Você está na página 1de 3

Universidade Anhanguera Data:23/11/2021

Matéria: Direito Ambiental


Alunos:

Arthur Vinicius Garcia da Silva (5° Semestre)

David O C Queiroz. (3° Semestre)

Elisângela Silva Félix dos Santos (3° Semestre)

Janiel de Jesus Santos (5° Semestre)

Laelson Lourenço de Souza Filho (5° Semestre)

Fichamento

Salão do Conhecimento UNIJUI 2016.

Disponível em
https://www.publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/salaoconhecimento/issue/view/
186 acesso em 23/11/2021

A Gestão de Resíduos Sólidos e o Direito a Cidades Sustentáveis

É importante saber que os diferentes estilos de vida contribuem diretamente à


degradação ambiental, por isso, se faz necessário que a sociedade leve a vida dentro das
possibilidades ecológicas oferecidas pelo meio ambiente. O crescimento da população em
áreas urbanas fez com que aumentasse significativamente os níveis de consumismo, isso
porque as necessidades do homem urbano juntamente com suas atividades, torna-se mais
prático a ele, consumir produtos industrializados, usar diversos aparelhos eletrônicos, entre
outros produtos que o mercado oferece afim de facilitar a vida do homem moderno, porém,
este fator de consumo abusivo está contribuindo na mudança do quadro ambiental,
ameaçando a saúde do planeta. Os resíduos sólidos não são muito divulgados e discutidos
pelo poder público acerca de seus efeitos como agente poluidor tal questão vem ganhando
contornos surpreendentes nos dias de hoje devido ao aumento do consumo de produtos
industrializados e o aumento da população nas cidades.

Estão sujeitas à observância desta Lei as pessoas físicas ou jurídicas, de direito público
ou privado. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é regida pela Lei nº 12.305 de
02 de agosto de 2010, é parte integrante da Política Nacional do Meio Ambiente. Tal
legislação foi criada com a finalidade de proteção ao meio ambiente urbano, objetivando a
redução da produção de resíduos sólidos. É legalmente conceituado no artigo 3º, inciso XVI:

Art. 3o Para os efeitos desta Lei, entende-se por: XVI - resíduos sólidos: material,
substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade.

Certos tipos de lixo podem ser reutilizados, reciclados, desde que seja tratado de forma
adequada, outros resíduos, não podem ser reutilizados de forma alguma, como por exemplo
o lixo hospitalar, resíduos sólidos são restos da atividade do homem.

A Lei nº 12.305/2010, em seu artigo 7º, estabelece estes e entre outros objetivos, tal
qual para que haja sustentabilidade nos ambientes urbanos se faz necessário observar a
questão de gerenciamento dos resíduos sólidos, conforme disposto na Lei nº 12.305 de 2010,
art. 9º, “na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, deve ser observada a seguinte ordem
de prioridade: não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos
sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos”.

A separação dos resíduos sólidos contribui para o processo de reciclagem, pois cada
tipo de resíduo tem um processo próprio. Reciclar é a transformação de materiais usados em
novos produtos para o consumo. A reciclagem contribui colabora diretamente para a
diminuição da poluição em geral e também gera mais empregos. A reciclagem hoje também
é geradora de riquezas, e até mesmo o setor industrial está reciclando materiais, visto que
reduz os custos de produção.

Os resíduos sólidos são coletados e encaminhados por meio de transporte adequado a


um local de transferência, onde passará por um tratamento para logo sua disposição final. A
responsabilidade por essa fase é do poder público, com exceção dos grandes geradores, neste
caso o próprio gerador deve responsabilizar-se com o manejo adequado de seus resíduos.

Você também pode gostar