Você está na página 1de 36

Aparelho respiratório: uma

abordagem histológica

Profa Maria Paula Soares Pozati


Apresentação

Abordagens importantes sobre o aparelho


respiratório:
Origem
Divisão anatômica
Células especializadas
Morfologia da traquéia e da árvore brônquica

Profa Maria Paula Soares Pozati


Apresentação

“Respirar: Absorver (os animais) o oxigênio do


ar nos pulmões, nas brânquias, nas traquéias,
na pele, e expelir o gás carbônico resultante das
queimas orgânicas, depois de se realizarem as
trocas necessárias para gerar a energia
indispensável à manutenção da vida.”
(Dicionário Aurélio – 1ª ed. Editora Nova Fronteira)

Profa Maria Paula Soares Pozati


Apresentação

R. celular: produção de energia


pelo metabolismo de moléculas
orgânicas
Respiração
R. mecânica: absorção de oxigênio da
atmosfera para dentro do sistema
vascular sangüíneo e a excreção do
dióxido de carbono para a atmosfera.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Introdução
Divisão anatômica do aparelho respiratório
I. Trato respiratório Superior
I.1 cavidade nasal
I.2 seios paranasais
I.3 nasofaringe
 Função: filtrar, umedecer e ajustar a temperatura
do ar inspirado.
 Atribuição: contém receptores para o sentido da
olfação, atua como câmaras de ressonância para a
fala, é massa óssea do esqueleto facial
Profa Maria Paula Soares Pozati
Introdução

II. Trato respiratório Inferior


II.1 laringe
II.2 traquéia
II.3 vias menores que terminam nos alvéolos.
 Função: permitir a troca passiva de gases
entre a atmosfera e o sangue

Profa Maria Paula Soares Pozati


Epitélio respiratório

Epitélio respiratório

Célula colunar Células em Célula


ciliada escova granular
Células
Células caliciformes basais

Proteção Recepção Multiplicação


sensorial
Secreção
Neuroendócrinas
Profa Maria Paula Soares Pozati
Epitélio respiratório

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato superior

Fossas nasais

Vestíbulo: porção mais anterior e dilatada.


Aspecto histológico: perda da camada de
queratina e origem da lâmina própria da
mucosa.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato superior

Área respiratória: maior parte das fossas nasais.


Aspecto histológico: epitélio respiratório, lâmina
própria com glândulas mistas, cuja a secreção é
lançada na superfície do epitélio.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato superior

Área olfatória: situada na parte superior das


fossas nasais. É responsável pela sensibilidade
olfativa.
Aspecto histológico: epitélio olfatório, que
contem os quimiorreceptores da olfação.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato superior

Epitélio olfativo
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato superior

Seios paranasais

Cavidade dos ossos da face


Epitélio baixo
Menos células caliciformes
Presença de glândulas

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato superior

Nasofaringe

 Porção nasal da faringe: Atua como via


respiratória e é recoberta por epitélio
respiratório.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Laringe

É um tubo de forma irregular que une a faringe à


traquéia
Aspectos histológicos: Tecido cartilaginoso,
epitélio estratificado pavimentoso não
queratinizado e epitélio respiratório.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Profa Maria Paula Soares Pozati


Laringe
Trato inferior

Traquéia

É uma continuação da laringe e termina ramificando-se


nos dois brânquios extrapulmonares.
Aspecto histológico: internamente, epitélio respiratório;
externamente é revestida por um tecido conjuntivo
frouxo, o qual constitui a camada adventícia.

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Traquéia

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior
Traquéia
Hilo

Brônquios primários Pulmões

3 brônquios 2 brônquios

Brônquíolos Lóbulo pulmonar

Brônquíolos terminais

Brônquíolos terminais
Transição para porção respiratório
ductos alveolares

sacos alveolares
Profa Maria Paula Soares Pozati
alvéolos
Trato inferior
Brônquios
Histologia Básica

 Ramos maiores: mucosa semelhante a traquéia.


 Ramos menores: cilíndrico ciliado simples.
- Lâmina própria rica em fibras elásticas.
- Tecido muscular.
 Externamente: glândulas seromucosas
- Peças cartilaginosas: camada adventícia.
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Profa Maria Paula Soares Pozati Brônquio


Trato inferior

Bronquíolos

Localização: intralobular
Aspecto histológico: transição epitelial
Especialização: corponeuroepiteliais
Espessura: maior que a dos bronquíolos

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Bronquíolo
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Bronquíolos terminais

Localização: fim da árvore brônquica


Aspecto histológico: células ciliadas e não
ciliadas
Especialização: células de clara
Espessura: parede mais delgada
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Bronquíolo terminal
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Bronquíolos respiratórios

Localização: área de transição


Aspecto histológico: variação epitelial
Especialização: células de clara
Espessura: semelhante ao bronquíolo terminal

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Alvéolos

Ultima porção da arvore brônquica


Aspecto histológico: parede epitelial fina, que
constitui o septo interalveolar. Há tecido
conjunto com fibras reticulares, substância
fundamental, células do tecido conjuntivo, e a
rede de capilares sanguíneos.
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Alvéolos
Nota: Os pulmões contêm cerca de 300 milhões
de alvéolos, o que aumenta
consideravelmente a superfície onde ocorre
a troca de gases. Que foi calculada em
140m².

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Alvéolos

Aspectos celulares:
Células endoteliais capilares
Pneumático tipo I
Pneumático tipo II

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Alvéolos
Aspecto extracelulares:
Surfatante pulmonar (reduz a tensão superficial dos
alvéolos).
Liquido banco-alveolar
Nota: os poros alveolares a pressão a circulação colateral
do ar, quando um bronquíolo é obstruído.
Macrófagos alveolares.
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Alvéolo
Profa Maria Paula Soares Pozati
Trato inferior

Pleura

Pleura: Serosa que envolve o pulmão.


Serosa: membrana cuja forma lembra um saco, e
que segrega serosidade em sua face interna,
facilitando o deslizamento de órgãos contidos
em seu interior

Profa Maria Paula Soares Pozati


Trato inferior

Pleura

Profa Maria Paula Soares Pozati


Conclusão
Os tecidos que constituem o aparelho respiratório estão
organizados de forma a permitir que a função da respiração
mecânica seja realizada com sucesso, por proporcionar os
seguintes processos:
1- Permitir que o ar inspirado passe por um processo de
filtração, umidifição e ajuste de temperatura.
2- Proteger o trato respiratório contra a entrada de infectantes
e irritantes.
3- Garantir a resistência das áreas que estão sujeitas a atritos
e desgastes.
4- Permitir a livre passagem de ar.
Permitir a hemóstase.
Profa Maria Paula Soares Pozati
Aparelho respiratório: um enfoque
embrionário
Inicio da formação: 4º semanas de gestação
Folheto que o origina: endoderme
Primeira estrutura formada: sulco laringotraqueal

Profa Maria Paula Soares Pozati


Obrigada!

Profa Maria Paula Soares Pozati