Tiago,por favor, acrescentar (Antes do final da apostila) SUPER DICAS DE COMO ELABORAR QUESTÕES DISSERTATIVAS EM CONCURSOS EDUCACIONAIS

Orientações : Profa. Alzira Pereira da Silva Profa. e Capacitadora da Fábrica de Idéias Pedagógicas ( área Língua Portuguesa)

Cuidados com a dissertação: I· Estrutura e Conteúdo idéias coerentes, claras e objetivas. II -Preocupação com o tema nunca fugir do tema proposto. III- Usar a pessoa gramática correta - utilizar a 1a. pessoa do plural, a 3a pessoa do singular ou 3a pessoa do plural ao invés da 1a pessoa do singular. Em outras palavras, você deve escrever "acreditamos", "sabemos", "entendem", ao invés de "acredito", "sei","entendo". IV- Procure sempre se manter informado sobre diversos assuntos, pois maiores,condições terá de redigir sobre qualquer tema. V- Não usar gírias nem estrangeirismo. Quando se fizer necessário, deve-se usar aspas. VI-· Não utilizar provérbios ou ditos populares. VII- Não utilizar exemplos contando fatos ocorridos com terceiros, que não sejam domínio público. VIII- Não utilizar abreviações nem algarismos. I X- Evitar rasuras ou outros tipos de danos. X- Evitar emprego repetitivo de idéias, palavras e expressões. XI- Não cometer erros na divisão de silábicas. XII- Não cometer vícios de linguagem: cacofonia, pleonasmo, ambigüidades. XIII- Indeterminação inadequada do sujeito Isto ocorre, geralmente, usando-se o vocábulo você, Ex: "Em qualquer lugar existe miséria. Você encontra mendigos em toda parte”.

A EDITORA SOLUÇÃO, sugere os seguintes temas para treinamento organizados pelos professores Valdo e Duarte. Por ser uma sugestão de treinamento,não teria sentido a elaboração de resposta para cada item,pois estaríamos dirigindo a forma que cada candidato elaboraria a sua escrita. 1 Faça uma análise da avaliação proposta pelos PCNs com a avaliação proposta por Perrenoud. 2 De acordo com Perrenoud "A competência requerida hoje em dia é o domínio dos conteúdos com suficiente fluência e distância para construí-los em situações abertas e tarefas complexas, aproveitando ocasiões, partindo dos interesses dos alunos, explorando os acontecimentos, em suma, favorecendo a apropriação ativa e a transferência dos saberes, sem passar necessariamente por sua exposição metódica, na ordem prescrita por um sumário." (10 Novas Competências para Ensinar p. 27). Sendo assim, relacione a(s) competência(s) que mais se referem a afirmação acima. 3 Como passar da simples informação (sociedade da informação) e atingir a sabedoria na sociedade da aprendizagem? Discorra sobre esse caminho de acordo com as idéias de Alarcão e Hargreaves. 4 Paulo Freire em seu livro Pedagogia da Autonomia discorre sobre as exigências do ato de ensinar. Descreva algumas delas em um contexto de inclusão. 5 MORAN/MASSETO/BREHNS e HARGREAVES/ALARCÃO dissertam sobre as novas tecnologias usadas na educação, tais como: comunicação e aprendizagem com o computador). Elabore um projeto utilizando-se dessas idéias e o PCN da sua área. 6 "No século XXI, a profissão docente deve abandonar a concepção dominante no século anterior de mera transmissão de conhecimento acadêmico, por ter se tornado obsoleta para cidadãos em uma sociedade democrática, plural, participativa, solidária e integradora". Disserte sobre essa afirmação. (lembre-se dos autores pedagógicos que tratam desse tema) 7 Tendo como base a LDB(lei 9.394/96) artigos 12, 13,58, 59 e 60 e o PCN da sua área, ELABORE UM PROJETO para as classes de alfabetização com baixo rendimento escolar lembre-se do TOF. 8 Com base nas DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS da EJA e das Relações Étnicos Raciais, considerando o PCN da sua área, Elabore um Projeto Para o ciclo II do Ensino Fuudamental. 9 O Tema Transversal que mais aproxima-se da minha disciplina de atuação é:____________________________________ Por isso, em minhas aulas, tendo como base os três aspectos do CURRÍCULO (formal/em ação/oculto),sempre trabalho as seguintes questões: (mínimo 5)

).tratou alguns temas que a escola historicamente tenta discutir. Série.participativo. COMO FAZER ISSO (em um mundo e um país tão desiguais)? 20 Cite e explique CINCO qualidades que você possui como Professor(a). ." ( Paulo Freire) Com base na sua disciplina.Freire.. 17.Alarcão. Escolha um desses temas e elabore uma aula para a 6a.10 O ENEM avalia Competências/Habilidades.ECA arts.. artigos 53 ao 59). Em sua disciplina. 16 -Uma novela da Rede Globo Páginas da Vida .elabore uma aula para a 7ª."ENSINAR EXIGE. Tendo como base os Temas Transversais. Aids . 19 -Transformar o educando em um cidadão (crítico.069/90.são unânimes em afirmar que a profissão docente tem que ter muita COMPETÊNCIA. 13 A partir da sua disciplina..quais exigências em Paulo Freire são mais pertinentes ? (mínimo cinco) 18 -A Construção da Proposta Pedagógica da Escola é um ato coletivo e como tal pressupõe: (base: LDB art.possuidor de valores.. Inclusão (necessidades especiais). 12 e 13.. máximo dez linhas. 15 -Caracterize AVALIAÇÃO na LDB (lei 9.etc.como você trabalha pedagogicamente para preparar seus alunos? (máximo dez 10 linhas) 11 Quais os objetivos dos Referenciais Curriculares Base: Elba de Sá Barreto 12 Enumere cinco ações/temas do Projeto TIC . etc... Arte.394/96) e no ECA (lei 8. racismo.. 53/59) E A Proposta Curricular do Estado de São Paulo.série do Ensino Fundamental.tendo como base a DIRETRIZ CURRICULAR PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS 14-Perrenoud. Descreva competência para cada um desses autores/as.

que funciona e para a formação profissional).Carcaterize em Edgar Morin . AVALIA-se para quê ? 25. Saber.Segundo Celso Vasconcelos. e) à atuação dos órgãos administrativos centrais no estabelecimento de políticas educacionais que priorizam o acesso e não a qualidade de ensino. esta crescente diferenciação do sistema traduz também uma equação de menor a maior qualidade e visibiliza a tendência: a) à inserção da educação na lógica do mercado. como um produto que se compra. 22. d) de responsabilização somente aos órgãos centrais da oferta de uma educação de qualidade a todos. privilegiando seu trabalho na rede privada. freqüentam as melhores escolas públicas e escolas particulares consideradas de excelência.descritos por esses autores.MARZANO e TARDIF escrevem sobre o ensino (para a compreensão. PROVA SIMULADA 1 ( final da apostila) 1ª. em geral os mais pobres. parte 1. segundo as possibilidades econômicas de cada um.o 5º. de maior poder aquisitivo.21-GARDNER.Cite três metáforas necessárias.qual é o novo pacto educativo que o educador precisa aderir ? 24. b) dos profissionais da educação a descomprometerem-se com uma escola de qualidade na rede pública. Descreva em no máximo dez linhas sobre O ENSINO QUE FUNCIONA PARA A COMPREENSÃO. só têm acesso a determinadas escolas públicas. "Em muitas sociedades é grave a crise da escola pública e a crescente fragmentação do sistema de ensino _ grupos sociais. .segundo Assmann. c) equivocada de procurar responsabilizar a falta da qualidade do ensino na formação dos educadores. para voltarmos a “ reencantar” a educação. 23-Segundo TEDESCO." Segundo alguns autores/as. e outras faixas da população.

b) aquela que. e) integrada. e um ano de estudo avançado. Segundo A proposta curricular do Estado de São Paulo. d) o indivíduo é considerado alfabetizado ao entrar na escola. Letramento. é um fenômeno: a) infantil. 4. c) feita por professores. O novo conceito de alfabetização propõe quantos anos de estudo. e) jornais. . 5.2. e) cultural. c) 4 a 5 anos. d) da alfabetização de jovens e adultos. d) cadernos. 3. d) que continua no trabalho. b) 1 ano básico. a educação continuada é: a) a que tem continuidade em casa. encontra-se ligada à construção do ser. b) da educação básica. b) cartilhas. para considerar um indivíduo alfabetizado? a) 2 anos de estudo. c) as experiências de vida narradas pelo educandos e educadores. ponto de partida para alfabetização. para o movimento são: a) livros. durante toda a vida. de forma contínua. c) do ensino fundamental.

8. d) questão multicultural. A problemática dos níveis de analfabetismo gerou o termo: a) alfabetismo parcial. c) uma nova escola. c) letrismo inicial. A igualdade de oportunidades significa: a) mais oportunidades para quem nunca as teve. d) recurso didático. c) questão cultural. Para a educação. 7.e) n.a. e) ensino educacional para jovens e adultos. d) nova metodologia de ensino. e) apenas televisão. b) sair da escola. 6. e) professores qualificados. c) recurso educativo. b) analfabetismo funcional.d. a televisão pode ser defendida como: a) maléfica. d) prática de ensino para adultos. b) ajudar os adultos que deixaram a escola. 9. b) benéfica para os estudantes. . Uma das abordagens apresentadas pela literatura especializada na educação de jovens e adultos é: a) afirmar a existência da diferença entre membros de diferentes grupos.

Como conseqüência principal destes processos.. A leitura compartilhada de um texto literário possibilita: a) a leitura apenas. b) a invenção. 13. 12. b) os Marinheiros na França. a tendência mais provável a ser absorvida é: . há a distinção entre: a) alfabetização básica e alfabetização funcional. 11. de nova geração nos próximos anos: o baixo dinamismo da oferta de emprego no período recente. c) a mentira inventada.. mostra-nos que "nos cinco primeiros anos da década de 90. c) a Revolução Francesa. pelo mercado de trabalho. Os desafios da virada do século apresentados a partir da pesquisas Nacional por Amostra de Domicílios _ PNAD. e) matemática e escrita. 10. e) o saber do povo. d) ensino médio e ensino superior. b) educação básica e educação funcional. na Europa começa com: a) a Revolução Industrial. No Brasil.e) aprendizado de qualidade. ocorreu uma forte desaceleração da oferta de empregos em São Paulo (.) e que há três fatores principais que comprometem a possibilidade de absorção. d) apenas escrever novo texto. c) primeira série e primeiro grau. A expansão da leitura. e) ensaios de um livro. d) os alunos de escolas internas. o envelhecimento da estrutura etária dos ocupados e a forte pressão exercida pela entrada da mulher de todas as idades no mercado de trabalho".

de outro lado. d) um aumento no número de mulheres empregadas e o conseqüente aumento de homens desempregados. acompanhada por crescentes níveis de desempregos. o que significou. b) é o novo papel da supervisão e sua competência de orientar a escola. e) a substituição dos empregados mais experientes pelos jovens. são inegáveis os avanços no plano formal." Um grande desafio que se coloca para a reinvenção da escola.A garantia do direito à educação é certamente um dos requisitos para a diminuição das disparidades sociais existentes. e) se relaciona com a articulação entre igualdade e diferença. c) a de um mercado de trabalho mais dinâmico. segundo vários autores/as são : a) é a confirmação do professor para que ele possa realizar uma escolha acertada de conteúdos significativos que o mercado exige. representa o principal obstáculo à ação dos educadores. com baixa oportunidade de emprego. e até uma certa hostilidade. 15. o cotidiano das escolas contradizem o ideal de uma educação de qualidade para todos. há décadas. . na prática . b) a de crescentes níveis de inatividade entre os mais jovens.a) uma diminuição na geração de jovens desempregados e um aumento de postos de trabalho. Este é um problema antigo da educação brasileira. "Durante muito tempo a cultura escolar se configurou a partir da ênfase na questão da igualdade. particularmente referidas às culturas originárias do continente. b) a falta de motivação dos alunos. 14. De um lado. denunciava a distancia entre os valores proclamados e valores reais. por se constituírem mão de obra mais barata. d) é a melhoria da qualidade que se dará a partir da reorganização curricular. c) está vinculado ao Conselho de Escola na organização administrativa da escola. Anísio Teixeira. à cultura negra e de outros grupos marginalizados de nossas sociedades. indicando que: a) a má formação dos educadores constitui o principal entrave à realização da proposta educacional. a firmação da hegemonia da cultura ocidental européia e a ausência no currículo e em outras práticas presentes na escola de outras vozes.

com tecnologias acessíveis. Sérgio Haddad e Maria Clara Di Pierro afirmam que "a nova LDB _ Lei nº 9. 16. entre o estarmos juntos e o estarmos conectados a distancia. José Manuel Moran afirma que as tecnologias nos permitem ampliar o conceito de aula. E. sem recursos para a realização de um projeto educacional.. c) preparar intelectualmente os docentes para enfrentarem novas formas de ensinar e de aprender.995 iniciou-se uma reforma educacional. b) desenvolver práticas pedagógicas que integrem todas as dimensões de ser humano. uma instituição artificial e incompleta. A seção dedicada à educação básica de jovens e adultos resultou curta o pouco inovadora: seus dois artigos reafirmam o direito dos jovens e adultos trabalhadores ao ensino básico e o dever do poder público em oferecê-lo gratuitamente na forma de cursos e exames supletivos". Essas diretrizes de reforma educacional implicaram que o MEC mantivesse a educação básica de jovens e adultos na posição marginal que ela já ocupava nas políticas de âmbito nacional. mas que o nosso maior desafio para um ensino e uma educação de qualidade é : a) dotar as escolas de infra-estrutura adequada. de espaço e tempo. e) colocar as novas tecnologias de informação e comunicação a serviço da racionalização do pedagógico.) . 17. em 1.394/96 não tomou por base o projeto que fora objeto de negociações ao longo dos oito anos de tramitação da matéria (. estabelecendo novas pontes entre o presencial e o virtual. em si. Há uma expectativa de que as novas tecnologias trarão soluções rápidas aos problemas do ensino que as escolas enfrentam. do Ato das Disposições Transitórias da Constituição Federal.c) a escola é.. visto que a escola real é um prolongamento da escola européia. d) selecionar e divulgar informações necessárias à construção de conhecimentos que a escola considere significativos. tendo por objetivo descentralizar os encargos financeiros com a educação. racionalizando e redistribuindo o gasto público em favor do ensino fundamental obrigatório. e) a escola brasileira deveria ser inventada e não recriada. "sendo implementada sob o imperativo de restrição de gasto público. rápidas e renovadas. d) a duplicidade de objetivos educacionais decorre de uma sociedade dividida entre ricos e pobres... ." O principal instrumento da reforma em questão foi: a) a artigo 60.

elaborado para assegurar a continuidade do efetivo trabalho escolar. Mudanças econômicas e tecnológicas provocaram. buscando formar o aluno com um perfil mais condizente com as características da sociedade e da produção pós-industriais. As reformas decorrentes dessa revisão tem como características comuns. um processo de revisão das funções tradicionalmente duais da educação secundária. e) a elaboração de proposta que incorporou os gastos do Ensino Médio ao Ensino Fundamental 18.b) a aprovação de gastos públicos com a Educação Infantil. origem das grandes linhas para o Plano Escolar. a) desespecialização da educação para o trabalho e padronização das proposta curriculares. é um ordenamento pedagógico. se incorporado à prática dos educadores. a partir dos anos 80. Projeto Pedagógico. sua construção requer a organização da intencionalidade coletiva dos participantes sobre o que a escola vai fazer e como vai fazer. b) adoção de matrizes curriculares transdisciplinares e valorização dos temas transversais: trabalho. é resultante de um conhecimento mínimo das condições existentes e um esforço de previsão das alterações possíveis. pode constituir-se em ferramenta a serviço de uma escola aprendente e comprometida com uma educação de qualidade para todos. nos termos do Parecer CNB/CEB nº 15/98. em todo o planeta. IV. c) a Lei nº 10. c) desespecialização das modalidades profissionalizantes e integração progressiva do currículo e das instituições que cuidam das varias modalidades de ensino médio. I. e) desespecialização das modalidades profissionalizantes e especialização dos professores e gestores de currículos. Nesta perspectiva.172/2001 que estabelece o Plano Nacional de Educação _ PNE d) a Emenda Constitucional 14/96. . II. lógico e minucioso. III. é um documento que define as intenções da escola. meio ambiente e informática. 19. d) revalorização das especializações profissionais e esforço dos programas de formação continuada dos professores.

uso das horas de trabalho pedagógico coletivo como recurso que permite o acompanhamento das ações propostas. c) I. d) II. b) II. é um documento que diz respeito à execução das ações. A avaliação de aprendizagem na escola traduz um referencial teórico que envolve uma concepção de educação e sociedade. inserção das novas tecnologias nas práticas cotidianas de sala de aula. deve privilegiar ações educativas que propiciem possibilidades e oportunidades de : I. c) II. III e V. III. Fonseca e do jornal da UDEMO/2002 são APENAS: a) III. sobretudo. II. 20. V. e) I. após sistemáticas avaliações. interação entre as vivências dos alunos fora da escola e os conteúdos curriculares desenvolvidos em sala de aula e outros espaços da escola. IV. III e IV. o que assegura a qualidade do processo e êxito dos resultados. O Plano Escolar orientado pela intenção de assegurar o acesso e a permanência com aprendizagens significativas para todos os alunos. 21. para assegurar a transmissão dos conteúdos mínimos. e que vai se transformando no processo de implementação. III e IV. A teoria é importante. classificação dos alunos de acordo com seu desempenho. APENAS: a) I. d) I . As afirmativas coerentes com as idéias de Albuquerque. IV e V e) III. b) II. IV e V. II e III. As afirmativas coerentes com a proposta de Plano Escolar do enunciado são. porque: .II e III. III e IV. III e V.V. IV e V. desenvolvimento de procedimentos pedagógicos e uso de recursos didáticos coerentes com objetivos pretendidos.

fetichizando a avaliação. uma lógica avaliativa que se contrapõe à da ideologia individualista e conservadora que avalia o sucesso social. os autores: a) propõem que a avaliação pode ser uma "grande janela" pela qual podemos entrar e alterar as práticas cotidianas. individualmente. fazendo as tarefas solicitadas. o Diretor da Escola e o Coordenador Pedagógico selecionam e organizam algumas informações sobre o ensino fundamental e médio. d) propõem a avaliação como "centro da aula" para pressionar os alunos a se responsabilizarem. e. a despeito das condições de ensino.a) assegura o rigor cientifico às praticas de avaliação desenvolvidas no âmbito da escola. destacando que é necessário atender. II. d) assegura qualidade à prática de avaliação. Para orientar a discussão e elaboração do calendário escolar de 2010. de forma contínua e paralela. Baseados nestas e em outras ponderações. b) constitui preceitos objetivos e indicador dos caracteres de aprendizagem do aluno. as influências internacionais de doutrina pedagógica e de técnica e questiona a relação linear de que as mudanças na avaliação levam à melhoria do processo ensino-aprendizagem. Alguns Autores analisam a questão de avaliação educacional. excluindo o tempo de recreio e dos intervalos entre as aulas. tornandoa o centro da aula. as seguintes determinações: I. c) ajuda o professor a compreender o significado da avaliação e da realidade da sala de aula. 22. e) representa um material a ser aplicado pelo professor no cotidiano da sala de aula. c) concluem que a avaliação não é a questão mais importante do processo pedagógico e que só virou "fetiche" pela ação da mídia que espetaculiza a divulgação de avaliações em nível nacional. dentro da escola atual. no SARESP e no ENEM. 23. fora da escola. por seus bons/maus resultados.394/96) indicação CEE nº 9/97 e Parecer nº 67/98. nos recessos ou férias escolares. apontando seus diversos objetos e níveis de abrangência. estudando. atividades de reforço e recuperação realizadas ao longo do ano letivo. e) constatam em pesquisas. . de forma intensiva. (Lei nº 9. o projeto pedagógico e a escola como um todo. prestando atenção. dentre outras. mínima de quatro horas. constantes da LDB. b) Propõem a "pedagogia do exame"para incentivar a alunos e professores a melhorarem suas notas no SAEB. carga horária diária.

C 15. replanejamento e de avaliação final do trabalho escolar computadas na carga horária anual.A 12. GABARITO: 1. "hora-aula". horas de planejamento. considerar "hora".C 21-A 22-B 23.B 5-C 6. II e III. d) I e III.A 13. . a aprendizagem: a) Não estabelece nenhuma relação entre os diferentes conteúdos. III e IV. São determinações coerentes com os atos legais indicados. para viabilizar o curso noturno. mínima.A 7.C 17.A 18. de oitocentas horas.C 19. c) I. IV. uma vez que é independente. b) Determina que somente algumas disciplinas se integrem ao processo.C ZABALA – ANTONI Enfoque globalizador e pensamento complexo 1. b) II e IV. "hora de efetivo trabalho escolar"com o mesmo significado. tese de Zabala.Na concepção de Enfoque Globalizador.B 8-C 9 -A 10-B 20.C 11.E 3-C 4.B 14.III.A 16.A 2. APENAS: a) II. e) I e IV.

c) Conclusões abstratas e processos delineáveis a partir de idéias concebidas d) A teoria e sua descrição são os principais pontos a serem valorizados. e) A realidade e sua compreensão são complexas e é o objeto de estudo da escola. e) Não tem nenhuma importância na condução do processo ensino?aprendizagem 2. Assinale a alternativa que descreve dois desses princípios: a) Os problemas precisam ser resolvidos por técnicas simples de análise e síntese b) A realidade não precisa ser analisada. o Enfoque Globalizador do ensino define-se em três princípios. identifique a alternativa que define uma das fases do enfoque globalizador: a) A integração é o momento mais importante nesta fase. preparação.c) Precisa estabelecer o máximo de relações possíveis entre os diferentes conteúdos para potencializar sua capacidade explicativa. 4. os Centros de Interesse de Decroly apresentam a seguinte seqüência de ensino/aprendizagem: a) Intenção. d) Que as relações entre as disciplinas sejam condicionadas pelo volume de informações que cada uma delas apresenta. Segundo Zabala. 3. pois o que interessa é sua idealização. e) As conclusões e as generalizações não são complementares nesta fase. b) Observação. associação e expressão c) Observação d) Expressão e comunicação . Observando o esquema abaixo. avaliação. b) As conclusões são os momentos mais importantes nesta fase c) As generalizações são os momentos mais importantes nesta fase d) As generalizações são convergentes nesta fase. Quanto aos métodos globalizados.

d) Há um padrão uniforme na distribuição do tempo para garantir a continuidade do processo ensino/aprendizagem. a violência.A 4. mostra-nos a preocupação de Edgard Morin com: a) a cultura da paz e sua construção por meio da educação. 1. Gabarito: 1. O texto "Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro".e) Informação e avaliação." c) o racismo. interpretado em seu conjunto. 5. e) As alternativas A e B estão incorretas. diante de um mundo repleto de incertezas e imprevistos que demandam o "conhecer como se conhece. o desprezo e a incompreensão entre os povos que demandam o "aprender a conviver. assinale a alternativa que mais se aproxima das propostas dos métodos globalizados: Proposta de distribuição do horário na utilização de métodos globalizados a) O tempo é distribuído aleatoriamente de acordo com os interesses das pessoas envolvidas no processo ensino/aprendizagem b) O tempo é distribuído conforme as necessidades de cada integrante do projeto c) Não há proposta de trabalho que contempla este esquema de horário. b) a educação dos jovens.C 2.Os sete saberes necessários a uma educação do futuro. De acordo com o quadro abaixo.E EDGAR MORIN." . e) Não há condição de se executar o um projeto globalizado com esta configuração de tempo.D 5.E 3.

"Há uma incompatibilidade total entre o mundo humano da fala..d) a democracia. e) a espécie humana.. e)um contrato entre professor e aluno 2-Segundo Antoni Zabala. Porto Alegre. Cap.Artmed.. da divisão.Enfoque Globalizador e Pensamento Complexo. da ruptura. 2000. da inteligibilidade.com bastante freqüência. da percepção. convém colocá-lo.....2002. da escolha..pág. GABARITO: 1.Porto Alegre. seu autoconhecimento. A aprendizagem dos conteúdos escolares. . b)uma organização do trabalho." e) cientificidade.A 1. da comparação. conquistada com muitas lutas." b) politicidade. da busca. ao longo dos séculos e que se vê ameaçada pela falta de ética. P..Deve também solicitá-lo em. da ação. Artmed." d) afetividade. que o envolva e mobilize. sua convivência e sobrevivência. c)um dispositivo didático. (Perrenoud. suas condições de vida. da ética e da responsabilidade de sua transgressão e a: a) criticidade.. em situações de aprendizagem ótima para ele. da observação. – Dez Novas Competências para Ensinar.93. pág.Não basta que ela tenha sentido." Gabarito Paulo Freire : 1-C QUESTÕES PARA A APOSTILA SOLUÇÃO 22/11/2009 1-Para que cada aluno progrida rumo aos domínios visados.Paulo Freire. d)um princípio de educabilidade. da comunicabilidade..55) a)sua zona de desenvolvimento próximo." c) neutralidade. da verificação. 3.

Editora Cortez. 4-Edgar Morin. d)que permitia ao aluno e à aluna repetir fielmente o texto de um manual ou a exposição do professor”. .procurar a coerência com este saber. palavreado vazio e inoperante.“ Ao longo de nossas vidas. em sua obra Os Sete Saberes Necessários a uma Educação do Futuro. afirma : “.pág. e)A ética do educador.A ética do gênero humano. De nada serve. 62. S.” 3-Paulo Freire. quanto a outros domínios...o mais corrente foi aceitar que uma boa aprendizagem era aquela.emerge dessas interações. falar em democracia e liberdade mas impor ao educando a vontade arrogante do mestre. ” Segundo Paulo Freire. e)que acreditasse nas potencialidades dos educandos . me leva inapelavelmente à criação de algumas virtudes ou qualidades sem as quais aquele saber vira inautêntico.ética ( ética propriamente humana) dever ser considerada como a ética da qual emerge a consciência e o espírito propriamente humanos. c)que acreditasse nos saberes extra-escolar trazidos pelos alunos”.Saber que devo respeito à autonomia.. No entanto. Editora Paz e Terra.durante muitos anos. na prática. no sentido genérico. em sua obra PEDAGOGIA DA AUTONOMIA: Saberes necessários à prática educativa. a não ser para irritar o educando e desmoralizar o discurso hipócrita do educador. meio e fim dos outros. cada um deles é.reúne-as e confere-lhes valor.. a)que permitia ao aluno e à aluna transcrever a sua própria interpretação do conhecimento ”. ao mesmo tempo. Edição.nem tudo o que aprendemos faz parte de nós da mesma maneira.dispomos de conhecimentos que nos permite realizar interpretações suficientes para dar resposta a algumas situações. É a base para ensinar a ética do futuro ! Supõe a decisão consciente e esclarecida de : .de atuar e de sentir. A cultura. VII . d)A ética do educando. Paulo 2000. b)que respeitasse os saberes intrínsecos do aluno e da aluna”. (resumido) A concepção do gênero humano comporta a tríade indivíduo/sociedade/espécie. Na escola. Existem conhecimentos dos quais temos uma compreensão profunda. 35ª.à dignidade e à identidade do educando e. cap. Assim.no mesmo grau de domínio e conhecimento.2007..uma dessas qualidades é : a)O exercício profundo do amor. aprendemos muitas coisas integradas em nossa forma de pensar. essa tríade é inseparável e seus elementos são co-produtores um do outro. b)Ser indisciplinado. A antropo . e outros a respeito dos quais temos uma mera lembrança. c)O exercício do bom senso.

IIAlcançar a humanidade na consciência pessoal.A 2.V e VI estão corretas. VIAlcançar a unidade planetária na diversidade. o que levou a escola a introduzir mecanismos artificiais de avaliação (motivadores artificiais) foi: . VIII. IVTrabalhar para a humanização da humanidade. d) Apenas as afirmativas VII. PARTE 1. VEfetuar a dupla pilotagem do planeta: obedecer á vida e guiar a vida. Classificar. Punir. é um meio de promover a aprendizagem.I- Assumir a condição humana indivíduo/sociedade/espécie na complexidade do ser. b) Apenas as afirmativas I. a) Todas as afirmativas estão corretas.a diferença e a identidade quanto a si mesmo. Antecipar.ao mesmo tempo. II e III estão corretas. a se tornar: a) b) c) d) e) Um começo em si mesmo.Respeitar no outro. (Hoffmann) Segundo a autora. Hoje. VII.D 3. IIIAssumir o destino humano em sua plenitude.Ensinar a ética do gênero humano. Diagnosticar.A QUESTÕES PARA A APOSTILA SOLUÇÃO – 2ª. e) Todas as afirmativas estão incorretas. (Hoffmann) Historicamente a avaliação tentou se automatizar.Desenvolver a ética da solidariedade e da compreensão. IX. esta função é? a) b) c) d) e) Selecionar. Um fim em si mesma. Assinale a alternativa correta. 2. c) Apenas as afirmativas IV.C 4. entretanto. Um meio em si mesma. Uma forma em si mesma. 3. Um modelo em si mesma. (Hoffmann)A mais antiga das funções da avaliação anteriormente era encarada como um fim. GABARITO 1. VIII e IX estão corretas.

O ensinante convenceu o aprendiz.a) b) c) d) e) A vida estar sempre presente na escola A vida ter ficado do lado de fora da escola A vida nunca fazer parte da escola A escola esta sempre presente na vida A vida só existe em função da escola 4. IV. em sua prática docente deve forçar a capacidade de critica do educando. III. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. convivência. Para isso o educador tem que ser: . em sua: a) b) c) d) e) Inquietude e submissão. 8. (Freire)O educador democrático e critico. Humildade e submissão. 7. Curiosidade e sua insubmissão. II. Para Paulo Freire. Transmitir conhecimento. Dar forma a um corpo indeciso. só existe ensino quando: a) b) c) d) e) O aprendiz acreditou no ensinante. FREIRE. II e IV 6. Paulo. O ensinado independe do ensinante. Dar forma a um corpo acomodado. Resgate á autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra. conveniência. Capacidade e submissão. respeito. convivência. convivência. Resgate á conveniência. refazer o ensinado. Dar forma a um conteúdo. a) I e II b) III e IV c) I e III d) II e IV e) I. 5. convivência. Resgate á autoridade. 2000. autoridade. Para Paulo Freire ensinar é: I. (Freire)Para se trabalhar com os educandos a rigorosidade metodológica com que se devem aproximar os objetivos cognoscíveis é uma de suas tarefas primordiais. O aprendiz se tornou capaz de recriar. respeito. Resgate á sensibilidade. Para Hoffmann a relação educador/educando exige processo avaliativo mediador centrado no a) b) c) d) e) Resgate á sensibilidade. Humildade e curiosidade. respeito. respeito. O ensinante e o aprendiz se convenceram do ensinado.

investigador.(Freire) A escola: a) b) c) d) e) Deve ignorar os saberes sociais construídos ao longo da vida. Ler e escrever na escola: o real. Estas experiências são vividas: a) b) c) d) e) Nas ruas. inquieto. investigador. persistente. b) Ensinar não é transmitir conhecimentos: é criar possibilidades para o aluno. e) Ensinar nem sempre é transmitir conhecimentos e criar possibilidades para o aluno. dirigentes. dirigentes. Governadores. para construção do aluno. arrogante. 12. persistente. trabalho e na sala de aula. sensibilidade. intuição. estudantes. Segundo Freire. humilde. investigador. arrogância. nunca nas praças. assimilando o pensar certo juntamente com o professor formador. 10. Emoção. curioso. razão. autoritário. professores. 13. praças. sensibilidade.a) b) c) d) e) Criador. Emoção. é fundamental que o aprendiz da prática docente saiba que deve superar o pensar ingênuo. humilde. sensibilidade. persistente. Emoção. inquieto. trabalho e na sala de aula. acomodado. nunca no trabalho e na sala de aula. humilde. prepotente. praças. curioso. LERNER. investigador. criticidade. afetividade. dirigentes e professores. (Freire)O ensinar exige reflexão e crítica sobe a prática. Criador. . 11. o possível e o necessário. trabalho e na sala de aula. Estudantes. Criador. estudantes. inquieto. (Freire)A experiência informal de formação ou deformação vivida não pode ser negligenciada e exige reflexão. curioso. Emoção. sensibilidade. intuição. professores e pais. trabalho e nunca na sala de aula. inquietude. Por outro lado ele deve ter: a) b) c) d) e) Emoção. pais e estudantes. intuição. persistente. Délia. Nas ruas. c) Ensinar é transmitir conhecimentos. intuição. 9. Criador. Professores. Deve impor sobre os saberes sociais construídos ao longo da vida. Deve anular os saberes sociais construídos ao longo da vida. investigador. dentro da escola experiências com ciclo fez brotar um debate bastante intenso sobre as práticas avaliativas envolvendo: a) b) c) d) e) Pais. Nunca nas ruas. governadores e dirigentes. inquieto. criar possibilidades para o aluno. praças. intuição. Deve respeitar os saberes sociais construídos ao longo da vida. Porto Alegre: Artmed. governadores. curioso.(Freire) Qual o primeiro saber necessário para formação docente? a) Ensinar é transmitir conhecimentos. pais e governadores. d) Ensinar é transmitir conhecimentos e não criar possibilidades para o aluno. sensibilidade. Criador. Nas ruas. 2002. Nas ruas. Deve rejeitar os saberes sociais construídos ao longo da vida. inquieto. Dirigentes. praças.

A superação da tradicional separação entre apropriação do sistema de escrita e desenvolvimento da leitura e escrita. 19. Não permitindo a autonomia do aluno. Esta afirmação fala sobre a formação do: a) b) c) d) e) Aluno copista e leitor. 15. membro plenos da comunidade escritora. deve ser: a) b) c) d) e) Um ato centrado na repetição de significados. membro plenos da comunidade critica. 16. O professor precisa: a) b) c) d) Impedir que os alunos revisem o que escrevem. Aluno leitor. c) Fazer de alunos e ex-alunos. e) Fazer de alunos e ex-alunos. membro plenos da comunidade comunicativa. Aluno compositor e criador. . b) Fazer de alunos e ex-alunos. escritor e redator. Obrigar os alunos o papel de revisor do que eles escrevem. d) Fazer de alunos e ex-alunos.. Forçar os alunos o papel de revisor do que eles escrevem. Aluno leitor. Para Lerner. membro plenos da comunidade leitora e escritora. Lerner afirma ser imprescindível o compartilhamento da função avaliadora. Um ato centrado na construção de significados. qual o maior desafio enfrentado pela escola de hoje: a) Fazer de alunos e ex-alunos. I – lendo para a criança. Quando se fala no papel que incide unicamente na autoridade do professor. Segundo Lerner “. Um ato centrado na organização de significados. 17. Permitindo o respeito pelo aluno.segundo Lerner. Um ato centrado no exercício de significados. redator e compositor. Delegar aos alunos o papel de revisor do que eles escrevem. Lerner direciona o olhar: a) b) c) d) e) Permitindo a autonomia do aluno.temos que encarar o desafio de alfabetizar todos os alunos.. Controlando a autonomia do aluno. 18.14. Um ato centrado na pratica de significados.Lerner afirma : É preciso que o professor estabeleça com o aluno uma relação de leitor para leitor. combatendo a discriminação dentro da escola”. membro plenos da comunidade leitora. Permitindo o desrespeito ao aluno. e) Questionar aos alunos o papel de revisor do que eles escrevem. Aluno leitor e escritor.

IV – Compartilhando a leitura. a) b) c) d) e) I –II –III –IV –V. os materiais não são apresentados independentes. I. d) Organização de conteúdos somativos não tradicionais. onde são apresentados por materiais independentes. a época atual é propícia para os que estão engajados em uma reforma educacional ampla. a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade. Como ele caracteriza a multidisciplinaridade: a) Organização de conteúdos menos tradicionais.(Hargreaves) Ensinar para alem da economia do conhecimento implica em desenvolver os valores e as emoções dos jovens. onde são apresentados por materiais independentes. porém. c) Organização de conteúdos mais tradicionais. Entre os professores significa: a) b) c) d) e) Comprometer – se com o desenvolvimento cultural Comprometer – se com o desenvolvimento profissional Comprometer – se com o desenvolvimento moral Comprometer – se com o desenvolvimento nacional Comprometer – se com o desenvolvimento racial . III – Evitando interrupção ao ler. Andy. O Ensino na sociedade do conhecimento: educação na era da insegurança. 20. e) Organização de conteúdos somativos em uma organização formativa. Segundo o professor Hargreaves. Porto Alegre: Artmed. A multisciplinaridade. I –II –III. Zabala faz uma referencia a organização dos conteúdos nos quais as disciplinas como organizadora dos conteúdos tem diferentes graus de relação disciplinares. a educação deve refletir uma visão acerca do futuro oferecendo: a) b) c) d) e) Coerência e perspicácia Experiência e autoritarismo Autoritarismo e perspicácia Coerência e experiência Coerência e autoritarismo 22. 21. b) Organização de conteúdos mais tradicionais. HARGREAVES. I –II –III –IV.II – Propondo que sentem ao seu redor. 2004. V – permitindo que as crianças tenham o livro a mão. Contudo ainda resta muito a ser feito. I –II.

(SANTOS). 25. a) Que nos conformamos com a globalização. apenas transforma o aluno em um ser amestrado. 2001. b) que a igualdade era um conceito presente na origem dos sistemas políticoescolares. mais integridade. (Hargreaves)“Em uma sociedade na qual os valores individualistas são supervalorizados.(Hargreaves) Os professores que ensinam para além da sociedade do conhecimento desenvolvem o capital intelectual de seus alunos e também seu capital social como: a) b) c) d) e) Educação para a democracia Inclusão Valores Solidariedade Todas as alternativas anteriores estão corretas 24. perdendo a sua identidade. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. a educação é considerada um consumo ou um investimento da pessoa a serviço de seu próprio sucesso. mais simpatia Caráter. mais simpatia. . mais maturidade pessoal e profissional e) Nenhumas das alternativas anteriores estão corretas. mais integridade. d) que educar ou instruir seja permitir que o aprendiz mude. mais integridade. e) que mais escola signifique necessariamente mais competência e sabedoria para todos. pode vir a ser uma condição da construção de um mundo mais humano.(Hargreaves) Ensinar para além da sociedade do conhecimento exige: a) b) c) d) Caráter. O que Milton Santos propõe. podemos afirmar: a) que a educação é um sonho de harmonia e conflito. pode-se dizer que uma história universal verdadeiramente humana está finalmente. b) Que a globalização não aliena e todos nós somos beneficiados com os avanços tecnológicos advindos dela. pois o mundo sempre foi injusto. começando.23. mais simpatia. não ensina nada. c) Que os atuais “globalistas” buscam a igualdade entre as pessoas do mundo. mais integridade Caráter. e) Que a competitividade no mundo atualmente é benéfica para todos. Basta que se completem as duas grandes mutações ora em questão: a mutação tecnológica e a mutação filosófica da espécie humana”. Milton. “Agora que estamos descobrindo o sentido de nossa presença no planeta. com toda a honestidade que a escola. pois a concorrência é necessária para todos os serres humanos. 26. atualmente. atualmente utilizada para construir um mundo confuso e perverso. d) Não é essa a globalização que desejamos e sim a de todos. c) que é possível acreditar. de sua felicidade e de seu equilíbrio. Rio de Janeiro: Record. SANTOS.” Apesar disso. mais maturidade pessoal Caráter. A mesma materialidade.

unindo-as e assegurando a presença planetária desse novo sistema técnico. nos países. Chegamos a um outro século e o homem.27. d) a escassez. chegam a “negar” sua identidade cultural e têm a maioria da população pauperizada e uma minoria enriquecida. pela imposição da competição e do individualismo que solapam os vínculos de solidariedade. exatamente porque as condições de sua realização mudaram radicalmente. pois só a minoria poderosa usufrui dela. para viabilizar o funcionamento dos blocos. na forma de bens imóveis. dessa imposição por mudanças? a) Os países se tornam mais definidos em sua identidade nacional. 29. De acordo com Milton Santos. qual o efeito. como contrapartida da velocidade das mudanças. b) a economia e a ciência aplicada à produção material. e) a redefinição do conceito de espaço geográfico e do conceito de fronteiras. necessários ao entendimento de qualquer fase da história. c) como disfarce. há também um efeito de enraizamento de cada um a seu território. é freqüente os estados se tornarem autoritários. como reação dialética à tendência de homogeneização. Há uma busca interna de avanço tecnológico para não desaparecer na feroz competição que se trava entre as economias nacionais. fazendo com que formem blocos para competirem com mais força no mercado global. como fábula. ao serviço da economia dominante. produz um sistema de técnicas presidido pelas técnicas da informação. As fronteiras se tornam porosas para o dinheiro e a informação. mesmo as ditaduras. Trata-se de uma dupla tirania: do dinheiro e da informação. b) O efeito não é uniforme para todos os países. o estado se omite quanto aos interesses das populações e se torna mais forte e ágil. por meio dos avanços da ciência. o autor vê a globalização: a) como irreversível tal como é na realidade: perversa. Estas passam a exercer um papel de elo entre as demais. mais presente. Quando o país é adiantado na economia e na tecnologia. É somente agora que a humanidade está podendo contar com essa nova qualidade da técnica. enquanto estrutura em movimento. Esta imposição é externa aos países e movida por empresas mundiais que competem entre si. os países. sofrem um processo de modernização tecnológica. A globalização atual adota formas brutais para impor mudanças que levam à necessidade urgente de rever o que fazer com as coisas. c) É um efeito fragmentador. b) como fase histórica crítica e com desfecho imprevisível. enquanto fenômeno econômico. “Por uma outra globalização”: Não se pode dizer que a globalização seja semelhante às ondas anteriores. providenciada pelo que se está chamando de técnica informacional. nem mesmo uma continuação do que havia antes. Descreve Milton Santos . Diante dessa realidade. há que considerar dois elementos fundamentais: a) o estado das técnicas e o estado da política. 28. os estados nacionais. sua identidade é reforçada e todas as camadas sociais beneficiam-se da mais-valia. . Já os atrasados. com as idéias e também com as palavras. enquanto conhecimento. o ápice do processo de internacionalização do mundo capitalista e. c) a velocidade da mudança tecnológica e a informação em tempo real. Nesse movimento. De acordo com Milton Santos. e) É um efeito fragmentador. sobrevivendo as que têm mais-valia maior. d) É um efeito aglutinador sobre os países como totalidades político-econômicas. para entendê-la. e o estado da técnica. a globalização é de certa forma. Em cada país. perdem visibilidade.

criador da unidade do planeta por meio da técnica. o central. e) como excelência do gênio humano.B 11-E 21-D 2-A 12-B 22-B 3-B 13-D 23-E 4-B 14-C 24-D 5-D 15-B 25-E 6-E 16-B 26-D 7-E 17-C 27-A 8-A 18-C 28-E 9-D 19-A 29-D 10-A 20-C 30- . GABARITO: 1.d) como possibilidade de ser uma outra globalização que ponha o homem em seu lugar.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful