Você está na página 1de 45

DESCRIÇÃO

Conceitos de lâmpada de Wood, laser de baixa potência, luz intensa pulsada e LEDs.
Aplicação na área de estética e cosmética.

PROPÓSITO
Entender os conceitos de energia luminosa aplicada à estética facial, respeitando as indicações
e contraindicações de acordo com o programa de tratamento personalizado.

OBJETIVOS

MÓDULO 1
Identificar o conceito de lâmpada de Wood e laser de baixa potência e suas aplicabilidades na
estética facial

MÓDULO 2

Reconhecer os conceitos de LED e luz intensa pulsada (IPL) e suas aplicabilidades na estética
facial

INTRODUÇÃO
Neste conteúdo, vamos aprender a interpretar uma avaliação da pele de um paciente utilizando
a lâmpada de Wood. Vamos entender, por exemplo, como a fluorescência da lâmpada se
comporta diante de diferentes concentrações de
melanina na pele.

Além disso, aprenderemos os conceitos de fototerapia, também chamada de terapia com luzes,
amplamente utilizada na área da estética por meio do uso de técnicas como laser, LED e luz
intensa pulsada, no tratamento de disfunções
tegumentares como cicatrização, feridas,
manchas, acne ativa, envelhecimento cutâneo, estrias e epilação progressiva.

Você conhecerá as indicações e contraindicações de cada tratamento, assim como os


parâmetros indicados para cada paciente, promovendo assim um programa de tratamento
estético com maior chance de sucesso.

MÓDULO 1

 Identificar o conceito de lâmpada de Wood e laser de baixa potência e suas


aplicabilidades na área da estética facial

LUZ DE WOOD
A luz de Wood ou lâmpada de Wood é uma luz ultravioleta muito utilizada como método
complementar na avaliação estética para o diagnóstico de lesões de pele, como melasma
dérmico, epidérmico, misto e outras
hipercromias; nível de desidratação da pele etc.

O diagnóstico é realizado através de um equipamento que ilumina a região do corpo com uma
luz negra de baixa temperatura e espectro de 320 a 450 nanômetros. A luz de Wood
consegue penetrar predominantemente
no estrato córneo e na epiderme (KEDE, 2009;
PEREIRA, 2019).


SAIBA MAIS

Alguns profissionais fazem registros fotográficos durante o tratamento com a luz de Wood para
um melhor acompanhamento das lesões e para comprovar os resultados do tratamento junto
ao paciente.

Existem no mercado dois tipos de lâmpadas de Wood:

 Clique nas figuras abaixo para ver as inforções.

Imagem: Shutterstock.com

 Foto: Modelo de equipamento luz de Wood.


A portátil, que dispõe de uma espécie de protetor que realiza a avaliação facial do paciente.

Imagem: Shutterstock.com

 Foto: Modelo de equipamento luz de Wood.

A câmara com lâmpada de Wood, que possui uma cabine com o objetivo de manter o ambiente
o mais escuro possível para melhor avaliação da pele e é também conhecida como scanner da
pele.

MODO DE UTILIZAÇÃO DA LUZ DE WOOD

 Escolha um dos passos a seguir.

PASSO 1
PASSO 2
PASSO 3
A região avaliada deverá estar limpa de qualquer produto cosmético, como filtro solar, resíduos
de maquiagem e demais impurezas.
Os olhos do cliente devem estar cobertos por algodão umedecido em água ou fechados
durante a aplicação da luz ultravioleta, devido aos riscos da exposição à radiação.

O ambiente deve estar escuro, para que seja possível observar a fluorescência na pele.

PASSO 4
PASSO 5
Após ligar o equipamento, deve-se aguardar um período de 3 a 4 minutos – tempo necessário
para que a luz de Wood atinja o maior poder de radiação – para realizar a anamnese,
possibilitando uma melhor visualização e interpretação
das características da pele.

Realizar a anamnese do local utilizando a tabela de interpretação abaixo como parâmetro.

Imagem: Shutterstock.com
 Pele quando submetida à luz de Wood.

INTERPRETAÇÃO DA LUZ DE WOOD

A luz ultravioleta emitida pela lâmpada de Wood penetra predominantemente no estrato córneo
e na epiderme.

Doença ou disfunção estética Luminescência


Tinea Capitis Aspecto azul-esverdeado/ azul-claro

Pitiríase versicolor Aspecto amarelo-prateado

Acne Aspecto verde-azulado/ laranja-avermelhado

Melasma Aspecto marrom-escuro

Desidratação/ células mortas Pontos brancos

Quadro: Aspectos da pele submetida à luminescência da lâmpada de Wood.

Adaptado de Kede, 2009; Tamler, 2009

 Atenção! Para visualização completa da tabela utilize a rolagem horizontal

Em relação ao melasma e sua luminescência, existem quatro tipos:

MELASMA EPIDÉRMICO

DÉRMICO

MISTO (EPIDÉRMICO + DÉRMICO)

INDEFINIDO
INDEFINIDO

Quando não é possível identificar claramente entre os três tipos principais.


SAIBA MAIS

Pacientes com fotótipos V e VI não apresentam um contraste sob a luz da lâmpada,


provavelmente por possuírem um grande número de melanossomos, ou seja, melanina.
Portanto, a avaliação com luz de Wood para estes fotótipos
pode ser comprometida.

Quanto mais profundo for o pigmento na pele, mais evidente ficará a fluorescência da luz de
Wood. As regiões examinadas que possuírem concentração
de melanina epidérmica elevada
logo estarão mais escuras, apresentando uma diferença em relação à pele normal. Já os locais
da pele com baixas concentrações
de melanina aparecerão mais claros e brilhantes.

Concluindo, as diferenças na pigmentação epidérmica são mais visíveis quando colocadas


sob a luz de Wood, enquanto as alterações
dérmicas ficam menos evidentes ou ausentes sob
a lâmpada em relação à luz visível.

A luz de Wood é um recurso que complementa a anamnese estética quando pensamos em


melasma e propomos um programa de tratamento personalizado. Caso não seja possível
adquirir
a câmara de luz de Wood, deve-se avaliar a possibilidade de adquirir uma do tipo
portátil, para facilitar o processo de avaliação facial.

LASER
A luz é uma forma de energia pura. Atualmente, sabe-se que a luz também possui
propriedades terapêuticas. Agora vamos entender como as luzes podem ser utilizadas na área
da estética.
Tanto o laser como a luz pulsada são formas de luz natural. A luz visível está presente em
nossa rotina diária, porém é preciso saber que tudo o que conseguimos enxergar é somente
uma parte de um fenômeno físico chamado energia eletromagnética.

O espectro eletromagnético engloba fenômenos como ondas de TV, rádio, micro-ondas,


infravermelho, raios X e ultravioleta. Nossos olhos apresentam a capacidade de enxergar
somente uma faixa muito pequena
do espectro em que a luz visível se encontra. A luz visível
que enxergamos está associada a determinada frequência ou determinado comprimento de
onda.

 EXEMPLO

O que diferencia a cor verde da azul é a sua frequência, assim como, em notas musicais, a
diferença do “fá” para o “dó” está em sua frequência, sendo uma mais aguda e a outra mais
grave.

Na ilustração a seguir, fica muito evidente como nossa visão é limitada a um pequeno pedaço
do espectro eletromagnético. O ser humano enxerga a luz vinda do Sol, das lâmpadas e dos
aparelhos eletrônicos como TVs de LED, celulares
etc., porém não enxerga os raios gama, os
raios X, ultravioleta, a luz infravermelha, nem as ondas de rádio, radar e micro-ondas.

Imagem: Shutterstock.com - Adaptado por Lerik Lopes


 Pequena parte do espectro eletromagnético.
LUZ VISÍVEL E OS COMPRIMENTOS DE
ONDA
No vídeo a seguir, a especialista Priscila Souza aprofundará a explicação sobre o espectro
eletromagnético.

LASER - LIGTH AMPLIFICATION BY


STIMULATED EMISSION OF RADIATION

A palavra laser significa, em inglês, amplificação da luz pelo efeito da emissão estimulada
da radiação. A radiação luminosa é definida como a transmissão de energia de um ponto a
outro. A
luz ou radiação eletromagnética se propaga em alta velocidade, independentemente
do meio de transmissão, podendo se propagar no vácuo ou em espaços contendo sólidos,
líquidos e gases.

Os lasers possuem propriedades únicas que o diferenciam de outros tipos de luzes,


conseguindo emitir uma grande quantidade de energia com um comprimento de onda
específico (KITCHEN, 2003; KEDE, 2009).

LASER DE BAIXA INTENSIDADE / LASER DE BAIXA


POTÊNCIA
Laserterapia de baixa potência ou de baixa intensidade é um termo que define a aplicação
terapêutica de lasers e diodos superluminosos monocromáticos com potência relativamente
baixa (< 500 mW ),
para o tratamento de doenças e lesões de pele utilizando dosagens
(normalmente < 35 J /cm2 )
consideradas baixas demais para efetuar qualquer tipo de
aquecimento detectável nos tecidos irradiados (KITCHEN, 2003; KEDE, 2009).

Atualmente bastante procurada em clínicas e centros de estética, a laserterapia de baixa


intensidade é uma modalidade de tratamento atérmica (ou seja, não produz calor).

Esses aparelhos funcionam com o objetivo de acelerar seletivamente vários processos de


regeneração de feridas, analgésicos e anti-inflamatórios.

Vamos entender como o laser atua no organismo?

Os lasers atuam por estimulação da neossíntese do colágeno, sem destruir a epiderme (parte
mais superficial da pele). Desta forma, a absorção da luz pela água provoca uma resposta
inflamatória que estimula a atividade dos fibroblastos,
propiciando, assim, uma ação global de
rejuvenescimento cutâneo, melhorando as rugas, a flacidez de pele e o fotoenvelhecimento,
por causa da ativação plaquetária e da liberação de citocinas.

A frequência de 9.500Hz é a potência indicada do laser infravermelho para tratamentos


estéticos de rejuvenescimento, acne, dermatites e aceleração do reparo tecidual.

PROPRIEDADES DO LASER

MONOCROMÁTICO
Por ser gerada por uma coleção de átomos ou moléculas idênticas, todas emitindo fótons com
o mesmo comprimento de onda, a luz possui o mesmo comprimento de onda e é absorvida de
forma seletiva pelos alvos teciduais
específicos.

COERENTE
As ondas de luz se propagam juntas no tempo e no espaço.

COLIMADO
A emissão dos feixes de luz se dá de forma alinhada.

APLICAÇÃO DO LASER
É importante pontuar que a aplicação do laser de baixa potência é pontual, pois recebe o feixe
de luz através de uma caneta vertical que deve estar em uma distância de 1 a 2cm da área a
ser tratada.

Imagem: Shutterstock.com
 Aplicação de laser facial.

INDICAÇÕES DO LASER

O laser é indicado no tratamento de acne inflamatória, dermatite seborreica, correção de rugas,


redução da flacidez tissular e na aceleração da cicatrização de feridas no pós-operatório de
cirurgias plásticas faciais.

AÇÃO DO LASER NAS DISFUNÇÕES ESTÉTICAS


E SUGESTÕES DE TRATAMENTO.

ACNE
A acne é uma doença que acomete a unidade do folículo pilossebáceo, podendo gerar uma
lesão inflamatória chamada de pústula. Estas pústulas acometem principalmente as regiões da
face e do dorso. A acne inflamatória causa um
grande impacto na autoestima de mulheres e
homens, principalmente na fase da adolescência.

Imagem: Shutterstock.com

Como você já aprendeu, existem muitas formas para o profissional de estética tratar a pele
acneica. Aqui vamos sugerir um plano de tratamento utilizando o laser de baixa potência.

 ESTUDO DE CASO ACNE GRAU II

Queixa: acne e oleosidade

JPZ, de 17 anos, procurou atendimento estético queixando-se de cravos e espinhas (pústulas)


na face, principalmente na região frontal e nasal. Na anamnese facial, o profissional de estética
encontrou pele lipídica,
comedões abertos, pústulas e cicatrizes de acne.

Sabemos que o primeiro tratamento para a pele acneica é a realização do procedimento de


limpeza de pele. Vamos então sugerir um plano de atendimento com a técnica de limpeza de
pele utilizando o laser.

Plano de Atendimento
1. Higienizar a face com loção de limpeza.

2. Lavar a região com sabonete à base de clorexidina.

Uso de esfoliante químico (este tipo de esfoliante é o indicado para peles com
acne).
3.
Importante: Esfoliantes físicos ou mecânicos são contraindicados em áreas
com pústulas.

4. Aplicação de loção emoliente.

5. Aplicação de vapor de ozônio por 20 minutos.

6. Extração dos comedões e das pústulas.

7. Uso do aparelho de alta frequência.

Aplicação do laser de baixa potência (3J/cm2) nas regiões em que foi realizada
8. a extração das pústulas. Neste caso, o laser irá agir como analgésico
e anti-
inflamatório, estimulando o reparo tecidual de maneira mais breve.

9. Aplicação de máscara calmante (tília, camomila/azuleno).

10. Uso de tônico adstringente.


11. Uso de sérum controlador de oleosidade (enxofre, ácido salicílico, própolis).

12. Aplicação de filtro solar.

Quadro: Plano de Atendimento.

Elaborado por: Priscila de Oliveira Souza, Adaptado por Thaiane Andrade

 Atenção! Para visualização completa da tabela utilize a rolagem horizontal

RUGAS/ FLACIDEZ TISSULAR /


FOTOENVELHECIMENTO

O envelhecimento cutâneo é algo irreversível, devido ao avanço do tempo, à exposição ao sol,


a diversos fatores genéticos, ao estado hormonal e às reações metabólicas. Estas colaboram
para o surgimento das disfunções estéticas,
como rugas e flacidez tissular da pele.

Como qualquer órgão, a pele tem efeitos degenerativos semelhantes aos observados em
outros órgãos, mas, por ser o maior órgão do corpo e estar exposto, reflete os sinais do
envelhecimento de forma visível.

Foto: Shutterstock.com
Minimizar os efeitos do envelhecimento cutâneo é um dos principais motivos de procura pelos
tratamentos estéticos, além de ser um dos tratamentos mais lucrativos. Diante dessa
importância, vamos sugerir um plano de tratamento
para envelhecimento cutâneo com
utilização do laser de baixa potência.

 ESTUDO DE CASO

QUEIXA: RUGAS E LINHAS DE EXPRESSÃO

Paciente A.O.S., de 58 anos, trabalha como vendedora ambulante na praia de Copacabana e


procurou atendimento estético para minimizar os sinais do envelhecimento cutâneo. Na
anamnese, foram observadas rugas estáticas
e dinâmicas na região frontal, orbicular dos olhos
e sulco nasogeniano.

Vamos agora descrever um plano de tratamento para esta cliente utilizando o laser de baixa
potência.

Plano de Tratamento

1. Higienizar a face com sabonete com ácido glicólico.

2. Realizar massagem facial com creme neutro.

3. Retirar o creme.

4. Aplicar o laser de forma pontual, 3J/cm2, nas rugas faciais, para a promoção do
aumento no número de fibroblastos e de fibras colágenas, favorecendo a
vascularização
e reepitelização tecidual.

5. Aplicar uma máscara plástica e hidratante (colágeno/ tensine/ DMAE).

6. Utilizar tônico hidratante (ureia/ colágeno).

7. Aplicar fator de proteção solar.

Quadro: Plano de Tratamento.

Elaborado por: Priscila de Oliveira Souza, Adaptado por Thaiane Andrade

 Atenção! Para visualização completa da tabela utilize a rolagem horizontal

PÓS-OPERATÓRIO DE LIFTING FACIAL


O lifting facial é uma cirurgia plástica da face realizada para rejuvenescer, eliminar flacidez e
remover o excesso de pele do rosto. A técnica faz um levantamento do rosto e aprimora os
contornos da face. O profissional de
estética atua no pós-operatório desta cirurgia realizando a
técnica de drenagem linfática manual e estimulando o processo de cicatrização tecidual.

Foto: Shutterstock.com

O laser de baixa potência induz a atividade mitótica das células epiteliais e dos fibroblastos,
incentivando a produção de colágeno, inibindo a secreção de alguns mediadores químicos,
modificando a densidade capilar e estimulando
a microcirculação local, promovendo a
cicatrização por bioestimulação fototônica de tecidos. Tem ação anti-inflamatória, analgésica e
estimulante do processo cicatricial.

 ESTUDO DE CASO LIFTING FACIAL

Paciente M.T.S.M, de 60 anos, procurou atendimento estético com encaminhamento do


cirurgião plástico para realizar o pós-operatório de lifting facial após sete dias de cirurgia.

Plano de Tratamento Pós-operatório

1. Higienizar a face.

2. Aplicar o laser de baixa potência na área da cicatriz, 3J/cm2.


3. Realizar a drenagem linfática manual facial.

Quadro: Plano de Tratamento Pós-operatório.

Elaborado por: Priscila de Oliveira Souza, Adaptado por Thaiane Andrade

 Atenção! Para visualização completa da tabela utilize a rolagem horizontal

Os recursos luminosos tratados neste módulo são de extrema importância para o êxito
de todo e qualquer tratamento facial.

Claro que, quando iniciamos nossa trajetória profissional, nem sempre teremos recurso
financeiro para investir em equipamentos, mas não desanime por isso!

Uma boa anamnese realizada antes da implementação de um programa de tratamento estético


já representa 50% dos nossos resultados. Os outros dependem do comprometimento do
paciente com o tratamento. Estude e entenda como avaliar
adequadamente uma disfunção
estética facial.

VERIFICANDO O APRENDIZADO

1.MARQUE VERDADEIRO (V) OU FALSO (F) NAS AFIRMAÇÕES SOBRE


LASERTERAPIA DE BAIXA POTÊNCIA:

( ) AS EVIDÊNCIAS MOSTRAM QUE ESSA MODALIDADE DE BAIXA


INTENSIDADE PODE REGENERAR FERIDAS.

( ) PARA A CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS ABERTAS, É USADA A TÉCNICA


DE CONTATO CONVENCIONAL EM TORNO DAS BORDAS DA FERIDA E
NO SEU INTERIOR, SEM PROTEÇÃO.

( ) O TRATAMENTO PODE SER FEITO A 10CM DE DISTÂNCIA DA LESÃO.

( ) PODE SER UTILIZADA NA REGIÃO DOS OLHOS E COM


HEMORRAGIAS, POR SER UM LASER MODULADO DE BAIXA
FREQUÊNCIA.

A SEQUÊNCIA CORRETA SE ESTABELECE EM:

A) V-F-F-F

B) V-V-F-F

C) F-F-V-V

D) F-V-F-V

E) V-V-F-V

2. EM RELAÇÃO À LÂMPADA DE WOOD, É CORRETO O QUE SE AFIRMA


EM:

A) Auxilia no diagnóstico de lesões de pele, realçando-as em coloração avermelhada.

B) Serve como tratamento do melasma, sendo necessárias três aplicações da lâmpada para a
melhoria das hipercromias.

C) Auxilia no diagnóstico de lesões de pele em todos os fotótipos cutâneos.

D) Auxilia no diagnóstico de hipercromias de lesões de pele somente nos fotótipos V e VI.

E) Auxilia no diagnóstico de lesões de pele, sendo importante para diferenciar os melasmas


dérmicos, epidérmicos e mistos em pessoas com fotótipos I, II e III.

GABARITO

1.Marque verdadeiro (V) ou falso (F) nas afirmações sobre laserterapia de baixa
potência:

( ) As evidências mostram que essa modalidade de baixa intensidade pode regenerar


feridas.

( ) Para a cicatrização de feridas abertas, é usada a técnica de contato convencional em


torno das bordas da ferida e no seu interior, sem proteção.

( ) O tratamento pode ser feito a 10cm de distância da lesão.


( ) Pode ser utilizada na região dos olhos e com hemorragias, por ser um laser modulado
de baixa frequência.

A sequência correta se estabelece em:

A alternativa "A " está correta.

A primeira afirmativa está correta, pois o laser de baixa intensidade tem a função de regenerar
feridas. A segunda está incorreta, pois é contraindicado usar o laser de baixa potência em
feridas contaminadas. A terceira afirmativa está incorreta, por afirmar que o laser deve ser
realizado a 10cm de distância da lesão, e não em até 1cm de distância. A quarta e a quinta
afirmativas são incorretas, pois é contraindicada a aplicação em feridas com 10cm de distância
da lesão e em áreas com hemorragia.

2. Em relação à lâmpada de Wood, é correto o que se afirma em:

A alternativa "E " está correta.

A afirmativa A está incorreta, pois a lâmpada, em contato com a pele, não possui coloração
avermelhada, e sim azulada. A afirmativa B está incorreta, pois a luz de Wood é um
equipamento que auxilia na anamnese e não é utilizada como tratamento de discromias. A
afirmativa C está incorreta, pois a lâmpada não funciona em todos os fotótipos cutâneos. A
afirmativa D está incorreta, pois a luz de Wood não funciona em fotótipos V e VI. Logo, a
afirmativa correta é a E.

MÓDULO 2

 Reconhecer os conceitos de LED e luz intensa pulsada (IPL) e suas aplicabilidades


na estética facial

LED (LIGHT-EMITTING DIODE)


VAMOS ENTENDER O QUE É LED?

O LED funciona liberando uma luz cintilante na pele para estimular respostas específicas. A
técnica do LED também atua como um agente antimicrobiano e anti-inflamatório,
dependendo do seu comprimento
de onda. Por isso que são indicados para diversos tipos de
afecções inflamatórias.

Dependendo do tipo de aparelho, a luz pode ser azul, amarela ou verde. É comprovado que o
LED azul reduz a acne e o vermelho melhora a circulação e aumenta o colágeno
(GERSON,
2011).

A técnica do LED faz parte do espectro eletromagnético luminoso visível e/ou invisível, e sua
escala é dada em nanômetros (nm) ou milímetros(mm).

Cada cor da luz de LED possui um tipo de comprimento de onda, sendo as cores mais
utilizadas o azul, o verde, o âmbar, o vermelho e o infravermelho. Seus comprimentos de onda
variam de 380nm a 1200nm.

Os parâmetros da técnica do LED são: tipo e comprimento de onda, potência, tempo, área
irradiada e modo (contínuo ou pulsado). Existe uma faixa de dosagem que é chamada de
janela terapêutica (a faixa da dosagem é importante para obtermos os melhores resultados nos
tratamentos).

Imagem: Shutterstock.com
 Aplicação de LED azul na face.
FAIXA DE DOSAGEM

Faixa ou dose terapêutica que possibilita melhores resultados no tratamento.

 INDICAÇÕES DO TRATAMENTO COM LED NA


ESTÉTICA

Os tratamentos com LED são indicados em casos de pele com acne ativa, flacidez tissular,
redução de rugas e linhas de expressão, remoção de manchas, aceleração da cicatrização,
remoção de equimoses e hematomas, tratamento
de rosácea, queimaduras, remoção de
olheiras e para potencializar o resultado da drenagem linfática.

 CONTRAINDICAÇÕES DO TRATAMENTO COM LED


NA ESTÉTICA

O uso de LED é contraindicado para:

Gestantes;

Pacientes com neoplasias;

Pacientes com epilepsia;

Pacientes com doenças vasculares.

Deve-se evitar a aplicação da luz diretamente em cima ou em direção aos olhos sem óculos de
proteção para o profissional e paciente; na região do seio carotídeo e da tireoide; em áreas
com sangramento ativo e com feridas abertas e contaminadas ou sobre áreas com crescimento
ósseo.
 Clique nas figuras abaixo para ver as inforções.

Imagem: Shutterstock.com

Modelos de equipamentos de LED e sua aplicação.

Imagem: Shutterstock.com

Aplicação de LED vermelho em face.


Como fazer a escolha correta do LED no tratamento estético?

 Clique nas Opções para descobrir.

LUZ VERMELHA
(660nm a 700nm)

Possui efeito bioestimulante e regenerador. Estimula a produção de colágeno e elastina,


aumenta a permeabilidade cutânea, combate linhas de expressão e rugas, cicatrizes e
manchas.

INFRAVERMELHO
(750nm a 1.200nm)

Possui ação anti-inflamatória, analgésica e ativa os fibroblastos, produzindo colágeno e


elastina. Aumenta a permeação de ativos.

LUZ AZUL
(400nm a 470nm)

Aumenta o fluxo do sistema linfático, estimula a síntese de colágeno e elastina e melhora a


hidratação da pele.

LUZ ÂMBAR
(570nm a 590nm)

Aumenta o fluxo do sistema linfático e estimula a síntese de colágeno, elastina e hidratante.

SUGESTÕES PARA PLANOS DE TRATAMENTO

OLHEIRAS
Higienizar a pele com sabonete;

Colocar óculos de proteção no profissional e no paciente;


Realizar massagem nos músculos orbiculares dos olhos;

Utilizar os LEDs azul a 4j/cm² e vermelho/ infravermelho (melhora a função circulatória)


de 1 a 2j/cm²;

Aplicar formulações cosméticas clareadoras e despigmentantes, como, por exemplo,


sérum de vitamina C;

Aplicar filtro solar.

FOTOENVELHECIMENTO/FLACIDEZ CUTÂNEA
Realizar a higienização da pele com higienizante adequado;

Fazer esfoliação com esfoliante apropriado para a pele;

Aplicar LED vermelho (estímulo colágeno) de 2 a 4j/cm²;

Aplicar LED infravermelho (estímulo colágeno) de 2 a 4j/cm²;

Aplicar LED âmbar (estímulo colágeno) de 1 a 3j/cm²;

Como recurso opcional, realizar aplicação de microcorrente ou radiofrequência;

Aplicar filtro solar.

LIMPEZA DE PELE FOTOTÔNICA


Realizar a higienização com higienizante adequado;

Fazer esfoliação com esfoliante indicado para a pele;

Emoliência + vapor de ozônio;

Extração dos comedões;


Aplicar máscara calmante;

Realizar drenagem linfática manual;

Aplicar LED azul a 4J/cm² (a ação bactericida produz fotoinativação da bactéria por meio
do estresse oxidativo) e infravermelho a 2 a 4 J/cm² (ação
reparadora, cicatrizante e
analgésica, que acelera a multiplicação celular e recupera a pele);

Realizar a tonificação;

Aplicar filtro solar.

LUZ INTENSA PULSADA (IPL)


A luz intensa pulsada é um recurso que vem ganhando cada vez mais espaço na rotina do
profissional da estética. Isto porque a IPL é utilizada para o tratamento de manchas,
envelhecimento cutâneo, acne e, além disso, pode ser
conjugada com outros tratamentos.

Para uma melhor compreensão do tema, é necessário conhecer alguns conceitos


fundamentais da Física, tais como: (BORGES, 2016):

LUZ
É uma onda de radiação eletromagnética que altera a energia em fóton.

ENERGIA
É a quantidade de potência enviada à pele em determinado período de tempo, podendo ser
mensurada em Joules (J).

FLUÊNCIA/DOSE
É a quantidade de energia liberada sobre um local da pele medido em cm2. Marcada em
joules. Quanto maior for a fluência, mais rápido será o aumento de temperatura na pele.
CARACTERÍSTICAS DA LUZ INTENSA PULSADA
(IPL)

São características da IPL, segundo Borges (2016):

 Escolha umas das características a seguir.

POLICROMATICIDADE
INCOERENTE
NÃO COLIMADO
Há uma mistura de cores, ou seja, espectro luminoso dentro da faixa de 320nm a 1.200nm.

Há em todas as regiões a emissão de energia dos equipamentos de IPL.

Apresenta uma divergência angular acentuada, não havendo ponto focalizado.

TRANSMISSÃO
ABSORÇÃO
É quando há a passagem de luz para um tecido alvo e depende diretamente dos comprimentos
de onda.

É quando tem um efeito tecidual de importância primária, uma vez que disponibiliza o efeito da
luz no tecido.

Imagem: Shutterstock.com
 Observe na aplicação da IPL como a luz é incoerente e não colimada.

A luz, quando entra em contato com a pele, é absorvida por cromóforos alvo que convertem a
energia luminosa por meio da
absorção.

Borges (2016) descreve os principais tipos de cromóforos:

CROMÓFOROS

Os cromóforos podem ser definidos como substâncias que possuem muitos elétrons, que
têm a capacidade de absorver energia ou luz visível.

Imagem: Shutterstock.com, Adaptado por Lerik Lopes

MELANINA

Faz a captação da luz ultravioleta de 340 a 1.000nm, luz verde visível em torno de 532nm,
infravermelho de 800nm a 1.200nm.

Imagem: Shutterstock.com, Adaptado por Lerik Lopes

HEMOGLOBINA

Faz a captação de luz ultravioleta (300nm), azul (400nm) e verde (em torno de 520nm a
540nm).

Imagem: Shutterstock.com, Adaptado por Lerik Lopes

COLÁGENO

Capta luz visível (em torno de 380nm a 780nm) e infravermelho proximal (800nm a 1.200nm).

Imagem: Shutterstock.com

A luz emitida pela lâmpada é direcionada para um filtro de corte, e este filtro permite passar
somente o espectro desejado de acordo com a função da terapia que você deseja realizar. Por
exemplo: um filtro de 390nm a 510nm
bloqueia a passagem dos outros espectros, tanto
anteriores, a 390nm, como posteriores, a 510nm.

Imagem: Shutterstock.com
 Modelo de filtro para luz intensa pulsada e óculos de proteção, que devem ser usados pelo
profissional e paciente.

Após a luz ser absorvida e transmitida pela pele, ocorrem os seguintes efeitos:

 Escolha um dos Efeitos a seguir.


FOTOTÉRMICO
É quando a energia luminosa é absorvida e transformada em calor, provocando a coagulação
do tecido alvo.

FOTOQUÍMICO
Este efeito ativa reações químicas.

FOTOTERMÓLISE SELETIVA
É a capacidade de selecionar o tecido alvo. A fototermólise seletiva é realizada quando
escolhemos o filtro indicado para cada terapia, de acordo com a disfunção tegumentar que
desejamos tratar.

 INDICAÇÕES PARA O TRATAMENTO COM A LUZ


INTENSA PULSADA – IPL]

Existem equipamentos de IPL que o profissional precisa trocar o tipo de filtro, de acordo com a
disfunção tegumentar de cada paciente. Já em outros aparelhos, é preciso selecionar o tipo de
função de cada terapia no
display do equipamento.

Portanto, a seguir vamos descrever as três formas de aplicação da técnica da IPL de acordo
com os dois tipos de equipamentos disponíveis no mercado.

FOTORREJUVENESCIMENTO
A IPL estimula um aumento significativo de fibroblastos. Para o estímulo de fibroblastos, é
indicado o uso de filtros de 520nm a 1.200nm. Para equipamento com aplicadores únicos,
recomendamos a opção fotorrejuvenescimento,
escolhendo conforme o fotótipo a ser tratado
(variando entre 10J/cm2 a 22J/cm2). Intervalo entre as sessões de 15 a 21 dias.

Imagem: Shutterstock.com
 Aplicação de luz intensa pulsada em face.

MELANOSES (MELASMA, HIPERPIGMENTAÇÃO PÓS-


INFLAMATÓRIA, HIPERCROMIAS)
A IPL faz a lise (destruição) de melanossomas pela ação do calor, fragmentando a melanina
em pequenas partículas. Na prática clínica, recomendamos a utilização do filtro de 520nm a
1.200nm, com fluência de 25J/cm
a 40J/cm. Já para o equipamento com aplicadores únicos,
recomendamos a opção modo pigmentação, com seleção conforme o fotótipo a ser tratado
(variando entre 10J/cm2 a 22J/cm2). Intervalo entre as sessões de
30 dias.

EPILAÇÃO
A epilação progressiva é um tratamento muito procurado nos centros estéticos pelo público
feminino, com queixas de pelos nas regiões de buço e laterais da face. Hoje, existe uma
crescente demanda do público masculino,
caindo por terra o estereótipo de que o homem que
não se preocupa com pelos na face. Os tempos são outros, não para a retirada dos pelos em
barba, mas a luz pulsada também ajuda os homens que sofrem com foliculite
e precisam fazer
a barba todos os dias, ou seja, trata doenças que afetam o universo masculino.

Imagem: Shutterstock.com
 Aplicação de IPL na face.

Para entender como a IPL funciona para a epilação progressiva, é necessário entender as
fases do pelo, pois a técnica só terá resultado satisfatório nos pelos que estiverem no período
anágeno. Observe a figura a seguir:

Imagem: Shutterstock.com, Adaptado por Lerik Lopes


 Fases do pelo humano.

A imagem demonstra que:


1

Na primeira fase do crescimento dos pelos, chamada de anágena, o pelo está mais profundo
na pele. Esta fase é a ideal para o tratamento com IPL, pois ocorre no pelo um maior pico de
divisão
celular e concentração de melanina.

Na segunda fase, chamada de catágena, o pelo encontra-se na transição entre a fase


anágena e a telógena (que é caracterizada pela atrofia do folículo). Neste momento,
interrompe-se a melanogênese
na matriz, e a proliferação celular diminui até cessar.

A terceira fase do crescimento dos pelos, chamada de telógena, é quando o pelo se solta do
folículo e este entra em repouso, podendo reduzir até a metade do seu tamanho normal.

A IPL é amplamente utilizada para a epilação, podendo destruir o folículo piloso através da
fototermólise seletiva.

FOTOTERMÓLISE SELETIVA

É a capacidade que a luz tem de selecionar uma célula alvo. Ou seja, a luz é atraída pelo
pigmento escuro do pelo, realizando o mecanismo de ação chamado de fototermólise
seletiva.

A fototermólise produz uma lesão térmica no folículo piloso, que ocorre quando se aquece em
torno de 60 graus o bulbo folicular. Caso isto não ocorra, os pelos se enfraquecem, porém
continuam crescendo de maneira mais lenta.
Quanto mais grosso e mais escuro for o pelo,
melhor será o resultado. A luz pulsada não é capaz de oferecer nenhum resultado para a
epilação de pelos brancos.

Imagem: Shutterstock.com, Adaptado por Lerik Lopes


 Desenho esquemático de ação de luz intensa pulsada no folículo piloso.

Em relação aos parâmetros envolvidos, precisamos levar em consideração os seguintes


pontos, segundo Borges (2016):

COMPRIMENTO DE ONDA

Pelos finos e superficiais são atingidos em comprimento de onda curtos, em torno de 550nm e
750nm. Pelos grossos são atingidos com ondas maiores, de 750nm a 1.100nm.

DURAÇÃO DO PULSO

Pelos finos e superficiais serão atingidos com duração e pulso de 5ms a 20ms. Pelos mais
grossos respondem melhor com a duração de pulso em torno de 20ms a 40ms.
FLUÊNCIA

Quanto maior a fluência, melhor a eficácia da epilação.

ÁREA DA PONTEIRA

Ponteiras maiores permitem abrangência de áreas maiores em menor tempo.

RESFRIAMENTO DA EPIDERME

Para minimizar as chances de queimadura, recomendamos o resfriamento da epiderme antes


do início do procedimento.

FOTÓTIPO CUTÂNEO DA ÁREA TRATADA

Antes de iniciar o tratamento, devemos avaliar o fotótipo do paciente. Quanto menor for o
fotótipo na escala de Fitzpatrick,
mais energia poderá ser utilizada no tratamento. Quanto
maior o fotótipo, menor a energia permitida no tratamento, com o objetivo de evitar possíveis
queimaduras ou manchas por causa da absorção da luz pela melanina
da epiderme destes
pacientes.

FITZPATRICK

Fotótipo Fluência
I e II 640nm a 1.200nm

III e IV 750nm a 1.200nm

V e VI 39 a 50 J/cm2

Quadro: Sugestão de parâmetros de acordo com o fotótipo cutâneo, baseado na


escala de Fitzpatrick,

para equipamentos com aplicadores de filtro. Elaborado por: Priscila de Oliveira


Souza

 Atenção! Para visualização completa da tabela utilize a rolagem horizontal

 ATENÇÃO

Já nos equipamentos com aplicadores únicos, a recomendação do uso é a opção pelo modo
remoção dos pelos, com seleção da intensidade em torno de 10 J/cm2 a 22 J/cm2.

ORIENTAÇÕES PARA O TRATAMENTO DE LUZ


INTENSA PULSADA

No tratamento com luz interna pulsada, é necessário utilizar proteção para os olhos, com
óculos especiais. Se o paciente possuir alguma tatuagem em região próxima à área da
aplicação, esta deverá ser protegida com micropore
ou esparadrapo.

Imagem: Shutterstock.com

Como preparo para a aplicação, é necessário realizar anamnese e registrar o fotótipo do cliente
e seu tipo de pelo (fino ou grosso).

Antes da epilação, os pelos deverão ser cortados com lâminas de barbear, em um


comprimento aparente entre 2mm a 3mm. Está proibida, durante este período, a utilização de
cera. A área tratada deverá estar limpa e sem uso de
hidratantes, óleos ou desodorantes. O
início do tratamento deve utilizar sempre menor fluência, com aumento gradual ao longo das
sessões. .

Imagem: Shutterstock.com
 ATENÇÃO

Cuidado para não sobrepor os disparos em um mesmo lugar sem que haja um resfriamento da
pele, para evitar o risco de queimadura.

CUIDADOS APÓS A APLICAÇÃO

O cliente deve utilizar proteção solar fator 30 ou maior, evitar exposição ao sol por 30 dias –
pois o bronzeamento após a sessão poderá estimular a síntese de melanina – e também deve
utilizar roupas leves e confortáveis no
dia da aplicação.

 CONTRAINDICAÇÕES

O uso de IPL é contraindicado a pacientes:

Que façam uso do medicamento Roacutan (isotretinoína) ou outros medicamentos


fotossensibilizantes;

Bronzeados;

Com dermatoses desencadeadas ou agravadas pela luz;

Diabéticos;

Com queloides;

Lactantes e gestantes;

Com distúrbios hormonais que possam estimular o crescimento de pelos;

Com lúpus eritrematoso;


Com neoplasias e com processo infeccioso ativo por herpes.

INTERCORRÊNCIAS QUE PODEM ACONTECER


APÓS A APLICAÇÃO DA IPL

É fundamental chamar a atenção do paciente para as possíveis intercorrências que podem


acontecer após a aplicação de IPL, como ardência, vermelhidão, bolhas, prurido, crostas,
discromias e cicatrizes hipertróficas.
Essas intercorrências na pele podem ocorrer
imediatamente após o tratamento ou dentro de até 20 dias.

Diante disto, é de extrema importância que o terapeuta solicite ao paciente a assinatura de


um termo de consentimento livre e esclarecido sobre os cuidados necessários antes do
tratamento e até das
possíveis intercorrências.

A luz intensa pulsada é uma técnica segura quando o profissional utiliza os parâmetros
adequados, relacionando a intensidade do IPL com o fotótipo cutâneo do paciente. Esteja
sempre
atento, para evitar intercorrências.

DIFERENÇAS ENTRE LED E LASER


Agora, a especialista Priscila de Souza explicará as principais características de laser e LED, e
detalhará suas diferenças.
VERIFICANDO O APRENDIZADO

1. A EPILAÇÃO, ESSENCIALMENTE VOLTADA PARA A BELEZA E A


HIGIENE PESSOAL, PODE SER REALIZADA POR MEIO DE TÉCNICAS
MECÂNICAS, QUÍMICAS E TÉRMICAS. A FOTODEPILAÇÃO PELA LUZ
INTENSA PULSADA (IPL), POR EXEMPLO, É UM PROCEDIMENTO QUE
TENDE A ELIMINAR AS CÉLULAS GERMINATIVAS DO PELO. NESSE
PROCESSO, O CROMÓFORO ENCARREGADO PELA ABSORÇÃO DA LUZ
É A MELANINA, QUE A CONVERTE EM CALOR, QUE É TRANSMITIDO
POR TODO O PELO, OCASIONANDO A DESTRUIÇÃO DO BULBO PILOSO.

COM BASE NAS INFORMAÇÕES, AVALIE AS AFIRMAÇÕES A SEGUIR:

I. UMA CARACTERÍSTICA DA IPL É A POLICROMATICIDADE, QUE SE


REFERE À EMISSÃO DE AMPLO ESPECTRO LUMINOSO.

II. A NÃO COLIMAÇÃO DA IPL OCORRE QUANDO A LUZ APRESENTA


DIVERGÊNCIA ANGULAR, NÃO HAVENDO UM PONTO FOCALIZADO.

III. A COERÊNCIA É UMA CARACTERÍSTICA DA IPL E SIGNIFICA QUE


TODOS OS FEIXES DE LUZ APRESENTAM A MESMA DIREÇÃO.

É CORRETO O QUE SE AFIRMA EM:

A) I, apenas

B) III, apenas

C) I e II, apenas

D) II e III, apenas

E) I, II e III

2. NÓS, PROFISSIONAIS DE ESTÉTICA, PRECISAMOS FICAR ATENTOS


ÀS INDICAÇÕES E CONTRAINDICAÇÕES DO LED, SENDO ASSIM SÃO
INDICAÇÕES, EXCETO:

A) Gestantes com receita médica

B) Peles com acne

C) Flacidez

D) Rugas e linhas

E) Queimaduras

GABARITO

1. A epilação, essencialmente voltada para a beleza e a higiene pessoal, pode ser


realizada por meio de técnicas mecânicas, químicas e térmicas. A fotodepilação pela luz
intensa pulsada (IPL), por exemplo, é um procedimento que tende a eliminar as células
germinativas do pelo. Nesse processo, o cromóforo encarregado pela absorção da luz é
a melanina, que a converte em calor, que é transmitido por todo o pelo, ocasionando a
destruição do bulbo piloso.

Com base nas informações, avalie as afirmações a seguir:

I. Uma característica da IPL é a policromaticidade, que se refere à emissão de amplo


espectro luminoso.

II. A não colimação da IPL ocorre quando a luz apresenta divergência angular, não
havendo um ponto focalizado.

III. A coerência é uma característica da IPL e significa que todos os feixes de luz
apresentam a mesma direção.

É correto o que se afirma em:

A alternativa "C " está correta.

A opção III está incorreta, por relatar que na luz intensa pulsada todos os feixes de luz
apresentam a mesma direção. Isso seria um efeito de colimação, que é característico do laser,
e não da luz pulsada. Você pode encontrar mais detalhes sobre esta resposta no módulo 2, no
qual ensinamos sobre as características da luz intensa pulsada.

2. Nós, profissionais de estética, precisamos ficar atentos às indicações e


contraindicações do LED, sendo assim são indicações, exceto:

A alternativa "A " está correta.

Como tratado no módulo, peles com acne, flacidez, rugas e linhas e queimaduras são
indicações do LED. Entretanto, a gestante, mesmo com autorização médica, não deve realizar
o procedimento. Tudo que é realizado na gestante precisa ser bem avaliado; teríamos que ter
mais estudos que garantam que o LED não faz mal ao feto.

CONCLUSÃO

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Neste conteúdo, conhecemos a lâmpada de Wood, o laser e seus conceitos e efeitos
terapêuticos na área da estética. Lembre-se de que a lâmpada de Wood ajuda na verificação
de manchas na pele, células mortas, discromias e lesões
pigmentares.

Aprendemos também diferentes formas de luzes, focando especificamente no laser de baixa


potência para ajudar no tratamento de reparo tecidual, em cicatrizes causadas por cirurgias
plásticas, além do laser, que acelera o processo
de cicatrização de feridas.

Para finalizar, apresentamos como a fototerapia (LED e luz pulsada) está sendo utilizada nos
tratamentos de manchas, rugas, estrias e epilação progressiva, o que torna fundamental
entender esta técnica para conseguir agregar
à nossa prática diária, obtendo um programa de
tratamentos diversificados e personalizados.
AVALIAÇÃO DO TEMA:

REFERÊNCIAS
AGNE, J. E. Eletrotermofototerapia. 4. ed. Santa Maria: Palotti, 2017.

BORGES, F. S.; SCORZA, F. A. Terapêutica em estética: conceito e estética. Phorte, 2016.

BORGES, F. S. Dermato-funcional: modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. 2. ed.


São Paulo: Phorte, 2010.

GERSON, J. et al. Fundamentos de estética: ciências da pele. São Paulo: Cengage Learning,
2011.

GUIRRO E.; GUIRRO R. Fisioterapia Dermato-funcional: fundamentos, recursos e


patologias. 3. ed. São Paulo: Manole, 2004.

KEDE, M. P. V.; SABATOVICH, O. Dermatologia estética. 2. ed, São Paulo: Atheneu, 2009.

KITCHEN, S. Eletroterapia: prática baseada em evidências. 2. ed. Barueri: Manole, 2003.

PEREIRA, M. F. L. Eletroterapia. v.2. Série Curso de Estética. São Paulo: Difusão, 2019.

TAMLER, C. et al. Classificação do melasma pela dermatoscopia: estudo comparativo com


lâmpada de Wood. Surgical & Cosmetic Dermatology [online]. 2009, 1(3), 115-119. Consultado
na internet em: 13 fev. 2021.
EXPLORE+
Leia os seguintes artigos:

Lâmpada de Wood na dermatologia: aplicações na prática diária, de Veasey J. V., Miguel


F. A. B. e Bedrikow B. R., publicado na Surg. Cosmet. Dermatol. 2017; 9(4):328-30.

Estudo do estímulo de colágeno através da aplicação de luz LED, de Maiara Forte Pires
de Camargo e Talitha Nicoletti Regis.

CONTEUDISTA
Priscila de Oliveira Souza

 CURRÍCULO LATTES

Você também pode gostar