Você está na página 1de 7

CALVÁRIO e PENTECOSTES

O Evangelho, o Indivíduo e a Mudança


“Perto está o SENHOR de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade”.

Desde a Primeira Aliança o SENHOR Todo-Poderoso avisou, pelo ministério do profeta Isaías
(42.1-4), que haveria de enviar o Seu Servo para anunciar juízo aos gentios. O confronto seria
inevitável. O Espírito de Deus falava que os homens seriam colocados em CRISE: decisão, juízo,
momento de tensão.

Isto exige atuação em esforço perseverante. O coração do homem precisa de transformação.


Jesus, o Servo do SENHOR, declarou (Mt 11.12):

“Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se
esforçam se apoderam dele”.

O Decreto Messiânico é determinante (Mc. 1.15):

“O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo;

arrependei-vos e crede no evangelho”.

A Escritura afirma que ESTE É O TEMPO DE CRISE

“E o Pai a ninguém julga, mas ao Filho confiou todo julgamento (gr. krisin), a fim de que todos
honrem o Filho do modo por que honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai que o
enviou”. (Jo. 5.22-23) (Este Decreto está em plena execução.)

DUAS BÊNÇÃOS DE ETERNA E GRANDE REPERCUSSÃO estão disponíveis a todo aquele


que quiser exercer fé em Cristo Jesus. Em qualquer dos casos as conseqüências são inevitáveis e
NINGUÉM FICARÁ LIVRE DA AVALIAÇÃO FUTURA porque o dia desta avaliação virá
“repentinamente, como um laço” (Lc. 21.34). Portanto, não podemos nos concentrar em questões
erradas.

CALVÁRIO e PENTECOSTES são os lugares onde CADA CRISE PRECISA DE SOLUÇÃO,


a fim de que as bênçãos sejam alcançadas, INDIVIDUALMENTE, em cada caso. Entre o
Calvário e o Pentecostes há uma etapa a ser vencida para que a segunda bênção seja
efetivada.

O primeiro momento acontece no Calvário e PERDÃO É O QUE SE OBTÉM. O pecador é


absorvido pelo amor de Deus que o atrai a Si, como está escrito: “E eu [JESUS], quando for
levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo”. (Jo. 12.32 – ênfase nossa)

Este é o lugar da prova do “amor de Cristo, que excede todo entendimento” (Ef. 3.19), amor
que nos constrange (2 Co. 5.14). Deste modo, a cruz convoca para perdoar e também para matar. Ali
o homem haverá de ser crucificado e morrer a fim de que seja ressuscitado com Cristo e viva para
Deus na constância de Cristo (Cl. 3.1-3).

Todo aquele que ouviu a Mensagem do Evangelho de Deus é confrontado em DOIS


MOMENTOS que, de tão claros, como a luz e o calor do sol do meio-dia, o indivíduo se vê na
obrigação de UMA RESPOSTA CONSCIENTE. Em cada um desses episódios o Altíssimo Deus
respeita a decisão humana por lhe haver concedido o livre arbítrio. Dependendo de como o indivíduo
responde ao amoroso convite de Deus haverá DANOS OU LUCROS.

Os pontos básicos desta PRIMEIRA CRISE:


C – CONVENCIMENTO DO PECADO, DA JUSTIÇA E DO JUÍZO:

“Quando ele [o Espírito de Deus] vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:
do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do
juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado”. (Jo. 16.8-11)

R – RENÚNCIA SINCERA AOS HÁBITOS PECAMINOSOS:

“Ele [Deus] vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais
andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito
que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora,
segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos,
por natureza, filhos da ira, como também os demais”. (Ef. 2.1-3)

I – INSTANTÂNEA JUSTIFICAÇÃO MEDIANTE A FÉ EM CRISTO:

“Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus
Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos
firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus”. (Rm. 5.1-2)

S – SALVO DO PODER DO PECADO E DA MORTE ETERNA:

“Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. (…)
Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras,
para que ninguém se glorie. Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as
quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas”. (Jo. 10.28; Ef. 2.8-10)

E – EM UMA NOVA RELAÇÃO COM DEUS:

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber,
aos que crêem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da
vontade do homem, mas de Deus. (…) E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas
antigas já passaram; eis que se fizeram novas”. (Jo. 1.12-13; 2 Co. 5.17)

Aquele que nasceu de novo tem plena ciência da bênção indescritível que é ser salvo, porque
o Espírito de Deus testifica em seu espírito interior (Rm. 8.16). Aquele que foi salvo do poderes da
morte, do Diabo e do pecado, experimenta uma transformação total em sua vida. NASCEU DE
NOVO! ALELUIA! Sua mente pensa de outra maneira. Em seu espírito interior (o ser total) o crente
anseia pela Presença de Deus (Sl. 130.6; 143.6). Se alguém depende de consulta à Palavra para
saber se foi salvo JÁ ESTÁ DUVIDANDO EM SEU CORAÇÃO e deve confessar este pecado.

Entendam: a dúvida concede permissão ao Diabo para agir na vida do crente (Tg. 1.6).

O segundo momento acontece no Pentecostes. A partir deste ponto, a DÁDIVA É O PODER


DO ESPÍRITO SANTO. Isto exige afastamento de heresias e de opiniões de mestres e pastores
pseudocarismáticos. Isto exige submissão às Escrituras Sagradas e ao Espírito de Cristo Jesus,
porque o Espírito de Deus jamais contraria o que está escrito, do jeito que está escrito.

Os pontos básicos desta SEGUNDA CRISE:

C– CONFORME O TESTEMUNHO DE DEUS:

“Já não esconderei deles o rosto, pois derramarei o meu Espírito sobre a casa de Israel, diz o
SENHOR Deus. (…) Eu vos tenho batizado com água; ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo.
(…) Eis que envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto
sejais revestidos de poder”. (Ez. 39.29; Mc 1.8; Lc. 24.49)
R– RESPOSTA DE ORAÇÃO ESPECÍFICA E SINCERA:

“Qual dentre vós é o pai que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir um
peixe, lhe dará em lugar de peixe uma cobra? Ou, se lhe pedir um ovo lhe dará um escorpião? Ora,
se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o
Espírito Santo àqueles que lho pedirem? (…) Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.
Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao
Pai, ele vo-la concederá em meu nome. Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e
recebereis, para que a vossa alegria seja completa”. (Lc. 11.11-13; Jo 14.14; 16.23-34)

I – INTERESSE DUPLO: DO ESPÍRITO DE DEUS E DO CRENTE EM CRISTO JESUS:

“Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e
em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Eis que estou à porta e bato;
se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo”.
(Jo 4.23; Ap. 3.20)

S– SEPARAÇÃO DA INIQUIDADE, DAS HERESIAS E DO QUE DESAGRADA A DEUS:

“Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu
discípulo. (…) Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto,
onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da
terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus”. (Lc. 14.33; Cl.
3.1-3)

E– ESPERANÇA DE COLHEITA DE FRUTOS ABUNDANTES E DE BOA QUALIDADE:

“Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus
discípulos. Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão
demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera
beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados”.
(Jo. 15.8; Mc. 16.17-18)

No momento do ardente batismo com o Espírito Santo aquele que nasceu de novo e é filho de
Deus mediante a fé em Cristo, é inteiramente absorvido pela Presença de Cristo Jesus. ALELUIA!
Batismo com o Espírito Santo é evento importantíssimo no crente.

Neste momento o crente conhece o fortalecimento do Espírito de Deus em seu espírito interior
(Ef. 3.16) com a dádiva de dons (gr. charismas) sobrenaturais, conforme o poderoso testemunho das
Escrituras. Ele experimenta uma poderosíssima e total transformação na adoração íntima, nas
relações familiares e profissionais, no serviço na Casa de Deus e no seu testemunho na sociedade.
ESTE É O CRENTE QUE DEUS USA! ELE RECEBEU O PODER DO ESPÍRITO DE CRISTO e está
capacitado para as obras maiores, como está escrito (Jo. 5.20; 14.12):

“Porque o Pai ama ao Filho, e lhe mostra tudo o que faz, e maiores obras do que estas lhe
mostrará, para que vos maravilheis. Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim
fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai”.

Ora, Atos dos Apóstolos demonstra o que aconteceu com aqueles que foram batizados com o
Espírito Santo e os resultados. Por exemplos:

1. Estevão, o diácono – “Estevão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais
entre o povo”. (At. 6.8)
2. Filipe, o evangelista – “As multidões atendiam, unânimes, às coisas que Filipe dizia,
ouvindo-as e vendo os sinais que ele operava. Tinha este quatro filhas donzelas, que profetizavam”.
(At. 8.6; 21.9)

3. Pedro, o apóstolo – “Quando, porém, comecei a falar, caiu o Espírito Santo sobre eles,
como também sobre nós, no princípio. Então, me lembrei da palavra do Senhor, quando disse: João,
na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo”.(At. 11.15-16)

4. Paulo, o apóstolo – “E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e
tanto falavam em línguas como profetizavam. Eram, ao todo, uns doze homens”. (At. 19.6-7)

A experiência do ardente batismo com o Espírito Santo, segundo o padrão do Novo


Testamento, nunca jamais dependerá de confirmação pelo diácono ou pastor da igreja ou
confirmação do tipo consulta à Palavra (bibliomancia) e clamor pelo sangue de Jesus. Entendam:
blibliomancia e clamor esquizofrênico são duas heresias. Os sinais do revestimento do poder do
Espírito de Cristo Jesus não dependem de enrolar a língua imitações de cantalamares… chuliei,
culieis e muito menos de emoções; porque

“pelo fruto se conhece a árvore” (Mt. 12.33).

PORTANTO, o que temos recebido da parte de Deus Pai, como ensina o apóstolo Paulo
(ênfase nossa), é o “pleno conhecimento da verdade segundo a piedade, na esperança da vida
eterna que O DEUS QUE NÃO PODE MENTIR PROMETEU ANTES DOS TEMPOS ETERNOS e,
em tempos devidos, manifestou a sua palavra mediante a pregação que me foi confiada por mandato
de Deus, nosso Salvador”. (Tt. 1.1b-3)

Todo crente em Jesus que recebeu o ardente batismo com o Espírito Santo, TEM PLENA
CIÊNCIA DA BÊNÇÃO QUE RECEBEU. Se alguém depende de consulta à Palavra para saber SE
FOI batizado com o Espírito Santo ESTÁ ENVOLVIDO EM DÚVIDA E EMOÇÃO E EM SEU
CORAÇÃO DESCREU. A dúvida concede permissão ao Diabo para agir na vida do crente (Tg. 1.6).
Por isto muitos estão decepcionados, fracos e presos pelos laços do Diabo. Quantos foram
enganados! Quantos sofrem de esquizofrenia religiosa!

CONCLUSÃO
“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios;
falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará
mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados”.

NÃO DUVIDE: todo aquele que foi justificado mediante a fé em Cristo Jesus (Rm. 5.1-2)
nasceu de novo (Jo. 3.3), é filho de Deus (Jo. 1.12-13) e membro da família de Deus (Ef. 2.19).
Direito de herança, direito de filho de Deus. Esta bênção é para você.

O ASSUNTO É URGENTE.

O Novo Testamento é questão de vida ou morte.

O pecador precisa de se reconciliar com Deus: O PECADOR PRECISA DO PERDÃO DE


DEUS; e o salvo precisa cumprir sua tarefa: ser batizado com o Espírito de Cristo Jesus, crescer em
estatura e graça diante de Deus e dos homens, servir aos seus irmãos em amor e testemunhar de
Cristo Jesus. Para isto O SALVO PRECISA DO PODER DO ESPÍRITO DE DEUS.

O momento da bênção é este, como está escrito

“O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam
conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. (…) Combate o bom
combate da fé. Toma posse da vida eterna, para a qual também foste chamado e de que fizeste a
boa confissão perante muitas testemunhas”. (1Ts. 5.23; 1Tm. 6.12)
Ora, se somos filhos, nós temos direito a este batismo com o Espírito Santo, conforme nos foi
prometido (Jo. 16.7; At. 2.39); pois Aquele que nos fez a promessa permanece fiel, como está escrito
(Hb. 10.23): “Guardemos firme a confissão da esperança, sem vacilar, pois quem fez a promessa é
fiel”.

PERDÃO E PODER estão à sua disposição. Os que não receberam o PERDÃO de seus
antigos pecados, ou, já crentes em Jesus, mas sem o ardente batismo com o Espírito de Cristo
Jesus, devem buscar a Face do SENHOR e receberão o perdão dos pecados e o poder do Espírito
de Cristo Jesus. Aqueles que se deixaram envolver em dúvidas devem confessar o pecado para que
o SENHOR perdoe a transgressão, como está escrito “Perto está o SENHOR de todos os que o
invocam, de todos os que o invocam em verdade”. (Sl. 145.18)

Receba esta mensagem e ponha em prática o mandamento. Você poderá fazer muito mais do
que eu fiz em defesa da fé que de uma vez para sempre foi confiada aos santos.

No amor de Cristo Jesus.

NOTAS

Acompanhe em
https://www.facebook.com/CavaleiroVeloz?fref=ts
https://www.facebook.com/velozcavaleiro?fref=ts

Aqui não é lugar para calúnias e difamações. Discutimos doutrinas, heresias e ideias à luz das
Doutrinas Fundamentais como um dos capítulos da Teologia.
Atualização e reestilização em 21.06.2014 às 04:00.

Caso faça cópia ou transcrição dos textos publicados mencione a fonte. Este artigo
http://cavaleiroveloz.com.br/index.php/2010/02/calvario-e-pentecostes-o-evangelho-o-individuo-e-a-
mudanca/

Em nome da ética democrática, que a data original e origem da publicação sejam identificadas.
Nada custa um aviso sobre a livre publicação, para nosso simples conhecimento.

Escrever em CAIXA ALTA (letras maiúsculas) é deselegante. Evitem postagens fora do FOCO
do artigo.

Imagens colocadas nos artigos como ilustração foram retiradas da Internet (Google) e também
dos textos aqui postados, presumindo serem de domínio público. No caso que haja alguma imagem
sem os créditos devidos não foi intencional; e, deste modo agradeceria em nos avisar que
colocaremos os créditos.
CALVÁRIO E PENTECOSTE

Calvário e pentecoste, dois fatores na vida do cristão que jamais podem separar-se; não
poderá haver o segundo sem o primeiro. Apesar de alguém pregar ou ensinar que pentecostes não
se repete mais, continuamos a dizer, pregar e ensinar que ele existe e se repete cada dia. A
promessa pertence a tantos quantos nosso Senhor chamar (At 2:39). O calvário, sim, esse não se
repete mais, pois o sacrifício de Cristo é insubstituível (Hb 9:28; 10:12). Não existe sacrifício
incruento.

Quando aceitamos Cristo como nosso Salvador, diz Myer Pearlman, como pecador aceitamos
Cristo, e como crentes em Jesus aceitamos o espirito Santo. Com o perdão dos nossos pecados
começamos a sentir os efeitos benéficos do calvário – uma nova vida, um desejo ardente de servir a
Deus. O calvário não vem a nós; nós é que vamos a ele quando recebemos Cristo.

Calvário e Pentecoste, duas coisas distintas, mas homogêneas. Calvário é a causa,


Pentecoste é o efeito. No Calvário há lágrimas, no Pentecoste alegria; no Calvário o pecador
arrependido sente tristeza da sua vida velha, no Pentecoste ele regozija-se com a alegria da
salvação. No Calvário o pecador deixa o pecado, no Pentecoste ele tem alegria e vitória sobre o pe-
cado. No Calvário nascemos de novo, no Pentecoste somos revestidos de poder.

No Calvário somos batizados em Cristo (Mat. 20:22; I Cor. 12:13), no Pentecoste somos
batizados com o Espirito Santo (At. 1:5). No Calvário recebemos o Espirito Santo (João 20:22), no
Pentecoste somos cheios do Espírito Santo (At. 2:4). No Calvário ouvimos línguas estranhas (Mat.
27:46; Luc. 23:38), no Pentecoste falamos línguas dos anjos e dos homens (At. 2:6; I Cor. 14:2). No
Calvário ficamos em Jerusalém (Luc. 24:49), no Pentecoste vamos por todo o mundo (At. 1:8). No
Calvário os demônios obedecem-nos (Luc. 10:17), no Pentecoste expulsamo-los (Marc. 16:17).

O que tem acontecido ou está a acontecer, é que muitos crentes não passaram pela
experiência do Calvário, não nasceram de novo, e sem estes requisitos não recebem o Pentecoste.
Muitos ficam de longe e até batem no peito (Luc. 23:48), outros fogem temerosos da tribulação e da
crítica (At. 2:13), e para esses não existe Pentecoste. Só para aqueles que passaram pela
experiência do Calvário existe Pentecoste. Muitos passam margeando o rio, tendo medo de entrar;
outros contentam-se com água pelos artelhos (Ez. 47:3-6) e dizem como a mulher samaritana “o poço
é fundo”.

Pentecoste não é renovação, porém uma porta aberta para uma vida abundante e de triunfo.
Pentecoste é a promissória que garante aos filhos de Deus que a recebem, trabalharem com mais in-
teresse nos bens do seu Senhor. É o caminho de renovação espiritual via batismo no Espírito Santo.
Pentecoste é a dinâmica para uma vida vitoriosa.

Para provarmos que o Pentecoste se repete nos nossos dias, não precisamos citar o caso de
Cornélio, nem tão pouco o de Samaria ou de Éfeso (At. 19), e nem evocar os testemunhos dos
grandes homens de Deus através dos tempos. É bastante contemplar o grande Movimento
Pentecostal em todo o mundo, e verificar como Deus tem usado homens desprovidos de homilética e
sem nenhum preparo teológico, tão-somente cheios do Espírito Santo, aquecidos pelo fogo do altar, e
o resultado aí está: a grande colheita.

Sem medo de errar podemos afirmar que entre dez pentecostais, sete são batizados com o
Espírito Santo, e outros três estão esperando. Dizer-se que a ocorrência da casa de Cornélio foi um
suplemento do dia de Pentecoste para que Pedro soubesse haverem os gentios sido recebidos por
Deus, são evasivas daqueles que olham o Calvário de longe…

Pedro, um dos primeiros a ser batizado com o Espírito Santo, não sabia acaso que as
promessas de Deus são verdadeiras? Ele que dissera que “as promessas pertencem a vós, e a
vossos filhos e a todos os que estão longe; a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar” (At. 2:39), e
que respondera com firmeza às perguntas: “Que quer isto dizer?” e “Que faremos nós?” (At. 2:12,37).
É duvidar do dom de discernir que ele possuía (At. 5:3,9).
Calvário e Pentecoste, dois fatores na vida do cristão que jamais poderão separar-se. Calvário
e Pentecoste, dois elos que não se separam!

Você também pode gostar