Você está na página 1de 7

METRO ETHERNET: UMA TECNOLOGIA

QUE VALE A PENA CONHECER

Redes Metro Ethernet têm inúmeras vantagens tanto para provedores quanto para
clientes em matéria de custos e qualidade. Produtos e equipamentos Metro Ethernet vêm
sendo desenvolvidos no mundo inteiro. A Cisco, por exemplo, tem dedicado uma grande
atenção para essa tecnologia. Por meio de um padrão bem estruturado e estudado, o a
Metro Ethernet consegue integrar-se perfeitamente às redes das operadoras já instaladas,
além de obviamente trabalhar em perfeita harmonia com novos padrões, como Gigabit
Ethernet. Com a grande aceitação da tecnologia pelo mercado, dificilmente Metro
Ethernet não será um padrão de enorme sucesso e grande base de redes instaladas.

Esta edição do NOC em Rede criou um link onde publica em formato de quiz material com
os principais aspectos dos conceitos de Metro Ethernet e dos serviços envolvidos nessa
tecnologia (Serviços Metro Ethernet). Acesse aqui porque vale a pena conhecer.

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

METRO ETHERNET: UMA TECNOLOGIA


QUE VALE A PENA CONHECER

Por que Ethernet?

A Ethernet se mantém no mercado há mais de 20 anos por ser simples e flexível. Ela é
confiável, tem baixo custo e fácil manutenção. Não há nenhuma tabela de configuração
para gerenciar a rede, nem softwares para controlá-la.

Por que Metro Ethernet?

Metro Ethernet é um modo de utilizar redes Ethernet em áreas metropolitanas e


geograficamente distribuídas. Esse conceito surgiu, pois, de acordo com alguns estudos,
o tráfego de dados estaria superando o tráfego de voz nas redes metropolitanas, portanto
seria mais interessante utilizar uma infraestrutura de transmissão de dados em vez de
uma estrutura do tipo TDM (Time Division Multiplexing), criada para a transmissão de voz.
A escolha da rede Ethernet como infraestrutura para o transporte do tráfego de dados foi
devido ao seu baixo custo, flexibilidade e facilidade de manutenção e operação.

Como é o serviço Metro Ethernet?


O esquema básico do serviço Metro Ethernet é ilustrado abaixo. O provedor da MEN
(Metro Ethernet Network) fornece o serviço Metro Ethernet aos seus clientes. A ponta do
cliente (CE) é conectada à MEN por meio da interface de rede do usuário (UNI). Isso
ocorre por meio de uma interface Ethernet comum, operando a 10Mbps, 100Mbps, ou
1000Mbps.

Sob a perspectiva do provedor da MEN, os serviços podem ser oferecidos em diversas


tecnologias e protocolos, como SONET, WDM, MPLS, FRAME RELAY etc. Mas sob a
perspectiva do assinante, a conexão é sempre feita por meio de uma interface Ethernet
comum.

O que é uma Conexão Virtual Ethernet?

Uma EVC (Conexão Virtual Ethernet) consiste na associação de uma ou mais interfaces
de rede do usuário (UNIs). As EVCs têm como funções principais o estabelecimento de
uma conexão (ponto a ponto ou multiponto) entre duas ou mais UNIs, transferindo
quadros Ethernet entre elas e garantindo que não haverá comunicação entre sites que
não façam parte de uma EVC (similar a segurança e privacidade oferecida pelos PVCs
Frame Relay). Um quadro Ethernet não deve nunca retornar à interface que o originou, e
não deve ser alterado no caminho entre a sua origem até o seu destino. O MEF (Metro
Ethernet Forum) define dois tipos de serviços: Ethernet Line e Ethernet LAN.

Ethernet Line

O serviço Ethernet Line ou linha Ethernet, corresponde a comunicação ponto a ponto


entre duas UNIs, como mostra a figura abaixo.

Uma mesma UNI pode ser associada a mais de uma E-Line simultaneamente, do mesmo
modo que vários PVCs podem ser associados a uma mesma interface física em uma rede
Frame-Relay.
Ethernet LAN

O serviço Ethernet LAN oferece conectividade multiponto entre duas ou mais UNIs.
Quadros transmitidos podem ser recebidos por duas ou mais outras UNIs. Sob a
perspectiva do assinante a MEN assemelha-se a uma LAN. Quando uma nova UNI é
integrada, simplesmente conecta-se essa nova UNI ao mesmo EVC para que ela tenha
conectividade multi-site. Comparando com o serviço Frame Relay verificamos que o E-
LAN, nesse tipo de conectividade, é muito mais simples. O Frame Relay cria um serviço
multiponto por meio de vários serviços ponto a ponto. A cada inclusão de site é
necessário criar novos PVCs em todas as pontas envolvidas. No caso de uma E-LAN,
isso não é necessário, assim como em uma LAN tradicional.

O que é interface física Ethernet?

A interface sob o ponto de vista do assinante é uma interface padrão estabelecida pelo
comitê IEEE 802.3.
O que são perfis de largura de banda?

O MEF definiu três tipos de atributos para perfis de banda:

I) Largura de banda por UNI

II) Largura de banda por EVC

III) Largura de banda por identificador de CoS

Estes baseiam-se nos seguintes parâmetros de tráfego:

• CIR (Commited Information Ratio).


• CBS (Commited Burst Size).
• EIR (Extended Information Ratio).
• EBS (Extended Information Size).
Que tipos de quadros são permitidos? Sim

Os provedores de serviço definem quais tipos de quadros serão permitidos (transmitidos)


e quais serão proibidos (descartados). Alguns provedores entregam todos os tipos, outros
têm algumas restrições. O serviço E-LAN suporta o aprendizado dos endereços, e os
quadros com endereços Unicast, Multicast ou Broadcast desconhecidos vão ser
entregues para todas as UNIs, já os quadros com endereço MAC conhecido vão ser
entregues para as UNIs com o endereço já aprendido.

Que são Quadros Unicast?

São quadros definidos pelo endereço MAC de destino. Esse atributo especifica se o
quadro Unicast deve ser descartado, entregue ou entregue condicionalmente (condições
que devem ser especificadas).

E Quadros Multicast?

São quadros com o endereço MAC destino na faixa de 01-00-5E-00-00-00 até 01-00-5E-
7F-FF-FF. Esse atributo especifica se o quadro Unicast deve ser descartado, entregue ou
entregue condicionalmente (condições que devem ser especificadas).

Que são Quadros Broadcast?

São quadros com o endereço MAC destino FF-FF-FF-FF-FF-FF. Esse atributo especifica
se o quadro Unicast deve ser descartado, entregue ou entregue condicionalmente
(condições que devem ser especificadas).

Como se apresenta a arquitetura das redes Metro Ethernet?

A arquitetura básica de uma rede Metro Ethernet já foi mencionada, e é apresentada a


seguir.
O modelo de referência de uma MEN, por sua vez, é apresentado a seguir:

Como a camada AAP oferece suporte a aplicações baseadas nos serviços


Ethernet?

A camada APP oferece suporte a aplicações baseadas nos serviços Ethernet por meio da
MEN. Vários serviços de aplicação podem ser suportados, como exemplo, o uso da
camada ETH como camada TRAN para outras redes como IP, MPLS, PDH etc.

A camada de serviços Ethernet

A camada ETH é responsável pelos serviços do MAC (controle de acesso ao meio) e pela
entrega dos quadros nas interfaces e nos pontos associados. O quadro apresentado nas
interfaces da camada ETH pode ser um quadro Unicast, Multicast ou Broadcast, de
acordo com o padrão IEEE 802.3
E a camada de serviços de transporte?

A camada TRAN oferece suporte para conectividade entre os elementos da camada ETH
independentemente dos serviços. Várias redes podem ser utilizadas para suportar os
requisitos de transporte para a camada ETH, como por exemplo. IEEE 802.3 PHY,
SONET/SDH, ATM VC, PDH DS1/E1, MPLS LSP etc.

Quais são as vantagens do Metro Ethernet?

O Metro Ethernet oferece as seguintes vantagens para provedores e assinantes:

• Não existe a necessidade de instalar roteador na ponta do cliente, diminuindo


custo.
• Flexibilidade (para aumento de banda por demanda, por exemplo).
• Fácil manutenção.
• Fácil gerenciamento.
• Os equipamentos são mais baratos do que nas redes mais “antigas” (ATM,
SONET, FR etc.).
• O cliente lida com uma interface Ethernet comum e bem conhecida, integrando-se
perfeitamente à LAN já instalada.
• Permite ao provedor oferecer serviços de valor agregado.
• Uma maior largura de banda é disponibilizada para os clientes quando comparada
à de outras tecnologias como DSL ou Cable Modems.
• O cliente paga apenas pela banda utilizada (fácil implementação deste controle no
lado da operadora).

Observação:

As principais documentações existentes sobre o assunto são geradas pela MEF (Metro
Ethernet Forum), organização sem fins lucrativos que visa conceituar, difundir e
especificar a Metro Ethernet.

Fonte: http://blog.ccna.com.br/2008/04/27/metro-ethernet/