Você está na página 1de 48

Releitura da pintura “La Patria” de Jesus Helguera

A REPÚBLICA
REVISTA M∴B∴
 SUMÁRIO

NESTA EDIÇÃO - NOVEMBRO DE 2021


EDITORIAL
03

A REPÚBLICA IDEALIZADA
04 POR MAÇONS

A RESPONSABILIDADE DO
MAÇOM NA DEFESA DA JUSTIÇA 15

COLUNA SÉRGIO QUIRINO


18

WHATSAPP
19

A INICIAÇÃO É SUMA
24 IMPORTÂNCIA P/ O MAÇOM

TOLERÂNCIA MAÇÔNICA
27

O TRONO
30

SORTEIO DE LIVROS
32

OUSE SABER
33

LIVROS
38

REVISTAS, JORNAIS
40 E INFORMATIVOS

SITES/CANAIS/PODCAST
42

MURAL DE NEGÓCIOS
44

UM TEXTO...
47

REVISTA M∴B∴ 2 Novembro de 2021


 EDITORAL
À Gl∴ do Gr∴ Arq∴ do Un∴
Continuamos em pé e a ordem! Chegamos a 7ª edição da Revista M∴B∴ receben-
do mensagens agradecendo a confecção e distribuição de material maçônico com
qualidade e o que ninguém acredita ser possível: custo zero!
Vivemos no topo da era da informação e conhecimento, com redes sociais fortes,
onde qualquer pessoa tem condições de criar vídeos, gravar áudios, escrever artigos,
livros, revistas, tirar fotos, manipular imagens e compartilhar com o mundo inteiro, de
forma gratuita. A maçonaria não é um mundo à parte. Somos pessoas dessa era e
também nos denominamos maçons, portanto, além do que todas as pessoas fazem na
era da informação, temos o objetivo de tornar a humanidade mais feliz. Então por que
não unirmos a era da informação com o principal objetivo da maçonaria? Esse foi o
objetivo inicial na criação da Revista M∴B∴ e continua sendo. Compartilhamos o co-
nhecimento maçônico, através de artigos e peças arquitetônicas trabalhadas pelos ir-
mãos, de forma gratuita
Mas como é possível produzir e compartilhar de forma gratuita? Sempre soube
que mais aprende quem ensina, isso porque para ensinar é necessário pesquisar, estu-
dar, escrever e transmitir a informação correta por várias vezes, e, assim, pelas con-
versas que já tive com dezenas de colaboradores da
revista, todos tem esse princípio, além de fazerem es-
ses trabalhos por amor a maçonaria, por acreditarem
 EXPEDIENTE
que estão ajudando a tornar a humanidade mais feliz.
Todos os autores, inclusive o editor da Revista, fazem REVISTA M∴B∴
esses trabalhos ocupando suas horas vagas, não tendo
sua fonte de renda através deles. Revista Maçônica Digital
Como a Revista é digital, editada pelo próprio edi- Publicação Mensal e Gratuita
tor, não é impressa e a distribuição também é feita pe- ANO I – n.º 07 – Novembro/2021
lo editor e pelos compartilhamentos dos irmãos, não Editor e Jornalista Responsável
há funcionários ou contratados, então não há custos. Sebastião Marcondes∴
Ah, mas e as propagandas? Então são elas que pagam
os custos que houver? Também não, as propagandas
Distribuição
também são gratuitas, e, por incrível que pareça, são
www.bancadosbodes.com.br/mb
praticamente as mesmas desde a primeira edição, pois Assinatura Digital Gratuita
não há interesse em divulgar. www.revistamb.ml
Mas em quanto tempo é feita a Revista? Quem pa- Contatos
ga as horas do editor para fazer a Revista? E livros que mb@bancadosbodes.com.br
são sorteados? Qual o interesse que há por trás disso? WhatsApp: (61) 99599-9926
Como já dito, desde a primeira edição, através dos edi- Atenção: Os colaboradores da Revis-
ta M∴B∴, que enviam informações,
toriais ou dos artigos do editor, o trabalho é voluntário,
textos, fotos e imagens, são respon-
desempenhado com dedicação de uma, duas, ou três sáveis pela autoria e originalidade do
horas por dia, apenas como uma espécie de “hobby”, material enviado à revista e pela ob-
assim adquirindo e transmitindo conhecimento, estrei- tenção de autorização de terceiros
tando os laços de amizade, cavando masmorras aos para a devida utilização, quando ne-
cessária, respondendo, assim, por
vícios e levantando templos à virtude, ajudando a tor- qualquer reivindicação que eventual-
nar mais feliz a humanidade. Me ajude nesse objetivo, a mente venha a ser apresentada à
M∴B∴ continua aberta para suas colabo- revistas em relação aos direitos inte-
rações, escreva para nós, envie sua peça lectuais e/ou direitos de imagem.
de arquitetura, conte histórias de sua Os colaboradores da Revista M∴B∴
Loja... são voluntários e não recebem remu-
neração pelo trabalho cedido às pu-
Fraternal abraço, blicações. Os artigos assinados não
refletem, necessariamente, o pensa-
mento da direção ou do editor da
Sebastião Marcondes∴ (Editor) revista.

REVISTA M∴B∴ 3 Novembro de 2021


 ESTUDO

A REPÚBLICA IDEALIZADA POR MAÇONS


O QUE DEU ERRADO?

1967, considerando a Emenda de 1969 e


Irm∴ Eduardo Albuquerque Rodrigues Diniz, 1988) e o país passou por nove moedas,
M∴ M∴ com diversas desvalorizações (Réis: até
1941, Cruzeiro: 1942, Cruzeiro Novo: 1967,
A∴ R∴ L∴ S∴ Liberdade Teresinense, n.º 1.314 Cruzeiro: 1970, Cruzado: 1986, Cruzado
Novo: 1989, Cruzeiro: 1990, Cruzeiro Real:

C
ompletados cento e trinta anos de 1993 e Real: julho de 1994).
proclamada, a república brasileira Importante observar que a república foi
parece ainda estar em processo proclamada através de um golpe militar
de estabilização, e surgem muitos questi- em 1889, que se estendeu até 1894 nas
onamentos sobre sua legitimidade e o mãos dos Marechais Deodoro da Fonseca
compromisso no trato da coisa pública
e Floriano Peixoto, e que só findou com a
(res publica) que merecem reflexão, es- eleição de Prudente de Morais, e depois
pecialmente depois das diversas manifes- advieram outros cinco períodos de inter-
tações nas redes sociais questionando a venção militar (1930 a 1934 – Revolução
proclamação da república e o fato de não de 30, 1937 a 1945 – Estado Novo, 1945 –
haver nada para comemorar. Consideran- Min. José Linhares na Presidência do STF
do ainda a celebração pela adoção do e do Executivo por convocação das For-
atual Pavilhão Nacional em substituição à ças Armadas, 1955 – Movimento 11 de No-
Bandeira Imperial. vembro e 1964 a 1985 – Ditadura Militar).
Ao longo dessas treze décadas foram Nove presidentes não iniciaram ou con-
promulgadas e outorgadas seis Constitui- cluíram seus mandatos por crises políti-
ções Federais (1891, 1934, 1937, 1946, cas ou golpes (Deodoro da Fonseca: 1891,

REVISTA M∴B∴ 4 Novembro de 2021


Washington Luís: 1930, Júlio Prestes: gralmente: Eurico Gaspar Dutra (eleito
1930, Getúlio Vargas: 1945 e 1954, Carlos em 1945), Juscelino Kubitschek (1955),
Luz: 1955, Jânio Quadros: 1961, João Gou- Fernando Henrique Cardoso (1994 e
lart: 1964, Fernando Collor: 1992 e Dilma 1998) e Luiz Inácio Lula da Silva (2002 e
Rousseff: 2016). 2006). No momento, Jair Bolsonaro exer-
O país passou por diversas revoltas e viu a ce o mandato de presidente, tendo sido
eleito em 2018.
formação de guerrilhas como a Revolta da
Armada: 1892 a 1894, a Revolução Federa- Foram oito presidentes presos por moti-
lista: 1893 a 1895, Revolta de Canudos: 1893 vos políticos, por acusação e ou por con-
a 1897, Revolta da Chibata: 1910, Guerra do denação pelo cometimento de crimes:
Contestado: 1912 a 1916, Revolta dos Dezoi- Hermes da Fonseca em 1922, Washing-
to do Forte: 1922, Coluna Prestes: 1923 a ton Luís em 1930, Arthur Bernardes em
1925, Revolução de 1930, Revolução Cons- 1932, Café Filho em 1955, Jânio Quadros
titucionalista: 1932, Intentona Comunista: em 1968, Juscelino Kubitschek em 1968,
1935, Luta Armada: 1965 a 1972. Luiz Inácio Lula da Silva em 2018 e Mi-
chel Temer em 2019.
Trinta e um (31) presidentes da república
não foram eleitos diretamente, conside- Deve ser registrado que as manifestações
rando a posse de interinos e também elei- sobre a república apareceram no Brasil
ções marcadas por fraudes eleitorais e pe- ainda no período colonial antes mesmo da
lo controle das oligarquias e do coronelis- influência da Independência dos Estados
mo (Deodoro da Fonseca: 1889, Floriano Unidos da América (1786) e Revolução
Peixoto: 1891, Prudente de Morais: 1894, Francesa (1789), ou das revoltas no solo
Campos Sales: 1898, Rodrigues Alves: brasileiro colonial com a Conjuração Mi-
1902, Afonso Pena: 1906, Nilo Peçanha: neira (1789), Conjuração Carioca (1794) e
1909, Hermes da Fonseca: 1910, Venceslau Conjuração Baiana (1798-1799), como
Brás: 1914, Rodrigues Alves: 1918, Delfim lembra a historiadora e cientista política,
Moreira: 1918, Epitácio Pessoa: 1919, Arthur Heloisa STARLING (2018), referindo-se ao
Bernardes: 1922, Washington Luís: 1926, Frei Vicente do Salvador, que já em 1630
Júlio Prestes: 1930, Getúlio Vargas: 1930, afirmou que “nenhum homem nesta terra
José Linhares: 1945, Café Filho: 1954, Car- é repúblico, nela zela, ou trata do bem co-
los Luz: 1955, Nereu Ramos: 1955, Ranieri mum, senão cada um do bem particular”.
Mazilli: 1961, João Goulart: 1961, Castelo As expressões republicanas no final do sé-
Branco: 1964, Costa e Silva: 1967, Garras- culo XVIII construía na Terra Brasilis mais
tazu Médici: 1969, Ernesto Geisel: 1974,
um sentimento antimonárquico, de liber-
João Figueiredo: 1979, Tancredo Neves:
dade da colônia e de independência que
1985, José Sarney: 1985, Itamar Franco:
propriamente de melhor trato da coisa
1992 e Michel Temer: 2016).
pública. No comentário do professor de
Merece destacar que somente nove presi- Sociologia Alexandro Trindade, da UFPR
dentes podem ser considerados eleitos (ISTOÉ, 2007), sobre a hipótese sustenta-
pelo voto popular livre e sem dúvidas no da pelo historiador José Murilo de Carva-
processo eleitoral, sendo que dois sofre- lho de que o provo assistiu “bestializado”
ram impeachment (Fernando Collor: 1992 à proclamação da república, afirma que:
e Dilma Rousseff: 2016) e dois termina- “Foi um movimento de intelectuais e mili-
ram seus mandatos antes do tempo Getú- tares descontentes com a atenção que o
lio Vargas: 1950 (suicídio) e Jânio Qua- Império dedicava a eles próprios”.
dros: 1960 (renúncia). Apenas quatro pre-
Na mesma matéria publicada pela Revista
sidentes da república eleitos pela via dire-
ISTOÉ na data do 118º aniversário da pro-
ta puderam exercer seus mandatos inte-
clamação, reconheceu o presidente da

REVISTA M∴B∴ 5 Novembro de 2021


OAB-Paraná, Alberto de Paula Machado, mo CRIADOR e, portanto, humanos e co-
as dificuldades institucionais brasileiras, mo consequência, a fraternidade entre
mas seguia acreditando que a República todas as nações”, defendendo a humani-
brasileira está se aprimorando, e afirmou dade e a democracia.
que o país tem “um nível de democracia “Ciência, Justiça e Trabalho” é o lema da
(…) com perspectivas boas de futuro. O Maçonaria brasileira, pois tem-se “a ciên-
que não melhora é o cuidado com a coisa cia, para esclarecer os espíritos e elevá-
pública” e cita as privatizações feitas no los; justiça, para equilibrar e enaltecer as
governo Fernando Henrique Cardoso e as relações humanas; e trabalho por meio do
denúncias do “mensalão”, na gestão Lula. qual os homens se dignificam e se tornam
O futuro, entretanto, reservava para a na- independentes economicamente. Em uma
ção mais escândalos somados a um mal palavra, a Maçonaria trabalha para o me-
maior, que foi a divisão do país em pro- lhoramento intelectual, moral e social da
porção nunca dantes vista por motivos humanidade”. O objetivo da instituição é
ideológicos. Assim, a república nascida de “a investigação da verdade, o exame da
um golpe militar, sem a participação po- moral e a prática das virtudes”, e tem por
pular, com o ilusório objetivo de que com dever “o respeito e os direitos dos indiví-
a mudança do regime faria o país ingres- duos e da sociedade”, como a proprieda-
sar na modernidade, que não se confir- de, mas também de proteger e servir aos
mou, percebe, mais de um século depois, nossos semelhantes. Enfim, a Maçonaria
que nunca conseguiu estabilidade como resume o dever do homem assim:
demonstrado no início deste texto, e que ‘Respeito a Deus, amor ao próximo e de-
gradativamente se afastou dos seus prin- dicação à família’. Em verdade, essa é a
cípios fundadores (ordem, progresso, li- maior síntese da fraternidade univer-
berdade, igualdade e fraternidade). sal” (Portal do GOB).
Os mencionados princípios republicanos No contexto histórico nacional estão os
estão interligados com os ideais maçôni- Maçons como protagonistas dos três
cos. Segundo o Portal do Grande Oriente principais eventos do século XIX, partici-
do Brasil[1], a Maçonaria é uma instituição pando da fundação do Brasil independen-
filosófica, que “investiga as leis da nature- te, como também da Abolição da Escravi-
za e relaciona as primeiras bases da mo- dão e da proclamação da república. Mui-
ral e da ética pura”; filantrópica e educati- tas vezes a instituição Maçonaria é citada
va porque cultiva o aclassismo, “não está como partícipe nos eventos políticos bra-
constituída para obter lucro pessoal de sileiros ocorridos no século XIX, entretan-
nenhuma classe, e procura conseguir a to, a sua presença ocorre mais pela inicia-
felicidade dos homens por meio da eleva- tiva de cada homem que fazia parte desta
ção espiritual e pela tranquilidade da distinta Ordem e sua influência social, do
consciência”; e progressista pois que por atividade institucional.
“acredita na imortalidade e da crença em Inicialmente, os Maçons participaram efe-
um princípio criador regular e infinito, não tivamente de todo o processo de inde-
se aferra a dogmas, prevenções ou su- pendência envolvidos por dois dos princi-
perstições”. A Ordem maçônica tem co- pais protagonistas do movimento, José
mo princípios “a liberdade dos indivíduos Bonifácio de Andrada e Silva e Joaquim
e dos grupos humanos, sejam eles insti- Gonçalves Ledo eram Maçons e organiza-
tuições, raças, nações; a igualdade de di- ram desde o Dia do Fico até a Coroação
reitos e obrigações dos seres e grupos de D. Pedro de Alcântara Bragança e
sem distinguir a religião, a raça ou nacio- Bourbon como Imperador do Brasil. Entre
nalidade; a fraternidade de todos os ho- esses eventos foi fundado o Grande Ori-
mens, já que somos todos filhos do mes-

REVISTA M∴B∴ 6 Novembro de 2021


ente Brasílico (do Brasil) e foi realizada a cionar os termos cativos ou escravos.
iniciação do Príncipe D. Pedro na recém- Os preceitos maçônicos relacionados à
criada Ordem nacional. Ensina Castellani
abolição da escravidão se concretizaram
(1973) que: em 1850 com a Lei Eusébio de Queiroz
A Independência do Brasil era a meta es- que proibiu o tráfico e tornou ilegal a im-
pecífica dos fundadores do Grande Orien- portação de cativos. Eusébio de Queiroz
te e logo todos eles dedicaram-se a con- era Ministro da Justiça e Maçom, cuja inici-
segui-la, embora o processo emancipador, ativa inaugurou uma série de quatro im-
nos meios maçônicos já tivesse sido inicia- portantes leis. Em 1871 adveio a Lei do
do antes de 17 de junho de 1822. Na reali- Ventre Livre, proposta pelo Maçom José
dade, o primeiro passo oficial dos Maçons, Maria da Silva Paranhos, Visconde do Rio
nesse sentido, foi o Fico, de 9 de janeiro, o Branco, incentivado pelo discurso do Im-
qual representou uma desobediência aos perador D. Pedro II em 1867. A segunda lei
decretos 124 e 125, emanados das Cortes abolicionista foi dos Sexagenários propos-
Gerais portuguesas e que exigiam o imedi- ta pelo Ministro e Senador liberal Manuel
ato retorno do príncipe a Portugal, […]. Pinto de Sousa Dantas, em 1884, mas só
foi aprovada em 1885 com emendas, como
Por ocasião da independência do Brasil
a que aumentar o limite de idade do cativo
foi considerada a proposta de José Boni-
a ser liberto de sessenta para sessenta e
fácio pela adoção da Monarquia como
cinco anos, por isso a Lei dos Sexagená-
forma de governo, afastando a sugestão
rios libertava apenas com 65 anos. Essa lei
de Gonçalves Ledo, mas com adesão des-
te, cuja finalidade era de gerar na popula- ficou conhecida também por Saraiva-
Cotegipe em referência aos dois membros
ção brasileira o sentimento de nacionali-
do gabinete ministerial do Império, o libe-
dade, de patriotismo, de civismo, a identi-
ral Conselheiro José Antônio Saraiva[2] e
dade nacional e principalmente manter a
o conservador Barão de Cotegipe, João
unidade do território em torno da figura
Maurício Wanderley, que a apoiaram.
do Imperador, e assim todos esses objeti-
vos foram construídos por uma elite polí- A Lei Aurea foi o documento legislativo
tica imperial. Ao contrário, a América es- decisivo que contou com a colaboração
panhola formou diversas repúblicas. da Princesa Isabel do Brasil que, diante da
Assembleia Geral, na Fala ao Trono no iní-
O Maçom José Bonifácio ainda apresen-
cio de 1888 pediu a extinção do elemento
tou para o país em formação proposta de
servil no Brasil, como forma de atender o
Abolição da Escravidão junto à Assem-
espírito cristão e liberal das instituições
bleia Constituinte em 1823, mas nunca foi
brasileiras. A proposta de abolição da es-
debatida ou contestada, tendo sido igno-
rada (SENADO FEDERAL, 2012), e ao final cravidão foi apresentada pelo ministro da
Agricultura da época, o Maçom Rodrigo
houve vitória dos interesses escravagistas,
Augusto da Silva, em 8 de maio de 1888 e
colocando o Patriarca do Brasil no ostra-
foi votada nas duas casas em cinco dias,
cismo, e mantendo a liberdade incondicio-
sendo que no dia 13 de maio foi assinada
nal fora da Constituição do Império. Du-
pela Princesa Regente Isabel e pelo pro-
rante todo o Segundo Império a campa-
positor da norma. Assim, segundo D’Al-
nha de libertação dos escravos foi lenta e
buquerque (1970):
gradual com a adoção de várias leis aboli-
cionistas, uma vez que os parlamentares A libertação dos escravos no Brasil, foi,
do período eram grandes latifundiários e não há como negar, iniciativas de maçons,
proprietários do elemento servil, termo um empreendimento da Maçonaria. A Ma-
usado pelo Monarca para identificar os çonaria, cumprindo sua elevada missão de
que não tinham liberdade, mas sem men- lutar pela reivindicação dos direitos do

REVISTA M∴B∴ 7 Novembro de 2021


Homem […]. Aí estão os fatos para confir- de membros da realeza e nobreza com
mar nossa assertiva. Basta ver a predomi- privilégios garantida pelo simples funda-
nância extraordinária de maçons entre os mento do nascimento. A república era a
que pelejaram para que desaparecesse do alternativa que apresentava um rompi-
Brasil a vexatória mancha da escravidão. mento com esse antigo regime, pois em
D’Albuquerque (1970) cita ainda vários tese, defendiam os republicanos, garantia
a qualquer pessoa a possibilidade poder
Maçons que direta ou indiretamente tam-
chegar ao poder pelo voto.
bém participaram da extinção da escravi-
dão no Brasil: Nabuco de Araújo, José do Some-se ao fundamento teórico que sus-
Patrocínio, Luiz Gama, Joaquim Nabuco, tentava a defesa pela mudança de siste-
João Alfredo, Quintino Bocaiúva, Rui Bar- ma no Brasil as questões religiosa, militar
bosa, Teófilo Ôtoni, Saldanha Marinho, e abolicionista, surgidas nos últimos anos
Luis May, Chicorro da Gama, Pimenta Bu- da Monarquia, que influenciaram conside-
eno (Marquês de São Vicente), Sousa ravelmente na sua deposição. Cada uma
Franco, Tristão de Alencar, Tôrres Ho- delas ao seu tempo foi diminuindo o
mem, Francisco Otaviano, Figueira de apoio de importantes setores sociais ao
Melo, Cristiano Ôtoni, Sinimbu, Jerônimo Imperador. Resumidamente, na primeira
Sodré, Barros Pimentel, Nicolau Moreira questão, os membros da igreja católica se
(Presidente da Sociedade Brasileira con- sentiram preteridos pelo Imperador por
tra Escravidão), Lopes Trovão, Castro Al- interferir nos seus assuntos e vetar deci-
ves, Ubaldino do Amaral, João Ferreira, sões do Vaticano[3]. Os militares queriam
Serpa Júnior, André Rebouças, Paula Bri- participar mais da política brasileira após
to e Montezuma, dentre outros, demons- a Guerra do Paraguai, mas o regime Mo-
trando a contribuição dos homens que nárquico não abria espaço para esta par-
fazem parte da Maçonaria neste impor- ticipação. Muitos fazendeiros, possuido-
tante ato de cidadania nacional. res de grandes investimentos que envol-
viam mão-de-obra escrava, não ficaram
Dezoito meses depois da Abolição adveio
satisfeitos com a abolição e também pas-
a república, com a participação ativa de
saram a fazer oposição ao regime monár-
muitos dos Maçons acima citados. A mu-
quico. O Imperador após a extinção da
dança do sistema de governo permane-
escravidão ficou politicamente isolado,
ceu por muito tempo presente nos deba-
sem qualquer apoio.
tes nacionais entre brasileiros e portugue-
ses, liberais e conservadores, republica- Certamente a república teria sido muito
nos e monarquistas, mas sem que efetiva- bem-vinda ao Brasil se à época ela tives-
mente fosse implementada. Destaque-se se realmente vencido aqueles homens
que durante o 2º Reinado foi fundado o que corrompiam as instituições, e os mo-
partido republicano paulista em 1873, tivos para adoção do novo regime fos-
após a Convenção de Itu. A república sem legítimos e com participação popu-
simbolizava um rompimento com o anti- lar. Todavia, ao contrário, foram vitorio-
go regime, era entendido como um in- sos os oligarcas, grandes latifundiários e
gresso na modernidade, deixando o Brasil aqueles que tinham sua economia basea-
ao lado dos Estados Unidos (1789), Fran- da na manutenção da escravidão, que
ça (1792) e todas as repúblicas vizinhas passaram a ver na figura do Imperador D.
da América Latina. Pedro II e da futura governante, a Prince-
sa Isabel do Brasil, empecilho para seus
Além disso, a Monarquia no final do sécu-
interesses[4], ou seja, “tudo deve mudar
lo XIX carregava o ranço do absolutismo,
para que tudo fique como está”[5], e não
e simbolizava a desigualdade entre as
houve concordância do povo, que ape-
pessoas, não sendo admitida a existência
nas observaram tudo. Ademais, a ausên-

REVISTA M∴B∴ 8 Novembro de 2021


cia da participação e ciência do povo na influentes que derrubaram a Monarquia,
proclamação da república gerou suspei- continuaram atuando na república.
ção de legitimidade, tanto que foi realiza-
Tanto é que os homens livres e de bons
do em 1993 um plebiscito[6] programado costumes que contribuíram para a substi-
na Constituição de 1988, em que foi esco- tuição da forma de governo, gradativa-
lhida a forma de governo republicano e mente foram afastados dos negócios do
sistema presidencialista, e vencidos a Estado ou se arrependeram. Pode-se citar
Monarquia e o Parlamentarismo. como exemplo José do Patrocínio que foi
O que causa espécie é o fato do Impera- deportado para o Amazonas por Floriano
dor ter caído por ser culto, como pode ser Peixoto em 1892 após editar matéria jor-
observado em trecho da ata que registra nalística que criticava seu governo ditato-
a posse de Marechal Manuel Deodoro da rial. Outros também manifestaram des-
Fonseca, publicado no Boletim do Grande contentamento como Quintino Bocaiúva
Oriente do Brasil em 1890, em que se des- e Benjamin Constant aos quais atribuem
taca o comentário do Orador (págs. 10-11): as frases, na internet:
Não cahio a Monarchia por ser tyrannica, Só volto ao senado para pedir perdão a
nem oppressora; porém, sim, porque to- Deus pelo que fiz para que viesse essa re-
das as instituições que deviam concorrer pública; e admiro que o povo ainda não te-
para mante-la, foram estragadas pelos nha cortado a cabeça de quanto comete-
homens que audazmente galgaram as mos o tão funesto erro. (Quintino Bocaiúva)
mais elevadas posições, sem outro mere- Não era essa a república com que eu so-
cimento senão — ou a ambição que cega, nhava. (Benjamin Constant)
ou o patronato que avilta.
A Rui Barbosa é atribuída a frase:
Se me fosse permittido biographar n’este “Majestade me perdoe, não sabia que a
momento a vida do ex-Imperador, eu che- república era isto”, amplamente divulgada
garia, sem receio de coutestação séria, a na rede de alcance mundial, mas também
afirmar que muito deve este Paiz ao seu sem indicação da fonte, gerando dúvida
dedicado e extremoso amor de filho, e quanto ao momento em que as palavras
que se peccou foi por fraqueza de seu es- foram dirigidas ao Monarca no exílio. Em
pirito, antes preparado para as disputas outro momento, Rui Barbosa fez a mea
scientificas, que exigem só o concurso da culpa, quando em discurso em 17 de de-
razão; do que para as lutas de governo, zembro de 1914 no Senado declarou[8]:
que exigem o concurso da vontade, que (…) De tanto ver triunfar as nulidades, de
quer e sabe querer. (SIC) tanto ver prosperar a desonra, de tanto
Pedro II não foi um político, nem poderia ver crescer a injustiça, de tanto ver agi-
ser pelo fato de exercer o Poder Modera- gantarem-se os poderes nas mãos dos
dor, seu reinado não era tirânico ou opres- maus, o homem chega a desanimar da vir-
sor. Todavia, ele não se submeteu a ambi- tude, a ter vergonha de ser honesto. Essa
ção cega e ao aviltante patronato, nem se é a obra da república nos últimos anos. No
conformou com a situação dos escravos, outro regime (a monarquia) o homem que
por isso gradativamente promoveu a liber- tinha certa nódoa em sua vida era um ho-
tação dos mesmos, na velocidade e dentro mem perdido para todo o sempre – as
das possibilidades que o estamento buro- carreiras políticas lhe estavam fechadas.
crático[7] do período permitia, pois infeliz- Havia uma sentinela vigilante, de cuja se-
mente essas péssimas práticas continua- veridade todos se temiam a que, acesa no
ram com o advento do novo regime, uma alto, guardava a redondeza, como um fa-
vez que boa parte dos políticos e grupos rol que não se apaga, em proveito da hon-
ra, da justiça e da moralidade gerais.

REVISTA M∴B∴ 9 Novembro de 2021


Na República os tarados são os tarudos. civismo. (Obras Completas de Ruy Barbo-
Na República todos os grupos se alhea- sa. V. 46, t. 1, 1919. p. 21).
ram do movimento dos partidos, da ação
Os presidentes maçons que assumiram a
dos Governos, da prática das instituições. chefia do Poder Executivo na velha repú-
Contentamo-nos hoje com as fórmulas e blica não conseguiram vencer a nefasta
aparência, porque estas mesmo vão se forma de fazer política existente no país
dissipando pouco a pouco, delas quase durante cada um de seus mandatos e não
nada nos restando. (…) tiveram paz em seus governos, e por isso
E nessa destruição geral das nossas insti- não se pode afirmar que eles tiveram as
tuições, a maior de tôdas as ruínas, Se- condições adequadas para implementar
nhores, é a ruína da justiça, colaborada seus conhecimentos e comportamentos
pela ação dos homens públicos, pelo inte- maçônicos, o país estava em convulsão
rêsse dos nossos partidos, pela influência desde a derrubada do antigo regime. De-
constante dos nossos Governos. E nesse odoro destituiu o Poder Legislativo e re-
esboroamento da justiça, a mais grave de nunciou diante das pressões de eclosão
tôdas as ruínas é a falta de penalidade aos da Revolta da Armada. Floriano, enfren-
criminosos confessos, é a falta de punição tou diversas rebeliões e lançou uma dita-
quando se aponta um crime que envolva dura com estado de sítio. Prudente, sofreu
um nome poderoso, apontado, indicado, atentado e deparou-se com a Revolta de
que todos conhecem, mas que ninguém Canudos, um genocídio nacional. Sales,
tem coragem de apontá-lo à opinião pú- deparou-se com as exigências da oligar-
blica, de modo que a justiça possa exercer quia, com a formação da política do café-
a sua ação saneadora e benfazeja. (…) com-leite e instituição do coronelismo.
Peçanha, assumiu com o falecimento de
A sentinela qual um farol era justamente
Afonso Pena, tendo sido registrada na sua
o Imperador D. Pedro II, com seu caderni-
gestão agitação política provocada pela
nho preto onde anotava com o lápis fatí-
oposição. Hermes, encarou a Guerra do
dico os nomes daqueles, que por atitudes
Contestado e Revolta da Chibata. Brás,
indignas, não deveriam mais pertencer a
conseguiu a pacificação dos conflitos na-
cargos de governo (PEREIRA, 2000).
cionais, como a Revolta dos Sargentos
Outra frase muito lembrada de Rui Barbo- (1915) e enfrentou as greves em 1917, mas
sa é a de que “o parlamento no Império foi envolto na crise da 1ª Guerra Mundial
era uma escola de estadistas, na república (1917). Delfim, deparou-se com greves e
uma praça de negócios”, sem registro co- problemas sociais. Washington, foi depos-
nhecido, mas que pode ser compreendida to e exilado pela Revolução de 1930.
como um resumo ou adaptação de trecho
[9] que faz parte de Conferência em 1919. Depois da velha república, ainda assumi-
ram a presidência três Maçons. Na década
E no mesmo ano, Rui Barbosa tece elogi-
de 50, sucederam a Getúlio, Café Filho,
os sobre o período monárquico:
que fez cortes nas despesas do governo e
O regime constitucional, na Monarquia, contenções no crédito, mas adoeceu e foi
tinha, entre nós, dois largos pulmões, o impedido pelo Congresso, e Ramos, que
parlamento e a imprensa, por onde a vida governou sob estado de sítio até o início
nacional se oxigenava livremente. O no- do mandato de Juscelino Kubitschek. E
me do Senado não desdizia, ali, das tradi- Jânio Quadros, que embora eleito com a
ções da majestade antiga, não repugnava maior votação até então obtida no Brasil,
as grandezas consulares da casa de Cíce- renunciou em 1961, com 206 dias de exer-
ro e Catão. A tribuna legislativa era glori- cício do mandato, alegando que “forças
osa arena, onde as ideias e as virtudes se terríveis” se levantaram contra seu gover-
batiam pelas aspirações da honra e do no (ANDRADE, 1985) e deram início aos

REVISTA M∴B∴ 10 Novembro de 2021


fatos que ensejaram a quinta intervenção praticadas, conscientes ou não, pois errar
militar na república em 1964. é humano, e independe de ser iniciado ou
E o que deu errado? Na verdade, não é a não. Todavia, sempre esquecem ao criti-
forma ou o sistema de governo adotado car os Maçons e a Maçonaria das suas
na Independência ou em 1889 que fez o ações beneficentes e altruístas, da contri-
país ser melhor ou pior, pois a questão buição que sempre deram pela educação,
principal está nas pessoas que assumiram na formação de jovens através de escolas
a responsabilidade de gerir o país nos que ajuda a manter e das entidades para-
momentos importantes para o desenvol- maçônicas (DeMolay, Filhas de Jó e Ape-
vimento nacional. Ademais, não se pode jotistas), bem como de órgãos de promo-
afirmar que a manutenção da Monarquia ção da saúde pública, e essas ações nun-
conduziria o país ao desenvolvimento e ca cessaram.
resolução dos problemas nacionais por Muitas vezes se atribui à Maçonaria as
caminhos com menos dificuldades. mazelas que se vivencia na atualidade,
De certo, os Maçons participaram de di- todavia, não há qualquer demonstração
versos acontecimentos da história mundi- plausível que sustente a afirmação, até
al, tiveram essencial presença na Inde- mesmo porque houve muita deturpação
pendência dos Estados Unidos da Améri- das informações e negação da história
ca e adoção da república, sendo notório nacional, das instituições e dos ícones his-
os símbolos nas cédulas de dólar, nas ci- tóricos, daí ser necessário resgatar a ver-
dades construídas e nos monumentos er- dade, como também os adequados valo-
guidos, como a Capital Washington D.C., res e comportamentos e exaltar as boas
bem como nos eventos que envolveram a ações dos vultos nacionais. Até porque
Monarquia britânica, como na restituição não é possível avaliar as ações do passa-
dos Stuarts[10] ao trono após o término do como se pudessem ser mudadas, as
do governo de Oliver Cromwell, a revolu- decisões tomadas no pretérito atenderam
ção Gloriosa, e o fato de ser o Grão- as demandas de suas épocas. Em mídia
Mestre da Grande Loja Unida da Inglater- produzida pela TV GOB, pertencente ao
ra membro da Família Real, o Duque de Grande Oriente do Brasil, em homenagem
Kent, o Príncipe Edward. Duas nações à proclamação da república, o Maçom Jo-
com diferentes sistemas, mas que vence- ão Francisco Guimarães[11], Maçom, escri-
ram suas dificuldades com a participação tor e historiador (GOB, 2019), conclui sua
dos Maçons. exposição com um desabafo:

A Maçonaria não tem preferência por for- (…) a república acabou com o padroado,
mas de governo ou de Estado, nem por instituiu o casamento, o registro de nasci-
sistemas de governo, estimula os gover- mento, teve um ministério totalmente
nos a serem democráticos e contra toda maçônico, começou a colocar o país no
forma de exploração e despotismo, sejam trilho (…) A república continua sendo uma
eles políticos, econômicos ou intelectuais. grande dívida para os brasileiros e ma-
çons. Até hoje a república loteia este país
Difícil afirmar que todas as contribuições com trinta e poucos partidos, ministros
e participações dos Maçons nas questões de tudo que é qualidade, de má qualida-
sociais e políticas alcançaram os resulta- de. E a sorte é que tem algumas boas in-
dos pretendidos. Como seres humanos tenções. Isso é o que acontece na repú-
todos podem realizar ações bem- blica de hoje, 2016. (…)
intencionadas, mas que não lograram o
êxito pretendido, assim como não há co- Concluindo, é extremamente importante
mo evitar que más atuações tenham sido discutir a história do Brasil, estudar com
seriedade as diversas interpretações e crí-

REVISTA M∴B∴ 11 Novembro de 2021


ticas sobre os fatos e eventos históricos, afastassem dela e em caso de recusa fos-
especialmente para compreender a Maço- sem excomungados da Igreja. O Impera-
naria, como se deu a participação de Ma- dor D. Pedro II defendeu os Maçons, es-
çons nos episódios pátrios relevantes, em pecialmente porque alguns membros da
especial a coexistência com a república, Ordem faziam parte de seu governo, e
os objetivos que levaram a esse protago- não consentiu na perseguição determina-
nismo e as condições de aplicação dos da pelo Vaticano. Todavia, os bispos do
princípios e objetivos da Ordem maçôni- Rio de Janeiro, Olinda e Belém preferiram
ca, observando as condutas de todos os acatar a orientação de Pio IX promoven-
agentes e gestores (Pedreiros livres ou do a perseguição de maçons e a expulsão
não) e o papel de cada agente na linha do dos párocos ligados a maçonaria. A deso-
tempo. Essa reflexão torna possível identi- bediência acarretou na prisão dos bispos
ficar os acertos e as falhas, como forma de Olinda e Belém, e a questão somente
de deflagrar discussão proativa sobre os foi resolvida com a intervenção da Prin-
caminhos a serem tomados pela nação cesa Isabel do Brasil, da missão do Barão
brasileira, principalmente depois das três de Penedo a Roma, libertação dos cléri-
décadas de experiência republicana, com gos e cessação tácita das perseguições.
a participação dos atuais Iniciados, sendo [4] A Princesa Isabel do Brasil em carta
imprescindível que não somente apoiem ao Visconde de Santa Victória, sócio do
as mudanças, mas também permaneçam Visconde de Mauá, datada em 11 de agos-
integrados aos negócios públicos, empre-
to de 1889, referia-se a pontos sensíveis
gando suas condutas maçônicas. no período, comprovando sua intenção
em indenizar os libertos, fazer a reforma
agrária e instituir o sufrágio feminino, o
NOTAS
que desagradava sobremaneira as elites
[1] Consulte: https://www.gob.org.br/o- agropecuárias. Deve-se considerar tam-
que-e-a-maconaria/. As orientações da bém que Príncipe consorte, ou seja o ma-
Maçonaria no Brasil leva em consideração rido de D. Isabel, Conde D’Eu, era francês
documentos e práticas universais, como e Maçom, e havia receio de ele pudesse
as Landmarks e a Constituição de James influenciar no futuro terceiro reinado.
Anderson.
[5] Frase famosa do príncipe de Falcone-
[2] José Antônio Saraiva foi Presidente da ri, no livro O leopardo, escrito por Giusep-
Província do Piauí entre 1850 e 1853 e mu- pe Tomasi di Lampedusa, entre os anos
dou no ano de 1852 sua capital de Oeiras de 1954 e 1957.
para Teresina, que foi batizada com esse
[6] O Decreto nº 01 do Governo Provisó-
nome em homenagem à Imperatriz There-
rio da República dos Estados Unidos do
za Cristina. Foi duas vezes Presidente do
Brasil, de 15 de novembro de 1889, no art.
Conselho de Ministros e chegou a ser es-
7º determinou que nenhum governo local
colhido pela terceira vez pelo Imperador
poderia ser “contrário à forma republica-
Pedro II no dia 15 de novembro de 1889 no
na”, mas observou que os mesmos deve-
lugar do Visconde de Ouro Preto, mas o
riam aguardar “como lhe cumpre, o pro-
fato sequer foi reconhecido pois o Golpe
nunciamento definitivo do voto da nação,
republicano já havia sido deflagrado.
livremente expressado pelo suffragio po-
[3] Destaca-se na questão religiosa o fato pular” (BRASIL, 1889). Esse pronuncia-
ocorrido na década de 1870, depois que o mento definitivo prometido no primeiro
Papa Pio IX enviou uma bula que determi- decreto do governo republicano ocorreu
nava, entre outras coisas, que todos os 103 anos depois, através do plebiscito
católicos envolvidos com a maçonaria se previsto no art. 2º do Ato das Disposições

REVISTA M∴B∴ 12 Novembro de 2021


Constitucionais Transitórias da Constitui- macia, é a essência do govêrno interno
ção Federal de 1988, marcado inicialmen- sob as nossas instituições. (Obras Comple-
te para 7 de setembro, todavia, sua reali- tas de Ruy Barbosa. V. 46, t. 1, 1919. p. 142).
zação foi antecipada para 21 de abril, pela [10] Os Stuarts e seus defensores exila-
Emenda Constitucional nº 02, de 25 de
dos na França receberam apoio dos Ma-
agosto de 1992, o que gerou insatisfação çons para retornarem à Escócia, coroa-
das frentes defensoras da Monarquia e do rem Charles Stuart como Rei escocês e,
Parlamentarismo e questionamentos por
depois da morte de Oliver Cromwell, vol-
causa da antecipação da votação, pois tarem para a Inglaterra e também como
tiveram reduzido o tempo para se organi- rei inglês, restaurando a monarquia.
zarem, fazerem arrecadação de recursos
financeiros e para realização da campa- [11] A gravação foi produzida em 2016
nha de divulgação das propostas, favore- pela TV GOB.
cendo o status quo. Enfim, permanece a
suspeição sobre a consulta e descrença
REFERÊNCIAS
quanto a forma e sistema de governo.
1. AMARAL, Sônia Guarita. O Brasil como
[7] Para Raimundo Faoro: “O estamento
Império. São Paulo: Editora Nacional, 2013.
burocrático comanda o ramo civil e militar
da administração e, dessa base, com apa- 2. ANDRADE, Auro Moura: Um Congres-
relhamento próprio, invade e dirige a es- so contra o arbítrio: Diários e memória.
fera econômica, política e financeira. No Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.
campo econômico, as medidas postas em 3. As Falas do Trono. Documentos histó-
prática, que ultrapassam a regulamenta- ricos. Disponível em: http://www2.senado
ção formal da ideologia liberal, alcançam .leg.br/bdsf/handle/id/528956. Acessado
desde as prescrições financeiras e mone- em 15.11.de 2019.
tárias até a gestão direta das empresas,
passando pelo regime das concessões es- 4. BARROS, Roque Spencer de. A Questão
tatais e das ordenações sobre o trabalho. Religiosa. In: Holanda, Sérgio Buarque de.
Atuar diretamente ou mediante incentivos (org). História Geral da Civilização Brasilei-
serão técnicas desenvolvidas dentro de ra. Tomo II, vol. 4. São Paulo: Difel, 1974.
um só escopo. Nas suas relações com a 5. BOEHRER, George C. A. Da Monarquia
sociedade, o estamento diretor provê a República. São Paulo: Itatiaia, 2010.
acerca das oportunidades de ascensão
6. BRASIL, Decreto nº 01, de 15 de no-
política, ora dispensando prestígio, ora re-
vembro de 1889. Proclama provisoria-
primindo transtornos sediciosos, que bus-
mente e decreta como fórma de governo
cam romper o esquema de controle”.
da Nação Brazileira a Republica Federati-
[8] Obras Completas de Ruy Barbosa. V. va, e estabelece as normas pelas quaes se
41, t. 3, 1914. p. 86 e 87. devem reger os Estados Federaes. Dispo-
[9] Na Conferência, afirmou Rui Barbosa: nível em: https://www2.camara.leg.br/
A nação não ouve o que dali se diz: porque legin/fed/decret/1824-1899/decreto-1-15-
o que dali se diz, não tendo autoridade al- novembro-1889-532625-publicacaoorigin
guma, nenhum prestígio, nenhum eco, ne- al-14906-pe.html. Acesso em: 15.11.2019.
nhuma repercussão pode ter. Com govêr- 7. BRESCIANINI, Carlos Penna. República
no parlamentar as câmaras legislativas completa 130 anos com problemas ainda à
constituem uma escola. Com o presidenci- espera de solução. Matéria publicada em
alismo, uma praça de negócios. O segrêdo, 12/11/2019. Agência Senado. Disponível
que agora já se quer banir, até, da diplo- em: https://www12.senado.leg.br/noticias/

REVISTA M∴B∴ 13 Novembro de 2021


materias/2019/11/12/republica-completa- 17. GOMES, Laurentino: 1889: como um im-
130-anos-com-problemas-ainda-a-espera- perador cansado, um marechal vaidoso e
de-solucao. Acesso em: 15.11.2019. um professor injustiçado contribuíram para
o fim da Monarquia e a Proclamação da Re-
8. CARVALHO, José Murilo de. Os bestializa-
pública no Brasil. São Paulo: Globo, 2013.
dos: o Rio de Janeiro e a República que não
foi. São Paulo: Companhia da Letras, 1987. 18. GUIMARÃES, João Francisco. A Maço-
naria e a Proclamação da República. Dis-
9. CASTELLANI, José, A Maçonaria na
ponível em: https://www.gob.org.br/a-
Década da Abolição e da República, Edi-
maconaria-e-a-proclamacao-da-republica
tora A Trolha, 2001.
Produzido em 2016. Acesso em: 15.11.2019.
10. CASTELLANI, José. Os Maçons que fi-
19. PEREIRA, Otto de Alencar Sá. Quem
zeram a História do Brasil. Londrina: Ed.
Nunca Comeu Melado, Quando Come Se
Trolha. 1973.
Lambuza. Matéria publicada na Tribuna
11. CASTRO, Luiz Sergio. Escravatura, de Petrópolis em 29/10/2000. Disponível
Abolição e Maçonaria. Por Rubens Panta- em: http://ihp.org.br/26072015/lib_ihp/
no Filho. Disponível em: http://omalhete.bl docs/oasp20001029t.htm. Acesso em:
ogspot.com/2015/09/escravatura-abolica 16.11.2019.
o-e-maconaria.html. Acesso em: 16.11.2019.
20.PRADO, Antonio Carlos. República
12. D’ALBUQUERQUE, A. Tenório. A Ma- sem povo. Disponível em: https://istoe.
çonaria e a Grandeza do Brasil. 3ed. Rio com.br/republica-sem-povo/, publicado
de Janeiro: Aurora, 1970. em 14/11/19. Acesso em: 16.11.2019.
13. FAORO, Raimundo, Os donos do po- 21. RÉVAUGER, Cécile. A Maçonaria britâ-
der: formação do patronato político bra- nica a serviço da monarquia. Publicado
sileiro, vol. I e II. Ed. Globo, Publifolha, Co- em REVISTA BIBLIOT3CA. Tradução José
leção Grandes Nomes do Pensamento Filardo. Disponível em: https://bibliot3ca.
Brasileiro, ed. 10, 2000, p. 740. com/a-maconaria-britanica-a-servico-da-
14. GAZETA DO POVO. Por onde anda a monarquia/. Acesso em: 17.11.2019.
República?, matéria jornalística sobre li- 22. SANTOS, Hilário Xavier dos. Uma bre-
vro Ser republicano no Brasil Colônia – a ve história da monarquia no Brasil. Rio de
história de uma tradição esquecida de au- Janeiro: Editora Multifoco. 2013.
toria” de Heloisa Starling publicada
23. SILVA, Josino do Nascimento. Discurso
em: https://www.gazetadopovo.com.br/
realizado em 24.03.1890. Publicado no
vida-publica/o-brasil-e-um-pais-republica
Boletim do Grande Oriente do Brasil: Jor-
no-de-fato-aq5chf09zrtkg3zzpb0teglla/.
nal Official da Maçonaria Brasileira, Publi-
2019. Acessado em 19.11.2019.
cação Mensal (RJ) – 1871 a 1899. Edição
15. GOMES, Laurentino. 1808: como uma 01. 1890. Disponível em: http://memoria.b
rainha louca, um príncipe medroso e uma n.br/DocReader/DocReader.aspx?bib=70
corte corrupta enganaram Napoleão e mu- 9441&pagfis=6622. Acesso em: 15.11.2019.
daram a história de Portugal e do Brasil.
24.STARLING, Heloisa. Ser republicano no
São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2007.
Brasil Colônia – a história de uma tradição
16. GOMES, Laurentino: 1822: como um esquecida. São Paulo: Editora Companhia
homem sábio, uma princesa triste e um das Letras. 2018.
escocês louco por dinheiro ajudaram D.
Pedro a criar o Brasil, um país que tinha ∴
tudo para dar errado. Rio de Janeiro: No- Fonte: BIBLIOT3CA FERNANDO PESSOA
va Fronteira, 2010. https://bibliot3ca.com/

REVISTA M∴B∴ 14 Novembro de 2021


 ESTUDO
A RESPONSABILIDADE DO MAÇOM NA DEFESA
DA JUSTIÇA.

C
omeço este pequeno relato, com
duas frases, uma de Epicuro, o fi-
Irm∴ Leonardo Trench, M∴M∴ lósofo escravo grego, que de-
Bauru - SP monstra a importância da JUSTIÇA para
se estabelecer as relações na sociedade,
e uma do jurista Douglas Barbosa, que
alerta para a necessidade de educar o
Homem para viver em sociedade. Mais de
A Justiça é a vingança do Homem em 2000 anos separam estes dois depoi-
mentos, e a ideia da necessidade de edu-
sociedade, como a vingança é a justiça car o Homem para viver em sociedade,
para fazer realmente feliz a Humanidade,
do homem em estado de selvagem.” é a tônica central.
Posso ainda somar a estas citações,
Epicuro a do Senador à época, Aarão Steinbruch,
em um período conturbado se falamos
em liberdades, no dia 24 de janeiro de
1964, afirmava no plenário daquela casa
“Não adianta dar leis aos homens se que “Urge restituir à Nação os seus traços
essenciais: a tolerância dentro da ordem,
antes não os educarmos a respeitá-las.” a fraternidade dentro da justiça, a liberda-
de dentro da lei.”
Douglas Barbosa Henrique Percebe-se assim que a qualquer
tempo, a qualquer momento, o Homem
entende que não se faz Feliz a Humanida-

REVISTA M∴B∴ 15 Novembro de 2021


de sem que haja JUSTIÇA, mas então É clara, para mim, a menção à parti-
vem o questionamento: Há JUSTIÇA sem cipação da Maçonaria neste importante
que ela seja para todos? virar de páginas de nossa história, mos-
trando mais uma vez a fundamental força
Entendo esta frase, muito falada no
que a união de todas as classes tem no
mundo profano, contendo um erro de
construir de uma nação Feliz e se não for
princípio, pois se o termo é definido, pelo
a maçonaria a fazer isso, quem o fará?
dicionário digital ww.significados.com.br,
Qual instituição tem a capilaridade e está
como “a particularidade do que é justo e
tão bem servida de mentes pensantes,
correto, como o respeito à igualdade de líderes em seus postos de trabalho, for-
todos os cidadãos, por exemplo. Etimolo- madores de opinião nas mais diversas ca-
gicamente, este é um termo que vem do madas sociais que a nossa? Nunca nos
latim “justitia”. É o principio básico que esqueçamos das palavras do maior líder
mantém a ordem social através da preser- de todos os tempos: “A quem muito foi
vação dos direitos em sua forma legal.” dado, muito será exigido; e a quem muito
Não podemos pensar uma sociedade jus- foi confiado, muito mais será pedido".
ta, sem que ela se aplique a todos, e como (LUCAS 12:48), e se nos é dada a oportu-
Maçons, não podemos pensar a Humani- nidade de fazer a diferença, o que esta-
dade Feliz sem que esteja se fazendo JUS- mos fazendo com ela?
TIÇA na verdadeira acepção da palavra. Vivemos em um país cheio de privi-
Sendo a Maçonaria a investigadora légios, onde somos educados para buscá-
da verdade com o propósito de se fazer los a todo custo e não a combatê-los, co-
feliz a humanidade, como pode agir sem mo bem diz Bruno Garchagen ao expor
estar à luz da verdadeira JUSTIÇA, traba- uma ferida pustulenta de nossa sociedade
lhada com igualdade e equidade, unindo nestas palavras: “no âmbito dos privilé-
todos em torno de objetivos comuns, co- gios, muitos são aqueles que dançam
mo bem defendeu nosso Ir:. Rui Barbosa conforme a canção de Dominguinhos:
discursando na comemoração de um ano ‘Quem tá fora quer entrar, mas quem tá
da promulgação da Lei Áurea, mostrando dentro não sai.’.”
que quando as forças de uma nação se A partir da última década do século
unem em torno do que é certo, do que é passado arraiga-se uma cultura no Brasil,
a vontade do real do povo, não a vontade a do eu tenho direito, que assola o país
manipulada pela mídia ou por grupelhos com privilégios indevidos, mas principal-
aparelhados, a JUSTIÇA se faz: mente curva toda uma nação à perigosís-
sima falta de noção dos deveres, fazendo
com que a JUSTIÇA, que só é conseguida
Espada redentora, tu cresces-
quando o gozo dos direitos é precedido
te no horizonte da pátria, grande,
do cumprimento dos deveres, esteja ame-
luminosa, serenadora entre as ame-
drontada tal quais seus defensores, ou
aças de tempestade, como a curva
aqueles que deveriam assim ser.
do arco-íris, o sinal de aliança entre
a nação, o escravo e o soldado. Des- Porém meus amados Irmãos, não
de então, incorreste na desconfian- podemos quedar frente aos desafios que
ça e nas perseguições, mas nos co- se avolumam à nossa frente, não pode-
rações das classes populares, que te mos sair do prumo que a ordem nos im-
viram cintilar ao lado do direito, te- põe em nossas lições diárias e colocarmo-
ceste laços de fraternidade, que te nos de joelhos perante tal situação, faça-
hão de associar para sempre às mos tal qual o pequeno exército de Her-
conquistas civis do nosso progres- nan Cortez ao derrotar a enorme excur-
so, à transformação liberal das nos- são Asteca, que se avolumou frente ao
sas instituições. seu discurso heroico:

REVISTA M∴B∴ 16 Novembro de 2021


Soldados da Espanha! Antes Referências Bibliográficas
de tudo há que lutar!
As caravelas, mandei-as afun-
dar, para não terdes qualquer velei- 1. O SENADO FEDERAL E A MAÇONA-
dade de voltar. Há que lutar com as RIA: UMA COLETÂNEA DE DISCURSOS.
armas que tendes à mão. E se vo-las – Brasília: Senado Federal 2008. p.17.
romperem em violento combate, en- 2. FIGUEIREDO, C. 100 DISCURSOS HIS-
tão há que brigar a socos e ponta- TÓRICOS. – Belo Horizonte – MG: Edi-
pés. E se vos quebrarem os braços e
tora Leitura 4ª Ed. – 2002. ps. 138, 214,
as pernas, não olvidei os dentes. E se
215 e 291
havendo feito isso, a morte chegar,
mesmo assim não tereis dado a últi- 3. GARCHAGEN, B. DIREITOS MÁXIMOS,
ma medida de vossa devoção, não! É DEVERES MÍNIMOS – O FESTIVAL DE
preciso que o mau cheiro de vossos PRIVILÉGIOS QUE ASSOLA O BRASIL
cadáveres empeste o ar e torne im- – Rio de Janeiro RJ: editora Record 1ª
possível a respiração dos inimigos da Ed. 2018. p. 10.
Espanha.
4. GANEM, P.M. QUERER JUSTIÇA NÃO É
Avante, por Deus e por San- O MESMO QUE QUERER A APLICA-
tiago!
ÇÃO DA LEI. Disponível em https://pe
Fortes palavras do comandante dromaganem.jusbrasil.com.br/artigos/
conquistador que motivaram seus pouco 478929421/. Acessado em 09/11/2019
mais de 400 homens fracamente arma- 5. HERMES, I. SENTIMENTO DE JUSTIÇA.
dos a aniquilar centenas de milhares de Disponível em http://www.ivenioherme
oponentes astecas. E nós? O que nos fal- s.com/sentimento-de-justica/. Acessa-
ta para lutar pela verdadeira JUSTIÇA? do em 10/11/2019.
Então, reflitamos e sigamos.
6. ROCHA, L.G. CULTURA MAÇÔNICA:
Avante, à glória do Grande Arquite-
UM CAMINHO – Londrina – PR: Editora
to do Universo e por uma Humanidade
A Trolha 1ª Ed. – 2019 p.186
Feliz!

REVISTA M∴B∴ 17 Novembro de 2021


 COLUNA SÉRGIO QUIRINO
IRMÃO “DURMICIDO”
Esqueçamos o passado: "-No meu tem-
Irm∴ Sérgio po!"; "Antes era melhor!"; Tinha isto ou
aquilo e vamos enaltecendo o que ficou
QUIRINO
no passado, como se fosse possível che-
Guimarães
gar a algum lugar com segurança, olhan-
Grão-Mestre da
do para trás e caminhando para frente.
GLMMG 2021-2024
quirino@roosevelt.org.br Não sejamos saudosistas.
Não nos concentremos no futuro: A lição

S
mais pesada que o COVID-19 nos impôs é
audações, estimado Irmão! a consciência de que o futuro é um tem-
Não há erro de grafia. Apenas nos po muito além da nossa realidade. Ele po-
apropriamos da forma típica do de, simplesmente, não existir em nossa
mineiro falar. vida. Não espere o amanhã para viver a
sua vida.
Nas terras das Minas Gerais fazemos eli-
são de sílabas e criamos novas palavras: O presente exige a presença do espírito:
Môr (amor); Xonei (apaixonei); Lidileite O espírito é o que anima a matéria. Pre-
(litro de leite): Badacama (debaixo da ca- cisamos nos conscientizar da realidade
ma); Nossinhora (Nossa Senhora) e o fa- que estamos vivendo. Ela não é negativa
moso Uai, que é simplesmente Uai e ou positiva, ela é simplesmente real! Não
pronto! existe vida boa ou vida ruim, existe
missão.
Já no dialeto maçônico, Irmão Adormeci-
do é o iniciado que tem oficialmente reco- Precisamos abrir os olhos, acordar e vi-
nhecido seu direito de se retirar dos labo- ver! Assim sobreviveremos! A questão
res maçônicos, através do Quitte Placet. agora é despertar os Irmãos para o mes-
mo posicionamento, a mesma atitude.
Ressaltamos que qualquer outro instru-
Indiferente das angustias pessoais, deve-
mento de afastamento do iniciado de sua
mos acolher todos aqueles que nos pro-
Loja, não o coloca na condição de ador-
curarem.
mecido e sim de excluído.
Daremos o pão, mas, se ele faltar, dare-
Mas, o Irmão ao qual nos referimos neste
mos a palavra e se ela estiver embargada,
artigo é aquele que se encontra fisica-
daremos nossas orações. Lutemos, ama-
mente vinculado à Loja, mas seu espirito
dos Irmãos, contra a apatia. Não nos tor-
está ausente, ou seja, ele está dormindo.
nemos perjúrios negligenciando nossos
Não estamos falando do estado mental compromissos, pois os valores da Acácia
de fechar os olhos e o espirito sair do nos é conhecida.
corpo, mas da apatia em que alguns Ir-
mãos se encontram frente à nova realida-
de dos trabalhos maçônicos imposta pela “O OTIMISTA É UM TOLO.
pandemia. O PESSIMISTA, UM CHATO.
Peço desculpas por ser incisivo e aparen- BOM MESMO É SER UM REALISTA
temente insensível, mas precisamos de ESPERANÇOSO.”
uma mudança de atitude.
(Ariano Suassuna)

REVISTA M∴B∴ 18 Novembro de 2021


 ESTUDO
WHATSAPP

que presenciei, foi inesperada e muitos


gostaram: durante uma sessão na Grande
Irm∴ Sebastião Marcondes, M∴M∴ Loja Maçônica do Distrito Federal, havia
A∴R∴L∴S∴ Mário Behring, N.º 19, GLMDF uma chuva forte, a energia elétrica aca-
bou, por alguns segundos todos assusta-
ram, mas os olhos se acostumaram com a

H
á muito tempo, antes mesmo da pouca iluminação do ambiente, vindo das
existência de qualquer um que lê velas dos altares e a sessão continuou.
esse artigo, não havia energia elé- Toda Loja, em algum momento, por al-
trica nos templos maçônicos, assim, além gum motivo particular, acaba realizando
do simbolismo presente nas velas, essas alguma sessão a luz de velas.
também eram utilizadas para iluminar fisi- Algumas Lojas até trocaram as velas dos
camente o ambiente. Um dia, a tecnologia altares por lâmpadas que imitam velas,
“entrou” nos templos, na forma de ener- mas essas ainda enfrentam resistência de
gia elétrica, com lâmpadas iluminando os vários irmãos, que não veem com bons
ambientes. Muitos maçons foram contra, olhos a adoção dessa tecnologia, até mes-
afinal deixaria a tradição de sessões à luz mo eu que sou da área da tecnologia não
de velas, tochas, lamparinas e lampiões. sou favorável a essa prática, mas como a
A facilidade, a utilidade e a própria segu- decisão é da Loja, mesmo que eu não
rança dos maçons pesaram e aos poucos goste, se minha manifestação por contrá-
a energia elétrica foi sendo incorporada, ria a da maioria dos irmãos, aceitarei e
sendo que hoje não trabalhamos em nos- procurarei assimilar os aspectos positivos.
sos templos se não tivermos iluminação Os balaústres eram lavrados com caneta e
de lâmpadas elétricas. Sei que há várias há poucos anos, a maioria das Lojas, pas-
exceções, inclusive pode até haver situa- sou a lavrar com o auxílio de computado-
ções previstas em rituais. Uma exceção, res e impressoras. Nesse caso, também

REVISTA M∴B∴ 19 Novembro de 2021


houve resistência, e, às vezes, algum ir- celular cair e esse quebrou. Antes de
mão ainda “torce o nariz” ao ver uma comprarem outro, um dos filhos lembrou
ata impressa. que tinha um smartphone que não estava
utilizando e deu para a senhora. Ela abriu
A evolução no emprego da tecnologia
um enorme sorriso e perguntou “agora
para a lavratura das atas continua... Al-
gumas Lojas passaram a enviar as atas posso ter WhatsApp?”.
aos irmãos através do e-mail, ou do Ocorre que, com a massificação, toda a
WhatsApp, para que os irmãos possam cultura para utilização dos programas de
apreciá-la com tempo, no conforto de comunicação não foi absorvida e o que
suas casas, restando apenas a aprova- observamos é o mal uso das ferramentas.
ção em Loja, tornando a sessão mais cé- Sei que o assunto não é exclusivo da ma-
lere. O expediente também passa a ser çonaria, mas como estamos utilizando pa-
enviado utilizando os mesmos métodos. ra todos os fins, inclusive maçônicos, fiz o
artigo para ajudar os irmãos.
Não vou entrar no mérito se essa prática
é correta, se há segurança ou se há que- Começo com o uso em Loja. O Mestre de
bra do juramento, se é melhor por e-mail Cerimônia, antes de entrarmos em Loja,
ou WhatsApp. Não pesquisei o assunto e pede aos irmãos para desligarem os celu-
cada Loja que chegou a essa decisão do lares ou colocarem no modo silencioso.
envio deve ter discutido muito sobre an- Sabemos que apesar do pedido, vez ou
tes de chegar a um consenso. Nesse arti- outra, ouvimos algum toque, musiquinha
go proponho a escrever sobre a utiliza- ou Hello Moto fora de hora e vemos irmão
ção do WhatsApp, ou outro aplicativo de desesperado procurando o botão para
comunicação, como o Telegram, pois es- silenciar o celular. Na sequência, alguns
ses sim fazem parte da tecnologia que segundos após o fato, a musiquinha ocor-
todos nós passamos a utilizar, por deci- re novamente, no mesmo celular. Além de
são própria, inclusive deixando de utili- vermos o irmão passar vergonha, com
zar de outras práticas, como enviar car- certeza há uma interrupção na sessão e
tas, telefonar, ou mesmo visitar alguém. uma quebra na harmonia.
A internet chegou comercialmente no Ainda em Loja, sempre vemos irmãos
Brasil em 1995, com poucas pessoas utili- passando o dedo na tela do celular, mas
zando e ela foi evoluindo junto com os geralmente não é para consultar o calen-
programas de comunicação. Esses pri- dário e nem para ver as horas, muito me-
meiros usuários usavam BBS, depois IRQ, nos para buscar alguma informação que
ICQ, MSN, além dos chat’s, chegando aos será útil para a Loja, nem mesmo é para
atuais WhatsApp, Telegram, Signal... O ver uma mensagem enviada pela cunhada
número de usuários foi aumentando gra- ou sobrinhos. Por diversas vezes, irmãos
dativamente, no início como uma estraté- estão vendo mensagens em grupos diver-
gia para economizar, diante dos abusivos sos, vendo fotos, figuras e até mesmo pi-
valores das ligações telefônicas. Hoje em adas ou notícias do futebol. Apesar de
dia, pelo comodismo, facilidade e hábito. muitas vezes conseguirmos fazer mais de
Houve uma explosão em utilização e pra- uma tarefa ao mesmo tempo, com certe-
ticamente não há quem não utilize. za o cérebro não assimilará tudo ao mes-
mo tempo e além de se distrair, esse ir-
Outro dia a vozinha de um amigo, com
mão rodando mensagens no WhatsApp,
90 anos, pediu para os filhos um celular.
Então compraram um celular com bom irá distrair outros irmãos. Se você está em
Loja, concentre-se no trabalho da Loja,
som, com visor e teclas e grandes, fácil
esqueça do celular, serão apenas duas, ou
de utilizar e deram o presente para a vo-
até três horas, na semana.
zinha. Passado alguns dias ela deixou o

REVISTA M∴B∴ 20 Novembro de 2021


Saindo da Loja, mas no meio da maçona- chegar ao maior número de pessoas; Em
ria, seja em grupos de Lojas, Potências, 24 horas todos ficarão sabendo; A empre-
ou de irmãos em geral, o WhatsApp tem sa xyz está doando... Se descobriu algu-
sido muito útil, para estreitar os laços de ma mensagem falsa sendo repassada, ou
amizade, para os estudos, para os convi- alguém avisou que a mensagem que re-
tes e para divulgação de eventos e negó- passou é falsa, avise o ocorrido, evite que
cios. Infelizmente vemos o lado ruim, com outros cometam o mesmo erro e, se ain-
irmãos tendo desavenças com outros ir- da possível, “apague para todos”.
mão, por causa de política, por causa de
Além das fake news, é comum a clonagem
religião, por publicarem pornografia, ou
do WhatsApp ou falsificação de perfil, com
por não concordar com algo, havendo ré-
o intuito de golpes. O trabalho do golpista,
plicas, tréplicas, discussão, ataques, falta
como já diz o nome da “profissão”, é passar
de respeito e discórdias, contaminando
o dia tentando dar golpes e pode ter certe-
todo o grupo. A tolerância e as práticas
za que eles se dedicam ao “trabalho”, ob-
dentro de Loja é para ficar apenas em Lo-
tendo êxito e faturando diariamente milha-
ja? Além disso, o maçom é considerado
res de reais. Portanto, não deposite nada
um buscador da verdade, mas esquece-
para ninguém por causa do pedido em uma
mos que fake news se espalham com
mensagem, mesmo que seja sua mãe. Se
muita facilidade e na ânsia de comparti-
tiver condições de ajudar, e não tem certe-
lhar algo com que concordamos, esque-
za que é golpe, telefone para a pessoa, mas
cemos de buscar a verdade e ajudamos a
não telefone através do WhatsApp, ligue
espalhar notícias falsas. Muitas vezes
através da linha do celular ou do fixo, ou
compartilhamos tentando ajudar outros,
com mensagens que dizem que hospi-
tal de olhos está perdendo córneas,
que cadeiras de rodas estão enferru-
jando por falta de interessados... Quer
ajudar? Quer compartilhar? O ato é
nobre, mas investigue antes. Como?
Entre no google e digite qualquer fra-
se da notícia, acompanhado da pala-
vra “boato”, ou tente ligar para o tele-
fone que acompanha a mensagem. Há
casos de pessoas que tem o numero
do telefone colocado nessas mensa-
gens e então perdem o sossego, rece-
bendo ligações e mensagens de inte-
ressados de todo o país, sendo
“obrigados” a trocar o numero de tele-
fone, isso porque alguém quis passar
um trote e a mensagem se espalhou
pelo Brasil. Até há casos até de pesso-
as que morreram por terem sido víti-
mas de trotes com falsas acusações.
Algumas frases são típicas em fake
news: A casa caiu; Saiu em todos os
jornais; Isso a tv não mostra; Foi des-
coberta a cura; Repasse para todos os
seus contatos; Faça essa mensagem

REVISTA M∴B∴ 21 Novembro de 2021


mesmo ligue através do vídeo. Tenha cer- cativos de comunicação, portanto, fique
teza de quem está lhe pedindo algo é real. atento para não ser invasivo ou excessivo
e acabar sendo mal visto pelos contatos.
Para evitar que golpistas utilizem seu
WhatsApp jamais informe qualquer códi- Abaixo segue algumas dicas/etiquetas para
go recebido por SMS para qualquer pes- utilização dos aplicativos de comunicação.
soa, mesmo que pareça algo sério. Os gol- 1. Imediatismo e risquinhos azuis
pistas sabem como convencê-lo, sem que Ninguém é obrigado a responder mensa-
você perceba. E tem algo que pode fazer gens assim que ler, portanto, ficar co-
que, mesmo passando o código para al- brando respostas só porque viu os risqui-
guém, ele não consiga cloná-lo: habilite a nhos azuis de confirmação de leitura é
confirmação em duas etapas, um recurso um atestado de ansiedade. A outra pes-
opcional que adiciona uma camada extra soa realiza inúmeras atividades diárias
de segurança à sua conta do WhatsApp. que podem impossibilitar responder na
hora. Se é urgente mesmo, faça uma cha-
mada ou escreva que é urgente.
2. Áudio
Escutar áudios em viva voz ou no aparelho
requer intimidade, privacidade e tempo.
Se é uma conversa longa, opte por fazer
uma chamada, e sempre que possível pre-
fira mensagens de texto, assim você não
irá pressionar uma resposta ou irá lotar a
memória do telefone da outra pessoa. As
mensagens de voz devem ser curtas, con-
cisas e reservadas para emergências,
quando é mais fácil falar do que digitar.
Outra coisa comum nos grupos maçônicos 3. Emoticons
é o compartilhamento de material com di- Os emoticons, ou emojis, devem ser usa-
reito autoral, como exemplo livros. Saiba dos com parcimônia, pois além de poluir
que, a não ser que autorizado pelo autor/ visualmente a tela da conversa dão um
editora, o compartilhamento é proibido e tom informal e infantilizado à comunica-
se o fizer estará sujeito as penalidades pre- ção. Em mensagens empresariais não uti-
vistas em lei, isso é chamado de “pirataria”. lize estes ícones, pois passam a impres-
Há pessoas, inclusive vários irmãos, que são de falta de profissionalismo.
tem parte, ou totalidade, de seus sustentos 4. Fotos banais
oriunda dos livros e materiais que publi- Ninguém está interessado em ver a foto
cam. Os autores dedicam tempo a pesqui- do seu almoço ou do seu cafezinho; re-
sa, intelectualidade, edição, correção e ou- serve as fotos banais do dia a dia para
tras etapas para a publicação, portanto va- outras redes sociais e não para lotar o
lorize o trabalho, não compartilhe arquivos celular dos seus contatos.
não autorizados. Se necessário busque os
livros em alguma biblioteca ou faça uma 5. Atenção para o conteúdo
“vaquinha” entre os irmãos e adquira o li- Correntes, piadinhas, conteúdo de teor por-
vro em conjunto. A Revista M∴B∴ é contri- nográfico, orações e conversas escritas pa-
buição do editor e dos colaboradores, por- lavra por palavra, mensagens motivacionais
tanto pode ser compartilhada livremente. cansam qualquer um nos grupos. Ninguém
merece abrir o aplicativo e ter trezentas
As mesmas regras de etiqueta e bom sen- mensagens não lidas sobre banalidades.
so da vida real valem também para os apli-

REVISTA M∴B∴ 22 Novembro de 2021


6. Mensagens no grupo 11. Discussão nos grupos
Só escreva nos grupos o que for de inte- Quando tiver um assunto pessoal com al-
resse comum a todos e que estiver rela- gum membro do grupo, lave a roupa suja
cionado ao tema do grupo, da forma por mensagem privada. Os outros partici-
mais sucinta possível. A quantidade ex- pantes não merecem ficar assistindo o
cessiva de mensagens acaba com a bate- bate-boca de camarote, exibido em di-
ria dos participantes e as notificações na versas notificações na tela.
tela incomodam. 12. Público ou privado
6. Desviar do objetivo do grupo Quando te perguntarem algo por mensa-
É extremamente irritante entrar num gru- gem, responda no privado, e quando te
po de estudos, profissional, ou até de al- perguntarem em um grupo, responda por
gum tema específico e ver que todo mun- ali. Também nunca fale de alguém do
do conversa sobre tudo, menos sobre o grupo como se a pessoa não estivesse lá
tema. Pior ainda quando as pessoas envi- – é uma tremenda falta de educação.
am vídeos que acabam com a bateria dos 13. Grupos com profissionais da mesma
participantes e podem prejudicar as pes- empresa
soas no ambiente profissional. Nos grupos profissionais vale a hierarquia
6. Adicionar todo mundo no grupo da empresa real. Respeite os superiores,
Quando você adiciona alguém a um gru- use um vocabulário adequado e deixe as
po sem consentimento, além de deixar a questões mais pontuais para conversas
pessoa confusa quanto ao motivo, ainda olho no olho. Nem é preciso comentar
acaba expondo seu número de telefone. que fazer fofocas ou falar mal de superio-
É uma “sinuca de bico”, pois quando a res é pedir para ser demitido.
pessoa decide sair do grupo, se não der 6. Minúsculas
satisfação aos participantes, acaba sendo As mesmas regras para textos, e-mails, e
vítima de rumores e fofocas. Antes de redes sociais valem para o aplicativo. Só
adicionar explique o motivo do convite e use tudo em letras maiúsculas, se estiver
a finalidade do grupo. enfatizando algo ou gritando com a pes-
6. Checar mensagens soa; caso contrário, passará uma imagem
Em uma reunião profissional é de péssi- grosseira e deselegante.
mo tom ficar checando mensagens do 6. Nome estranho
WhatsApp, primeiro porque é um desres- É muito chato ser abordado por desco-
peito com os outros participantes e tam- nhecidos, ainda mais quando usam um
bém passa uma imagem de desinteresse nick (apelido) estranho ou só o número
para a empresa. O mesmo vale para de telefone. Ninguém é obrigado a des-
quando você está conversando pessoal- cobrir com quem está falando, portanto,
mente com alguém – deixe para checar as se apresente ao adicionar alguém.
notificações mais tarde.
16. Fotos comprometedoras e de acidentes
6. Bom dia, bom dia, bom dia Não se engane: uma vez na rede, sua foto é
Nem todo mundo acorda empolgadão pública. Portanto, muito cuidado com suas
dando bom dia aos quatro ventos, pelo fotos pessoais e não compartilhe fotos
menos não na vida real. E quem abre o comprometedoras dos outros. Também
aplicativo de manhã e lê quinhentas não tem nada mais indigesto do que rece-
mensagens de bom dia e suas variações, ber fotos de acidentes, cirurgias, animais
ou piora o mau humor ou acaba esvain- doentes e pessoas sendo decapitadas. Não
do a cota matinal de felicidade, ainda seja essa pessoa deselegante com gostos
mais se receber essas mensagens às cin- mórbidos; não há motivo algum que justifi-
co da madrugada. que o compartilhamento de tragédia.

REVISTA M∴B∴ 23 Novembro de 2021


 ESTUDO

A INICIAÇÃO É DE SUMA
IMPORTÂNCIA PARA O MAÇOM!

de seus membros”, iniciar uma ação de


Irm∴ Sandro Pinheiro, M∴M∴ preparação da personalidade (parte
material - lapidar da pedra bruta), a fim
A∴R∴L∴M∴ Flauta Mágica do Rio de Janeiro, N.º
de que aflore a individualidade (parte
170, GLMERJ
espiritual), o despertar do Mestre Inter-
no de cada um. É no operoso desbastar

A
Iniciação é de suma importân- da Pedra Bruta que se descobre o po-
cia para o maçom e para todos deroso ser que existe dentro dá cada
aqueles que, por força da lei de um. O ser humano é capaz de grandes
evolução, foram movidos a bater às realizações, porém, é necessário que
portas de um Templo, em busca de busque despertar dentro de si o poder
Luz. A Maçonaria não é composta por existente. Somente com estudo e per-
pessoas perfeitas, mas por aqueles que severança poderá construir esse novo
entendem que precisam se aperfeiço- homem que vive escondido dentro das
ar, e por isso lhe batem à por- asperezas do seu íntimo. Com certeza
ta. Estamos a todo instante identifican- será um novo obreiro a trabalhar cons-
do aspectos de nossa personalidade cientemente para a melhoria do gênero
que poderão ser aprimorados. Esse se- humano, pregando a paz e a concórdia
rá o eterno lapidar de nossa pedra. dentro do seio da Maçonaria,
Quando falamos que a Maçonaria, an- “levantando Templos a virtude e cavan-
tes de tudo é uma Escola de Iniciação, do masmorras aos vícios.” De nada adi-
é porque, como tal, visa, através de anta descobrirmos que em nosso interi-
seus ensinamentos e da “séria conduta or há uma pedra bruta, se essa pedra

REVISTA M∴B∴ 24 Novembro de 2021


não é tocada, não tem a sua rusticida- ção. É nesse sentido que todo maçom
de conhecida, se nada fazemos para deve se guiar, tendo como fundamento
seu polimento. Esse polimento é pesa- de sua trajetória, as fontes da espiritua-
do, o desbaste das arestas, dos exces- lidade Maçônico. É oportuna a observa-
sos, é doloroso, mas necessário, para ção do ilustre escritor Nicola Aslan,
fazer crescer aquele que encontrou quando afirma que: “Pelo método Inici-
dentro de si o que o diferencia dos de- ático, o maçom se distingue cultural-
mais animais: A pedra oculta, isto é, a mente dos outros homens. Não conhe-
inteligência, a capacidade de racioci- ce nem pode conhecer a satisfação es-
nar, de discernir entre o certo e o erra- piritual e intelectual, pois ele sabe que
do, de dominar o desejo pessoal, de a Verdade de hoje pode não ser a Ver-
vencer paixões e submeter vontades. dade de amanhã. Pesquisador eterno, o
maçom faz jus à denominação de filho
“O Ensino Iniciático da Maçonaria é re-
da Luz.”
almente diferente dos outros modos de
ensino. Não tem por objetivo fazer co- Quem quer que se empenhe na dura
nhecer, ou difundir uma verdade ou obra do seu aperfeiçoamento espiritual
verdades contingentes ligadas a objeti- deve penetrar no âmago do seu ser,
vos finitos, apreensíveis por laços de com o propósito sincero de encontrar
causalidade. A sua meta visa Verdade e eliminar todas as imperfeições por
Infinita sem pretender a sua posse, em- ventura encontradas. E elas certamen-
bora oferecendo elementos e meios pa- te não serão poucas. Este caminho a
ra que a ela possa ter acesso. É mais percorrer haverá de levá-lo à desco-
um convite à pesquisa que a revelação berta da Pedra Filosofal ou Pedra Poli-
sistemática do resultado das pesquisas. da; que é o princípio, a Centelha Divina
E este esforço ao qual a Maçonaria que repousa viva dentro de cada um
convida, pelo infinito de sua meta, é ele de nós. Quando nascemos, trazemos
mesmo infinito. Abarca inteiramente algumas características genéticas que
toda a vida do indivíduo.” podem nos predispor a desenvolver-
mos certas doenças ou aptidões inte-
Se, porém, analisar as fases desses en-
lectuais. Entretanto, nosso caráter é
sinamentos, encontram-se nestes, ver-
uma folha de papel em branco, na qual
dadeiros sentidos esotéricos, buscando
irá aos poucos sendo impresso tudo
o crescimento espiritual de todos que
aquilo que nos for transmitido. O bem
passaram pelo processo da iniciação.
ou o mal não existem em si mesmos,
Observa-se o que se descobre quando
intrinsecamente. Eles serão desenvolvi-
se penetra nesse mundo obscuro de
dos de conformidade com o meio, com
mistérios quando se é iniciado.
os hábitos desenvolvidos, práticas ou
Portanto, o cidadão iniciado deve ser costumes, através da educação recebi-
sempre um exemplo de comportamen- da no lar e da educação formal. Só
to humano, praticando com esmero, a mais tarde adquirimos um nível de
justiça, a caridade, a honestidade, a fra- consciência capaz de discernir ou es-
ternidade, o respeito, a tolerância, a colher entre o que seria o bem ou o
compreensão, o amor, etc. Somente mal, de conformidade com o que tenha
com essas virtudes poderá angariar a sido impresso na folha de papel de que
confiança e a credibilidade dos seus ir- falamos. A tendência natural é prepon-
mãos maçons e dos irmãos em espirito, derar o que tenha maior peso em nos-
cumprindo o propósito de sua inicia- so aprendizado.

REVISTA M∴B∴ 25 Novembro de 2021


terior, a cada dia, uma nova Iniciação nos
aguarda. Como a luz do Sol, em cada he-
misfério, a cada dia ressurge, assim em
nós, a cada dia, a cada momento, a Nova
Criatura adquire novas perspectivas, pa-
ra lançar aos mundos (material e espiri-
tual) os frutos sazonados e úteis.
De princípio, uma visão do simbolismo Essas são as fundações interiores que o
da Câmara de Reflexão. Quando o Can- Homem terá que consolidar, para que
didato é recolhido a Câmara de Reflexão, possam manifestar-se no exterior, no
simbolizando a Terra, a qual, por sua vez, mundo material, com todo o sucesso
representa a materialidade. Nessa fase que se pretende atingir neste plano de
inicial da Iniciação, espera-se que o isola- vida. As Ordens sendo instituições, são
mento em que vai se encontrar, a atmos- edificadas no mundo material – pórticos
fera que nela existe e os objetos que ne- de matéria para o espírito, por isso, ne-
la se encontram, concorram para levá-lo cessitam de homens renovados, pois só
a novas descobertas a proporcionar-lhe
desses se espera a sua manutenção e
ensinamentos que o faça recuar sobre si evoluções futuras!
mesmo. O choque de espirito contra a
superfície refletora da Câmara há de levá Nunca esquecer que a Maçonaria molda o
-lo a examinar suas ideias, a compará-las homem para ser justo e perfeito, portan-
e, deste processo, há de resultar certa- to, o amor, a solidariedade, a fraternida-
mente um pensamento novo. de, a justiça e a caridade devem ser as
virtudes que embelezam sua natureza hu-
Por seu isolamento e suas paredes ne- mana se contrapondo aos vícios que de-
gras, a Câmara de Reflexão representa nigrem e alvitram o seu ser. Numa refle-
um período de escuridão e de maturação xão a parte, deve lembrar o Maçom que o
silenciosa da alma, por meio da medita- cerimonial da iniciação é um ato sagrado,
ção e da concentração em si mesmo, pe- início da construção do templo interior de
ríodo que prepara o verdadeiro progres- cada iniciado, daí a responsabilidade de
so, efetivo e consciente, que se manifes-
cada Loja em dispensar a devida atenção
tará posteriormente, à luz do dia. A pas- ao desempenho da ritualística, procuran-
sagem pela Câmara de Reflexão mostra do dar o verdadeiro sentido Espiritual ao
ao Profano que tinha chegado o momen- sublime processo iniciático.
to de morrer para o vício, para as pai-
xões, para os preconceitos e para os Para analisar o verdadeiro sentido místi-
maus costumes. Para ele compreender co que norteia a Maçonaria, necessário
que diante da morte desaparecem o or- se faz entender o crescimento interior,
gulho e a ambição, e que de nada valem preparando-se para o trabalho de lapida-
o poder e as riquezas do mundo. A per- ção de seu EU interior.
manência do recipiendário nessa Câmera “O maçom procura sua própria
representa o período de gestação do “essência”, que é de ordem ontológica
Maçom, pois, ao morrer para o mundo (conhecimento de si e Deus), na exalta-
profano, ele prepara sua mente e seu es- ção das virtualidades divinas que nele
pirito para o nascimento de um novo ho- existem como em todos os homens”. É
mem e de uma nova vida. exatamente isso que deve o maçom pro-
Maçônicamente, temos somente “uma curar sua “essência” para ser um Ilumina-
iniciação”, mas, espiritualmente, é dentro do e, ser também, tocado pela graça do
de nós mesmos, no mundo espiritual in- Grande Arquiteto do Universo.

REVISTA M∴B∴ 26 Novembro de 2021


 ESTUDO
TOLERÂNCIA MAÇÔNICA

Por sua vez, o verbete pode ter por sinô-


Irm∴ José GILSON Pereira de MACEDO nimo os termos condescendência, trans-
A∴R∴B∴L∴M∴ Mahatma Gandhi, N.º 90, cendência, indulgência, complacência,
GLMERJ contemporização, paciência, compreen-
são, calma, flexibilidade.

T
olerância vem do latim tolerare Por quantas vezes deixamos essas carac-
(sustentar, suportar), é um termo terísticas de lado? Quantas vezes somos
que define o grau de aceitação di- intolerantes até para com nossos próprios
ante de um elemento contrário a uma re- Irmãos? Lembro que nosso próprio Ritual
gra moral, cultural, civil ou física. do Grau 1 diz que, se tivermos algo contra
Mais do que uma simples definição, o ter- um Irmão, é melhor nem envergar o aven-
mo exprime uma condição que é inerente tal e ir a essa Loja.
à própria essência do Maçom que, por de- A explosão irascível do Maçom deve ser
ver imposto pelos juramentos a que ade- contida ao máximo, pois que, nesta hora,
riu por vontade própria, não pode ser dei- ele deixa de ser Maçom na essência – por
xada de lado por motivo algum. favor entendam a amplitude do conceito

REVISTA M∴B∴ 27 Novembro de 2021


sem a restrição do foco na letra fria do uma atrás da outra, é o netinho que igno-
conceito. Peço apenas que contemplem o ra a dor nas costas do avô e insiste em
conceito encerrado na letra fria. brincar agachado.

Tolerância envolve, também, a caracterís- Quando é em casa, a tolerância é até fácil


tica de compreender o próximo. Se a Re- de se exercitar, ainda mais quando o
gra de Prata é tratar o próximo como agente perturbador é uma criança da fa-
gostaria de ser tratado, a Regra de Ouro mília. Agora, quando é um agente exter-
é não tratar o próximo como não gostaria no... a coisa fica feia.
de ser tratado.
É o som alto da festa do vizinho, é a fu-
Não é questão de aceitar ou não o outro maça do churrasco do outro vizinho, é o
como este consegue ser – vejam que não vazamento no teto do seu banheiro que
escrevi “o outro como ele é”. vem do vizinho de cima e por aí vai.

A questão é que ninguém não tem o po- Eu mesmo tenho uma admiração pelo
der de mudar o que depende da vontade canto dos pássaros, e minha casa é cerca-
dos outros. E aqui entra também a nossa da de árvores. Um pássaro que amo o
intolerância para aquele que não deixa de canto é o sabiá-laranjeira. É um canto me-
ser intolerante, porque ele não consegue lodioso, assoviado, muito bonito.
deixar de ser, independentemente de ser
Só que o sabiá começa a cantar na minha
ou não Maçom.
janela às quatro da manhã. Os primeiros
Por vezes, a presença do Grande Arquite- dias foram lindos e cheios de curiosidade,
to do Universo em nossas vidas se faz até que começou a ficar barulhento aos
através dos sábios conselhos de amigos – meus ouvidos.
por “amigo”, entendamos uma via de sen-
Até que um dia parou. O pequeno animal
tido único; só se pode garantir a própria
ou morreu ou foi capturado por alguém.
amizade para com os outros. Contudo,
Fiquei numa tristeza só, até que um dia
quando eles vêm nos falar de como seria
desses ouvi de novo um canto de sabiá
mais prudente ou benéfico agirmos nessa
na minha janela. Como eu curti, e confes-
ou naquela circunstância, nos irritamos,
so que nunca mais reclamei, aquele meu
somos intolerantes, justamente o contrá-
amigo voltou, nem que seja só na minha
rio do que nos pede a Sublime Ordem a
imaginação uma vez que seja um outro
que nos filiamos por vontade própria.
pássaro.
Nesta hora, somos profanos vestindo
Vemos todos os dias oportunidades de
avental.
simplesmente deixar pra lá o que não in-
Por vezes nos deparamos com situações teressa. Acaso interessa brigar, gritar, ele-
que testam agressivamente nosso bom var a própria pressão arterial por algo
humor – nem digo “tolerância”, e explico que daqui a um ano em nada significará
o porquê: as situações sempre são dife- na nossa existência?
rentes nos adereços, mas pouquíssimas
Não serão os momentos que nos atribu-
vezes diferem na essência do teste da
lam apenas tempestades em copos d'á-
nossa paciência.
gua, onde tudo na vida são copos d'água
É a esposa que cobra o apoio com o tra- e nem por isso devemos fazer novas tem-
balho de casa das crianças, é o filho pe- pestades com o que nada acrescentará
queno que nos bombardeia de perguntas em nossas vidas a não ser aborrecimen-

REVISTA M∴B∴ 28 Novembro de 2021


tos e arrependimento por perder tempo enorme cobra venenosa. O animal estava
com o que não interessa? morto há tempo, com certeza, porque
mostrava sinais de decomposição. O
Conta-se que o conquistador mongol cheiro era insuportável.
Genghis-Khan tinha como animal de esti-
mação um falcão, e com ele saía a caçar. Nesse instante, e somente então, o gran-
Era seu amigo inseparável. de conquistador se deu conta de que o
que o falcão fizera, por três vezes, fora
Certo dia, em uma das suas jornadas, com lhe salvar a vida, pois se bebesse daquela
o falcão como companhia, sentiu muita
água contaminada, poderia adoecer e
sede. Aproximou-se de um rochedo de morrer.
onde um filete de água límpida brotava.
Tardiamente, lamentou o gesto impensa-
Tomou da sua taça, encheu até a borda e do que o levara a matar o animal, seu
levou aos lábios. No mesmo instante, o
amigo. A sua intolerância custou-lhe uma
falcão se jogou contra a taça e o líquido
fiel amizade.
precioso caiu ao chão.
Antes que seja tarde, o verdadeiro Ma-
Genghis-Khan ficou muito irritado. Levou a
çom deve ter internalizado o pensamento
taça novamente até o filete de água e tor- da tolerância permanente, de modo a
nou a encher. De novo, antes que ele pu- bem agir sem sequer pensar. Este proces-
desse beber uma gota sequer, o falcão in-
so de internalização corre sutilmente, e é
vestiu contra sua mão, fazendo com que
através dos erros constantes que conse-
caísse ao chão a taça e se perdesse a água. guimos fazer o correto.
Desta vez o impiedoso conquistador Um Aprendiz, quando pega a pedra bruta
olhou para a ave e falou: para dar-lhe novo formato, tira lascas de-
– Vou tornar a encher a taça. Se você a la, lascas disformes que dificilmente se
derrubar outra vez, impedindo que eu be- encontra lugar para encaixá-las, exceto se
ba, você perderá a vida. for em seu próprio lugar, o que desfaria o
trabalho.
Na mão direita segurando a espada mon-
gol, com a esquerda ele tornou a colocar a Entretanto, com o manejo constante do
taça debaixo do filete de água e a encheu. maço e do cinzel, o obreiro arguto e dili-
No exato momento que a levava aos lá- gente consegue aplainar as superfícies,
bios, o falcão voou rápido e a derrubou. de tal modo que estas estejam quase que
lisas, dando a quem admira a peça a no-
Ágil como ele só, Genghis-Khan utilizou a ção de realidade.
espada e, em pleno ar, decepou a cabeça
do falcão, que lhe caiu morto aos pés. E a admiração dos outros também é a tole-
Ainda com raiva, ele chutou longe o cor- rância do próximo para conosco, nos dan-
po do animal. do exemplo vivo do que significa tolerar.

E porque a taça se tivesse quebrado na E aí seguimos batendo nossos maços nos


terceira queda, ele subiu pelas pedras para cinzéis, na busca da perfeição que nos pa-
beber do ponto mais alto do rochedo, no rece, de forma piegas, inatingível, mas é
que imaginou fosse a nascente da fonte. plenamente possível àquele que se dedica.

Para sua surpresa, descobriu presa entre E o pequeno sabiá que cante todos os dias
as pedras, bem no meio da nascente, uma às quatro da manhã no coração de todos.

REVISTA M∴B∴ 29 Novembro de 2021


 ESTUDO
O TRONO

Eventos relatam que alguns irmãos os


Irm∴ José Amâncio de Lima, consideram sinônimos: “Altares & Tronos”
M∴I∴ o que dissinto.
Grande Inspetor Litúrgico da 1ª Aprofundando os estudos e lendo as Sa-
Região Litúrgica de MG gradas Escrituras, encontramos enumeras
referências aos Altares e aos Tronos, sen-
Loja Maçônica de Pesquisa
Quatuor Coronati “Pedro Campo do que os primeiros, sempre se referem
aos sacrifícios.
de Miranda” – Belo Horizonte MG
A∴R∴L∴S∴ Estrela de Davi II, nº. 242 – GLMMG  Sobre Altares encontramos os exemplos:
Gênesis (8 – 20) “Edificou Noé um altar

N
ão importando o grau que a Loja ao Senhor; e tomou de todo o animal
Maçônica esteja reunida, teremos limpo, e de toda ave limpa, e ofereceu
o Templo Maçônico sempre com- holocaustos sobre o altar”.
posto de três Tronos. Apocalipse (11– 1) "E foi-me dada uma
Relacionamos: o primeiro do Venerável cana semelhante a uma vara; e chegou
Mestre, o segundo do Primeiro Vigilante e o anjo, e disse: Levanta-te, e mede o
o terceiro do Segundo Vigilante. Templo de Deus, e o Altar, e os que ne-
Muitas das vezes estas informações nos le adoram”.
geram confusões, até porque: declaro ter  Sobre Tronos encontramos os exemplos:
aprendido como sendo Altares.
Gênesis (41– 40) "O Faraó põe José Go-
Entretanto na busca elucidar tais duvidas vernador do Egito: Tu estarás sobre a
fui a campo pesquisar sobre o tema, ora
minha casa, e por tua boca se governa-
proposto e, encontrei desconexão ao
rá todo o meu povo; somente no Trono
chamarmos de Altares.
serei maior que tu”.
Os verdadeiros Altares são: Apocalipse (22 – 3) "Ali nunca mais ha-
 O “ARA”, onde é aberto o Livro
verá maldição contra alguém; e nela es-
Sagrado / da Lei.
tará o Trono do Deus e do Cordeiro, e
 “Dos Perfumes”, onde é oferecido
os seus servos o servirão”.
incenso.

REVISTA M∴B∴ 30 Novembro de 2021


Com enfoco nestas elucidações -, consti- de cumprirem com “Fidelidade”, as mis-
tuo mencionar que: nos Tronos (sentam) sões que lhes são proporcionadas, rece-
os que têm autoridades, enquanto que bendo-as com alta distinção; aqueles que
nos Altares (ninguém sentam). descuidarem, obviamente sofreram as
consequências de suas indolências.
Portanto trazendo estas visões para os
nossos Templos atuais: estabeleço que o Dizem as Profecias: “O Trono de DEUS é o
Trono não se resume em uma “poltrona”, céu, e Jerusalém será seu Trono”.
mas sim! no conjunto que atêm o Venerá-
 O Venerável Mestre representa o
vel Mestre e os Vigilantes –, composto de
Sol em seu nascimento (ressurgi-
poltronas e mesas, que em geral tem a
mento diário). O Sol não morre,
forma triangular.
simplesmente, se põe, para na ma-
Salientamos que não existem disposição nhã seguinte retornar com sua luz
obrigatória quanto ao formato da mesa, e calor.
ser triangular ou retangular.
Por isto, está o Venerável Mestre
Importante saber que o Trono apresenta retornando com a sua luz e calor
outra particularidade: a de que deve re- espirituais, a cada vez que abre os
pousar sobre um estrado com as seguin- trabalhos de uma Loja Maçônica.
tes propriedades.
“O Sol é fonte de luz de vida. O espe-
 Do Venerável Mestre, contém sete táculo do nascer do Sol ofusca o bri-
degraus lho da natureza, pela beleza e esplen-
 Do Primeiro Vigilante, contém dois dor dos seus raios”.
degraus
 O Primeiro Vigilante representa o
 Do Segundo Vigilante, contém um Sol na plenitude de sua trajetória;
degrau e o “Sol do Meio Dia”, da verticali-
No entanto, às vezes não os vemos em dade e da intensidade calorífica é
nossos Templos Maçônicos com estas re- a sabedoria, a ciência e a virtude.
ferências; devido à altura de sua parte in- Portanto assegura-se que sobre a
terna, não permitir a construção de um luz do Sol, pode-se trabalhar e que
"Sólio" tão alto. a vida continua provinda da pri-
Extraordinário é entender que os Tronos meira esperança da aurora e a se-
se completam com os objetos existentes gurança de continuidade.
sobre a mesa. Esclarecemos que as mu- “É o equilíbrio que está na balança /
danças dos objetos sobre a mesa seguem libra, a estabilização dos meios, o fiel
as orientações do grau em que Loja Ma- de todo o trabalho”.
çônica esteja trabalhando.
 O Segundo Vigilante representa,
NO ASPECTO ESOTÉRICO ainda, o mesmo Sol, porém em seu
O Trono significa o próprio homem posto descenso para o ocaso, quando a
em dignidade. sua luminosidade vai se atenuan-
do, silencioso e obedecendo a um
Quando um maçom é eleito para um car-
cronograma pré-estabelecido pela
go em Loja, às vezes refuta a iniciativa de
natureza. É a amenização do Calor
seus pares não dando conta de que, a
que não abrasa, mas que dá refri-
ocupação de um cargo, significa uma ele-
gério.
vação espiritual de grande magnitude.
Assim a Loja Maçônica será comandada
Todos Veneráveis Mestres e Vigilantes
dos seus Tronos pelas três luzes ou os
devem ter consciências de suas posições
três sóis.
e têm as obrigações para consigo próprio

REVISTA M∴B∴ 31 Novembro de 2021


CONCLUSÃO
Conclamo aos irmãos que diante deste
simples trabalho busquem horizontes na
construção do conhecimento; também
estimulá-los a intensos estudos ao tema
do “Título”.

PROVÉRBIO DE SALOMÃO: "A SABEDO-


Todos que escreverem para a Revista
RIA DIVINA DIRIGE SUAVE E PODE-
M∴B∴ no mês de outubro participaram do
ROSAMENTE TODAS AS COISAS”.
sorteio do livro “Sementes da Razão”. O
LEMBRETE-SE: “SER MAÇOM É VIVER EM ganhador, que re-
ESTADO CONSTANTE DE DEDICAÇÃO AO ceberá o livro en-
PRÓXIMO E AOS ESTUDOS”. Amâncio tregue pelos Cor-
reios, sem nenhum
custo, é o irmão
VOCABULÁRIO - Fernando Medei-
ros, de Brasília-DF,
DICIONÁRIO KOOGAN LAROUSSE com o WhatsApp
ALTAR - s.m. Antigamente, mesa para os (61) 8402-3...
sacrifícios: (ergueu um altar aos Deuses) / O sorteio foi feito
Mesa onde é celebrada a missa. / Espécie através de um site
de mesa destinada aos sacrifícios em especializado em
qualquer religião. sorteios e o resul-
TRONO - s.m. Sólio que os reis ou sobera- tado está disponí-
nos ocupam nas cerimônias / Poder ou vel em https://www.sortear.net/sorteio/
autoridade do soberano. / S. m. pl. Um d713d65a45d7
dos nove coros dos anjos. E para incentivar a leitura, a produção e a
divulgação dos trabalhos, um grande in-
SIMBOLISMO MAÇÔNICO
centivador da Revista M∴B∴, nosso Irmão
ALTAR - Espécie de mesa de pedra para João Augusto Cardoso, disponibilizou um
os HOLOCAUSTOS nas religiões pagãs; exemplar de seu livro “Direitos Autorais
mesa onde se celebra a missa; culto; ve- aplicados ao Traba-
neração. lho Acadêmico (2ª
TRONO - Sólio que os soberanos ocupam ed. 2019)”, para
sortearmos entre
nas ocasiões solenes; poder soberano; au-
todos os autores
toridade.
das edições 1 a 6.
Embora tenha esse
BIBLIOGRAFIA: título e ser obra
acadêmica, segura-
CAMINO, Rizzardo da; Odéci Schilling da. mente se aplica aos
Vade-mécum do Simbolismo Maçônico. 3 artigos. O ganha-
ed. Rio de Janeiro: Aurora, p.610. dor foi o Irmão
ALMEIDA, João Ferreira de. A Bíblia de Sandro Pinheiro,
Promessas: velho testamento e novo tes- conforme consta
tamento. 5 ed. São Paulo: Juerpe King’s em https://www.sortear.net/
Cross, 2006. [Traduzido] sorteio/234b4e89f1fa
Do Autor – documentos outros Participe dos próximos sorteios. Nos es-
creva e automaticamente irá concorrer.

REVISTA M∴B∴ 32 Novembro de 2021


 ESTUDO
OUSE SABER

Texto extraído do livro


“Iluminação” do
Irm∴ Charles Evaldo Boller ,
M∴M∴

O
método de instrução maçônica do do pensamento com novos métodos
normalmente consta de parábo- de analisar as ideias e que minimizaram
las como recurso pedagógico pa- ignorância e crendice. Rompeu-se com o
ra ilustrar conceitos morais e éticos. A que se considerava senso comum, tradi-
transmissão de valores e conhecimentos ção e misticismo. Desenvolveu-se a refle-
aproveita de tudo que o homem já desen- xão do homem comum e independente.
volveu e que for bom ao crescimento do Delineou-se um mundo diferente onde
maçom de forma simples e objetiva. vale mais o espírito especulativo e a obje-
tividade racional.
Segue-se o exemplo criado pelos antigos
gregos, época em que se inundou o mun- Assim é a Iluminação Maçônica.

REVISTA M∴B∴ 33 Novembro de 2021


A Influência do Iluminismo tese, antítese e síntese.
Semelhante aos vetustos gregos, os ilumi- O maçom duvida sempre!
nistas influenciaram o mundo, restauran- Seguindo a influência grega, mesmo ve-
do os métodos gregos em benefício da lhas verdades são frequentemente questi-
humanidade. Não possuíam linha filosófi- onadas novamente. O maçom é filho da
ca particular. Constava de estudantes en- heresia, a dúvida o levou a trancar-se nos
tusiastas de qualquer tema à base da es- templos para estudar com liberdade.
peculação racional, cuja atuação propici-
ou inúmeros saltos ao conhecimento hu- Ele ousa saber!
mano, razão porque aquele século ficou Fracasso das Ideologias que Escravizam
conhecido pela posteridade como o Sé-
A metodologia maçônica ensina a des-
culo das Luzes.
confiar de ideologias1, aparentemente
Devido ao despotismo generalizado da perfeitas na teoria, mas terríveis em seus
época, era linha corrente entre os cientis- resultados: onde homem explora homem
tas e pensadores o esforço extraordinário em seu próprio prejuízo!
de obter cada vez mais e melhores graus
de liberdade na especulação do livre pen-
sar, levando os iluministas a colocarem a
razão num trono, como supremo critério
de valor que deveria orientar religião, filo-
sofia, ciência, estado, direito ou econo-
mia. Sua influência foi decisiva para lan-
çar as bases da Maçonaria Especulativa.
Assim como intuíram gregos e iluministas,
a Maçonaria tem a pretensão de levar o
homem a pensar de forma independente,
sem que se sujeite a ninguém no que de-
ve acreditar ou em que ideologia atuar.
Um vetor importante do pensamento ma-
çônico é o Liberalismo que conduz o ho-
mem natural, de boa índole, que tem em
si mesmo as diretrizes da realização de
toda boa obra sem que haja necessidade
de ajuda de fora. Parte-se do princípio de
que a natureza é racional e não a conse-
quência de acasos do caos.
Devido à influência iluminista na Maçona-
ria, o método da Arte Real promove o de- É característica geral de todas as ideolo-
senvolvimento da arte de pensar. A Ma- gias iludirem seus adeptos: elas não têm a
çonaria, como método, tem por objetivo capacidade de solucionar os problemas
ensinar a pensar de forma independente. das sociedades. Na prática são todas im-
Cada maçom aprende a pensar por si perfeitas pelos resultados diários que
próprio e desenvolve sua própria verda-
¹ Sistema de ideias (crenças, tradições, princípios e mitos)
de, baseada em seu próprio alicerce. Ne- interdependentes, sustentadas por um grupo social de qual-
nhuma verdade é considerada final, abso- quer natureza ou dimensão, as quais refletem, racionalizam e
luta, o caminho da especulação fica sem- defendem os próprios interesses e compromissos institucio-
pre aberto e sujeito aos infinitos ciclos de nais, sejam estes morais, religiosos, políticos ou econômicos.

REVISTA M∴B∴ 34 Novembro de 2021


apresentam. Mesmo com as boas inten- vernos de lentamente irem quebrando as
ções de uns poucos adeptos, elas normal- defesas psicológicas do indivíduo para
mente conduzem à opressão e despotis- deixá-lo inerme, à mercê dos grupos de
mo. Ideologias servem ao sistema conta- poder e sob cuja orientação os líderes na-
minado que explora o homem e, como cionais já se encontram. A atual Ordem
tal, seus líderes logo passam a comer no Mundial tem seus alicerces apoiados na
cocho da lavagem da corrupção. Todas guerra, sofrimento, crises financeiras e
as ideologias são sustentadas por grupos políticas. Tudo visa a escravidão, onde a
de homens que se restringem em barga- tecnologia e o controle das massas têm
nharem valores financeiros e poder. Para especial destaque.
estes o sofrimento humano é apenas mo- Pode-se afirmar que:
eda de troca para defender seus próprios
interesses e daqueles para os quais eles  a manipulação das massas é infalí-
se vendem. Daí, é sua meta manter a mai- vel e continua;
oria ignorante, em estado selvagem, dis-  a instituição da família não existe
putando recursos uns com os outros. mais;
E mesmo honesta, qualquer ideologia é  a procriação diminui;
refém do pensamento mecanicista que
 as crises e miséria são artificiais;
tende a fragmentar os problemas por
questão de simplificação, mas com isto  as escolas pervertem a educação
perde a visão de conjunto: enquanto se natural.
preocupa com um detalhe, os outros fra- O futuro será constituído de sociedades
gmentos do problema são negligenciados sem dinheiro em espécie, ocorrerá o con-
e fenecem. Em sentido lato só existe trole do cidadão identificado por disposi-
amor ao poder e ao dinheiro: falta às ide- tivo eletrônico implantado no corpo, se-
ologias o principal ingrediente para a so- melhante a gado, o que possibilitará ao
lução de todos os problemas da humani- poder central policiar as pessoas usando
dade: o amor fraterno! Algo que existe de microchips biométricos que darão a ca-
sobra na Maçonaria. pacidade de escanear tudo o que estiver
Maçonaria é ciência que defende o inte- fazendo à distância.
resse das sociedades e promove a evolu-
ção independente de seus adeptos. É tan-
to que até verdades já definidas como
certas no passado são reavaliadas de
tempos em tempos. Pelo dia-a-dia sofrido
das massas fica evidente que o maçom
tem muitos problemas sérios a estudar e
combater para ajudar a sociedade a obter
meios mais confiáveis de convivência e
administração pública.
Uma Ditadura Mundial Absoluta
O futuro sem preparo será cheio de ad-
versidades se o cidadão não reagir! Existe
na sociedade um pacto de silêncio e pas-
sividade ditado pelo domínio econômico.
Tudo caminha para uma ditadura mundial
absoluta. Percebe-se a atividade dos go-

REVISTA M∴B∴ 35 Novembro de 2021


É o controle da escravidão ditada pelo com seus próprios recursos e depois mul-
poder econômico. Escravidão total e con- tiplicar o conhecimento que livra os mem-
trolada por tecnologia. bros honestos da sociedade das ações ne-
fastas da prostituição das ideologias.
No Brasil é a razão de não se investir em
educação, saúde e segurança; da Justiça Por definição, naquilo que entende na inici-
que, de tão lenta, não existe; da família ação, o maçom não aceita que lhe ditem a
tradicional destruída para acabar com a verdade em qualquer aspecto ideológico,
propriedade; das leis confusas, pois con- moral, ético, político ou metafísico: pensa-
templam mais o direito do bandido, aban- mento é algo que se modifica ao longo do
donando as pobres vítimas a própria sor- tempo e as ideologias fechadas em si mes-
te; nos corredores do poder central cogi- mas inserem componentes de totalitaris-
ta-se até no reconhecimento legal de ca- mo, despotismo, paixão e extremismos.
samento entre seres humanos e animais. Cabe ao maçom estar preparado para o que
Está em andamento algo que era piada: acontece e ainda está para se realizar. Já sa-
aquela do bode no meio da sala, onde be que o conhecimento diferencia o homem
qualquer solução para aliviar tão indese- dos animais e que o estudo não é comporta-
jada situação será aceita sem pestanejar. mento natural, nem é obtido por carga ge-
Por exemplo: a ameaça do sequestro já nética, advém de treinamento intenso.
faz os pais desejarem que se implantem É dada ao maçom a oportunidade de liberta-
microchips no corpo de seus filhos. se do sistema humano de exploração e de-
Iluminação Maçônica gradação. Cabe ao maçom estar preparado
para não permitir que um grupo de poder
Ao maçom é importante aprender a pen-
submeta o homem à miséria, à escravidão.
sar assim como intuíram os gregos e os
iluministas: como Kant, com sua filosofia A sociedade está carente de líderes!
do esclarecimento "aufklärung", o É necessário estudar, discutir, ler e acima
"Sapere aude", o ouse saber: seguido por de tudo ensinar. O maçom não pode ab-
Nietzsche, Auguste Comte e outros. Pelo dicar de ensinar, pois é ensinando que
que estes pensadores realizaram, às ve- treina sua capacidade de pensar. Só o co-
zes até em oposição, percebe-se o quan- nhecimento conduz o homem ao encon-
to o uso da razão modifica o pensamento tro de sua plenitude.
e se adapta pela ação do livre pensador
para cada realidade na linha do tempo. Existe um forte compromisso com o futu-
Isso é a essência do método da Maçona- ro da humanidade. O maçom é multiplica-
ria conhecido por Arte Real, que fala por dor da Iluminação, da capacidade de ca-
símbolos em resultado da observação da da um andar com as forças de suas pró-
Natureza. Tudo o que vem da Natureza é prias pernas sem depender dos que ne-
de inspiração divina: linguagem metafísi- gociam sua capacidade produtiva nos
ca que abre o pensamento para novos corredores dos poderes.
horizontes e que tem a possibilidade de Cabe ao homem livre e de bons costumes
orientar as sociedades humanas para viver a filosofia do esclarecimento, da Ilu-
bons pastos. Inspirada em ciências sagra- minação, da Luz que vem da Arte Real
das antigas e naturais que despertam po- Maçônica, pois só aquele que sabe pensar
tencias intuitivas naturais para a condu- alcança a luz da sabedoria.
ção do homem ao bem, ao amor fraterno.
A luz da razão deve espancar as trevas
O maçom treina de forma eclética para, da ignorância!
numa primeira instância, aprender a andar

REVISTA M∴B∴ 36 Novembro de 2021


Usar a razão a serviço da sociedade!
Maçom!
Sapere aude!
Ouse saber!
Bibliografia
1. ALMEIDA, João Ferreira de, Bíblia Sa-
grada, ISBN 978-85-311-1134-1, Socieda-
de Bíblica do Brasil, 1268 páginas, Baru-
eri, 2009.
2. CAPRA, Fritjof, O Ponto de Mutação, A
Ciência, a Sociedade e a Cultura Emer-
gente, título original: The Turning Point, 20 de novembro
tradução: Álvaro Cabral, Newton Ro-
Convites a venda com os obreiros da Loja Paulo Fernandes da
berval Eichemberg, 1ª edição, Editora Silveira, 39, ou na secretaria da Grande Loja Maçônica do DF
Pensamento Cultrix Ltda, 448 páginas,
São Paulo, 1982.
3. ESTULIN, Daniel, A Verdadeira História
do Clube Bilderberg, título original: La
Verdadera Historia del Club Bilderberg,
tradução: Lea P. Zylberlicht, ISBN 85-
7665-169-6, primeira edição, Editora
Planeta do Brasil limitada., 320 páginas,
São Paulo, 2006.
4. LARA, Tiago Adão, Caminhos da Razão
no Ocidente, A Filosofia Ocidental do
Renascimento Aos Nossos Dias, segun-
da edição, Editora Vozes limitada., 176
páginas, Petrópolis, 1986.
5. MASI, Domenico de, A Emoção e a Re-
gra, Os Grupos Criativos na Europa de
1850 a 1950, título original: L'emozione
e lá Regola, I Gruppi Creativi in Europa
Dal 1850 Al 1950, ISBN 978-85-03-
00612-5, primeira edição, Editora José
Olympio limitada., 420 páginas, Rio de
Janeiro, 1989.
6. TOFFLER, Alvin, A Terceira Onda, A
Morte do Industrialismo e o Nascimen-
to de uma Nova Civilização, título origi-
nal: The Thrid Wave, tradução: João
Távora, ISBN 85-01-01797-3, 21ª edição,
Editora Record, 492 páginas, Rio de Ja-
neiro, 1980.

REVISTA M∴B∴ 37 Novembro de 2021


 LIVROS

Livro Introdução ao Rito Moderno ou Rito de Fun-


dação da Maçonaria Especulativa
Autor Gustavo Vernaschi Patuto
Sinopse Esta “Introdução Rito Moderno ou o Rito de
Fundação da Maçonaria Especulativa” narra de
maneira suave os aspectos históricos e evolu-
ção das reformas no Rito Moderno, advindo
das práticas dos Modernos de 1717 que não
eram de conhecimento geral. É exposto neste
livro diversos aspectos políticos, religiosos e
filosóficos de cada época até a contempora-
neidade. Teremos também um pouco da evo-
lução do Rito Moderno no Mundo, tópico que
contou com muito tempo de pesquisa utilizan-
do o “centro de união” pois contou com a co-
laboração de diversos irmãos do Brasil e do
Mundo apoiando no primeiro “Censo Global de
Lojas Modernistas”. Foi compartilhado o de-
senvolvimento e criação de livros em Portu-
guês bem como as melhores práticas para o
desenvolvimento deste rito, com o intuito de
ajudar aos leitores a desenvolverem o conheci-
mento sobre o Rito Moderno.
Onde Direto com o autor.
Comprar WhatsApp (41) 99900-8601

Livro Ernst e Falk: Diálogos Para Franco-maçons


Autor Gotthold Ephraim Lessing
Sinopse A experiência maçônica de Gotthold Ephraim
Lessing (1729-1781), em um momento em que a
fraternidade alemã experimentava uma série de
conflitos ideológicos, revelou-se o pano de fun-
do para a construção do opúsculo ERNST e
FALK, produzido por volta de 1778. Composto
por cinco diálogos, Lessing constrói verdadeira
ontologia da maçonaria, com clara tentativa de
definir a natureza da organização. De forma
inédita, o Professor Doutor Rui Aurélio De La-
cerda Badaró brinda o leitor com a tradução
fiel do opúsculo de Gotthold Ephraim Lessing,
introduzindo o material com um panorama so-
cial, político e histórico da época e apresentan-
do o autor dos diálogos pelo viés de sua parti-
cipação na fraternidade maçônica, por meio de
uma linguagem clara e objetiva.
Onde https://amzn.to/3EpvGpY
Comprar

REVISTA M∴B∴ 38 Novembro de 2021


Livro Jesus E O Maçom - O Admirável Mundo Ma-
çônico
Autor E. Figueiredo
Sinopse Ainda há muitas perguntas sem respostas so-
bre Jesus Cristo, a figura principal do Cristia-
nismo, e até mesmo se ele seria um maçom,
pois o que pregava ia ao encontro dos valores
que são a razão de existir da Sublime Ordem.
O autor trata com brilhantismo o viés histórico
da vida de Cristo e, além de discorrer sobre
grandes nomes da nossa história que eram
maçons, nos brinda com vários contos e len-
das com personagens da literatura cujas ações
traziam o espírito Maçom, como Robin Hood e
Zorro. Ao longo de suas páginas, o Mestre E.
Figueiredo compartilha pesquisas e conheci-
mento profundo que adquiriu, utilizando uma
linguagem sem preciosismos, sobre a síntese
da simbologia Maçônica. Um conteúdo que fa-
rá o leitor não interromper a leitura até a últi-
ma página!
Onde https://amzn.to/3GoBXEx
Comprar

Livro As Cruzadas, os Templários e a Maçonaria.: Uma


saga histórica de traições, poder, riqueza e fé
Autor Rosaldo Bonnet
Sinopse A Europa e a Cristandade, corriam sério risco
com o avanço dos muçulmanos. A Igreja Católi-
ca sabia que o seu fortalecimento também de-
pendia de impedir o progresso dos árabes na
região. O Império Bizantino, acuado pelos isla-
mitas via seus domínios encolherem gradativa-
mente e se nada fosse feito seria questão de
tempo para serem dominados. Num discurso
inflado Urbano II, inicia uma jornada para re-
conquistar Jerusalém e seus lugares sacros.
Após isso, a história se desenvolve nas demais
Cruzadas, na Ordem do Templo, nos canteiros
de obras das grandes catedrais e na Maçonaria.
Uma saga histórica de guerras, traições, so-
nhos, riqueza e poder, envolvendo a Igreja, a
nobreza, os Templários e a Maçonaria. Num
empolgante relato da época, de forma crítica e
com riqueza de detalhes, o livro narra um dos
períodos mais sangrentos e conturbados.
Onde https://amzn.to/2ZsWW8z
Comprar

REVISTA M∴B∴ 39 Novembro de 2021


 REVISTAS, JORNAIS E INFORMATIVOS
PUBLICAÇÕES DE SETEMBRO/2021 DISPONÍVEIS NA BANCA DOS BODES

CLIQUE NA IMAGEM PARA ABRIR A REVISTA OU ACESSE bancadosbodes.com.br


REVISTA M∴B∴ 40 Novembro de 2021
A Banca dos Bodes, possui em seu acervo 3541 revistas, jornais, boletins e livros maçônicos,
disponibilizados gratuitamente. Diversos editores já elegeram a Banca dos Bodes como repositório,
está faltando sua publicação aqui. Quanto custa? Nada, é grátis! contato@bancadosbodes.com.br

REVISTA M∴B∴ 41 Novembro de 2021


 SITES | CANAIS | PODCASTS
https://bancadosbodes.com.br/

https://lojadepesquisas.com.br/

http://www.oficina-reaa.org.br/

REVISTA M∴B∴ 42 Novembro de 2021


https://pavimentomosaico.wordpress.com/

Podcast Bode Pensando - https://anchor.fm/bode-pensando/

ESSE ESPAÇO PODE SER SEU, GRATIS


Olha que espaço bacana para promover o seu site, canal, podcast ou outro conteúdo
maçônico!
Quanto custa? Nada, é grátis! Apenas exigimos que seja conteúdo maçônico condizente com a
maçonaria regular. Solicitamos a retribuição publicando no seu site a Banca dos Bodes ou a
Revista M∴B∴
Entre em contato conosco, através do e-mail mb@bancadosbodes.com.br, nos informando o
endereço do seu site/canal/podcast.

REVISTA M∴B∴ 43 Novembro de 2021


 MURAL DE NEGÓCIOS

REGRAS PARA
ANUNCIAR AQUI
Os anúncios desta seção são gratuitos, desde
que sejam no tamanho 10x5, na horizontal;
Os arquivos dos anúncios devem estar no
formato JPG;
Não editamos os anúncios, apenas
publicamos a imagem que nos for enviada;
A empresa deve ser de um maçom, sendo que
toda a responsabilidade do anúncio é do
maçom;
Será publicado apenas um anúncio por irmão
em cada edição;
Devido a limitação da quantidade de
www.facas.ml
anúncios, serão publicados os primeiros
pedidos que chegar para cada edição;
Enviar os pedidos de anúncios para o e-mail
mb@bancadosbodes.com.br

http://www.paraisodascascatas.com.br

REVISTA M∴B∴ 44 Novembro de 2021


https://premiumlaboratorio.com.br
https://www.instagram.com/premium.lab

(61) 3049-1727

REVISTA M∴B∴ 45 Novembro de 2021


 CRUZADAS M∴B∴

01) Nome de um órgão, mas que na


Maçonaria representa afetividade
03) Árvore que é um dos símbolos
da Maçonaria
05) Rito mais praticado no Brasil
(sigla)
06) Correspondência (carta, notifi-
cação, memorando, etc.)
07) Filho da Viúva
08) Ornamento que identifica o
oficial que a utiliza
09) Ave mitológica, sinônimo de
renascimento
14) Coluna que representa a sabe-
doria
16) O mesmo que grandiosa, majes-
tosa, sagrada. Está na frente de
toda Loja.
17) Grande Oriente do Brasil
18) Confederação Maçônica do
Brasil
20) Primeira Grande Loja da era
especulativa
22) Espécie de martelo usado pelo
Venerável e Vigilantes
23) Irmãos que foram iniciados em
uma mesma cerimônia
25) Triângulo equilátero que osten-
ta em seu centro a figura do olho
humano
28) Tratamento que os maçons dão
às esposas dos seus Irmãos da or-
dem
29) Local em que fica o Venerável
Mestre em uma Loja Maçônica
33) Em inglês significa alojamento
Solução da edição anterior (Revista M∴B∴ 06) Horizontal
02) Banquete fraterno, desprovido
de qualquer ritual
04) Procedimentos ritualísticos
10) Padroeiro
11) É o que move a vontade de bus-
car o bem dos outros
12) Medida de comprimento usada
por diversas civilizações antigas,
com aproximadamente 50 cm
13) Antessala de um Templo Maçô-
nico
15) Loja onde o maçom foi iniciado
19) Simboliza a audácia e a vigilân-
cia
21) Coluna que simboliza a Força
24) Cortinado sobre o Venerável
Mestre
26) Joia do Primeiro Vigilante
27) Confederação da Maçonaria
Simbólica do Brasil
30) Lugar onde os membros de
uma Loja ficam para participar dos
trabalhos maçônicos
31) Destinada a coletar propostas ou
informações
32) Levantam-se a virtude
34) Representa os maçons no mun-
do em harmonia, solidariedade e a
prosperidade entre eles
35) Colunas (letras iniciais do nome)

Solução na próxima edição

REVISTA M∴B∴ 46 Novembro de 2021


 UM TEXTO...
EU SEI, MAS NÃO DEVIA

E
u sei que a gente se acostuma. Mas A gente se acostuma a andar na rua e ver
não devia. cartazes. A abrir as revistas e ver anúncios.
A ligar a televisão e assistir a comerciais. A
A gente se acostuma a morar em
apartamentos de fundos e a não ter outra ir ao cinema e engolir publicidade. A ser
vista que não as janelas ao redor. E, por- instigado, conduzido, desnorteado, lança-
do na infindável catarata dos produtos.
que não tem vista, logo se acostuma a não
olhar para fora. E, porque não olha para A gente se acostuma à poluição. Às salas
fora, logo se acostuma a não abrir de todo fechadas de ar condicionado e cheiro de
as cortinas. E, porque não abre as cortinas, cigarro. À luz artificial de ligeiro tremor.
logo se acostuma a acender mais cedo a Ao choque que os olhos levam na luz na-
luz. E, à medida que se acostuma, esquece tural. Às bactérias da água potável.
o sol, esquece o ar, esquece a amplidão. A gente se acostuma a coisas demais, para
A gente se acostuma a acordar de manhã não sofrer. Em doses pequenas, tentando
sobressaltado porque está na hora. A to- não perceber, vai afastando uma dor aqui,
mar o café correndo porque está atrasa- um ressentimento ali, uma revolta acolá.
do. A ler o jornal no ônibus porque não Se a praia está contaminada, a gente mo-
pode perder o tempo da viagem. A co- lha só os pés e sua no resto do corpo. Se o
mer sanduíche porque não dá para almo- cinema está cheio, a gente senta na pri-
çar. A sair do trabalho porque já é noite. meira fila e torce um pouco o pescoço. Se
A cochilar no ônibus porque está cansa- o trabalho está duro, a gente se consola
do. A deitar cedo e dormir pesado sem pensando no fim de semana. E se no fim
ter vivido o dia. de semana não há muito o que fazer a
gente vai dormir cedo e ainda fica satisfei-
A gente se acostuma a esperar o dia in-
to porque tem sempre sono atrasado.
teiro e ouvir no telefone: hoje não posso
ir. A sorrir para as pessoas sem receber A gente se acostuma para não se ralar na
um sorriso de volta. A ser ignorado quan- aspereza, para preservar a pele. Se acos-
do precisava tanto ser visto. tuma para evitar feridas, sangramentos,
para poupar o peito. A gente se acostu-
A gente se acostuma a pagar por tudo o
ma para poupar a vida. Que aos poucos
que deseja e o de que necessita. E a lutar
se gasta, e que, gasta de tanto acostu-
para ganhar o dinheiro com que pagar. E
a pagar mais do que as coisas valem. E a mar, se perde de si mesma.
saber que cada vez pagará mais. E a pro- Marina Colasanti
curar mais trabalho, para ganhar mais di- Vídeo: https://youtu.be/ruN_LR60ZfQ
nheiro, para ter com que pagar nas filas
em que se cobra.

REVISTA M∴B∴ 47 Novembro de 2021


REVISTA M∴B∴

Você também pode gostar