Você está na página 1de 3

ESTUDAR NA FRANÇA

Possibilidades de formação médica na França


Na área de medicina, os titulares de um diploma de graduação podem realizar CAMPUS
formações de pós-graduação, estágios ou residência na França F RANCE
campusfrance.org

10 de junho de 2008
ESPECIALIZAÇÃO PARCIAL (ver os documentos exigidos no site web de cada
faculdade de medicina). Como o FFI participa do fun- imprimir este artigo
Postos de residentes estrangeiros ou de
cionamento do serviço a que está ligado, preci- enviar por e-mail
“Faisant-Fonction-d’Interne” (FFI) e Certifi-
sa ter um bom nível de francês.
cado de Formação Especializada (AFS) ou de contato FF
Formação Especializada Avançada (AFSA) Ver: • Quadro “Descrição dos estudos de medicina”;
Os Centros Hospitalares Universitários (CHU) • portaria referente aos AFS e AFSA.
franceses têm postos de residente estrangeiro ou de Na prática:
“Fazendo-Função-de-Interno ” para médicos estran-
1 a) Dê início aos procedimentos com bastante Nota: As informações neste
antecedência. artigo são dadas apenas a
geiros que desejem seguir na França uma formação
título indicativo e podem
especializada. Esses postos são remunerados e os resi- b) Aprenda ou aperfeiçoe seu domínio do francês:
mudar; os textos publicados no
dentes/FFI participam, como os internos franceses, de consulte a Embaixada da França ou a Aliança Francesa Diário Oficial francês e pelo
todas as atividades clínicas do serviço para onde sobre o nível necessário para obter o certificado de Birô dos Concursos do
Ministério da Saúde são os
foram designados; devem inscrever-se em uma uni- proficiência e os cursos disponíveis.
únicos que constituem
versidade para obtenção do AFS ou AFSA. Um médico c) Procure um posto de FFI: escreva aos chefes do referência.
estrangeiro pode ocupar um posto de FFI por um serviço para onde gostaria de ir uma carta de mo-
período de 1 a 4 semestres, dependendo de seu nível tivação, em francês e com CV, indagando se um posto 1 Na França, “internes” são

de especialização no país de origem – nível esse que de FFI estará disponível na data desejada (os se- os médicos que estão fazendo
uma especialização.
condiciona sua inscrição para o AFS ou para o AFSA: mestres de formação começam em maio e novembro).
• os médicos que estão cursando uma especia- d) Escreva aos responsáveis pelos diplomas AFS e
lização em seu país inscrevem-se em AFS, cuja AFSA das faculdades para onde gostaria de ir, soli-
formação prática na França é de 2 a 4 semestres; citando uma inscrição. Os responsáveis pelos AFS e
• os médicos que já têm uma especialização AFSA também podem ajudá-lo a encontrar um posto
inscrevem-se em AFSA, cuja formação prática na de FFI; portanto é aconselhável entrar em contato
França é de 1 a 2 semestres. com eles.
O mais difícil é encontrar um posto de FFI, porque e) Consulte o consulado francês sobre as forma-
em geral há mais candidatos do que vagas, princi- lidades de visto.
palmente nos serviços de grande prestígio ou alta-
mente especializados. É preferível ir para a França no Certificado de Formação Especializada (AFS)
final ou logo após o término da especialização no país ou de Formação Especializada Avançada
de origem: os chefes de serviço franceses preferem (AFSA) sem posto remunerado
médicos já formados, e para o candidato é mais Os sites web das faculdades informam que um
proveitoso fazer uma “superespecialização”, visto que candidato a um AFS ou AFSA pode receber proposta
já terá aprendido em seu país o essencial da especia- de um posto não remunerado. Nesse caso, ele não é
lização. FFI: trabalha no serviço como interno “supranumerá-
O AFS e o AFSA não dão direito ao diploma oficial rio”. Desta forma, um candidato que não conseguir um
– diplôme d’Etat – de doutor em medicina e portanto posto de FFI remunerado mas tiver uma bolsa de seu
nem ao exercício da medicina na França. país ou recursos pessoais também poderá ir formar-se
Os documentos exigidos para a inscrição em AFS e trabalhar em um serviço francês. Entretanto, um
ou AFSA são, em geral, uma fotocópia autenticada do interno não remunerado pelo hospital é um obser-
diploma de médico, uma carta de motivação, uma vador e não está autorizado a realizar atos clínicos ou
carta do responsável pela formação do candidato em cirúrgicos. As formalidades administrativas são as
seu país e um certificado de proficiência em francês mesmas.
SIGLAS Postos de residentes estrangeiros dos Hospitais tria, medicina do trabalho, saúde pública, especia-
FFI: Faisant-Fonction-d’Interne de Paris lidades cirúrgicas, ginecologia obstétrica, ginecologia
Desde 1956 a Assistência Pública – Hospitais de clínica, biologia médica, psiquiatria. Os candidatos
AFS: Attestation de Formation
Spécialisée Paris (Assistance Publique – Hôpitaux de Paris) e o informam na inscrição para o concurso a disciplina e a
colégio de médicos dos hospitais de Paris oferecem especialidade em que estão concorrendo. O concurso
AFSA: Attestation de Formation
Spécialisée Approfondie bolsas “de excelência” para uma formação de um ano, compreende uma primeira prova de admissibilidade,
não renovável, em Paris, como residente estrangeiro que pode ser prestada na França ou nas embaixadas
CHU: Centre Hospitalo-
Universitaire com uma inscrição em AFS ou AFSA (35 vagas em francesas; os aprovados nessa etapa inicial passam
2008). Os critérios são rigorosos: internos em final de por uma segunda prova de admissão, essa na França.
DES: Diplôme d’Etudes
Spécialisées curso de especialização em seu país ou jovens Durante os anos de internato, os estrangeiros
especialistas, de menos de 35 anos, com bom nível de cumprem funções hospitalares em tempo integral, do
DHOS: Direction de
l’Hospitalisation et de francês e que em seguida retornarão ao país de mesmo modo que os internos franceses, e recebem
l’Organisation des Soins origem para atuarem em hospitais universitários. O um salário do Centro Hospitalar Universitário onde
DESC: Diplôme d’Etudes candidato deve ter uma carta de um chefe de serviço exercem (em 2007, cerca de 1.400 euros no primeiro
Spécialisées Complémentaires parisiense, aceitando-o e apoiando sua candidatura. ano). Também têm de inscrever-se em uma univer-
DU: Diplôme Universitaire Os dossiês de inscrição devem ser enviados no sidade. Em 2007 havia 36 postos em concurso.
começo do ano, para início das funções no mês de Aos internos estrangeiros não é outorgado o
DIU: Diplôme Inter-
Universitaire novembro seguinte. As informações referentes a cada diploma oficial de doutor em medicina; portanto, eles
ano estão disponiveis em www.cmhp.asso.fr. não podem exercer a medicina na França após a
obtenção do DES.
ESPECIALIZAÇÃO COMPLETA: INTERNATO
Ver:
PARA ESTRANGEIROS
• Quadro “descrição dos estudos médicos”;
Preparação do Diploma de Estudos Especia- • lista e regulamento dos DES; portaria de 19 de julho
lizados (DES, 4 ou 5 anos) de 2001 sobre a organização do concurso de internato
Os médicos de outros países podem ter acesso à para estrangeiros, principalmente condições de inscrição,
preparação do DES por meio do Concurso de Internato modalidades do concurso, programa (verificar a cada ano);
para estrangeiros, aberto a doutores em medicina não • portaria estabelecendo as condições de acesso às
residentes da Comunidade Européia e organizado todo formações especializadas do 3.º ciclo dos estudos de
ano pelo Ministério da Saúde francês. Anualmente é medicina para médicos estrangeiros;
estabelecido o número de vagas para cada disciplina: • portaria sobre abertura do concurso de internato para
especialidades clínicas, anestesia-reanimação, pedia- estrangeiros para o ano universitário 2007-2008.
Na prática: Veja, para o ano em questão (geral-
Estudantes internacionais: cursar Medicina na França? mente em abril), a publicação da portaria referente a
Os estudantes internacionais de graduação que desejam solicitar transferência dos estudos abertura do concurso e inscrição, no site do Ministério

iniciados para a França, independentemente de estarem no primeiro ou no último ano, da Saúde www.sante.gouv.fr , em “concours” e
“DHOS” (direção da hospitalização e da organização
deverão obrigatoriamente ingressar no 1.° ano do PCEM. Não há nenhuma possibilidade
do atendimento médico). Atualmente as provas têm
de integrar um curso de medicina já em andamento. Como explicado neste artigo, ao final
lugar em setembro e dezembro, para início das
desse ano o estudante deverá passar por um concurso. Caso seja aprovado, poderá, então,
funções em maio do ano seguinte. Consulte também
solicitar uma análise das matérias já cursadas em seu país de origem para tentar obter na
www.cnci.univ-paris5.fr.
França o nível equivalente.
Por ser uma área regulamentada, a medicina na França e no Brasil apresenta diminutas Preparação do Diploma de Estudos Especiali-
possibilidades de exercício da profissão com um diploma estrangeiro. Na França, nenhum zados Complementares (DESC, 1 a 2 anos)
dos diplomas mencionados assegura a um estrangeiro o direito automático ao exercício da Durante e após a preparação do DES, os internos
profissão. O estudante brasileiro que queira realizar uma formação francesa na área médica estrangeiros podem complementar sua especialização
deve portanto optar por uma pós-graduação, um estágio ou uma residência na França. com um DESC, cuja parte prática se desenvolve
Os titulares de um diploma de graduação poderão realizar formações de pós graduação, parcialmente ao mesmo tempo que a formação para o
estágios ou residência na França. DES.

Fonte: CampusFrance Brasil Ver: lista e o regulamento dos DESC.


Regulamentados conjuntamente pelos Ministérios da Saúde e da Educação, O primeiro ciclo (PCEM), comum às áreas de medicina,
os estudos de medicina na França estão organizados em três ciclos, odontologia, obstetrícia e fisioterapia, tem a duração de
que levam à obtenção do Diploma Nacional de Doutor em Medicina dois anos. Ao término do primeiro ano, há uma prova muito
seletiva cujo índice de aprovação é de aproximadamente
20%. Cada escola recebe no máximo 8% de estudantes
internacionais de países não pertencentes à União Européia.
O segundo ciclo dura quatro anos e dá direito ao
Certificado de Síntese Clínica e Terapêutica. Para ter acesso
ao ciclo seguinte o estudante deve ser aprovado com boas
notas nas provas de ensino teórico, validar todos os estágios
hospitalares (36 meses em diferentes especialidades), rea-
lizar 36 plantões em 3 anos e participar dos seminários
obrigatórios.
O êxito no “Exame Nacional Classificatório” (ex-concurso
de internato-residência) permite o acesso à formação em
medicina geral ou a uma entre 10 especialidades, no
chamado terceiro ciclo. O internato em medicina geral
corresponde a um ciclo de três anos e o internato nas
especialidades varia de 4 a 5 anos. A escolha da
especialidade é condicionada à classificação no ENC.
O terceiro ciclo leva ao Diploma de Estudos Especializados
(DES). Alguns DES possibilitam formações especializadas
complementares, tais como o Diploma de Estudos
Especializados Complementar (DESC), efetuado em dois
anos, ou a Capacidade em Medicina (CAPME), no caso
dos médicos generalistas.
Após a obtenção de um DES e a defesa de uma tese, os
internos em Medicina obtêm o Diploma Nacional de
Doutor em Medicina.
Fonte: CampusFrance Brasil

OUTROS DIPLOMAS acordos de estágio, cobertura social, vistos etc.


Também é preciso contatar o consulado francês para
Os médicos em formação também podem preparar
as formalidades legais.
um Diploma Universitário (DU) ou um Diploma
Interuniversitário (DIU), cuja lista está disponível em
ESTÁGIOS PARA ESTUDANTES DE MEDICINA
cada faculdade.
As faculdades de medicina francesas às vezes se
OUTROS ESTÁGIOS, COM FINANCIAMENTOS
propõem a receber estudantes de medicina para
DIVERSOS
períodos curtos, em geral inferiores a 3 meses. Os
É possível fazer estágios diversos, como obser- estudantes participam das atividades do serviço
vador, para aprender uma técnica ou uma prática hospitalar para o qual são designados, como seus
específica. Nesse caso, teoricamente o estagiário não colegas franceses. Às vezes também existem acordos
tem autorização para atividades clínicas. Não existe entre faculdades francesas e latino-americanas para
um mecanismo bem definido; em geral a solicitação é intercâmbio de estudantes. Informar-se diretamente
feita diretamente aos chefes de serviço dos hospitais junto às faculdades dos dois países.
ou às instituições. É útil e mesmo necessário contatar Annick Manuel, assistente técnica, especialista
Veja também informações sobre
o departamento de assuntos internacionais do hospital e consultora em saúde e pesquisa médica junto à bolsas na área médica em:
ou da instituição para tomar conhecimento das Delegação Regional de Cooperação França Brasil www.france-conesud.cl/html/
formalidades a serem cumpridas com relação a Cone Sul, annick.manuel@diplomatie.gouv.fr drc_sant.htm#formation

anterior próximo