Você está na página 1de 84

MANEJO DE PLANTAS

DANINHAS

FERNANDO STORNIOLO ADEGAS


Resistência ???
X
Tolerância ???
TOLERÂNCIA
Baixo grau de sensibilidade de uma
população à dose recomendada de um
herbicida, mas que pode ser vencida com
doses maiores;

É uma característica inerente da população,


mesmo antes da introdução do herbicida na
área.
RESISTÊNCIA

Capacidade adquirida de uma população de


tolerar à dose recomendada de um
determinado herbicida, outrora eficiente.

Não é uma característica inerente da


população, sendo desenvolvida/manifestada
após a introdução do herbicida na área.
SURGIMENTO

Naturalmente, pela pressão de

seleção de uma população resistente

já existente
Resistência no Mundo – www.weedscience.com
SITUAÇÃO
DA
RESISTÊNCIA
483 casos - 252 espécies - 92 culturas - 69 países

163 herbicidas

Do total de 25 mecanismos

22 com resistência

Excessão
- Inibidores da DHP sintase
- Desacopladores Fosf. Oxid.
- Inib. Transporte Auxinas
BRASIL
 Amaranthus palmeri
 46 casos
 Chloris elata
 16 ALS
 Conyza bonariensis
 5 ACCase
 Conyza canadensis
 8 EPSPs
 Conyza sumatrensis
 2 Auxinas
 Digitaria insularis
 1 Protox
 Eleusine indica
 1 FI
 Lolium multiflorum
 6 ALS + FII
 1 ALS + Protox  Lolium multiflorum

 1 ALS + Auxina  Lolium multiflorum


 1 ALS + ACCase
 Conyza sumatrensis
 1 EPSPs + ACCase
 Amaranthus palmeri
 2 EPSPs + ALS
 Lolium multiflorum
VARIEDADE
ATUAL

- Ciclo precoce
- Indeterminado
- Potencial p/ plantio antecipado
- RR
MENOR POTENCIAL COMPETITIVO
Novos trabalhos e novas novas metodologias tem apresentado período
crítico aproximadamente a partir dos 12 DAE, indicando a necessidade de
controle mais precoce, para evitar perdas na produtividade.
CONTROLE ATUAL

Dessecação Glifosato Glifosato


FUTURO DO CONTROLE

Dessecação Pré-Emergente Pós-Emergente


(seq.) (residual) (única)

PLANEJAR O CONTROLE O ANO TODO


QUAL É O PRÉ-EMERGENTE A SER UTILIZADO ?

 Controle para “retirar uma aplicação” de pós-emergente


 Espectro: controlar folha larga + estreita
 Seletividade: sem fito para a “cultura aplicada”
 Carry-over: sem fito para a “cultura posterior”
QUANDO APLICAR O PRÉ?
350
Precipitação Acumulada Média Mensal (mm)

300
Manejo de Pré
250
Outono/Inverno Semeadura

200

150

100

50

Meses
BUVA
INFESTAÇÃO
Alta (>>> resist.)
Média (> resist.)
Baixa (<<< resist.)
Inicial
2012 – Jataí
Tamanho de Buva x Controle
100
99
90 92

80
81
70
69
60
61
50

40

30

20

10

0
< 10 cm 10 - 20 cm 20 - 30 cm 30 - 50 cm > 50 cm
Cobertura é fundamental
19,7 buva m-2

0,0 buva m-2


Época de Cultivo – Sistema Grãos
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

SOJA MILHO SAFRINHA POUSIO SOJA

Diminuir / Evitar

SOJA POUSIO SOJA


Milho Safrinha - Soja
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

SOJA MILHO SAFRINHA POUSIO SOJA

Logo após a
colheita do milho Pouco antes da
semeadura da soja

“Posterior” a colheita
do milho e “anterior” a
semeadura da soja
APÓS A COLHEITA DO MILHO
JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ

SOJA MILHO SAFRINHA POUSIO SOJA

Gly+2,4-D (1,5/3,0 + 0,8/1,5)  Gramocil (1,5/2,0)


Gly+Clorim. (1,5/3,0 + 60/100)  Finale (2,0/2,5)
Gly+Heat (1,5/2,5 + 50)  Gly+Heat (1,5/2,5+50)
 Diclosulam (30)  Gly+2,4-D (idem)
 Imazaquim (1,0)  Gly+Clorimuron
 Metribuzin (1,0) (1,5/3,0 + 60/80)
 Metsulfuron (4-6)  Gly+Heat (1,5/2,5 +50)
 Flumioxazin (150-200)  Gramocil (1,5/2,0)
 Imazetapyr (1,0)  Finale (2,0/2,5)
QUANDO INICIAR?
350
Precipitação Acumulada Média Mensal (mm)

300
Manejo de Pré
250
Outono/Inverno Semeadura

200

150

100

50

Meses
ÉPOCA DE CONTROLE DA BUVA
Paraquat 2,0

Aplicação: 21/agosto

Glifosato + 2,4-D
3,0 0,8

Aplicação: 06/agosto
Buva: 12 cm
Paraquat 2,0

Aplicação: 3/setembro

Glifosato + 2,4-D
3,0 0,8
Aplicação: 21/agosto
Buva: 28 cm
Paraquat 2,0

Aplicação: 17/set

Glifosato + 2,4-D
3,0 0,8
Aplicação: 03/set
Buva: 49 cm
EPSPs
+
ALS
EFICIÊNCIA DA “PRIMEIRA”
EFICIÊNCIA DO SEQUENCIAL
Gramocil (2,0) Finale (2,5) Gli+Heat (2,0+50)
100
97
95
95 94
93 93
92 92 92
91
90

85

80

75

70

65

60

55

50
2007/13 2013/16 2016/17
MANEJO NO MILHO SAFRINHA
AMARANTHUS PALMERI
18/06/2015
Capim-amargoso
(Digitaria insularis)
INFESTAÇÃO
Alta (>>> resist.)
Média (> resist.)
Baixa (<<< resist.)
Inicial
Sem infestação
São Gabriel do Oeste – Out/13
Centro Oeste
9
CAPIM-AMARGOSO
8 8,2

7 35,29% /year

6,8
6
Millions of Ha

3 3,4

1
1
0 0,001 0,15
0
2006 2008 2010 2012 2014 2016 2018
BIOLOGIA

 Perene

C 4

 Entoucerada

 Rizomatosa

 Alta produção de sementes


DISSEMINAÇÃO
GERMINAÇÃO e EMERGÊNCIA
Machado et al. (2006)
6,00
5,00
MSR (g planta)

4,00
3,00
Formação de rizomas
2,00
1,00

0,00
0 14 28 42 56 70 84 98 112

Dias após a emergência


MSR = raizes = rizomas
Distribuição Temporal
SOJA MILHO SAFRA

Outubro - Março Setembro-Janeiro

MILHO SAFRINHA TRIGO

Fevereiro - Agosto Abril - Setembro


Manejo do Amargoso
CONTROLE
CULTURAL
Sucessão de Culturas e Controle de D. insularis

Verão 12/13 Inverno 13 Verão 13/14 Inverno 14 Plantas m-2

Soja Milho Soja Milho 6,4

Milho + Milho +
Soja Soja 0,2
Braquiaria Braquiaria

Soja Aveia Soja Aveia 2,4

Soja Trigo Soja Trigo 2,8

Soja Pousio Soja Pousio 14,2


CONTROLE
MECÂNICO
ARAÇÃO e GRADAGEM
Dessecação pré-semeadura (2 ou 3) = Glyphosate + ACCase / Paraq.
Pós-emergência = 1 ou 2 de Glyphosate + ACCase
Pós colheita (burndown para trigo/milho) = Glyphosate + ACCase

Quatro a Seis Aplicações de Glyphosate + ACCase


60
MANEJO DO CAPIM-AMARGOSO

Roçada Contato / ACCase Glifosato


Mecânica/Química + Residual + ACCase
ROÇADA
Altura de roçada e tamanho de rebrote
10cm alt 20cm alt
100
100
96 96
90 93 94
92
87
80 85

70
% Controle

60

50

40

30

20

10

0
10cm 20cm 30cm 40cm
Controle em Pré-Emergência
Controle em Pré-Emergência
Emergência de Capim-amargoso

amargoso Chuva

mm chuva
pl/m-2
PÓS
EMERGENTES
Controle de “Touceiras Pequenas”
Graminicida + Sequencial
AMARGOSO PERENIZADO

69
100
Controle de Touceiras
89
90 86
84

80 76

69
70
64

60

50

40

30

20

10

0
Select
Select/Poker Podium EW Fusilade Verdict Panther Aramo
0,8 1,6 2,0 0,8 1,0 0,8
Controle de Touceiras
100 Primeira Segunda

97 96
90

86
80 83

70
69
66
60
61
% Controle

56
50

40

30

20

10

0
Select 0,60,6
Clethodim Select 1,01,0
Clethodim Verdict 0,70,7
Haloxifop Verdict 1,2 1,2
Haloxifop
MANEJO DO CAPIM-AMARGOSO

Gli+ACCase (Dim) Paraquat/Finale + Gli+ACCase (Fop)


(“Dose Alta”) Residual “Dose Normal”
E agora???

E COM BUVA E AMARGOSO NA


MESMA ÁREA ???
Existe antagonismo entre os
graminicidas e os
latifolicidas?

74
Percentual de controle de capim-amargoso com mistura de 2,4 D e
gramicidas aos 60 DAA

100,0
97,8 98,0 97,3 97,8 96,5 98,0 97,3 96,8 97,5 96,8 96,5 97,0
96,0
94,0
90,0 88,8

80,0 79,8
75,8
70,0

60,0

50,0

40,0

30,0

20,0

10,0

0,0
T1 T2 T3 T4 T5 T6 T7 T8 T9 T10 T11 T12 T13 T14 T15 T16 T17

Tratamentos Com 2,4 D Sem 2,4 D


OUTROS
MILHO
RR

SOJA
RR
Controle de Milho Voluntário
100
100
98
90
Fop's Dim's
91
86
80
81

70
68
60

50

40

30

20

10

0
Até 4 Folhas 4-8 folhas + 8 Folhas
E O FUTURO???
“FUTURO”
TRANSGENIAS
RR
LL Dicamba

Cultivance STS

HPPD Enlist
???
RR RR
LL LL Enlist

2,4-D ??? ???


SISTEMA DE CONTROLE
- EPSPs - FS II
- Auxinas - Div. Celular - ALS
- Glutamina - ALS - PROTOX
- FSI - PROTOX - ACCase

Dessecação
Diversificar
Pré-Emergenteso uso Pós-Emergentes
de
herbicidas

PLANEJAR O CONTROLE O ANO TODO


MECANISMO DE AÇÃO X MARCA COMERCIAL
ACCase PROTOX
Iloxan CAROTENO FOTOSSISTEMA (FS) Blazer/Tackle
Podium/Furore Gamit FS I FS II Flex
Fusilade Provence Reglone Ametryne * Diuron * Basagran/Banir Goal
Verdict Zorial Gramoxone Atrazine * Afalon/Linurex Trotil Flumyzin/Sumi
Shogun Bladex Propanil * Radiant
Targa Gesagard Ronstar
Falcon Simazine * Boral
Select/Poker Sencor Aurora
Poast Ranger/Velpar Cobra/Naja

ALS EPSPS DIVISÃO CELULAR AUXINA


Classic/Smart Plateau Glyphosate * Raiz Parte Aérea 2,4-D *
Sempra Sweeper Zapp Surflan Ordran Fist/Kadett/Sur Banvel
Ally Countain Herbadox Saturn Laço Starane
Sanson Scepter/Topgan Trifluralin * Zeta Padron
Chart Pivot/Vezir GLUTAMINA Visor Dual Garlon
Sirius Pacto Finale/Liberty Facet
Nominee Spider Agritone
Gulliver Scorpion Triclon
Staple Katana
OBRIGADO !!!

Fernando S. Adegas
fernando.adegas@embrapa.br
(43) 3371-6112

Você também pode gostar