licitação, em descrição sucinta e clara;

II - prazo e condições para assinatura do contrato ou retirada dos instrumentos, como


previsto no art. 64 desta Lei, para execução do contrato e para entrega do objeto da licitação;

III - sanções para o caso de inadimplemento;

IV - local onde poderá ser examinado e adquirido o projeto básico;

V - se há projeto executivo disponível na data da publicação do edital de licitação e o local


onde possa ser examinado e adquirido;

VI - condições para participação na licitação, em conformidade com os arts. 27 a 31 desta


Lei, e forma de apresentação das propostas;

VII - critério para julgamento, com disposições claras e parâmetros objetivos;

VIII - locais, horários e códigos de acesso dos meios de comunicação à distância em que


serão fornecidos elementos, informações e esclarecimentos relativos à licitação e às condições
para atendimento das obrigações necessárias ao cumprimento de seu objeto;

IX - condições equivalentes de pagamento entre empresas brasileiras e estrangeiras, no


caso de licitações internacionais;

X - o critério de aceitabilidade dos preços unitário e global, conforme o caso, permitida a
fixação de preços máximos e vedados a fixação de preços mínimos, critérios estatísticos ou
faixas de variação em relação a preços de referência, ressalvado o disposto nos parágrafos 1º e
2º  do art. 48; (Redação dada pela Lei nº 9.648, de 1998)

XI - critério de reajuste, que deverá retratar a variação efetiva do custo de produção,


admitida a adoção de índices específicos ou setoriais, desde a data prevista para apresentação
da proposta, ou do orçamento a que essa proposta se referir, até a data do adimplemento de
cada parcela; (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

XIII - limites para pagamento de instalação e mobilização para execução de obras ou


serviços que serão obrigatoriamente previstos em separado das demais parcelas, etapas ou
tarefas;

XIV - condições de pagamento, prevendo:

a) prazo de pagamento não superior a trinta dias, contado a partir da data final do


período de adimplemento de cada parcela; (Redação dada pela Lei nº 8.883, de 1994)

9
b) cronograma de desembolso máximo por período, em conformidade com a
disponibilidade de recursos financeiros;

c) critério de atualização financeira dos valores a serem pagos, desde a data final do
período de adimplemento de cada parcela até a data do efetivo pagamento; (Redação dada
pela Lei nº 8.883, de 1994)

d) compensações financeiras e penalizações, por eventuais atrasos, e descontos, por


eventuais antecipações de pagamentos;

e) exigência de seguros, quando for o caso;

XV - instruções e normas para os recursos previstos nesta Lei;

XVI - condições de recebimento do objeto da licitação;

XVII - outras indicações específicas ou peculiares da licitação.

§ 1o  O original do edital deverá ser datado, rubricado em todas as folhas e assinado pela
autoridade que o expedir, permanecendo no processo de licitação, e dele extraindo-se cópias
integrais ou resumidas, para sua divulgação e fornecimento aos interessados.

§ 2o  Constituem anexos do edital, dele fazendo parte integrante:

I - o projeto básico e/ou executivo, com todas as suas partes, desenhos, especificações e
outros complementos;

II - orçamento estimado em planilhas de quantitativos e preços unitários;

III - a minuta do contrato a ser firmado entre a Administração e o licitante vencedor;

IV - as especificações complementares e as normas de execução pertinentes à licitação.

10

Você também pode gostar